• Like
  • Save
Especial de Trânsito - 25 de setembro
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

Especial de Trânsito - 25 de setembro

on

  • 849 views

Confira o sexto caderno especial do Fórum Desafios para o Trânsito do Amanhã. Dessa vez, a reportagem discute os problemas das motos

Confira o sexto caderno especial do Fórum Desafios para o Trânsito do Amanhã. Dessa vez, a reportagem discute os problemas das motos

Statistics

Views

Total Views
849
Views on SlideShare
849
Embed Views
0

Actions

Likes
1
Downloads
14
Comments
0

0 Embeds 0

No embeds

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Adobe PDF

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

    Especial de Trânsito - 25 de setembro Especial de Trânsito - 25 de setembro Document Transcript

    • GREG/DPCADERNOESPECIALDOMINGORecife, 25 de setembro de 2011 DIARIOdeP E R N A M B U C O Motos: contra a barbárie, a educação As mortes no trânsito provocadas por acidentes de motos em A explosão do aumento na forta não veio acompanhada de sandoaofereceralternativasdereciclagemparaumadireçãose-Pernambuco são uma das faces mais cruéis da explosão do au- um aspecto fundamental: a formação dos condutores. Os pró- gura. Eles também chamam atenção da responsabilidade dosmento da frota, que vem crescendo mais de 300% a cada dé- priosmotociclistasadmitemafragilidade dapreparaçãoeotes- fabricantes em relação aos equipamentos de segurança.cada. E a quantidade de mortes já chegou a números alarman- te do Detran não é suficiente para medir a habilidade. O resul- NasextaediçãodoFórumDesafiosparaoTrânsitodoAma-tes. No ano de 2010 foram registradas 571 mortes, uma média tado pode ser visto nas ruas com motociclistas mal preparados nhã, promovido pelos Diários Associados, as motos foram o te- nhã,de 1,5 por dia. No mesmo ano, a frota alcançou 639 mil motos. eimprudentese,oqueépior,transformadosemarmasletaiscon- madadiscussão.Paratentarreverteroquadro,ogovernodoes-Na década de 1990, a diferença entre carros e motos era de tra eles mesmos e terceiros. Mesmo sem a exigência da lei, os tadoinstituiuoComitêdePrevençãodeAcidentesdeMoto,com90%, hoje já reduziu essa distância para cerca de 30%. próprios motociclistas estão se organizando em clubes e pas- a meta de reduzir pela metade as mortes em até 10 anos. EXPEDIENTE: Diretora de redação: Vera Ogando Textos: Tânia Passos Edição: Lydia Barros Edição de fotografia: Heitor Cunha Edição de arte: Christiano Mascaro
    • 2 especial DIARIOd e P E R N A M B U C O - Recife, domingo, 25 de setembro d de 2011 desafios para o trânsito do amanhãFOTOS: TERESA MAIA/DP/D.A PRESS Adrenilson Gonzaga sofreu uma fratura na perna, foi operado e deve ficar um bom tempo no hospital A sorte dos sobreviventes Ediclei dos Santos da Silva ficou dois meses em coma Motos ganham Na Traumatologia do HR, mais de 80% dos internados são vítimas de acidentes de motos. Recuperação costuma ser longa e incerta espaço nas vias Em 1990, Pernambuco tinha bus, vou perder muito tempo”, A emergência da trau- uma frota de apenas 33.381 mo- revelou o motociclista Rozano matologia do Hospi- tos. Dez anos depois houve um Gomes, 39 anos. A expectativa tal da Restauração salto para 144.804, um aumen- da melhora do transporter pú- está quase sendo to de 334%. Era o início de uma blico deve vir com os investi- chamada de emergência de trau- explosão no consumo, que en- mentos para a Copa de 2014. O mas de moto. Mais de 80% dos controu terreno em duas con- estado, o município e o governo atendimentos são de vítimas de junturas: a facilidade na compra federal anunciaram investimen- acidente de motocicleta, que ocu- do veículo com prestações a per- tos na ordem de R$ 1,3 bilhão na pam praticamente todos os lei- der de vista e a corrida para es- infraestrutura viária de trans- tos, todos os dias. Na última se- capar do transporte público a porte, que inclui corredores ex- gunda-feira, o Diario foi conhe- qualquer preço. Não deu outra. clusivos, paradas em nível, ho- cer as histórias dessas pessoas, ví- De 2000 a 2010, houve mais ra de chegada e partida e, de timas do mesmo tipo de trau- 341% de aumento da frota que quebra, a implantação do proje- ma, e que passaram a dividir passou, no ano passado, para to de navegabilidade para a par- suas dores, suas esperanças e ex- 639.404 motos. te Oeste da cidade. pectativas enquanto se recupe- A cada ano, o acréscimo sur- “Não estamos defendendo que ram em uma cama de hospital. Internado há oito meses, José Romariz perdeu a perna depois de passar por seis cirurgias preende. De 2008 para 2009 hou- as pessoas deixem de comprar ve um aumento de 83.096 novas carro ou moto. Mas esses podem Apesar das pai de quatro filhos, ele e a mu- coma e teve perda temporária motos. De 2009 a 2010 esse au- e devem ter outra utilidade, co- sequelas, muitos lher costumavam usar a moto co- mo meio de transporte . “Perdi a da memória. Internado desde o dia 1º de agosto, está quase re- + saibamais mento chegou a 99.020 e a ten- dência é aumentar ainda mais. mo por exemplo o lazer. Nas ati- vidades do dia a dia, o transpor- perna, mas mesmo se não tives- cuperado. Só continua preso à Radiografia Apesar de ser um veículo peque- te público deve ser prioridade e acidentados se perdido não iria mais usar mo- cama devido a uma fratura na dos acidentes no de fácil locomoção, a moto com qualidade”, declarou o pre- voltam a pilotar to. Minha esposa também não perna e outra no braço. “Só é o de moto em PE chega a ocupar 4 vezes mais es- sidente do Fórum Desafios para quer mais. Foi preciso isso acon- tempo de sair daqui para subir paço que o ônibus nas vias. o Trânsito do Amanhã, o enge- Há oito meses internado, o ex- tecer para gente entender que o risco é muito grande e eu pode- na moto. Na minha opinião, é o melhor meio de transporte e de 8.700 Para ser controlada, essa “epi- demia” deve seguir alguns ca- nheiro Laédson Bezerra. O outro viés é o da educação e fiscaliza- atendimentos em 2010 motociclista José Romariz Rêgo, ria ter morrido”, afirmou. trabalho. Não tem outro”, afir- minhos. O primeiro é a melho- ção. “Nós vamos direcionar as 42 anos, assiste à chegada de no- vos pacientes. Alguns conse- Nem todas as vítimas de aci- dente de moto pensam assim. O mou Ediclei. Se depender da mãe, ele terá que procurar outra 571 mortes ria do transporte público. A mo- to ou o carro não podem ganhar ações do comitê de Prevenção de Acidentes em dois pilares: edu- guem ter alta antes dele. José sofreu um acidente no dia 28 de mototaxista de profissão Adre- nílson Ramos Gonzaga, 26 anos, profissão. “Não quero que ele volte a andar de moto. Muita 30% para o ônibus ou o metrô. “Na moto eu chego mais rápido ao cação no trânsito e fiscalização”, detalhou João Veiga, coordena- das vítimas apresentavam janeiro deste ano, na Muribeca, foi internado no HR no dia 30 de gente está morrendo”, revelou sinais de embriaguez trabalho. Se for depender do ôni- dor do comitê estadual. em Jaboatão dos Guararapes. Ele agosto deste ano. Ele sofreu fra- Maria de Fátima dos Santos Ne- havia pego carona na moto de um amigo e viu quando um car- tura na perna, foi operado e de- verá ficar um bom tempo inter- vez, 45 anos. Cirurgião há 21 anos do Hos- 70% não eram habilitadas Evolução da frota de motos em PE ro entrou na contramão e atin- nado. “Uma moto bateu de fren- pital da Restauração, o médico 701.139 motos giu os dois em cheio. Desde que foi internado, ele já passou por te com a minha. Eu desmaiei e acordei no hospital. Mas ainda João Veiga, atual coordenador do Comitê de Prevenção de Aci- 11% (até o mês de agosto) das vítimas ficaram mutiladas 639.406 seis cirurgias, mas acabou per- acho a moto um meio de trans- dente de Motos, diz que já per- motos dendo a perna esquerda. A am- putação havia ocorrido quinze porte seguro. O motoqueiro que bateu em mim estava bêbado. deu as contas de quantas vezes teve que comunicar a um pai ou 20% dos atropelamentos de dias antes de nossa chegada ao Quando eu sair daqui volto a pi- uma mãe a morte do filho, víti- pedestres nas calçadas são hospital. O ex-motociclista esta- lotar”, disse. ma de acidente de moto. “A gen- por motociclistas va conformado, mas inseguro Tamanha disposição também te faz de tudo para salvar e, quan- quanto ao futuro. “Eles fizeram de tudo para sal- pode ser vista no motoqueiro Ediclei dos Santos da Silva, 25 do não consegue, chega o pior momento de dar a notícia. Hoje 77% 33.381 motos 144.804 dos acidentes deixam motos var a minha perna, mas não teve anos, que sobreviveu a um aci- me recuso a fazer isso. Designei os pacientes em estado jeito. O importante é que estou dente por quase milagre. A mo- essa função a um residente. Já muito grave 1990 2000 2010 2011 aqui. Muitos morrem no aciden- to de Ediclei também se chocou dei minha contribuição por 21 te. Só não sei como será minha vi- com outra. O outro piloto mor- anos. Tenho filhos adolescentes da daqui para frente”. Casado e reu. Ele passou dois meses em e me coloco na posição dos pais”. Fonte: João Veiga, em pesquisa no HR Fonte: Detran - PE
    • DIARIOd e P E R N A M B U C O - Recife, domingo, 25 de setembro de 2011 d especial 3 desafios para o trânsito do amanhã ALEXANDRE GONDIM/DP/D.A PRESS - 03/07/2008entrevista >> Moacir Alberto Paes“Não há estudosobre a causa dosacidentes no país” JULIO JACOBINA /DP/ D.A PRESS Vilã ou vítima? Estigmatizada, em função da quantidade de vítimas no trânsito, a moto vem se transformando em alvo fá- cil de críticas. Mas a Associação Brasileira dos Fabricantes de Motos (Abraciclo) questiona a ausência de um estudo da causa dos acidentes. De fato não existe. Também não há ho- je um padrão de fiscalização que seja capaz de identificar as condições do veículo e do condutor. Na entrevista abaixo, o diretor executivo da Abraciclo, Moacir Alberto Paes, fala so- bre o que poderia ser melhorado na fiscalização e capacita- ção. Há muito o que ser feito e os fabricantes também preci- sam ser chamados para fazer a parte deles. Diretor da Abraciclo critica a falta de um padrão na fiscalização de veículos e condutores “ O senhor concorda com a te- hora de tirar a carteira de ha- Na sua opinião, a fiscaliza- rar a qualidade e os acessó- Nós estamos abertos a colaborar se de que a moto é a grande bitação? ção precisaria ser mais rigo- rios serem obrigatórios no no que for possível. E já fizemos vilã no trânsito? Há uma grande lacuna na capa- rosa? ato da venda do produto. algumas iniciativas por conta pró- E ela é? Porque não há nenhum citação. O que importa é passar no Sim. Quando há um acidente en- É preciso que tenha uma regula- pria, inclusive com a realização de Quando há um estudo de causa dos acidentes teste do Detran. Tem uma piada volvendo moto ninguém investi- mentação sobre isso, uma vez mutirão para fiscalizar as condi- no Brasil. Não sabemos ao certo conhecida que diz que basta saber ga se a moto estava com defeito. que não é permitida a venda ca- ções das motos. Foram observa- acidente com dos 21 itens de manutenção em se a responsabilidade é do con- fazer o oito para passar no teste. Em alguns casos é possível iden- sada. E não é certeza se fosse ofe- moto ninguém dutor ou do veículo, ou ainda de E isso, claro, não mede a capaci- tificar se o condutor estava ou recido um capacete básico jun- alguns estados brasileiros. Aqui, terceiros. Um buraco na pista, dade do condutor. Em São Paulo, não alcoolizado, mas a moto não to com a moto, se o motociclis- por exemplo foi observado que se investiga se por exemplo, pode ser um cau- por exemplo, não sei aqui, mas lá é fiscalizada. ta iria utilizar. quebra mais a coroa e a corrente. ela estava sador de acidente. tem motociclista que altera a mo- Não sabemos ao certo a razão, que to para que ela acelere mais e en- Em relação aos itens de se- De que forma os fabricantes precisa ser melhor investigada. com defeito” O motociclista brasileiro é tão fica mais fácil de passar no gurança da moto, os fabri- podem colaborar na redu- Em São Paulo são os freios que preparado o suficiente na teste da rampa. cantes não poderiam melho- ção dos acidentes? são mais danificados. Q U E M D I R I G E E M A LTA V E LO C I DA D E S Ó A P R E S S A N O T Í C I A R U I M . Todo motorista, passageiro ou pedestre têm direito ao seguro DPVAT, mas a gente prefere que você nunca precise DPVA usá-lo. Por isso, seja responsável no trânsito. Não beba se for dirigir. Não trafegue em alta velocidade, nem muito próximo ao veículo da frente. E, se chover, já sabe: cuidado redobrado. A vida agradece. chover, redobrado. Use o seu seguro DPVAT sem intermediários: 0800 022 12 04 ou www.dpvatseguro.com.br DPVAT. O SEGURO DO TRÂNSITO. Administradora do Seguro DPVAT
    • 4 especial DIARIOd e P E R N A M B U C O - Recife, domingo, 25 de setembro de 2011 d desafios para o trânsito do amanhãCondutores malpreparados e a falta + saibamaisde equipamentos de Dicas de como pilotarsegurança nas motos com segurança:reforçam as estatísticas Não passe em alta velocidade entre os carros. NumaA epidemia social resul- emergência, você pode precisar tante do crescimen- frear rápido. E frear acima dos to da frota de motos 30 Km/h entre os carros pode no estado respinga ser muito difícilresponsabilidade para todos os la- A velocidade boa é poucodos. Não há um único culpado. O acima da velocidade dos carros.efeito dominó tem raízes que se Se eles estiverem parados oiniciam desde a ausência de uma perigo é dobradoformação adequada dos conduto- Os motoristas podem abrir ares, da não disponibilização, pe- porta do carro, colocar o braçolos fabricantes, dos equipamen- para fora, ou uma criança podetos de segurança e da falta de res- colocar a cabeça para foraponsabilidade de motociclistas,motoristas e pedestres. Cuidado ao passar ao lado de A resolução nº 356/2010 do Con- ônibus parados. Algumselho Nacional de Trânsito (Con- motorista pode passar pelatran) define os requisitos de se- frente dele tentando atravessargurança, por exemplo, para moto- a rua e dar de cara com vocêfrete e mototáxi: protetor de per- Se você se desequilibrar entrenas e motor, aparador de linha um carro e um ônibus, opte por(corta-pipa), faixas refletivas e di- ef letiv se encostar no ônibus. Ele temmensões das cargas e alça para a superfície mais lisa e poucosapoio dos passageiros, entre ou- Tragédia em pontos para prender sua mototros. A resolução, no entanto, não É mais fácil “rolar” por baixoaponta até onde vai a responsabi- de um ônibus do que de umlidade do fabricante. “Os itens de carrosegurança da moto eram para virjunto com a moto. Ninguém com- Observe os retrovisores. Sepra um carro faltando o cinto de entortar o restrovisor de umsegurança. A nossa legislação é carro, pare e arrume. Se efeito dominóomissa na hora de chamar os fa- quebrar, seja honesto e paguebricantes à responsabilidade”, cri- Não tire “onda” com a caraticou o motociclista e conselhei- dos motoristas presos noro de segurança do Clube Bodes engarrafamento. Eles comdo Asfalto, Aílton Martins Cezar. certeza já estão muito A crítica de quem está numa revoltados por estaremguerra diária no trânsito é tam- presos no trânsitobém em relação à falta de forma- Não pare para discutir. Nãoção dos condutores. E nesse que- FOTOS: TERESA MAIA/DP/D.A. PRESS vale a pena jogar fora seusito a lacuna é talvez a mais da- ca sobre os motociclistas na Câ- nidade de se repensar a forma- tempo em discussões que nãonosa, uma vez que traz conse- mara de Vereadores. ção dos condutores. “O estado trazem benefício algumquências, em geral, irreversíveis A educação no trânsito é um precisa fiscalizar e tornar obriga-para o próprio condutor ou tercei- dos pilares do Comitê Estadual tória uma formação mais com- A velocidade no trânsitoros. “Ninguém aprende a condu- de Prevenção de Acidentes. Se- pleta para os condutores. Não depende muito da capacidadezir nos cursos das autoescolas. A gundo o coordenador e médico adianta criar metas de redução de frenagem da sua moto, e dapessoa aprende apenas a passar João Veiga, será feito um traba- da mortalidade se não se comba- sua habilidade, que você comoe as autoridades sabem disso e lho junto às escolas. “Somente es- ter a raiz do problema”, ressal- bom motociclista, devenão fazem nada para mudar”, te ano, nós teremos 60 escolas tou. E a raiz pode ser o próprio conhecer e reconhecer sempreafirmou Aílton Cezar. E ele não que irão adotar a disciplina de condutor. “Eu costumo dizer que Não pare a moto em cimaé o único. O próprio diretor de educação no trânsito, mas a pro- a moto sozinha não oferece ne- da faixa de pedestre. Vocêfiscalização do Detran, Sérgio posta é ampliar para todos os ní- nhum risco. Mas uma moto com se arrisca a ganhar umaLins, admite que a formação não veis de ensino”, revelou. um condutor mal capacitado é multa e não ganha maisé suficiente. “São escolas de ha- Dentro do tema de educação, tão perigosa quanto uma arma tempo com issobilitação. Não de formação”, reve- o motociclista Aílton Martins Ce- carregada”, comparou Moacir Al- O certo é parar longe dolou durante uma audiência públi- zar acredita que é uma oportu- berto Paes, da Abraciclo. Em 20 anos, frota de motos no estado cresceu 600% sinal (semáforo). Isso também evita a situação desagradávelDesafio para todos do motor morrer na frente de todo mundo À noite é recomendável não parar “em cima” do sinal. Os assaltos acontecem O aumento da frota de motos Qual a parte que cabe a cada veículos menores e ao pedestre. nestes pontosno estado cresceu mais de 600% um de nós? Do estado, a capacita- O pedestre também precisa sa- Se a a rua tiver pouconas duas últimas décadas. É o ção dos condutores, a educação ber ocupar o seu espaço no trân- movimento, é melhor avançar osegundo tipo de veículo em da disciplina trânsito na rede es- sito e isso significa usar a faixa e sinal do que ficar parado. Claro,maior número no estado. Só per- colar e, ainda, a fiscalização. A os passeios. “Precisamos fazer um olhando antes de avançarde, por enquanto, para o carro. parte que cabe aos condutores é pi- trabalho de base. Há registro de Fique atento ao retrovisor.Uma diferença de menos de 30%. lotar com responsabilidade, parti- que 20% dos atropelamentos de Caso veja uma moto com doisEm 1990, essa diferença era de cipar dos cursos de capacitação, pedestres nas calçadas são feitos ocupantes se aproximando,quase 90%. “As motos vieram pa- entender a lógica da direção defen- por motociclistas. Ninguém está deixe a moto engrenada (aliás,ra ficar. É preciso saber conviver siva e saber se comportar no trân- respeitando o espaço de ninguém deixe sempre engrenada) ecom elas e cada um deve fazer a sito em meio a uma selva de car- e é claro que isso não pode con- prepare-se para acelerarsua parte”, afirma o conselheiro ros. Aos motoristas, a responsabi- tinuar assim”, ressaltou João Vei-de segurança do clube Bodes do lidade no trânsito requer também ga, do Comitê Estadual de Pre- Fonte: Motoclube Bodes da EstradaAsfalto, Aílton Martins Cezar. um detalhe básico de respeito aos venção de Acidentes. Diferença entre o número de carros e motos é de 30% (www.bodesdaestrada.com.br)
    • DIARIOd e P E R N A M B U C O - Recife, domingo, 25 de setembro de 2011 d especial 5 desafios para o trânsito do amanhãBasta fazer o oito… LAIS TELLES/ESP. DP/D.A PRESSCom cinco aulaspráticas e o testede condução noDetran, pode-se tirar ahabilitação para motoU ma das maiores críti- cas em relação à for- mação dos motociclis- tas pelas autoescolas ecentros de formação de condutor,para quem vai tirar a carteira dehabilitação para moto, é quanto aotipo de curso que é oferecido. Ameta é deixar o aluno pronto pa-ra o teste do Detran, mas não ne-cessariamente saber conduzir comsegurança no trânsito. “É costume dizer que basta sa-ber fazer o oito com a moto, queo candidato passa no teste”, de-clarou o presidente da AssociaçãoBrasileira dos Fabricantes de Mo-to (Abraciclo), Moacir Alberto Paes.Com 15 aulas práticas em umaautoescola, Andréa Sales, 28 anos,conseguiu tirar a carteira de ha-bilitação para as categorias A e B,respectivamente, carro e moto.Nova resoluçãodo Contran devemelhor níveldos instrutores Cerca de 70% dos candidatos são aprovados no exame, que consiste de desafios de equilíbrio, como curvas, zigue-zagues e subidas em rampas Reaprendendo LAIS TELLES/ESP. DP/D.A PRESS Das quinze aulas obrigatórias,10 ficaram para o carro e cinco com perfeição. Com a moto é a mesma coisa. A prática ensina”, + saibamaispara aprender a pilotar moto. E afirmou Tenório. a pilotarela não teve dificuldade para pas- Se depender do que diz a reso- Você sabe quantossar. Não é um caso isolado. Dos lução do Contran, no caso de mu- tipos de condução de200 exames realizados por dia no dança de classificação, isto é, de motos existem?Detran-PE, cerca de 70% são apro- quem já dirige e vai tirar a cartei-vados. Para o teste da moto, o de- ra para moto, as aulas teóricas Condução Urbana: De volta à sala de aula. O mo- pilotar com segurança”, afirmousafio é fazer o oito, três curvas à não são obrigatórias desde 1998. No trânsito urbano tociclista Everton dos Reis, 27 o instrutor que não teve autori-direita e três à esquerda, um zi- Mas, nesse aspecto, há chances de das cidades anos, pilota moto há dois anos, zação para dar entrevista.gue-zague em dois cones e a subi- melhora. Uma nova portaria do mas teve que se submeter a um Ele faz simulações de frenagem Nos fins de semanada na prancha acelerando sem Contran vai entrar em vigor em curso oferecido pelo Centro de com a moto para mostrar como odesequilibrar. “Não me sinto pron- fevereiro de 2012. Trata-se da re- Lazer Treinamento da Companhia de veículo se comporta em diferen-ta para as ruas. O aprendizado vai solução nº 321/2012, que prevê Engenharia de Tráfego de São tes velocidades e condições do pi-ser na prática”, admitiu Andréa. reavaliação dos instrutores e exa- Condução em BRs: Paulo (CET), que ensina motoci- so. Outro ponto insistentemente Os cursos oferecidos nas escolas minadores dos testes. Andrea tem a carteira, clistas, já habilitados, a enfrentar repetido é quanto a obrigatorieda- Viagense centros de formação estão de A expectativa é de que o nível mas não se sente segura com segurança o trânsito de São de do uso da viseira. “Os motoci-acordo com a resolução nº dos instrutores e examidores pas- TANIA PASSOS/DP/D. A PRESS Paulo. A exigência foi da empre- clistas chegam aqui com muitos168/2004 do Contran. Segundo o se a ser top de linha. “O Detran Condução Off-Road: sa onde ele trabalha. “A firma vícios”, revelou a gestora de educa-coordenador de educação de trân- de Pernambuco está entre os seis Trafegar em terrenos não mandou que todos os emprega- ção da CET, Irismar Menezes.sito do Detran/PE, Marcelo Tenório, detrans do Brasil que vão apli- pavimentados dos que usam a moto como meio No Recife, cursos do gênero sãoas cinco aulas oferecidas são sufi- car a nova resolução. Até o fim de transporte fizessem o curso oferecidos pelo Sesc/Senat e o cen-centes para preparar o aluno. “Pi- do ano, vamos implementar exa- de formação da CET. Aqui estou tro de treinamento de motos da Condução Esportiva:lotar é uma questão intuitiva. O mes para instrutores e examina- reaprendendo a me comportar Honda, em parceria com os clubescurso é suficiente se o instrutor dores”, detalhou Marcelo Tenó- Off-Road no trânsito”, contou. de moto. “Basta o motociclista sepreparar bem o aluno”. rio, que integra o Comitê Esta- (Trilha, enduro, em Um dos ensinamentos do cur- associar a um dos clubes que te- A segurança do coordenador de dual de Prevenção de Acidentes competição de motocros) so é em relação à frenagem. A rá acesso gratuito. Depois da ex-trânsito do Detran não parece con- com Motos. Segundo ele, quem Autódromos moto tem três tipos de freios: periência, a maioria reconhecedizer com o que acontece na prá- não passar no teste e for reinci- (Tracky Days, competições) dianteiro, traseiro e o freio mo- que não sabia pilotar”, contou Aíl-tica. Basta olhar para as estatísti- dente perderá a licença para ser Exibições tor. O instrutor da CET é categó- to Cezar, do Motoclube Bodes dacas dos acidentes. Um total de 8,7 instrutor. Isso dificilmente ocor- (Stunt Bikes, Manobras, rico no primeiro dia de aula. “Es- Estrada. “Infelizmente a procuramil atendimentos com vítimas de rerá. Afinal, se um instrutor não Acrobracias, Arena Cross) queçam tudo o que vocês apren- pelos cursos ainda é muito peque-acidentes de moto em 2010. “Nin- consegue passar em um teste, Motociclistas chegam ao deram para fazer o teste do De- na”, revelou Lúcia Recena, gesto-guém começa a dirigir um carro não precisa dizer mais nada. CET com muitos vícios Fonte: Motoclube Bodes da Estrada tran. Aqui vocês vão aprender a ra do trânsito em Jaboatão.
    • 6 especial DIARIOd e P E R N A M B U C O - Recife, domingo, 25 de setembro de 2011 d