Corrente Crítica: abordagens CCPM e SDPM
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

Corrente Crítica: abordagens CCPM e SDPM

on

  • 10,158 views

Workshop realizado durante o 3o Congresso Nacional de Gerenciamento de Projetos (Capítulos do PMI, Rio Grande do Sul) com um trabalho demonstrando pontos fortes e fracos das abordagens de Corrente ...

Workshop realizado durante o 3o Congresso Nacional de Gerenciamento de Projetos (Capítulos do PMI, Rio Grande do Sul) com um trabalho demonstrando pontos fortes e fracos das abordagens de Corrente Crítica de Goldratt (CPPM) e de Liberzon (SDPM).

Statistics

Views

Total Views
10,158
Views on SlideShare
9,913
Embed Views
245

Actions

Likes
4
Downloads
383
Comments
1

7 Embeds 245

http://petermello.blogspot.com 185
http://www.slideshare.net 24
http://petermello.blogspot.com.br 21
http://www.linkedin.com 12
http://74.125.113.132 1
http://petermello.blogspot.pt 1
https://www.linkedin.com 1
More...

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Adobe PDF

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…

  • Perfeito!!!
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

Corrente Crítica: abordagens CCPM e SDPM Presentation Transcript

  • 1. Gereciamento de Projetos: Uso de métodos baseados em corrente crítica (mini-curso) Osvaldo Pedra, PMP Peter Mello, PMP Jefferson Guimarães osvaldo.pedra@x25.com.br peter.mello@x25.com.br jefferson.guimaraes@correntecritica.com Mini-Curso - Gereciamento de Projetos: Uso de métodos baseados em corrente crítica X25 Treinamento e Consultoria - http://www.x25.com.br
  • 2. Uso de métodos baseados em corrente crítica (CCPM / SDPM) Jefferson Guimarães, SpP Implementador de métodos baseados em Corrente Crítica em Projetos, técnico mecânico e engenheiro civil, com experiência nas áreas de TI (desenvolvimento e administração), Produção (automobilística), Operação (petróleo & gás), Construção (civil e mecânica), Qualidade (indústria e serviços) e Auditoria (sistemas de gestão). Atualmente trabalha na Assessoria à Gestão da Engenharia da PETROBRAS como consultor e foi integrante da equipe que conquistou o Prêmio Destaque 2007 da Engenharia com o sistema SALV2 e LV's Padrão. Foi pioneiro na implantação de um sistema para a gestão do empreendimento gasoduto Urucu-Manaus, com aplicação da corrente crítica (SDPM) na condução do projeto, onde atuou como engenheiro de planejamento sênior III. Participou como palestrante Nos eventos: ELECTRONIC AMERICAS 2000, INFRABUILD 2000, ENIE 2001, FENASOFT 2001, TIC 2007, PMI-GO 2007, Rio Pipeline 2007, FUCAPI (Manaus) 2007, Gerenciamento de Riscos Corporativos 2007, 2º Seminário Técnico-Gerencial da Engenharia (PETROBRAS) 2007, PMI Global Congress Latin America 2007 (Cancun) PMI Global Congress Asia Pacific 2008 (Austrália), CREA RJ 2008 e PMI Global Congress Latin America 2008 (São Paulo). Mini-Curso - Gereciamento de Projetos: Uso de métodos baseados em corrente crítica X25 Treinamento e Consultoria - http://www.x25.com.br
  • 3. Uso de métodos baseados em corrente crítica (CCPM / SDPM) Peter Mello, SpS, PMP, PMI-SP Possui 14 anos de experiência na criação e gestão de novos negócios e projetos, com oito anos de dedicação à área de Tecnologia da Informação, com projetos nas área de data warehouse, sistemas transacionais, help desk, call centers, telefonia VoiP, SAP e sistemas configuração e mudança. Desde 2006 vem também desenvolvendo trabalhos nas áreas de engenharia (projetos de construção civil e petróleo & gás) com ênfase a otimização de cronogramas e a aplicação de conceitos de corrente crítica e SDPM. É Membro ativo do Project Management Institute, com atuação no grupo de trabalho para a definição do “Risk Management Practice Standard” (2006-2008) e representante sul- americano para o “Portfólio Role Delineation” (São Francisco, Janeiro de 2007). Palestrante internacional, cientista e educador, com trabalhos nas áreas de gerenciamento de riscos, qualidade, projetos, métricas, success driven project management e corrente crítica. Formado em Relações Internacionais pela Universidade de Brasília, acumulando também mais de 3.000 horas de cursos na área de tecnologia, no Brasil e exterior. Artigos e seminários: http://www.gestaoeprojetos.com Mini-Curso - Gereciamento de Projetos: Uso de métodos baseados em corrente crítica X25 Treinamento e Consultoria - http://www.x25.com.br
  • 4. Uso de métodos baseados em corrente crítica (CCPM / SDPM) Osvaldo Pedra, SpP, PMP 20 anos de experiência profissional, das quais a maior parte na área de Tecnlogia da Informação, desempenhando funções técnicas e gerenciais, com grande conhecimento em Qualidade, CMMI, RUP, UML, ISO e Definição e Implantação de Processos, Metodologias e Escritórios de Projetos. Desenvolvimento de trabalhos na Petrobras, ASBACE, CTIS, Infraero, Unitech e BrasilTelecom nas áreas de Trânsito, Contabilidade, GED, BI, ERP, Tesouraria, Financeira, Recursos Humanos, Captação de Recursos, Jurídica e muitas outras. Certificado PMP, MPS.Br e Spider Project. Graduado em Administração, com Extensão em Didática do Ensino Superior, Pós-graduado em Análise, Projeto e Gerência de Sistemas e Pós-graduando em Gestão de Projetos. Atualmente atuando nas áreas de Gás e Petróleo, Hidroelétricas e Construção Cívil como Consultor, Palestrante e Instrutor em Gestão de Projetos, Corrente Crítica, Portfólio de Projetos, SDPM, MS Project e Spider Project. Mini-Curso - Gereciamento de Projetos: Uso de métodos baseados em corrente crítica X25 Treinamento e Consultoria - http://www.x25.com.br
  • 5. Objetivo do Mini-Curso O objetivo do mini-curso de Gerenciamento de Projetos com a utilização de métodos baseados em corrente crítica é ofertar técnicas que auxiliem na redução do tempo do projeto por meio de cronogramas desafiadores, realistas e otimizados. Mini-Curso - Gereciamento de Projetos: Uso de métodos baseados em corrente crítica X25 Treinamento e Consultoria - http://www.x25.com.br
  • 6. Objetivo do Mini-Curso O objetivo do mini-curso de Gerenciamento de Projetos com a utilização de métodos baseados em corrente crítica é ofertar técnicas que auxiliem na redução do tempo do projeto por meio de cronogramas desafiadores, realistas e otimizados. Importante: • O curso padrão realizado pela X25 tem carga prevista de 24 horas. • Este workshop comprime os pontos principais para sua realização em 4 horas. Mini-Curso - Gereciamento de Projetos: Uso de métodos baseados em corrente crítica X25 Treinamento e Consultoria - http://www.x25.com.br
  • 7. Premissas e conceitos Caminho Crítico do Cronograma Conjunto de tarefas que determinam o menor tempo de um projeto com base a dependências entre tarefas (task-critical path). Mini-Curso - Gereciamento de Projetos: Uso de métodos baseados em corrente crítica X25 Treinamento e Consultoria - http://www.x25.com.br
  • 8. Premissas e conceitos Caminho Crítico do Projeto Conjunto de tarefas que determinam o menor tempo de um projeto não só em função da dependência entre tarefas, mas também as restrições de recursos (task & resource critical path) Mini-Curso - Gereciamento de Projetos: Uso de métodos baseados em corrente crítica X25 Treinamento e Consultoria - http://www.x25.com.br
  • 9. Premissas e conceitos Corrente Crítica Caminho crítico que leva em consideração as restrições de recursos (resource-critical-path) Método da Corrente Crítica Método criado por E. Goldratt, que também cunhou o termo “corrente crítica”, baseado em elementos da TOC (Theory of Constrains) Mini-Curso - Gereciamento de Projetos: Uso de métodos baseados em corrente crítica X25 Treinamento e Consultoria - http://www.x25.com.br
  • 10. Premissas e conceitos Métodos baseados em corrente crítica Qualquer método que aplique conceitos de restrições de recursos em cronogramas, entre eles o “Método da Corrente Crítica” (Goldratt) e o “SDPM – Success Driven Project Management” (Liberzon) Mini-Curso - Gereciamento de Projetos: Uso de métodos baseados em corrente crítica X25 Treinamento e Consultoria - http://www.x25.com.br
  • 11. Premissas e conceitos SDPM Success Driven Project Management, método russo publicado na década de 90 a partir das experiências de Vladimir Liberzon junto ao Kremlin no período da Guerra Fria (1960-88). (Antes do termo “corrente crítica”, SDPM era conhecido como um método baseado em Restrições) . Mini-Curso - Gereciamento de Projetos: Uso de métodos baseados em corrente crítica X25 Treinamento e Consultoria - http://www.x25.com.br
  • 12. Premissas e conceitos Reservas = Buffers ou pulmões ● Podem ser calculadas tanto em relação a tempos como custos de projeto. Reservas <> Folgas livre e total ● Folgas podem se converter em reservas se administradas adequadamente mas não representam a mesma coisa. Mini-Curso - Gereciamento de Projetos: Uso de métodos baseados em corrente crítica X25 Treinamento e Consultoria - http://www.x25.com.br
  • 13. Premissas e conceitos Caminho Crítico & Folga Na rede CPM, o caminho crítico sempre é o conjunto de atividades com folga zero. Em um cronograma, com feriados e datas externas, o caminho crítico pode ter folga igual ou superior a zero. Folga negativa é indicativo de um diagrama de redes inadequado. Um cronograma factível não contém folgas inferiores a zero. Mini-Curso - Gereciamento de Projetos: Uso de métodos baseados em corrente crítica X25 Treinamento e Consultoria - http://www.x25.com.br
  • 14. Estabelecendo a Corrente Crítica 1. Criação do Diagrama de Redes do Projeto Após a identificação e o seqüenciamento das atividades, todas as atividades de um projeto pertencem ao caminho crítico, visto que não há estimativas de duração. Mini-Curso - Gereciamento de Projetos: Uso de métodos baseados em corrente crítica X25 Treinamento e Consultoria - http://www.x25.com.br
  • 15. Estabelecendo a Corrente Crítica 2. Estimativas de Duração Durações podem ser baseadas em históricos, opinião de especialistas, referências externas, etc. Normalmente quando há estimativas em um único ponto, estas estimativas não são conservadoras. Mini-Curso - Gereciamento de Projetos: Uso de métodos baseados em corrente crítica X25 Treinamento e Consultoria - http://www.x25.com.br
  • 16. Estabelecendo a Corrente Crítica 3. Caminho Crítico/task-critical-path ( ) Com a inclusão das durações, a rede passa a ter um (ou mais caminhos) que determinam o tamanho mínimo do projeto: Caminho Crítico. Mini-Curso - Gereciamento de Projetos: Uso de métodos baseados em corrente crítica X25 Treinamento e Consultoria - http://www.x25.com.br
  • 17. Estabelecendo a Corrente Crítica 4. Identificação de Folgas A atividade 3 tem folga de 4 horas e a atividade 4 tem folga de 10 horas Atividades podem ter folga em relação ao caminho crítico, determinadas pelo atraso que podem sofrer sem causar impacto nas atividades sucessoras na rede do projeto. Mini-Curso - Gereciamento de Projetos: Uso de métodos baseados em corrente crítica X25 Treinamento e Consultoria - http://www.x25.com.br
  • 18. Estabelecendo a Corrente Crítica 5. Estimativas de Recursos ( ) João Maria A disponibilidade de recursos pode ocasionar alterações significativas na rede, culminando na Corrente Crítica. Mini-Curso - Gereciamento de Projetos: Uso de métodos baseados em corrente crítica X25 Treinamento e Consultoria - http://www.x25.com.br
  • 19. Estabelecendo a Corrente Crítica 6. Corrente Crítica/resource-critical-path ( ) A nova rede – baseada em recursos – normalmente é mais volátil que aquela vista no caminho crítico, visto que produtividades individuais e disponibilidades de agenda dos recursos podem alterar a corrente crítica com muito mais freqüência (mais fatores de risco) durante o ciclo de vida do projeto. Mini-Curso - Gereciamento de Projetos: Uso de métodos baseados em corrente crítica X25 Treinamento e Consultoria - http://www.x25.com.br
  • 20. Diferenças (Caminho x Corrente) Mini-Curso - Gereciamento de Projetos: Uso de métodos baseados em corrente crítica X25 Treinamento e Consultoria - http://www.x25.com.br
  • 21. Diferenças (Caminho x Corrente) Mini-Curso - Gereciamento de Projetos: Uso de métodos baseados em corrente crítica X25 Treinamento e Consultoria - http://www.x25.com.br
  • 22. Diferenças (Caminho x Corrente) Caminho Crítico Corrente Crítica Mini-Curso - Gereciamento de Projetos: Uso de métodos baseados em corrente crítica X25 Treinamento e Consultoria - http://www.x25.com.br
  • 23. O Método da Corrente Crítica (básico de Goldratt) 1. Metas do Projeto: Estimativas Não Conservadoras Um dos objetivos do Método é o combate a “Lei de Parkinson”, a “Síndrome do Estudante” e “multi-tarefas nocivas”. Desta forma as estimativas de tempo de cada atividade são reduzidas aos seus limites (tempo mínimo para sua realização). Mini-Curso - Gereciamento de Projetos: Uso de métodos baseados em corrente crítica X25 Treinamento e Consultoria - http://www.x25.com.br
  • 24. O Método da Corrente Crítica (básico de Goldratt) 1. Metas do Projeto: Estimativas Não Conservadoras 8 4 24 horas horas horas 3 20 12 horas horas horas Mecanismos matemáticos (simulações, médias, ponderações) ou mesmo imposições gerenciais (“redução de 50%”) são utilizados para estabelecer uma “duração-meta” para cada atividade, reduzindo o tamanho geral da rede. Mini-Curso - Gereciamento de Projetos: Uso de métodos baseados em corrente crítica X25 Treinamento e Consultoria - http://www.x25.com.br
  • 25. Novas Estimativas – ANTES ... Mini-Curso - Gereciamento de Projetos: Uso de métodos baseados em corrente crítica X25 Treinamento e Consultoria - http://www.x25.com.br
  • 26. Novas Estimativas – ANTES ... – DEPOIS ... Mini-Curso - Gereciamento de Projetos: Uso de métodos baseados em corrente crítica X25 Treinamento e Consultoria - http://www.x25.com.br
  • 27. O Método da Corrente Crítica (básico de Goldratt) 2. Buffers/Pulmão (de projeto e de convergência) Parte dos valores conservadores das estimativas originais é transformado em buffers que protegem o projeto (buffer de projeto) ou seus segmentos (buffer de convergência). Em geral, procura-se ter um projeto com 75% do seu tamanho original. Mini-Curso - Gereciamento de Projetos: Uso de métodos baseados em corrente crítica X25 Treinamento e Consultoria - http://www.x25.com.br
  • 28. O Método da Corrente Crítica (básico de Goldratt) 2. Buffers/Pulmão (de projeto e de convergência) Resultado similar ao anterior é obtido com a “regra dos 50%”, onde cada atividade é reduzida em 50% e o pulmão é então calculado com base a 50% das durações retiradas do projeto. No exemplo: metas mais fortes em cada tarefa, mas com um pulmão maior. Mini-Curso - Gereciamento de Projetos: Uso de métodos baseados em corrente crítica X25 Treinamento e Consultoria - http://www.x25.com.br
  • 29. O Método da Corrente Crítica (básico de Goldratt) 3. Atividades ALAP (As Late As Possible) • Atividades não críticas nas redes secundárias do cronograma consomem não só recursos de projeto, mas também a atenção do gerente de projetos. • Ao colocar estas atividades em ALAP, as atenções ficam concentradas nas atividades da corrente crítica. • Os buffers de convergência irão dar pequenas proteções a estas redes (e também estão protegidas pelo pulmão) Em SDPM, este tipo de ação não é tomado visto que não se protege uma ou outra rede do cronograma e sim o projeto como um todo. Mini-Curso - Gereciamento de Projetos: Uso de métodos baseados em corrente crítica X25 Treinamento e Consultoria - http://www.x25.com.br
  • 30. Exercício (1) • Desenhe o diagrama de rede: – A, B, C, D, E são atividades de projeto; – C e D tem duração de 8 dias cada, com 10 horas por dia; – A, B e E tem duração de 25 dias cada, com 10 horas por dia; – Todas as dependências são do tipo Fim-Início (FI); – Início>A>B>Fim; Início>C>D>E>Fim; • Qual a duração do projeto? • Quais são as folgas totais de C, D e E? • Qual a folga livre de E? • Com o custo de R$ 1,00 por hora, qual o custo do projeto? Mini-Curso - Gereciamento de Projetos: Uso de métodos baseados em corrente crítica X25 Treinamento e Consultoria - http://www.x25.com.br
  • 31. Respostas (1) Mini-Curso - Gereciamento de Projetos: Uso de métodos baseados em corrente crítica X25 Treinamento e Consultoria - http://www.x25.com.br
  • 32. Exercício (2) • Se A e C são tarefas do analista; B e E são tarefas do gerente; D é tarefa do projetista, então: • Quais tarefas tem folga? • Qual a nova duração do projeto? • Qual o novo custo do projeto? • O diagrama de redes sofreu alteração? • Existe mais de uma forma de realizar o projeto? Mini-Curso - Gereciamento de Projetos: Uso de métodos baseados em corrente crítica X25 Treinamento e Consultoria - http://www.x25.com.br
  • 33. Respostas (2) Mini-Curso - Gereciamento de Projetos: Uso de métodos baseados em corrente crítica X25 Treinamento e Consultoria - http://www.x25.com.br
  • 34. Exercício (3) • É coerente encontrar o mesmo custo de projeto nos três casos? (50, 66 e 75 dias) • Vale a pena criar atividades para o controle de desperdícios? Mini-Curso - Gereciamento de Projetos: Uso de métodos baseados em corrente crítica X25 Treinamento e Consultoria - http://www.x25.com.br
  • 35. Resposta (3a) • É coerente encontrar o mesmo custo de projeto nos três casos? (50, 66 e 75 dias) – Todo projeto tem custos fixos e variáveis que estão relacionados à duração do projeto e não a carga de trabalho e portanto um bom cronograma irá considerar estas variações. Mini-Curso - Gereciamento de Projetos: Uso de métodos baseados em corrente crítica X25 Treinamento e Consultoria - http://www.x25.com.br
  • 36. Resposta (3b) • Vale a pena criar atividades para o controle de desperdícios? – Cronogramas detalhados permitem uma avaliação de fluxo de caixa e resultados finais de projeto para cada cenário. – A gestão dos desperdícios permite encontrar a melhor combinação entre aplicação de recursos, prazos e custos. Mini-Curso - Gereciamento de Projetos: Uso de métodos baseados em corrente crítica X25 Treinamento e Consultoria - http://www.x25.com.br
  • 37. Resposta (3a/b) Cronograma original: R$ 1340,00 em horas de recurso são de fato desperdício neste projeto. Mini-Curso - Gereciamento de Projetos: Uso de métodos baseados em corrente crítica X25 Treinamento e Consultoria - http://www.x25.com.br
  • 38. Resposta (3a/b) Cronograma Otimizado: R$ 1070,00 20% de redução do desperdício Mini-Curso - Gereciamento de Projetos: Uso de métodos baseados em corrente crítica X25 Treinamento e Consultoria - http://www.x25.com.br
  • 39. Exercício (4) • Utilizando a “regra dos 50%”, como fica: A) A nova duração da rede, sem considerar o pulmão? B) A nova duração da rede, com a proteção do pulmão? C) Qual a rede secundária e o seu pulmão de convergência? Mini-Curso - Gereciamento de Projetos: Uso de métodos baseados em corrente crítica X25 Treinamento e Consultoria - http://www.x25.com.br
  • 40. Respostas (4) – Opção 1 Mini-Curso - Gereciamento de Projetos: Uso de métodos baseados em corrente crítica X25 Treinamento e Consultoria - http://www.x25.com.br
  • 41. Respostas (4) – Opção 1 • Curiosidades: – A corrente crítica é A>B>E – A>B é uma dependência entre tarefas – B>E é uma dependência por recursos – A corrente secundária é C>D – O método da corrente crítica protege uma rede pré-estabelecida e pode mascarar alternativas de projeto. Mini-Curso - Gereciamento de Projetos: Uso de métodos baseados em corrente crítica X25 Treinamento e Consultoria - http://www.x25.com.br
  • 42. Respostas (4) – Opção 2 Mini-Curso - Gereciamento de Projetos: Uso de métodos baseados em corrente crítica X25 Treinamento e Consultoria - http://www.x25.com.br
  • 43. Respostas (4) – Opção 2 • Curiosidades: – A corrente crítica é C>D>E>B – C>D>E tem dependências entre tarefas – E>B é uma dependência por recursos – A corrente secundária é agora somente A – Uma contínua otimização do uso dos recursos em um projeto não pode ser realizada se há uma “corrente crítica pré-estabelecida” Mini-Curso - Gereciamento de Projetos: Uso de métodos baseados em corrente crítica X25 Treinamento e Consultoria - http://www.x25.com.br
  • 44. Success Driven Project Management • SDPM é baseado em um conjunto de indicadores para medir a performance do projeto e prever o seu sucesso final, além de produzir cronogramas otimizados e relatórios de controle. • Embora utilize “buffers/pulmões” estes não são direcionados à uma única corrente crítica do projeto. Mini-Curso - Gereciamento de Projetos: Uso de métodos baseados em corrente crítica X25 Treinamento e Consultoria - http://www.x25.com.br
  • 45. SDPM 1. Criação do Diagrama de Redes do Projeto O desenvolvimento de um Diagrama de Redes é idêntico ao realizado para cronogramas Determinísticos (Pert/CPM) ou Corrente Crítica. Mini-Curso - Gereciamento de Projetos: Uso de métodos baseados em corrente crítica X25 Treinamento e Consultoria - http://www.x25.com.br
  • 46. SDPM 2. Estimativas de Recursos ( ) João Maria O uso de cenários (otimista, pessimista e provável) podem também considerar variação de disponibilidades de recursos. Mini-Curso - Gereciamento de Projetos: Uso de métodos baseados em corrente crítica X25 Treinamento e Consultoria - http://www.x25.com.br
  • 47. SDPM 3. Estimativas de Duração (3 cenários) Médias Históricas Registros Pessimistas Limite Técnico As estimativas utilizadas são em 3 pontos: Limite técnico (ou 10% de probabilidade) Médias históricas (ou 50% de probabilidade) Estimativa pessimista (ou 90% de probabilidade) Mini-Curso - Gereciamento de Projetos: Uso de métodos baseados em corrente crítica X25 Treinamento e Consultoria - http://www.x25.com.br
  • 48. SDPM 3. Estimativas de Duração (3 cenários) Otimista 38 h. Provável 86 h. Pessim. 105 h. As estimativas utilizadas são em 3 pontos: Limite técnico (ou 10% de probabilidade) Médias históricas (ou 50% de probabilidade) Estimativa pessimista (ou 90% de probabilidade) Mini-Curso - Gereciamento de Projetos: Uso de métodos baseados em corrente crítica X25 Treinamento e Consultoria - http://www.x25.com.br
  • 49. SDPM 4. Cronograma Crítico • Vladimir Liberzon fez seu PhD estudando características do Método de Monte Carlo e criou a “Curva Liberzon” que é um método implementado em sua ferramenta capaz de aproximar valores obtidos com Monte Carlo de forma mais rápida e com um erro padrão, permitindo análise de tendências. • Resultados aproximados em outras ferramentas podem ser realizados com médias ponderadas: • (O+MP+P)/3 – Média ponderada simples • (O+4MP+P)/6 – Média ponderada PERT • (O+4MP+2P)/7 – Média ponderada com enfoque pessimista O Cronograma Crítico é obtido com um percentual de confiança esperado e das diferenças entre o Cronograma Crítico e o Otimista criamos buffers de projeto. Mini-Curso - Gereciamento de Projetos: Uso de métodos baseados em corrente crítica X25 Treinamento e Consultoria - http://www.x25.com.br
  • 50. SDPM 4. Cronograma Crítico (comparativo x Otimista) Para combater a “Síndrome do Estudante” ou “Lei de Parkinson”, as metas para a equipe são com base a durações inferiores as durações prováveis. Mini-Curso - Gereciamento de Projetos: Uso de métodos baseados em corrente crítica X25 Treinamento e Consultoria - http://www.x25.com.br
  • 51. SDPM 4. Cronograma Crítico (comparativo x Pessimista) Quanto mais próximo do cenário pessimista estiver o Término Crítico, maior a probabilidade de sucesso e conseqüentemente maior o prazo e o custo. Mini-Curso - Gereciamento de Projetos: Uso de métodos baseados em corrente crítica X25 Treinamento e Consultoria - http://www.x25.com.br
  • 52. SDPM 4. Cronograma Crítico (probabilidades de sucesso) Meta de Projeto Reservas Médias Históricas Registros Pessimistas Limite Técnico Um cronograma crítico possui um grau de confiança baseado em um acordo entre equipe e cliente. Mini-Curso - Gereciamento de Projetos: Uso de métodos baseados em corrente crítica X25 Treinamento e Consultoria - http://www.x25.com.br
  • 53. SDPM x demais mecanismos • A essência de SDPM não é o de criar cronogramas “menores” como encontramos em CCPM e sim estabelecer uma probabilidade de sucesso fundamentada em múltiplos cenários. • Um cronograma CPM/PERT pode eventualmente ter valores próximos aos encontrados em SDPM (são baseados nos mesmos 3 pontos). Os resultados serão ainda mais próximos aos daqueles criados com o uso de uma Simulação de Monte Carlo. Mini-Curso - Gereciamento de Projetos: Uso de métodos baseados em corrente crítica X25 Treinamento e Consultoria - http://www.x25.com.br
  • 54. SDPM x demais mecanismos • Em SDPM são mantidos múltiplos cronogramas: – O cronograma da equipe possui metas fortes e é agendado com durações entre os cenários ótimo e mais provável. • Assim como em CCPM, estas metas auxiliam o combate à Síndrome do Estudante e a Lei de Parkinson • Multi-Tarefas nocivas são combatidas com o uso de algoritmos para a otimização de cronogramas – O cronograma do cliente tem datas derivadas de uma proteção à rede criada com as reservas e é agendado com durações entre o cenário mais provável e pessimista. Mini-Curso - Gereciamento de Projetos: Uso de métodos baseados em corrente crítica X25 Treinamento e Consultoria - http://www.x25.com.br
  • 55. SDPM x demais mecanismos • A análise do índice de probabilidade de sucesso é um acompanhamento do uso das reservas calculadas e pode ser criada para verificar reservas de tempo e de custo. • O índice de probabilidade de sucesso pode substituir ou complementar a Análise de Valor Agregado e oferece alertas antecipados em relação ao EVA em situações de uso de reservas em atividades de baixo risco. – A probabilidade de sucesso flutua não apenas em função das reservas já utilizadas mas pela análise do quanto desviaram em relação aos valores originais (3 cenários). Mini-Curso - Gereciamento de Projetos: Uso de métodos baseados em corrente crítica X25 Treinamento e Consultoria - http://www.x25.com.br
  • 56. Síndrome do Estudante • Fenômeno em que verificamos que as pessoas tem a tendência de esperar até que as tarefas se tornem urgentes para iniciá-las, consumindo a reserva de segurança. Mediana Limite Cronograma Crítico Modelo baseado em [Finocchio], página 26 Segurança Ações Planejadas Mini-Curso - Gereciamento de Projetos: Uso de métodos baseados em corrente crítica X25 Treinamento e Consultoria - http://www.x25.com.br
  • 57. Síndrome do Estudante • Fenômeno em que verificamos que as pessoas tem a tendência de esperar até que as tarefas se tornem urgentes para iniciá-las, consumindo a reserva de segurança. Mediana Limite Cronograma Crítico Modelo baseado em [Finocchio], página 26 Síndrome Segurança do Estudante Desperdícios Mini-Curso - Gereciamento de Projetos: Uso de Atrasos Esforço inicial métodos baseados em corrente crítica X25 Treinamento e Consultoria - http://www.x25.com.br
  • 58. Lei de Parkinson • O trabalho se expande de modo a preencher todo o tempo disponível, mesmo que uma tarefa possa ser concluída antes do tempo. Planejado Mini-Curso - Gereciamento de Projetos: Uso de métodos baseados em corrente crítica X25 Treinamento e Consultoria - http://www.x25.com.br
  • 59. Lei de Parkinson • O trabalho se expande de modo a preencher todo o tempo disponível, mesmo que uma tarefa possa ser concluída antes do tempo. Planejado DIA 1 Mini-Curso - Gereciamento de Projetos: Uso de métodos baseados em corrente crítica X25 Treinamento e Consultoria - http://www.x25.com.br
  • 60. Lei de Parkinson • O trabalho se expande de modo a preencher todo o tempo disponível, mesmo que uma tarefa possa ser concluída antes do tempo. Planejado DIA 1 DIA 2 Mini-Curso - Gereciamento de Projetos: Uso de métodos baseados em corrente crítica X25 Treinamento e Consultoria - http://www.x25.com.br
  • 61. Lei de Parkinson • O trabalho se expande de modo a preencher todo o tempo disponível, mesmo que uma tarefa possa ser concluída antes do tempo. Planejado DIA 1 DIA 2 DIA 3 Mini-Curso - Gereciamento de Projetos: Uso de métodos baseados em corrente crítica X25 Treinamento e Consultoria - http://www.x25.com.br
  • 62. Lei de Parkinson • O trabalho se expande de modo a preencher todo o tempo disponível, mesmo que uma tarefa possa ser concluída antes do tempo. Planejado DIA 1 DIA 2 DIA 3 DIA 4 Mini-Curso - Gereciamento de Projetos: Uso de métodos baseados em corrente crítica X25 Treinamento e Consultoria - http://www.x25.com.br
  • 63. Índice de Sucesso (IS) • Análise do resultado do trabalho em função dos cenários previstos. • Cada atividade tem um “peso” no projeto em função dos cenários (pessimista, otimista, provável) e seu posicionamento na corrente crítica. Planejado Sem variação Aumento IS Redução IS Mini-Curso - Gereciamento de Projetos: Uso de métodos baseados em corrente crítica X25 Treinamento e Consultoria - http://www.x25.com.br
  • 64. Acompanhamento por IS Mini-Curso - Gereciamento de Projetos: Uso de métodos baseados em corrente crítica X25 Treinamento e Consultoria - http://www.x25.com.br
  • 65. Acompanhamento por IS Mini-Curso - Gereciamento de Projetos: Uso de métodos baseados em corrente crítica X25 Treinamento e Consultoria - http://www.x25.com.br
  • 66. Acompanhamento por IS Mini-Curso - Gereciamento de Projetos: Uso de métodos baseados em corrente crítica X25 Treinamento e Consultoria - http://www.x25.com.br
  • 67. Acompanhamento por IS Mini-Curso - Gereciamento de Projetos: Uso de métodos baseados em corrente crítica X25 Treinamento e Consultoria - http://www.x25.com.br
  • 68. Acompanhamento por IS Mini-Curso - Gereciamento de Projetos: Uso de métodos baseados em corrente crítica X25 Treinamento e Consultoria - http://www.x25.com.br
  • 69. Acompanhamento por IS Mini-Curso - Gereciamento de Projetos: Uso de métodos baseados em corrente crítica X25 Treinamento e Consultoria - http://www.x25.com.br
  • 70. Acompanhamento por IS Mini-Curso - Gereciamento de Projetos: Uso de métodos baseados em corrente crítica X25 Treinamento e Consultoria - http://www.x25.com.br
  • 71. Acompanhamento por IS IS atual 100% Na situação presente, mesmo que a última atividade aconteça em sua duração pessimista, a data de término do projeto é inferior à negociada com o cliente. Mini-Curso - Gereciamento de Projetos: Uso de métodos baseados em corrente crítica X25 Treinamento e Consultoria - http://www.x25.com.br
  • 72. Acompanhamento por consumo de pulmão • CCPM acompanha a saúde de um projeto Ilustração retirada de http://www.heptagon.com.br/ccpm-plus baseada no gráfico de pulmão de Larry Leach pelo registro do consumo do pulmão de projeto. • O gráfico supõe que qualquer dia do pulmão tem o mesmo valor (mede somente atrasos); • Isso equivale a dizer que o atraso de um dia de uma atividade de uma equipe de 10 pessoas tem o mesmo impacto no indicador do que o atraso de um dia de uma única pessoa, considerando que ambas atividades estão protegidas pelo mesmo pulmão. Mini-Curso - Gereciamento de Projetos: Uso de métodos baseados em corrente crítica X25 Treinamento e Consultoria - http://www.x25.com.br
  • 73. Acompanhamento por consumo de pulmão • CCPM acompanha a saúde de um projeto pelo registro do consumo do pulmão de projeto. Perigos: • Digamos que A e B acontecem seqüencialmente, tem a mesma duração e estão protegidas ao final pelo pulmão de projetos. • A tem um desvio provável de +/- 2 e B tem um desvio provável de +/- 5. • A análise de uso do pulmão não permite diferenciar os pesos de cada atraso para o resultado global do projeto. Mini-Curso - Gereciamento de Projetos: Uso de métodos baseados em corrente crítica X25 Treinamento e Consultoria - http://www.x25.com.br
  • 74. Exercício 5a (será dado um exemplo pelo facilitador*) Projeto 1: 3 tarefas em “multi-tarefa” ruim. A) Seqüência numérica: Se o número anterior é impar, some 3; Se for par, some 5. (ex: 1, 4, 9, ...) B) Seqüência alfanumérica: Use o alfabeto (sem k,y,w) e troque vogais por números. (ex: 1, b, c, d, 2 ...) C) Seqüência numérica: números de 1 a 20 * Cada linha do formulário tem as 3 informações. Mini-Curso - Gereciamento de Projetos: Uso de métodos baseados em corrente crítica X25 Treinamento e Consultoria - http://www.x25.com.br
  • 75. Exercício 5b (será dado um exemplo pelo facilitador*) Projeto 1: 3 tarefas ordenadas A) Seqüência numérica: Se o número anterior é impar, some 3; Se for par, some 5. (ex: 1, 4, 9, ...) B) Seqüência alfanumérica: Use o alfabeto (sem k,y,w) e troque vogais por números. (ex: 1, b, c, d, 2 ...) C) Seqüência numérica: números de 1 a 20 * A atividade (C) é realizada após (B) e esta após (A) Mini-Curso - Gereciamento de Projetos: Uso de métodos baseados em corrente crítica X25 Treinamento e Consultoria - http://www.x25.com.br
  • 76. Exercícios 5a e 5b (Análise de Resultados) Mini-Curso - Gereciamento de Projetos: Uso de métodos baseados em corrente crítica X25 Treinamento e Consultoria - http://www.x25.com.br
  • 77. Simulação Projeto a partir de um cronograma determinístico, já nivelado. Mini-Curso - Gereciamento de Projetos: Uso de métodos baseados em corrente crítica X25 Treinamento e Consultoria - http://www.x25.com.br
  • 78. Simulação Mini-Curso - Gereciamento de Projetos: Uso de métodos baseados em corrente crítica X25 Treinamento e Consultoria - http://www.x25.com.br
  • 79. Simulação Mini-Curso - Gereciamento de Projetos: Uso de métodos baseados em corrente crítica X25 Treinamento e Consultoria - http://www.x25.com.br
  • 80. Simulação Projeto a partir de um cronograma com aplicação de CCPM (50% + 50%) Mini-Curso - Gereciamento de Projetos: Uso de métodos baseados em corrente crítica X25 Treinamento e Consultoria - http://www.x25.com.br
  • 81. Simulação Mini-Curso - Gereciamento de Projetos: Uso de métodos baseados em corrente crítica X25 Treinamento e Consultoria - http://www.x25.com.br
  • 82. Simulação Mini-Curso - Gereciamento de Projetos: Uso de métodos baseados em corrente crítica X25 Treinamento e Consultoria - http://www.x25.com.br
  • 83. Referências Parte dos conteúdos estão baseados nos seminários PMI Global 2008 (Austrália e Brasil), PMI COS Chicago, PMI Global 2007 (México) e outros trabalhos de autoria ou co-autoria de Peter Mello, PMP, PMI-SP, que podem ser encontrados em http://www.gestaoeprojetos.com/eventos.htm Simulações de Projetos: Cortesia de Humberto Batista, Goldratt Schools (imagens do software PmSim 2.03 – Goldratt © 1998) Mini-Curso - Gereciamento de Projetos: Uso de métodos baseados em corrente crítica X25 Treinamento e Consultoria - http://www.x25.com.br