• Share
  • Email
  • Embed
  • Like
  • Save
  • Private Content
8 00 ConsóRcio E Cafeicutura Familiar, PoçOs De Caldas 2009.Ppt
 

8 00 ConsóRcio E Cafeicutura Familiar, PoçOs De Caldas 2009.Ppt

on

  • 1,997 views

 

Statistics

Views

Total Views
1,997
Views on SlideShare
1,995
Embed Views
2

Actions

Likes
0
Downloads
35
Comments
0

1 Embed 2

http://www.slideshare.net 2

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Microsoft PowerPoint

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

    8 00 ConsóRcio E Cafeicutura Familiar, PoçOs De Caldas 2009.Ppt 8 00 ConsóRcio E Cafeicutura Familiar, PoçOs De Caldas 2009.Ppt Presentation Transcript

    • Simpósio de Cafeicultura Familiar
      Poços de Caldas
      14 a 16 de outubro de 2009
      O CONSÓRCIO BRASILEIRO DE PESQUISA E DESENVOLVIMENTO DO CAFÉ E A
      CAFEICULTURA FAMILIAR
      Carlos Henrique S. Carvalho
      Embrapa Café/Fundação Procafé
      carlos.carvalho@embrapa.br
    • Antecedentes....
      Até 1990: Programa de pesquisaem café era coordenadopeloInstitutoBrasileiro do Café - IBC
      Início da década de 1990
      Esforço para a criação de um novo modelo para apoiar e organizar a pesquisa cafeeira
    • 1997: Criado o ConsórcioBrasileiro de Pesquisa e Desenvolvimento do Café
      Missão: Executar o ProgramaNacional de Pesquisa e Desenvolvimento do Café – PNP&D/Café
    • Fase 1 – 1998 a 2002
    • Núcleos de referência
      Agroclimatologia e Fisiologia do cafeeiro
      1
      Biotecnologia aplicada à cadeia agroindustrial do café
      2
      Cafeicultura irrigada
      3
      Colheita, pós colheita e qualidade do café
      4
      Difusão e transferência de tecnologia
      5
      Doenças e nematóides do cafeeiro
      6
      Genética e melhoramento do cafeeiro
      7
      Industrialização e qualidade do café
      8
      Manejo da lavoura cafeeira
      9
      Pragas do cafeeiro
      10
      Sócioeconomia, mercados e qualidade total na cadeia agroindustrial do café
      11
      Solos e nutrição do cafeeiro
      12
    • Subprojetos
      Subprojeto
      Projeto
      • Disciplinar
      • Monoinstitucional
      • Até 2001
      Inicialmente: PNP&D/Café: “Conjunto dos programas estaduais de geração e transferência de tecnologia”.
    • Fase 2 – 2002 a 2004
    • Diretrizes e Focos Temáticos
      Geração de conhecimentos estratégicos
      • Ampliação da base do conhecimento
      Geração de informações e tecnologias
      • Agregação de qualidade ao produto
      • Alternativas para cafeicultura familiar
      • Aperfeiçoamento dos processos industriais e novos produtos a base de café
      • Café e saúde
      • Cafeicultura irrigada
      • Diagnóstico e informação para formulação de estratégias e políticas
      • Melhoria dos processos de colheita e pós-colheita
      • Organização do conhecimento e da documentação cafeeira
      • Otimização dos sistemas de cultivo
      • Preservação ambiental e desenvolvimento econômico e social
      • Projeto de apoio ao desenvolvimento institucional (PADI)‏
      • Riscos físicos, químicos e biológicos à cafeicultura
      • Sistemas agroecológicos ou orgânicos
      • Usos alternativos para resíduos e subprodutos do café
      Comunicação técnico-científica
      • Difusão e transferência de tecnologias, conhecimentos e informações
    • ESQUEMA DE FUNCIONAMENTO DOS FOCOS TEMÁTICOS
      Café e Coração
      PROJETO TEMÁTICO 1
      SUB 4
      SUB 1
      SUB 3
      SUB 2
      Qualidades preventivasdo Café
      Café na Merenda Escolar
      PROJETO TEMÁTICO 6
      PROJETO TEMÁTICO 2
      SUB 1
      SUB 5
      SUB 1
      SUB 3
      FOCO
      Café&Saúde
      SUB 4
      SUB 2
      SUB 2
      SUB 3
      PROJETO TEMÁTICO 3
      PROJETO TEMÁTICO 5
      SUB 4
      SUB 1
      SUB 2
      SUB 3
      SUB 2
      SUB 1
      Benefícios à Saúde
      PROJETO TEMÁTICO 4
      Composição do Café
      SUB 2
      SUB 1
      Dosagens do consumo de Café e seusimpactospotenciais
    • Fase 3 – 2004 a 2008
    • Plano de ação 3
      Plano de ação 4
      Plano de ação 1
      Plano de ação 2
      Projeto e Plano de Ação
      • Multi, Interdisciplinar
      • Multiinstitucional
      • Componentetécnico
      • Componente de gestão
      Hoje:PNP&D/Café:Focostemáticos de abrangêncianacional / regional
    • Plano de ação 5
      Plano de ação 4
      Plano de ação 1
      Plano de ação 2
      Plano de ação 3
      Gestão
      Projeto
      Subprojetos
    • Foco Temático
      Nº de projetos
      2007-2008
      Administração e desenvolvimento institucional - PADI
      5
      Agregação de qualidade ao produto
      3
      AlternativasparaCafeicultura Familiar
      4
      Ampliação da base de conhecimento
      28
      Aperfeiçoamento dos Processos Industriais e Novos Produtos à Base de Café
      5
      Café e Saúde
      4
      Cafeicultura Irrigada
      11
      Difusão e Transferência de tecnologias, conhecimentos e informações
      9
      Melhoria dos processos de colheita e dapós-colheita
      1
      Otimização dos Sistemas de Cultivo
      13
      Preservação Ambiental e Desenvolvimento Econômico e Social
      6
      Riscos Físicos, Químicos e Biológicos à Cafeicultura
      24
      SistemasAgroecológicosouOrgânicos
      8
      Usos alternativos para resíduos e subprodutos do café
      3
      Total
      124
    • Fase 4 – 2009 ……
    • Desafios
      Competitividade
      Inovação x Informação
      Diversidade
      Qualidade
      Certificação e Segurança
      Sanidade e Rastreabilidade
      Meio Ambiente
      Saúde
      Equidade
    • Construção das Linhas Temáticas
      Prospecção AMBIENTE INTERNO/EXTERNO
      ESTUDOS, CENÁRIOS, DEMANDAS DO GOVERNO,
      SETORIAIS, REGIONAIS
      Objetivos
      Estratégicos
      CBP&D
      Novas Demandas
      Agenda Estratégica
      Focos Temáticos
      Linhas Temáticas
      IDENTIFICADAS
    • Sistema de Indução
      “Chamada de Projetos”
      • Edital anual
      • 12 milhões de reais
      Sistema de Articulação
    • CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO
      • Qualidade Técnica
      • Ganho Potencial do Projeto: grau de contribuição do projeto seja para o avanço do conhecimento científico, seja para objetivos de competitividade, eficiência, qualidade, inclusão social e sustentabilidade ambiental, de clientes e beneficiários dos resultados do projeto.
      • avanço técnico-científico: quando se espera que os resultados do projeto sejam avanços na fronteira do conhecimento em uma área específica
      • clientes e beneficiários: quando se espera que os resultados do projeto sejam tecnologias (processos e produtos) aplicados à solução de problemas sociais, econômicos e ambientais, relacionados ao agronegócio.
    • CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO
      • Risco:
      - grau de probabilidade de o projeto ser interrompido ou não chegar a bom termo, devido a pioneirismo do tema de pesquisa; complexidade do problema de pesquisa; dependência de competências escassas no mercado ou sujeitas a alta mobilidade; dependência de recursos financeiros elevados; confiabilidade de instituições patrocinadoras; complexidade de coordenação exigida, outros fatores de risco
      • Alinhamento Estratégico:
      - A decisão do mérito estratégico levará em consideração a contribuição para o cumprimento das metas regionais, institucionais e objetivos do CBP&D/Café e da Agenda Estratégica do Agronegócio Café.
    • Acompanhamento e Avaliação
      Seleção
      Relatório Técnico Andamento(Anual)
      Relatório Final
      TT & Inovação
    • Projetos ou Planos de Ação financiados pelo Consórcio no foco temático Alternativas para Cafeicultura Familiar
      • Validação e difusão de cultivares de café com resistência à ferrugem
      • Zona da Mata de Minas Gerais
      • Alto Paraíso, Goiás
      • Redução do uso de agrotóxicos
      • Redução do custo de produção
      • Utilização em cultivo orgânico
      Cultivar Suscetível
      Cultivar Resistente
    • Projetos ou Planos de Ação financiados pelo Consórcio no foco temático Alternativas para a Cafeicultura Familiar
      • Irrigação: proposta para estabilização de renda no modelo de agricultura familiar (Zona da Mata de Minas Gerais)
      • Transferência de tecnologia
      • Melhoria de qualidade
      • Colheita e pós-colheita
      • Manejo
      • Custo de produção
      • Cafeicultura orgânica
      • Utilização de cultivares tradicionais e de novas cultivares adaptadas à região
    • Projetos ou Planos de Ação financiados pelo Consórcio no foco temático Alternativas para a Cafeicultura Familiar
      • Caracterização socioeconômica do município de alto Paraíso de Goiás
      • Início do cultivo de café no século XVIII
      • Predominância de propriedades familiares
    • Projetos ou Planos de Ação financiados pelo Consórcio no foco temático Alternativas para a Cafeicultura Familiar
      • Seleção e caracterização de resíduos e materiais orgânicos para adubação de cafeeiros
      • Visa a condução de sistemas orgânicos
      • Caracterização química e molecular de cultivares antigas
    • Tecnologias geradas ou em desenvolvimento pelo
      CBP&D/Café
    • CULTIVARES MELHORADAS
      MAPA/Procafé
      Acauã
      Arara
      Catucaí Amarelo
      Catucaí Vermelho
      IBC Palma 1
      IBC Palma 2
      Sabiá Tardio
      Katipó
      Saíra
      EPAMIG/UFLA/UFV
      Araponga
      Catiguá MG 1, 2, 3, 4
      Oeiras
      Paraíso
      Pau-Brasil
      Sacramento
      IAPAR
      IAPAR 59
      IPR 98
      IPR 99
      IPR 102
      IPR 103
      IAC
      Obatã Amarelo
      Obatã Vermelho
      Tupi
      Tupi Amarelo
      Tupi RN
      Conilon Vitória
      Oeiras
      IPR 103
      Paraíso
    • Acauã
      IBC-Palma 2
      Catuaí
      Acauã
    • Catiguá MG 3
      CATIGUÁ MG 1, 2 e 3
      Porte baixo e
      frutos uva (MG 2)
    • TRAVESSIA
      TUPI
      OBATÃ
      Sabiá Tardio
      Catucaí Amarelo 2SL
    • Cultivares resistentes a NEMATÓIDES
      IPR106
      IPR100
      Testemunha
    • Cultivares Clonais de Café Conilon
      O programa de seleção de plantas matrizes foi iniciado em 1985.
      • Em 1992, oito anos após, foram lançadas as primeiras cultivares clonais.
      • EMCAPA 8111 (Maturação precoce) – 1992
      • EMCAPA 8121 (Maturação média) – 1992
      • EMCAPA 8131 (Maturação tardia) – 1992
      • Robustão 8141 (Robustão Capixaba , tolerante à seca) – 1999
      • Conilon Vitória – 2004
    • Seleção de plantas matrizes de café arábica visando a
      propagação de clones
      Plantas selecionadas da população Siriema
    • Siriema
      Siriema
      Catuaí
      Clone Siriema com resistência ao bicho-mineiro e à ferrugem
      Catuaí
    • Produção de mudas clonais de café
      Indução de calos
      Explantes foliares
      Calos embriogênicos
      Folha no
      laboratório
      Crescimento em meio líquido
      Embriões
      pré-germinados
      Mudas clonais
      Regeneração
      em Biorreator
      Planta matriz
    • Sistemas de podas e condução de lavouras
    • SETEMBRO 2008
      JULHO 2009
      Esqueletamento
      Decote
    • IRRIGAÇÃO
      Aspersão por malha
      Gotejamento
    • PósColheita
      Rodo Secador
      Terreiro Secador
      Fornalha a carvão
    • Cadastramentoporimagens
      Levantamento do ParqueCafeeiro
    • CONSORCIAÇÃO DE CULTIVOS
    • ARBORIZAÇÃO/ CONSORCIAÇÃO
    • Água Residuária
    • Biotecnologia
      • Cerca de 30.000 genes sequenciados
      • Análise funcional
    • IDENTIFICAÇÃO DE FRAUDES EM CAFÉ TORRADO E MOÍDO ATRAVÉS DE PROCESSAMENTO
      DIGITAL DE IMAGENS
      50% Cascas e Paus
    • Língua eletrônica
      Nariz Eletrônico
    • Café e Saúde
    • Transferência de Tecnologia
    • Zoneamento Agroclimático para o café
    • Cultivo irrigado com estresse controlado, Bonfinópolis - MG
      Foto: Guerra, A. F. - Embrapa Cerrados
    • ESTAÇÃO DE AVISOS FITOSSANITÁRIOS
    • LOCAIS:
      Varginha Altitude: 940m
      Carmo de Minas Altitude: 1080m
      Boa Esperança Altitude: 780m
      Carmo de Minas
    • BOLETIM DE AVISOS FITOSSANITÁRIOS
      ALERTA GERAL
      • Atenção especial à Phoma, deve-se efetuar o controle caso seja necessário, principalmente em lavouras com potencial produtivo pendente e histórico da doença.
      - Armazenamento de água satisfatório em Varginha e Carmo de Minas. As chuvas ocorridas em setembro foram satisfatórias superando a evapotranspiração, dispensando a suplementação de
      água via irrigação.
    • MONITORAMENTO DE PROBLEMAS
      Grãos mal formados e grãos negros
    • Café adensado: Produtividade de 7 para 28,9 sacas/ha
      Foto: Androcioli Filho, A., IAPAR
    • Distribuição das raízes em cafeeiros adensados
      0,25m
      0,75m
    • 0m
      Distribuição das raízes em
      cafeeiros de 4 anos
      1m
      2m
      0,3m
    • Teor de K no perfil do solo
      Profundidade (cm)
    • 13 cm
      10 mL
      21 cm
      13 cm
      20 cm
      200 mL água + 5 mL detergente
      • Broca do Café
      MONITORAMENTO
      Armadilha IAPAR
      Modelo artesanal para captura de fêmeas em fase de agregação
      Atrativo de Agregação:
      750 mL Metanol + 250 mL Álcool + 5 mL Óleo de café ou 6 g de Café Solúvel (2 colheres de sopa rasa), coada e sem resíduos, no frasco com orifício de 2 mm na tampa
      Recomendação:
      25 armadilhas/ha, distanciadas de 20 metros e fixadas a 1,2 m do solo, em estacas.
      IAPAR, Londrina, PR, (43) 3376-2000
    • OBRIGADO !