Anuário                                              Brasileiro do                                   Café                 ...
Obtenha mais produtividade com o Kit de Café Husqvarna.                                                                   ...
Expediente PUBLISHERS AND EDITORS                                           EDITORA GAZETA SANTA CRUZ LTDA.               ...
Sumário SUMMARY                                 Cenário                                       12 . SCENARIOSílvio Ávila   ...
Acorda!Sílvio Ávila                   Quem acompanhou o noticiário na         policiais rodoviários o reconhecem.         ...
up!Inor Ag. Assmann                                                    Wake                           Those who have kept ...
QUANDO A GE NTE SE UNE ,O BRASIL FIC A MAIS FORTE .                              TRABALHANDO JUNTOS, CONSTRUÍMOS UM FUTURO...
Cenário SCENARIO                                                                                                          ...
The biggest of all          Brazil is poised to harvest a new record coffee crop, estimated at             50.45 million s...
Fotos: Inor Ag. Assmann                                                                                                   ...
Inor Ag. Assmann                                                         O ano de 2012 promete ser bom                    ...
Timely help                                      Federal government                                      announces R$ 4.5 ...
Mais                        xícaras                        por dia                        Consumo de café                 ...
cups                                                                                                                      ...
To go down                                               Em quase 300 anos de história do café no Brasil,          de 128,...
Crise econômica deve fazer com que as                                           exportações brasileiras encolham em 2012, ...
Sílvio Ávila                                                                                                              ...
Sílvio Ávila                                                        Efficiency                                     transla...
Anuário Brasileiro do Café 2012
Anuário Brasileiro do Café 2012
Anuário Brasileiro do Café 2012
Anuário Brasileiro do Café 2012
Anuário Brasileiro do Café 2012
Anuário Brasileiro do Café 2012
Anuário Brasileiro do Café 2012
Anuário Brasileiro do Café 2012
Anuário Brasileiro do Café 2012
Anuário Brasileiro do Café 2012
Anuário Brasileiro do Café 2012
Anuário Brasileiro do Café 2012
Anuário Brasileiro do Café 2012
Anuário Brasileiro do Café 2012
Anuário Brasileiro do Café 2012
Anuário Brasileiro do Café 2012
Anuário Brasileiro do Café 2012
Anuário Brasileiro do Café 2012
Anuário Brasileiro do Café 2012
Anuário Brasileiro do Café 2012
Anuário Brasileiro do Café 2012
Anuário Brasileiro do Café 2012
Anuário Brasileiro do Café 2012
Anuário Brasileiro do Café 2012
Anuário Brasileiro do Café 2012
Anuário Brasileiro do Café 2012
Anuário Brasileiro do Café 2012
Anuário Brasileiro do Café 2012
Anuário Brasileiro do Café 2012
Anuário Brasileiro do Café 2012
Anuário Brasileiro do Café 2012
Anuário Brasileiro do Café 2012
Anuário Brasileiro do Café 2012
Anuário Brasileiro do Café 2012
Anuário Brasileiro do Café 2012
Anuário Brasileiro do Café 2012
Anuário Brasileiro do Café 2012
Anuário Brasileiro do Café 2012
Anuário Brasileiro do Café 2012
Anuário Brasileiro do Café 2012
Anuário Brasileiro do Café 2012
Anuário Brasileiro do Café 2012
Anuário Brasileiro do Café 2012
Anuário Brasileiro do Café 2012
Anuário Brasileiro do Café 2012
Anuário Brasileiro do Café 2012
Anuário Brasileiro do Café 2012
Anuário Brasileiro do Café 2012
Anuário Brasileiro do Café 2012
Anuário Brasileiro do Café 2012
Anuário Brasileiro do Café 2012
Anuário Brasileiro do Café 2012
Anuário Brasileiro do Café 2012
Upcoming SlideShare
Loading in …5
×

Anuário Brasileiro do Café 2012

5,801 views
5,676 views

Published on

Published in: Technology
0 Comments
3 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
5,801
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
2
Actions
Shares
0
Downloads
102
Comments
0
Likes
3
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Anuário Brasileiro do Café 2012

  1. 1. Anuário Brasileiro do Café Brazilian Coffee yearbook 2012ISSN 1808-3439 997718083439122
  2. 2. Obtenha mais produtividade com o Kit de Café Husqvarna. Atomizador Motosserra Soprador Podador de 362D28 para T435 para poda 570BTS para cerca-viva pulverização e recepa varrição e limpeza 226HD60S para esqueletamento226RJ Husqvarna. Mais um estímulo à alta produtividade do seu café. Todas as fotos são meramente ilustrativasAlcance um melhor desempenho com o novo Aparador 226RJ. Mais conforto, mobilidade e versatilidade ao seu trabalho, com a qualidade e tecnologiada marca Husqvarna. Pode ser utilizado tanto para derriça, quanto para roçada. 0800 77 323 77 www.husqvarna.com.br
  3. 3. Expediente PUBLISHERS AND EDITORS EDITORA GAZETA SANTA CRUZ LTDA. Rua Ramiro Barcelos, 1.224, CEP: 96.810-900,Sílvio Ávila CNPJ 04.439.157/0001-79 Santa Cruz do Sul, RS Diretor-presidente: André Luís Jungblut Telefone: 0 55 (xx) 51 3715 7940 Diretor de Conteúdo: Romeu Inacio Neumann Fax: 0 55 (xx) 51 3715 7944 Diretor Comercial: Raul José Dreyer E-mail: redacao@editoragazeta.com.br Diretor-administrativo: Jones Alei da Silva comercial@editoragazeta.com.br Diretor Industrial: Paulo Roberto Treib Site: www.editoragazeta.com.br ANUÁRIO BRASILEIRO DO CAFÉ 2012 Editor: Romar Rudolfo Beling; textos: Erna Regina Reetz, Benno Bernardo Kist, Cleiton Evandro dos Santos, Cleonice de Carvalho e Heloísa Poll; colaboração: Angela Zamberlan Vencato; supervisão: Romeu Inacio Neumann; tradução: Guido Jungblut; fotografia: Sílvio Ávila, Inor Assmann (Agência Assmann) e divulgação de empresas e entidades; projeto gráfico e diagramação: Márcio Oliveira Machado; arte de capa: Márcio Oliveira Machado, sobre fotografia de Sílvio Ávila; edição de fotografia e arte-final: Márcio Oliveira Machado e Henrique Scherer; marketing: Maira Trojan Bugs, Tainara Bugs, Danielle de Almeida e Rafaela Jungblut; supervisão gráfica: Márcio Oliveira Machado; distribuição: Simone de Moraes; impressão: Gráfica Serafinense, Serafina Corrêa (RS). ISSN 1808-3439 É permitida a reprodução de informações desta revista, desde que citada a fonte. Reproduction of any part of this magazine is allowed, provided the source is cited. Ficha A636 Anuário brasileiro do café 2012 / Erna Regina Reetz ... [et al.]. – Santa Cruz do Sul: Editora Gazeta Santa Cruz, 2012. 136 p. : il. ISSN 1808-3439 1. Café - Brasil. I. Reetz, Erna Regina. CDD : 633.730981 CDU : 633.73(81) Catalogação: Edi Focking CRB-10/1197 2
  4. 4. Sumário SUMMARY Cenário 12 . SCENARIOSílvio Ávila Estados 40 . STATES Perfil 66 . PROFILE Tecnologia 84 . TECHNOLOGY Indústria 92 . INDUSTRY Consumo 100 . CONSUMPTION Especial 108 . SPECIAL Eventos 132 . EVENTS PARCERIA: Águas 4 do Rio Doce
  5. 5. Acorda!Sílvio Ávila Quem acompanhou o noticiário na policiais rodoviários o reconhecem. mídia brasileira em meados de 2012 É bem provável que a maioria dos pode conhecer iniciativa do policia- insights, das descobertas, das intuições mento rodoviário junto a vias urba- importantes que um ser humano vier nas e interurbanas nas quais ocorre a ter em sua vida sejam acompanhados intenso fluxo noturno de veículos. de uma xícara de café, bem visível ali Os agentes, ao abordarem motoris- do lado daquela pessoa, na mesa de tas, fazem uma série de perguntas a trabalho, na mesa de centro da sala, no fim de descobrir se o condutor não restaurante ou na cafeteria. estaria cansado, ou sonolento. Então, Por isso, quando se reconhece e enquanto este ainda receia por uma homenageia a presença ativa e sutil possível multa, o policial surpreende dessa bebida, em favor do desenvolvi- e convida: “Não aceitaria um café?” mento, do avanço mental e das técni- O impacto positivo da novidade cas à disposição de nossa sociedade, é logo é sentido. O motorista, mais fundamental, igualmente, enaltecer o confiante e sentindo-se acolhido, de- esforço e a competência dos agentes da sembarca do veículo, muitos deles cadeia produtiva que permitem a esse caminhões que cumprem longos per- café chegar em nossas mãos. cursos, e se dirige até o local onde se Na safra 2012, o Brasil, maior pro- encontra estacionada a viatura. Ali, um dutor, maior exportador e segundo simpático profissional serve um café, maior consumidor de café do mundo, quentinho, a fim de colaborar para deve protagonizar a maior colheita da que o cidadão permaneça desperto, história. Pela primeira vez, obterá mais para que possa seguir a viagem com de 50 milhões de sacas numa única mais segurança, para que possa zelar temporada. Se à primeira vista o de- por sua vida e pela dos demais. sempenho sugere comemorações, logo Que bela contribuição dessa bebida, vem a constatação: é pouco! Diante já de tão longa data prezada e admirada do ritmo de incremento no consumo por brasileiros e por adeptos no mundo mundial, dentro de bem poucos anos inteiro. Na verdade, é apenas mais uma esse volume precisará ser bem maior. de suas façanhas, um aproveitamento E mais do que colher muito café, sutil, que até escaparia à atenção da o que os brasileiros querem é colher maioria. Bebe-se café pela manhã, para grão cada vez melhor, até como forma despertar; bebe-se nos encontros com de agregar mais valor, assim como já amigos e familiares; quando se está feliz agregam produtividade por área. e animado; quando se está envolvido em Café faz bem em todos os sentidos. atividades culturais, quando se reserva No bolso, na economia regional e na- tempo para aprender, ou apreciar artes; cional, na saúde humana. A quem ainda quando se está em viagem; enquanto não conhecia essa formidável realida- dedica tempo a reflexões; quando se de, seria o caso de, seguindo o exem- está só ou acompanhado. E bebe-se café plo dos policiais ao abordar motoristas para garantir uma viagem segura. Até os junto às rodovias, dizer: acorda! 6 7
  6. 6. up!Inor Ag. Assmann Wake Those who have kept abreast of the escapes the attention of most people. In the In the 2012 crop year, Brazil, the lead- news in Brazil midway through 2012 have morning, coffee wakes us up; coffee is sipped ing producer and exporter of coffee in probably learned about the initiative of the at family reunions, with friends, leaving all of the world, will be the protagonist of the Traffic Police in urban and intercity roads them in high spirits; when cultural activi- largest coffee crop on record. For the first where there is always heavy night traffic. ties are taking up our time, when it is time time, the 50-million-sack mark will be ex- The agents, upon approaching drivers, ask to learn, or enjoy art works; while on travel; ceeded in one crop year. a series of questions to find out if they are when time is devoted to meditation; when If, at first sight, the performance in- tired or drowsy. And then, while still fear- alone or with somebody else. And coffee is vites celebrations, soon an ascertainment ing any possible traffic ticket, the officer taken to ensure a safe trip. Even Traffic Police surfaces: It is not much. In light of the ev- surprises them with a gentle suggestion: never neglect the benefits of this beverage. er-increasing consumption rates around “How about a cup of coffee?” It is very likely that most insights, dis- the globe, within a few years, this volume A positive reaction from this novelty is im- coveries, and meaningful intuitions people needs to go up considerably. mediately felt. The driver, now greatly at ease, might experience during the course of their And more than just harvesting huge gets out of the vehicle, in many cases a big lives, come in the company of a steamy cup amounts of coffee, the Brazilian farmers truck on long-distance hauls, and walks to of coffee, right there on the table, in the com- are in for better quality, so as to add more the police car, where he is served a hot cup of pany of a friend, on the desk in the office, in value to the bean, just like yields per area coffee by a gentle officer. The coffee is meant the restaurant or cafeteria. that have risen considerably. to keep the driver awake, so as to make him That is why, when one pays homage to Coffee is good in every sense. For the arrive safely at the destination, looking after the presence of this active and subtle bev- pocket, for our regional and national himself and after other drivers as well. erage, on behalf of development, mental economy, and for human health. For This is really a good side of this beverage, fitness, and techniques available to our so- those who are still unaware of this formi- which has been for centuries highly appreci- ciety, it is equally of paramount importance dable reality, it might be the case, follow- ated and admired by all Brazilians and aficio- to celebrate the efforts and competence ing on the heels of the Traffic Police of- nados worldwide. In fact, it is just one of cof- of the agents in the production chain that ficers, upon approaching drowsy drivers, fee’s good deeds, a subtle advantage, which make this coffee reach our hands. to speak out loud: Wake up! 8
  7. 7. QUANDO A GE NTE SE UNE ,O BRASIL FIC A MAIS FORTE . TRABALHANDO JUNTOS, CONSTRUÍMOS UM FUTURO MELHOR. ISSO É COOPERATIVISMO. Com os esforços somados de milhares de agricultores cooperativados, o Brasil fica ainda mais forte no campo. O cooperativismo gera trabalho, emprego e renda e assim contribui para a redução da pobreza. Por isso, o Governo Federal, por meio do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento - Mapa, incentiva os produtores rurais a participarem desse modelo de organização social. Para saber mais sobre cooperativismo rural e conhecer os programas desenvolvidos pelo Mapa, acesse www.agricultura.gov.br e fique por dentro de todas as novidades. Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento
  8. 8. Cenário SCENARIO ESTADOS DO CAFÉ Minas Gerais segue na maior liderança do plantio de café no Brasil, com 52,8% da produção na safra 2011. Na sequência apare- ce o Espírito Santo, maior produtor de conilon, que colheu 24,2% na tempora- da. Os demais estados com A Fotos: Sílvio Ávila participação importante são: São Paulo (10%), Bahia (4,3%), Pa- raná (3,4%) e Rondônia (3,2%). No ciclo 2012 alguns importantes esta- de todas dos deverão ter substancial incremento na pro- dução. O destaque fica com São Paulo, onde se prevê avanço de 62% na quantidade de café ob- tida na colheita. O resultado é creditado ao bom regime de chuvas e ao eficiente pacote tecnoló- gico usado pelos produtores para recuperar as Brasil deverá bater novo recorde na produção de café, plantas após o longo período de estiagem ocor- rido em 2011. Minas Gerais deverá colher 20,1% com previsão de 50,45 milhões de sacas, mais do que em 2011; Rondônia, 14,7%; e Espírito confirmando assim a maior safra da história Santo, 5,5%. Paraná e Bahia tendem a apresentar redução de 7,7% e 5,3%, respectivamente. Na avaliação do consultor Carlos Henri- O Brasil se prepara para a colheita de mais uma safra re- quatro safras de bienalidade positiva, a produção tem registrado que Brando, da P&A Marketing, o produtor corde de café. O total a ser produzido em 2012 deve atingir crescimento constante. A explicação para esse bom resultado está deve planejar a sua safra tendo em mente os a marca de 50,45 milhões de sacas de 60 quilos do produ- na modernização da cafeicultura brasileira, com a maior utiliza- grandes desafios que se apresentam para a cafeicultura. Um deles está nas mudanças cli- to beneficiado, conforme relatório da Companhia Nacional ção da mecanização, as inovações tecnológicas, as exigências do máticas, que provocam secas esporádicas im- de Abastecimento (Conab), divulgado em maio. O resultado mercado pela qualidade do produto e a boa gestão da atividade. previsíveis. “O cafeicultor precisa estar ligado esperado supera a temporada 2002/03, até agora a maior re- Com o maior cuidado na condução das tarefas, o produ- e se preparar com irrigação e mecanização da gistrada no País, que contabilizou 48,48 milhões de sacas. Se tor tem evitado aumentar a área plantada. Para a safra 2012 lavoura, usando variedades que apresentem condições de resistir a essas adversidades”, a previsão se confirmar, o aumento será de 16% sobre a safra está previsto incremento de 3,02% no plantio, ou seja, apenas aconselha. Na opinião de Brando, existe uma 2011, quando foram colhidas 43,48 milhões de sacas. 68.378 hectares num universo de 2,34 milhões de hectares. falha na difusão da tecnologia no Brasil. “É O período 2012 será de produção mais alta, dentro do ciclo Desse total, 1,81 milhão (77,32%) são da espécie arábica e caro disseminar e determinadas regiões não bienal da cultura. Conforme os técnicos da Conab, nas últimas 532.107 hectares (22,68%) de café conilon. dão atenção a isso”, observa. Colheita tende a crescer 16%, enquanto a área aumentou apenas 3,02%12 13
  9. 9. The biggest of all Brazil is poised to harvest a new record coffee crop, estimated at 50.45 million sacks, confirming an all-time record volume Brazil is getting ready to harvest another record coffee crop. volumes have been constantly rising. The explanation for this The total to be produced in 2012 is bound to reach the mark good result lies in the modernization process Brazil’s coffee of 50.45 million 60-kg sacks of processed coffee, according to a farming operations are going through, with more mechaniza- report by the National Supply Company (Conab), disclosed in tion, technological innovations, all market requirements for May. The expected result outstrips the size of the 2002/03 crop, quality and good management of the activity. the biggest ever harvested in the Country, which totaled 48.48 By conducting their tasks more carefully, the growers have million sacks. If the forecast confirms, it will be up 16% from avoided unnecessary area increases. For the 2012 crop the es- 2011, when the crop totaled 43.48 million sacks. timated area increase remains at only 3.02%, that is to say, The 2012 cycle is marked by higher productivity, within the only 68,378 hectares in a universe of 2.34 million hectares. so-called coffee’s biannual cycles. According to Conab techni- Of this total, 1.81 million (77.32%) are Arábica coffee and cians, in the past four crops of the high yield cycles, coffee 532,107 hectares (22.68%) conilon coffee. EM ALTA . On The Rise COFFEE FARMING STATES Produção brasileira de café (2011 e 2012 *) Minas Gerais is leading coffee plantations in Brazil, with Em mil sacas beneficiadas 52.8% of the volume in 2011. In the sequence, there is the 2011 2012 State of Espírito Santo, biggest conilon producer, with 24.2% Estado of the total. Other states with a relevant share are: São Paulo Arábica Conilon Arábica Conilon (10%), Bahia (4.3%), Paraná (3.4%) and Rondônia (3.2%). Minas Gerais 21.882,0 299,0 26.340,0 299,0 In the 2012 cycle some important states are poised to Espírito Santo 3.079,0 8.494,0 2.860,0 9.355,0 have a substantially bigger share. The highlight is São Pau- São Paulo 3.111,5 - 5.040,7 - lo, where the forecast is for a rise of 62% in the amount of coffee to be harvested. The timely rainfalls are credited Paraná 1.842,0 - 1.700,0 - with the good results, along with the efficient technologi- Bahia 1.548,9 741,1 1.430,3 738,0 cal package utilized by the growers to recover the trees Rondônia - 1.428,3 - 1.638,8 after a long period of drought conditions in 2011. Minas Mato Grosso 11,0 126,8 2,6 115,8 Gerais is likely to harvest 20.1% more than in 2011; Rondô- nia, 14.7%; and Espírito Santo, 5.5%. Paraná and Bahia tend Pará - 184,0 - 165,3 to suffer reductions of 7.7% and 5.3%, respectively. Rio de Janeiro 247,0 13,0 261,7 - In the evaluation of consultant Carlos Henrique Bran- Outros 467,1 9,5 497,4 2,8 do, of P&A Marketing, all producers should plan their Total 32.188,5 11.295,7 38.132,7 12.314,7 crops keeping in mind the huge challenges posed by coffee farming. One of them has to do with climate changes, such Total geral 43.484,2 50.447,4 is unpredictable droughts from time to time. “A coffee * Estimativa - Fonte: Conab farmer must remain focused and brace for field irrigation and mechanization, plant varieties capable of enduring all Inor Ag. Assmann these adversities”, he advises. In Brando’s opinion, there is something wrong with the spreading of technology in Brazil. “Dissemination takes time and money, but certain regions just seem not to be interested”, he observes. Harvest tends to soar 16%, while the planted area went up only 3.02%14
  10. 10. Fotos: Inor Ag. Assmann Brazil braces for meeting demand for coffee Much more efficient with minor variations in planted area but significant strides in yields Coffee has won over aficionados in all continents and is now one of the most appreciated beverages in the world. Nonethe- Muito mais less, production has been lagging behind rising consumption trends. The challenge from now onward consists in adjusting the supply and demand picture. In Brazil, leading producer and eficiente exporter of this commodity, the focus is on strategies aimed at boosting yields per hectare. The past decade has attested to the higher yields of our coffee fields, thanks to technology and best agricultural practices. His- torical report published by the National Supply Company (Conab) shows that from the 2001/02 to the 2011/112 seasons the area cultivated with coffee remained practically stable at 2 million hect- ares, with minor variations, depending on the rate of extinction, renewal and establishment of new plantations. Brasil se prepara a fim de atender à demanda de In the meantime, average yields soared 47.28%, from 14.36 café com pouca variação na área plantada mas sacks to 21.15 sacks per hectare. This result was achieved in a 5.3-percent lower planted area. In the 2001/02 cycle, it was 2.17 com aumento significativo na produtividade million hectares, while in the 2011/12 crop year, 2.05 million hectares were cultivated. A comparison to the 2002/03 period, when Brazil harvested an all-time record coffee crop, with 48.8 million sacks, illustrates this situation perfectly. The planted area O café conquistou admiradores em todos os continentes e previsão de novo recorde, com 50,4 milhões de sacas, ilustra bem from one crop to the next went down 10.36% and yields per hect- hoje já é uma das bebidas mais apreciadas do mundo. O cresci- essa situação. A área entre uma safra e outra decresceu 10,36% e o are are expected to soar 16.11%. mento do consumo, no entanto, não vem sendo acompanhado rendimento por hectare deve subir 16,11%. In spite of the excellent performance of the fields over the past pelo aumento de produção, que tem ocorrido em menor escala. Mesmo com o bom rendimento das lavouras na última década, decade, productivity rates must go up even further, if supply is to O desafio a partir de agora é ajustar o quadro de oferta e deman- é necessário que haja crescimento ainda maior na produtividade, be adjusted to global demand for coffee. The Ministry of Agricul- OS CAFEZAIS . The Coffee Fields da. No Brasil, maior produtor e exportador do grão, o foco do para que a oferta possa suprir a demanda de café no mundo. O ture, Livestock and Food Supply (MAPA), along with the National Safra brasileira de café (2011 e 2012*) setor está voltado para o incremento da produtividade na lavoura. Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), jun- Coffee Council (CNC, in the Portuguese acronym), is now debat- Área de produção (ha) Estado Na última década já se pode observar a alta no rendimento dos to com o Conselho Nacional do Café (CNC), está discutindo as ing the guidelines for the Pluriannual Coffee Farming Plan for the 2011 2012 cafezais, graças ao emprego de tecnologia e de boas práticas agrí- diretrizes do Plano Plurianual da Cafeicultura para o período 2012-2015 period, where higher yields is the main concern. Minas Gerais 1.000.869 1.032.530 colas. Série histórica publicada pela Companhia Nacional de Abas- 2012/2015, onde o aumento da produtividade é o ponto principal. According to the Director of the Coffee Department of the Espírito Santo 452.527 451.157 tecimento (Conab) mostra que entre as safras 2001/02 e 2011/12 Conforme o diretor do Departamento do Café do Mapa, Edil- Mapa, Edilson Alcântara, some studies suggest Brazil should São Paulo 169.538 169.538 a área cultivada com café se manteve praticamente estabilizada em son Alcântara, alguns estudos indicam que o Brasil precisará am- expand its production volumes to 106 million sacks per crop Paraná 74.752 69.489 2 milhões de hectares, com pequenas variações, dependendo do pliar sua produção para 106 milhões de sacas por safra, entre 2015 year, from 2015 to 2020, if its share in the global market is to Bahia 138.834 138.213 índice de extinção, renovação e implantação de novas plantas. e 2020, se quiser manter a sua participação no mercado mundial, be maintained, now ranging at 30% of the total production. “I Rondônia 153.391 143.126 Nesse mesmo intervalo de tempo, a produtividade média nas que se situa em cerca de 30% do total produzido. “Não vejo que do not see this could happen by expanding the production vol- lavouras de café subiu 47,28%, passando de 14,36 sacas para 21,15 isso possa ocorrer com a ampliação da produção pelo número de umes through a bigger number of coffee trees”, he observes. Mato Grosso 19.899 20.828 sacas por hectare. Esse resultado foi obtido em área em produção plantas”, observa. Alcântara entende que os produtores têm plenas Alcântara understands that the farmers stand every chance to Pará 10.448 10.185 5,63% menor. No ciclo 2001/02 eram 2,17 milhões de hectares, condições de aumentar a produtividade, com o uso de técnicas produce more per hectare, through the use of sustainable tech- Rio de Janeiro 12.864 13.242 enquanto na safra 2011/12 havia 2,05 milhões de hectares. A com- sustentáveis e melhorando os tratos culturais. Em seu entender, niques and cultural practices. In his view, the route to achieve Outros 23.300 22.883 paração entre o período 2002/03, quando houve a maior colheita o caminho para atingir o objetivo passa pelas boas práticas, pela this objective is linked to best practices, rural extension services Total 2.056.422 2.071.191 da história, com 48,8 milhões de sacas, e o ciclo 2012/13, que tem extensão rural e pelo processo de certificação. and the certification process. * Estimativa - Fonte: Conab16 17
  11. 11. Inor Ag. Assmann O ano de 2012 promete ser bom para os cafeicultores. Com os estoques CAFÉ COM em baixa, e com o consumo em alta, as cotações devem se manter remunerado- ras. Pelo menos até o mês de maio elas Ajudinha EXCELÊNCIA. estavam acima dos valores dos custos de produção, que variam de R$ 250,00 a R$ que vem 400,00 por saca, dependendo da região MAIS UMA e do sistema produtivo. Para que os pre- ços se mantivessem compensadores, o governo anunciou, em abril, a liberação DE NOSSAS de recursos para estocagem. bem No total, os produtores terão à disposi- ção R$ 4,5 bilhões, mais que o dobro dos ESPECIALIDADES. R$ 2 bilhões disponibilizados em 2011. Desse total, R$ 2,5 bilhões virão do Fundo de Defesa da Economia Cafeeira (Funcafé) e o restante dos bancos privados. O dire- tor do Departamento do Café do Ministé- Tecnologia e inovação. Esses são alguns dos diferenciais que fazem da IHARA uma referência rio da Agricultura, Pecuária e Abastecimen- na cultura do café, disponibilizando aos produtores soluções consagradas para o controle to (Mapa), Edilson Alcântara, explica que o objetivo é organizar o fluxo de comercia- de plantas daninhas e doenças na pré e pós florada. Tudo isso para que você possa colher Governo federal anuncia lização e, assim, evitar a depreciação dos maiores e melhores resultados, e produzir um café com a excelência que o mundo inteiro a liberação de R$ 4,5 preços. “Não significa não vender o café, reconhece ser a nossa especialidade. mas ter produto para abastecer o mercado bilhões para estocagem durante o ano todo”, observa. do café, como forma A expectativa era que os recursos, de regular o fluxo da aprovados pelo Conselho Deliberativo de Política Cafeeira (CDPC), estivessem comercialização disponíveis nos bancos na primeira quinzena de junho. Conforme Edilson Alcântara, o dinheiro seria suficiente para evitar que 11 milhões de sacas de café fossem despejadas no mercado, o equivalente a 25% do total da produção brasileira de arábica. “Essa é a forma de não derrubar os preços”, acredita. O diretor do Departamento de Café lembra que o Brasil é o maior produtor e exportador mundial de café. Por isso, en- fatiza ele, não faz sentido o País provocar a queda das cotações. “O produtor tem que aprender a não especular. É um aprendi- zado”, assinala, enfatizando que muitos www.ihara.com.br cafeicultores deixaram de vender café a R$ 540,00 pela saca, esperando para ver se a cotação chegaria a R$ 1.000,00. 18
  12. 12. Timely help Federal government announces R$ 4.5 TRATORES BF65 E BF75 billion grant for storing coffee, as a ALTO DESEMPENHO NA LAVOURA COM BAIXO CUSTO OPERACIONAL. manner the adjust the trade flow The year 2012 has it all to please the coffee farmers. With stocks low and consumption on the rise, prices should continue remunerating. At least up to the end of May, they were above production costs, which vary from R$ 250 to R$ 400 per sack, depending on the region and on the production system. For the prices to keep remunerating, the government an- nounced, in early April, huge financial grants for warehousing purposes. In all, the farmers will have access to a total of R$ 4.5 billion, more than twice as much as the R$ 2 billion available in 2011. Of this total, R$ 2.5 billion will come from the Coffee Economy De- fense Fund (Funcafé) and the rest from private banks. The Director of the Coffee Department at the Ministry of Agriculture, Livestock and Food Supply (MAPA), Edilson Alcântara, explains that the objective is to regulate the flow trade and, therefore, to prevent prices from plummeting. “It does not mean to refrain from selling coffee, because the idea is to keep the market supplied year round”, he observes. The expectation was for the grants approved by the Coffee Policy Deliberative Council (CDPC) to be available in the banks in the first weeks of June. According to Edilson Alcântara, it is enough money to prevent 11 million sacks of coffee from being dumped into the market, equivalent to 25% of the total Arabica coffee produced in Brazil. “This is how prices can be prevented from plummeting”, he believes. The Director of the Coffee Department re- A produção cafeeira do Brasil pode contar com a robustez e durabilidade calls that Brazil is the biggest coffee producer dos tratores Valtra BF65 e BF75. Equipamentos de grande confiabilidade and exporter in the world. This is why, he in- e baixo custo operacional que oferecem configurações diferentes, de sists, it makes no sense for the Country to press acordo com as necessidades do produtor. É possível escolher desde down prices. “Coffee farmers must learn how as 3 opções de caixa de câmbio, até os acessórios para melhorarInor Ag. Assmann not to speculate. It is a learning process”, he seu rendimento no campo. points out, emphasizing that lots of coffee farm- O nosso jeito é fazer do seu jeito. ers refused to sell their coffee for R$ 540 a sack in the hope to sell it for R$ 1,000. 20
  13. 13. Mais xícaras por dia Consumo de café aumenta a cada ano e registra novo recorde no Brasil, ao mesmoInor Ag. Assmann tempo em que cresce a qualidade do produto EXPRESSÃO As pesquisas existentes reforçam, da mesma for- ma, outros dados reveladores da expressão do pro- O consumo per capita de café no País apresentou novo recorde em duto na pauta de consumo do País. O café, por exem- 2011, mantendo uma linha ascendente de crescimento na demanda plo, é o alimento mais usado por 78% da população interna do produto, observada em fase mais recente. Em média, cada acima de 10 anos, conforme dados da Pesquisa de Orçamentos Familiares (POF), do Instituto Brasileiro habitante utilizou no ano 6,10 quilos de café em grão cru ou 4,88 qui- de Geografia e Estatística (IBGE), com índices mais los de café torrado, o que corresponde a quase 82 litros. Verificou-se in- elevados no Nordeste e no Sudeste. É também a se- cremento de 1,45% neste ítem, na comparação com o período anterior, gunda bebida com maior penetração no público aci- enquanto o consumo interno geral na área cresceu 3,11%. ma de 15 anos (Instituto Ivan Rossi). Fica atrás ape- O patamar mais elevado que havia sido alcançado até agora era o nas da água e coloca-se à frente dos refrigerantes. de 2011 (4,81 kg/h/a) e, antes, o de 1965 (4,72 kg/h/a). Houve um pe- O aumento da presença do café no dia a dia do con- ríodo de decréscimo no consumo, que voltou a reagir nos últimos 15 sumidor brasileiro é atribuído pela Abic à melhoria contí- anos, principalmente a partir da introdução de programas de qualifica- nua da qualidade do produto oferecido ao mercado, área onde a entidade tem vários programas. Além disso, num ção produtiva na última década; desde então, o crescimento tem sido campo onde a instituição também desenvolve ações de ininterrupto. De qualquer modo, ainda fica a uma boa distância dos divulgação, é entendida como importante a maior per- países campeões neste quesito (Finlândia, Noruega, Dinamarca), onde cepção dos seus benefícios para a saúde, ao ser tomado se chega próximo dos 13 kg/h/a. diariamente em doses moderadas (três a quatro xícaras A Associação Brasileira da Indústria do Café (Abic) constata que o brasi- ao dia). Tudo leva a valorizar cada vez mais o grão que há leiro passou novamente a tomar mais xícaras de café por dia, especialmen- muito tempo se identifica com o País. te fora do lar, onde o consumo cresceu 307% em oito anos, particularmen- te em padarias e ainda cafeterias, segmento em forte expansão. Também Em 2011, o brasileiro passou a diversificar a forma de saborear a bebida, incluindo os chamados espressos, cappucinos e outras combinações com leite. O segmento de consumiu em média perto de cafés finos e diferenciados vem apresentando taxas de crescimento entre cinco quilos de café torrado 15% e 20% ao ano. 22
  14. 14. cups Sílvio Ávila More Consumption of coffee per capita in the Country hit a new record in 2011, in line with a rising trend in domestic demand EXPRESSION for the product, which had its beginning in a recent period. On All existing research works strengthen, in turn, other re- a day vealing facts that attest to the expressive relevance of this average, every Brazilian citizen consumed 6.10 kilos of Green product on the Country’s consumption agenda. Coffee, for coffee beans, or 4.88 kilos of roasted coffee, which correspond example, is the most used beverage by 78% of the over-10- to almost 82 liters. It represents an increase of 1.45% on that year-olds, according to data from the Households Budget score, compared to the previous period, whilst domestic con- Surveys (HBS) of the Brazilian Institute of Geography and sumption in general soared 3.11%. Statistics (IBGE), with higher indices in the North and South- The highest average consumption level that has so far been east. It also ranks second as the most popular beverage with achieved was in 2011 (4.81 kg/person/year) and, in the past, it people over the age of 15 (Ivan Rossi Institute). It comes only was in 1965 (4.72 kg/person/year). Then came a period of fall- behind water, but is more consumed than soft drinks. The credit of the ever-increasing presence of coffee in ing consumption, but over the past 15 years the sector reacted the daily life of the Brazilian consumers goes to the continu- Consumption of coffee has been rising year after considerably, particularly after the introduction of production qualification programs over the past decade; since then, growth ous improvement of the quality of the beverage available year and hits new record in Brazil and, in the meantime, the has never been interrupted. Anyway, Brazil is still a long way in the market, an area where the entity is running several programs. Furthermore, in a field where the institution is quality of the beverage has also been enhancing from countries that are leaders on that score (Finland, Norway, Denmark), where it is close to 13 kg/person/year. also running publicity initiatives, the perception of its health related benefits is also a relevant ascertainment, if taken on The Brazilian Association of Coffee Industries (Abic) has as- a daily basis at moderate doses (three to four cups a day). certained that people in Brazil have again resumed their habits Everything seems to be adding more value to the bean that Inglês for years has been identified with the Country. of having several cups of coffee a day, especially when not at home, where consumption soared 307% in eight years, more precisely in baker’s shops and cafeterias, a segment now on In 2011, Brazilians the rise. The manner to savor the beverage has also changed, including the so-called espressos, cappuccinos and other com- consumed five kilos of binations with milk. The segment of fine and discerning coffees roasted coffee, on average has been expanding at a rate of 15% to 20% a year. EVOLUÇÃO PER CAPITA . Evolution Per Capita (Consumo café kg/hab/ano – Brasil) 2004 4,01 2005 4,11 2006 4,27 2007 4,42 2008 4,51 2009 4,65 2010 4,81 2011 4,88 Fonte: Abic24 25
  15. 15. To go down Em quase 300 anos de história do café no Brasil, de 128,31% na quantidade exportada e de 214,47% no foram somente os aperfeiçoamentos genéticos que pro- nunca o produto foi tão valorizado no mercado mundial faturamento. Já o arábica teve embarques 4,01% meno- porcionam aumentos consideráveis de produtividade, como em 2011. As exportações da commodity bateram res, mas com as cotações igualmente em alta, atingindo mas também a melhoria no manejo. inhistory recordes em volume e receita, com a comercialização de receita 52,78% maior sobre o desempenho de 2010. O Outro aspecto importante citado por Guilherme 33,45 milhões de sacas de 60 quilos, que resultaram em café industrializado (torrado e solúvel) teve pequeno Braga é a redução de custos e a maior eficiência na ex- faturamento de US$ 8,7 bilhões. Os números, divulgados aumento de 2,26% no volume enviado ao exterior, com portação, pois em torno de 50% das vendas estão sendo pelo Conselho dos Exportadores de Café do Brasil (Ce- crescimento de 25,66% no faturamento. feitas a granel. Os contêineres saem do armazém de ori- Café), confirmam aumento respectivo de 1,29% e 53,6% O bom resultado obtido em 2011 não foi um mero gem no Brasil e são entregues diretamente nos silos das em relação a 2010. O grão teve participação de 3,4% no golpe de sorte. Ele vem sendo preparado e buscado pelo indústrias no exterior. “As melhorias na logística são um total das vendas externas brasileiras e de 9,4% se for con- setor há vários anos. O diretor-geral do CeCafé, Guilher- fator que contribui para permitir que os preços internos, siderado apenas o comércio relativo ao agronegócio. me Braga, destaca que vêm ocorrendo muitos avanços recebidos pelo produtor brasileiro, exibam a mais alta Chama a atenção no relatório do CeCafé a grande na tecnologia de produção no Brasil, em grande parte porcentagem entre os demais cafeicultores, em relação valorização do conilon. A espécie registrou incremento em virtude da atuação da Embrapa Café. Lembra que não ao preço externo”, observa. Brazil hit a new record in exports Para ficar in 2011, a consequence of production efficiency, quality and logistics nahistória In a history of almost 300 years in Brazil, never has coffee been so highly valued as in 2011. Exports of the commodity hit records in volume and revenue, with a total of 33.45 million 60-kg sacks shipped abroad, bringing in revenue of US$ 8.7 billion. The numbers, released by the Brazilian Coffee Exporters Council (CeCafé), confirm the respective increase of 1.29% and 53.60%, compared to 2010. The share of the bean in all Brazilian shipments abroad reached 3.4% and 9.4% if only the agribusiness trade is considered. The high value fetched by conilon coffees is of note. This type of coffee increased its exports by 128.3% in quantity and 214.47% in revenue. Arabica coffee shipments were 4.01% down from the previous year, but its prices remained high, resulting into revenue up 52.78% from the performance in 2010. Industrialized coffee (roasted and soluble) went up slightly, by 2.26% in volume of shipments abroad, while revenue soared 25.66%. The good performance in 2010 was not just a stroke of luck. It has been prepared and sought after by the sector for years. The general director of CeCafé, Guilherme Braga, mentions that strides have been made towards production technologies in Brazil, mostly due to the efforts by Embrapa Coffee. He recalls that genetic enhancements cannot be credited as the only Brasil bateu o recorde nas exportações responsible factors for the considerable productivity rises, but management em 2011, patamar conquistado com eficiência practices had their participation too. Another important aspect cited by Guilherme Braga has to with the re- na produção, na qualidade e na logística duction of production costs and improved efficiency in export operations,Inor Ag. Assmann as 50% of all sales are now done in bulk. The containers leave the regions where coffee is produced for the silos and warehouses of the industries abroad. “Logistic improvements have given their contribution towards the good domestic prices, the highest among all other coffee producing coun- tries, compared to external prices”, he observes. O PAPEL DA QUALIDADE QUALITY’S ROLE Uma preocupação a mais dos produtores tem sido primar pela qualidade do grão vendido ao exterior. “O produto brasilei- An extra concern of the growers has been with regard to the quality of the beans sent abroad. “The Brazilian commodity ro vem ganhando participação crescente no comércio de cafés de alta qualidade, agregando valor e renda aos cafeicultores has been constantly increasing its share in the trade of high quality coffees, adding value and income to the product, and e permitindo acesso a todos os mercados, em benefício do volume e dos preços obtidos”, analisa o diretor-geral do CeCafé, paving the way for all markets, with bigger volumes and better prices”, analyzes CeCafé general director, Guilherme Braga. Guilherme Braga. Conforme ele, a estimativa é de que em 2011 cerca de 24% das exportações de café em grão, que totalizaram According to him, it is taken for granted that in 2011, 24% of all bean exports, totaling 30 million sacks, were discerning and 30 milhões de sacas, tenham sido de cafés diferenciados. high quality coffees. 26 27
  16. 16. Crise econômica deve fazer com que as exportações brasileiras encolham em 2012, mas nadaSílvio Ávila que abale a supremacia nesse mercado A crise econômica persiste e atinge justamente grandes merca- dita que ele deva continuar crescendo, mesmo em taxas mais dos consumidores de café, como os países da Europa, os Estados moderadas, ficando em cerca de 1,5% ao ano, o que significa Só um Unidos e o Japão. Por esse motivo, explica o diretor-geral do Conse- incremento de 3 milhões de sacas. Para ele, o mercado continua pouco lho dos Exportadores de Café do Brasil (CeCafé), Guilherme Braga, receptivo ao grão brasileiro. O Brasil exporta para 152 países, em 2012 as cotações internacionais do grão já recuaram 30% até nos quais se encontra em primeiro ou segundo lugares entre os abril e deve haver encolhimento do comércio, em relação a 2011. fornecedores. “A circunstância de que o Brasil é reconhecido, As estatísticas da entidade mostram bem esse cenário. Nos cada vez mais, como um país que produz em condições de sus- quatro primeiros meses de 2012 houve queda de 22% nos em- tentabilidade abre novas oportunidades de vendas”, evidencia. barques e de 14% na receita, em comparação com o mesmo A perspectiva de que o consumo atinja índices que a produção período de 2011. Já o preço médio pago pela saca, mesmo com não possa atender não preocupa o diretor-geral do CeCafé. Ele morno a queda em relação a dezembro de 2011, apresentou-se 10,2% lembra que os avanços conquistados nos últimos anos se deram superior ao praticado no mesmo intervalo de tempo no ano por aumento de produtividade na lavoura. “A média brasileira gira anterior, fechando em US$ 257,02. entre 22 e 26 sacas por hectare. Chegar a 30 sacas nas próximas Com relação ao consumo mundial, Guilherme Braga acre- safras me parece perfeitamente possível”, entende. Somewhat lukewarm Economic crisis is bound to press slightly down Brazilian coffee exports in 2012, but nothing to affect its leading position on that score The economic crisis persists, and hits mostly huge coffee con- maining at 1.5% a year, which translates into an extra three mil- sumer markets, like the countries in Europe, the United States and lion sacks. In his view, the market continues very favorable to the Japan. For this reason, explains the general director of the Brazil- Brazilian beans. Brazil exports to 152 countries, and in all of them ian Coffee Exporters Council (CeCafé), Guilherme Braga, in 2012 the Country ranks as first or second-biggest supplier. “The circum- the international prices of the bean had already receded 30% up stance that makes Brazil earn an ever-increasing recognition as a to April, while new trade shrinking is expected compared to 2011. country that produces coffee in compliance with sustainability The statistical figures of the entity present a good overview principles, paves the way for sales”, he comments. of this scenario. Over the first four months in 2012, shipments The perspective pointing to consumption rates that production abroad fell 22%, revenue went down 14%, from the same period volumes are unable to meet, does not worry the general director in 2011. The average price fetched by a sack of coffee, although of CeCafé. He recalls that the advances conquered over the past lower compared to December 2012, was up 10.2% from the same years stem from higher productivity rates at field level. The average period the previous year, reaching a total of US$ 257.02. in Brazil ranges at about 22 to 26 sacks per hectare. To reach 30 With regard to global consumption, Guilherme Braga believes sacks over the coming years seems to be perfectly possible”, he it will continue on the rise, although at more moderate rates, re- argues. 28 29
  17. 17. Sílvio Ávila Colhefort, tecnologia que revoluciona a colheita do café Eficiência que dá lucro Produtores de países que investem mais MELHOR EQUIPADOS A análise deixa claro que o preço elevado da commodity não é suficiente para bene- ficiar uniformemente todos os agricultores. “Um pequeno grupo de países produtores de arábica foi responsável pela maior parte na cafeicultura têm retorno maior dos recentes aumentos na produção, apesar de ter diferenciais de preço menores para na receita das exportações, e podem os seus cafés”, observa Carlos Henrique modernizar suas estruturas Brando. Entre as nações estudadas, Costa Rica apresentou a melhor relação entre os A transferência dos valores obtidos com as vendas externas de café para os preços médios e a produtividade, fazendo com que seus produtores tivessem a maior produtores não ocorre da mesma maneira nos principais fornecedores mun- renda bruta. diais do grão. A conclusão é de uma análise realizada pelo consultor Carlos O consultor destaca que os brasileiros ga- Henrique Brando, da P&A Marketing. Ele mostrou que a remuneração tem nham mais por hectare do que os produtores sido maior nos países que estão melhor posicionados no mercado e recente- da Colômbia e do Quênia, por exemplo, que mente tiveram aumentos de produção. têm preços de exportação mais elevados. A ARRUADOR CF-100 RECOLHEDORA CF-2000 No topo da lista estão Brasil e Vietnã, nações onde os produtores de café rece- explicação está na transferência de receita Excelente na preparação da colheita. O Arrua- Excelência na colheita de grãos do chão. A recolhedora bem entre 85% e 90% dos valores FOB das exportações. Os dois também possuem FOB. Brando enfatiza ainda que no Brasil dor CF - 100 recolhe de forma eficiente folhas, CF – 2000 possui um sistema de trilha do tipo FABI (Fluxo Axial a maior produtividade média na lavoura, em torno de 24 sacas por hectare. Nos de- as propriedades de cultivo de café chegam galhos e grãos juntos aos pés do cafeeiro. Os de Baixo Impacto) que reduz o atrito mecânico com o grão. As a ser de cinco a 10 vezes maiores do que grãos são arruados para colheita. folhas e galhos são devolvidos como adubo ao solo. mais, que possuem média de rendimento de 9 sacas por hectare, a transferência de as dos países citados. “Assim, eles ganham receita situa-se entre 25% e 30%. Na média mundial, essa relação entre o comércio muito mais e estão melhor equipados para internacional e a remuneração dos cafeicultores fica entre 65% e 70%. Brando lem- lidar com o aumento dos custos”, conclui. bra que alguns governos investiram na atividade, o que pode ter contribuído para De acordo com Carlos Brando, a maioria o aumento da renda do produtor. É o caso de Honduras, Peru, Etiópia e Indonésia. dos países terá que realizar iniciativas con- Criada em 2005 em Goiânia, a Colhefort é detentora de um elevado conhe- O consultor acredita que existe grande espaço para melhorar as condi- juntas e dividir esses custos, além de atin- cimento na fabricação de colheitadeiras por saber quais são as principais ções de vida dos cafeicultores em vários países. Para isso, é necessário que gir economias de escala, utilizando modelos necessidades do produtor rural e a realidade das lavouras. Hoje a Colhefort algumas barreiras sejam vencidas, tais como regulação do setor, tributação, existentes, como a formação de cooperativas se destaca por ser uma empresa voltada a fabricar e comercializar equipa- e associações. “Este é mais um desafio para ineficiência da cadeia, falta de conhecimento dos produtores sobre o preço e mentos agrícolas, aplicando alta tecnologia e inovação no atendimento de Estrada - C s/n Qd. 20 Lt. 17 Bairro Delta Village o agronegócio café”, prevê. a qualidade do grão cultivado e a infraestrutura inadequada. mercados tradicionais e inexplorados, satisfazendo produtores que investem Goiânia-GO / Fone: (62) 3573-6260 na busca de maior lucratividade no campo. www.colhefort.com.br 30
  18. 18. Sílvio Ávila Efficiency translates into profits Producers in countries that invest high in coffee farming yield bigger returns from exports, and can modernize their structures The transference of values obtained from coffee sales abroad to the producers does not occur in the same manner in the major global suppliers of the bean. The conclusion is drawn from an analysis conducted by consultant Carlos Henrique Brando, of P&A Market- ing. He showed that remuneration is higher in countries that are well positioned in the market and, recently, celebrated production increases. Brazil and Vietnam are on the top of the list, countries where coffee growers are entitled to 85% and 90% of the export FOB values. These two countries are also leaders in average productivity rates, about 24 sacks per hectare. In all other countries, revenue transference ranges from 25% to 30%. In terms of global average, this relation between international trade and coffee grower remuneration lies somewhere between 65% and 70%. Brando recalls that some countries have invested in the activity, which might have contributed towards better profits for the growers. This is the case of Honduras, Peru, Ethiopia and Indonesia. The consultant believes that there is much room for improving the living conditions of the coffee farmers in several countries. To this end, there is need to surmount some barri- ers, such as, regulation of the sector, taxation, the chain’s lack of efficiency, ignorance of the growers regarding prices and bean quality questions and inadequate infrastructure. PROPERLY EQUIPPED The analysis leaves it clear that higher prices for the commodity is not enough for benefiting the growers uniformly. “A small number of Arabica coffee producing countries was responsible for most of the recent higher production volumes, although fetching smaller prices for their coffees”, observes Carlos Henrique Brando. Among the nations studied, Costa Rica presented the best relation between average prices and productivity, providing higher remuneration to the growers of that country. The consultant also stresses that the Brazilian farmers make more money per hectare compared to the farmers in Colombia and Kenya, for example, where export prices are higher. The explanation lies in the FOB value transfer- ence. Brando also refers to the fact that in Brazil most coffee farms are up to ten times bigger than in the above mentioned countries. “Therefore, they rake in more Money and are better equipped to deal with rising production costs”, he concludes. According to Carlos Brando, most of these countries will have to conduct joint initiatives and split these costs, besides going for economies of scale, resorting to existing models, like the cooperative and association systems. “This is just one more challenge for the coffee agribusiness”, he comments. 32

×