Tcc logística 2011

42,239 views

Published on

Este tcc fala sobre estoque em uma empresa de Materiais de Construção!

Published in: Education
0 Comments
8 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
42,239
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
5
Actions
Shares
0
Downloads
570
Comments
0
Likes
8
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Tcc logística 2011

  1. 1. Centro Estadual de Educação Tecnológica Paula Souza Escola Técnica de Cidade Tiradentes Extensão CEU Alto AlegreHabilitação Profissional Técnica de Nível Médio de Técnico em Logística REDUÇÃO DE CUSTOS E APRIMORAMENTO DE ESTOQUE (PARA O MERCADO VAREJISTA) Amanda Cristina Sona – 03 Anderson Mendes Nogueira – 05 Jonatas Gonçalves – 12 Magno Teixeira Santos – 14 Peter Marcelo Silva Legnaro Leone – 19 SÃO PAULO 2011
  2. 2. Centro Estadual de Educação Tecnológica Paula Souza Escola Técnica de Cidade Tiradentes Extensão CEU Alto AlegreHabilitação Profissional Técnica de Nível Médio de Técnico em Logística REDUÇÃO DE CUSTOS E APRIMORAMENTO DE ESTOQUE (PARA O MERCADO VAREJISTA) Amanda Cristina Sona – 03 Anderson Mendes Nogueira – 05 Jonatas Gonçalves – 12 Magno Teixeira Santos – 14 Peter Marcelo Silva Legnaro Leone –19 Trabalho de Conclusão de Curso apresentado como exigência parcial para obtenção da Habilitação Profissional Técnica de Nível Médio de Técnico em Logística à Escola Técnica de Cidade Tiradentes - Extensão CEU Alto Alegre. SÃO PAULO 2011
  3. 3. FOLHA DE APROVAÇÃOAlunos: Amanda Cristina Sona – 03 Anderson Mendes Nogueira – 05 Jonatas Gonçalves – 12 Magno Teixeira Santos – 14 Peter Marcelo Silva Legnaro Leone – 19 REDUÇÃO DE CUSTOS E APRIMORAMENTO DE ESTOQUE (PARA O MERCADO VAREJISTA)Trabalho de Conclusão de Curso apresentado como exigência parcial para obtençãoda Habilitação Profissional Técnica de Nível Médio de Técnico em Logística à EscolaTécnica de Cidade Tiradentes - Extensão CEU Alto Alegre. COMISSÃO JULGADORAProf.InstituiçãoProf.InstituiçãoProf. Leandro Pedroza de NóbregaInstituição ETEC Cidade Tiradentes Extensão CEU Alto AlegreProfessor Orientador – Presidente da Banca Examinadora: São Paulo, 25 de Novembro de 2011
  4. 4. Dedicamos este trabalho em primeiro lugar ao proprietário que gentilmente nos deuoportunidade e liberdade de realizar nosso trabalho de conclusão de curso em suaempresa, também aos nossos familiares que nos apoiaram e compreenderam otempo que deixamos de passar ao seu lado e finalmente aos professores que nosauxiliaram e se dedicaram em oferecer seus conhecimentos e tempo para queconsigamos obter um resultado final excelente, com grande habilidade ecompetência.
  5. 5. AgradecimentosAgradecemos a Deus que nos possibilitou estar presente as aulas, e nos guiou até aempresa a qual nos deu livre arbítrio para executar pesquisas internas e formas desimplificar seu trabalho, agradecemos também aos nossos familiares que nos apoioue nos deu força para prosseguir até o termino deste curso e sem esquecer dosprofessores que nos proporcionou habilidades e competência para chegarmos aeste resultado final e a partir daqui em nossa profissão.
  6. 6. Porque o Senhor dá a sabedoria;da sua boca vem o conhecimentoe o entendimento.(Prov. 2:6)
  7. 7. RESUMOO presente TCC tem como objetivo, otimizar o estoque e integrar como estratégia olayout e o marketing da empresa WD Comercio de Ferragens e Hidráulica Ltda. queatua no ramo de materiais de construção, estoque este que encontra-se inadequadono que diz respeito a organização e controle, estaremos com isso auxiliando-o emcomo realizar o controle de entrada e saída de suas mercadorias de acordo com suademanda e sazonalidade. Para que seja aplicadas melhorias na empresa estetambém apresentará formas de adequação de layout do estoque e do chão de loja,além de realizar um marketing de balcão. E para obter uma melhor organização deentrada, saída e controle de estoque serão apresentadas planilhas que resultará emum controle mais preciso do estoque e da loja. Através da aplicabilidade dosprocessos aqui apresentados, a empresa chegará em uma redução de custossignificativa, será visualmente mais organizada e contará com um marketing naentrada da loja que atrairá mais clientes. Este processo foi realizado tendo em vistaque para um bom andamento de um empreendimento é necessário que hajaorganização, controle, bom atendimento e produtos que atendam a comunidade aoqual se esta instalado, estas metas só serão alcançadas com a implantação de umprocesso logístico rigoroso. Pois a logística esta implícita em todos os processos deorganização, controle, layout e marketing em um empreendimento.Palavra Chave: Layout, Estoque, Planilha, Hidráulica, Ferragem.
  8. 8. ABSTRACTThis TCC is aimed at optimizing inventory and integrate the layout as a strategy andmarketing company WD Trading Hardware and Hydraulic Ltda. that operates in thefield of building materials, that this stock is inadequate with regard to organizationand control, it will be with him in helping to make the control of entry and exit of theirgoods according to your demand and seasonality . Improvements to be applied inthis company will also present ways to adapt the layout of the stock and the shopfloor, and perform a marketing counter. And for better organization of input, outputand inventory control spreadsheets will be presented which will result in a moreprecise control of inventory and shop. Through the applicability of the processespresented here, the company will arrive at a significant cost reduction, is visuallymore organized and will have a marketing front of the store will attract morecustomers. This process was conducted with a view that for a smooth running of anenterprise there must be organization, control, good service and products that meetthe community to which it is installed, these goals can only be achieved with theimplementation of a logistics process rigorous . For this logistics implied in allprocesses of organization, control, layout and marketing in an enterprise.Keyword: Inventory, Layout, Spreadsheet, Hydraulics, Hardware.
  9. 9. SUMÁRIO1. INTRODUÇÃO 10 1.1. O que é logística? 10 1.2. Problematização 11 1.3. Objetivo Geral 11 1.4. Objetivos Específicos 12 1.5. Justificativa 12 1.6. Hipóteses 122. REFERENCIAL TEÓRICO 13 2.1. O que é estoque? 13 2.1.1. Tipos de Estoque 13 2.1.2. Princípios e funções básicas para o controle de estoque 13 2.1.3. Objetivos do Estoque 14 2.1.4. Controle de Estoque 14 2.1.5. Gestão de estoque por ponto de reposição 153. DESENVOLVIMENTO PRÁTICO 16 3.1. Metodologia 16 3.2. Layout 16 3.3. Layout loja 17 3.4. Marketing 18 3.5. Planilhas 204. ANALISE E RESULTADOS 235. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICA 24
  10. 10. 1. INTRODUÇÃO1.1. O que é logística? Uma das origens da palavra logística pode ser encontrada na sua etimologiafrancesa, do verbo loger, que significa alojar e se constitui num termo de origemmilitar. A logística, termo este que tem despertado tanto interesse, foi desenvolvidacom a finalidade de colocar os recursos certos no local certo, na hora certa, com umsó objetivo, o de vencer batalhas. No decorrer da história do homem, as guerras têm sido ganhas e perdidasatravés do poder e da capacidade da logística, ou pela falta dela. Há alguns anosatrás, o termo logístico era associado ao transporte de mercadorias ou distribuiçãofísica. Mas o conceito desse termo evoluiu, e uma nova concepção muito maisabrangente entra em vigor, onde passa a existir a integração das diversas áreasenvolvidas na produção, dimensionamento e layout de armazéns, alocação deprodutos em depósito, transportes, distribuição, seleção de fornecedores e clientesexternos, conhecido como supplychain. O termo Logística, de acordo com o Dicionário Aurélio, vem do Francêslogistique e tem como uma de suas definições a “parte da arte da guerra que tratado planejamento e da realização de: projeto e desenvolvimento, obtenção,armazenamento, transporte, distribuição, reparação, manutenção e evacuação dematerial (para fins operativos ou administrativos)”. (Míriam Bertini, 2008) 10
  11. 11. 1.2. Problematização A necessidade de haver estoque na empresa WD Comércio de Ferragens eHidráulica Ltda. é devido ao seu ramo de atividade. Dentro do quadro examinado,chegamos ao contexto de que apesar de não obter espaço adequado suficiente paraestoque, é possível que seja feito algumas mudanças e adaptações, onde o estoquehoje se encontra inadequado. E como pudemos observar, para melhoria e facilidade na conferência e anecessidade de um produto, sugerimos uma planilha manuscrita contendo itens doestoque, entrada e saída, e, junto a este processo utilizar do método KANBAN paraitens e produtos com um giro relativamente alto e que não possa se esgotar demaneira nenhuma. E com isso facilitamos em saber como anda seu estoque, alémde mencionar a readaptação de uma plataforma sobre parte da loja paraacomodação do estoque de menor peso e volume.1.3. Objetivo GeralRealizar uma estruturação mais adequada ao estoque e assim facilitar o controlepara reabastecimento de itens com nível baixo ou de maior demanda sazonal, etambém fazer com que não só o estoque, mas a loja fique visualmente mais bonitacom a organização das apresentações de produtos e mercadorias por toda loja eprincipalmente no balcão. Tendo em vista um desgaste menor dos trabalhadores pornão haver necessidade de estar sempre a procura de algo ou comprando itensinadequados. 11
  12. 12. 1.4. Objetivo específico- Adequar o layout da plataforma existente com estantes para o estoque;- Organizar os itens conforme sua família;- Criar sistema kanban de alguns itens do estoque;- Criar planilha de controle manual.1.5. Justificativa Trabalhar em cima da dificuldade da empresa procurando saber onde e comoorganizar o estoque, além de reduzir os custos deixando de comprar quantidadesaltas de itens desnecessariamente por já existir em estoque, fazendo assim que osprodutos não se deteriorem e não falte ou fique em um nível baixo em estoque.1.6. Hipóteses- A má organização dos estoques gera prejuízos para a empresa.- A falta de espaço contribui para a má organização do estabelecimento.-A compra sem planejamento contribui para estoque parado e fora de linha.-A falta de investimento prejudica a boa aparência do estabelecimento para o cliente. 12
  13. 13. 2. REFERENCIAL TEÓRICO2.1. O que é estoque? Segundo MARK DAVIS et al (1999, p.469) “estoque é definido como sendo aquantificação de qualquer item ou recurso usado em uma organização. Um sistemade estoque é um conjunto de políticas e controles que monitora os níveis de estoquee determina quais níveis deveriam ser mantidos, quando o estoque deveriam serreposto, e o tamanho do estoque.”. O objetivo básico de uma analise de estoque na manufatura e nos serviços demanutenção de estoque é especificar quando os itens deveriam ser pedidos e qualdeveria ser o tamanho do pedido.2.1.1. Tipos de EstoquePara Ballou (2004), os estoques são divididos em cinco tipos:  Estoque de canal, “quando o estoque esta em trânsito entre os elos de canal de suprimentos”;  Estoque mantido para especulação, “Quando a uma variação de preço do produto em questão”;  Estoque de natureza regular ou cíclica, “São os estoques necessários para suprir a demanda média durante o tempo transcorrido entre sucessivos reabastecimentos;  Estoque de segurança, “é um acréscimo ao estoque normal necessário para suprir as condições da demanda média ou do prazo de entrega médio” e,  Estoque Obsoleto, “parte do estoque que se deteriora, fica ultrapassada ou acaba sendo perdida/roubada durante um armazenamento prolongado”. 2.1.1.1. Princípios e funções básicas para o controle de estoqueSegundo Dias (1993, p. 24-31), alguns princípios e funções básicas para o controlede estoques são:Determinar ‘’o que”, ‘’quando” e ‘’quanto’’ será necessário de estoque; 13
  14. 14. Receber, armazenar e atender os materiais estocados de acordo com asnecessidades;Controlar os estoques em termos de quantidades, valores e fornecer informaçõessobre a posição do estoque;Manter inventários periódicos para avaliação das quantidades e estados dosmateriais estocados e;Identificar e retirar do estoque os itens obsoletos e danificados.2.1.2. Objetivos do Estoque Segundo Ballou (2004, p. 277), gerenciar estoques é também equilibrar adisponibilidade dos produtos, ou serviço ao consumidor. O primeiro objetivo do gerenciamento de estoque é garantir que o produtoesteja disponível no tempo e nas quantidades necessárias. Ainda para Ballou (2004), algumas das razões para que as empresas estoquem materiais são: redução de custos de transporte, coordenação entre oferta e demanda, auxílio no processo de produção e ajuda no processo de marketing. Para ele é impossível conhecer com certeza a demanda de um produto de uma empresa, e como ficaria difícil satisfazê-la imediatamente, então a necessidade do estoque. A armazenagem de estoque pode conduzir a custos de transportes mais baixos através do embarque de quantidades maiores e, portanto, mais econômicos.2.1.3. Controle de Estoque Segundo Bowersox (2001), controle de estoque deve ser uma rotinanecessária dentro da empresa para realmente ser cumprida uma política deestoques. Este controle atinge toda quantidade disponível de um determinadoproduto e acompanha suas entradas e saídas por um longo tempo. Para a implementação do controle e um gerenciamento de estoques, énecessário que a empresa tenha procedimentos que acompanhem a evolução dosníveis de estoques, para que sejam determinados os prazos e quantidades deressuprimento. Essas funções podem ser feitas manualmente e ou por sistema de 14
  15. 15. informação de controle de estoque. As principais diferenças entre os doisprocedimentos são a velocidade das informações, a precisão e o custo.2.1.4. Gestão de estoque por ponto de reposição Para Ballou (2004, p.285) podemos introduzir a ideia de ponto de reposição, aquantidade que se permite que o estoque baixe antes de encaminhar o pedido dereposição. Como em geral existe um lapso de tempo entre o momento em que opedido é feito e a disponibilidade dos itens no estoque, a demanda que ocorrer aolongo deste prazo de entrega deve ser antecipada. Segundo Slack (1999), para a empresa tomar a decisão de quanto devecomprar para repor a quantidade de um determinado item, deve levar emconsideração a abordagem do lote econômico, e tentar encontrar um equilíbrio entreas vantagens e desvantagens de se manter o estoque.Na figura abaixo será representado como levar em consideração as compras atravésda ferramenta de ponto de reposição. Nível máximo de estoque Curva de Demanda do Q Item Nível para pedido Pedido Recebido PR LT LT LT T T T Q= Quantidade de estoque PR= Ponto de reposição LT= Prazo de reposição T= Intervalo entre os pedidos Figura 1 – Modelo Básico de Ponto de Reposição Fonte: Ballou (2004, p.285) 15
  16. 16. 3. DESENVOLVIMENTO PRÁTICO A partir deste capítulo será apresentado a necessidade que gerou este trabalho eas possíveis soluções que poderão ser aplicada as relativas problemáticas.3.1. Metodologia Para execução deste trabalho foi realizada uma pesquisa exploratória. Pesquisa exploratória: “É a ênfase dada à descoberta de praticas ou diretrizesque precisam modificar-se na elaboração de alternativas que possam sersubstituídas”. A pesquisa teve como objetivo, proporcionar maior familiaridade com oproblema, para com isso torná-lo mais evidente, aprofundou-se em uma realidadeespecifica, e procurou captar as explicações e interpretações do que ocorre narealidade da empresa. (SEBRAE/RS, 2006) Através desta pesquisa e informações de grande valia fornecidas peloproprietário da empresa, fora constatado que não era realizada contagem deestoque periodicamente ou mensal, e, não obtinha um controle rigoroso de entrada esaída de mercadorias. Este procedimento era realizado de forma manual em umcaderno e sem muito rigor, e a partir deste ele terá um controle de seu estoque eassim obterá redução de custos.3.2. Layout As soluções acima citadas são de imensa importância, porém não podemosdeixar de citar que a empresa dispõe-se de pouco espaço físico para o estoque quese faz necessário devido sua localização e ramo de atividade. Para que não seja gerado um gasto momentâneo ao empreendedor foi feitauma adequação de uma plataforma já existente sobre parte da loja, aplicando a elaalgumas estantes de aço, conforme Figura 2. Com isso itens de menor tamanhopodem ser acomodados e estocados adequadamente e com mais segurança, alémde tornar seu controle mais preciso. 16
  17. 17. Figura 2. Estante de Aço Já os produtos e/ou mercadorias de maior volume e peso como: Caixasd’agua, Pias, Cimentos, Gabinetes, Portas, etc. serão alocadas abaixo daplataforma, por segurança, e assim aproveitar para fazer demonstração dos itens,quando este espaço faz parte diretamente da loja.3.2.1. Layout Loja Segundo o SEBRAE existem três grupos de consumidores para uma loja demateriais de construção: Consumidores comuns femininos, consumidores comunsmasculinos e profissionais do ramo da construção civil, em posse desteconhecimento o layout foi elaborado de uma maneira a atender todos os públicoscom satisfação e eficácia. Há frente da loja serão dispostos os materiais de revestimento, louça, metaise tintas, conforme Figura 3. Figura 3. Layout entrada 17
  18. 18. Já no interior da loja alguns produtos ficam disposto em auto serviço, ou seja,o cliente não necessita de ajuda para levá-lo direto ao caixa, assim como ocorre nossupermercados, estes ficam e estantes e/ou gôndolas um pouco mais afastados dobalcão de atendimento. Produtos que na duvida necessite de um auxílio, mas podem ser levadosdiretamente pelo cliente são chamados de Auto-serviço assistido e ficam maispróximos ao balcão, para um possível auxílio e facilidade ao transporte. E no balcão e prateleiras localizadas na parede que faz fundo ao mesmoficam produtos mais frágeis, mais específicos aos profissionais e que por venturahaja a necessidade de um auxílio quanto ao produto e/ou manuseio.3.3. MarketingComo forma de divulgar e otimizar o espaço físico da loja, optamos por utilizargôndolas e displays em pontos estratégicos da loja, fazendo assim com que o clientese sinta mais a vontade ao adquirir produtos ao qual não seja necessário o auxílioe/ou disposição direta de um atendente, ou até mesmo identifique o produto expostoe apenas peça a quantidade ao atendente. Conforme dispostos na Figura 4.Figura 4. Display para demonstração de pisos e gondolas para auto venda. 18
  19. 19. Sobre o balcão ficara disposto alguns mostruários e catálogos sobre pisos,revestimentos, ferramentas, acabamentos, entre outros, como forma de divulgá-los etambém apresentar todos os modelos ao qual a loja trabalha sem poluir visualmentea loja com todos estas mercadorias espalhadas.Conforme Figura 5. Figura 5. Catálogo e Mostruários para o balcão 19
  20. 20. 3.4. Planilhas A partir da elaboração de planilhas de controle de estoque para entrada esaída de mercadorias, podemos obter um resultado mais preciso do andamento daempresa e assim saber quais os produtos que tem um maior giro de estoque, e qualo seu nível de reposição no estoque.Planilhas estas que podem ser utilizadas eletronicamente em Microsoft Office Excel2010 ou até mesmo em manual. Conforme exemplo Figuras 6, 7 e 8. Figura 6. Planilha de Entrada – Os produtos são subdivididos por família para serem lançados e obter uma maior facilidade na hora de localizá-lo. 20
  21. 21. Figura 7. Planilha de Saída – Os produtos são subdivididos por família para serem lançados eobter uma maior facilidade na hora de localiza-lo. “esta será utilizada no balcão para controle desaída nas vendas.”Figura 8. Planilha de Controle de Estoque – Os produtos são subdivididos por família para serem lançadose obter uma maior facilidade na hora de localiza-lo. “esta será utilizada dentro do estoque para um controlemais preciso.” 21
  22. 22. Essas planilhas apresentadas serão utilizadas para um controle de entrada e saídade mercadorias e assim puxar a reposição, porém estas não desobrigam a empresade um controle ainda mais rigoroso, como uma contagem geral de estoquemensalmente. Conforme Figura 9. Figura 9. Planilha Controle de Estoque Mensal – Os produtos são subdivididos por família para serem lançados e obter uma maior facilidade na hora de localiza-lo. Nas planilhas de controle diário não serão lançados todos os produtosexistentes na empresa, devido às mercadorias que estão em exposição ou emgondolas já terem dado baixa na planilha logo que retirada do estoque. Estassomente entraram no Inventário mensal ou semestral, como achar mais adequado oproprietário da empresa. 22
  23. 23. 4. ANÁLISE E RESULTADOS Com a aplicação das planilhas no controle de entrada, saída e controle deestoque o resultado obtido será: Todo produto que der entrada na empresa será lançado na Planilha Entrada,constando a data e a quantidade de itens, na Planilha de Controle de Estoque serálançado os produtos que forem retirados do estoque para serem vendidos e/ouexpostos na loja, além de obter um controle quanto ao que restou em estoque para odia seguinte, já a Planilha de Saída é utilizada para lançar toda a venda da empresae obter a demanda de acordo com a quantidade de saída e tempo que levou paravenda. Com este procedimento haverá uma redução de custos por organizar os itensde venda à sua quantidade necessária, evitando um estoque excessivo ou defasado.Junto a este procedimento haverá também uma reorganização do layout daempresa, tanto no estoque com implantação de estantes de aço para uma melhoracomodação das mercadorias e uma fácil visualização, como no chão de loja, ondeserão dispostos displays e gondolas para que o cliente se sinta mais a vontade porescolher e saber de quais produtos a empresa dispõe, com este procedimento ocliente é incentivado a levar itens que não eram de início do seu interesse, com issoé gerado uma maior lucratividade para a empresa. E para saber o andamento de todo este processo mensalmente ousemestralmente (como preferir o proprietário) será realizado um inventário geral deestoque, para saber o andamento das vendas quanto ao crescimento e controle demercadorias. 23
  24. 24. 5 . REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICASBíblia Sagrada (provérbios 2:6)ERTINI, M. O que é logística. (Artigo, Web artigos)Davis, Mark M., Chase, Richard B., Aquilano, Nicolas J. Fundamentos daAdministração da Produção. 3ª. Ed. São Paulo: ARTMED, 1999. P. 469DIAS, Marco Aurélio P. Administração de materiais: uma abordagem logística. 4ªed. São Paulo: Atlas,1993. p. 23-31Luiz, Marcia Carneiro, Braga, Adriano Vieira SEBRAE/RS 2006SLACK, Nigel. Administração da produção. São Paulo: Atlas, 1999. p. 278-279Ballou, Ronald H. GERENCIAMENTO DA CADEIA DE SUPRIMENTOS:LOGÍSTICA EMPRESARIAL. 5ª Ed. São Paulo: ARTMED, 2004. P.270-288 24

×