Your SlideShare is downloading. ×

Tinoco

1,314
views

Published on

Published in: Business, Technology

0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
1,314
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
39
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. Fernando Tinoco Coordenador Estadual de Agroecologia
  • 2. Café e Cultura 2009 SIMPÓSIO DE CAFEICULTURA FAMILIAR “AGRICULTURA FAMILIAR” Definições, conceitos, antecedentes, perspectivas Poços de Caldas, 14 a 16 de outubro de 2009
  • 3. DEFINIÇÕES E CONCEITOS Agricultura Familiar “... forma de organização produtiva em que os critérios adotados para orientar as decisões relativas à exploração agrícola não se subordinam unicamente pelo ângulo da produção / rentabilidade econômica, mas leva em consideração também as necessidades e objetivos da família.” Carmo(1999)
  • 4. Agricultura Familiar “ Propriedade Familiar : o imóvel que, direta e pessoalmente explorado pelo agricultor e sua família, lhes absorva toda a força de trabalho, garantindo-lhes a subsistência e o progresso social e econômico, com área máxima fixada para cada região e tipo de exploração, e eventualmente trabalhado com a ajuda de terceiros” Gonçalves e Souza (2005)
  • 5. Agricultor Familiar “...aquele que pratica atividades no meio rural, atendendo, simultaneamente, aos seguintes requisitos: não detenha, a qualquer título, área maior do que 4 (quatro) módulos fiscais; utilize predominantemente mão-de-obra da própria família nas atividades econômicas do seu estabelecimento ou empreendimento; tenha renda familiar predominantemente originada de atividades econômicas vinculadas ao próprio estabelecimento ou empreendimento; dirija seu estabelecimento ou empreendimento com sua família. Lei 11.326 de 2006
  • 6. “Agricultor familiar é todo aquele (a) agricultor (a) que tem na agricultura sua principal fonte de renda (+ 80%) e que a base da força de trabalho utilizada no estabelecimento seja desenvolvida por membros da família. É permitido o emprego de terceiros temporariamente, quando a atividade agrícola assim necessitar. Em caso de contratação de força de trabalho permanente externo à família, a mão-de-obra familiar deve ser igual ou superior a 75% do total utilizado no estabelecimento.” Bittencourt e Bianchini (1996)
  • 7. RESGATE HISTÓRICO AGRICULTURA FAMILIAR EM MG
  • 8. Antecedentes da Agricultura Familiar “RESGATE HISTÓRICO” 1948/1963 – Do Tradicional ao Moderno Aceleração do processo de modernização da agricultura e urbanização brasileira (êxodo rural) Inovações tecnológicas e utilização de fertilizantes e agrotóxicos 70% da população brasileira viviam no campo (vida fundamentada em princípios morais, valores, tradições e religiosidade) Dificuldades em adoção das inovações propostas pelos norte americanos – necessidade de transição da sociedade tradicional para a moderno Fonte: MEXPAR 2006
  • 9. Trabalho com juventude rural - Clube 4S
  • 10. 1964/1979 – Modernização do Campo/Revolução Verde Modernização da agricultura (grandes projetos e monoculturas) estimulando aumento da produção Uso intensivo e indiscriminado de insumos, máquinas agrícolas Exclusão (inviabilização) dos pequenos produtores além de provocar impactos sociais, culturais e forte desequilíbrio no meio ambiente - Intensificação do êxodo rural Ausência de uma política pública de educação para o campo Concentração de renda e da estrutura fundiária em favor dos grandes produtores Grandes impactos ambientais e desvalorização do trabalho social em detrimento do econômico Criação da CONTAG Fonte: MEXPAR 2006
  • 11. 1980/1989 – Valorização do Saber Popular e a Profissionalização do Campo Reivindicações dos produtores por melhores preços Produtores se organizam para debater e propor ações (reforma agrária e crises sócio-ambientais);movimentos sociais e organizações de pequenos produtores ganham forças EMATERes estaduais passam a valorizar mais o conhecimentos dos agricultores familiares (saber popular) Maior participação dos agricultores familiares nas ações de campo e nas pesquisas Fonte: MEXPAR 2006
  • 12. Crédito rural escasso Crise ambiental AF: Conquista do direito de ATER pública e gratuita na Constituição Nacional
  • 13. 1990/2006 – Maior Organização e Metodologia Participativa Lei Agrícola de 1991 reforça os direitos dos pequenos produtores Em 1994 - “Grito da Terra”: participação efetiva dos movimentos sociais e dos Agricultores Familiares (AF) na definição de políticas públicas para o setor rural Legitimação da Metodologia Participativa junto aos AF Formulação de uma política pública para a AF – PRONAF: política de inclusão social da AF Organização dos AF em CMDRS Criação do MDA e em 2003 a elaboração da PNATER: valorização da metodologia participativa e dos princípios da Agroecologia Fonte: MEXPAR 2006
  • 14. Ênfase ao Associativismo
  • 15. 2006 aos dias atuais Maiores participações dos agricultores nos planejamentos visando a construção de políticas públicas voltadas para o Desenvolvimento Rural Sustentável e na melhoria da qualidade de vida dos agricultores e agricultoras familiares Agricultores mais preocupados com a questões ambientais e na adoção de boas práticas agrícolas (cresce a Agroecologia) Cresce o Associativismo Maior participação dos AF nas pesquisas de campo
  • 16. Banco de Sementes de Leguminosas – ASBON Três Marias-MG
  • 17. REALIDADES
  • 18. CMDRS 550 (aproximadamente) 233 reconhecidos pelo CEDRS Fonte: Emater-MG MEXPAR e Gestão Social
  • 19. AGRICULTURA FAMILIAR * Ocupa 84,4% dos estabelecimentos agropecuários * 4.367.902 estabelecimentos de AF's * Ocupam 24,3% (80,25 milhões ha) * 80,25 milhões ha: 45% pastagens 28%matas 22%lavouras Fonte IBGE Censo 2006
  • 20. PRODUÇÃO DA AGRICULTURA FAMILIAR EM 2006 (CENSO IBGE) 87% MANDIOCA 58% SUÍNOS 70% FEIJÃO 50% AVES 46% MILHO 30% BOVINOS 38% CAFÉ 21% trigo 34% ARROZ 58% LEITE Fonte IBGE censo 2006
  • 21. De cada 10 empregos no campo 7 são provenientes da AF 87% MANDIOCA 58% SUÍNOS 70% FEIJÃO 50% AVES 46% MILHO 30% BOVINOS 38% CAFÉ 21% trigo 34% ARROZ 58% LEITE Fonte IBGE censo 2006
  • 22. ATUALIDADES E PERSPECTIVAS
  • 23. CERTIFICAÇÃO DOS PRODUTOS DA AF
  • 24. Vantagens e Pontos Fundamentais Segurança alimentar Rastreabilidade Boas Práticas de Produção Abertura de novos negócios
  • 25. CAFÉ CERTIFICADO MANHUAÇÚ - MG
  • 26. PERSPECTIVAS AUMENTO DO NÚMERO DE PROPRIEDADES CERTIFICADAS NO ESTADO E A BUSCA DE NOVOS MERCADOS PARA OS PRODUTOS DA AGRICULTURA FAMILIAR (AF)
  • 27. PESQUISA PARTICIPATIVA E ADOÇÃO DE BOAS PRÁTICAS AGRÍCOLAS MORANGO ORGÂNICO E SAT (SEM AGROTÓXICOS) FAZ. SANTA RITA - EPAMIG PRUDENTE DE MORAIS
  • 28. Experimentos Morango Orgânico c/a Epamig e Produtores Rurais JANAÚBA – NORTE DE MINAS COBERTURA MORTA FLS BANANEIRA
  • 29. COBERTURA MORTA FOLHAS PINHEIRO JANAÚBA
  • 30. MORANGO ORGÂNICO COMPOSTAGEM BIOFERTILIZANTES CALDAS ALTERNATIVAS TRES MARIAS - ASBON
  • 31. QUALIDADE E PRODUTIVIDADE BIO TINOCÃO
  • 32. SETE LAGOAS – MG MORANGO SEM AGROTÓXICOS ADUBAÇÃO VERDE ADUBAÇÃO ORGÂNICA CALDAS ALTERNATIVAS
  • 33. QUALIDADE PRODUTIVIDADE
  • 34. Experimento Milho Orgânico Embrapa Milho e Sorgo Sete Lagoas-MG Feijão de Porco + Milho
  • 35. MILHO SEM AGROTÓXICOS Experimento Embrapa – Dr. Walter Matrangolo
  • 36. PERSPECTIVAS IMPLANTAÇÃO DE NOVOS EXPERIMENTOS NAS PROPRIEDADE RURAIS E NOS CENTROS DE PESQUISA
  • 37. TOMATE SEM AGROTÓXICOS – SETE LAGOAS - MG UNIDADES DE EXPERIMENTAÇÃO TECNOLÓGICA
  • 38. TOMATE ORGÂNICO Capim Branco - MG
  • 39. PERSPECTIVAS IMPLANTAÇÃO DE NOVAS UNIDADES DE PRODUÇÃO NO ESTADO
  • 40. PLANTIO DIRETO DE HORTALIÇAS (PDH) EMBRAPA DF - CNPH
  • 41. EMBRAPA DF - CNPH
  • 42. PERSPECTIVAS PDH IMPLANTAÇÃO DE UNIDADES PRODUTIVAS (UET ou UD's) DE HORTALIÇAS SEM O USO DE AGROTÓXICO EM PONTOS ESTRATÉGICOS DO ESTADO
  • 43. CAFÉ SOMBREADO Senhora de Oliveira Bras Pires
  • 44. Piedade Gerais CAFÉ ORGÂNICO COOPFAM – POÇO FUNDO/MG FAIR TRADE
  • 45. CAFÉ ORGÂNICO E SOMBREADO Jacuí
  • 46. ANDRADAS - MG
  • 47. PERSPECTIVAS IMPLANTAÇÃO DE NOVAS UNIDADES PRODUTIVAS EM TODO O ESTADO DE MINAS GERAIS E REALIZAÇÃO DE DIAS DE CAMPO E SEMINÁRIOS DE AGROECOLOGIA
  • 48. RESPONSABILIDADE AMBIENTAL UNIDADES VERdeMINAS Bambui Frutal Brasília de Minas Espinosa Ponto dos Volantes Poços de Caldas
  • 49. ESTRUTURA - – Educ. Projetos ESTRUTURA - Van Sala de Ambiental Itinerante
  • 50. Manejo integrado de sub-bacias hidrográficas Manejo integrado de sub-bacias hidrográficas
  • 51. Capacitação Capacitação Cursos de curta duração Aperfeiçoamento Especialização Ajustamento de conduta (*) Estutruras VERdeMINAS Publico: Publico: Agricultores, Professores, Profissionais liberais, Conselheiros, Membros de Agricultores, Professores, Profissionais liberais, Conselheiros, Membros de comitês, Estudantes..... comitês, Estudantes.....
  • 52. PERSPECTIVAS TREINAMENTO E CAPACITAÇÃO DE AGRICULTORES (AS) FAMILIARES EM AGROECOLOGIA, EDUCAÇÃO AMBIENTAL E DESENVOLVIMENTO RURAL SUSTENTÁVEL
  • 53. Banco de Sementes de Leguminosas – ASBON Três Marias-MG
  • 54. TRÊS MARIAS “Iº Seminário de Agroecologia” e Dia de Campo Parcerias MAPA, ASBON, EPAMIG, EMATER, EMBRAPA
  • 55. ADUBAÇÃO VERDE COM BCSAV LEGUMINOSAS BONFIM - MG
  • 56. BRACHIÁRIA COM SOJA PERENE MATOZINHOS - MG
  • 57. CRATÍLIA FAZ.SANTA RITA – EPAMIG PRUDENTE DE MORAIS
  • 58. PERSPECTIVAS AUMENTO DO INTERESSE DOS PRODUTORES RURAIS E IMPLANTAÇÃO DE NOVAS UNIDADES DE BCSAV EM TODO O ESTADO
  • 59. Faz. Sta Rita Epamig Três Marias ASBOM Projeto de Resgate das Hortaliças Tradicionais
  • 60. PERSPECTIVAS AUMENTO DO INTERESSE DOS PRODUTORES RURAIS E IMPLANTAÇÃO DE NOVAS UNIDADES DE HORTALIÇAS TRADICIONAIS EM TODO O ESTADO
  • 61. ILPF INTEGRAÇÃO LAVOURA PECUÁRIA FLORESTA
  • 62. ILP ILPF INTEGRAÇÃO LAVOURA-PECUÁRIA INTEGRAÇÃO LAVOURA PECUÁRIA FLORESTA
  • 63. ILP Integração Lavoura-Pecuária LUZ-MG
  • 64. PERSPECTIVAS IMPLANTAÇÃO DE NOVOS PROJETOS E UNIDADES PRODUTIVAS POR TODO O ESTADO, PRINCIPALMENTE EM ÁREAS DE PASTAGENS DEGRADADAS
  • 65. REMUNERAÇÃO POR SERVIÇOS AMBIENTAIS Projeto Piloto Produtor de água - reembolsado Sequestro de carbono
  • 66. REMUNERAÇÃO Crescem as SERVIÇOS parcerias com AMBIENTAIS intuito de remuneração pelos serviços ambientais Coronel Xavier Chaves Uregi SJDR Parceiros: PM, ICM-Bio, Associações de Produtores, Emater-MG
  • 67. PERSPECTIVAS MOTIVAÇÃO E MOBILIZAÇÃO DE NOVOS MUNICÍPIOS E NOVOS PRODUTORES EM BUSCA DE PARCERIAS E ELABORAÇÃO DE PROJETOS ECOSSOCIAIS
  • 68. CURSOS DE CAPACITAÇÃO
  • 69. CURSOS AGROECOLOGIA E DESENVOLVIMENTO RURAL SUSTENTÁVEL LUZ-MG
  • 70. PERSPECTIVAS NOVOS CURSOS SOBRE AGROECOLOGIA E DESENVOLVIMENTO RURAL SUSTENTÁVEL EM TODO O ESTADO
  • 71. ABERTURA DE NOVOS MERCADOS FEIRAS LIVRES, SUPERMERCADOS, EXPORTAÇÃO, ETC.
  • 72. Prêmio Ser Humano Categoria Gestão de Pessoas Em dezembro de 2007, a Emater–MG foi agraciada com o Prêmio Ser Humano, concedido pela Associação Brasileira de Recursos Humanos (ABRH–MG) ao Projeto Inovar, de capacitação de extensionistas – uma inovação no trabalho de extensão rural em Minas Gerais, que vem sendo modelo para vários outros Estados. Emater–MG Minas cada vez melhor para se viver
  • 73. OBRIGADO!!! Fernando Tinoco Coordenador Estadual de Agroecologia Emater-MG agroecologia@emater.mg.gov.br 31-33498137 Visitem nosso site www.emater.mg.gov.br