18 09-2008 Alan Kardec Pinto na Rio Oil and Gas Expo Conference no Rio de Janeiro
 

18 09-2008 Alan Kardec Pinto na Rio Oil and Gas Expo Conference no Rio de Janeiro

on

  • 1,612 views

 

Statistics

Views

Total Views
1,612
Views on SlideShare
1,611
Embed Views
1

Actions

Likes
0
Downloads
37
Comments
0

1 Embed 1

http://www.slideshare.net 1

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Adobe PDF

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

18 09-2008 Alan Kardec Pinto na Rio Oil and Gas Expo Conference no Rio de Janeiro 18 09-2008 Alan Kardec Pinto na Rio Oil and Gas Expo Conference no Rio de Janeiro Presentation Transcript

  • t1 Petróleo & Gás no Século XXI: Desafios Tecnológicos 15 a 18 de setembro de 2008 - RIOCENTRO PAINEL: Biodiesel – Desenvolvimento regional e sustentabilidade econômica PALESTRA: Sustentabilidade econômica do programa nacional de produção e uso produç do biodiesel - PNPB Alan Kardec 1 Presidente
  • Slide 1 t1 tgn5; 4/9/2008
  • POR QUE PRODUZIR BIOCOMBUSTÍVEIS? 2
  • CONSEQUÊNCIAS PARA O PLANETA 3
  • EMISSÕES DE GASES DO EFEITO ESTUFA EVITADOS COM O USO DO ETANOL E BIODIESEL BALANÇO DE CO2 ETANOL DE CANA DE AÇÚCAR X GASOLINA (O ETANOL BOM) O etanol de cada de açúcar reduz em média 85% a emissão de CO2 em relação a gasolina ETANOL DEOs biocombustíveis MILHO X GASOLINA sozinhos não são a solução, mas são, seguramente uma O etanol de milho reduz em média 30% a emissão de CO2 em relação a gasolina importante * Referência: International Energy Agency (2004).para contribuição a redução do aquecimento global. BIODIESEL X DIESEL MINERAL O biodiesel de soja reduz em média 60% a emissão de CO2 em relação diesel fóssil * Referência: artigo da Sciente "Land Clearing and the Biofuel Carbon Debt", de Fargione 4
  • O QUE NÃO É RENOVÁVEL UM DIA ESGOTA % % CENÁRIOS 100 % O INÍCIO DE UMA NOVA ERA Estamos aqui 90 Estamos aqui Biomassa 80 Biomassa Hidro Nuclear Moderna (lenha) Solar 70 Gas Natural Solar 60 Solar 50 Petróleo 75% 40 30 20 Carvão 10 Outros 0 1850 1900 1950 2000 2050 2100 ANOS 5 FONTE: NAKICENOVIC, GRÜBLER E MACONALD, 1998. GRÜ
  • CENÁRIOS – ENERGIA RENOVÁVEL MATRIZ ENERGÉTICA BRASILEIRA 44,7% RENOVÁVEL Nuclear; Cana-de-açucar 1,20% 13,9% Hidroeletricidade 15,00% Carvão Mineral; 6,40% Outras Renaváveis 2,70% Petroleo; 38,40% Madeira e outras Biomassas – 13,10% Gás Natural; 9,30% 6
  • CENÁRIOS – ENERGIA RENOVÁVEL MATRIZ ENERGÉTICA MUNDIAL 13,9% RENOVÁVEL 13,9% RENOVÁVEL Biomassa tradicional Nuclear; Hidroeletricidade 9,50% 6,50% 2,20% Carvão Mineral; 23,20% Óleo; 35,30% Outras renováveis 2,20% Gás Natural; 21,10% 7
  • PETROBRAS - PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO VISÃO 2020 Seremos uma das cinco maiores empresas integradas de energia do mundo e a preferida pelos nossos público de interesse. MISSÃO Atuar de forma segura e rentável, com responsabilidade social e ambiental, nos mercados nacional e internacional, fornecendo produtos e serviços adequados às necessidades dos clientes e contribuindo para o desenvolvimento do Brasil e dos países onde atua. 8
  • PETROBRAS - PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO 9
  • NEGÓCIO DE BIOCOMBUSTÍVEIS 10
  • PLANO DE INVESTIMENTOS 11
  • BIODIESEL: CENÁRIO NO BRASIL O biodiesel insere-se na matriz energética brasileira a partir da criação de seu marco regulatório, através da lei 11.097/2005, publicada no Diário Oficial da União em 13/01/2005. Abaixo, segue uma linha histórica, a qual vai desde a criação desta lei, até a obrigatoriedade do uso do B5 (biodiesel a 5% no óleo diesel) a partir de 2013. Em 1º de julho de 2008 entrou em vigor a mistura B3 (3% de biodiesel no diesel) B3 12 Fonte: ABIOVE (Associação Brasileira das indústrias de óleos vegetais)
  • NAS AMÉRICAS E NA ÁSIA, O ETANOL APRESENTA UMA PROJEÇÃO DE DEMANDA MUITO SUPERIOR AO BIODIESEL. NA EUROPA, O CONSUMO DOS BIOCOMBUSTÍVEIS É SIMILAR, NO HORIZONTE 2020. Demanda atual 126 milhões de Etanol 34,7 toneladas toneladas em 2020 Biodiesel 50 Demanda Bios América Norte 50 Demanda Bios Europa Milhões toneladas Milhões toneladas 40 40 million of tonnes million of tonnes 30 30 20 20 10 10 0 0 2006 2020 2006 2020 million of tonnes toneladas 50 Demanda Bios América Latina 50 Demanda Bios Ásia Milhões toneladas 40 40 Milhões million of tonnes 30 30 20 20 10 10 0 0 2006 2020 2006 2020 Fonte: WoodMackenzie 13
  • VIABILIDADE PARA PRODUZIR BIODIESEL NO BRASIL • O Brasil apresenta todas as condições para a criação de um programa nacional de produção de biodiesel sustentável e de grande porte. • Diversidade de matérias primas - regionalização. • Grande potencial de expansão agrícola • “Massa Crítica” para iniciar um programa de biodiesel de grande porte. • Indústria de Óleos Vegetais de grande porte. • Grande experiência com biocombustíveis – Proálcool. 14 Fonte: EMBRAPA
  • Biocombustível x Alimentos Este dilema não é do Brasil !!! Área atual utilizada para a produção de etanol e Biodiesel (B3) 6 milhões de hectares (1,7% da área agricultável) Área disponível para expansão 91 milhões de hectares O Brasil tem área disponível, água, clima favorável, tecnologia e vocação natural para a produção de cana de açucar para a produção do etanol e oleaginosas próprias para a produção do biodiesel 15
  • ÁREA DISPONÍVEL Produção de Energia e Alimento milhões de hectares Área Percentual (extensão) BRASIL (total) 851 100 % Área arável 350 45 % Disponível para 91 (26 % da área arável) expansão Área de cana plantada 3,6 (1 % da área arável) para fabricação de etanol Área de Oleaginosas 2,4 (0,7 % da área arável) para B3 16
  • 17
  • DIRECIONADORES DE POLÍTICAS PARA BIOCOMBUSTÍVEIS Pilares do Desenvolvimento Responsabilidade Ambiental Oportunidade Empresarial Desenvolvimento Regional Redução do nível de Aproveitar a grande Redução de emissões de gases que oportunidade empresarial desigualdades regionais, contribuem com efeito decorrente do aumento ocupação de fronteiras estufa, através da da demanda do mundo agrícolas ociosas, substituição de parte de por biocombustível. diminuição da taxa de combustíveis fósseis por desemprego e elevação da renováveis. renda no campo, de forma sustentável. 18
  • PETROBRAS BIOCOMBUSTÍVEL - RESUMO EXECUTIVO No dia 03 de março de 2008, o conselho de administração da Petrobras aprovou a criação de uma subsidiária integral do Sistema Petrobras, com a finalidade de conduzir as atividades relacionadas aos Biocombustíveis. A posse da diretoria da Petrobras Biocombustível foi realizada no dia 29/07/2008, no Município de Candeias - Estado da Bahia. 19 19
  • ESTRUTURA ORGANIZACIONAL DA PETROBRAS BIOCOMBUSTÍVEL Conselho de Administração Corporativo e Diretoria Desenvolvimento Financeiro Executiva / Agrícola, Presidência Suprimento e Comercialização Participações Industrial 20
  • PREMISSAS Incentivar a agricultura familiar de forma sustentável Atuar com uma estrutura organizacional otimizada, ágil e desburocratizada Maximizar resultados para o Sistema Petrobras. Buscar a unificação da atuação do sistema Petrobras no mercado de Biocombustível ( a logística e comercialização continuam com a Petrobras) Garantir a produção de Biocombustível sem competir com a produção de alimentos 21 21
  • PRODUTOS BIODIESEL O biodiesel é um éster de ácido graxo renovável e biodegradável, obtido comumente a partir da reação química de óleos ou gorduras, de origem animal ou vegetal, com um álcool na presença de um catalisador (reação conhecida como transesterificação). MATÉRIA PRIMA: Soja, algodão, sebo bovino, dendê, girassol , mamona, pinhão manso, amendoim, óleos e gorduras residuais,etc. 22
  • METAS DE PRODUÇÃO CAPACIDADE DE DISPONIBILIZAÇÃO DE BIODIESEL (40% do mercado B5) 3000 2.705 2500 Mil m3/ano 2.516 (B5) 2000 1.254 1500 844 1000 500 1.023 1.182 938 0 329 2008 2012 2013 2015 Capacidade de Mercado nacional disponibilização de biodiesel de biodiesel (mil m3/ano) ) da Petrobras Biocombustível (mil m3/ano EXPORTAÇÃO DE ETANOL 4.750 5000 METAS PARA 2012 Mil m3/ano 4000 3000 Biodiesel = 938 milhões de litros 2000 Etanol = 4,75 bilhões de litros 1000 500 0 23 2008 2012
  • CADEIA PRODUTIVA DO BIODIESEL • Requer desenvolvimento • Requer agrícola. desenvolvimento tecnológico. SUSTENTABILIDADE ECONÔMICA • Requer desenvolvimento em logística. B3 3% do biodiesel no diesel mineral (B3) obrigatório a partir de 1º de julho de 2008 • Requer desenvolvimento 24 em comunicação.
  • FORNECEDORES FAMÍLIAS: A Petrobras Biocombustível tem como política o incentivo da produção de insumos a partir da agricultura familiar. COOPERATIVAS: Fortalecer as cooperativas já existentes e promover a incubação de novas (ex. Cooperativas de catadores) ASSOCIAÇÕES, SINDICATOS E ORGANIZAÇÕES NÃO-GOVERNAMENTAIS: Estabelecer parcerias com associações, sindicatos e outras organizações da sociedade civil. 25 PRODUTORES DA AGRICULTURA INTENSIVA:
  • AGRICULTURA FAMILIAR A Petrobras Biocombustível atual de forma integrada e alinhada com as políticas do Governo Federal, em especial o programa de produção e uso do biodiesel e o selo combustível social. TOTAL DE CONVÊNIOS: 04 (quatro) contratos de assistência técnica (seagri-ba, emater-mg/se/rgn) e 04 (quatro) convênios com instituições VALOR TOTAL: R$ 27 Milhões FAMÍLIAS BENEFICIADAS: 55.000 famílias de agricultores Fornecimento de 565 toneladas de sementes certificadas 26
  • SELO COMBUSTÍVEL SOCIAL Será Concedido aos produtores de biodiesel, que: • Participação mínima: • 50 % Nordeste e Semi-árido; • 30% Sudeste e Sul; • 10 % Norte e Centro Oeste. • Façam contrato, constando: • Prazo contratual, valor de compra e critérios de reajuste do preço contratado; • As condições de entrega da matéria-prima; • As salvaguardas de cada parte e Identificação e concordância de uma representação dos agricultores que participe das negociações. 27
  • UNIDADES DE PRODUÇÃO 3 Projetos em fase final de implantação Quixadá Capacidade: 170.000 m3/ano CE Meta para 2012: 938.000 m3/ano Matéria-prima: Projeto: soja, algodão, sebo bovino, dendê* BA Adicionais: girassol, mamona * Candeias Candeias Geração de Empregos: Construção: 3.900 diretos MG Operação: 150 diretos Montes Agricultura familiar: 55.000 famílias Claros Semi-árido Partida: 4o Trimestre 2008 Produção de matérias-primas por agricultura familiar será 28 suficiente para assegurar o Selo Combustível Social
  • PESQUISA E DESENVOLVIMENTO BUSCA CONTÍNUA DA SUSTENTABILIDADE 29
  • PROGER Programa Tecnológico de Energias Renováveis • OBJETIVOS: • PROGER Prover tecnologias que assegurem a liderança mundial da Petrobras Programa Tecnológico de Energias Renováveis na produção de biocombustíveis em 2020, inclusive a partir de matérias-primas de baixo valor agregado (biomassa residual). • PROJETOS • • Tecnologias para produção de biodiesel • • Tecnologias para produção de biocombustíveis de 2ª geração (ex. Etanol de lignocelulose ) • • Tecnologias para aumento de produtividade de matérias-primas • • Tecnologias para agregação de valor aos co-produtos (ex. Glicerina bruta para a produção de fluído para perfuração de poço) • PRAZO: 2012 30
  • PROGER Programa Tecnológico de Energias Renováveis CONSTRUÇÃO, MONTAGEM E OPERAÇÃO DE 02 UNIDADES EXPERIMENTAIS DE BIODIESEL LOCALIZADAS EM GUAMARÉ NO RIO GRANDE DO NORTE UEB - 2 UEB - 1 31
  • GANHOS AMBIENTAIS • Redução das emissões de poluentes (enxofre, aromáticos e monóxido de carbono) • Redução da contribuição para o aquecimento global. • Produção de energia limpa e renovável. 32
  • GANHOS ECONÔMICOS • Fortalecimento do Agronegócio – Investimentos. • Desenvolvimento regional sustentado. • Cria sinergia entre o Complexo Oleaginoso e o Setor de Álcool Combustível • Balanço de Pagamentos: redução de importações de diesel e petróleo. • maior atividade econômica • Isenção do PIS/Cofins nas Regiões Norte, NE e Semi-árido com mamona ou Palma • Redução de 68% do PIS/Cofins nas demais regiões 33
  • GANHOS SOCIAIS • Fixação do homem no campo; • Desenvolvimento da agricultura, inclusive em áreas degradadas ou secas; • Melhoria da distribuição de renda; • Geração de novos empregos em toda a cadeia produtiva. • Geração de emprego e renda no campo, reduzindo o êxodo rural. 34
  • “Produzimos muito mais do que uma energia limpa e renovável, produzimos Qualidade de Vida e Cidadania.” Muito obrigado! Alan Kardec kardec@petrobras.com.br 35