10dejulho

1,065 views
1,006 views

Published on

Caderno especial do Forum Desafios Para Transito do Amanhã - Parte 3 (10 de julho de 2011)

Published in: Education
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
1,065
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
246
Actions
Shares
0
Downloads
8
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

10dejulho

  1. 1. ALCIONE FERREIRA/DP/D.A PRESSCADERNOESPECIALDOMINGORecife, 10 de julho de 2011 DIARIOdeP E R N A M B U C OPara fazer o Recife andar Com quantos prédios e carros se faz a imo- macromobilidade vem sendo discutida e o todos os dias. O tempo que perdemos no trân- porte público. As linhas alimentadoras dobilidade de uma cidade? Depende das ruas, nosso dever de casa ainda não foi feito. Esta- sito é em média de 30%. Imagine o desperdí- transporte complementar são hoje peças fun-do próprio sistema viário e da qualidade do mos longe também de dispor de um sistema cio disso em uma semana, um mês ou um damentais no contexto da mobilidade, mastransporte público. Mas a mobilidade vai mui- de ciclovias eficiente. O que existe são trechos ano. O Plano de Mobilidade do Recife prevê sem esquecer a imprescindível necessidadeto além do transporte individual ou público. sem nenhum tipo de conexão. As necessida- alternativas a longo prazo. Mas já há inter- de melhoria do sistema viário. No Fórum De-Todas as formas de deslocamento são váli- des são urgentes e o calo aperta mais quanto venções sendo apresentadas para reduzir o im- safios para o Trânsito do Amanhã, promovi-das. O bê-à-bá deveria começar pelas calça- entra em cena o transporte individual. pacto dos entraves, como a construção da Via do pelos Diários Associados, fizemos um raiodas. Somente no Recife, cerca de 20% da po- Na contramão de uma lógica de mobilida- Mangue, o alargamento do Capitão Temudo x do que existe hoje na capital pernambuca-pulação se deslocam a pé. Nossos passeios de, a aposta pelos automóveis tem sido uma e a reestruturação da CTTU. Igualmente im- na e do que ainda está por vir. Até 2014, espe-são mal cuidados, em geral têm obstáculos. Ou- opção preferencial não só aqui, mas em to- portante é a operação sistemática de manu- ramos um novo trânsito e principalmentetros são desnivelados, quase ladeirados. Ou- do o mundo. O preço dessa escolha pode ser tenção das vias que, por enquanto, é pouco uma nova mobilidade urbana para a capitaltros sequer existem. É nessa condição que a visto nos engarrafamentos que enfrentamos perceptível. E, finalmente, a aposta no trans- e a Região Metropolitana. EXPEDIENTE: Diretora de redação: Vera Ogando Textos: Anamaria Nascimento, Nina Wicks e Tânia Passos Edição: Karla Veloso e Gabriel Trigueiro Edição de fotografia: Heitor Cunha Edição de arte: Christiano Mascaro
  2. 2. 2 especial DIARIOd e P E R N A M B U C O - Recife, domingo, 10 de julho de 2011 d desafios para o trânsito do amanhãCTTU investe empessoal e tecnologia FOTOS: TERESA MAIA/DP/D.A.PRESS + saibamais Plano de Mobilidade Urbana do Recife O plano inclui cinco eixos a serem desenvolvidos pela CTTU: 1.Eliminação de giros à esquerda: Entre a Avenida Norte e a Rua da Hamonia: proibido a partir de 9 de julho Entre a Avenida Agamenon Magalhães e a Avenida Rui Barbosa e entre a Avenida Agamenon Magalhães e a Rua Henrique Dias: proibido a partir de 23 de julho Entre a a Avenida Norte para a Rua Gomes Coutinho: proibido a partir de 30 de julho Na Avenida Mascarenhas de Morais, embaixo do viaduto Tancredo Neves: proibido aCentral de operações da companhia em Santo Amaro. Projeto de reestruturação busca melhorar as estruturas interna e externa partir de 3 de setembro 2. Melhoria nos semáforos:Órgão intensificaÓr realização de um concurso públi- xangá e Norte funcionam com a Até agosto deste ano, 210 gruposmonitoramento co previsto para agosto. Mais 200 fonte alternativa. “Até agosto, os de semáforos estarão operando agentes serão contratados, totali- equipamentos da Rua Real da Tor-do trânsito diante zando 600, ou seja, mais que o do- re, das avenidas Conselheiro com o sistema de bateriasdo aumento do bro da quantidade inicial. Aguiar e Dois Rios e de outras vias 3. Sinalizações mais eficientes:fluxo de veículos Segundo Maria de Pompéia, as estarão com as baterias”. A CTTU tem até 2012 para transformações na empresa abran- A ideia da presidente da CTTU jáD melhorar a sinalização, com esde 2003, quando foi gem três segmentos: a parte físi- foi, inclusive, exportada para São placas e pintura, por exemplo, nas criada, a Companhia ca, os equipamentos e o quadro de Paulo. “A capital paulista também principais vias do Recife de Trânsito e Trans- pessoal. “Nosso maior desafio é tem problemas de desligamento porte Urbano (CTTU) fazer com que os motoristas fi- de semáforos com a queda de ener- 4. Disciplinamento nosnunca viveu uma transformação quem felizes com o trânsito. To- gia. Os paulistas viram reporta- entornos dos mercadostão intensa. Medidas como dupli- das as questões necessárias para gens sobre nossa ideia e quiseram públicos:cação do número de agentes, aqui- que tenhamos uma empresa de implantá-la por lá também. Uma Inclui a regulamentação desição de viaturas, melhoria na si- fiscalização e controle de trans- empresa recifense desenvolve a tec- estacionamento, além danalização das vias e instalação de porte que responda às necessida- nologia que eles vão implementar implantação e manutenção desemáforos que funcionam mes- des dos recifenses são levadas em na cidade. É muito bom ver nossa sinalização horizontal e vertical.mo com chuva forte devem se tor- consideração”, frisou. ideia expandindo”. Número de agentes atuando nas ruas dobrou neste ano Os mercados de Afogados, Águanar realidade até o próximo ano. Entre as ações já desenvolvidas Fria, Boa Vista, Casa Amarela,A reestruturação foi um dos te- pela CTTU está a melhoria dos se- Futuro mentos. “A aquisição de mais se- não pertence à empresa e não ofe- Cordeiro, Encruzilhada,mas debatidos na 3ª edição do Fó- máforos da cidade. Mais de 200 De acordo com Maria de Pompéia, máforos, fotossensores e lombadas rece estrutura física sufuciente Madalena, Nova Descoberta erum Desafios para o Trânsito do equipamentos estão recebendo ainda há muito o que ser feito pa- eletrônicas está sendo discutida e para os funcionários e visitantes São José receberão oAmanhã, promovido pelos Diá- bateria como fonte de energia al- ra se chegar a uma situação ideal ainda vai passar por processo de da companhia. “As salas são real- ordenamento até o próximo anorios Associados. ternativa. “Uma das principais re- para o trânsito do Recife. Entre licitação, por isso ainda não há mente pequenas e não dão confor- Aumentar o contingente de téc- clamações era quanto ao desliga- as melhorias previstas para os pró- um prazo, mas podemos garan- to suficiente às pessoas. Não é im- 5. Melhoria viária:nicos e guardas municipais foi to- mento dos semáforos quando cho- ximos anos está o aumento no tir que o número de equipamen- possível trabalhar aqui, mas a es- Ações para melhorar o tráfegomado como prioridade pela presi- via. Esses equipamentos são mui- número de equipamentos eletrô- tos vai aumentar”, disse. trutura pode ser melhorada”, afir- afir nas principais vias do Recife. Adente da CTTU, Maria de Pompéia to importantes para o f luxo de flux nicos. O Recife conta hoje com 24 Outra questão que está sendo mou Maria de Pompéia. Segundo Rua José de Alencar, no bairro daLins, que elaborou o projeto de veículos e não podem ter só uma fotossensores que registram o discutida pela CTTU é a estrutu- ela, a intenção é se instalar no Boa Vista, por exemplo, terá oreestruturação. No início do ano, fonte de energia”, explicou Ma- avanço de sinal e aumento de ve- ra física da empresa. A CTTU fun- imóvel da antiga Companhia de sentido invertido até dezembroeram 290 agentes de trânsito. ria de Pompéia, autora da ideia locidade. O projeto de reestrutu- ciona, desde 2003, na Rua Frei Transportes Urbanos (CTU), loca- deste anoAtualmente são 400 e o efetivo de- das baterias. Os semáforos das ave-- ração da empresa prevê um au- Cassimiro, 91, em Santo Amaro, lizado na Rua Treze de Maio, 207,ve aumentar ainda mais após a nidas Agamenon Magalhães, Ca- mento no número dos equipa- área central do Recife. O prédio também em Santo Amaro. Fonte: CTTU+ saibamais Carga e descarga serão regulamentadasNúmeros da CTTU66 câmeras demonitoramento “O grande vilão do trânsito é o tacionamento de veículos de processo de carga e descarga”. Foi transporte, com comprimento su-24 fotossensores com essa frase que a presidente da CTTU começou a falar sobre os perior a 6 metros nos dias úteis no Centro Expandido, nos corredo- problemas de mobilidade no Re- res de transporte coletivo do Cen-24 lombadas eletrônicas cife. Segundo Maria de Pompéia, tro e nos corredores metropolita- além de intervenções físicas, a em- nos, urbanos principais e secun-400 agentes de presa está elaborando um proje- to de lei que pretende regulamen- dários, das 7h às 19h. Na Avenida Boa Viagem, as sinalizações colo-trânsito tar a operação de carga e descar- cadas pela CTTU estabelecem re- ga de mercadorias além do Cen- gras para carga e descarga na via.642 semáforos de tro Expandido (Bairro do Recife, O serviço pode ser realizado dastrânsito Boa Vista, Santo Antônio, São Jo- 5h às 8h e das 17h às 20h e só po- sé, Santo Amaro, Ilha do Leite e Ca- de ser executado por cargas e des-31 motocicletas banga), onde a lei municipal, de 1996, que estabelece regras para cargas de mercadorias especiais ou emergenciais, pois a legisla- Falta de ordenamento atrapalha o trânsito e gera risco para os próprios trabalhadores38 viaturas que esse tipo de transtorno não aconteça, já vale. ção dá respaldo a esses serviços. O projeto será encaminhado à 22h, de segunda a sábado, em vá- rios bairros. “A ideia é fazer com do ou enviando mercadoria. É uma ação conjunta com outros >> acesse diariodepernambuco.com.br A intenção é fazer com que a Câmara dos Vereadores neste ano que não só o motorista do veícu- órgãos da prefeitura”, explicouFonte: CTTU carga e descarga seja regulamen- e, caso seja aprovado, ficará proi- lo que está realizando a carga ou Maria de Pompéia, afirmando que afir /vidaurbana tada em todos os bairros do Reci- bida a parada e o estacionamen- a descarga seja punido, mas tam- ainda não há prazo para a proibi- Vídeo do Fórum Desafios para o fe. A lei já proíbe a parada e o es- to de carga e descarga das 6h às bém a empresa que está receben- ção entrar em vigor. Trânsito do Amanhã
  3. 3. DIARIOd e P E R N A M B U C O - Recife, domingo, 10 de julho de 2011 d especial 3 desafios para o trânsito do amanhãA necessidade de cicloviasRecife tem 24km desse + saibamais FOTOS: RICARDO FERNANDES/DP/D.A PRESSacesso contruído. Metaé implantar mais 424km Hoje existem 24 km de ciclovias construídas, nosno prazo de 20 anos seguintes pontos Avenida do ForteQ uando se fala se mobilida- Engenho do meio de urbana, desafogamen- Avenida 21 de Abril to do trânsito e sustenta- Avenida Norte Centrobilidade, muitos planos de ação Avenida Brasília Formosaapontam para o uso de bicicletas Avenida Boa Viagemcomo transporte, seja prioritárioou complementar. Hoje o Recife Os novos trechospossui 24km de ciclovias construí-das. As principais estão localiza- 74 km de cicloviasdas na avenidas Norte, Boa via- nos corredores hidrográficosgem e do Forte. Não há ligações Rio Beberibeentre elas, uma das principais Rio Capibaribequeixas dos usuários, que preci- Canal do arruda Ilha do Retirosam se aventurar no meio do trân- Mustardinhasito para chegar ao seu destino. Rio Morno O plano de mobilidade urbana Rio Tejipíóda Prefeitura do Recife prevê a Via Mangueconstrução de 424km de ciclovias. Canal do JordãoA solução integrada às outras su-gestões de mobilidade, como oaperfeiçoamento das calçadas e Na Avenida Caxangá, ciclistas se aventuram em meio aos carros por falta de uma via apropriada para o veículo 120 km de ciclovias “ nos corredores de transporteincentivo ao transporte público, Avenida Beberibeprocura minimizar o uso de car- Também adepto da bicicleta, o te público. “Inicialmente pensa- Avenida Norteros. Mas tem prazo de construção motorista Henrique Lucena da Sil- mos nas bicicletas como transpor- Corredor Leste-Oesteprevisto para 20 anos. va, 20, já quebrou dois dedos do te complementar. Ao invés de per- Avenida Abdias de Carvalho Para o garçom Luiz Carlos Go- pé em uma colisão com um veí- correr 20km, o ciclista pedalaria Avenida Mascarenhas de Morais Corredor Norte-Sulmes, 43, que mora no Prado, Zo- culo. “Por falta de ciclovias, a gen- 3km e em seguida utilizaria al- Percorrer 20km 3ª Perimetralna Oeste do Recife, visitar a mãe te tem que se arriscar no trânsi- gum transporte público. Para is- 4ª perimetralem Olinda virou uma tarefa di- to mesmo. E os carros não respei- so, precisamos também da cons- até Olinda semfícil. Desde que adotou a bicicle- tam as bicicletas. Quando saio de trução de bicicletários”, esclare-ta como meio de transporte, ele casa, tenho a ciclovia da Avenida ceu Botler. “Faz muito pouco tem- estrutura que 156 km de ciclofaixaspassou a restringir as visitas, que do Forte. Mas quando chego na po que se incorporou o tema deagora acontecem uma vez por Avenida Caxangá não tem mais”. acessibilidade às políticas públi- ofereça segurança Avenida Norte Avenida Maurício de Nassaumês. “Percorrer 20km até Olin- Segundo o presidente do Insti- cas. Com o plano todo executado, é um risco” Avenida Agamenon Magalhãesda sem uma estrutura que me tuto da Cidade do Recife - Pelópi- teremos uma malha perfeita de li- Cais José Estelistaofereça segurança e facilite meu das Silveira, Milton Botler, a prio- gamento entre as ciclovias. Mas Ibura a Boa viagem Rua Maria Ireneacesso é muito desgastante”, ava- ridade é para as ciclovias que dão para isso é preciso tempo e inves- Luiz Carlos , 43, que mora no Prado e usa Dois Irmãosliou o ciclista. acesso aos corredores de transpor- timento”, completou. a bicicleta para visitar a mãe, em Olinda Várzea
  4. 4. 4 especial DIARIOd e P E R N A M B U C O - Recife, domingo, 10 de julho de 2011 d desafios para o trânsito do amanhãCalçadas,o dever de casa FOTOS: LAIS TELLES/ESP DP/D.A PRESS + saibamais Lei Municipal 16.890/03 (“Lei das Calçadas”) Regulamentada pelo decreto 20.604/04 Trata da construção, manutenção e recuperação das calçadas no Recife A lei determina que proprietários de imóveis ou condôminos são responsáveis pela conservação das calçadas Os cidadãos são legalmente obrigados a consertar a calçada em frente ao seu imóvel dentro do prazo de 90 dias Caso não realize o conserto da calçada, o proprietário pode ser notificado pela Prefeitura do Recife, sobMariana Pereira, 88: dificuldade para andar nas ruas pena de multa O valor da multa varia deLei municipal lino Câmara que fica em frente à R$ 161,36 a R$ 2.418,77 edetermina que os sua casa. “Sei que tenho que man- depende do tipo de infração ter minha calçada bem cuidada eproprietários façam a livre de obstáculos. Já fiz um repa- Caso o município execute omanutenção do ro nela, inclusive”, contou. O vizi- serviço de conserto dapasseio. Regra que não nho dela, no entanto, desconhecia calçada, o proprietário terávem sendo cumprida a legislação até a chegada da repor- ainda que pagar um tagem do Diario de Pernambuco percentual de 10% acima do na rua. “Nunca tinha ouvido falar preço do reparoA ndar pelas calçadas do nesta lei. Estava por fora, mas ago- Recife tem sido um ra estou sabendo”, afirmou o en- Cabe a Prefeitura conservar ato cada vez mais tor- genheiro Sílvio Rêgo, 59 anos. as calçadas que margeiam os tuoso. São tantos os As calçadas mal cuidadas pre- rios, canais, lagos, praias,obstáculos no passeio que a mo- judicam muitas pessoas, mas, prin- praças e as que ficam embilidade dos 20% da população cipalmente, os idosos e deficien- frente aos prédios públicos,que se deslocam a pé pela cidade tes físicos. A aposentada Mariana além de canteiros centrais deé dificultada ou até impedida. Os Pereira, 88 anos, por exemplo, sen- avenidas, praças, parquesgalhos ou raízes de árvores, bar- te muita dificuldade ao caminhar dificuldade Estragos causados por obrasracas ambulantes, sacos de lixo pelo Recife. Além da idade avan- públicas e privadas devem serou desníveis que atrapalham o ca- çada, ela sofre de artose, uma Moradora de Santo Amaro, Luzinete Lopes, 68, sabe que deve cuidar do espaço consertados pelas empresasminho dos que transitam pelas doença degenerativa das articula- “ responsáveis pelas obrasvias da capital pernambucana são, ções. “Já levei três quedas nas cal-também, responsabilidades dos çadas da cidade. Ando forçada pe- nutenção delas cabe ao proprie- de, de 2000. Novos projetos só Rampas construídas para acidadãos. O fato é que a lei muni- las ruas, mas preciso resolver meus tário do imóvel. Porém, o que se são aprovados se estiverem de entrada de veículos só sãocipal das calçadas - n°16.890/03, problemas e não tenho quem fa- percebe é que a legislação não acordo com a legislação”. permitidas se ocuparem atéaprovada há oito anos, não tem si- ça isso por mim”, disse. O cadei- tem sido respeitada. De acordo Ainda segundo D’Biase, a Dir- um terço da largura dado respeitada. A legislação deter- rante Marcelo Costa, 47, trabalha com a lei, o cidadão pode ser con faz um trabalho em parce- Exigimos o calçadamina que os proprietários façam na área central do Recife e se ar- multado de R$ 161,36 a R$ ria com o Núcleo de Acessibilida-a manutenção de sua própria cal- risca pelas calçadas do centro. “Os 2.418,77, dependendo do tipo de de da Prefeitura e está elaboran- cumprimento A construção das rampas sóçada. Muitos recifenses, porém, buracos e ausência de rampas são infração cometida. do uma cartilha sobre a manu- da legislação pode ser feita se não prejudicarnão conhecem a lei. Outros sa- os maiores obstáculos para os que A Diretoria de Controle Urba- tenção das calçadas. “A ideia é a arborização da ruabem que devem cuidar do passeio usam cadeira de rodas. É um so- no do Recife (Dircon) é responsá- oferecer várias opções de padrões vigente. Novos As calçadas devem serem frente à residência, mas con- frimento enorme circular por aqui vel pela fiscalização do cumpri- construtivos a partir das normas projetos só construídas e reformadastinuam a desrespeitar a norma. e acabamos nos arriscando ainda mento da legislação. A diretora da Associação Brasileira de Nor- com materiais A pedagoga aposentada Luzine- mais passando pela pista com os do órgão, Maria José D’Biase, afir- mas Técnicas (ABNT). Hoje todos são aprovados antiderrapanteste Lopes, 68 anos, moradora do veículos”, ressaltou. ma que o papel da Dircon vem os projetos da prefeitura são con-bairro de Santo Amaro, na área sendo feito. “Exigimos o cumpri- templados com as normas de se a seguirem” Não é permitido deixarcentral do Recife, conhece a lei Fiscalização mento da legislação vigente. An- acessibilidade. Estamos também algum obstáculo que impeçamunicipal e sabe que deve cuidar A Lei Municipal das Calçadas de- tes da Lei das Calçadas, já exis- fazendo trabalhos junto às esco- Maria José D’Biase, o livre trânsito de pedestresdo trecho da calçada da Rua Pau- termina, desde 2003, que a ma- tia a lei federal de acessibilida- las, hospitais e praças”, explicou. diretora da Dircon pelas calçadas
  5. 5. DIARIOd e P E R N A M B U C O - Recife, domingo, 10 de julho de 2011 d especial 5 desafios para o trânsito do amanhãTransporte complementarfacilita o deslocamento FOTOS: MARCELO SOARES/ESP. DP/D. A PRESS Q Sistema que uem lembra das vans e substituiu as kombis kombis que invadiam o centro do Recife e trans- atende demanda de formavam o trânsito em um caos? populações que Oito anos depois, essa cena já não antes sofriam faz mais parte da paisagem urba- para se locomover na da cidade. No lugar delas, sur- giu o transporte complementar com a função de não mais con- correr com os ônibus e sim fazer a complementação do sistema em áreas de difícil acesso ou onde não há demanda suficiente. Das 26 li- nhas previstas para entrar em ope-- ração desde 2003, oito ainda não começaram a operar. Elas foram di- vididas em interbairros e alimen- tadoras. Essas últimas são gratui- tas e transportam o passageiro até a parada de ônibus mais próxima. Já a interbairro tem a função de atender demandas de menor por- te de um bairro para outro. De + saibamais Moradores tinhamNúmeros do transporte que caminhar porcomplementar do Recife longas distâncias até as paradas70 milpessoas No Alto do Rosário, linha alimentadora melhora o transporte de moradores, mas via está em más condiçõessão transportadas por acordo com a Companhia de Trân- ruim. Na Rua Chagas Ferreira, Al- ar ir ao centro, tem ônibus”, afir- te da CTTU, Bárbara Estolano. Adia no sistema sito e Transporte Público (CTTU), to do Rosário, a via esburacada é mou. De fato, a circulação de ôni- distância para justificar uma ali- o sistema complementar atende um tormento para os passageiros bus nos morros é cena bastante mentadora é de 600 a 700 metros.63 bairros e altos do hoje toda demanda dos altos da ci- dade. De fato melhorou e a própria e motoristas. “O ônibus quebra umas duas vezes por mês”, reve- comum. Segundo o engenheiro e especialista em transporte, Ger- Das oito linhas complementares que ainda não entraram em ope-Recife são atendidos pelos população reconhece. Mas ainda la o motorista Giliarde da Silva, 28 mano Travassos, a cidade é bem ração, pelo menos duas não de-complementares não é o ideal. anos. Na van, encontramos o au- servida de ônibus. “Há uma con- vem sair do papel. São as inter- No Alto do Rosário, Zona Nor- xiliar de cozinha Anílson Edson, centração de linhas nos morros, bairros Shopping/Setúbal e Tor-141 veículos compõem te, uma van faz o transporte de passageiros dos moradores até a 32 anos, que estava indo para o tra- balho e pegou carona na linha mas o ônibus não chega onde o sis- tema viário não permite e onde re/CDU. “Essas regiões hoje são bem servidas de ônibus e não jus-a frota do sistema parada de ônibus mais próxima. alimentadora. “Ficou muito me- não há demanda que justifique”. tificaria a implantação de com- Nem sempre foi assim. Antes, pa- lhor para a gente. Mas quando A comunidade de Sítio dos Pin- plementares. Provavelmente va-28% da frota já foram ra ter acesso aos ônibus, os mora- dores precisavam vencer a distân- volto do trabalho subo a ladeira a pé. Saio depois da meia-noite e tos, Zona Norte, é uma das que so- licitaram uma linha alimentado- mos fazer ajustes dos itinerários”, explicou Estolano. De 2003 a 2011,renovados com40 novos ônibus cia do alto até uma região mais as vans só funcionam até as 22h”. ra, mesmo dispondo de ônibus. houve modificações no sistema. O modificações plana onde houvesse paradas do Para a dona de casa Adriana San- “No caso de Sítio dos Pintos, há edital previa um número maior sistema regular de transporte. Pa- tos, 39, a opção da van é suficiente. suficient um problema do sistema viário de linhas interbairros. “Hoje a8 anos é o tempo rece perfeito, mas não é. As ali- “Vou raramente ao centro. Muita que precisa ser resolvido antes de gente percebe que há uma deman-de vida útil dos primeiros mentadoras, em geral, atuam nos coisa resolvo no bairro. Desço e implantarmos uma alimentado- da maior pelas alimentadoras”,micro-ônibus adquiridos em pontos onde o sistema viário é subo na van sem pagar. Se precis- ra”, explicou a diretora de transpor- explicou Bárbara.2003 Linhas têm funções distintas “2014 é o prazo limitepara renovação de toda a frotaNúmeros dos ônibus O sistema de transporte com- para a parada mais próxima. ra outro já que as distâncias são culos tenham o elevador para oconvencionais na RMR O sistema é bom, plementar atende 63 bairros e al- Atualmente a CTTU estuda a grandes”, explicou Bárbara Esto- cadeirante. “A gente também tos da cidade e transporta cerca implantação de duas novas linhas: lano. Segundo ela, tanto a univer- conseguiu redução no IPVA e no mas como só385 linhas de 70 mil pessoas por dia. São 36 comunidades atendidas pelas se- uma interbairro ligando o Jordão ao Aeroporto e uma alimentado- sidade como os empresários de ônibus estão simpáticos à inicia- ICMS da mesma forma que os ônibus convencionais”, comemo- funciona até as te linhas interbairros e 27 que re- ra na Cidade Universitária. “A Ali- tiva, que ainda não tem data pa- rou o presidente da CoopeNorte, 22h, ainda subo2.730 ônibus cebem as 17 linhas alimentado- ras. Uma das razões para essa dis- mentadora na Cidade Universitá- ria vai evitar que uma grande ra ser implantada. Em oito anos de implantação Manoel Leôncio Correia. Segun- do ele, já foram adquiridos 40 a ladeira a pé paridade é a distância. As linhas quantidade de ônibus circule nas do complementar a frota está novos ônibus, dos 170 que com-1,8 milhão interbairros percorRem trechos de até 30 quilômetros e cobrem ruas do campus. O passageiro vai poder descer nas imediações da sendo renovada. Os micro-ôni- bus vão dar lugar a ônibus de 21 põem a frota do complementar. “Até 2014 toda a frota deverá ser quando chego”de passageirostransportados ao dia um número maior de comunida- reitoria e pegar um transporte. O lugares. A mudança na classifi- renovada, inclusive das linhas des. E as alimentadoras têm a fun- sistema também vai atender a de- cação é uma exigência de uma alimentadoras que ainda funcio- Anílson Edson, auxiliar de cozinha,Fonte: CTTU e Grande Recife ção apenas de levar o passageiro manda interna de um prédio pa- lei federal para que todos os veí- nam com vans”, afirmou. morador do Alto do Rosário
  6. 6. 6 especial DIARIOd e P E R N A M B U C O - Recife, domingo, 10 de julho de 2011 d A RMR GANHOU MAIS MOBILIDADE. O DESENVOLVIMENTO TAMBÉM. Entregue o 2º trecho do Viaduto da Estrada da Batalha. As obras da nova Estrada da Batalha avançam. Em Prazeres, o segundo elevado do Viaduto do Bandepe já foi liberado. É mais mobilidade para a Região Metropolitana do Recife e 40 mil veículos que circulam diariamente pelo local. É mais facilidade de acesso à Suape e às praias do Litoral Sul. A reforma da via integra, também, as obras de infraestrutura viária do Governo do Estado para a Copa 2014. Significa novo impulso para o turismo e para o desenvolvimento, com mais oportunidades para os pernambucanos. Agora e no futuro próximo. Comprimento: 736m | Largura: 12m | Altura: 8,8m | Investimento: R$ 19,5 milhões

×