• Share
  • Email
  • Embed
  • Like
  • Save
  • Private Content
Desafios Para o Trânsito do Amanhã
 

Desafios Para o Trânsito do Amanhã

on

  • 1,883 views

Especial 'Desafios Para o Trânsito do Amanhã', da repórter Tânia Passos, para o Diario de Pernambuco, publicado em 10 cadernos durante o ano de 2011.

Especial 'Desafios Para o Trânsito do Amanhã', da repórter Tânia Passos, para o Diario de Pernambuco, publicado em 10 cadernos durante o ano de 2011.

Statistics

Views

Total Views
1,883
Views on SlideShare
1,883
Embed Views
0

Actions

Likes
0
Downloads
50
Comments
0

0 Embeds 0

No embeds

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Adobe PDF

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

    Desafios Para o Trânsito do Amanhã Desafios Para o Trânsito do Amanhã Document Transcript

    • EDVALDO RODRIGUES/DP/D.A PRESSCADERNOESPECIALDOMINGORecife, 1º de maio de 2011 DIARIOdeP E R N A M B U C O PDesafios para otrânsito do amanhã“Em 1990, Pernambuco tinha uma frota de 390 mil veículos. Em 2002, alcançou a marca de um milhão de carros. E comemorou. Em menos de 10 anos quase duplicamos essa frota eagora corremos o risco de sofrer”. O depoimento do presidente do Fórum Desafios para o Trânsito do Amanhã, Laédson Bezerra, promovido pelos Diários Associados em Pernambuco, éum retrato dos desafios que todos nós temos pela frente. O que fazer diante de um cenário de catástrofe iminente? O fórum terá 10 edições até o fim do ano. Na sua primeira edição, naúltima quarta-feira, teve como tema as rodovias federais. Neste caderno especial, aprofundamos as questões levantadas durante o encontro. Ao final das edições, as propostasapresentadas vão ser reunidas em um documento para ser entregue às autoridades. A ideia é que cada um possa contribuir com propostas para a melhoria do trânsito. As grandesintervenções viárias, que estão em curso, dentro da infraestrutura para a Copa de 2014, são importantes, mas é preciso também desenvolver em cada um a atitude cidadã e a cultura dobem. Evitar fechar os cruzamentos, não estacionar em locais impróprios, obedecer à sinalização, descobrir as vantagens de ser educado também no trânsito. Então, sejam bem-vindos! EXPEDIENTE: Diretora de redação: Vera Ogando.Textos: Daniel Alves e Tânia Passos Edição: Jaqueline Andrade Edição de fotografia: Heitor Cunha. Design: Jaíne Cintra e Kelen Linck
    • 2 especial DIARIOd e P E R N A M B U C O - Recife, domingo, 1º de maio de 2011 d desafios para o trânsito do amanhã CECILIA DE SA PEREIRA/DP/D.A PRESS O excesso de peso dos caminhões é apontado como um dos vilões para a degradação da BR-101 Sul. Na foto abaixo, posto de pesagem abandonado em Moreno, na RMR Privatizar é a saída para as BRs? EDVALDO RODRIGUES/DP/D.A PRESSJULIO JACOBINA/DP/D.A PRESS Especialistas debateram sobre os problemas das rodovias Tema polêmico foi rodovias federais. Mas, afinal, pri- discutido na primeira vatizar as estradas é a solução? O tema polêmico trouxe à tona edição do fórum sobre a situação atual da BR-232. E a trânsito dos Diários pergunta que se faz é se ela tives- Associados em PE se sido privatizada após a sua du- plicação em 2002, estaria nas con- J á não nos contentamos dições em que se encontra hoje? com um pavimento de Menos de 10 anos depois da sua qualquer jeito. É preciso duplicação, a BR-232 apresenta que as vias funcionem como um problemas de drenagem, buracos tapete: boa pavimentação, sinali- em vários trechos, placas trinca- zação e segurança para trafegar. das, acostamentos ruins e sinali- da. Se ela não fosse privatizada pacto, o professor explica que to- na década de 1970 em Igarassu, É pedir muito? Até bem pouco zação deficiente. Pelo menos 18 também pagaríamos pela manu- das as equações feitas por insti- Moreno e Ribeirão não funcio- ! depoimentos tempo conviver com as rodovias pontos críticos foram identifica- tenção dela”, afirmou. tuições internacionais sobre o efei- nam há mais de 20 anos. No pos- em péssimas condições parecia dos pelo Departamento Estadual Na opinião de Maurício Pina, o to da carga no pavimento estima to da balança de Moreno, as ins- fazer parte da “normalidade”, mas de Estradas e Rodagens (DER). estado tem pelo menos duas ro- que para cada 10% do excesso de talações foram ocupadas por famí- já não é mais assim. Hoje, perce- Para o engenheiro e professor dovias federais em condições de peso, aumenta o efeito elevado à lias de sem-teto. De acordo com o be-se que pagamos um preço alto das universidades Federal e Ca- serem privatizadas: as BRs 232 e quarta potência. “É um impacto superintendente de operações do por serviços ruins e ninguém gos- tólica de Pernambuco, Maurício 101. “A demanda das duas vias de 46% a mais do suportável em Departamento Nacional de In- ta disso. Não por acaso, a privati- Pina, um dos palestrantes do fó- justificaria uma privatização uma tificaria cima do pavimento. Então, uma fraestrutura e Transporte (Dnit), zação das rodovias voltou ao cen- rum, essa é uma decisão que a so- vez que são rodovias que recebem rodovia que duraria 10 anos, só Emerson Valgueiro, após as obras “ tro das discussões. O assunto foi ciedade terá que tomar. “Nin- um volume de tráfego muito dura metade”, explicou. de requalificação das BRs 232 e Os exemplos de melhoria um dos temas levantados no Fó- guém gosta de pagar a mais por grande e a maioria de cargas pe- No caso das estradas federais 101, os postos serão reativados. que temos pelo Brasil rum Desafios do Trânsito do Ama- Desafios um serviço que é obrigação do es- sadas vindas de outros estados que cortam o estado a fiscalização fiscalização “Temos seis unidades móveis de apontam para a conveniência nhã, promovido pelos Diários As- tado. Mas quem paga mais usa que danificam o pavimento”, ex- do excesso de carga praticamen- balança e duas fixas no interior. desse mecanismo. As 10 melhores sociados em Pernambuco, que mais. A Ponte Rio/Niterói é pri- plicou o professor. te não existe. Na Região Metropo- Vamos reativar os equipamentos rodovias federais do país têm o trouxe em sua primeira edição as vatizada e nós não pagamos na- Para se ter uma ideia desse im- litana, as três balanças instaladas na RMR”, disse. pedágio. Além disso, paga-se por algo que está se usando. Diferente ALCIONE FERREIRA/DP/D.A PRESS de quando pagamos através dos Pedágio na impostos, que temos descontos sem mesmo usar” ● César Cavalcanti - chefe do Ponte do Paiva Departamento de Arquitetura e Urbanismo (UFPE) A única via privatizada no es- gada, no município de Jaboatão tado é a do sistema viário do Pai- dos Guararapes. va. O sistema tem início a partir Os motoristas de veículos pas- da ponte que atravessa o Rio Ja- seio pagam R$ 3,70 nos dias úteis boatão com 320 metros de ex- e R$ 5,50 nos fins de semana e fe- tensão. A via litorânea tem 6,2 riados. Outros veículos com até quilômetros de extensão e é com- 5 toneladas terão tarifa específi- “ posta de canteiro central, ciclo- ca. O sistema começou a funcio- No momento em que se via, passeio, iluminação com ca- nar no dia 11 de junho de 2010, Único exemplo de via privatizada no estado, fluxo de veículos já superou as previsões privatiza e se angaria beamento subterrâneo, passare- já com a cobrança do pedágio. recursos para manter a rodovia la para pedestres, ciclovia e mi- Segundo os estudos de fluxo de f lux novo sistema viário para o desen- bilidade de privatização da BR- tarifa da Ponte do Paiva é mais em bom estado, acho uma coisa rantes. Conta ainda com duas tráfego, a estimativa para o pri- volvimento da região”, ressaltou 232. De acordo com o engenhei- alta porque eles executaram a boa. Porém, antes de fazer isso, praças de pedágio posicionadas meiro ano de funcionamento era Ivan Moraes, gerente de opera- ro Maurício Pina, que partici- obra e estão retirando do pedá- precisamos de mais estudos para nos extremos do sistema viário, de cerca de 1.800 veículos por ções da Rota dos Coqueiros. pou do estudo, o valor da tarifa gio os recursos para cobrir as não cometermos equívocos” sendo uma em Itapuama, no mu- dia. Hoje o f luxo é de mais de 3 flux Em 2004, a Secretaria de In- do pedágio estimada na época despesas. Na BR-232, o pedágio ● Simírames Queiroz - nicípio do Cabo de Santo Agos- mil veículos/dia. “Esse resultado fraestrutura de Pernambuco che- era de R$ 1,50. “Acho que o va- seria apenas para a manuten- presidente do Conselho tinho, e outra em Barra de Jan- só confirma a importância desse gou a elaborar um estudo de via- lor não seria muito diferente. A ção”, explicou. Estadual de Trânsito
    • DIARIOd e P E R N A M B U C O - Recife, domingo, 1º de maio de 2011 d especial 3 desafios para o trânsito do amanhã JULIO JACOBINA /DP/ D.A PRESSentrevista >> Maurício Pina“Devemos discutir sobrea privatização da 232” Mestre em engenharia civil com especialização na área de transporte, o professor da UFPE e daUnicap Maurício Pina foi um dos palestrantes da 1ª edição do Fórum Desafios para o Trânsito doAmanhã. Pina dedica-se aos estudos do setor há mais de 36 anos. Depois de tanto tempo acom-panhando o assunto na academia e na prática, o doutorando em engenharia civil é um dos pou-cos nomes no Recife indicado para falar sobre um dos maiores problemas das cidades brasilei-ras: o trânsito. Em entrevista ao Diario, ele deu sua opinião sobre questões polêmicas como pri-vatização das estradas, o crescimentos anual dos acidentes e Copa do Mundo.Seria viável a privatização tos: um em Igarassu, que nunca acidentes. Ninguém diz que ade estradas como a BR-232, funcionou; outro em Moreno e rodovia estava em péssimo esta-por exemplo? mais um em Ribeirão, todos ina- do e que o motorista precisou “Sim. Os investimentos para man- tivos. Esses dois últimos foram desviar de um buraco e tal fatoter essa rodovia são elevados. desativados em 1998 porque hou- causou o acidente.Atualmente, as demandas sociais ve uma greve de caminhoneirosestão muito grandes. Educação, na época e o sindicato deles co- O que o senhor acha dos in-saúde e segurança cada vez mais locou como exigência ao gover- vestimentos na infraestru-consomem volumes maiores de no o fechamento desses postos de tura viária para a Copa dorecursos. As pessoas tendem a pesagem. Desde então, não há Mundo? Discordoreclamar que seria mais uma coi- fiscalização. Com isso, um pavi- Discordo muito quando as pes-sa para se pagar, mas é justo. Só mento que era para durar dez soas dizem que temos que me- quando falampaga quem usa, quem não usa anos, com cinco se acaba. lhorar o trânsito por causa da Co-não paga. Está na hora de abrir- pa. Sou radicalmente contra essa que temos quemos essa discussão sobre a BR- As estradas mal conserva- afirmativa. Sabe por quê? Esta- melhorar o232. Há 9 anos ela foi duplicada das contribuem para aciden- mos em uma situação de totale consome cada vez mais recur- tes? caos no trânsito da cidade. Não trânsito porsos e precisamos de uma defini- Em 2005, tivemos 3.969 aciden- podemos dizer que vamos melho-ção da fonte para isso. tes. Em 2010, foram mais de rar em razão da Copa. Devemos causa da Copa. 6.700. Algo em torno de 90% de melhorar porque precisamos. Cla- DevemosO excesso de peso dos cami- crescimento em cinco anos. Te- ro que eu entendo que o eventonhões é um dos principais mos que levar em consideração é uma oportunidade de captar melhorardestruidores das rodovias. três elementos que provocam o recursos para isso. Afinal, serãoAs regras de pesagem esti- acidente: o homem, a via e o veí- investimentos de grande porte. porque estápuladas para esses veículos culo. Boa parte é causada pelo Barcelona é um grande exemplo ser humano, por imprudência, pois, na Olimpíada de 1992, mu- um caos”são cumpridas?O que se fiscaliza aqui nas rodo- álcool com direção. No entanto, dou a estrutura e se transformouvias federais em Pernambuco é nas estatísticas nunca aparecem em uma nova cidade. Os equipa- Maurício Pina, professor equase nada. Tínhamos três pos- as vias como provocadoras de mentos ficaram. especialista em trânsito
    • 4 especial DIARIOd e P E R N A M B U C O - Recife, domingo, 1º de maio de 2011 d desafios para o trânsito do amanhã RICARDO FERNANDES/DP/D.A PRESS EDVALDO RODRIGUES/DP/D.A PRESSRodovia Acesso à Cidadedo Jeans da Copa O futuro da realização daduplicada Copa do Mundo em Pernam- buco passa pelas obras de du- plicação da BR-408. Parece exa- gero, mas não é. A pista é o principal acesso à Cidade da Copa. Afinal, ela é ligada aoPrimeira etapa da obra o município de Caruaru aos esta- principal corredor viário dofoi entregue há duas dos da Paraíba e Alagoas. Um dos estado, interagindo com a BR- palestrantes do Fórum Desafios 232, o Terminal Integrado desemanas. Até o final do para o Trânsito do Amanhã, o en- Passageiros (TIP) e com o sis-ano, será concluída genheiro e superintendente de tema metroviário metropoli- Operações do Departamento Na- tano, além de permitir a co-A principal via de acesso cional de Infraestrutura de Trans- nexão com a BR-101, no Reci- aos polos têxteis do porte (Dnit), Emerson Valgueiro, fe. Apesar de ter começado a Agreste do estado, a BR- informou que 58% das obras estão obra de duplicação no mes-104, também conhecida como Ro- concluídas. “Estamos adiantados. mo período da BR-104, em ou-dovia das “Confecções” ou do A nossa previsão é entregar tudo tubro de 2009, a BR-408 só“Jeans”, já teve a primeira etapa até o fim do ano”, informou. concluiu aproximadamentedas obras de duplicação finaliza- Essa BR representa para os mu- 27% das suas obras. Duranteda há duas semanas. Foram en- nicípios da região uma das mais o Fórum no Diario de Per-tregues pelo governo do estado importantes vias de escoamento nambuco foi discutida a ne-21,4 quilômetros, do total de 51,7 dos seus produtos, o que deverá, cessidade de mais rapidez naquilômetros. A BR corta os muni- com o fim das obras, beneficiar No alto, duplicação do viaduto em Caruaru. Acima, na 408, facilidade para a Copa duplicação dessa rodovia.cípios de Carua- aproximada- A BR-408 é uma das quatroru, Santa Cruz Hoje, via tem fluxo mente um mi- rodovias federais que estãodo Capibaribe eToritama. O res- diário de 15 mil lhão de pes- soas. A via tam- + saibamais tendo as obras executadas pe- lo estado, mas parte dos re-tante da obra, bém exerce BR-104 Após duplicação Investimento cursos é da União. O enge-iniciada em ju- veículos. Meta é um papel fun- nheiro e superintendente denho de 2009, chegar a 25 mildeverá ser fina- damental no aumento do Total de quilômetros 49 mil veículos/ dia R$ 120 milhões Operações do Dnit, Emerson Valgueiro, que acompanha os duplicadoslizado até o fim turismo e do Trecho e obras prontas Média de carros/dia trabalhos, informou que a pre-deste ano. Atualmente, essa rodo- intercâmbio comercial e cultural visão de conclusão da BR-408via recebe cerca de 15 mil veícu- entre as cidades vizinhas.los diariamente. Em um dia de O trecho da obra já concluído 51,7 21,4 km 15 mil é para maio de 2012, mas re- velou que os trabalhos preci- (58% concluído)sulanca, o fluxo chega a 25 mil veí- flux vai da saída de Caruaru até o en- Início da obra Após duplicação sarão ser agilizados.culos. Duplicada, a pista suporta- troncamento da PE-145, no aces- “Devemos dar maior anda- 30 mil Investimento Junho de 2009rá 49 mil veículos/dia. A obra es- so a Fazenda Nova. O restante do mento. Essa via é importantís-tá orçada em R$ 319 milhões. Mes- trajeto até o distrito de Pão demo sendo uma via de escoamen- Açúcar, em Taquaritinga do Nor- R$ 319 milhões Previsão de finalização sima não só para a Copa de 2014, mas também para a mo- Final de 2011 Início da obrato no Agreste, não levantou ne- te, segue em andamento. Dois via- Atualmente: Média Outubro 2009 bilidade do nosso trânsito”,nhum tipo de discussão sobre pri- dutos também já foram entre- de carros/dia BR-408 disse Valgueiro. A duplicaçãovatização. gues. “A duplicação dará outra vi- Previsão de finalização da rodovia vai beneficiar os A rodovia faz a interligação dos da ao tráfego dessa importantepolos comerciais do Agreste, sen- rodovia. Os viadutos também evi- 20 mil Quilômetros duplicados Maio de 2012 municípios de Recife, Jaboa- tão dos Guararapes e Nazarédo importante por cortar o esta- tarão os semáforos”, afirmou ado no sentido Norte/Sul, ligando presidente do DER-PE, Éryka Luna. Éryka 19,7 km (27% concluídos) Fonte: DER-PE da Mata (RMR) e Carpina, na Zona da Mata Norte.
    • DIARIOd e P E R N A M B U C O - Recife, domingo, 1º de maio de 2011 d especial 5 desafios para o trânsito do amanhã RICARDO FERNANDES/DP/D.A PRESSOrçada em R$ 450milhões, requalificaçãoda BR-101 inclui viapara coletivos notrecho urbanoA obra de requalificação da 4ª perimetral, no tre- cho urbano da BR-101,também chamado de contornodo Recife, está orçada em R$ 450milhões. O trecho de 42km vai re-ceber um corredor exclusivo deônibus nos padrões do BRT (Trans-porte Rápido por Ônibus). O cor-redor de ônibus sairá do quilôme-tro 41, em Igarassu, e se estende-rá até o km 83, em Prazeres, Jaboa-tão dos Guararapes. De acordocom a Secretaria de Transportesdo estado, a licitação do projetoexecutivo será aberta no dia 10de maio e a expectativa é que atésetembro seja dado início à licita-ção da obra, a partir do projeto bá-sico. A meta é deixar pronta a 4ªperimetral até 2013. Com um tráfego de 35 mil a55 mil veículos, o trecho do con-torno do Recife é um dos maisproblemáticos. Além do tráfegointenso, a via se encontra em pés-simo estado de conservação. Em Um corredor para ônibusvários trechos o pavimento apre-senta fissuras e trincas. A manu-tenção ocasional da operação ta-pa-buraco é um paliativo que sópiora quando os buracos voltama abrir. A sinalização é precária GOVERDO DO ESTADO DE PE/DIVULGAÇÃOe o canteiro central é muitas ve-zes usado como ponto de retor- + saibamaisno irregular. BR 101 (4ª perimetral ) Pelo projeto da Secretaria deTransportes de Pernambuco, a ro-dovia terá o pavimento requalifi-cado ao longo do contorno em R$ 450 milhões é o custo estimadocerca de 40 km. O canteiro central para a obraserá usado para implantação dasestações de embarque no padrãodo BRT: pagamento antecipado eembarque no nível da porta de 2 viadutos serão construídos paraentrada, a exemplo do metrô. No implantação do corredor BRTpercurso será implantado aindaum elevado nas proximidades dareitoria da UFPE até a BR -232. Com a implantação de uma fai- 1 elevado será implantado entre axa exclusiva para ônibus, a via reitoria da UFPE e a BR 232será alargada. Além da faixa doônibus haverá outras três faixaspara os veículos. O projeto tam- 42 kmbém prevê dois viadutos: um so- será o trecho do corredor dobre o viaduto da Caxangá e ou- BRT de Igarassu a Jaboatãotro próximo ao Posto da Polícia dos GuararapesRodoviária Federal nas imedia-ções do Colégio Militar. Corredor que deixará o trânsito fluir sairá de Igarassu e seguirá até Prazeres, em Jaboatão dos Guararapes BR 232 2002Os problemas estruturais da 232 Conclusão da duplicação R$ 500 mi custo de execução da obra O custo da obra de recuperação também havia apontado proble- feitos os reparos, mas isso nunca (DER), Éryka Luna, foram identi- As obras de recuperação serãoda BR-232 está estimado em R$ mas estruturais na via. De acordo ocorreu e os problemas se agrava- ficados 18 pontos críticos da rodo- ficados realizadas da saída do Recife até100 milhões. A rodovia apresentaproblemas estruturais, que já ha- com o superintende de operações do Dnit, Emerson Valgueiro, por ram”, afirmou Emerson Valguei- ro. As obras de recuperação da BR via. Segundo ela, o maior proble- ma é de drenagem. “Estamos fa- Caruaru (um trecho de 130 km). A estimativa é que a obra, previs- R$ 100 mi custo da requalificaçãoviam sido identificados em 2004 causa disso o órgão não oficializou oficializou 232 estão dentro do cronograma zendo obras emergenciais de ma- ta para ser iniciada em 2012 sejaem um relatório feito pelo Depar- o recebimento da rodovia federal da Secretaria de Transportes de nutenção, mas o problema maior realizada até 24 meses. “Depoistamento Nacional de Infraestru-tura e Transporte (Dnit). Outro re- que havia sido entregue ao estado para as obras de duplicação. Pernambuco. De acordo com a presidente do Departamento Es- de drenagem só será resolvido com a recuperação da via que vai da recuperação, o estado vai ten- tar receber os recursos que foram 2012 Previsão do início das obraslatório feito por técnicos da USP, “Nós pedimos para que fossem tadual de Estradas e Rodagens ser licitada neste mês”, apontou. investidos”, afirmou Éryka Luna. de restauração
    • SILVINO/DPCADERNOESPECIALDOMINGORecife, 22 de maio de 2011 DIARIOdeP E R N A M B U C O PIntegração é senhapara a mobilidadeNenhum tipo de mobilidade é capaz de funcionar de forma isolada. São rodovias que se integram ao cotidiano das cidades. São cidades que também dependem de sua própriacapacidade de se integrar, movimentar ou parar. Não são apenas os transportes de massa que são essenciais. Todas as formas de mobilidade são bem-vindas. A rodovia que divideespaço com o ciclista de forma segura. O ciclista que sabe o seu lugar e o pedestre, até então sem vez, sem passeios, que descobre que tem direito ao seu espaço. O trânsito que teremosamanhã depende de cada um de nós, mas também das políticas públicas. Na segunda edição do Fórum Desafios para o Trânsito do Amanhã, promovido pelos Diários Associados,mostramos que a mudança do olhar redesenha um novo mapa viário para o estado e recria possibilidades. Descobrimos também que a iniciativa privada tem um papel fundamental nodesenvolvimento por meio das Parcerias Público-Privadas (PPPs) e, sobretudo, que a Copa do Mundo não se resumirá a três jogos, mas deixará para nós um dos maiores legados nainfraestrutura viária. Nunca se investiu tanto na mobilidade de uma única vez. Lições que caminham juntas: investimentos, políticas públicas e cidadania. Já não era sem tempo. EXPEDIENTE : Diretora de redação: Vera Ogando.Textos: Daniel Leal e Tânia Passos Edição: Lydia Barros Edição de fotografia: Heitor Cunha. Design: Moacyr Campelo
    • 2 especial DIARIOd e P E R N A M B U C O - Recife, domingo, 22 de maio de 2011 d desafios para o trânsito do amanhã BR EDITORIA DE ARTE/DP BR 101 316 BR AFOGADOS DA AFOGADOS DA BR INGAZEIRA INGAZEIRA 116 104 BR PE- 320 PE- 320 PE- 292 PE- 292 408 CARPINA BR OURICURI SALGUEIRO ALGUEIRO PE- PE- 390 PE- PE- 280 232 SERRA TALHADA TALHADA RECIFE RECIFE PE- PE- 265 PE- PE- 604 2 CARUARU ARUARU VITÓRIA DE SANTO ANTÃO ANTO 3 1 ARC ARCOVERDE PE- PE- 360 PE- PE- 126 PALMARES ALMARES PE- 177 PE- 177 PE- PE- 555 GARANHUNS BR 428 BR PETROLINA PETROLINA polos econômicos Confecção Confecção e turismo 423 Apicultura ges Apicultura e gesso Terciário moderno erciário modernopolígonos viários e artesanato art sanato Zona da Mata/Agr Agreste Agreste/Sertão Agr S Sertão/Sertão S C aprinoovinocultura aprinoovinocultura 1 Formado pelas PEs 126,177 e as 2 Formado pelas PEs 265,280, 292, 320 e 360, 3 Formado pelas PE- 390, BR -116, PE- 604, PE- e turismo Madeira móveis Madeira e móveis BRs 101, 232 e 423, cria alternativas de possibilita a integração dos polos entre 555 e BR- 428, faz a integração dos polos entre Fruticultura irrigada ruticultura irrigada Tecnologia da tráfego para desafogar a BR- 232. Arcoverde, Afogados da Ingazeira, Serra os sertões do Pajeú, Araripe e São Francisco. e turismo informação inf Integra os polos de engenhos, Talhada e Floresta. Integra os polos da Integra os polos da caprinovinocultura, Leite e derivados, e turismo Turismo confecções e turismo no litoral Sul caprinovinocultura, turismo e bacia leiteira gesseiro, fruticultura e roteiro do vinho PEs nas rotas TERESA MAIA/DP/D.A. PRESS da produção U Governo aposta m olhar ao contrário. E há uma razão para isso. Não De Leste a Oeste, do é preciso ir muito longe para em sistema viário Sul ao Norte. A nova perceber que o litoral é onde se alternativo pela estratégia para o de- concentra a maior malha viária rodovias estaduais, senvolvimento das rodovias esta- do estado e mesmo assim em co- duais obedece a lógica não apenas lapso. Com o processo de dupli-que funcionarão como de reduzir distâncias e tirar do cação de vias estruturadoras, a eixos de integração isolamento comunidades quase exemplo das BRs 101, 104, 408 e esquecidas. Isso também, mas 423 e a promessa de mais um principalmente fazer a interliga- trecho da 232, de São Caetano a ção dos polos produtivos nos qua- Cruzeiro do Nordeste, o passo tro cantos do estado. O desafio agora é melhorar as condições “ tem pela frente um universo de de rodovias estaduais também O secretário de Transportes, Isaltino Nascimento, apresentou plano para as rodovias 142 estradas estaduais, hoje pre- estratégicas na interligação dos cárias. A meta é transformar essas polos produtivos. Entre elas PEs desenvolvimento. “A expansão ferrovia Transnordestina será es- ção das PEs 177 e 126 será possí- vias, mal pavimentadas, em ver- 90, 120, 126, 127, 177, 275, 292, dos polos industriais no interior tratégica porque ela segue para- vel chegar ao mesmo destino dadeiros eixos de integração em 360, 390 e 320. A reestruturação do estado aumentará a circula- lela à BR-232, mas além disso, o acessando também a BR-101, sem A expansão dos três anos. E, nessa perspectiva, a das rodovias tem como propósi- ção de cargas e a pressão sobre a estado está apostando em um sis- utilizar a 232. “Para atrair o trá- espinha dorsal é a BR-232, que to criar pelo menos três polígo- BR-232. Basta olhar o que está tema viário de rotas alternativas fego nesse sentido precisamospolos industriais atravessa praticamente todo o es- nos viários nas zonas da Mata, acontecendo em Suape, Caruaru potencializando as PEs”. de rodovias em condições per- aumentará a tado. No tema rodovias estaduais, Agreste e Sertão. e Salgueiro. É uma questão de Um exemplo do plano B, pre- feitas com boa pavimentação, da 2ª edição do Fórum Desafios Os polígonos viários irão fun- tempo e a gente precisa se ante- visto no cronograma da Secreta- acostamento e sinalização. Elas circulação e a para o Trânsito do Amanhã, pro- cionar não apenas como rotas de cipar”, afirmou o presidente da ria de Transportes, pode ser vis- não vão ser duplicadas, mas em movido pelos Diários Associados, desenvolvimento, mas também Agência Condepe/Fidem, Antô- to no município de Garanhuns, alguns casos serão alargadas”, gente precisa se a Secretaria de Transportes apre- como alternativas de corredores nio Alexandre. Segundo ele, os no Agreste Meridional. Para detalhou o secretário de Trans- antecipar” sentou o redesenho de traçados já para desafogar a BR-232. A Agên- estudos sobre os impactos na ma- quem viaja hoje de Garanhuns portes, Isaltino Nascimento. existentes e de outros que ainda cia Condepe/Fidem já faz proje- lha viária dos transportes de car- para o Recife, a lógica é pegar a Está prevista ainda a pavimen- não existem, tendo como foco o ções de estrangulamento dessa ga ainda não foram concluídos, BR-423 e acessar a BR-232 até che- tação também de vias vicinais Isaltino Nascimento, secretário prolongamento do olhar, do lito- rodovia em até cinco anos em mas é preciso planejar alternati- gar à capital. Com a proposta do para interligar comunidades e de Transportes de Pernambuco ral para o interior. função da demanda dos polos de vas para atender a demanda. “A polígono, depois da requalifica- dos acessos aos estados vizinhos. FOTOS: ALCIONE FERREIRA/DP/D.A PRESS PE- 60 ainda é um nó a ser desatado Uma das principais rodovias es- Logística de Transportes (PNLT), taduais no litoral Sul já não com- não há ainda um cronograma de porta mais o tráfego. A proposta implantação. Pelo plano, a esti- de federalização da via ainda não mativa é até 2015. Orçado em cer- foi aprovada no Congresso Nacio- ca de R$ 1,3 bilhão, não há ainda nal. Principal acesso às praias do projeto e tampouco a definição litoral Sul e ao Complexo de Sua- dos recursos. “Essa via é impor- pe, mesmo se a duplicação já es- tante porque ela irá tirar todo o tivesse concluída já estaria satu- tráfego pesado que hoje passa por rada com um fluxo atual de qua- f lux dentro dos centros urbanos do se 50 mil veículos/dia, sendo mais nosso litoral e vai desafogar tam- de 30% de tráfego comercial. bém a 101. O arco é uma das prio- De acordo com o secretário de ridades do governo do estado”, Uma das principais rodovias do Litoral Sul, a PE-60 já está com o trânsito saturado Transportes, Isaltino Nascimen- afirmou o secretário. to, a principal alternativa para de- Enquanto o arco não vem, o acesso a Suape. Do km 13,3 até aguarda o termo de referência complexo de Suape está execu- safogar o tráfego da PE- 60 e da BR- estado dividiu a recuperação da o km 21, o projeto de duplica- para elaboração do projeto. “Nós tando uma autoestrada paralela 101 será a implantação do arco PE- 60 em quatro segmentos: Do ção foi licitado e está orçado em estávamos aguardando a federa- a PE -60, por meio de uma Par- metropolitano. Ele saírá de Suape quilômetro 0 ao km 10, já é du- R$ 59 milhões. Aguarda a au- lização para os recursos serem ceria Pública- Privada (PPP). É margeando o litoral até Itamar- plicado. Do km 10 ao 13,3, o tre- diência pública do Ei-Rima e de do governo federal. Mas o proje- uma via de 12 km que já existiaSecretário das Cidades, cá. Tem cerca de 140km e corta- cho se encontra em obras de du- alguns ajustes solicitados pela to ainda não passou. Por enquan- e faz parte do sistema viário deDanilo Cabral, fez rá sete municípios. Apesar de fa- plicação. É o que contorna a re- Prefeitura de Ipojuca. Do km 21 to, vamos executar os projetos Suape, que vai possibilitar o es-palestra no fórum zer parte do Plano Nacional de finaria e serve também de 2º ao 86,6 na divisa de Alagoas, licitados”, revelou o secretário. O coamento do Norte e do Sul.
    • DIARIOd e P E R N A M B U C O - Recife, domingo, 22 de maio de 2011 d especial 3 desafios para o trânsito do amanhã ALCIONE FERREIRA/DP/D.A PRESSNão basta tapar + saibamais Malha viária em Pernambuco os buracos 9.978 km é o total de rodovias estaduais 4.897 km H Empreiteiras terão istoricamente, as ro- será entregue à Secretária de (50%) estão pavimentadas dovias pernambuca- Transportes a análise de 588 qui- que cumprir nas são sinônimos de lômetros, em 18 rodovias. Os de- parâmetros básicos estradas esburacadas mais estudos serão entregues em 1 mil km de qualidade e problemáticas. Dos cinco mil quatro meses. “Nosso objetivo é pavimentados estão quilômetros de estradas estaduais universalizar o padrão de atendi- em péssimo estado nas rodovias pavimentadas, pelo menos 20% mento para toda a rede. Além dis- de conservação estão em péssimas condições. As so, queremos restringir a manu- chuvas, aliadas a um sistema de drenagem falho e um mau servi- tenção dos pavimentos a interven- ções emergenciais e improduti- 5.081 km estão em leito natural ou em ço de recapeamento, só ajudam a vas. Vamos otimizar a aplicação processo de terraplanagem manter a má fama. Para mudar es- dos recursos disponibilizados”, (não pavimentados) sa realidade, a Secretaria de Trans- afirmou o secretário da pasta, Isal- afir portes promete inverter a lógica tino Nascimento. da manutenção das estradas es- Dos dez mil quilômetros de es- Idade média das taduais visando requalificar as ro- ualificar tradas estaduais, cerca de 50% são rodovias estaduais dovias pavimentadas no estado. pavimentadas. A outra metade é pavimentadas O processo é simples: antes, composta por leito natural (de ter- quando o governo contratava uma ra batida) ou terraplenagem pron- 31 anos “ empresa para restaurar um tre- cho de uma estrada, a empreitei- ta, que ainda irá ser finalizada. “Apesar desse número de rodo- 1,2 mil km Ex: PE-507 (Salgueiro-Serrita) ra só ficava responsável por tapar vias não pavimentadas, a nossa os buracos. Como muitos desses preocupação atual é recuperar as e PE-090 (Carpina-Limoeiro- Surubim) serviços eram realizados e, pela estradas já construídas”, afirmou Serão baixa qualidade, logo apresenta- o secretário executivo de Trans- vam falhas, o governo resolveu portes, Carlos Júnior. Segundo ele, 21 anos analisados mudar: agora só irá contratar as empresas por pacotes onde esta- esse novo modelo proposto tem uma peculiaridade: só concluirá 1,8 mil km indicadores rão incluídos tanto a restauração o pagamento à empresa contra- Ex: PE-089 (Limoeiro-Sirigi- Timbaúba) e PE-062 (Goiana- como bom quanto a manutenção. Ambos tada caso os parâmetros básicos Condado-Aliança) agregados em um contrato de três de qualidade sejam cumpridos. acostamento, anos, que só será totalmente pa- “Indicadores como bom acosta- 11 anos go após o fim dos serviços cum- mento, sinalização horizontal, sinalização e pridos e devidamente realizados. Para iniciar o processo de mu- drenagem e ausência de buracos serão devidamente analisados”. 1,9 mil km buracos” dança, uma empresa foi contrata- Esta metodologia de conserva- Ex: PE-585 (Araripina- Serrolândia) e PE-300 da este ano para fazer um raio x ção das estradas já é utilizada (Inajá-Manari) Carlos Júnior, secretário das 142 rodovias estaduais pavi- em Minas Gerais, Paraná e Mato Fonte: Secretaria de Transporte de executivo de Transportes mentadas. Nos próximos 30 dias, Grosso do Sul. Recuperação das vias é prioridade, mas contratos mudarão Pernambuco
    • 4 especial DIARIOd e P E R N A M B U C O - Recife, domingo, 22 de maio de 2011 d desafios para o trânsito do amanhã ALCIONE FERREIRA/DP/D.A PRESSEmpreendimento da Ponte do Paiva é o único exemplo no estado de uma PPP no sistema viário. O fluxo de veículos já superou as expectativas em apenas dois anos ALCIONE FERREIRA/DP/D.A PRESSAlternativa entrevista >> Ilo Leite “No mundo, apenasviável e lucrativa 3% das parceriasEspecialistas ceria como um meio seguro e Arquitetura e Engenharia do deram errado”defendem Parceria viável para o estado mudar a estado (Sinaenco-PE), Ilo Leite. péssima realidade das estradas. O objetivo das parcerias é Um dos maiores especialistas em PPPs do Brasil, o engenhei-Público-Privada (PPP) “As dez melhores rodovias do atingir o melhor atendimento ro Ilo Leite foi um dos palestrantes da segunda edição do Fó-como meio rápido Brasil estão em São Paulo e to- de uma determinada deman- rum Desafios para o Trânsito do Amanhã. Com experiência in- ternacional em consultoria a várias empresas europeias, é o atualpara mudar a péssima das são frutos de PPPs. Não ve- da social. Como contrapresta- vice-presidente do Sinaenco-PE e foi contratado como con-realidade das estradas jo como não se pensar nisso. ção, o setor público paga ou Algumas pessoas podem ques- contribui financeiramente, no sultor de PPPs pelo governo de Pernambuco. Segundo ele,“em tionar o fato de ter que passar decorrer do contrato, com os qualquer área pública, você sempre vai encontrar alguma pos-S ão aproximadamente a pagar pelo serviço. Mas é jus- serviços já prestados à popula- sibilidade de fazer uma PPP”. dez mil quilômetros to: só paga quem usa. No pú- ção, dentro do melhor padrão de rodovias estaduais. blico, mesmo quem não usa, de qualidade aferido pelo po- As PPPs podem ser a solu- ter no mínimo 5 e no máximo Como o próprio nome também paga via impostos”, der concedente. Como também ção para a melhoria das es- 35 anos.sugere, essa malha é dependen- disse um dos especialistas con- é consultor do governo do esta- tradas no estado?te das finanças do estado para vidados do Fórum, o chefe do do sobre PPPs, Ilo Leite admitiu Essas parcerias são grande solu- Se não fosse a PPP, tería-se manter em boas condições. Departamento de Arquitetura que Pernambuco tem alguns ções para onde o governo preci- mos condições de realizarTodavia, ao longo das estradas projetos em estudo para possí- Ilo Leite, especialista em sar multiplicar seus recursos. O o projeto da Copa no esta-que pertencem a Pernambuco, veis implantações de novas par- PPP fez palestra no fórum estado tem muitas responsabili- do?cerca de 50% estão sem pavi- A Ponte do Paiva cerias. “Está em gestação um dades: saúde, educação, segu- Não. Os prazos eram muito cur-mentação. Além disso, dos cin- e a Arena da Copa pensando na área de saneamen- rança. E tudo isso necessita prio- tos, os recursos (em torno de R$co mil quilômetros que estão to, interiorização para 13 loca- ritariamente de investimentos 500 milhões) elevados e os níveispavimentados, mais de um mil são modelos lidades do Expresso Cidadão e e muitos recursos. O cobertor é de exigência da Fifa altíssimos.estão em péssima conservação. também está em análise rodo- curto: ou cobre a cabeça e dei- Foi uma via necessária utiliza- “Apesar de o governo apostar positivos de PPPs vias com a questão da mobili- xa os pés do lado de fora ou o da pelo estado e, se não fosse as-em uma mudança radical na dade urbana. Onde se imagi- contrário. sim, certamente não teríamospolítica de manutenção das es- e Engenharia da UFPE, César nar área de serviço publico, ca- Como funciona essa parce- condições de tocar o projeto.tradas, uma tendência, segun- Cavalcanti. be um estudo sobre uma PPP”. ria?do os especialistas, é a Parce- A Ponte do Paiva, no Litoral A boa recepção às PPPs, du- Normalmente, fazemos aqui no Pernambuco possui proje-ria Público-Privada (PPP), que Sul, e a iniciativa para a cons- rante o Fórum, foi quase uma Se não fosse a PPP, estado uma Participação de Ma- tos de PPPs em curso?surge como uma saída rápida, trução da Arena da Copa, em unanimidade, mas o tema foi nifestação de Interesse (PMI). Está em gestação pensamentosde qualidade e, sobretudo, lu- São Lourenço da Mata, são dois tratado de forma mais cautelo- o estado não teria Uma empresa se apresenta para na área de saneamento, interio-crativa tanto para o governo bons exemplos de PPPs em Per- sa pelo secretário de Transportes, condições de o estado e solicita uma autoriza- rização para 13 localidades doquanto para a empresa que ade- nambuco. Essas parcerias acon- Isaltino Nascimento. “Sabemos ção de estudo, que o governo po- Expresso Cidadão, e também es-rir a concessão. tecem quando o setor privado que essas parcerias são uma al- tocar o projeto da de permitir ou não. Se aprova- tão em análise rodovias com a Com a necessidade emergen- projeta, financia, executa e ope- ternativa, mas, atualmente, pa- do, o projeto entra em licitação questão da mobilidade urbana.cial de não só recuperar as ro- ra uma determinada obra/ser- ra as nossas rodovias, estamos Arena da Copa em como PPP. Nesse caso, analisa- Especialmente para as estradas,dovias no estado como também viço. “De todas as PPPs no mun- apostando no novo modelo do tempo hábil” mos sustentabilidade, acompa- essa parceria pode aparecer co-expandi-las em tempo recorde, do, apenas 3% não deram cer- plano de manutenção. Esta estra- nhamos a modelagem da par- mo uma solução viável. Afinal,visando os investimentos para to”, defendeu o palestrante do tégia, inclusive, está sendo apoia- ceria, vendo se está tudo dentro a burocracia para licitar umaa Copa do Mundo, a maioria tema no Fórum, o vice-presi- da e aprovada pelo Banco Mun- Ilo Leite, vice-presidente do da lei, se há equilíbrio econômi- obra de recapeamento, pordos especialistas aponta a par- dente do Sindicato Nacional de dial”, explicou o secretário. Sinaenco - PE e especialista em PPP co-financeiro. A parceria pode exemplo, pode demorar meses.
    • DIARIOd e P E R N A M B U C O - Recife, domingo, 22 de maio de 2011 d especial 5 desafios para o trânsito do amanhã FOTOS: MARCELO SOARES/ESP DP/D. A PRESSEstado promete dobrarnúmero de cicloviasnos corredoresmetropolitanosO caminho da melhoria na mobilidade não passa apenas pela re- qualificação das rodo-vias e vias urbanas. A integraçãode diversos modelos de mobilida-de são essenciais dentro da estru-tura de deslocamentos. Entre eles,a bicicleta. Isso mesmo. Muitostrabalhadores usam a bicicleta co-mo meio de transporte, mas esbar-ram na falta de condições ou au-sência de ciclovias ou ciclofaixas.A PE-15, uma rodovia estadual queinterliga os municípios de Igaras-su, Paulista, Olinda e Recife temapenas 11 quilômetros de ciclo-via e mesmo assim em situaçãoprecária. Falta sinalização e o es-paço destinado às bicicletas, emalguns trechos, é ocupado pelocomércio informal. Em outros, a Na PE-15, os 11 quilômetros de ciclovia estão em péssimo estado de conservação. Lixo, entulho e até comércio tomam conta da faixapista é usada para depósito de li-xo e de entulhos. Ciclistas sem mobilidade Apesar das condições precárias,a ciclovia da PE-15 ainda é utiliza-da. No Fórum Desafios para o Trân- Desafiossito do Amanhã, o secretário dasCidades, Danilo Cabral, anunciouque o estado vai ampliar a quilo-metragem das ciclovias da RMR 11km da PE-15 vão ser requalifi- usuário. Segundo o plano muni- uso das bicicletas como um ti- ma, que atualmente tem 13 ter- bus é que cerca de um terço dade 73,4 km para 143,4 km. A pro- cados. “O espaço da ciclovia na PE- cipal de mobilidade do Recife, po de modal de integração, o se- minais integrados em operação, população da Região Metropoli-posta é integrar as faixas nos qua- 15 já existe, mas vem sendo mau apresentado em fevereiro deste cretário das Cidades anunciou terá 22 quando as obras forem tana do Recife (RMR) está foratro corredores de tráfego previstos utilizado, inclusive com a presen- ano, o município estima aumen- também que os terminais do Sis- concluídas em dezembro de do sistema e se desloca a pé. Ano PAC da mobilidade: os eixos ça de comerciantes na faixa”, tar o sistema cicloviário para 424 tema Estrutural Integrado (SEI) 2012. Segundo o secretário, os melhoria da mobilidade das ro-Norte/Sul, Leste/Oeste, Avenida apontou o secretário. km, mas o plano não define em vão receber bicicletários. “A pes- terminais novos já estarão equi- dovias precisa vir acompanhadaNorte e ainda a quarta perimetral Dos municípios que dispõem quanto tempo. Já o município de soa vai poder chegar de bicicle- pados com os bicicletários e os das condições do pavimento, dana BR-101, que corresponde ao con- de ciclovia, a capital pernambu- Jaboatão dos Guararapes é o que ta no terminal, deixar o equipa- antigos terão que ser adaptados. sinalização, da oferta de ciclo-torno Recife. “A gente espera do- cana tem a maior malha cicloviá- tem a menor média cicloviária da mento, pegar o ônibus ou me- Se para o ciclista a realidade do vias, dos passeios em condiçõesbrar o número de ciclovias nesses ria. Ainda assim, os 27 km são em RMR, com apenas 900 metros de trô e quando voltar pegar a bici- trânsito ainda é ingrata, imagi- adequadas e da interligação docorredores metropolitanos”, afir- faixas descontínuas, o que não ciclovia na orla de Piedade. cleta e fazer o caminho de volta”, ne então para o pedestre. Uma es- sistema de transportes com osmou o secretário. Segundo ele, os permite uma interligação para o Para incentivar ainda mais o afirmou Danilo Cabral. O siste- timativa das empresas de ôni- terminais integrados. SETRANS/DIVULGACAO + saibamaisCorredores para Na espera dosintervenção na mobilidadeLeste/OesteExtensão: 12,8 km recursos do PACFluxo de pessoas: 180 mil/diaCusto Estimado: R$ 183,6 milhões A PE-15 é a rodovia estadual De acordo com o secretário das que irá receber parte do corredor Cidades, Danilo Cabral, a indefi-Norte/Sul Norte/Sul. O corredor vai iniciar nição é em relação ao trecho queExtensão: 30,5 km no município de Igarassu e se es- vai do Shopping Tacaruna à Zo-Fluxo de pessoas: 182 mil/dia tenderá até Jaboatão dos Guara- na Sul e Avenida Norte. “TantoCusto Estimado: não divulgado rapes. A interligação de rodovias o corredor Leste/Oeste como o estaduais e federais com os cor- contorno Recife, o modal será oAcesso à Cidade da Copa, PE- redores metropolitanos é um ca- BRT. O restante nós temos que05 e TI Cosme e Damião minho sem volta e necessário. A aguardar a definição do governa-Extensão: 8,5 km PE-15, por exemplo, faz ligação dor”, afirmou o secretário.Fluxo de pessoas: não divulgado direta com a Avenida Agamenon Ainda segundo Danilo CabralCusto Estimado: R$ 300,8 Magalhães. Além do Norte/Sul fa- a demora na definição não irámilhões zem parte também o Leste/Oes- trazer atrasos para a licitação.BR-101 te, Avenida Norte e a 4ª perime- “Os projetos estão prontos. Quan-Extensão: 42 km tral (BR-101). Desses, somente a do o governador escolher é só en-Fluxo de pessoas: 143 mil/dia 4ª perimetral está em fase de li- viar para a licitação”, explicou. OCusto Estimado: R$ 480 milhões citação. A estimativa é que até ju- Norte/Sul terá 30,5 km. A primei- nho o governo federal divulgue a ra etapa, no entanto, está previs-AvenidaNorte relação dos projetos aprovados ta até o Terminal Integrado Joa-Descrição: Segue do Terminal pelo PAC da Mobilidade, onde es- na Bezerra, no Recife. O prolon-Integrado da Macaxeira até o tão inseridos os corredores de trá- gamento até o Terminal de Ca-Centro do Recife. fego. Até o fim deste mês, o gover- jueiro Seco, em Prazeres, Jaboa-Extensão: 8,9 km nador Eduardo Campos definirá tão, somente quando a Via Man-Fluxo de pessoas: 143 mil/diaCusto Estimado: não divulgado os modais que vão compor os cor- gue ficar pronta. O projeto da redores: BRT (Transporte Rápido Prefeitura do Recife estima queFonte: Secretaria das Cidades Corredor Norte/Sul na Agamenon Magalhães ainda sem definição de modal por Ônibus) ou monotrilho. em 2013 a via esteja concluída.
    • ALCIONE FERREIRA/DP/D.A PRESSCADERNOESPECIALDOMINGORecife, 10 de julho de 2011 DIARIOdeP E R N A M B U C O PPara fazer o Recife andar Com quantos prédios e carros se faz a imo- macromobilidade vem sendo discutida e o todos os dias. O tempo que perdemos no trân- porte público. As linhas alimentadoras dobilidade de uma cidade? Depende das ruas, nosso dever de casa ainda não foi feito. Esta- sito é em média de 30%. Imagine o desperdí- transporte complementar são hoje peças fun-do próprio sistema viário e da qualidade do mos longe também de dispor de um sistema cio disso em uma semana, um mês ou um damentais no contexto da mobilidade, mastransporte público. Mas a mobilidade vai mui- de ciclovias eficiente. O que existe são trechos ano. O Plano de Mobilidade do Recife prevê sem esquecer a imprescindível necessidadeto além do transporte individual ou público. sem nenhum tipo de conexão. As necessida- alternativas a longo prazo. Mas já há inter- de melhoria do sistema viário. No Fórum De-Todas as formas de deslocamento são váli- des são urgentes e o calo aperta mais quanto venções sendo apresentadas para reduzir o im- safios para o Trânsito do Amanhã, promovi-das. O bê-à-bá deveria começar pelas calça- entra em cena o transporte individual. pacto dos entraves, como a construção da Via do pelos Diários Associados, fizemos um raiodas. Somente no Recife, cerca de 20% da po- Na contramão de uma lógica de mobilida- Mangue, o alargamento do Capitão Temudo x do que existe hoje na capital pernambuca-pulação se deslocam a pé. Nossos passeios de, a aposta pelos automóveis tem sido uma e a reestruturação da CTTU. Igualmente im- na e do que ainda está por vir. Até 2014, espe-são mal cuidados, em geral têm obstáculos. Ou- opção preferencial não só aqui, mas em to- portante é a operação sistemática de manu- ramos um novo trânsito e principalmentetros são desnivelados, quase ladeirados. Ou- do o mundo. O preço dessa escolha pode ser tenção das vias que, por enquanto, é pouco uma nova mobilidade urbana para a capitaltros sequer existem. É nessa condição que a visto nos engarrafamentos que enfrentamos perceptível. E, finalmente, a aposta no trans- e a Região Metropolitana. EXPEDIENTE: Diretora de redação: Vera Ogando Textos: Anamaria Nascimento, Nina Wicks e Tânia Passos Edição: Karla Veloso e Gabriel Trigueiro Edição de fotografia: Heitor Cunha Edição de arte: Christiano Mascaro
    • 2 especial DIARIOd e P E R N A M B U C O - Recife, domingo, 10 de julho de 2011 d desafios para o trânsito do amanhãCTTU investe empessoal e tecnologia FOTOS: TERESA MAIA/DP/D.A.PRESS + saibamais Plano de Mobilidade Urbana do Recife O plano inclui cinco eixos a serem desenvolvidos pela CTTU: 1.Eliminação de giros à esquerda: Entre a Avenida Norte e a Rua da Hamonia: proibido a partir de 9 de julho Entre a Avenida Agamenon Magalhães e a Avenida Rui Barbosa e entre a Avenida Agamenon Magalhães e a Rua Henrique Dias: proibido a partir de 23 de julho Entre a a Avenida Norte para a Rua Gomes Coutinho: proibido a partir de 30 de julho Na Avenida Mascarenhas de Morais, embaixo do viaduto Tancredo Neves: proibido aCentral de operações da companhia em Santo Amaro. Projeto de reestruturação busca melhorar as estruturas interna e externa partir de 3 de setembro 2. Melhoria nos semáforos:Órgão intensificaÓr realização de um concurso públi- xangá e Norte funcionam com a Até agosto deste ano, 210 gruposmonitoramento co previsto para agosto. Mais 200 fonte alternativa. “Até agosto, os de semáforos estarão operando agentes serão contratados, totali- equipamentos da Rua Real da Tor-do trânsito diante zando 600, ou seja, mais que o do- re, das avenidas Conselheiro com o sistema de bateriasdo aumento do bro da quantidade inicial. Aguiar e Dois Rios e de outras vias 3. Sinalizações mais eficientes:fluxo de veículos Segundo Maria de Pompéia, as estarão com as baterias”. A CTTU tem até 2012 para transformações na empresa abran- A ideia da presidente da CTTU jáD melhorar a sinalização, com esde 2003, quando foi gem três segmentos: a parte físi- foi, inclusive, exportada para São placas e pintura, por exemplo, nas criada, a Companhia ca, os equipamentos e o quadro de Paulo. “A capital paulista também principais vias do Recife de Trânsito e Trans- pessoal. “Nosso maior desafio é tem problemas de desligamento porte Urbano (CTTU) fazer com que os motoristas fi- de semáforos com a queda de ener- 4. Disciplinamento nosnunca viveu uma transformação quem felizes com o trânsito. To- gia. Os paulistas viram reporta- entornos dos mercadostão intensa. Medidas como dupli- das as questões necessárias para gens sobre nossa ideia e quiseram públicos:cação do número de agentes, aqui- que tenhamos uma empresa de implantá-la por lá também. Uma Inclui a regulamentação desição de viaturas, melhoria na si- fiscalização e controle de trans- empresa recifense desenvolve a tec- estacionamento, além danalização das vias e instalação de porte que responda às necessida- nologia que eles vão implementar implantação e manutenção desemáforos que funcionam mes- des dos recifenses são levadas em na cidade. É muito bom ver nossa sinalização horizontal e vertical.mo com chuva forte devem se tor- consideração”, frisou. ideia expandindo”. Número de agentes atuando nas ruas dobrou neste ano Os mercados de Afogados, Águanar realidade até o próximo ano. Entre as ações já desenvolvidas Fria, Boa Vista, Casa Amarela,A reestruturação foi um dos te- pela CTTU está a melhoria dos se- Futuro mentos. “A aquisição de mais se- não pertence à empresa e não ofe- Cordeiro, Encruzilhada,mas debatidos na 3ª edição do Fó- máforos da cidade. Mais de 200 De acordo com Maria de Pompéia, máforos, fotossensores e lombadas rece estrutura física sufuciente Madalena, Nova Descoberta erum Desafios para o Trânsito do equipamentos estão recebendo ainda há muito o que ser feito pa- eletrônicas está sendo discutida e para os funcionários e visitantes São José receberão oAmanhã, promovido pelos Diá- bateria como fonte de energia al- ra se chegar a uma situação ideal ainda vai passar por processo de da companhia. “As salas são real- ordenamento até o próximo anorios Associados. ternativa. “Uma das principais re- para o trânsito do Recife. Entre licitação, por isso ainda não há mente pequenas e não dão confor- Aumentar o contingente de téc- clamações era quanto ao desliga- as melhorias previstas para os pró- um prazo, mas podemos garan- to suficiente às pessoas. Não é im- 5. Melhoria viária:nicos e guardas municipais foi to- mento dos semáforos quando cho- ximos anos está o aumento no tir que o número de equipamen- possível trabalhar aqui, mas a es- Ações para melhorar o tráfegomado como prioridade pela presi- via. Esses equipamentos são mui- número de equipamentos eletrô- tos vai aumentar”, disse. trutura pode ser melhorada”, afir- afir nas principais vias do Recife. Adente da CTTU, Maria de Pompéia to importantes para o fluxo de f lux nicos. O Recife conta hoje com 24 Outra questão que está sendo mou Maria de Pompéia. Segundo Rua José de Alencar, no bairro daLins, que elaborou o projeto de veículos e não podem ter só uma fotossensores que registram o discutida pela CTTU é a estrutu- ela, a intenção é se instalar no Boa Vista, por exemplo, terá oreestruturação. No início do ano, fonte de energia”, explicou Ma- avanço de sinal e aumento de ve- ra física da empresa. A CTTU fun- imóvel da antiga Companhia de sentido invertido até dezembroeram 290 agentes de trânsito. ria de Pompéia, autora da ideia locidade. O projeto de reestrutu- ciona, desde 2003, na Rua Frei Transportes Urbanos (CTU), loca- deste anoAtualmente são 400 e o efetivo de- das baterias. Os semáforos das ave- ração da empresa prevê um au- Cassimiro, 91, em Santo Amaro, lizado na Rua Treze de Maio, 207,ve aumentar ainda mais após a nidas Agamenon Magalhães, Ca- mento no número dos equipa- área central do Recife. O prédio também em Santo Amaro. Fonte: CTTU+ saibamais Carga e descarga serão regulamentadasNúmeros da CTTU66 câmeras demonitoramento “O grande vilão do trânsito é o tacionamento de veículos de processo de carga e descarga”. Foi transporte, com comprimento su-24 fotossensores com essa frase que a presidente da CTTU começou a falar sobre os perior a 6 metros nos dias úteis no Centro Expandido, nos corredo- problemas de mobilidade no Re- res de transporte coletivo do Cen-24 lombadas eletrônicas cife. Segundo Maria de Pompéia, tro e nos corredores metropolita- além de intervenções físicas, a em- nos, urbanos principais e secun-400 agentes de presa está elaborando um proje- to de lei que pretende regulamen- dários, das 7h às 19h. Na Avenida Boa Viagem, as sinalizações colo-trânsito tar a operação de carga e descar- cadas pela CTTU estabelecem re- ga de mercadorias além do Cen- gras para carga e descarga na via.642 semáforos de tro Expandido (Bairro do Recife, O serviço pode ser realizado dastrânsito Boa Vista, Santo Antônio, São Jo- 5h às 8h e das 17h às 20h e só po- sé, Santo Amaro, Ilha do Leite e Ca- de ser executado por cargas e des-31 motocicletas banga), onde a lei municipal, de 1996, que estabelece regras para cargas de mercadorias especiais ou emergenciais, pois a legisla- Falta de ordenamento atrapalha o trânsito e gera risco para os próprios trabalhadores38 viaturas que esse tipo de transtorno não aconteça, já vale. ção dá respaldo a esses serviços. O projeto será encaminhado à 22h, de segunda a sábado, em vá- rios bairros. “A ideia é fazer com do ou enviando mercadoria. É uma ação conjunta com outros >> acesse diariodepernambuco.com.br A intenção é fazer com que a Câmara dos Vereadores neste ano que não só o motorista do veícu- órgãos da prefeitura”, explicouFonte: CTTU carga e descarga seja regulamen- e, caso seja aprovado, ficará proi- lo que está realizando a carga ou Maria de Pompéia, afirmando que afir /vidaurbana tada em todos os bairros do Reci- bida a parada e o estacionamen- a descarga seja punido, mas tam- ainda não há prazo para a proibi- Vídeo do Fórum Desafios para o fe. A lei já proíbe a parada e o es- to de carga e descarga das 6h às bém a empresa que está receben- ção entrar em vigor. Trânsito do Amanhã
    • DIARIOd e P E R N A M B U C O - Recife, domingo, 10 de julho de 2011 d especial 3 desafios para o trânsito do amanhãA necessidade de cicloviasRecife tem 24km desse + saibamais FOTOS: RICARDO FERNANDES/DP/D.A PRESSacesso contruído. Metaé implantar mais 424km Hoje existem 24 km de ciclovias construídas, nosno prazo de 20 anos seguintes pontos Avenida do ForteQ uando se fala se mobilida- Engenho do meio de urbana, desafogamen- Avenida 21 de Abril to do trânsito e sustenta- Avenida Norte Centrobilidade, muitos planos de ação Avenida Brasília Formosaapontam para o uso de bicicletas Avenida Boa Viagemcomo transporte, seja prioritárioou complementar. Hoje o Recife Os novos trechospossui 24km de ciclovias construí-das. As principais estão localiza- 74 km de cicloviasdas na avenidas Norte, Boa via- nos corredores hidrográficosgem e do Forte. Não há ligações Rio Beberibeentre elas, uma das principais Rio Capibaribequeixas dos usuários, que preci- Canal do arruda Ilha do Retirosam se aventurar no meio do trân- Mustardinhasito para chegar ao seu destino. Rio Morno O plano de mobilidade urbana Rio Tejipíóda Prefeitura do Recife prevê a Via Mangueconstrução de 424km de ciclovias. Canal do JordãoA solução integrada às outras su-gestões de mobilidade, como oaperfeiçoamento das calçadas e Na Avenida Caxangá, ciclistas se aventuram em meio aos carros por falta de uma via apropriada para o veículo 120 km de ciclovias “ nos corredores de transporteincentivo ao transporte público, Avenida Beberibeprocura minimizar o uso de car- Também adepto da bicicleta, o te público. “Inicialmente pensa- Avenida Norteros. Mas tem prazo de construção motorista Henrique Lucena da Sil- mos nas bicicletas como transpor- Corredor Leste-Oesteprevisto para 20 anos. va, 20, já quebrou dois dedos do te complementar. Ao invés de per- Avenida Abdias de Carvalho Para o garçom Luiz Carlos Go- pé em uma colisão com um veí- correr 20km, o ciclista pedalaria Avenida Mascarenhas de Morais Corredor Norte-Sulmes, 43, que mora no Prado, Zo- culo. “Por falta de ciclovias, a gen- 3km e em seguida utilizaria al- Percorrer 20km 3ª Perimetralna Oeste do Recife, visitar a mãe te tem que se arriscar no trânsi- gum transporte público. Para is- 4ª perimetralem Olinda virou uma tarefa di- to mesmo. E os carros não respei- so, precisamos também da cons- até Olinda semfícil. Desde que adotou a bicicle- tam as bicicletas. Quando saio de trução de bicicletários”, esclare-ta como meio de transporte, ele casa, tenho a ciclovia da Avenida ceu Botler. “Faz muito pouco tem- estrutura que 156 km de ciclofaixaspassou a restringir as visitas, que do Forte. Mas quando chego na po que se incorporou o tema deagora acontecem uma vez por Avenida Caxangá não tem mais”. acessibilidade às políticas públi- ofereça segurança Avenida Norte Avenida Maurício de Nassaumês. “Percorrer 20km até Olin- Segundo o presidente do Insti- cas. Com o plano todo executado, é um risco” Avenida Agamenon Magalhãesda sem uma estrutura que me tuto da Cidade do Recife - Pelópi- teremos uma malha perfeita de li- Cais José Estelistaofereça segurança e facilite meu das Silveira, Milton Botler, a prio- gamento entre as ciclovias. Mas Ibura a Boa viagem Rua Maria Ireneacesso é muito desgastante”, ava- ridade é para as ciclovias que dão para isso é preciso tempo e inves- Luiz Carlos , 43, que mora no Prado e usa Dois Irmãosliou o ciclista. acesso aos corredores de transpor- timento”, completou. a bicicleta para visitar a mãe, em Olinda Várzea
    • 4 especial DIARIOd e P E R N A M B U C O - Recife, domingo, 10 de julho de 2011 d desafios para o trânsito do amanhãCalçadas,o dever de casa FOTOS: LAIS TELLES/ESP DP/D.A PRESS + saibamais Lei Municipal 16.890/03 (“Lei das Calçadas”) Regulamentada pelo decreto 20.604/04 Trata da construção, manutenção e recuperação das calçadas no Recife A lei determina que proprietários de imóveis ou condôminos são responsáveis pela conservação das calçadas Os cidadãos são legalmente obrigados a consertar a calçada em frente ao seu imóvel dentro do prazo de 90 dias Caso não realize o conserto da calçada, o proprietário pode ser notificado pela Prefeitura do Recife, sobMariana Pereira, 88: dificuldade para andar nas ruas pena de multa O valor da multa varia deLei municipal lino Câmara que fica em frente à R$ 161,36 a R$ 2.418,77 edetermina que os sua casa. “Sei que tenho que man- depende do tipo de infração ter minha calçada bem cuidada eproprietários façam a livre de obstáculos. Já fiz um repa- Caso o município execute omanutenção do ro nela, inclusive”, contou. O vizi- serviço de conserto dapasseio. Regra que não nho dela, no entanto, desconhecia calçada, o proprietário terávem sendo cumprida a legislação até a chegada da repor- ainda que pagar um tagem do Diario de Pernambuco percentual de 10% acima do na rua. “Nunca tinha ouvido falar preço do reparoA ndar pelas calçadas do nesta lei. Estava por fora, mas ago- Recife tem sido um ra estou sabendo”, afirmou o en- Cabe a Prefeitura conservar ato cada vez mais tor- genheiro Sílvio Rêgo, 59 anos. as calçadas que margeiam os tuoso. São tantos os As calçadas mal cuidadas pre- rios, canais, lagos, praias,obstáculos no passeio que a mo- judicam muitas pessoas, mas, prin- praças e as que ficam embilidade dos 20% da população cipalmente, os idosos e deficien- frente aos prédios públicos,que se deslocam a pé pela cidade tes físicos. A aposentada Mariana além de canteiros centrais deé dificultada ou até impedida. Os Pereira, 88 anos, por exemplo, sen- avenidas, praças, parquesgalhos ou raízes de árvores, bar- te muita dificuldade ao caminhar dificuldade Estragos causados por obrasracas ambulantes, sacos de lixo pelo Recife. Além da idade avan- públicas e privadas devem serou desníveis que atrapalham o ca- çada, ela sofre de artose, uma Moradora de Santo Amaro, Luzinete Lopes, 68, sabe que deve cuidar do espaço consertados pelas empresasminho dos que transitam pelas doença degenerativa das articula- “ responsáveis pelas obrasvias da capital pernambucana são, ções. “Já levei três quedas nas cal-também, responsabilidades dos çadas da cidade. Ando forçada pe- nutenção delas cabe ao proprie- de, de 2000. Novos projetos só Rampas construídas para acidadãos. O fato é que a lei muni- las ruas, mas preciso resolver meus tário do imóvel. Porém, o que se são aprovados se estiverem de entrada de veículos só sãocipal das calçadas - n°16.890/03, problemas e não tenho quem fa- percebe é que a legislação não acordo com a legislação”. permitidas se ocuparem atéaprovada há oito anos, não tem si- ça isso por mim”, disse. O cadei- tem sido respeitada. De acordo Ainda segundo D’Biase, a Dir- um terço da largura dado respeitada. A legislação deter- rante Marcelo Costa, 47, trabalha com a lei, o cidadão pode ser con faz um trabalho em parce- Exigimos o calçadamina que os proprietários façam na área central do Recife e se ar- multado de R$ 161,36 a R$ ria com o Núcleo de Acessibilida-a manutenção de sua própria cal- risca pelas calçadas do centro. “Os 2.418,77, dependendo do tipo de de da Prefeitura e está elaboran- cumprimento A construção das rampas sóçada. Muitos recifenses, porém, buracos e ausência de rampas são infração cometida. do uma cartilha sobre a manu- da legislação pode ser feita se não prejudicarnão conhecem a lei. Outros sa- os maiores obstáculos para os que A Diretoria de Controle Urba- tenção das calçadas. “A ideia é a arborização da ruabem que devem cuidar do passeio usam cadeira de rodas. É um so- no do Recife (Dircon) é responsá- oferecer várias opções de padrões vigente. Novos As calçadas devem serem frente à residência, mas con- frimento enorme circular por aqui vel pela fiscalização do cumpri- construtivos a partir das normas projetos só construídas e reformadastinuam a desrespeitar a norma. e acabamos nos arriscando ainda mento da legislação. A diretora da Associação Brasileira de Nor- com materiais A pedagoga aposentada Luzine- mais passando pela pista com os do órgão, Maria José D’Biase, afir- mas Técnicas (ABNT). Hoje todos são aprovados antiderrapanteste Lopes, 68 anos, moradora do veículos”, ressaltou. ma que o papel da Dircon vem os projetos da prefeitura são con-bairro de Santo Amaro, na área sendo feito. “Exigimos o cumpri- templados com as normas de se a seguirem” Não é permitido deixarcentral do Recife, conhece a lei Fiscalização mento da legislação vigente. An- acessibilidade. Estamos também algum obstáculo que impeçamunicipal e sabe que deve cuidar A Lei Municipal das Calçadas de- tes da Lei das Calçadas, já exis- fazendo trabalhos junto às esco- Maria José D’Biase, o livre trânsito de pedestresdo trecho da calçada da Rua Pau- termina, desde 2003, que a ma- tia a lei federal de acessibilida- las, hospitais e praças”, explicou. diretora da Dircon pelas calçadas
    • DIARIOd e P E R N A M B U C O - Recife, domingo, 10 de julho de 2011 d especial 5 desafios para o trânsito do amanhãTransporte complementarfacilita o deslocamento FOTOS: MARCELO SOARES/ESP. DP/D. A PRESS Q Sistema que uem lembra das vans e substituiu as kombis kombis que invadiam o centro do Recife e trans- atende demanda de formavam o trânsito em um caos? populações que Oito anos depois, essa cena já não antes sofriam faz mais parte da paisagem urba- para se locomover na da cidade. No lugar delas, sur- giu o transporte complementar com a função de não mais con- correr com os ônibus e sim fazer a complementação do sistema em áreas de difícil acesso ou onde não há demanda suficiente. Das 26 li- nhas previstas para entrar em ope- ração desde 2003, oito ainda não começaram a operar. Elas foram di- vididas em interbairros e alimen- tadoras. Essas últimas são gratui- tas e transportam o passageiro até a parada de ônibus mais próxima. Já a interbairro tem a função de atender demandas de menor por- te de um bairro para outro. De + saibamais Moradores tinhamNúmeros do transporte que caminhar porcomplementar do Recife longas distâncias até as paradas70 milpessoas No Alto do Rosário, linha alimentadora melhora o transporte de moradores, mas via está em más condiçõessão transportadas por acordo com a Companhia de Trân- ruim. Na Rua Chagas Ferreira, Al- ar ir ao centro, tem ônibus”, afir- te da CTTU, Bárbara Estolano. Adia no sistema sito e Transporte Público (CTTU), to do Rosário, a via esburacada é mou. De fato, a circulação de ôni- distância para justificar uma ali- o sistema complementar atende um tormento para os passageiros bus nos morros é cena bastante mentadora é de 600 a 700 metros.63 bairros e altos do hoje toda demanda dos altos da ci- dade. De fato melhorou e a própria e motoristas. “O ônibus quebra umas duas vezes por mês”, reve- comum. Segundo o engenheiro e especialista em transporte, Ger- Das oito linhas complementares que ainda não entraram em ope-Recife são atendidos pelos população reconhece. Mas ainda la o motorista Giliarde da Silva, 28 mano Travassos, a cidade é bem ração, pelo menos duas não de-complementares não é o ideal. anos. Na van, encontramos o au- servida de ônibus. “Há uma con- vem sair do papel. São as inter- No Alto do Rosário, Zona Nor- xiliar de cozinha Anílson Edson, centração de linhas nos morros, bairros Shopping/Setúbal e Tor-141 veículos compõem te, uma van faz o transporte de passageiros dos moradores até a 32 anos, que estava indo para o tra- balho e pegou carona na linha mas o ônibus não chega onde o sis- tema viário não permite e onde re/CDU. “Essas regiões hoje são bem servidas de ônibus e não jus-a frota do sistema parada de ônibus mais próxima. alimentadora. “Ficou muito me- não há demanda que justifique”. tificaria a implantação de com- Nem sempre foi assim. Antes, pa- lhor para a gente. Mas quando A comunidade de Sítio dos Pin- plementares. Provavelmente va-28% da frota já foram ra ter acesso aos ônibus, os mora- dores precisavam vencer a distân- volto do trabalho subo a ladeira a pé. Saio depois da meia-noite e tos, Zona Norte, é uma das que so- licitaram uma linha alimentado- mos fazer ajustes dos itinerários”, explicou Estolano. De 2003 a 2011,renovados com40 novos ônibus cia do alto até uma região mais as vans só funcionam até as 22h”. ra, mesmo dispondo de ônibus. houve modificações no sistema. O modificações plana onde houvesse paradas do Para a dona de casa Adriana San- “No caso de Sítio dos Pintos, há edital previa um número maior sistema regular de transporte. Pa- tos, 39, a opção da van é suficiente. suficient um problema do sistema viário de linhas interbairros. “Hoje a8 anos é o tempo rece perfeito, mas não é. As ali- “Vou raramente ao centro. Muita que precisa ser resolvido antes de gente percebe que há uma deman-de vida útil dos primeiros mentadoras, em geral, atuam nos coisa resolvo no bairro. Desço e implantarmos uma alimentado- da maior pelas alimentadoras”,micro-ônibus adquiridos em pontos onde o sistema viário é subo na van sem pagar. Se precis- ra”, explicou a diretora de transpor- explicou Bárbara.2003 Linhas têm funções distintas “2014 é o prazo limitepara renovação de toda a frotaNúmeros dos ônibus O sistema de transporte com- para a parada mais próxima. ra outro já que as distâncias são culos tenham o elevador para oconvencionais na RMR O sistema é bom, plementar atende 63 bairros e al- Atualmente a CTTU estuda a grandes”, explicou Bárbara Esto- cadeirante. “A gente também tos da cidade e transporta cerca implantação de duas novas linhas: lano. Segundo ela, tanto a univer- conseguiu redução no IPVA e no mas como só385 linhas de 70 mil pessoas por dia. São 36 comunidades atendidas pelas se- uma interbairro ligando o Jordão ao Aeroporto e uma alimentado- sidade como os empresários de ônibus estão simpáticos à inicia- ICMS da mesma forma que os ônibus convencionais”, comemo- funciona até as te linhas interbairros e 27 que re- ra na Cidade Universitária. “A Ali- tiva, que ainda não tem data pa- rou o presidente da CoopeNorte, 22h, ainda subo2.730 ônibus cebem as 17 linhas alimentado- ras. Uma das razões para essa dis- mentadora na Cidade Universitá- ria vai evitar que uma grande ra ser implantada. Em oito anos de implantação Manoel Leôncio Correia. Segun- do ele, já foram adquiridos 40 a ladeira a pé paridade é a distância. As linhas quantidade de ônibus circule nas do complementar a frota está novos ônibus, dos 170 que com-1,8 milhão interbairros percorRem trechos de até 30 quilômetros e cobrem ruas do campus. O passageiro vai poder descer nas imediações da sendo renovada. Os micro-ôni- bus vão dar lugar a ônibus de 21 põem a frota do complementar. “Até 2014 toda a frota deverá ser quando chego”de passageirostransportados ao dia um número maior de comunida- reitoria e pegar um transporte. O lugares. A mudança na classifi- renovada, inclusive das linhas des. E as alimentadoras têm a fun- sistema também vai atender a de- cação é uma exigência de uma alimentadoras que ainda funcio- Anílson Edson, auxiliar de cozinha,Fonte: CTTU e Grande Recife ção apenas de levar o passageiro manda interna de um prédio pa- lei federal para que todos os veí- nam com vans”, afirmou. morador do Alto do Rosário
    • PAULO PAIVA/ESP. DP/D.A PRESS.CADERNOESPECIALDOMINGORecife, 31 de julho de 2011 DIARIOdeP E R N A M B U C O Olinda e Jaboatão P encaram problemas encaram os problemas da (i)mobilidade Onde começa um e termina o outro ? Os dois vizinhos de se caso, Olinda fica em desvantagem pela pouca dimensão ter- 2014, eles têm um enorme desafio a cumprir - um dever de ca-(porta) do Recife vivem os extremos das diferenças e semelhan- ritorial. Ambos superaram a marca dos 100 mil veiculos. sa sempre adiado. O tempo é curto para melhorar as vias ur-ças. Jaboatão dos Guararapes tem cinco vezes o território de Jaboatão tem 21 mil carros a mais do que Olinda e apenas banas e a capacidade operacional do tráfego. Na 4ª edição doOlinda, quase o dobro da população e possui a segunda maior 13 agentes a mais. Quanto ao número de semáforos, Olinda fi- Fórum Desafios para o Trânsito do Amanhã, uma radiogra-arrecadação do estado. Mas quando se fala em mobilidade ur- ca na frente com 65 equipamentos contra 48 de Jaboatão. E fia dos dois municípios mais próximos da capital pernambu-bana, eles comungam praticamente dos mesmos problemas. nenhum dos dois municípios possui equipamentos reduto- cana, carentes de uma política de mobilidade que deve irA frota de veículos dos dois municípios é semelhante e, nes- res de velocidade. Faltando apenas três anos para a Copa de muito além da Copa. EXPEDIENTE: Diretora de redação: Vera Ogando Textos: Tânia Passos Edição: Lydia Barros Edição de fotografia: Heitor Cunha Edição de arte: Christiano Mascaro
    • 2 especial DIARIOd e P E R N A M B U C O - Recife, domingo, 31 de julho de 2011 d desafios para o trânsito do amanhãMARCELO SOARES/ESP DP/D. A PRESS + saibamais Olinda 43,5km2 é a área do município 380 mil habitantes 108 mil veículos é a frota registrada até junho/2011 75 agentes de trânsito 65 semáforos 50 permissionários cadastrados no transporte complementar Na Avenida Barreto de Menezes, em Jaboatão, veículos param a todo instante e cobradores disputam passageiros como os velhos clandestinos 7 linhas municipais Transporte público 77 linhas intermunicipais 11 linhas complementares não pode ser vilão ALCIONE FERREIRA/DP/D.A PRESS. 2.400 pessoas são transportadas por dia pelo complementar 37.321 pessoas são transportadas por Em Olinda, transporte gurado em 2008, é exclusivamen- dia pelas linhas municipais complementar facilita te para o complementar. Os pas- mobilidade. Jabotão sageiros esperam sentandos ou fazem fila para entrar no veículo. 358.804 pessoas são transportadas por sofre por não integrar o O cronograma das viagens é defi- dia pelas linhas intermunicipais Sistema Integrado (SEI) nido pelo Grande Recife Consór- cio de Transporte Metropolitano. N ão há como melhorar a Somente Olinda e Recife integram Jaboatão dos Guararapes mobilidade de uma ci- atualmente o consórcio. Os passa- dade se não for levada geiros admitem que o modelo atual é mais organizado, mas ain- 256km2 em conta a qualidade do trans- é a área do município porte público. Em Jaboatão dos da há críticas. A dona de casa Cris- Guararapes, o sistema que deveria tina Leite, 37 anos, reclama da de- mora nos intervalos de saída dos 645 mil ser complementar é responsável habitantes por 80% do transporte de passagei- veículos e da cobertura do termi- ros na área urbana do município, nal. “Sem dúvida é mais organi- zado, mas quando tem chuva de 129 mil cerca de 120 mil pessoas por dia. veículos é a frota registrada até E deixa muito a desejar. Mesmo vento a gente se molha e às vezes com a regulamentação do siste- a gente espera mais de 40 minu- junho de 2011 ma, que reduziu o número de veí- tos para sair um carro”, disse. culos pela metade, a forma de tra- Em Jaboatão dos Guararapes as 88 balhar não mudou em nada em paradas não têm cobertura. Os Passageiros podem esperar sentados o complementar no Terminal do Caenga, em Olinda agentes de trânsito relação à época dos clandestinos. passageiros esperam em calçadas Em Olinda, o transporte comple- estreitas e até na rua. É só uma le para evitar a superlotação e os do na forma antiga de se traba- ra qualquer município da região 48 mentar responde por 6,43% dos parte do sofrimento. Na Avenida passageiros se acomodam do jei- lhar, que ainda não foi superado. metropolitana. “Eu vim de Boa semáforos passageiros transportados por dia Barreto de Menezes, uma das prin- to que podem. A cabeleireira Iran O nosso trabalho será de intensi- Viagem para Prazeres e tive que no município, o que representa cipais vias do centro de Prazeres, Maria dos Santos, 30 anos, recla- ficar a fiscalização”, afirmou. Ja- pagar duas passagens”, reclamou cerca de 2.400 pessoas. A regula- os veículos chegam nas paradas a ma do excesso de passageiros. boatão também não está inseri- a dona de casa Daniele da Silva, mentação do sistema em 2002, todo instante e os cobradores des- “Tem gente que vai quase sentan- da no Consórcio Metropolitano e 22 anos. De acordo com o prefei- reduziu de mil kombis para 25 cem para disputar a preferência do no colo do motorista”. isso significa que o passageiro, to Elias Gomes, a previsão é que microônibus. O complementar dos passageiros. O acerto do paga- A gerente de operações de trân- que usa o transporte complemen- o município passe a fazer parte do 400 permissionários do passou a fazer apenas a função mento é feito na rua mesmo e, sito de Jaboatão, Lúcia Recena ad- tar ou as linhas de ônibus muni- consórcio ainda este ano. “O sis- transporte complementar de alimentar o sistema onde o para não perder tempo com o abre mite que o sistema tem ainda mui- cipais não pode fazer parte do Sis- tema de bilhetagem eletrônica já ônibus convencional não chega. e fecha das portas, é comum os to o que melhorar. “Nós consegui- tema Estrutural Integrando (SEI), foi implantado no complemen- 12 linhas municipais O terminal do Caenga, no bair- deslocamentos de porta aberta. mos acabar com os clandestinos, onde com apenas uma passagem tar. Faltam alguns ajustes”, afir- ro de Rio Doce, em Olinda, inau- Mas não é só isso. Não há contro- mas há ainda um hábito adquiri- é possível entrar e se deslocar pa- mou o prefeito. 58 linhas intermunicipais MARCELO SOARES/ESP DP/D. A PRESS Aprendendo a desatar os nós PAULO PAIVA/ESP. DP/D.A PRESS. 120 mil Com quase a mesma frota, dos Guararapes. Os dois municií- pessoas são transportadas por Olinda e Jaboatão dos Guarara- pios ainda engatinham na ques- dia pelo complementar pes enfrentam problemas seme- tão da operacionalização do trân- lhantes na operacionalização do sito. Olinda até bem pouco tem- 24 mil trânsito. A cidade Patrimônio po tinha apenas 29 agentes de pessoas são transportadas por Cultural da Humanidade tenta trânsito e hoje conta com 75, mas dia nas linhas municipais administrar não apenas sua fro- o número ainda é insuficiente. ta de 108 mil veículos, mas tam- Jaboatão tem apenas 88 para uma 246 mil bém o trânsito vindo de outros frota de 129 mil veículos. pessoas são transportadas por municípios. Tanto Olinda quan- De acordo com o prefeito Elias dia nas linhas intermunicipais to Jaboatão são corredores natu- Gomes, está sendo elaborado um rais para quem se desloca para os plano de mobilidade para o mu- Fonte: Prefeituras de Olinda e Jaboatão litorais Norte ou Sul. “Olinda re- nicípio que prevê, entre outras Sinais sincronizados facilitam mobilidade em Piedade dos Guararapes e Grande Recife Consórcio cebe um número muito maior ações, a implantação de uma cen- de carros do que a sua frota e tral de controle de tráfego e um implantados há 35 anos. O muni- rie de ações para melhoria do ge- nós temos corredores de tráfego concurso público para 200 agen- cípio não dispõe de nenhuma renciamento de tráfego, inclusi- muito curtos, mas com um f lu- flu tes, além da compra de equipa- lombada eletrônica ou equipa- ve a modernização dos semáfo- xos intensos”, explicou o prefei- mentos de monitoramento. “A mentos que flagrem o avanço de f lag ros e a compra de equipamentos to Renildo Calheiros. nossa expectativa é de implantar sinal. Déficit de material huma- eletrônicos para monitorar o trân- A municipalização do trânsito essas melhorias até o próximo no e tecnológico, insufientes pa- sito”, afirmou o secretário exe- Em Olinda, semáforos em Olinda ocorreu no ano de ano”, afirmou Elias Gomes. ra atendar a demanda do muni- cutivo de transporte, controle ur- já contabilizam 35 anos 2005, sete anos depois de Jaboatão Em Olinda são 65 semáforos, cípio. “Nós vamos licitar uma sé- bano e ambiental, Adriano Max.
    • DIARIOd e P E R N A M B U C O - Recife, domingo, 31 de julho de 2011 d especial 3 desafios para o trânsito do amanhã Ciclovias + saibamais BLENDA SOUTO MAIOR/ESP. DP/D.A PRESS Mapa cicloviário de Olinda continuam 2 km de ciclovia na orla (existe atualmente) 4 km de ciclovia na orla da esquecidas ampliação da via litorânea ( em execução) 6 km de ciclovia margeando a futura Via Metropolitana Norte vias seguras para o ciclista ainda (projeto)Gestores deixam em é um sonho distante para os dois 4 km de ciclovia na duplicaçãosegundo plano projetos municípios, e mesmo para o Re- do trecho da 2ª perimetralque viabilizam os cife. As dificuldades vão desde a (projeto) captação de recursos à adaptaçãodeslocamentos não de vias não projetadas para estemotorizados. Cidades 2 km de ciclovia margeando um fim. “Em Olinda, as ruas são mui- trecho do canal de Bultrinscorrem atrás do prejuízo to estreitas e teria que haver gran- (projeto) des desapropriações”, explicou a secretária de planejamento e ges- 8 km de ciclovia no trecho a serN a mobilidade urbana, pe- tão do município, Sônia Calheiros. recuperado da PE -15 (do estado) destre e ciclista não po- Segundo ela, na requalificação da ualificação dem ser esquecidos. Avenida Presidente Kennedy, nãoQuanto mais existir a opção dos foi possível implantar uma ciclo- Totaldeslocamentos não motorizados,menos carros haverá nas vias. Os via por falta de espaço. O mesmo ocorreu com o binário das aveni- 26 km de ciclovia paramunicípios de Olinda e Jaboatão das Transamazônica e Brasília. serem implantados até 2014dos Guararapes não são os únicos Nem sempre espaço é o proble-a deixar essa premissa em último ma. A Ponte do Paiva tem ciclovia,plano. As duas cidades dispõem de mas a avenida que foi construída Jaboatão tem 3km de ciclovia na orla e projeto de ligação com ciclovia de Boa Viagem Mapa cicloviário previstociclovias, ambas na orla. Olinda “ na orla de Barra de Jangada, que para Jaboatãotem dois quilômetros de ciclovia se liga a ponte, não tem. “É per- RICARDO FERNANDES/DP/D.A PRESSno Bairro Novo e terá mais quatro feitamente possível implantarcom a ampliação da via litorânea uma ciclovia na orla de Barra de 3 km de ciclovia na orla ( existeaté a Ponte do Janga. Jaboatão tem Jangada e fazer a ligação com o atualmente)três quilômetros de ciclovia na Paiva, depois com a orla de Jaboa-orla e projeto para fazer a ligação tão e com a orla de Recife”, afir- Em Olinda, as 2 km para fazer a ligação com acom a ciclovia da orla de Recife. orla de Recife (projeto)Também em obras no município, mou o secretário de Serviços Pú- ruas são muito blicos do município, Evandro Ave- 2 km de ciclovia na pista Lestea requalificação da Avenida Ayr- lar. Segundo ele, também há pro- estreitas e teria da Ayrton Senna (em execução)ton Senna, que passará a ter uma jetos de implantar ciclovias na re-ciclovia de 2 kms na pista leste. qualificação da Estrada de Curcu- que haver muitas As ciclovias em trechos isola- Totaldos são apenas um primeiro pas- rana e no trecho do eixo de inte- desapropriações”so. A interligação da cidade em gração da BR 101 com Jaboatão Centro pela PE - 17. 7 km de ciclovia para ser Sônia Calheiros, sec. de Planejamento Bairro Novo tem 2km de ciclovia e vai ganhar mais 4km implantado até o fim do ano
    • 4 especial DIARIOd e P E R N A M B U C O - Recife, domingo, 31 de julho de 2011 d desafios para o trânsito do amanhãPavimentando o futuro FOTOS: PAULO PAIVA/ESP. DP/D.A PRESSIntervenções nasrotas do turismo eduplicação da segundaperimetral interligadaa uma nova via sãoprioridades em OlindaA Cidade Patrimônio Cul- tural da humanidade tem carências de mobili-dade na área do Sítio Histórico.Mas não é só. Além dos limites dacidade histórica, os problemas sãoainda mais evidentes. Um dosgrandes desafios é melhorar a qua- desafioslidade do pavimento das vias, a si-nalização e os passeios. Uma dasintervenções previstas é a recupe-ração das vias de interesse turís-tico. Pelo menos treze vias serãorecuperadas. O projeto não inclui,no entanto, obras de acessibilida-de e a implantação de ciclovias. “Não há como fazer tudo deuma só vez. Os recursos que Olin-da conseguiu foram para deixaressas vias, de importância turísti-ca, em condições adequadas detrafegabilidade”, explicou o secre-tário de Serviços Públicos do mu-nicípio, Oswaldo Lima Neto. Es- Cartão de visitas da cidade-patrimônio, Sítio Histórico será recuperado com a pavimentação das vias, dos passeios e o reforço na sinalizaçãoMetropolitana + saibamaisNorte, orçada em Mapa viário das obras de OlindaR$ 400mi, é obra Requalificação da Avenida Presidente Kennedy Implantação do binário da Kennedymais ambiciosa Duplicação da 2ª perimetral Expansão da via litorânea até a Ponte do Jangapecialista em trânsito e professor acia Bebe Recuperação das vias dos bairros da bacia do Beberibeda Universidade Federal de Per- Vetor Norte/Sul (da Avenida Olinda até o limite de Paulista enambuco, ele conhece bem os de- Vetor Norte/Sul- PE-15safios da mobilidade. “Não hou- ennedy Vetor Leste/Oeste - Avenida Presidente Kennedyve planejamento das cidades e há Fonte: Prefeitura de Olindamuito o que ser feito. O trabalhoconjunto de melhoria de pavi- Via Metropolitana Norte - Olindamentação e gerenciamento do trá-fego é o caminho dentro das li- 1 Projeto de Urbanização - canal de Bultrinsmitações existentes”, afirmou. 2 Complementação da 2ª perimetral/ Uma cidade com pouco mais Via Metropolitana Nortede 300 mil habitantes e uma fro- 3 Construção de lagoas de retenção e urbanização so Fragota de 108 mil veículos, não era pa- do entornora sofrer tanto com os gargalos 4 Áreas para reassentamentos- construção de ultrins conjuntos habitacionaisdiários, mas sofre. Olinda fica na anal Brota do Recife para quem vem dolitoral Norte. A PE-15, que corta o 4 rte / Cmunicípio é uma rodovia esta- 2 na Nodual que faz parte do projeto do 5 Avenida Presidente Kennedy vai ganhar um corredor de ônibus no canteiro central PE 1Corredor Norte/Sul. O trânsito in- politatenso na via acaba trazendo im- Norte vai margear os canais do lio Vargas ou Carlos de Lima Ca- principal ligação para os altos 3 4 Metropacto nas vias internas. Fragoso e do Bultrins, saindo do valcanti. Poderá fazer fazer essa li- de Olinda e para a segunda pe- Um dos projetos mais espera- limite de Paulista para se encon- gação pela Metropolitana Norte”, rimetral. A via que está sendo Perimetral II Perimetraldos é a duplicação do trecho da trar com a 2ª perimetral na PE- afirmou. Apesar da sua importân- requalificada vai receber um cor- Novo Viaduto Nov iaduto 2 ante2ª perimetral que fará ligação 15. “Haverá um viaduto que vai cia não há ainda um cronograma redor exclusivo de ônibus no can- 3 valc tocom uma nova via a ser implan- passar por cima do terminal de definido das obras. “É uma obra teiro central, semelhante ao que o Pre a Ca çã ltada: a Metropolitana Norte. Se- integração da PE-15 ligando a muito cara que será feita em par- existe hoje na Avenida Caxangá. ca tra ol pli e l Our Du erim Limgundo o prefeito de Olinda, Re- Metropolitana Norte, explicou o ceria com o estado e o governo fe- “Paralela à Presidente Kennedy, 1 II P s denildo Calheiros, a via é a mais im- prefeito. deral. Nós estamos trabalhando nós criamos um binário com as Cana Av. G Canal Bultrins arloportante intervenção para me- A nova via e o trecho duplica- o trecho do canal dos Bultrins”, avenidas Transamazônica e Bra- or Clhorar o tráfego que hoje passa do da perimetral vão totalizar 10 adiantou o prefeito. sília, que vão servir para desafo- naddentro do município e está orça- quilômetros de extensão. “Quem Outra via estratégica dentro gar a Kennedy”, explicou a se- overda em mais de R$ 400 milhões. vier de Paulista e quiser ir para o da dinâmica do trânsito no mu- cretária de planejamento e ges- PE 15Pelo projeto, a Metropolitana Recife não precisará usar a Getú- nicípio é a Presidente Kennedy, tão, Sônia Calheiros.
    • DIARIOd e P E R N A M B U C O - Recife, domingo, 31 de julho de 2011 d especial 5 desafios para o trânsito do amanhã + saibamaisPor um sistema BR 408 BR 232 4viário integrado 2 Cavaleiro Cavaleiro 1 BR 101 101 PE 007 Eixo ão Integraç te MARCELO SOARES/ESP DP/D. A PRESS PE 017 3Jaboatão quer garantirvelocidade ao trânsito, 01 BR1quebrar o isolamentoexterno e investir naligação dos bairros quenão se interligam Curcurana CurcuranaC omo tirar uma cidade do isolamento metropolita- Mobilidade nos centros no? O município de Jaboa- urbanos de Jaboatãotão dos Guararapes está sendo re-desenhado do ponto de vista viá- 1 Jaboatão Centro: Bináriorio. A começar pela requalifica- da Avenida Manuel Rabelo eção da Estrada da Batalha, um dos Av. Visconde do Rio Branco eprincipais acessos ao litoral Sul. A a requalificação das PE-07obra foi o pontapé para uma sé- 2 Jaboatão Centro: Estrada darie de mudanças no traçado viá- Luz, a requalificação da viario do município. O bairro de Pra-zeres, por onde passa a via, tam- 3 Centro Urbano de Prazeres:bém receberá um binário que vai Avenida Ayrton Senna e bi- nário da Aarão Lins de An-ligar a Estrada da Batalha à Ave- drade e as ruas Emiliano Ri-nida Ayrton Senna, que também beiro e Cel Francisco Galvãoserá requalificada. A Ayrton Sen-na vai receber um corredor exclu- 4 Centro Urbano de Cavaleiro:sivo de ônibus e ciclovia. O proje- Requalificação das ruas doto também inclui a melhoria das entorno do mercado com a implantação de um bináriocalçadas e sinalização. “Nós estamos priorizando osprincipais corredores de tráfegopara dar mais velocidade ao trân- Principais eixossito. Pela Avenida Ayrton Senna metropolitanos de Jaboatãotambém vai passar o projeto do es-tado, do Corredor Norte/Sul”, ex-plicou o secretário de Serviços Pú- 1. BR-101 (Radial do contorno da RMR)blicos do município, Evandro Ave-lar. Um dos maiores desafios que 2. BR-232 (Interiorização)o prefeito Elias Gomes disse que 3. BR-408 (Acesso Cidadetem pela frente não é apenas ti- da Copa)rar a cidade do isolamento me- 4. Eixo de Integração (PE-17,tropolitano, mas também do seu Estrada de Curcurana,próprio isolamento. Segundo o Av.Manoel Rabelo/Av.Barão deprefeito, são várias cidades dentro Lucena e Estrada da Batalha)de uma que não se interligam.“Tem a cidade de Prazeres, de Pie- 5. Eixo do Metrô (Linha Recife/Jaboatão Centro;Linhadade e Candeias, de Jaboatão Cen- Tip e Linha Cajueiro Seco)tro e de Cavaleiro. Nós queremoscriar uma unidade e o sistema 6. Eixo do Trem (Cabo/Curado e futura implantação do VLT Cajueiro Seco/Cabo)Estão previstas 7. Corredor Norte/Sul (BR-101, PE-15, Av.Agamenoncerca de 300 Magalhães, Domingos Ferreira e Ayrton Senna)intervençõespara este ano Fonte: Prefeitura do Recifeviário é fundamental na melho- foros sicronizados. Dentro das de não será contemplada nessas comporta mais o tráfego.É uma si- “Com essas intervenções a gente Av. Bernardo Vieira deria da mobilidade”, explicou. ações de mobilidade, estão pre- obras. Para um município que tuação insustentável”, afirmou. vai possibilitar tirar a área mais an- Melo já tem sinalização Melhorar as condições das vias vistos investimentos na ordem de nunca priorizou o sistema viário, No local será construído um biná- tiga de Jaboatão do isolamento”, vertical e horizontale criar novas mecanismos de liga- R$ 71,5 milhões dos cofres do mu- as lacunas ainda são grandes. rio das avenidas Manuel Rabelo e afirmou o secretário. No bairro de afirção entre os bairros fazem parte nicípio para cerca de 300 interven- De acordo com o secretário de Visconde do Rio Branco. Cavaleiro está prevista a requalifi-do plano de mobilidade do mu- ções este ano, incluindo o biná- Serviços Públicos, Evandro Avelar A intervenção inclui ainda a re- cação das ruas do entorno do mer-nicípio previsto para ser implan- rio da Avenida Aarão Lins de An- as ações de melhoria da mobilida- qualificação da PE-07, uma via es- cado e a implantação de um bi-tado até 2020. Mas algumas ações drade, em Prazeres. Além da pa- de dos centros urbanos do muni- tadual, que faz a ligação ao bair- nário. Na área das praias, uma dasjá estão em curso. A Avenida Ber- vimentação de 254 ruas com ser- cípio envolvem inerligação de ro de Cavaleiro e a BR-101. A ação intervenções previstas em parcerianardo Vieira de Melo, que sequer viços de drenagem e saneamen- áreas até agora esquecidas. É o ca- também prevê a requalificação da ualificação com o estado é a duplicação daera sinalizada, ganhou sinaliza- to. É um esforço, sem dúvida, po- so de Jaboatão Centro. “A via prin- Estrada da Luz, que faz a ligação Estrada de Curcurana com paradasção horizontal e vertical e semá- rém mais uma vez a acessibilida- cipal do centro de Jaboatão não de Jaboatão Centro com a BR-232. em baias e ciclovia.
    • PEDROM/DPCADERNOESPECIAL TERÇA-FEIRA Recife, 30 de agosto de 2011 DIARIOdeP E R N A M B U C O Tecnologia P Inteligência a serviço serviço do trânsito Encontrar caminhos livres para trafegar não tem sido fácil. a exemplo do site transitolivre.com e do Twitter. Mas é preci- te, é necessário também um eficiente trabalho na engenhariaSeja de carro, a pé, ou de transporte público. Mas há mecanis- so também apostar nas políticas públicas de mobilidade. O de tráfego. Na quinta edição do Fórum Desafios para o Trân-mo para reduzir os efeitos danosos dos engarrafamentos. O pri- último Plano Diretor de Transporte Urbano (PDTU), de 2008, sito do Amanhã, esse foi o principal tema da pauta, com dis-meiro deles, indiscutivelmente, é o investimento no transpor- aponta as diretrizes para o sistema viário com projeções até cussões em torno da capacitação dos agentes e da tecnologiate público. O outro é dispor, com antecedência, de informações 2020. O plano indica as intervenções viárias, mas também disponível para atuar na fiscalização. Para enriquecer o deba-sobre os gargalos. E, nessse sentido, a tecnologia está cada vez aponta alternativas para o pedestre e o ciclista. E na parte que te, o Diario foi a São Paulo conhecer o funcionamento da en-mais ao alcance de todos. A internet é uma das ferramentas, cabe ao transporte individual, que acaba sendo a maior par- genharia da maior cidade do país. Temos muito a aprender. EXPEDIENTE: Diretora de redação: Vera Ogando Textos: Tânia Passos Edição: Lydia Barros Edição de fotografia: Heitor Cunha Edição de arte: Christiano Mascaro
    • 2 especial DIARIOd e P E R N A M B U C O - Recife, terça-feira, 30 de agosto de 2011 d desafios para o trânsito do amanhã CECILIA DE SA PEREIRA/DP/D.A PRESSNo sitewww.transitolivre.como internauta acompanhaem tempo real asituação do trânsito ecalcula melhor sua rotaT odo brasileiro é um pou- co técnico de futebol. No trânsito, não é muito dife-rente. Todo mundo opina. Mas pe-lo menos em um aspecto, a ope-racionalização do tráfego pode es-tar ao alcance dos dedos. Na quin-ta edição do Fórum Desafios pa-ra o Trânsito do Amanhã, promo-vido pelos Diários Associados, quetratou da questão da engenhariade tráfego, uma ferramenta cadavez mais poderosa, a internet, setorna parceira para driblar os gar-galos no trânsito. No sitewww.transitolivre.com, os inter-nautas podem traçar suas rotas eacompanhar em tempo real qualdelas oferece a melhor opção detrafegabilidade. Pelo menos nopróprio trajeto, o motorista é simum engenheiro do seu tráfego.Além da internet, o celular, o rá- Sérgio Baptista, dadio e a televisão são ferramentas SegSat, parceira do Seja engenheiroque ajudam na guerra diária pa- pernambuco.com nara vencer as distâncias. oferta do serviço O estado caminha para atin-gir a marca dos dois milhões deveículos e mais da metade cir-cula na Região Metropolitana do do seu percursoRecife. Não por acaso, é cada vezmais comum os motoristas caí-rem nas armadilhas das rotas al-ternativas. O que é bom em umdia, pode não ser necessariamen-te no outro, e o motorista correo risco de ser surpreendido com TERESA MAIA/DP/D.A.PRESS JULIO JACOBINA/DP/D.A.PRESSPara ter acesso >> acesseaos dados, usuário www.transitolivre.comprecisa fazer um Confira as melhores opções de trajeto paracadastro simples evitar congestionamentos A população tambémmais um engarrafamento. Na poderá participar,plataforma do site é possível es- enviando informações:colher os caminhos mais livrese acompanhar o comportamen- pelo telefoneto do tráfego a qualquer hora do 3421-4244dia e da noite. “Acho que é umaexcelente contribuição para a pelo twittermelhoria da mobilidade na nos- @transitolivrepesa cidade”, ressaltou o vereadorMaré Malta, autor de um proje-to de lei que pretende criar esca- por SMSlonamentos de horários para as Maria de Pompeia, presidente da CTTU, elogia iniciativa Maurício Pina acredita que um carro a menos faz diferença número 50056escolas e o funcionalismo públi- (custo de R$ 0,31 + impostos)co no sentido de reduzir os f lu- fluxos nos horários de pico. tos”, destacou Pina. cife. O conteúdo do site também formações definidas sobre qual zar um cadastro simples no site, pelo site Para o especialista em trânsi- As principais vias da Região Me- pode ser acompanhado pelo pro- caminho tomar no dia específico informando seu CEP e, então, po- radioclubeam.com.brto e professor de engenharia das tropolitana do Recife são apresen- grama Trânsito Livre, na Rádio da consulta. Por ser muito dinâ- derá adicionar seus endereços pre-- euniversidades Federal e Católi- tadas no site sob quatro cores, que Clube AM (720 khz), das 7h às 9h mico, isso muda com facilidade. ferenciais, como residência, tra-ca de Pernambuco, Maurício Pi- indicam as condições do tráfego. e com flashes na programação. f lashes Um dia, será melhor seguir pela balho e escola dos filhos. Programaçãona, o site é um instrumento que Na página, também é possível Além de informar os possíveis Imbiribeira, no outro, pela Aveni- Com as informações na tela, oajudará a reduzir as vias engar- acompanhar as imagens das câ- caminhos, o transitolivre.com cal- da Conselheiro Aguiar. O site é usuário consegue obter até duasrafadas. “Se o motorista conse- meras da Companhia de Trânsito cula, de acordo com a velocidade que vai ajudar nessa decisão”, ex- alternativas de trajeto. Segundo Rádio Clube AM (720khz)gue saber com antecedência on- e Transporte Urbano do Recife (CT- desenvolvida na via, no horário plica o diretor da SegSat, Sérgio Sérgio Baptista essa limitação foi das 7h às 9h e flashes ade há gargalo, ele tem condições TU), atualizadas minuto a minu- da consulta, o tempo esperado pa- Baptista. A empresa é parceira do uma opção para evitar o conges- partir das 14hde evitar essa via e, dessa forma, to. E ainda observar, em uma úni- ra que a pessoa chegue ao seu des- Pernambuco.com na disponibili- tionamento do sistema. “De qual- Apresentação:será um carro a menos para con- ca tela, a situação dos principais tino. “Dessa forma, você persona- zação do serviço. Para ter acesso quer forma as pessoas podem Kaká Filho (manhã) etribuir com os engarrafamen- corredores viários do Grande Re- liza a busca de trajetos e recebe in- aos dados, o usuário deve reali- criar roteiros diversos”, explicou. Eduardo Lima (tarde) REPRODUÇÃO TRANSITOLIVRE .COM REPRODUÇÃO TRANSITOLIVRE OLIVRE. LUCAS OLIVEIRA/ESP. DP/D.A PRESSInformação móvelé tempo ganho Os caminhos mais curtos nem população dispor das mais diver-sempre são as melhores opções. A sas ferramentas para se informarestudante do curso de direito Cláu- sobre o trânsito, mas faz um aler-dia Maria Borba, 26 anos, mora ta. “A CTTU entende que a popu-na Zona Norte do Recife e estuda lação precisa estar bem informa-no centro. Para se informar sobre da. Mas é importante lembrar queo trânsito, ela costuma acessar o as consultas aos celulares devemTwitter. Acho mais prático e não ser feitas antes de as pessoas come-- comeperco tempo”, afirmou. “Hoje é çarem a dirigir. Ou seja, o uso domais fácil ter acesso a essas infor- celular só deve ocorrer se o carromações e isso significa também estiver estacionado. Não é permi-menos tempo no trânsito”, disse. tido usar o aparelho quando o si- A presidente da CTTU, Maria de nal fecha ou o trânsito estiver pa-Pompéia, considera importante a rado”, ressaltou Maria de Pompéia. Cláudia Borba acessa o Twitter porque acha mais prático Motorista pode personalizar busca de trajetos na página personalizar busca trajetos
    • DIARIOd e P E R N A M B U C O - Recife, terça-feira, 30 de agosto de 2011 d especial 3 desafios para o trânsito do amanhãCapacitação para quemestá na linha de frente + saibamais BLENDA SOUTO MAIOR/DP/D.A PRESSEstudiosos defendem aespecialização dosagentes de trânsito. A legislação e os agentes de trânsitoParceria entre CTTU euniversidades pode No Código de Trânsito Brasileiro (CTB), o artigosistematizar formação nº 280 determina que a autoridade de trânsito podeE m uma metrópole que re- designar para a função de cebe quase um milhão de agente de trânsito, o servidor civil, estatutário, celetista e veículos, a operacionaliza- ainda o policial militarção do tráfego exige cada vez maisum trabalho especializado. Uma Já a Constituição Federal dedas grandes polêmicas em relação 1988 diz, no parágrafo 8º doà municipalização do trânsito es- artigo 144, que a guardatá na capacitação dos agentes de municipal tem a função detrânsito. Na maioria das cidades guardar e zelar pelo patrimôniobrasileiras, o guarda municipal Para o Departamentoatua no trânsito. No Recife não é Nacional de Trânsito (Denatran)diferente. Embora não haja con- o entendimento é o mesmo dasenso sobre o exercício da fun- Constituição Federal e nãoção, o próprio Código Brasileiro reconhece o guarda municipalde Trânsito (CTB) deixa uma bre- como agente de trânsitocha, no artigo 280, admitindoque a autoridade de trânsito tem O Denatran, no entanto, não Falta de gestão na operação do trânsito e ausência de estrutura de pessoal e equipamentos comprometem eficiência interfere diretamente naso poder de designar para a fun- políticas municipais e a maioriação o servidor civil, estatutário, ce- coisa muito complicada e requer ausência de uma estrutura ade- Urbano (CTTU). O professor de cou. A presidente da CTTU, Ma- dos municípios brasileiros usa aletista e ainda o policial militar. um pessoal especializado. É ne- quada tanto de pessoal quanto engenharia das universidade Fe- ria de Pompéia, aceitou as críti- guarda municipal como agentes Segundo o professor de enge- cessário um quadro concursado de equipamentos. deral e Católica de Pernambuco cas. “Acho que essa parceria com de trânsito. É o caso de Recife.nharia da Universidade Federal com agentes de trânsito e não Na quinta edição do Fórum Maurício Pina sugeriu a criação a academia é importante e nósde Pernambuco (UFPE), Oswaldo guardas municipais. Eu acho que Desafios para o Trânsito do Ama- de um núcleo de capacitação. aceitamos. Além disso, estamos O curso para formação doLima Neto, a engenharia de trá- guarda tem outra função”, criti- nhã, uma das propostas apresen- “Nós precisamos formar pessoas realizando um concurso até o agente de trânsito feito pelafego é uma das disciplinas do cou. Para ele, uma das grandes tadas foi a criação de uma par- capazes de atuar no trânsito em fim deste ano para melhoria do própria CTTU tem duraçãocurso de engenharia e exige uma falhas na questão do trânsito é ceria entre a academia e a Com- todos os níveis, desde o agente de quadro técnico da CTTU”, afir- média de 122 horasespecialização. “Trânsito é uma a falta de gestão na operação e panhia de Trânsito e Transporte trânsito até os gestores”, expli- mou Pompéia. Fonte: CTTU e Denatran
    • 4 especial DIARIOd e P E R N A M B U C O - Recife, terça-feira, 30 de agosto de 2011 d desafios para o trânsito do amanhãTANIA PASSOS/DP/D. A PRESS TERESA MAIA/DP/D.A.PRESS Com sete milhões de carros nas ruas, São Paulo possui seis centrais de monitoramento, a maior cobrindo 868Km. No Grande Recife, uma central controla 500 mil veículos O Big brother por Fonte: CTTU e CET + saibamais Os números do Recife 216 km² de cobertura trás do fluxo nas vias 1 central de monitoramento de tráfego 500 mil veículos é a frota da capital ta. Para que isso ocorra são ne- meras e dois mil agentes. Outra cou Hércules Justino, superinten- formam em rios; antes, os car- 400 agentes Monitoramento permite identificar o cessários dois requisitos básicos: ferramenta que ajuda a enxergar dente da Companhia de Enge- ros eram arrastados, agora a gen- 66 câmeras, que as autoridades de trânsito o que está acontecendo no trân- nharia de Tráfego (CET - SP). Além te tem a informação com antece- sendo 27 com problema e remover o tenham conhecimento do que sito, são os Postos Avançados de da própria infraestrutura de 20 dência do nível de inundação e transmissão online obstáculo que provoca está acontecendo e disponham Comunicação (PAC), que funcio- guinchos entre médios e gran- fecha as vias. Ninguém passa até o congestionamento dos elementos necessários para nam em 32 edifícios da capital. Ou des, a CET licitou empresas para ser seguro”, detalhou. 1 guincho resolver o problema. seja, os prédios servem de postos serviços terceirizados de guin- Com mais de 40 anos, a CET próprio de médio porte U m carro quebrado em O Diario foi até a central de de observação com agentes de cho e até limpeza das vias, em acumula experiência e tecnolo- uma via de fluxo inten- f lux operação de tráfego da maior me- caso de acidente. “Imagine se um gia, mas tem como seu maior 4 guinchos so ou estacionado de for- trópole do país para conhecer de Carro quebrado ou caminhão tomba e despeja óleo obstáculo o crescimento da fro- com uma empresa terceirizada ma irregular é uma faixa a me- que forma funciona a gestão do na pista. A gente tem uma empre- ta. Para uma cidade com sete mi- (porte médio) nos e congestionamento na cer- trânsito em uma cidade que já parado em uma sa contratada para fazer essa lim- lhões de veículos e dois mil agen- ta. E o motorista que está em superou a marca dos sete milhões peza, do contrário, a via não se- tes de trânsito, a proporção é de 48 equipamentos meio ao caos costuma se pergun- de veículos. Se em São Paulo os en- via de movimento ria desobstruída”. Há ainda uma um agente para cada 3.500 car- eletrônicos tar se ninguém da central de garrafamentos costumam ser me- é certeza de “nó” interação com os bombeiros, a ros. No Recife, se contarmos so- operação de tráfego está vendo didos por quilômetros, imagine polícia e outras secretarias mu- mente a frota da capital de 500 Os números de São Paulo aquilo? Uma das premissas bási- o que seria da cidade sem o efi- nicipais. “Se tivermos problema mil veículos e 400 agentes, a pro- cas da engenharia de tráfego, se- ciente sistema de monitoramen- trânsito munidos de binóculos e de buraco em via que esteja atra- porção é de um agente para 1.250 1,6 mil km² gundo os especialistas, é identi- te de tráfego existente. São seis rádio para avisar se alguém está palhando o trânsito, a gente en- carros. Por enquanto, a nossa si- de cobertura ficar o problema e remover rapi- centrais de monitoramento. A fazendo besteira no trânsito. tra em contanto com a empresa tuação está um pouco mais “con- damente qualquer obstáculo que maior delas fica no centro da ca- “Se um carro estacionar em de manutenção”, afirmou. Em fortável”, mas com a velocidade 6 centrais esteja impedindo o fluxo nor- pital e cobre uma área de 868 qui- uma via de trânsito intenso, isso São Paulo, a chuva é outro fator do crescimento da frota, ou seja, de monitoramento de tráfego mal das vias, seja um carro pa- lômetros. Para isso, conta com significa três quilômetros de en- complicador e mais do que con- de cinco mil novos veículos por rado no meio do caminho, um 360 operadores em quatro turnos, garrafamento e, para desfazer o gestionamentos há o risco de en- mês, essa margem não significa 7 milhões de veículos acidente ou até buracos na pis- nos sete dias da semana, 356 câ- nó, eu levo até uma hora”, expli- chentes. “Algumas vias se trans- muito tempo. 2 mil agentes TANIA PASSOS/DP/D. A PRESS de trânsito (para toda a cidade) Questão de (boa) educação 356 câmeras (da central do centro para uma área de 868 km) Um dos trabalhos mais impor- ro contato deles ocorre com as destre e, se não tiver faixa, tem tantes da Central de Engenharia normas de trânsito. O trabalho que atravessar longe das curvas”, 20 guinchos de Tráfego de São Paulo (CET) es- impressiona não apenas pela cu- afirmou Daiane Vitória, 9, da es- próprios - tamanhos médios tá voltado para a educação no trân- riosidade natural que é desperta- cola municpal Fagundes Varela. e de grande porte sito. No centro de treinamento da da, mas também pela vontade que O centro de treinamento foi companhia funciona um verda- eles têm de fazer o que é certo. implantado em 1991. A última 30 guinchos de empresas terceirizados deiro laboratório do trânsito. As Depois de uma breve palestra, campanha da CET é sobre o res- (médio e de grande porte) ações são voltadas principalmen- eles seguem para a cidade cenográ- peito à faixa de pedestre. “A CET te para as crianças, mas há tam- fica com vias urbanas. Usar a fai- está sendo pioneira nesse traba- 19 painéis bém cursos direcionados para ado- xa de pedestre e prestar atenção lho e a gente percebe que há uma de mensagens nas vias centrais lescentes e adultos. nas cores dos semáforos são par- preocupação também da popu- O centro de treinamento tem te da brincadeira educativa. “Gos- lação em participar”, afirmou 575 equipamentos agenda diária com alunos de esco- tei muito e aprendi que não pode Irismar Menezes, gestora de edu- de fiscalização eletrônica las públicas ou privadas. O primei- atravessar a rua fora da faixa de pe- pe- cação da CET. Da teoria, crianças treinam em uma cidade cenográfica
    • DIARIOd e P E R N A M B U C O - Recife, terça-feira, 30 de agosto de 2011 d especial 5 desafios para o trânsito do amanhã Hora de inverter a lógica da mobilidade RICARDO FERNANDES/P/D. A PRESS N Passeios encurtados ão há como ser diferente. e alargamento de A escolha das políticas pú- blicas de mobilidade traz vias privilegiam o consequências diretas no tipo detransporte individual. mobilidade que nós temos. A apos- Pedestre nunca é ta do poder público, nas últimas levado em conta duas décadas, pelo menos, tem si- do pelo transporte individual. Es- pecialista em mobilidade urbana, o engenheiro e consultor Germa- no Travassos destacou algumas in- tervenções viárias no Recife que mostram essa tendência. Ele fez um recorte em um raio + saibamais de 1,2 quilômetro, no entorno do Terminal Integrado Joana Bezer-Desempenho da rede viária ra, que tem um público diário deda RMR a partir do PDTU cerca de 40 mil pessoas. O especia- lista aponta que, mesmo sendoEstratégia Nada Fazer - um dos terminais com maior mo-2012 (ano base 2007) vimento na cidade, as interven-200% de aumento de vias ções feitas no entorno privilegia-congestionadas na RMR ram o transporte individual. E ele destaca: as pontes Joaquim Car-63% de redução de vias com doso e Gregório Bezerra, o alar-boas condições de fluidez gamento do Viaduto Capitão Te-83% de tempo tempo gasto a mudo e a implantação da Viamais em vias congestionadas Mangue. “Tanto o pedestre comoem relação a 2007 o passageiro de ônibus não rece- Congestionamentos na Avenida Herculano Bandeira, no Pina, não acabaram com as intervenções viárias beram nenhum tipo de benefícioEstratégia Nada Fazer- a exemplo de ciclovias ou melho-2020 (ano base 2007) ria nas condições do próprio ter- minal”, avaliou Travassos. O Ter- Amanhã, está a Avenida Hercula- no Bandeira, no Pina. A via teve os cação para receber ciclistas, que não é aproveitada. Não há um lo- >> automóveis em 1º plano213% de aumento de viascongestionadas na RMR minal Joana Bezerra é um dos 11 passeios encurtados nos dois sen- cal apropriado e mesmo assim os que irão receber intervenção do tidos para priorizar o transporte ciclistas improvisam um estacio-64% de redução de vias com 5 governo do estado com recursos individual e mesmo assim não namento”, revelou.boas condições de fluidez avaliados em R$ 44 milhões nos conseguiu acabar com os proble- Além dos ciclistas, os terminais 496% de tempo gasto a mais 11 equipamentos. “Foram neces- mas de congestionamentos. “O pe- integrados poderiam também ofe- 3nas vias congestionadas em sários 14 anos para finalmente os destre não é levado em conta. O recer opção para os motoristas que Linha 1relação a 2007 terminais serem contemplados passeio é estreito e com obstácu- quiserem deixarem o carro e pe- 2 do Metrô com investimento. Para se ter uma los, e para piorar, a via exclusiva gar o transporte público. Aliás, so-Benefícios da estratégia ideia, esses recursos equivalem a de ônibus foi desativada e o trans- bre isso, houve uma tentativa naselecionada em 2020 com uma única intervenção para o porte individual também ocupa década de 1980 que acabou nãoas intervenções propostas transporte indivual como é o ca- a faixa do ônibus. Ou seja, regre- vingando no estacionamento do75% de redução das vias so do alargamento do Capitão Te- dimos”, aponta o especialista. Terminal Integrado Joana Bezerra.congestionadas na hora de pico mudo”, comparou o especialista. Dentro da política de oferecer “Era uma ideia boa, mas fora do (1) TI Joana Bezerra, (2) Alargamento Entre as intervenções viárias melhores condições de mobilida- seu tempo. Hoje ela precisaria ser do Viaduto Cap. Temudo, (3) Sistema 6185% de melhoria de fluidez equivocadas para a mobilidade, de, ele aponta ainda a ausência repensada”, apontou o deputado Viário de J. Bezerra, (4) Pte. Joaquimnas vias com boas condições Cardoso, (5) Pte. Gregório Bezerra, segundo Germano Travassos, um de estacionamentos para bicicle- estadual Ricardo Costa (PTC), da co- 7de tráfego (6) Via Mangue, (7) Túnel sob Av. dos palestrantes da 5ª edição do Fó-- Fó tas. “O Terminal Integrado de Iga- missão de mobilidade da Assem- Herculano Bandeira61% de economia de tempo rum Desafios para o Trânsito do rassu, por exemplo, tem uma vo- bleia Legislativa de Pernambuco.em vias congestionadas emrelação ao nada fazer em 2020Benefícios da estratégiaselecionada em 2012 comas intervenções propostas Plano Diretor ainda é só um documento63% de redução de vias As políticas públicas não nas- primeira com a realização das in- 83% em relação a 2007. (concluída), e melhoria da rede fala na 5ª perimetral, que será ocongestionadas na RMR em cem do dia para a noite. É preci- tervenções e a segunda com a es- Passados mais da metade do viária com a construção de via- anel viário, mas a 2ª e a 3ª não fo-relação a estratégia do nada so um planejamento. O último tratégia do nada fazer. prazo para a primeira projeção, as dutos, duplicação de trechos já ram concluídas”, criticou Regil-fazer Plano Diretor de Transporte Ur- O estudo teve como base o ano intervenções previstas não foram saturados, implantação da 3ª pe- ma Souza. Para garantir a mobi- bano (PDTU), concluído em 2008 de 2007 e aponta que o desem- concluídas e a maioria das obras rimetral e a construção de uma lidade, os investimentos previs-148% de melhoria de fluidez e tendo como base as projeções de penho das vias, no caso de ne- sequer iniciadas. O cenário preo- via metropolitana, para desafo- tos pelo PDTU estão orçados emdas vias em boas condições de 2007 até 2012 e 2020, serve de nhuma intervenção ser realiza- cupante tem a seu favor o plano gar o trânsito da BR 101, que pas- R$ 3,5 bilhões. Desses, R$ 2,5 bi-tráfego instrumento para os gestores pú- da até 2012, sofrerá um aumen- de mobilidade para a Copa de sa em zonas urbanas. lhões deveriam ser aplicados até69% de redução do tempo nas blicos direcionarem os investi- to de 200% de congestionamen- 2014. O PDTU indica, por exemplo, Também está previsto no PDTU, 2012 e R$ 1 bilhão até 2020. Avias em relação a estratégia do mentos viários. A coordenadora to e uma redução de 63% das que a implantação de corredores ex- a implantação da 4ª perimetral, maior parte dos recursos está pre-nada fazer em 2012 do PDTU, Regilma Souza, expli- estão em boas condições de uso. clusivos de ônibus, integração dos que está em projeto, o contorno vista no Pacto de Aceleração de cou, durante o fórum, que foram Já o tempo gasto em vias conges- terminais de ônibus com o me- Recife da BR-101. Ainda sem uma Crescimento da Copa. A estimati-Fonte: PDTU analisadas duas conjunturas: a tionadas sofrerá um aumento de trô, expansão da linha do metrô fonte de recursos definida. “Já se va é de aplicar 63% dos recursos.
    • GREG/DPCADERNOESPECIALDOMINGORecife, 25 de setembro de 2011 DIARIOdeP E R N A M B U C O Motos: P contra a barbárie, a educação As mortes no trânsito provocadas por acidentes de motos em A explosão do aumento na forta não veio acompanhada de sandoaofereceralternativasdereciclagemparaumadireçãose-Pernambuco são uma das faces mais cruéis da explosão do au- um aspecto fundamental: a formação dos condutores. Os pró- gura. Eles também chamam atenção da responsabilidade dosmento da frota, que vem crescendo mais de 300% a cada dé- priosmotociclistasadmitemafragilidade dapreparaçãoeotes- fabricantes em relação aos equipamentos de segurança.cada. E a quantidade de mortes já chegou a números alarman- te do Detran não é suficiente para medir a habilidade. O resul- NasextaediçãodoFórumDesafiosparaoTrânsitodoAma-tes. No ano de 2010 foram registradas 571 mortes, uma média tado pode ser visto nas ruas com motociclistas mal preparados nhã, promovido pelos Diários Associados, as motos foram o te- nhã,de 1,5 por dia. No mesmo ano, a frota alcançou 639 mil motos. eimprudentese,oqueépior,transformadosemarmasletaiscon- madadiscussão.Paratentarreverteroquadro,ogovernodoes-Na década de 1990, a diferença entre carros e motos era de tra eles mesmos e terceiros. Mesmo sem a exigência da lei, os tadoinstituiuoComitêdePrevençãodeAcidentesdeMoto,com90%, hoje já reduziu essa distância para cerca de 30%. próprios motociclistas estão se organizando em clubes e pas- a meta de reduzir pela metade as mortes em até 10 anos. EXPEDIENTE: Diretora de redação: Vera Ogando Textos: Tânia Passos Edição: Lydia Barros Edição de fotografia: Heitor Cunha Edição de arte: Christiano Mascaro
    • 2 especial DIARIOd e P E R N A M B U C O - Recife, domingo, 25 de setembro d de 2011 desafios para o trânsito do amanhãFOTOS: TERESA MAIA/DP/D.A PRESS Adrenilson Gonzaga sofreu uma fratura na perna, foi operado e deve ficar um bom tempo no hospital A sorte dos sobreviventes Ediclei dos Santos da Silva ficou dois meses em coma Motos ganham Na Traumatologia do HR, mais de 80% dos internados são vítimas de acidentes de motos. Recuperação costuma ser longa e incerta espaço nas vias Em 1990, Pernambuco tinha bus, vou perder muito tempo”, A emergência da trau- uma frota de apenas 33.381 mo- revelou o motociclista Rozano matologia do Hospi- tos. Dez anos depois houve um Gomes, 39 anos. A expectativa tal da Restauração salto para 144.804, um aumen- da melhora do transporter pú- está quase sendo to de 334%. Era o início de uma blico deve vir com os investi- chamada de emergência de trau- explosão no consumo, que en- mentos para a Copa de 2014. O mas de moto. Mais de 80% dos controu terreno em duas con- estado, o município e o governo atendimentos são de vítimas de junturas: a facilidade na compra federal anunciaram investimen- acidente de motocicleta, que ocu- do veículo com prestações a per- tos na ordem de R$ 1,3 bilhão na pam praticamente todos os lei- der de vista e a corrida para es- infraestrutura viária de trans- tos, todos os dias. Na última se- capar do transporte público a porte, que inclui corredores ex- gunda-feira, o Diario foi conhe- qualquer preço. Não deu outra. clusivos, paradas em nível, ho- cer as histórias dessas pessoas, ví- De 2000 a 2010, houve mais ra de chegada e partida e, de timas do mesmo tipo de trau- 341% de aumento da frota que quebra, a implantação do proje- ma, e que passaram a dividir passou, no ano passado, para to de navegabilidade para a par- suas dores, suas esperanças e ex- 639.404 motos. te Oeste da cidade. pectativas enquanto se recupe- A cada ano, o acréscimo sur- “Não estamos defendendo que ram em uma cama de hospital. Internado há oito meses, José Romariz perdeu a perna depois de passar por seis cirurgias preende. De 2008 para 2009 hou- as pessoas deixem de comprar ve um aumento de 83.096 novas carro ou moto. Mas esses podem Apesar das pai de quatro filhos, ele e a mu- coma e teve perda temporária motos. De 2009 a 2010 esse au- e devem ter outra utilidade, co- sequelas, muitos lher costumavam usar a moto co- mo meio de transporte . “Perdi a da memória. Internado desde o dia 1º de agosto, está quase re- + saibamais mento chegou a 99.020 e a ten- dência é aumentar ainda mais. mo por exemplo o lazer. Nas ati- vidades do dia a dia, o transpor- perna, mas mesmo se não tives- cuperado. Só continua preso à Radiografia Apesar de ser um veículo peque- te público deve ser prioridade e acidentados se perdido não iria mais usar mo- cama devido a uma fratura na dos acidentes no de fácil locomoção, a moto com qualidade”, declarou o pre- voltam a pilotar to. Minha esposa também não perna e outra no braço. “Só é o de moto em PE chega a ocupar 4 vezes mais es- sidente do Fórum Desafios para quer mais. Foi preciso isso acon- tempo de sair daqui para subir paço que o ônibus nas vias. o Trânsito do Amanhã, o enge- Há oito meses internado, o ex- tecer para gente entender que o risco é muito grande e eu pode- na moto. Na minha opinião, é o melhor meio de transporte e de 8.700 Para ser controlada, essa “epi- demia” deve seguir alguns ca- nheiro Laédson Bezerra. O outro viés é o da educação e fiscaliza- atendimentos em 2010 motociclista José Romariz Rêgo, ria ter morrido”, afirmou. trabalho. Não tem outro”, afir- minhos. O primeiro é a melho- ção. “Nós vamos direcionar as 42 anos, assiste à chegada de no- vos pacientes. Alguns conse- Nem todas as vítimas de aci- dente de moto pensam assim. O mou Ediclei. Se depender da mãe, ele terá que procurar outra 571 mortes ria do transporte público. A mo- to ou o carro não podem ganhar ações do comitê de Prevenção de Acidentes em dois pilares: edu- guem ter alta antes dele. José sofreu um acidente no dia 28 de mototaxista de profissão Adre- nílson Ramos Gonzaga, 26 anos, profissão. “Não quero que ele volte a andar de moto. Muita 30% para o ônibus ou o metrô. “Na moto eu chego mais rápido ao cação no trânsito e fiscalização”, detalhou João Veiga, coordena- das vítimas apresentavam janeiro deste ano, na Muribeca, foi internado no HR no dia 30 de gente está morrendo”, revelou sinais de embriaguez trabalho. Se for depender do ôni- dor do comitê estadual. em Jaboatão dos Guararapes. Ele agosto deste ano. Ele sofreu fra- Maria de Fátima dos Santos Ne- havia pego carona na moto de um amigo e viu quando um car- tura na perna, foi operado e de- verá ficar um bom tempo inter- vez, 45 anos. Cirurgião há 21 anos do Hos- 70% não eram habilitadas Evolução da frota de motos em PE ro entrou na contramão e atin- nado. “Uma moto bateu de fren- pital da Restauração, o médico 701.139 motos giu os dois em cheio. Desde que foi internado, ele já passou por te com a minha. Eu desmaiei e acordei no hospital. Mas ainda João Veiga, atual coordenador do Comitê de Prevenção de Aci- 11% (até o mês de agosto) das vítimas ficaram mutiladas 639.406 seis cirurgias, mas acabou per- acho a moto um meio de trans- dente de Motos, diz que já per- motos dendo a perna esquerda. A am- putação havia ocorrido quinze porte seguro. O motoqueiro que bateu em mim estava bêbado. deu as contas de quantas vezes teve que comunicar a um pai ou 20% dos atropelamentos de dias antes de nossa chegada ao Quando eu sair daqui volto a pi- uma mãe a morte do filho, víti- pedestres nas calçadas são hospital. O ex-motociclista esta- lotar”, disse. ma de acidente de moto. “A gen- por motociclistas va conformado, mas inseguro Tamanha disposição também te faz de tudo para salvar e, quan- quanto ao futuro. “Eles fizeram de tudo para sal- pode ser vista no motoqueiro Ediclei dos Santos da Silva, 25 do não consegue, chega o pior momento de dar a notícia. Hoje 77% 33.381 motos 144.804 dos acidentes deixam motos var a minha perna, mas não teve anos, que sobreviveu a um aci- me recuso a fazer isso. Designei os pacientes em estado jeito. O importante é que estou dente por quase milagre. A mo- essa função a um residente. Já muito grave 1990 2000 2010 2011 aqui. Muitos morrem no aciden- to de Ediclei também se chocou dei minha contribuição por 21 te. Só não sei como será minha vi- com outra. O outro piloto mor- anos. Tenho filhos adolescentes da daqui para frente”. Casado e reu. Ele passou dois meses em e me coloco na posição dos pais”. Fonte: João Veiga, em pesquisa no HR Fonte: Detran - PE
    • DIARIOd e P E R N A M B U C O - Recife, domingo, 25 de setembro de 2011 d especial 3 desafios para o trânsito do amanhã ALEXANDRE GONDIM/DP/D.A PRESS - 03/07/2008entrevista >> Moacir Alberto Paes“Não há estudosobre a causa dosacidentes no país” JULIO JACOBINA /DP/ D.A PRESS Vilã ou vítima? Estigmatizada, em função da quantidade de vítimas no trânsito, a moto vem se transformando em alvo fá- cil de críticas. Mas a Associação Brasileira dos Fabricantes de Motos (Abraciclo) questiona a ausência de um estudo da causa dos acidentes. De fato não existe. Também não há ho- je um padrão de fiscalização que seja capaz de identificar as condições do veículo e do condutor. Na entrevista abaixo, o diretor executivo da Abraciclo, Moacir Alberto Paes, fala so- bre o que poderia ser melhorado na fiscalização e capacita- ção. Há muito o que ser feito e os fabricantes também preci- sam ser chamados para fazer a parte deles. Diretor da Abraciclo critica a falta de um padrão na fiscalização de veículos e condutores “ O senhor concorda com a te- hora de tirar a carteira de ha- Na sua opinião, a fiscaliza- rar a qualidade e os acessó- Nós estamos abertos a colaborar se de que a moto é a grande bitação? ção precisaria ser mais rigo- rios serem obrigatórios no no que for possível. E já fizemos vilã no trânsito? Há uma grande lacuna na capa- rosa? ato da venda do produto. algumas iniciativas por conta pró- E ela é? Porque não há nenhum citação. O que importa é passar no Sim. Quando há um acidente en- É preciso que tenha uma regula- pria, inclusive com a realização de Quando há um estudo de causa dos acidentes teste do Detran. Tem uma piada volvendo moto ninguém investi- mentação sobre isso, uma vez mutirão para fiscalizar as condi- no Brasil. Não sabemos ao certo conhecida que diz que basta saber ga se a moto estava com defeito. que não é permitida a venda ca- ções das motos. Foram observa- acidente com dos 21 itens de manutenção em se a responsabilidade é do con- fazer o oito para passar no teste. Em alguns casos é possível iden- sada. E não é certeza se fosse ofe- moto ninguém dutor ou do veículo, ou ainda de E isso, claro, não mede a capaci- tificar se o condutor estava ou recido um capacete básico jun- alguns estados brasileiros. Aqui, terceiros. Um buraco na pista, dade do condutor. Em São Paulo, não alcoolizado, mas a moto não to com a moto, se o motociclis- por exemplo foi observado que se investiga se por exemplo, pode ser um cau- por exemplo, não sei aqui, mas lá é fiscalizada. ta iria utilizar. quebra mais a coroa e a corrente. ela estava sador de acidente. tem motociclista que altera a mo- Não sabemos ao certo a razão, que to para que ela acelere mais e en- Em relação aos itens de se- De que forma os fabricantes precisa ser melhor investigada. com defeito” O motociclista brasileiro é tão fica mais fácil de passar no gurança da moto, os fabri- podem colaborar na redu- Em São Paulo são os freios que preparado o suficiente na teste da rampa. cantes não poderiam melho- ção dos acidentes? são mais danificados. Q U E M D I R I G E E M A LTA V E LO C I DA D E S Ó A P R E S S A N O T Í C I A R U I M . Todo motorista, passageiro ou pedestre têm direito ao seguro DPVAT, mas a gente prefere que você nunca precise DPVA usá-lo. Por isso, seja responsável no trânsito. Não beba se for dirigir. Não trafegue em alta velocidade, nem muito próximo ao veículo da frente. E, se chover, já sabe: cuidado redobrado. A vida agradece. chover, redobrado. Use o seu seguro DPVAT sem intermediários: 0800 022 12 04 ou www.dpvatseguro.com.br DPVAT. O SEGURO DO TRÂNSITO. Administradora do Seguro DPVAT
    • 4 especial DIARIOd e P E R N A M B U C O - Recife, domingo, 25 de setembro de 2011 d desafios para o trânsito do amanhãCondutores malpreparados e a falta + saibamaisde equipamentos de Dicas de como pilotarsegurança nas motos com segurança:reforçam as estatísticas Não passe em alta velocidade entre os carros. NumaA epidemia social resul- emergência, você pode precisar tante do crescimen- frear rápido. E frear acima dos to da frota de motos 30 Km/h entre os carros pode no estado respinga ser muito difícilresponsabilidade para todos os la- A velocidade boa é poucodos. Não há um único culpado. O acima da velocidade dos carros.efeito dominó tem raízes que se Se eles estiverem parados oiniciam desde a ausência de uma perigo é dobradoformação adequada dos conduto- Os motoristas podem abrir ares, da não disponibilização, pe- porta do carro, colocar o braçolos fabricantes, dos equipamen- para fora, ou uma criança podetos de segurança e da falta de res- colocar a cabeça para foraponsabilidade de motociclistas,motoristas e pedestres. Cuidado ao passar ao lado de A resolução nº 356/2010 do Con- ônibus parados. Algumselho Nacional de Trânsito (Con- motorista pode passar pelatran) define os requisitos de se- frente dele tentando atravessargurança, por exemplo, para moto- a rua e dar de cara com vocêfrete e mototáxi: protetor de per- Se você se desequilibrar entrenas e motor, aparador de linha um carro e um ônibus, opte por(corta-pipa), faixas refletivas e di- ef letiv se encostar no ônibus. Ele temmensões das cargas e alça para a superfície mais lisa e poucosapoio dos passageiros, entre ou- Tragédia em pontos para prender sua mototros. A resolução, no entanto, não É mais fácil “rolar” por baixoaponta até onde vai a responsabi- de um ônibus do que de umlidade do fabricante. “Os itens de carrosegurança da moto eram para virjunto com a moto. Ninguém com- Observe os retrovisores. Sepra um carro faltando o cinto de entortar o restrovisor de umsegurança. A nossa legislação é carro, pare e arrume. Se efeito dominóomissa na hora de chamar os fa- quebrar, seja honesto e paguebricantes à responsabilidade”, cri- Não tire “onda” com a caraticou o motociclista e conselhei- dos motoristas presos noro de segurança do Clube Bodes engarrafamento. Eles comdo Asfalto, Aílton Martins Cezar. certeza já estão muito A crítica de quem está numa revoltados por estaremguerra diária no trânsito é tam- presos no trânsitobém em relação à falta de forma- Não pare para discutir. Nãoção dos condutores. E nesse que- FOTOS: TERESA MAIA/DP/D.A. PRESS vale a pena jogar fora seusito a lacuna é talvez a mais da- ca sobre os motociclistas na Câ- nidade de se repensar a forma- tempo em discussões que nãonosa, uma vez que traz conse- mara de Vereadores. ção dos condutores. “O estado trazem benefício algumquências, em geral, irreversíveis A educação no trânsito é um precisa fiscalizar e tornar obriga-para o próprio condutor ou tercei- dos pilares do Comitê Estadual tória uma formação mais com- A velocidade no trânsitoros. “Ninguém aprende a condu- de Prevenção de Acidentes. Se- pleta para os condutores. Não depende muito da capacidadezir nos cursos das autoescolas. A gundo o coordenador e médico adianta criar metas de redução de frenagem da sua moto, e dapessoa aprende apenas a passar João Veiga, será feito um traba- da mortalidade se não se comba- sua habilidade, que você comoe as autoridades sabem disso e lho junto às escolas. “Somente es- ter a raiz do problema”, ressal- bom motociclista, devenão fazem nada para mudar”, te ano, nós teremos 60 escolas tou. E a raiz pode ser o próprio conhecer e reconhecer sempreafirmou Aílton Cezar. E ele não que irão adotar a disciplina de condutor. “Eu costumo dizer que Não pare a moto em cimaé o único. O próprio diretor de educação no trânsito, mas a pro- a moto sozinha não oferece ne- da faixa de pedestre. Vocêfiscalização do Detran, Sérgio posta é ampliar para todos os ní- nhum risco. Mas uma moto com se arrisca a ganhar umaLins, admite que a formação não veis de ensino”, revelou. um condutor mal capacitado é multa e não ganha maisé suficiente. “São escolas de ha- Dentro do tema de educação, tão perigosa quanto uma arma tempo com issobilitação. Não de formação”, reve- o motociclista Aílton Martins Ce- carregada”, comparou Moacir Al- O certo é parar longe dolou durante uma audiência públi- zar acredita que é uma oportu- berto Paes, da Abraciclo. Em 20 anos, frota de motos no estado cresceu 600% sinal (semáforo). Isso também evita a situação desagradávelDesafio para todos do motor morrer na frente de todo mundo À noite é recomendável não parar “em cima” do sinal. Os assaltos acontecem O aumento da frota de motos Qual a parte que cabe a cada veículos menores e ao pedestre. nestes pontosno estado cresceu mais de 600% um de nós? Do estado, a capacita- O pedestre também precisa sa- Se a a rua tiver pouconas duas últimas décadas. É o ção dos condutores, a educação ber ocupar o seu espaço no trân- movimento, é melhor avançar osegundo tipo de veículo em da disciplina trânsito na rede es- sito e isso significa usar a faixa e sinal do que ficar parado. Claro,maior número no estado. Só per- colar e, ainda, a fiscalização. A os passeios. “Precisamos fazer um olhando antes de avançarde, por enquanto, para o carro. parte que cabe aos condutores é pi- trabalho de base. Há registro de Fique atento ao retrovisor.Uma diferença de menos de 30%. lotar com responsabilidade, parti- que 20% dos atropelamentos de Caso veja uma moto com doisEm 1990, essa diferença era de cipar dos cursos de capacitação, pedestres nas calçadas são feitos ocupantes se aproximando,quase 90%. “As motos vieram pa- entender a lógica da direção defen- por motociclistas. Ninguém está deixe a moto engrenada (aliás,ra ficar. É preciso saber conviver siva e saber se comportar no trân- respeitando o espaço de ninguém deixe sempre engrenada) ecom elas e cada um deve fazer a sito em meio a uma selva de car- e é claro que isso não pode con- prepare-se para acelerarsua parte”, afirma o conselheiro ros. Aos motoristas, a responsabi- tinuar assim”, ressaltou João Vei-de segurança do clube Bodes do lidade no trânsito requer também ga, do Comitê Estadual de Pre- Fonte: Motoclube Bodes da EstradaAsfalto, Aílton Martins Cezar. um detalhe básico de respeito aos venção de Acidentes. Diferença entre o número de carros e motos é de 30% (www.bodesdaestrada.com.br)
    • DIARIOd e P E R N A M B U C O - Recife, domingo, 25 de setembro de 2011 d especial 5 desafios para o trânsito do amanhãBasta fazer o oito… LAIS TELLES/ESP. DP/D.A PRESSCom cinco aulaspráticas e o testede condução noDetran, pode-se tirar ahabilitação para motoU ma das maiores críti- cas em relação à for- mação dos motociclis- tas pelas autoescolas ecentros de formação de condutor,para quem vai tirar a carteira dehabilitação para moto, é quanto aotipo de curso que é oferecido. Ameta é deixar o aluno pronto pa-ra o teste do Detran, mas não ne-cessariamente saber conduzir comsegurança no trânsito. “É costume dizer que basta sa-ber fazer o oito com a moto, queo candidato passa no teste”, de-clarou o presidente da AssociaçãoBrasileira dos Fabricantes de Mo-to (Abraciclo), Moacir Alberto Paes.Com 15 aulas práticas em umaautoescola, Andréa Sales, 28 anos,conseguiu tirar a carteira de ha-bilitação para as categorias A e B,respectivamente, carro e moto.Nova resoluçãodo Contran devemelhor níveldos instrutores Cerca de 70% dos candidatos são aprovados no exame, que consiste de desafios de equilíbrio, como curvas, zigue-zagues e subidas em rampas Reaprendendo LAIS TELLES/ESP. DP/D.A PRESS Das quinze aulas obrigatórias,10 ficaram para o carro e cinco com perfeição. Com a moto é a mesma coisa. A prática ensina”, + saibamaispara aprender a pilotar moto. E afirmou Tenório. a pilotarela não teve dificuldade para pas- Se depender do que diz a reso- Você sabe quantossar. Não é um caso isolado. Dos lução do Contran, no caso de mu- tipos de condução de200 exames realizados por dia no dança de classificação, isto é, de motos existem?Detran-PE, cerca de 70% são apro- quem já dirige e vai tirar a cartei-vados. Para o teste da moto, o de- ra para moto, as aulas teóricas Condução Urbana: De volta à sala de aula. O mo- pilotar com segurança”, afirmousafio é fazer o oito, três curvas à não são obrigatórias desde 1998. No trânsito urbano tociclista Everton dos Reis, 27 o instrutor que não teve autori-direita e três à esquerda, um zi- Mas, nesse aspecto, há chances de das cidades anos, pilota moto há dois anos, zação para dar entrevista.gue-zague em dois cones e a subi- melhora. Uma nova portaria do mas teve que se submeter a um Ele faz simulações de frenagem Nos fins de semanada na prancha acelerando sem Contran vai entrar em vigor em curso oferecido pelo Centro de com a moto para mostrar como odesequilibrar. “Não me sinto pron- fevereiro de 2012. Trata-se da re- Lazer Treinamento da Companhia de veículo se comporta em diferen-ta para as ruas. O aprendizado vai solução nº 321/2012, que prevê Engenharia de Tráfego de São tes velocidades e condições do pi-ser na prática”, admitiu Andréa. reavaliação dos instrutores e exa- Condução em BRs: Paulo (CET), que ensina motoci- so. Outro ponto insistentemente Os cursos oferecidos nas escolas minadores dos testes. Andrea tem a carteira, clistas, já habilitados, a enfrentar repetido é quanto a obrigatorieda- Viagense centros de formação estão de A expectativa é de que o nível mas não se sente segura com segurança o trânsito de São de do uso da viseira. “Os motoci-acordo com a resolução nº dos instrutores e examidores pas- TANIA PASSOS/DP/D. A PRESS Paulo. A exigência foi da empre- clistas chegam aqui com muitos168/2004 do Contran. Segundo o se a ser top de linha. “O Detran Condução Off-Road: sa onde ele trabalha. “A firma vícios”, revelou a gestora de educa-coordenador de educação de trân- de Pernambuco está entre os seis Trafegar em terrenos não mandou que todos os emprega- ção da CET, Irismar Menezes.sito do Detran/PE, Marcelo Tenório, detrans do Brasil que vão apli- pavimentados dos que usam a moto como meio No Recife, cursos do gênero sãoas cinco aulas oferecidas são sufi- car a nova resolução. Até o fim de transporte fizessem o curso oferecidos pelo Sesc/Senat e o cen-centes para preparar o aluno. “Pi- do ano, vamos implementar exa- de formação da CET. Aqui estou tro de treinamento de motos da Condução Esportiva:lotar é uma questão intuitiva. O mes para instrutores e examina- reaprendendo a me comportar Honda, em parceria com os clubescurso é suficiente se o instrutor dores”, detalhou Marcelo Tenó- Off-Road no trânsito”, contou. de moto. “Basta o motociclista sepreparar bem o aluno”. rio, que integra o Comitê Esta- (Trilha, enduro, em Um dos ensinamentos do cur- associar a um dos clubes que te- A segurança do coordenador de dual de Prevenção de Acidentes competição de motocros) so é em relação à frenagem. A rá acesso gratuito. Depois da ex-trânsito do Detran não parece con- com Motos. Segundo ele, quem Autódromos moto tem três tipos de freios: periência, a maioria reconhecedizer com o que acontece na prá- não passar no teste e for reinci- (Tracky Days, competições) dianteiro, traseiro e o freio mo- que não sabia pilotar”, contou Aíl-tica. Basta olhar para as estatísti- dente perderá a licença para ser Exibições tor. O instrutor da CET é categó- to Cezar, do Motoclube Bodes dacas dos acidentes. Um total de 8,7 instrutor. Isso dificilmente ocor- (Stunt Bikes, Manobras, rico no primeiro dia de aula. “Es- Estrada. “Infelizmente a procuramil atendimentos com vítimas de rerá. Afinal, se um instrutor não Acrobracias, Arena Cross) queçam tudo o que vocês apren- pelos cursos ainda é muito peque-acidentes de moto em 2010. “Nin- consegue passar em um teste, Motociclistas chegam ao deram para fazer o teste do De- na”, revelou Lúcia Recena, gesto-guém começa a dirigir um carro não precisa dizer mais nada. CET com muitos vícios Fonte: Motoclube Bodes da Estrada tran. Aqui vocês vão aprender a ra do trânsito em Jaboatão.
    • JARBAS/DPCADERNOESPECIAL Leis não andamDOMINGORecife, 16 de outubro de 2011 sozinhas DIARIOdeP E R N A M B U C O P O Brasil tem uma das melhores legislações de trânsito do Éprecisoqueosestadosemunicípiosestejampreparadospara somoseducadosparaotrânsito.Sejacomomotoristaoupedestre.mundo.Aafirmaçãoéquaseumaunanimidadeentreosprofis- lidarcomumtrânsitoqueficamaioracadadia.EmPernambuco, Aindapreferimos,porexemplo,tirar“vantagem”nahoradeesta-sionaisqueatuamnaáreadetrânsito.Masporqueseráquenós, dos 187 municípios apenas 26 tiveram o trânsito municipaliza- cionardeformairregular,atrapalhandootrânsito.Jáopedestrecidadãos,nãosentimosissonaprática?Aocontrário.Osentimento do.Edesses,apenas10funcionamefetivamenteintegrados.Falta nãopensaduasvezesaoatravessarforadafaixa.Parafuncionar,coletivo é de que prevalece a impunidade, o que na verdade é de pessoal qualificado e infraestrutura adequada são algumas a legislação tem que vir acompanhada de um tripé básico: es-umcontrassenso.Easestatísticasmostramisso:cercade40mil dasdeficiênciasdosmunicípios,queacabam nãoconseguindo truturadosórgãosdetrânsito,educaçãodetrânsitonasescolaspessoasmorremporanovítimasdeacidentedetrânsitono país melhorar a qualidade do trânsito. e fiscalização eficiente. Se a lei fosse cumprida, os motoristaseosresponsáveisdificilmentevãoparaacadeia.Ondeerramos? Outra questão que nos equipara a países bem menos desen- “culposos” dariam lugar aos responsáveis, que já teriam enten- Umaquestãoécerta:nãobastaterapenasumaboalegislação. ert volvidos e nos distancia dos países do primeiro mundo: não dido que trânsito seguro depende de todos nós. EXPEDIENTE: Diretora de redação: Vera Ogando Textos: Tânia Passos e Rafaella Magna Edição: Lydia Barros Edição de fotografia: Heitor Cunha Edição de arte: Christiano Mascaro
    • 2 especial DIARIOd e P E R N A M B U C O - Recife, domingo, 16 de outubro de 2011 d desafios para o trânsito do amanhãO difícil dilemada interpretação FOTOS: RICARDO FERNANDES/DP/D.A PRESS - 18/12/2008Acidente provocado por Alisson Jerrar, que dirigia alcoolizado e matou uma pessoa , continua sem desfecho na JustiçaNão há consenso sobre a filha. Aurinete morreu na hora.a culpabilidade de um O empresário acabou sendo en- quadrado no crime de homicídiomotorista que provoca doloso, no caso o dolo eventualmortes. Impunidade ou (quando se assume o risco de ma-cumprimento da lei? tar), e pode ser o primeiro per- nambucano a ir a júri popular em razão de um acidente de trân-N ão há unanimidade sito. A defesa recorreu e o jovem entre os juristas em responde o processo em liberda- relação a tipificação de. Na época, o então presidente de crime em aciden- do Tribunal de Justiça de Pernam-tes de trânsito. Mas na maioria buco, desembargador José Fernan-das vezes, quem provoca o aci- des, chegou a dizer que a senten-dente, mesmo quando resulta ça tinha um apelo pedagógico pa-em morte, é enquadrado em ho- ra os motoristas que costumammicídio culposo (sem intenção dirigir alcoolizados. "A jurispru-de matar). A premissa é de que se dência está mudando para enten-a pessoa tivesse intenção de ma- der que nos casos de delitos detar também correria o risco de trânsito com o motorista embria-morrer. Não por acaso, quase nin- gado, ele assume os riscos. A teme-- eme Rodrigo Lopes estava no carro (acima) com Allssonguém fica preso depois de um ridade da conduta desse condutoracidente. Onde não há culpa, em pode classificar um episódio de “tese, não há punição. morte resultante de um acidente há intenção. No acidente de trân- O primeiro caso em Pernambu- nessas condições como homicí- sito, a intenção da pessoa tam-co que veio de encontro a essa “re- dio doloso", explicou. bém deve prevalecer. Se ela atro-grinha” ocorreu em 2008, mais Para o advogado Paulo César, a pelou alguém e matou, sem a in-de uma década depois que o no- lei não tem o papel de educar e tenção, não pode haver dolo”.vo Código de Trânsito Brasileiro sim de manter o estado de direi- Pode até ser, mas hoje o carro A jurisprudência(CTB) entrou em vigor. Mesmo as- to. “A educação é um papel do es- nas mãos de motoristas desprepa-sim permanece sem desfecho até tado. Manter o estado de direito rados é sem dúvida uma arma, es- está mudandohoje. O empresário Allisson Jer- é respeitar os direitos de todas as teja ele com a inteção ou não de para entenderrar Zacarias se envolveu em um partes. Por mais que exista um provocar acidentes. “Uma pessoaacidente de trânsito em dezem- sentimento de querer fazer justi- que bebe, pega o carro e dirige em que nos casos debro de 2008, aos 21 anos. Ele vol- ça de qualquer forma. A lei tem velocidade é um criminoso. Eletava de uma festa às 5h45, segun- que ser imparcial”, avalia. O advo- não apenas está pondo a própria delitosdetrânsitodo a perícia, dirigindo a mais de gado diz que há uma diferença vida em risco, mas a de outras pes- com o motorista100 quilômetros, quando avan- entre uma pessoa que mata em soas. Quem está no volante temçou o sinal vermelho em um dos um acidente de trânsito e outra essa escolha”, ressalta Diza Gonza- embriagado, elecruzamentos da Avenida Domin- que aponta o revólver e atira. “Se ga, da Fundação Vida Urgente. Elagos Ferreira, Boa Viagem. A ca- alguém puxa o revólver para ou- perdeu o filho em um acidente assume os riscosmionete que ele dirigia atingiu o tro e atira, tem intenção de ma- de trânsito e ajudou a criar a fun-pálio onde estavam Aurinete Go- tar. Mas se você está com a arma dação que leva o nome dele, Thia- Desembargador José Fernandes, ernandes ernandemes de Lima, 33 anos, o marido e e acidentalmente ela dispara, não go de Moraes Gonzaga. ex-presidente do TJ/PELegislação ficou mais rigorosa + saibamais mais Composição do Sistema Nacional 3 - Os órgãos e entidades Os órgãos entidades executivos de trânsito da União, ecutivo trânsito União, O Código de Trânsito Brasileiro diz respeito à formação dos con- do Penal, o homicídio culposo po- na é de seis meses a dois anos. “O dos Estados dos Estados, do Distrito Federal Distrito Federal(CTB) completou 14 anos. Entre dutores. “A legislação tem um ri- de resultar em pena de um a três CTB é bem mais rigoroso do que oso que de Trânsito e dos Municípios; dos Municípios;os avanços na atual legislação, o goroso programa que deve ser anos. Já no artigo 302 do CTB, o o Código Penal. Então, não se po- enal. po- 1 - O Conselho Nacional de Conselhoadvogado Paulo César destaca cumprido pelos candidatos que homicídio culposo, no trânsito, de dizer que há impunidade, mas punidade, 4- Os órgãos e entidades Os órgãos entidades Trânsito - CONTRAN, rânsito CONTRAN,maior rigor para retirar a Cartei- vão tirar a CNH. Mas a questão pode resultar em pena de dois a é natural que as pessoas que per- ue per- executivos rodoviários da União, ecutivo rodoviários União, coordenador do Sistema e oordenador Sistra Nacional de Habilitação (CNH). que precisa ser colocada é se a le- quatro anos de prisão, suspensão deram alguém queiram uma pu- am pu- dos Estados dos Estados, do Distrito Federal Distrito Federal órgão órgão máximo normativo e normativo“Antigamente, a carteira tinha va- gislação está sendo cumprida cor- e proibição da CNH. “No homicí- nição máxima”, opina. e dos Municípios; dos Municípios; consultivo; onsultivo;lidade de até 20 anos. Hoje em retamente pelos centros de for- dio culposo a pena é aumentadadia, a cada cinco ou três anos é mação de condutores”, ressalta. de um terço à metade se o aci- 5 - A Polícia Rodoviária Federal; Rodoviária Federal;preciso fazer a renovação, e issoinclui os testes de aptidão física”, Ainda segundo ela, cabe ao De- tran esse tipo de fiscalização. dente ocorrer na faixa de pedes- tre”, explica o advogado. >> acesse diariodepernambuco.com.br 2 - Os Conselhos Estaduais de Os Conselhos Es Trânsito - CETRAN e o Conselho rânsito CETRAN Conselho 6 - As Polícias Militares dos Polícias Militare dos de Trânsito do Distrito Federal - rânsito Distrito Federalexplica. Na opinião da presiden- Do ponto de vista das penalida- Nos casos de lesão corporal gra- Estados e do Distrito Federal; e tados Distrito Federal; /vidaurbana CONTRANDIFE, órgãos ONTRANDIFE, órgãoste do Conselho Estadual de Trân- des, o CTB contabiliza alguns ve, o Código Penal prevê, no arti- entrevista com normativo onsultivo normativos, consultivos esito (Cetran), Simíramis Queiroz, avanços se comparado ao Código go 129, pena de dois meses a um Paulo César, 7- As Juntas Administrativas de dministrativas coordenadores; oordenadoreo CTB é completo também no que Penal. No artigo 121, parágrafo 3º ano. E no artigo 303 do CTB, a pe- advogado Recursos de Infrações - JARI. ecurs Infrações Fonte: CTB
    • DIARIOd e P E R N A M B U C O - Recife, domingo, 16 de outubro de 2011 d especial 3 desafios para o trânsito do amanhãA cultura da lei seca ARTE SOBRE FOTO DE MARCOS VIEIRA/EM/D.A PRESSApesar das críticas àfiscalização, tolerânciazero ao álcool paraos motoristas, aospoucos, vem mudandocomportamentosN ão se pode dizer que a lei seca não causou im- pacto. A tolerância zeroao álcool para os motoristas, ins-tituída na legislação de trânsitopelo presidente Luís Inácio Lulada Silva, em 2008, ganhou outraconotação e conseguiu mudarcomportamentos. Beber e diri-gir, uma combinação sempre pe-rigosa, passou a ser encaradacom mais cuidado pela maioria.Não apenas pelo medo da mul- + saibamais Números da vigilânciata, mas também pelo risco depassar pelo menos um ano sem Teste de alcoolemia 2008 2009 2010 2011 Totalpoder dirigir. A estudante Raíssa Martins, 22 Total de veículos abordados 47.432 107.535 99621 34.639 289.227anos, há quatro tem carteira de Total de Motos abordadas 1.953 9.279 8.367 2.854 22.453habilitação e começou a dirigirjá consciente da tolerância zero Total de Infrações 4.552 11.731 12.739 4.681 33.703de álcool. “Quando saio para Total de CNH Recolhidas 859 4.051 4.861 1.821 11.592uma balada, deixo o carro emcasa. Ou vou de táxi ou de caro-na, mas não me arrisco”, revela.De agosto de 2008 a julho de fiscalização. Em 2009 foram 107 fiscalização. Só perde para Rio intensas e há também uma crí- ção do Detran, Sérgio Lins, pra- do, mais de cinco mil multas fo-2011 foram fiscalizados no esta- mil veículos fiscalizados e no de Janeiro e São Paulo, mas le- tica em relação ao trabalho dos ticamente não há denúncias em ram aplicadas em motoristas quedo quase 290 mil veículos, o equi- ano passado 99 mil. O trabalho vando em conta a frota e a estru- agentes. “A lei seca quase fun- relação aos agentes do órgão. “A se recusaram a fazer o teste do ba-valente a 14,5 % da frota. é realizado por seis equipes que tura deles”, compara. cionou, mas a partir do momen- gente não tem recebido denún- fômetro, mas apresentavam si- Parece pouco e é. Mas segun- atuam em pontos alternados na Mesmo mantendo o padrão, a to em que alguns agentes come- cia nesse sentido e se ocorrer, ela nais de embriaguez. “Mesmo quedo o diretor de fiscalização e en- capital e região metropolitana, impressão é que a fiscalização çaram a aceitar “bola”, ela per- será investigada. É um procedi- se recusa a fazer o teste, o agen-genharia de tráfego do Detran, de terça a domingo. “O Detran de perdeu fôlego e há alguns pon- deu a força”, critica o empresá- mento totalmente inaceitável te tem condições de identificar seSérgio Lins, o estado vem conse- Pernambuco é um dos mais tos a considerar: as campanhas rio Saulo Gomes, 35 anos. que traz prejuízos para toda a so- há sinais de embriaguez e fazerguindo manter um padrão de atuantes do país na questão da educativas também estão menos Segundo o diretor de fiscaliza- ciedade”, afirma. No ano passa- a autuação”, explica. O S E G U R O D P V AT É C O M O O C A PA C E T E : P R O T E G E V O C Ê E M C A S O D E A C I D E N T E D E T R Â N S I T O. MAS NÃO É POR ISSO QUE VOCÊ VAI DAR MOLE, NÉ? Nos últimos anos, o índice de acidentes envolvendo motos só tem crescido no nosso Estado. É por isso que o DPVAT, o seguro do trânsito, vem alertar você sobre a importância de usar capacete e pilotar com cautela, respeitando sempre as leis. Mas, se mesmo assim acontecer um acidente, conte com o seguro que é um direito seu e dos 190 milhões de cidadãos deste país. Use o seu seguro DPVAT sem intermediários: 0800 022 12 04 ou www.dpvatseguro.com.br DPVAT. O SEGURO DO TRÂNSITO. Administradora do Seguro DPVAT
    • 4 especial DIARIOd e P E R N A M B U C O - Recife, domingo, 16 de outubro de 2011 d desafios para o trânsito do amanhã PAULO PAIVA/DP/D.A PRESS + saibamais O que diz a Lei Motofrete Motocicleta - deve estar equipada com um baú, grelha, bolsas ou caixas laterais para transportar a carga. Mototáxi Motocicleta - deve possuir alças metálicas para apoio do passageiro Condutor - deve usar capacete e colete com faixas refletoras Para exercer a profissão os cerca de 2.800 motoboys e mototaxistas do estado, devem ter, no mínimo, 21 anos de idade e pelo menos dois anos de carteira de habilitação.Mototaxistas e motofretistas terão que passar por curso de especialização e usar equipamentos específicos de segurança O profissional também deverá ter a certificação de Para um ofício um curso especializado deContran regulamenta 30 horas-aula jáatividade profissional regulamentado pelo Contrandos motociclistas, maslei só produzirá efeitos As aulas serão ministradas pelos Departamentos deem agosto de 2012 Trânsito (Detrans) ou porA de risco, a lei instituições autorizadas e profissão de mototaxis- abordarão assuntos relativos ta e motofretista foi re- à ética, cidadania e gulamentada em 2009, segurança.por meio da Lei 12.009, e regula-mentada em 2010. O Conselho Na- O cursocional de Trânsito (Contran) esta-beleceu as Resoluções 350 e 356, Segundo a regulamentação,mas apenas neste ano elas entra- o curso será dividido emram em vigor. A regulamentação JULIO JACOBINA /DP/ D.A PRESS cial do Transporte (Sest) e o Servi- res, empresas e profissionais têm duas etapas: curso teóricodesses profissionais e as novas re- ço Nacional de Aprendizagem do um ano para se adequarem às que terá carga horária de 25soluções sobre equipamentos de Transporte (Senat), que custa novas exigências, ou seja, em horas-aula e o curso desegurança e cursos preparatórios R$160, de acordo com o presiden- agosto de 2012. Até lá, fica a cri- Prática de Pilotagemsó trazem benefícios. te do Sindicato dos Mototaxistas tério de cada prefeitura regula- Profissional com duração de A resolução 350/2010 obriga os de Pernambuco, Rinaldo Tavares. mentar. “As placas vermelhas só cinco horas-aula. Paracondutores a passarem por um Já a Resolução 356/2010, estabe- serão instaladas nos municípios realizar o curso, o condutorcurso de especialização, seja para lece requisitos mínimos de segu- que regulamentarem e fizerem não poderá estar cumprindoo transporte de passageiros (moto- rança para o transporte de carga a licitação”. pena de suspensão dotaxe) seja para entrega de merca- e passageiros. Os veículos deverão Edson Magalhães, tem 42 anos direito de dirigir, cassação oudorias (motofrete). O curso deve ter um protetor de pernas e mo- e há 15 trabalha como mototaxis- impedido judicialmente deter 30 horas, sendo 25 horas de tor, uma antena para proteção con- ta. Para ele, essas resoluções vão exercer os seus direitos.teoria e cinco de aulas práticas. Apesar da regulamentação, es- tra linhas de pipa, e estar cadastra- ajudar a melhorar e fortalecer o dos na categoria aluguel, ou seja, grupo. “Com a padronização, o Para ser aprovado e podersa formação ainda não é ofereci- possuir a placa vermelha. cliente vai identificar o motota- trabalhar legalmente, oda na maioria dos estados brasilei- De acordo com Rinaldo Tava- xista com maior facilidade, além condutor não poderá faltar aros. Em Pernambuco, só é válido res, o estado, órgãos fiscalizado- de tornar o serviço mais seguro”. nenhuma aula e deverá tero curso ministrado no Serviço So- Edson Magalhães acredita que categoria sai fortalecida 70% de acertos na avaliação final. Se reprovado, terá o JAN MELO/DIVULGAÇÃOQuadriciclos na urbe prazo máximo de 30 dias para realizar outra avaliação. Itens Nos últimos tempos, o quadri- placados e, portanto, não podem passada, no Janga, mais um aci- Capacete - Deve ter viseira eciclo deixou de ser vendido ape- circular em áreas urbanas. dente envolvendo um quadriciclo faixa refletoranas como um equipamento mo- O quadriciclo não consta do Re- poderia ter sido evitado. Antena - Protege contratorizado para uso off-road e agrí- gistro Nacional de Trânsito e a le- Pela lei, quando pego em situa- linhas de pipacola para ganhar também os jo- gislação sobre seu uso não é espe- ção irregular, o veículo é apreen- Protetor - de perna e motorvens e adultos da classe média e cífica. Em junho, o jovem Bruno dido. Segundo dados do Detran-alta nas fazendas, praias e condo- Nogueira, de 15 anos, morreu em PE, neste ano foram realizadas se- Colete - Deve ter faixamínios privados. Hoje, apenas 10% um trágico acidente. Estava diri- te apreensões, sendo apenas cin- refletorados modelos vendidos são para o gindo um quadriciclo mas, de co liberados. O motivo é simples: Baú - Deve ter faixa refletoratrabalho no campo. Por serem con- acordo com a resolução 008/2010 a máquina só pode circular no pe- Alça - Usada para apoio dosiderados máquinas agrícolas, os do Conselho Estadual de Trânsito rímetro urbano com a autorização passageiro em mototáxiquadriciclos não podem ser em- (Cetran), não poderia. Na semana do órgão. Acidente no Janga mostra que proibição não é respeitada
    • DIARIOd e P E R N A M B U C O - Recife, domingo, 16 de outubro de 2011 d especial 5 desafios para o trânsito do amanhã ALCIONE FERREIRA/DP/D.A PRESSPara quem ANDRE MARINS/ESP. DP/D.A PRESS Depois da horaé de direito do rush É fácil andar pelas ruas do Recife e encontrar veículos pe- sados fazendo carga e descar- ga nas vias. A legislação muni-CTTU promete fazer Urbano do Recife (CTTU) tornou tas e batedores. “Caso houver de- cipal que fala sobre a circula-rondas para inibir a obrigatória a colocação do docu- núncia, vamos disponibilizar um ção desses transportes ainda é mento no painel do carro iden- agente para ir no momento ao lo- falha. Por isso, a CTTU vai re-ocupação indevida tificando que o mesmo transpor- cal e checar. Como os shoppings gulamentar o tráfego pesadodas vagas especiais. ta alguém nas condições descri- possuem um f luxo mais intenso, flux além do Centro Expandido (daSerão aplicadas multas tas. Caso o automóvel esteja es- será o local ideal para conscienti- Lúcia Alecrim reclama da “falta de educação” ao volante Agamenon Magalhães até o tacionado sem a credencial, es- zar as pessoas”, diz a presidente. Marco Zero), onde a lei muni- tará sujeito a reboque e infração A dona de casa Lúcia Alecrim, PAULO PAIVA/DP/D.A PRESS. cipal de 1986 estabelece regrasE stá no Código de Trânsi- leve, multa no valor de R$ 53,20 72, comemora a decisão. “Esta- para evitar o transtorno. to Brasileiro: os motoris- e três pontos da Carteira Nacio- cionar sem a permissão nas va- Além disso, projeto de lei tas que se arriscam esta- nal de Habilitação(CNH), deter- gas preferenciais é um ato sério que tramita na Câmara Muni-cionar nos estabelecimentos pri- minados pelo Código de Trânsi- de falta de educação”, afirma. cipal deve melhorar essa rea-vados nas vagas reservadas aos to Brasileiro. Há cinco anos dona Lúcia utili- lidade, proibindo a parada eidosos, pessoas com deficiência No Recife, desde o dia 1º de ou- za o adesivo no carro, mas já se o estacionamento de carga ee gestantes correm o risco de le- tubro deste ano, quem for f lagra- flag cansou de ver pessoas que não descarga em horário útil emvar multa. O Código prevê a apli- do ocupando as vagas dos estacio- têm direito ocupando as vagas. vários bairros da cidade. O di-cação de todas as penalidades namentos exclusivos será multa- “Quando eu encontro, falo e pe- retor de operações da CTTU,previstas na lei para lugares aber- do se não apresentar a credencial ço para tirar o carro do local. Agostinho Maia, afirma quetos à circulação de pessoas, mes- emitida pela CTTU. De acordo com Mas é muito difícil.. Com as mu- o motorista e a empresa quemo que o local seja pago. a presidente do órgão, Maria de danças no Código, Lúcia acredi- recebe ou envia a carga serão Desde janeiro de 2010, a Com- Pompéia, os agentes vão visitar os ta que esse tipo de situação irá punidos. “Essa ação vai envol-panhia de Trânsito e Transporte locais e farão giros com motocicle- diminuir consideravelmente. Beneficiados precisam deixar visível a credencial ver diversos órgãos da prefei- tura, mas ainda não tem na- ALCIONE FERREIRA/DP/D.A PRESS. da certo. Não existe um pra- + saibamais zo para entrar em vigor”. A médica Eliane Santos, de 69 anos, moradora da RuaR$ 53,20 Como retirar o documento São Gonçalo, na Boa Vista, conhece bem o problema. ElaValor da multa que será aplicada paraquem descumprir a norma A permissão, que deve ficar no Idosos e gestantes devem já perdeu as contas das ve- painel do veículo, comprova que estar com o RG, CPF, zes que organizou abaixo-as-Mais de 3 mil a pessoa tem direito a comprovante de residência e sinados para os órgãos com-Permissões para estacionar de estacionar nas vagas reservadas documento do veículo. O carro a idosos, gestantes e deficientes será vistoriado petentes tentando evitar quejaneiro de 2010 até o início deste mês transportes pesados conti-Fiscalizações iniciadas desde Quem ainda não se cadastrou Pessoas com deficiência devem nuem utilizando a área ina-1º de outubro pode solicitar a credencial na levar, além dos documentos dequadamente. “Todos os sede da CTTU (Santo Amaro) acima, o laudo médico. dias eles atrapalham o fluxo f luxObrigatória a colocação dodocumento no painel do veículo - A permissão emitida em 30 Caso não possam comparecer, do trânsito e a passagem dosdesde janeiro de 2010 minutos devem mandar procuração Projeto de lei vai disciplinar processo de carga e descarga moradores”, diz.
    • CMYK 1 ALCIONE FERREIRA/DP/D.A PRESS CADERNO ESPECIAL DOMINGO Recife, 30 de outubro de 2011 DIARIOdeP E R N A M B U C O MARCELO SOARES/ESP.DP/D.A PRESS P TERESA MAIA/DP/D.A. PRESS Por que não usar oMARCELO SOARES/ESP.DP/D.A PRESS transporte público? A Região Metropolitana do Recife tem uma população de Os prognósticos não são muito animadores. Pesquisas in- qualidade, acessibilidade plena, integração de todo o siste- cerca de 3,7 milhões de pessoas e dispõe de um Sistema de dicam que, enquanto crescem em proporções assustadoras ma, aposta nas ciclovias e melhoria dos passeios. Transporte Público de Passageiros (STPP) capaz de trans- os usuários de carro e motocicletas, a migração para o trans- Um requesito fundamental: é preciso ter hora certa para portar por dia 2 milhões de usuários. Parece muito? Não é. porte público é insignificante. Em cinco anos a frota no país sair e chegar ao destino. Ônibus e metrô são os principais mo- Apenas um terço desse universo se desloca a pé, o restante aumentou 34% e a demanda pelo serviço público apenas dais que nós dispomos. O metrô é um transporte estrutura- segue com o transporte individual que lota as vias. Para se 6%. Em 2010, só na RMR, foram 88 mil novos carros com dor alimentado pelo ônibus, mas temos uma linha de ape- ter uma ideia, já ultrapassamos a marca de um milhão de uma média mensal de sete mil. Não há via que suporte tama- nas 39,5 quilômetros. São os ônibus que seguram a maior par- veículos na RMR e temos uma frota de 3 mil ônibus. Nessa nha demanda. te da demanda e eles disputam o espaço das vias com os car- lógica é preciso levar em conta que um carro transporta em O discurso da melhoria do transporte público para atrair o ros. A Copa nos alenta com a possibilidade de dias melhores. média duas pessoas, e um ônibus convencional, 80. Isso ex- usuário do transporte individual ainda não decolou. E há vá- Na 8ª edição do Fórum Desafios para o Trânsito do Amanhã, plica os nossos engarrafamentos? rios aspectos ainda não considerados: transporte de melhor o transporte público foi o foco da discussão. EXPEDIENTE: Diretora de redação: Vera Ogando Textos: Tânia Passos Edição: Lydia Barros Edição de fotografia: Heitor Cunha Edição de arte: Christiano Mascaro CMYK
    • CMYK 22 especial d DIARIOd e P E R N A M B U C O - Recife, domingo, 30 de outubro de 2011 desafios para o trânsito do amanhãUma longa jornada comumUsuário da integração podia contar com um ônibus cir- FOTOS: TANIA PASSOS/DP/D.A PRESSônibus/metrô gasta cular que me deixasse na estação. Mas a minha missão era outra:mais de um mês por identificar o funcionamento doano no deslocamento sistema de transporte com a inte-de casa para o trabalho gração ônibus/metrô. E para isso, era preciso encontrar um perso- nagem que vivenciasse a realida-TÂNIA PASSOS de desse modelo todos os dias. En-taniapassos.pe@dabr.com.br contrei Ivanildo José Nascimen- ram 6h30 de uma quinta- to, 37 anos, no metrô da LinhaE feira, quando embarquei na estação do metrô/aero-porto, Zona Sul do Recife, depois Sul. Ele é técnico em manuten- ção, mora em Jardim Piedade, na Zona Sul de Jaboatão dos Guara-de uma caminhada de 15 minu- rapes, e trabalha no bairro da Ma-tos. Mesmo perto, o acesso da Ba- caxeira, Zona Norte do Recife. Pa-rão de Souza Leão à estação do ra chegar ao trabalho às 8h, ele saimetrô, em Boa Viagem, deixa mui- de casa (a pé) às 5h50. São cercato a desejar. As calçadas são ruins de 40 minutos de caminhada atée a sinalização de travessia para pegar a primeira condução do dia,pedestre não existe. Também não o metrô, às 6h30. 5h50 6h30 O começo no metrô O trajeto do metrô é tranquilo. Não são. Com a integração concluída, a há ainda superlotação da Linha Sul, estimativa é de duplicar a demanda. que, por enquanto, funciona sem os Voltando à Ivanildo, ele esperava sen- terminais de ônibus integrados e tem tado o momento de fazer a primei- uma demanda de cerca de 20 mil pas- ra integração. Conversando com a sageiros por dia, enquanto a Linha reportagem, ele disse perder, em mé- Centro transporta 205 mil pessoas. A dia, quatro horas e meia por dia nos estimativa é que a integração da Li- deslocamentos (ida e volta) para o nha Sul fique pronta até dezembro trabalho. É quase um dia inteiro por de 2012. Ao todo serão 23 terminais semana. Quatro dias no mês e 48 integrados às duas únicas linhas de por ano, ou seja, passa mais tempo metrô do Recife, Sul e Centro. Juntas nos deslocamentos para o trabalho elas têm 39.5 quilômetros de exten- do que no seu mês de férias. 7h15 Hora das integrações Ivanildo não reclama quando chega geiros do sistema. São 50 mil pessoas o momento de fazer a primeira inte- por dia. Desse total, 12 mil são passa- gração do dia. Na estação Joana Be- geiros integrados do metrô. Ivanildo zerra, desce e pega outro metrô, a Li- chega à estação por volta das 7h15 e nha Centro, que o levará à Zona Norte. tem pressa para entrar na fila do ônibus. Agora, o volume de passageiros é bem “Quando os fiscais estão aqui, a fila é maior, mas ele consegue um lugar pa- organizada, mas se não tiver ninguém ra sentar. O próximo passo é a integra- é cada um por si. É a lei do mais forte ção com o ônibus na estação do Bar- para entrar no ônibus. Mulheres e ve- ro, que tem o maior volume de passa- lhos sofrem mais” explica. , A realidade do sistema Deixei Ivanildo e segui de ônibus da Aveni- da Norte à Cruz Cabugá. Sem engarrafamen- 8h15 to, o percurso talvez não levasse mais do que 20 minutos. Mas demorei mais de uma ho- ra.O cobrador do ônibus disse que era um dia normal.Nenhum protesto,nenhum carro que- Finalmente, no trabalho brado,nenhuma obra.Apenas carros demais. Compreendi que Ivanildo tinha razão: o sis- Da estação do Barro, ele se- tanto tempo preso nos engar- tema funciona, mas está muito longe de ser gue no ônibus, também sen- rafamentos. É claro que isso ideal. Talvez o maior desafio do transporte tado, para o terminal integra- só acontece no ônibus; na via- público (por ônibus) seja vencer os engarra- do da Macaxeira.“Hoje eu es- gem de metrô o caminho é li- famentos.E a receita dos especialistas é sem- tou com sorte, mas nem sem- vre”, afirma. Já são quase 8h pre a mesma: corredores exclusivos, onde os pre é assim”. De lá, ele pega a quando ele chega à estação coletivos não disputem espaço com os veícu- sua quarta condução do dia: da Macaxeira e pega o segun- los pequenos. Nesse quesito ainda engati- dois metrôs e dois ônibus.Tu- do ônibus para descer na Ave- nhamos.Em corredores importantes como os do por uma única passagem. nida Norte. Viajou em pé, pe- das avenidas Conselheiro Aguiar, Abdias de Como ele entrou no sistema la primeira vez no dia. A via- Carvalho,Mascarenhas de Moraes e Norte,en- pelo metrô, a tarifa foi de R$ gem é curta, só duas para- tre outras, não há prioridade para o trans- 1,50. Essa é a principal vanta- das. Na Avenida Norte, me porte público. O aumento da velocidade nu- gem do Sistema Estrutural In- despedi de Ivanildo. Ele se- ma pista exclusiva não é nenhuma conquis- tegrado (SEI), o usuário con- guiria ainda a pé alguns quar- ta, mas um dever de casa que não vem sen- segue se deslocar dentro do teirões até o seu trabalho. do feito. Os caminhos nunca serão totalmen- sistema com uma única pas- “São 8h, devo chegar lá às te livres, mas quem sabe , no futuro, Ivanildo sagem. “O sistema seria me- 8h15,mas um atraso de até 30 e outros milhares de usuários não percam lhor se a gente não passasse minutos é normal”. mais de um mês de suas vidas nos desloca- mentos de casa para o trabalho. PEDROM/DP CMYK
    • CMYK 3DIARIOd e P E R N A M B U C O - Recife, domingo, 30 de outubro de 2011 d especial 3 desafios para o trânsito do amanhãBRT é promessade futuro melhor FOTOS: SECRETARIA DAS CIDADES/DIVULGAÇÃO Implantação dos ônibus rápidos foi autorizada. Serão corredores exclusivos ao longo da BR-101 s quatro conduções que A o técnico em manuten- ção Ivanildo José da Sil- va, 37, precisa pegar para fazer o deslocamento de sua casa, em Jardim Piedade, Jaboatão dos Guararapes, até a Macaxeira, Zo- na Norte do Recife, poderá resu- Serão construídas estações em nível, com painel de informação e compra antecipada mir-se a uma. O BRT (sigla em inglês para Transporte Rápido por Ônibus), mento dos usuários. O estudo ela- PDTU”, justificou o governador. lhorará muito a vida dele e dos de acordo com o projeto aprova- borado pelo Metrorec/CBTU pre- Segundo a engenheira e especia- usuários que dependem dessa li- do pelo governo, sairá da esta- vê para o trecho da estação Cajuei- lista em transporte urbano, Re- nha. “O metrô é o melhor trans- ção Cajueiro Seco, em Jaboatão, ro Seco à estação Macaxeira uma gilma Souza, o PDTU pedia uma porte público considerando que passará pela estação Macaxeira e linha férrea no trecho urbano da análise da demanda. “Não temos ele anda. Mas se a gente tiver seguirá até Igarassu. É pratica- BR-101 para o Veículo Leve sobre demanda naquela área para o me- um ônibus que não fique preso mente uma reta ao longo do tre- Trilho (VLT). O projeto não chegou trô. O VLT também atenderia, mas nos engarrafamentos e que cum- cho urbano da BR -101,em um a ser analisado pelo governo do o BRT cabe perfeitamente na re- pra os horários será muito bom”. corredor exclusivo. O serviço in- estado. Segundo Eduardo Cam- comendação do PDTU e ainda A estudante Mirtes Almeida, 24 clui ainda estações em nível, com pos, o Plano Diretor de Transpor- dentro do prazo e do volume dos anos, mora no bairro de Prazeres pagamento antecipado, e painel te Urbano (PDTU), apresentado investimentos disponíveis para e estuda na Universidade Federal com as informações de horário em 2008 e encomendado pela aquela área”, explicou. de Pernambuco (UFPE). “É um per- de chegada e partida dos trens. própria CBTU, não definia VLT Para o técnico em manuten- curso longo e a gente troca três ve- O governador Eduardo Campos para aquela área e sim um corre- ção Ivanildo José da Silva, seja zes de condução. A nossa quali- já aprovou a obra. dor exclusivo de ônibus. “O pro- qual for o projeto, a possibilida- dadade de vida seria outra. Per- Mas há outras alternativas pa- jeto foi feito levando em conta de de ter a viagem encurtada e demos muito tempo nos desloca-Projeto foi escolhido levando em conta critérios técnicos ra diminuir o tempo de desloca- critérios técnicos mostrados no com uma única condução me- mentos”, lamentou. CMYK
    • CMYK 44 especial DIARIOd e P E R N A M B U C O - Recife, domingo, 30 de outubro de 2011 d desafios para o trânsito do amanhãO transportepúblico que temos FOTOS: MARCELO SOARES/ESP. DP/D.A PRESSUsuários das linhas deônibus enfrentam + saibamaisatrasos, superlotação TRANSPORTE POR ÔNIBUSe calor, além daspéssimas condições 2 milhões de passageiros 3 mil ônibusdos abrigos e calçadas 385 linhas 26 mil viagens por dia e nos principais corredo- 13 terminais integrados eS res de tráfego o transpor- te público ainda não é oideal, imagina então nas linhas mais 10 até 2012 450 milhões de passageiros integradosque não fazem parte do SistemaEstrutural Integrado (SEI), onde TRANSPORTE FERROVIÁRIOencontramos a face mais crueldo serviço. Desde o tipo de abri-go usado nas paradas, às péssi- Metrô - 39,5 quilômetrosmas condições das calçadas, fal- Linha Sul - 14,5kmta de climatização nos coletivos, 35 mil usuáriossuperlotação e ainda a reclama- 10 estaçõesção número um: a demora nos 5 trensintervalos das viagens. 174 viagens/dia Na falta de painéis eletrônicospara informar o horário de che-gada das linhas, os usuários cos- Linha Centro - 25kmtumam pedir ajuda aos fiteiros 18 estaçõesque se fixam nos pontos de para- 205 mil usuários/diada. Ademir José Rodrigues, 54 É no fiteir de Ademir Rodrigues, em Água F que a população se informa sobre horários e linhas do bairro fiteiro , Fria,anos, trabalha há 15 na calçada 20 trensda Escola Estadual São Francis- 309 viagens/diaco de Assis, em Água Fria, e é bus são de responsabilidade da abanador. “A gente sofre com ouma espécie de central de infor- empresa Grande Recife Consór- calor. Na época das kombis, as LINHA DÍESELmação dos ônibus da linha do cio de Transporte Metropolitano. empresas diziam que iriam ofe-bairro. “Se eu ganhasse por in- Ao todo são 6.238 paradas. Desse recer ônibus climatizados e na- De Cajueiro a Cabo de Santoformação, já estava rico”, brinca total, 400 são abrigos com publi- da não foi feito”, reclamou. Agostinhoo dono do fiteiro. Ele conta que cidade localizados nos principais O presidente do Sindicato dasas perguntas mais frequentes são corredores. Não há interesse da Empresas de Transporte de Pas- 33 kmsreferentes aos horários e as li- publicidade nas áreas de subúr- sageiros (Urbana-PE), Fernando 4 locomotivasnhas que seguem para o centro. bio. O mais comum nessas áreas Bezerra, explicou que a climati- 40 viagens/dia e passará“Eu informo sem problemas, mas são abrigos de concreto ou de zação nos coletivos só é indica- para 82 com o VLT em 2012tem gente que quer saber até os metal. Bem diferente do que se da para os ônibus do tipo opcio- 6.500 passageiros/dia eminutos para o próximo ônibus. encontra, por exemplo, na Aveni- nal ou BRT (Transporte Rápido passará para 53 milÀs vezes não dá”. Em pé e já sem da Agamenon Magallhães ou na por Ônibus). “ Nos ônibus que com VLT em 2012paciência, o aposentado Bartolo- Avenida Domingos Ferreira. “Es- têm uma abertura de porta commeu Ferreira, 62 anos, esperava tamos trocando os abrigos com uma frequência muito grande a Passeio deve ter largura mínima de 1,50m nas paradas TRANSPORTEa chegada do seu ônibus da li- climatização não funciona por- COMPLEMENTARnha Chão de Estrelas. “Estou aqui Não há previsão que o ar vai todo embora. Aliás,há 30 minutos, é assim todo dia”. Chegar com segurança às para-das é outro obstáculo. As calçadas de reforma nos não conheço nenhuma cidade brasileira que use ar-condiciona- do nesse tipo de ônibus”, afir- Integração inclui RECIFEnão oferecem conforto. Em al-guns casos, elas mal existem. Umdos critérios para que a parada se-- ada se abrigos situados nos subúrbios mou. Segundo ele, tanto o BRT quanto os opcionais têm para- das em trechos mais longos. complementares 140 microônibus 2 linhas Alimentadora - 18 linhas eja, de fato, um abrigo é a largu- A climatização dos ônibus es- No Sistema de Transporte Pú- mentar as linhas convencionais”, 25 mil pessoas/diara do passeio (no mínimo 1,50 publicidade por modelos mais tá prevista nos veículos que irão blico de Passageiros (STPP), gerido afirmou Carlos Augusto Elias, di- Interbairros - 7 linhas emetro). Mas nem sempre há espa- modernos nos principais corredo-- edo circular nos corredores de tráfe- pelo Grande Recife Consórcio de retor de transporte da CTTU.ço. Na Avenida Cônego Barata, res”, afirmou Taciana Ferreira, go exclusivo. De acordo com di- Transporte Metropolitano, além Em Olinda são 25 microônibus 34 mil pessoas/diaZona Norte do Recife, no sentido diretora de operações do Grande retora de planejamento do Gran- do metrô e dos ônibus das linhas que compôem o transporte com- OLINDAÁgua Fria, encontramos o primei- Recife. Nada previsto para os bair- de Recife Consórcio, Ivana Wan- que integram o sistema, há ainda plementar do município e quero exemplo dessa realidade. Em ros do subúrbio. derley, um dos itens da licitação o transporte complementar. Ape- transportam por dia cerca de 50uma calçada estreita, a parada Dentro dos ônibus, o problema para as linhas de ônibus do Re- nas Recife e Olinda fazem parte, mil usuários. “As linhas comple- 25 microônibusde ônibus é identificada apenas é outro: o calor nos coletivos. cife e Região Metropolitana, que atualmente, do consórcio. mentares alimentam os corredores Linhas alimentadoras noscom uma bandeira. Passava do Com um clima quente, a sensa- terão edital lançado até dezem- No Recife, o sistema opera des- de tráfego e as linhas coletoras. altosmeio dia quando registramos ção térmica fica ainda maior pa- bro, prevê o ar-condicionado nos de 2005 e tem atualmente duas li- Olinda tem muitos altos e o com- 50 mil passageiros/diausuários acomodados em um es- ra quem fica preso nos engarra- ônibus dos corredores. “Também nhas: alimentadoras e interbair- plementar chega onde o ônibuspaço que mal dava para uma pes- famentos. A professora Nelciene está sendo analisada a possibili- ros. As duas transportam por dia não consegue”, revelou o secretá- Fonte: Grande Recife, Metrorec e municípiossoa e com sol a pino. Braga, 38 anos, tenta aliviar o ca- dade de as empresas terem uma 59 mil pessoas. “O complemen- rio executivo de Transporte e Trân- Os abrigos das paradas de ôni- lor usando um caderno como maior contrapartida social”. tar é importantíssimo para ali- sito de Olinda, Adriano Max. CMYK
    • CMYK 5 DIARIOd e P E R N A M B U C O - Recife, domingo, 30 de outubro de 2011 d especial 5 desafios para o trânsito do amanhã JULIANA LEITAO/DP/D.A PRESS Mobilidade não é sonhoGIL VICENTE /DP /D.A PRESS - 4/11/04 CECILIA DE SA PEREIRA/DP/D.A PRE VLTs Os VLTs vão fazer a linha de Cajueiro Seco e Cabo de Santo Agostinho. As viagens terão em média 22 minutos. Sete trens devem transportar 153 mil passageiros. Ônibus com GPS Três mil veículos na RMR serão equipados com GPS. Painéis eletrônicos também serão instalados nos terminais integrados e estações dos principais corredores. Transporte fluvial Controle e Operações (CCO) RMR se prepara para Até 2014, a Secretaria das Cidades espera implantar dois Uma central de monitoramento será ganhar três corredores dos três corredores fluviais que aguardam recursos do instalada no Grande Recife Consórcio PAC da Mobilidade: o Norte e o Oeste. O último apresenta de Transporte, com PCs e painéis de de tráfego, 13 novos maior demanda de passageiros, cerca de 10.500 pessoas. LCD para acompanhamento em terminais integrados e As rotas totalizam 22 km e estão orçadas em R$ 398 mi. tempo real do percurso dos ônibus. até um meio fluvial CECILIA DE SA PEREIRA/DP/D.A PRE CECILIA DE SA PEREIRA/DP/D.A PRE m corredor exclusivo, U paradas em nível, ôni- bus climatizados a uma velocidade média de 40 quilô- metros, nos horários de pico. E, ao lado, carros a 10 km/h, presos nos engarrafamentos. O futuro se desenha dessa forma. E em qual dos lados você quer estar? Atrair o usuário do transporte in- dividual para o transporte pú- blico é o desafio dos gestores pú- blicos. Porém a melhoria tem que ser percebida não apenas LAIS TELLES/ESP DP/D.A PRESS nos principais corredores de trá- Transporte rápido fego, mas também nas linhas O Corredor Leste- Oeste alimentadoras e com melhor fará ligação com a Cidade acessibilidade aos terminais in- da Copa. Já o Corredor tegrados ao metrô. Norte-Sul, de Igarassu até o Até a Copa de 2014 serão três Recife, deverá transportar 182 mil pessoas. O Corredor importantes corredores de trá- da 4ª Perimetral (BR 101) fego: Norte/Sul, Leste/Oeste e a deve transportar 143 mil BR-101. Todos com o BRT, mode- pessoas, indo do lo adotado em Curitiba e Bogo- entroncamento da BR-101 tá. A opção pelo VLT (Veículo Le- Informações via SMS com a PE-15 à Jaboatão. ve sobre Trilhos) se restringe, por Um serviço de mensagens pelo telefone celular, por enquanto, à linha Cajueiro Se- onde o passageiro receberá informações, deve co/Cabo de Santo Agostinho. O entrar em funcionamento em janeiro de 2012. modal, no entanto, é uma opção onde o sistema ferroviário possa ser implantado no futuro. “É um sistema que transporta mais pes- soas, tem uma energia limpa e Os terminais de integração do retora de operações do Grande terminais integrados, a deman- portar 10.500 pessoas. “O proje- dais. Os terminais integrados, garante maior velocidade. Temos ônibus com o metrô acompa- Recife Consórcio de Transporte da de passageiros no sistema de- to vai desafogar a Avenida 17 de por exemplo, não têm espaço estudos que poderão ser viabili- nham o percurso das duas linhas Metropolitano. verá duplicar. Além dos dois prin- Agosto e a Rui Barbosa e passa- para estacionamento. “Essa cul- zados a longo prazo”, explica o hoje existentes: Sul e Centro, que, O Sistema Estrutural Integra- cipais modais, a expectativa é rá a ser uma solução para quem tura tem que ser estimulada. O gerente de manutenção do Me- juntas, transportam 240 mil pes- do (SEI) tem atualmente 10 ter- que o transporte f luvial de pas- e fluvial hoje vem de carro da Zona Oes- terminal de Paulista, por exem- trorec, Bartolomeu Carvalho. soas por dia. Mais da metade dos minais de integração, e a meta sageiros também comece a fun- te com destino ao Centro”, res- plo, tem uma bicicletário im- Apesar de ter uma linha de ape- passageiros é oriunda dos ôni- para 2012 é alcançar 23 termi- cionar. O projeto está entre os salta o secretário das Cidades, provisado pela população. Ou nas 39,5 quilômetros, o metrô é bus. “A função do ônibus é ali- nais, além de outro em 2013, quatro previstos no PAC da Mo- Danilo Cabral. seja, há uma vocação que não es- o transporte público que funcio- mentar o metrô. São modais com- com o Terminal Integrado Cos- bilidade. O fluvial contempla A melhoria do transporte pú- tá sendo aproveitada”, critica o na como elemento estruturador plementares e não concorren- me e Damião, porta de entrada três corredores, o principal deles, blico passa por soluções de mo- consultor em transporte, Ger- do sistema de transporte público. tes”, afirma Taciana Ferreira, di- da Cidade da Copa. Com todos os o Oeste, tem previsão de trans- bilidade que vão além dos mo- mano Travassos. CMYK
    • PEDRO/DPCADERNOESPECIALDOMINGORecife, 27 de novembro de 2011 DIARIOdeP E R N A M B U C OSem educação Pnão há solução O padrão de comportamento de uma sociedade é determi- ma de educação, o próprio vizinho passa a ser o instrumen- pouco em todos os lugares ao mesmo tempo. Imagine então a Imagine entãonado pela forma como a maioria encara os valores sociais. No to de uma virada comportamental. multiplicação de agentes sociais de trânsito no âmbito de umatrânsito não é diferente. As infrações, por exemplo, são vistas Pelomenosnafilosofia,oprincípioéconquistaraté30%deum rua, do seu entorno e do bairro. O 9º caderno do Fórum Desa-como socialmente aceitas. Não existe indignação diante do mo- determinadosegmentodasociedadeparaqueorestantedaso- fios para o Trânsito do Amanhã traz como tema a educação etorista que estaciona na faixa ou ultrapassa o sinal vermelho. ciedade assimile. Da mesma forma que se aprende o errado, é mostra os desafios de uma escola para multiplicar as açõesTalvez isso explique a dificuldade das campanhas educativas possível aprender o certo. Nessa lógica, os especialistas acredi- educativas no universo do bairro de Casa Amarela com seus 25surtirem o efeito esperado. Mudar o padrão é mudar a lógi- tam que atitude é repetida quando é socialmente aceita. mil moradores. Revela ainda a razão da educação de trânsitoca do convencimento. Ao contrário de usar a multa como for- É claro que não se faz revolução de um dia para a noite e tam- não fazer parte do cotidiano das unidades de ensino. EXPEDIENTE: Diretora de redação: Vera Ogando Textos: Tânia Passos Edição: Lydia Barros Edição de fotografia: Heitor Cunha Edição de arte: Christiano Mascaro
    • 2 especial DIARIOd e P E R N A M B U C O - Recife, domingo, 27 de novembro de 2011 d desafios para o trânsito do amanhãPonto de virada paraum trânsito-cidadão Com passos firmes e decididos, FOTOS: TERESA MAIA/DP/D.A PRESSCultura de respeitoàs normas pode ser as crianças caminham sobre a fai- xa de pedestre, seguras de quecriada a partir das aquele espaço será respeitado pe-comunidades para, los motoristas. A cena real ocor-então, ganhar a cidade re na frente de uma escola parti- cular, no bairro de Casa Amarela, Zona Norte do Recife. Mas bem que poderia se expandir para as ruas do entorno, o bairro, a cida- de, o estado, o país. A ideia de se trabalhar a educação do trânsito a partir das comunidades é ba- seada na teoria do filósofo Mal- colm Gladwell. Ele parte do prin- cípio de que, se 30% de um seg- mento significativo da sociedade se convencer de que a prática de um determinado comportamen- to é válida, toda a sociedade pas- sará a exerce-la. É o chamado pon- to de virada, a exemplo do que ocorreu em Nova York, quando a população comprou a ideia de ser contra a violência. Ou em Brasília, quando os motoristas se conven- ceram de que respeitar a faixa era o certo a ser feito. Também pode- mos ser convencidos. A iniciativa da escola é um pas- so que pode e deve ser multipli- cado pelas escolas do bairro. E Convença 30% de uma comunidade e transformará os outros 70% quem sabe assim elas alcancem os 30% dos 25 mil habitantes do bair- ro de Casa Amarela. Nada que não“ possa ser feito. “A gente vem tra- balhando a conscientização dos alunos e pais de alunos. Mas a lia Roffé sonham em transformar 138 habitantes por hectare, Casa são estreitas e as casas, em sua nossa meta é também trabalhar o mundo que cabe nas suas casas Amarela é um dos bairros mais po- maioria, não dispõem de gara- Alunos do Colégio o entorno. Uma ideia é promover e nas ruas onde moram e estu- pulosos do Recife. O bairro faz li- gem. O resultado é que os carros Apoio aprendem a fazer um encontro de todas as escolas dam. “Em algum momento, o mo- mite com Casa Forte, uma das ocupam os trechos estreitos de a travessia na faixa deEm São Paulo, do bairro para trabalharmos a te- torista também é pedestre e ele áreas mais nobres da cidade. Na calçadas. “Carro é uma necessi- pedestre mática do respeito às normas do não vai querer ser atropelado, en- área limítrofe, a ocupação imobi- dade, mas não há espaço paramorrem duas trânsito com a participação dos ór- tão, é preciso saber respeitar”, de- liária segue os mesmos padrões do guardá-lo”, justifica o morador gãos de trânsito”, afirma a dire- fende Luíza. João Muniz traz a es- bairro nobre. É o lado “rico” do João Menezes, 38 anos.pessoas por dia tora pedagógica do Colégio Apoio, tatística na ponta da língua. “Em bairro, que trouxe junto um nú- Esse talvez seja um outro desa-atropeladas na Rejane Maia. São Paulo, duas pessoas morrem mero maior de carros para trafe- fio: como trabalhar a mobilida- No que depender da disposição por dia atropeladas na faixa de gar nas vias. Mesmo sendo um de e o respeito às normas de trân-faixa de pedestre dos alunos, a meta tem tudo pa- pedestre. Só porque o motorista bairro tradicionalmente popular, sito em espaços não planejados ra ser alcançada. Os estudantes ainda não entendeu que o pedes- a presença de carros é cada vez para esse tipo de ocupação? Há Luíza Braga, João Carlos Muniz, Ri- tre tem prioridade”, ressalta. maior até mesmo no morro, on- muito o que ser feito, mas o res-João Muniz, 10 anos, estudante da 4ª cardo Dias,Mateus Zarzar, Fernan- Com uma área de 185 hectares de se concentra uma população peito à faixa de pedestre já é umsérie do Colégio Apoio da Guedes, Carolina Smith e Jú- e uma densidade populacional de de baixa renda. No morro, as ruas grande passo. Convencer os motoristas a respeitar a faixa é um dos desafios dos alunos Respeito ao próximo “Dê educação para o homem pensam ter a prioridade sobre mo- não adquiriram, na mesma pro- do registrado em 2009. “Recife é que ele transforma o país”. A fra- tociclistas e ciclistas, pedestres porção, o respeito ao próximo e a a 5ª cidade mais violenta no trân- se, do educador Paulo Freire, não acreditam estar com a razão... noção de segurança. “Essa gera- sito. As escolas não formam as é a primeira lição poderia se aplicar melhor ao con- texto do trânsito. Motoristas, mo- tociclistas, ciclistas e pedestres Para o coordenador da pós-gra- duação em gestão de trânsito da Faculdade Maurício de Nassau, ção que está sendo amputada no Hospital da Restauração é vítima da má formação como cidadã pa- crianças para serem cidadãs res- ponsáveis. Não basta ensinar uma placa, mas mostrar os danos cau- compartilham as mesmas ruas e major Israel Moura, a educação ra o trânsito”, pontua. sados pela infração”, afirma. Mas avenidas todos os dias, mas o res- para o trânsito permaneceu em se-- se Segundo dados do Ministério algo começa a mudar e as crian- peito ao espaço do outro parece gundo plano até entrar em vigor da Saúde, 40.610 pessoas morre- ças e jovens podem ser protagonis- não existir. Motoqueiros levam os o Código de Trânsito Brasileiro ram em acidentes de trânsito no tas em potencial dessa transforma- retrovisores dos carros, motoristas (CTB), em 1997. Mas as pessoas Brasil em 2010, quase 7,5% acima ção, por ora, silenciosa.
    • DIARIOd e P E R N A M B U C O - Recife, domingo, 27 de novembro de 2011 d especial 3 desafios para o trânsito do amanhã ALCIONE FERREIRA/DP/D.A PRESSentrevista >> Guido Soares Azevedo“O condutor não se senteculpado de não cumprir a lei”O engenheiro civil Carlos Guido Soares Azevedo, formado na Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), é consultor em organizações públicas na área de trânsito e transporte em todo o país há mais de 30 anos. Ele participa de projeto do Iaupe– Instituto de Apoio à UPE - no Ministério da Integração Nacional para implantação deum sistema de Modelo de Gestão para a pasta. Mas tem como maior desafio a criação de“agentes sociais de trânsito”. Ele está convencido de que a melhoria na qualidade e segu-rança do trânsito depende não apenas dos órgãos de trânsito na sua função de fiscalizare operar, mas, principalmente, de um “convencimento” da população sobre o modo certode agir. Nesta entrevista, ele fala sobre a revolução que pode começar em uma rua e ba-seia a sua teoria em duas hipóteses.Como o senhor baseou a sua de” das infrações, ele pode repe- po assimila.teoria da criação dos agen- tir o mesmo comportamento. As-tes sociais de trânsito? sim como nós, brasileiros, temos Não é verdade quando di-A primeira é que a sociedade lo- mais cuidado no comportamen- zem que quando pesa nocal autoriza (consciente ou in- to fora do país. bolso, o motorista cumpreconcientemente) o comporta- as normas, como foi o caso multar o motorista que não É verdade. Não se deve a ter pre- do Curado e junto com a comu-mento irresponsável no trânsi- Na questão da educação, o da obrigatoriedade do cin- respeitar a faixa de pedes- tensão de trabalhar uma cam- nidade, os empresários, os órgãosto, independente da lei. A segun- senhor segue a mesma linha to de segurança? tre. Não é esse o caminho? panha na cidade como um todo de trânsito desenvolverem açõesda é que os autores de trânsito de pensamento do filósofo É verdade, sim, mas se o agente Eu acho um grande equívoco es- e esperar um resultado imedia- com as pessoas para o respeito abuscam se ajustar aos compor- Malcolm Gladwell de se tra- de punição não estiver presen- se tipo de punição que irá fun- to. O trabalho deve ser feito nas sinalização no bairro, que terátamentos socialmente aceitos balhar a conscientização te, seja um guarda de trânsito cionar por determinado perío- comunidades. Por isso, eu de- seus próprios agentes sociais deem cada localidade, independen- dentro das comunidades? ou uma lombada eletrônica, o do e em determinados lugares. fendo a criação de centros de trânsito. Não tenho dúvidas dete de sua formação. Exatamente. Eu acredito que a condutor não se sente culpado O motorista precisa ser conven- educação social de trânsito. É que a comunidade é capaz de fa- sociedade precisa ser convenci- de não cumprir a lei. Pelo contrá- cido de que é errado não respei- preciso deixar a educação nor- zer essa revolução. E essa teoriaOturista,porexemplo,se“abra- turista,po o,s s ra da de que obedecer às normas rio é um comportamento social- tar a faixa e não pelo medo da mativa para a educação social que eu defendo será trabalhadasileira” quando vem para cá? de trânsito, por exemplo, é o mente aceito. multa. de trânsito. numa linha de pesquisa da Uni-Isso mesmo. Ele pode cumprir certo a fazer e não porque há versidade de Brasília. Espero quetodas as regras no seu país, mas risco de alguma punição. Se Em São Paulo, a Companhia O senhor falou que esse tipo De que forma funcionaria o trabalho possa ajudar na mu-se ficar por aqui de três a quatro houver uma mudança de com- de Engenharia de Tráfego de revolução pode começar esses centros? dança de concepção do que ho-meses e presenciar a “normalida- portamento, o restante do gru- lançou uma campanha de na própria rua. Como seria? Imagine, por exemplo o bairro je é a educação de trânsito.
    • 4 especial DIARIOd e P E R N A M B U C O - Recife, domingo, 27 de novembro de 2011 d desafios para o trânsito do amanhãSalve-se quem puder TERESA MAIA/DP/D.A PRESSIndividualismo traz do “gelo baiano” em todo o piso da praça que, para piorar, está em Estacionamentoconsequências para irregular péssimo estado. Os carros de fatoa mobilidade de forma não sobem mais, ficam no entor-geral e vira padrão no da praça, que continua não Na subida do Morro dade comportamento sendo dos moradores. “Os moto- Conceição, em uma rua estreita ristas são muito mal educados”, que cabe um único carro, oO comportamento de um resume o engenheiro José Carlos motorista decide ocupar o motorista no trânsito dos Santos Silva, 70 anos, depois espaço da calçada, sem opção não necessariamente re- de estacionar em local proibido. de acessibilidade para oflete o seu modo de ser enquantof let Outra situação inusitada é a bar- pedestrecidadão, mas deveria. O que nos raquinha de frutas instalada emfaz esquecer as “boas maneiras” é, cima de uma faixa de pedestre,em parte, a guerra que tem se no cruzamento da Conselheirotransformado o trânsito. É o tal Portela com a Rosa e Silva, no bair-do salve-se quem puder. E os mais ro das Graças. É impossível nãodiversos absurdos resultam da prá- enxergar, mas a cena vem se repe-tica individualista, que traz conse- tindo há anos e os pedestres quequências para todo o resto, que, na usam a faixa são obrigados a con- TERESA MAIA/DP/D.A PRESS tornar a barraca no meio dos car-primeira oportunidade, dá o “tro-co” na mesma moeda. Nesse pata- ros. “Recife deve ser o único lugar Travessia de altomar, entramos no mesmo nível do mundo onde o comércio am- riscoemviapúblicade consciência coletiva. Mesmo bulante usa a faixa de pedestrequando, em determinado momen- para negociar”, reclama a profes- Na Avenida Conde da Boa Vista,to, somos nós os prejudicados, al- sora Marta Oliveira Costa, 53 anos. mesmo com o sinal de pedestre,guns metros à frente lá estamos Que os motoristas são abusa- os riscos de atropelamento sãonós repetindo o comportamento dos e não respeitam os ciclistas e constantes. Os pedestres“padrão” do individualismo. pedestres, isso a gente já sabe, ignoram quando o sinal fecha e Retratar os descaminhos do mas o pedestre também tem sua continuam passando pela faixatrânsito é, sobretudo, descrever parcela de culpa pela total ausên-as cenas diárias com as quais nos cia de zelo com a própria vida.deparamos ou protagonizamos Um exemplo diário pode ser vis-no trânsito. Desde um avanço de to na Avenida Conde da Boa Vis-sinal, estacionar em local impró- ta, no cruzamento com a Rua doprio, dirigir falando ao celular, Hospício. O sinal de pedestre éfazer uma conversão indevida pa- quase de “enfeite”, praticamentera encurtar o caminho, mudar de ninguém respeita. Foi o que acon- MARCELO SOARES/ESP.DP/D.A PRESS teceu com a dona de casa Adria-faixa sem ligar a seta, ocupar atéa terceira faixa para passar na na Silva, 28 anos, que atravessou Descumprimentofrente em uma conversão e, ain- a avenida com o sinal fechado pa- da leida, estacionar sem culpa na faixa ra ela e segurando a mão da filhade pedestre e, mesmo assim, acor- de seis anos. “Eu não percebi que A operação de carga e descargadar todos os dias como se normal estava fechado. Passei com pressa nas ruas do Recife ainda é umfosse não fazer o que é certo. porque ela estava me aperrean- problema. Os motoristas não Mas há outras situações tam- do”, contou a mãe. respeitam os locais proibidos. Abém gritantes. Um caso emble- Para o consultor de trânsito partir de janeiro de 2012, a CTTUmático é o da Praça dos Mangui- Cláudio Guido, prevalece a au- promete apertar o cerco e limitarnhos, no bairro do Parnamirim, sência de culpa por infringir a lei. a operação das 22h às 6hque era literalmente usada como “O motorista que reduz a veloci-estacionamento. Os motoristas dade na lombada eletrônica e au-chegavam a subir o canteiro. De- menta logo que passa do equipa-pois de muita reclamação dos mo- mento é o mesmo que só obede-radores, a Companhia de Trânsi- ce à regra se tiver um guarda deto e Transporte Urbano (CTTU) trânsito por perto. Não houve mu-“resolveu” o problema instalan- dança de comportamento”. PAULO PAIVA/DP/D.A PRESS. PAULO PAIVA/DP/D.A PRESS. Sem regras Uma barraca de frutas em plena faixa de pedestre no cruzamento da Conselheiro Portela com a Rosa e Silva é um exemplo de imobilidade Obstáculo Uma cena comum é o uso inadequado das ciclovias. O flagrante do fotógrafo Paulo Paiva mostra uma moto estacionada na ciclovia da Avenida Norte. A pista exclusiva é constantemente invadida
    • DIARIOd e P E R N A M B U C O - Recife, domingo, 27 de novembro de 2011 d especial 5 desafios para o trânsito do amanhã JARBA S/DP ARBATrânsito, ainda + saibamais mais O que diz a legislação sobre educação de trânsito:órfão da educação 1997 - Código de Trânsito 997 Código Brasileiro (C Brasileiro (CTB): art. art. 76 - educação: Adoção de conteúdos de conteúdos educação (magistério educação (magistério e treinamento pro treinamento de professores) ore 1996 - Lei de Diretrizes e Bases Lei Diretrize BaseResponsável pelo da Educação Nacional (LDBEN) Educaçãoensino da disciplina Não prevê a educação na grade pre educação gradeno país, Denatran curricular e tema transversal tema transversnão possui estrutura 2004 - Conselho Nacional de Conselhopara atender demanda Trânsito (Contran) (Contran) Instituiu tema trânsito para Instituiu o tema trânsito para projeto pedagógico projetos pedagógicosA educação de trânsito Estabelece que o Denatran tabelece Denatran não é e não será discipli- forneça material de apoio às material na curricular nas esco- escolaslas. A decisão é do Ministério daEducação, mas o tema pode e de- 2009 - Portaria 147 do Portaria 14ve ser inserido nas diversas disci- Denatran: enatran: Diretrize Diretrizes nacionais de educação educaçãoplinas de forma transversal, pre- para o trânsito: pré-escolar e ara trânsito: pré-esvista no Código de Trânsito Brasi- ensino fundamental e médio:leiro (CTB) desde 1997. Na teoriaparece funcionar, mas na prática Infanto-juvenil: noções Infanto-juvenil: noções deisso pouco acontece. A orientação tra travessia de faixa, sinais, andar de faixa, sinais,do MEC é que o Departamento bicicleta, cidadaniaNacional de Trânsito (Denatran) Fundamental: 3 livros com seis livro com seisforneça material aos estados e es- histórias para serem distribuídas histórias para serem distribuídastes aos municípios para que o as- nas escolas e dois softwares es softwaresunto seja debatido nas escolas. A educacionais educacionaisfalta de estrutura é um dos empe-cilhos. A consultora técnica do Médio - produção de vídeos sobre produção vídeos sobreDenatran, Rita Cunha, que parti- um trânsito consciente trânsito conscientecipou da 9ª edição do Fórum De-safios para o Trânsito do Amanhã 2009 - Resolução 265 do Re 26 Denatran enatrancom o tema educação de trânsito, Formação teórico-técnica dos teórico-técnica dosrevelou que o departamento res- pro professores oreponsável pelos projetos de educa- para 1ª habilitação ara 1ªção conta apenas com 13 funcio-nários e, desses, apenas cinco são Atividade extracurricular e extracurricularda casa, o restante é terceirizado. opcional“É um volume de trabalho muito para alunos e professores ara alunos pro oregrande para o tamanho do país. Detran responsável pela etran responsávelMesmo assim, estamos trabalhan- autorização, autorização,do para a melhoria da educação”, controle e fiscalização ontrole fiscalizaçãoafirma Rita Cunha. Com a definição do MEC de não definição Fonte: Denatran onte: Denatranassumir a responsabilidade de en-sinar a disciplina trânsito, restouaos órgãos de trânsito a realizaçãode campanhas períodicas, que nãotêm conseguido alcançar os obje-tivos. Apesar do sucesso dos pa-lhacinhos da Turma do Fom Fom, cação para o Trânsito. “Inicial- acaba sendo inf luenciado pelo influenciado do nas autoescolas. As escolas queo número de acidentes e mortes mente estamos capacitando 100 grupo e deixando de lado o que adotam o modelo são inseridas INES CAMPELO/DP/D.A PRESSainda é grande. No Brasil, mor- coordenadorese e profissionais aprendeu aos cinco anos”. no sistema do Detran”, explica Fá-rem por ano mais de 40 mil no de informática com aulas semi- O Detran/PE foi pioneiro na for- tima Bezerra.trânsito. “Nós somos 10 vezes pior presenciais. A nossa estimativa é mação extracurricular de profes- A ideia era capacitar dois mildo que qualquer país “, diz o con- que até 2015, todos os professo- sores com o Programa Detran na alunos nas escolas. Mas a inicia-sultor em trânsito Carlos Guido. res da rede sejam treinados”, Escola. A Secretaria Estadual de tiva esbarrou em um detalhe. De acordo com o sociólogo e afirma o gerente de educação de Educação no Curso de Formação “Uma lei federal determinou queconsultor em trânsito Eduardo trânsito, Francisco Irineu. de Instrutor de Trânsito Teórico- para ser instrutor era necessárioBiavati, a única forma de atin- Em 2012, o município promete Técnico foi parceira na iniciativa. ter habilitação na categoria D e is-gir as diversas camadas da socie- implantar uma escola municipal A ação está prevista na resolução so acabou desestimulando os pro-dade é pela escola. “Nenhum ór- de trânsito, que ficará sob a coor- nº 265 do Denatran. Até agora fessores a continuar com a for-gão de trânsito é capaz de ter a denação da Secretaria de Educa- apenas os municípios do Cabo de mação”, comenta a presidente dopenetração que a escola tem em ção. O espaço será de pesquisa em Santo Agostinho, Jaboatão dos Cetran, Simíramis Queiroz.todos os municípios”, destacou. educação de trânsito, com labora- Guararapes, Petrolina e CaruaruQue o caminho é a escola pare- tório para as crianças aprenderem foram beneficiados.ce haver consenso nesse senti- na prática as regras básicas do Uma das vantagens do modelo SERVIÇOdo. No Recife, a Companhia de trânsito. Para Biavati, a educação é que, após o curso, o professor- Cursos para educação no trânsito:Trânsito e Transporte Urbano infantil é importante, mas deve se instrutor tem autoridade para re- Detran/PE - 81- 3184-8004(CTTU) iniciou junto as escolas estender para os jovens. “Há uma passar o conteúdo aos alunos na CTTU - 81- 3355-5316do município um processo de preocupação grande com a crian- mesma lógica dos clubes de for- Sest/Senat - 81 2119-0220 Sec - 81- 3212-1616capacitação dos professores por ça, mas o jovem que está prestes mação de condutores. “O aluno re-- e Centro Educacional de Trânsito dameio do Plano Municipal de Edu- a dirigir fica sem a formação e cebe o mesmo conteúdo ensina- Honda (CETH) - 81 - 3252-6764 Turma do Fom Fom seduz a criançada com apelo lúdico
    • CMYK 1 PEDROM/DP PEDROM/DPCADERNOESPECIALDOMINGORecife, 18 de dezembro de 2011 DIARIO P E R N A M B U C O10 passos para passos para IARIOdePmudar o trânsito O trânsito de hoje não será igual ao de amanhã. Será pior. todos os elementos que integram a cadeia dos deslocamen- Associados, ouvimos 28 especialistas sobre os temas ligadosEm todo o país a frota de veículos tem estimativas de cresci- tos: o pedestre, o ciclista e o motorista. Não existe pretensão diretamente ao trânsito. Na última edição do fórum, trouxe-mento de 9,19% ao ano. Em Pernambuco, temos um incre- de frear o consumo automobilístico, mas é possível estimu- rticipa mos as contribuições apresentadas pelos participantes. Mesmomento mensal de mais de dois mil veículos. É um caminho sem lar a boa convivência no trânsito e o poder público pode e com o aumento da frota podemos descobrir outras formas devolta. O desafio para o trânsito do amanhã não é apenas en- deve apostar em soluções de mobilidade, a começar pelas encarar os deslocamentos, seja no transporte público (decontrar alternativas de melhorar a convivência coletiva com calçadas: o primeiro elo em toda e qualquer estrutura dos qualidade), de bicicleta (com ciclovias), ou de carona. E quemo respeito às normas de trânsito. Isso também, mas é impor- deslocamentos. Somente na Região Metropolitana, 23% das sabe assim, passe a ser normal tirar o carro da garagem apae-tante a intervenção do estado na melhoria da estrutura da pessoas se deslocam a pé. Durante nove edições do Fórum nas para os passeios. Iniciemos, então, o caminho que levarámobilidade urbana do ponto vista viário e de circulação, com Desafios para o Trânsito do Amanhã, promovido pelos Diários às necessárias mudanças no nosso trânsito! EXPEDIENTE: Diretora de redação: Vera Ogando Textos: Tânia Passos Edição: Lydia Barros Edição de fotografia: Heitor Cunha Edição de arte: Christiano Mascaro CMYK
    • CMYK 22 especial DIARIOd e P E R N A M B U C O - Recife, domingo, 18 de dezembro de 2011 d desafios para o trânsito do amanhã Outras formas de vicenciar a cidade Os 10 p 0 passos para mudar o trânsito não se encerram neles mesmos. O que é prioridade hoje pode não ser amanhã. hoje, Queremos calçadas, ciclovias, transporte público de qualidade, respeito às normas de trânsito. Depois disso, novas prioridades vão surgir. As mudanças são conceituais e dependem de nossas atitudes enquanto cidadãos. Temos a chance de viver uma outra cidade menos caótica e individualista. Não é pouco. Mobilidade 1 não motorizada Segurança nas calçadas O primeiro passo da mobilidade é o caminhar a pé. Somente na Região Metropolitana do Recife, mais de 800 mil pessoas se deslocam a pé. A única infraestrutura necessária para isto são as calçadas. No entanto, a maioria delas não oferece as condições adequadas, seja pela ocupação indevida, falta de manutenção ou dimensões inferiores ao que determina a legislação. Em alguns casos, as calçadas nem mesmo existem. De acordo com a Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT), a largura mínima de um passeio público é de 1,20 metro. E é o mínimo que vem sendo adotado pela maioria dos municípios. No Recife, a legislação municipal determina para as novas obras largura mínima de 1,50 metro. A lei repassa para os donos dos imóveis a responsabilidade dos passeios. A sugestão do fórum é que o poder público cuide e padronize as calçadas e os proprietários façam a manutenção. As prioridades são para os acessos aos corredores de tráfego, terminais de integração, unidades de saúde e escolas. Velocidade sem motor Quanto menos pessoas usarem carro, melhor. Então, comece a mirar com outros olhos quando vir um ciclista na via. É um carro a menos disputando espaço. A convivência de ciclistas e motoristas no trânsito, no entanto, é desigual. O carro não quer perder o espa- ço que foi feito para ele e o ciclista busca por um espaço que ainda não tem. Os 20 quilô- metros de ciclovias existentes na capital pernambucana não são o bastante para conectar a cidade e o ciclista e ele acaba sendo obrigado a se aventurar pelo trânsito. O plano de mobilidade do Recife pretende ampliar as ciclovias para 420km em duas décadas. Enquan- to isso não acontece, campanhas de conscientização, recuperação e instalação de ciclo- vias principalmente na Zona Norte (onde há uma vocação para o uso do equipamento) e ainda uma melhoria da sinalização nas vias com indicativos de preferências para o ciclista. Outra aposta é incentivar espaços para bicicletários e aluguéis de bicicletas como já exis- tem em outros países. Ciclovias cheias significam menos carros nas ruas. CMYK
    • CMYK 3DIARIOd e P E R N A M B U C O - Recife, domingo, 18 de dezembro de 2011 d especial 3 desafios para o trânsito do amanhã Estacionamento 2 mais difícil Há pelo menos três pressupostos para a redução do uso do automóvel: a melhoria dotransporte público, das opções não motorizadas e, por fim, dificultar a presença docarro nos centros urbanos. Se não há estacionamento, em tese, não há como ir de car-ro. Na prática não é assim. Os motoristas usam as vias públicas para estacionar os veí-culos com ou sem permissão. A proposta trazida para o fórum pelo engenheiro e con-sultor Germano Travassos é que os espaços públicos só poderão permitir estaciona-mentos de autos privados se: a) Forem antes assegurados passeios com larguras ade-quadas para pedestres; b) Forem preservados espaços seguros (segregados ou não)para o uso das bicicletas; c) Forem asseguradas as necessárias prioridades para otransporte público e a localização adequada das paradas dos ônibus; d) Se o uso davia para estacionamentos não criar restrições à fluidez da circulação. O fórum defendeque sejam reduzidas as ofertas de estacionamentos públicos e estimulada a criação deestacionamentos privativos, sem a concorrência da rua. Sugere ainda a oferta de linhascirculares interligadas aos estacionamentos e a criação de espaços para bicicletários. 3 Estudo de transporte Todo planejamento requer a disponibilidade de informações atuais e confiáveis. A última pesquisa domiciliar de origem e destino na Região Metropolitana do Recife foi no primeiro semestre de 1997. O padrão de deslocamen- to, passados quase 15 anos, não é mais o mesmo. Na época em que a pesquisa foi feita, não havia os centros de compras existentes hoje, que são geradores de tráfego. Os professores Maurício Pina, César Cavalcanti e Oswal- do Lima Neto trouxeram, entre outras sugestões, uma nova pesquisa de origem e destino. "Significativas altera- ções nos hábitos de mobilidade da população metropolitana ocorreram nesse período. É necessário um estudo de transporte e tráfego de pessoas e cargas na RMR", afirmou César Cavalcanti. Para se ter uma ideia da impor- tância da pesquisa, o último Plano Diretor de Transporte Urbano (PDTU) teve como base a pesquisa de 1997, que sofreu adaptação para o estudo. CMYK
    • CMYK 44 especial DIARIOd e P E R N A M B U C O - Recife, domingo, 18 de dezembro de 2011 d desafios para o trânsito do amanhã 6 Retaguarda de equipamentos Qualquer cidade com uma frota elevada de veículos necessita de Integração é 4 palavra de ordem uma boa operação de tráfego. No caso da capital pernambucana, a Companhia de Trânsito e Transporte Urbano (CTTU), fundada em 2003, não dispõe ainda da infraestrutura necessária para A prioridade ao transporte público é o principal dis- gerenciar um tráfego de um milhão de veículos. A companhia curso quando se defende a melhoria do trânsito e da pretende chegar aos 600 agentes de trânsito, mas precisa mobilidade urbana. Mas os investimentos, nos últimos melhorar também a infraestrutura interna e ampliar o quadro 20 anos, caminharam na contramão ao priorizar o técnico. O fórum defende a instalação de mais equipamentos transporte individual. Conquistar o público que migrou eletrônicos redutores de velocidade. Hoje são 45 equipamentos para o carro ou para a moto é um desafio que vai além para uma cidade com 13 mil vias. Também defende mais câmeras da estrutura que hoje é oferecida. Apostar no trans- para potencializar o trabalho dos agentes. Atualmente 26 câmeras porte público de qualidade, independente do modal, é transmitem imagens, em tempo real, mas não conseguem traduzir criar mecanismos de acessibilidade, regularidade e o trânsito fora da área de monitoramento. Na Avenida Boa Viagem, conforto, que ainda não existem. O metrô é o trans- por exemplo, as câmeras estão localizadas no Pina. Os porte de massa estruturador, mas dispõe apenas de equipamentos poderiam flagrar os veículos que estacionam de 39,5 km de linha. Os ônibus são responsáveis pelo forma irregular na 3ª faixa, mas não há "olhos" para o flagrante. O transporte de mais de 60% da demanda de fórum defende ainda a descentralização do monitoramento em passageiros da Região Metropolitana do Recife. O pelo menos mais duas unidades nas zonas Norte e Sul. Identificar modal escolhido para os futuros corredores de tráfego o que não está funcionando, seja por uma operação de carga e é o BRT, sigla em inglês para Transporte Rápido por descarga, veículo quebrado ou um buraco qualquer. Isso é uma Ônibus. Além da escolha do modal, outras ações operação de tráfego presente e eficiente. agregadoras são necessárias para tornar o transporte público atraente. "O importante é dispor de um sistema integrado multimodalmente, para quem as pessoas andem a pé, de bicicletas, de carro, de transporte público, todos integrados, e pagando uma única tarifa Infraestrutura para atenderem as necessidades de deslocamentos", afirma Oswaldo Lima Neto, engenheiro, professor e 5 do sistema doutor da Universidade Federal de Pernambuco. Por melhor que seja um corredor + saibamais de tráfego, ele terá sua capacidade operacional comprometida se não É preciso garantir Sistema de manutenção dos corredores de tráfego houver uma operação sistemática Regularidade nos horários de da manutenção. Vias esburacadas saída e chegada dos coletivos Bicicletário em todos os significam ônibus mais lentos, atraso terminais Acessibilidade plena aos nas viagens, desconforto para os terminais integrados Opção de estacionamento para usuários e aumento do desgaste do quem preferir deixar o carro veículo. O fórum defende uma política Melhoria das calçadas em um nos terminais raio mínimo de 500 metros dos de manutenção dos corredores terminais Paradas de ônibus com viários, incluindo a sinalização acessibilidade não apenas nos horizontal e vertical. Sem a sinalização Linhas circulares corredores, mas nos bairros por onde circulam as linhas adequada, o trânsito fica confuso e Sinalização para indicar o nas vias onde não há corredores acesso aos terminais e Linhas exclusivas para os exclusivos de ônibus, os transtornos sinalização para os deficientes ônibus, além dos principais físicos corredores de tráfego são ainda maiores. CMYK
    • CMYK 5DIARIOd e P E R N A M B U C O - Recife, domingo, 18 de dezembro de 2011 d especial 5 desafios para o trânsito do amanhã 7 Uma questão de educação Só mesmo a boa convivência pode tornar suportável a guerra que tem se transformado o trânsito. Além das campanhas temáticas realizadas pelos órgãos de trânsito, o fórum defende que o trânsito seja incluído na educação transversal e passe a fazer parte da rotina das escolas. Mas para isso é necessário que as instituições, a comunidade e a sociedade em geral cobrem das escolas um maior comprometimento. Pela Lei de Diretrizes e Base da Educação Nacional (LDBEN), as escolas não são obrigadas a trabalhar a temática, mas o Código de Trânsito Brasileiro (CTB) estimula os órgãos a fazer essa ponte com as unidades educacionais, inclusive com a distribuição de material e técnicos para capacitar os professores. 9 Sinal vermelho para as motos A disseminação do veículo de duas 8 Tolerância zero rodas trouxe preocupações. Em duas décadas, o aumento da frota passou de 33 mil para 730 mil, um aumento O trânsito mata mais de 40 de mais de 2000% . Uma das mil pessoas por ano no Brasil consequências é o “inchamento” e, apesar dos avanços na das vias; a outra, mais grave, são legislação, ainda é grande a as vítimas dos acidentes. O fórum sensação de impunidade. defende a melhoria do transporte Muitas das mortes são público para atrair de volta os enquadradas como homicídio usuários que optaram pela moto culposo, sem a intenção porque o transporte público não de matar. O fórum defende estava conseguindo satisfazer as tolerância zero para motoristas necessidades de deslocamentos e alcoolizados. Aumentar a também mais rigor na formação dos presença da fiscalização de condutores. Hoje com apenas cinco agentes, guinchos e mais aulas, uma pessoa que nunca teve lombadas eletrônicas. Também experiência com moto consegue se defende que os municípios habilitar no teste do Detran. implantem a municipalização dos trânsito. Apenas 26 cidades já implantaram a municipalização e somente 10 funcionam efetivamente. 10 Atenção às novas demandas Conjugar o planejamento urbanístico da Região Metropolitana do Recife com suas demandas por mobilidade. O fórum sugere ade- quar a rede viária básica de forma a permitir que as ligações sejam condizentes com os fluxos de trânsito, a exemplo da 3ª perimetral, navegabilidade dos rios e arco metropolitano. E ainda proporcionar infraestrutura adequada para as novas demandas habitacionais resultantes da implantação de grandes projetos estruturadores do tipo refinaria, fábrica de automóveis, estaleiro e industrias em geral para evitar o processo de favelização no entorno dos mesmos. CMYK