Textos de apoio_1_e_2

1,068 views
978 views

Published on

0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
1,068
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
2
Actions
Shares
0
Downloads
14
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Textos de apoio_1_e_2

  1. 1. TEXTO DE APOIO 01 SOCIALISMOSocialismo é um sistema político-econômico ou uma linha de pensamento criado no século XIX para confrontar oliberalismo e o capitalismo. A ideia foi desenvolvida a partir da realidade na qual o trabalhador era subordinadonaquele momento, como baixos salários, enorme jornada de trabalho entre outras. Nesse sentido, o socialismopropõe a extinção da propriedade privada dos meios de produção e a tomada do poder por parte do proletariado econtrole do Estado e divisão igualitária da renda. Segue a seguir os principais aspectos do socialismo que deixamclaro a disparidade com o sistema capitalista.c Socialização dos meios de produção: todas as formas produtivas, como indústrias, fazendas entre outros, passam apertencer à sociedade e são controladas pelo Estado, não concentrando a riqueza nas mãos de uma minoria.p Não existem classes, ou seja, existe somente a classe trabalhadora e todos possuem os mesmos rendimentos eoportunidades.o Economia planificada: corresponde a todo controle dos setores econômicos, dirigidos pelo Estado, determinandoos preços, os estoques, salários, regulando o mercado como um todo.O modo de produção socialista foi adotado pela primeira vez na Rússia, por meio de um processo revolucionário, queocorreu durante a Primeira Guerra Mundial. Depois da Segunda Guerra Mundial, uma série de outros países adotouo regime socialista como modelo de economia e organização política da sociedade. Nos anos seguintes, o socialismoexperimentou um período de prosperidade e expansão, chegando a rivalizar com o Estados Unidos em avançotecnológico, progresso econômico, desenvolvimento social e potencial bélico. Esse foi o período que ficou conhecidocomo Guerra Fria.No final dos anos 1980, o principal país socialista, a União Soviética, enfrentava uma profunda crise política eeconômica. As tentativas de superação dessa crise não tiveram êxito e o bloco foi dissolvido em 1991. A dissoluçãoda União Soviética evidenciou as limitações do modelo socialista no que diz respeito ao desenvolvimento econômicoe à estabilidade política dos países que o adotaram. Atualmente, os países que ainda se definem como socialistasestão implementando uma série de reformas políticas e econômicas com o intuito de superar os problemasverificados na ex-URSS. Dentre essas reformas está a incorporação de mecanismos de economia de mercado dentroda estrutura de economia planificada, como vem fazendo a China.As principais experiências de concretização do modo de produção socialista aconteceram na antiga União Soviética,na China e em Cuba. Nesses países, o socialismo foi implantado por processos revolucionários, que transformaramas bases de produção predominantemente feudais em modelos socialistas de produção. Esses países eram muitopouco industrializados, mas em pouco tempo alcançaram níveis elevados de desenvolvimento industrial eeconômico. O modelo socialista, contudo, entrou em crise em medos dos anos 1980. O pensamento socialistaganhou força entre os trabalhadores europeus no decorrer do século XIX e XX.g Socialismo real: é aquele que ainda existe em alguns países. Os quais aplicam o socialismo com a intenção depromover a igualdade entre as nações, em oposição ao capitalismo que se apoia na produção de desigualdadeseconômicas e sociais. Porém só conseguiram gerar mais pobreza, massacres em massa, etc.e Socialismo ideal: é aquele que só existiu na cabeça de seus idealizadores. É um socialismo utópico que visapromover a igualdade e a liberdade, coisas que são totalmente opostas, levando em consideração que a promoçãoda liberdade aumenta consideravelmente as desigualdades.Crise do socialismo: O fim da União Soviética foi o principal sinal da crise do sistema socialista, nos anos 1980. Ospaíses que ainda resistem em manter o modelo socialista, como a China e Cuba estão, na verdade, introduzindolentamente mecanismos de mercado em suas economias. Os países que adotaram o modelo socialista conseguiramalcançar padrões elevados de qualidade de vida: acabaram com o analfabetismo, criaram um amplo e eficientesistema de saúde pública para suas populações e eliminaram o desemprego.No entanto, não conseguiram manter um padrão de crescimento econômico capaz de suprir as demandas criadaspor suas nações, além de não terem conseguido superar os problemas de diversificação e aprimoramentotecnológico no setor industrial, o que implicou um profundo déficit de produção de bens industrializados no final dosanos 1980.Na política e na administração pública, os países socialistas também não foram eficientes em criar sistemas dinâmicose democráticos. Nos principais países socialistas, vigorou o sistema de partido único, que além de ser ineficientequanto à administração dos negócios do Estado, era antidemocrático.A URSS e Cuba tentaram estabelecer um sistema de trocas para superar suas deficiências econômicas. Os cubanosforneciam açúcar e fumo e recebiam petróleo e bens de consumo dos soviéticos. Essa alternativa, contudo, não foisuficiente para incrementar o aumento da produção.Os problemas políticos e econômicos enfrentados pelos países socialistas foram agravados pela crise deabastecimento, apontada como um dos principais fatores de impopularidade interna dos governos socialistas. A crisedo modelo socialista se tornou mais evidente no fim dos anos 80, com o governo de Mikhail Gorbachev.Com o processo de industrialização, as cidades europeias se transformaram em centros urbanos habitados pormassas de trabalhadores fabris. A organização das greves e dos sindicatos operários, que visava resistir àexploração dos donos das fábricas (capitalistas), esteve sob forte influência do pensamento socialista.O pensamento socialista foi fundamentado e desenvolvido por Karl Marx. Marx é, ao lado de Friedrich Engels, omaior teórico do socialismo científico, criado a partir de observações feitas sobre a vida dos operários ingleses.Costuma-se citar dois tipos de socialismo o socialismo real e o socialismo ideal (utópico).GUERRA FRIAA Guerra Fria tem início logo após a Segunda Guerra Mundial, pois os Estados Unidos e a União Soviética vãodisputar a hegemonia política, econômica e militar no mundo. A União Soviética possuía um sistema socialista,
  2. 2. baseado na economia planificada, partido único (Partido Comunista), igualdade social e falta de democracia. Já osEstados Unidos, a outra potência mundial, defendia a expansão do sistema capitalista, baseado na economia demercado, sistema democrático e propriedade privada. Na segunda metade da década de 1940 até 1989, estas duaspotências tentaram implantar em outros países os seus sistemas políticos e econômicos.A definição para a expressão guerra fria é de um conflito que aconteceu apenas no campo ideológico, não ocorrendoum embate militar declarado e direto entre Estados Unidos e URSS (uma guerra nunca declarada). Até mesmoporque, estes dois países estavam armados com centenas de mísseis nucleares. Um conflito armado diretosignificaria o fim dos dois países e, provavelmente, da vida no planeta Terra. Porém ambos acabaram alimentandoconflitos em outros países como, por exemplo, na Coréia e no Vietnã.Paz Armada Na verdade, uma expressão explica muito bem este período: a existência da Paz Armada. As duaspotências envolveram-se numa corrida armamentista, espalhando exércitos e armamentos em seus territórios e nospaíses aliados. Enquanto houvesse um equilíbrio bélico entre as duas potências, a paz estaria garantida, pois haveriao medo do ataque inimigo. Nesta época, formaram-se dois blocos militares, cujo objetivo era defender os interessesmilitares dos países membros. A OTAN - Organização do Tratado do Atlântico Norte (surgiu em abril de 1949) eraliderada pelos Estados Unidos e tinha suas bases nos países membros, principalmente na Europa Ocidental. O Pactode Varsóvia era comandado pela União Soviética e defendia militarmente os países socialistas. Alguns paísesmembros da OTAN: Estados Unidos, Canadá, Itália, Inglaterra, Alemanha Ocidental, França, Suécia, Espanha,Bélgica, Holanda, Dinamarca, Áustria e Grécia. Alguns países membros do Pacto de Varsóvia: URSS, Cuba, China,Coréia do Norte, Romênia, Alemanha Oriental, Albânia, Tchecoslováquia e Polônia.Corrida Espacial EUA e URSS travaram uma disputa muito grande no que se refere aos avanços espaciais. Amboscorriam para tentar atingir objetivos significativos nesta área. Isso ocorria, pois havia certa disputa entre as potências,com o objetivo de mostrar para o mundo qual era o sistema mais avançado. No ano de 1957, a URSS lança ofoguete Sputnik com um cão dentro, o primeiro ser vivo a ir para o espaço. Doze anos depois, em 1969, o mundotodo pôde acompanhar pela televisão a chegada do homem a lua, com a missão espacial norte-americana.Caça às Bruxas Os EUA liderou uma forte política de combate ao comunismo em seu território e no mundo. Usandoo cinema, a televisão, os jornais, as propagandas e até mesmo as histórias em quadrinhos, divulgou uma campanhavalorizando o "american way of life". Vários cidadãos americanos foram presos ou marginalizados por defenderemideias próximas ao socialismo. O Macartismo, comandado pelo senador republicano Joseph McCarthy, perseguiumuitas pessoas nos EUA. Essa ideologia também chegava aos países aliados dos EUA, como uma forma deidentificar o socialismo com tudo que havia de ruim no planeta. Na URSS não foi diferente, já que o PartidoComunista e seus integrantes perseguiam, prendiam e até matavam todos aqueles que não seguiam as regrasestabelecidas pelo governo. Sair destes países, por exemplo, era praticamente impossível. Um sistema deinvestigação e espionagem foi muito usado de ambos os lados. Enquanto a espionagem norte-americana cabia aosintegrantes da CIA, os funcionários da KGB faziam os serviços secretos soviéticos."Cortina de Ferro" Após a Segunda Guerra, a Alemanha foi dividida em duas áreas de ocupação entre os paísesvencedores. A República Democrática da Alemanha, com capital em Berlim, ficou sendo zona de influência soviéticae, portanto, socialista. A República Federal da Alemanha, com capital em Bonn (parte capitalista), ficou sob ainfluência dos países capitalistas. A cidade de Berlim foi dividida entre as quatro forças que venceram a guerra :URSS, EUA, França e Inglaterra. No final da década de 1940 é levantado Muro de Berlim, para dividir a cidade emduas partes: uma capitalista e outra socialista. É a vergonhosa "cortina de ferro".Plano Marshall e COMECON As duas potências desenvolveram planos para desenvolver economicamente os paísesmembros. No final da década de 1940, os EUA colocaram em prática o Plano Marshall, oferecendo ajuda econômica,principalmente através de empréstimos, para reconstruir os países capitalistas afetados pela Segunda GuerraMundial. Já o COMECON foi criado pela URSS em 1949 com o objetivo de garantir auxílio mútuo entre os paísessocialistas.Envolvimentos Indiretos Guerra da Coréia: Entre os anos de 1951 e 1953 a Coréia foi palco de um conflito armadode grandes proporções. Após a Revolução Maoísta ocorrida na China, a Coréia sofre pressões para adotar o sistemasocialista em todo seu território. A região sul da Coréia resiste e, com o apoio militar dos Estados Unidos, defendeseus interesses. A guerra dura dois anos e termina, em 1953, com a divisão da Coréia no paralelo 38. A Coréia doNorte ficou sob influência soviética e com um sistema socialista, enquanto a Coréia do Sul manteve o sistemacapitalista.Guerra do Vietnã: Este conflito ocorreu entre 1959 e 1975 e contou com a intervenção direta dos EUA e URSS. Ossoldados norte-americanos, apesar de todo aparato tecnológico, tiveram dificuldades em enfrentar os soldadosvietcongues (apoiados pelos soviéticos) nas florestas tropicais do país. Milhares de pessoas, entre civis e militaresmorreram nos combates. Os EUA saíram derrotados e tiveram que abandonar o território vietnamita de formavergonhosa em 1975. O Vietnã passou a ser socialista.Fim da Guerra Fria A falta de democracia, o atraso econômico e a crise nas repúblicas soviéticas acabaram poracelerar a crise do socialismo no final da década de 1980. Em 1989 cai o Muro de Berlim e as duas “Alemanhas” sãoreunificadas. No começo da década de 1990, o então presidente da União Soviética Gorbachev começou a aceleraro fim do socialismo naquele país e nos aliados. Com reformas econômicas, acordos com os EUA e mudançaspolíticas, o sistema foi se enfraquecendo. Era o fim de um período de embates políticos, ideológicos e militares. Ocapitalismo vitorioso, aos poucos, iria sendo implantado nos países socialistas.www.mundoeducacao.com.br www.brasilescola.com www.clickideia.com.br www.suapesquisa.com www.alunosonline.com.br
  3. 3. TEXTO DE APOIO -02ALEMANHA - DA DIVISÃO À REUNIFICAÇÃODo ano zero às duas Alemanhas – 1945 – 1949Os alemães precisaram de quatro anos para sair do pesadelo em que a derrota nazista osmergulhara. Vencidos, ocupados por potências estrangeiras, divididos, exauridos, condenados pelaHistoria e pelos sobreviventes do genocídio, seu destino dependia da vontade dos Aliados. Asdivergências que minaram a aliança antinazista e desembocaram na Guerra Fria constituíramexcelente oportunidade para os alemães, tanto no Oeste quanto no Leste, reivindicassem o direito aum papel ativo no novo jogo internacional.O ano zeroNos dias 7 e 8 de maio de 1945, quando os chefes de Estado Maior aliados e alemães, assinaram odocumento de capitulação, o regime nazista, já desmoronara. Adolfo Hitler, com a ocupação de Berlimpelos soviéticos suicidou-se em 30 de Abril.As grandes cidades industriais estavam destruídas, os portos impraticáveis e as grandes fábricas, forade operação. A população estava aterrorizada, milhões de homens longe de casa, mulheres ecrianças fugiam do avanço soviético. As perdas humanas chegaram a 8% da população. Os lideresnazistas desapareciam na enorme massa de prisioneiros de guerra ou tentavam fugir, através daEspanha e Portugal, para a América do Sul. Por esse motivo 1945 é o ano Zero, quando começarama reconstruir dos escombros a vida nacional.Quatro zonas de ocupaçãoA capitulação incondicional de 1945 implicou o desarmamento e a dissolução de todas as ForçasArmadas, a SS e a policia. Nas conferencias de Teerã 1943, e de Ialta 1945, ficou estabelecido porEUA, URSS, Reino Unido, a divisão alemã, para enfraquecê-la territorialmente, ocupa-la, impor-lheindenizações de guerra e impedi-la de voltar a ser uma potência econômica.Na conferencia de Potsdam, julho e agosto de 1945, Truman, Churchill e Stalin decidiram tirar daAlemanha os territórios a leste dos rios Oder e Neisse, anexados por URSS e Polônia. A superfíciealemã, ficou ¼ do que era em 1937.As três grandes potências determinaram que a autoridade suprema seria exercida em três, depoisquatro zonas de ocupação – A França seria admitida na partilha graças aos esforços do general DeGaulle-. Berlim também seria divida em quatro setores de ocupação.Modos divergentes de ocupaçãoOs aliados em sua zona de ocupação se lançaram a tarefa de restabelecer a democracia.Em sua área, os soviéticos criaram o Bloco de Partidos Antifascistas. Este foi colocados sob a direçãodos comunistas alemães, que estavam refugiados na URSS e retornaram a Alemanha com o exercitovermelho.A criação da BizoneNo decorre de 1946, as autoridades políticas alemãs nomeadas pelos Aliados ocidentais deram lugara governantes eleitos. Na realidade, os EUA esforçavam-se por fazer com que os alemãesaceitassem a divisão do país. As zonas americanas e britânicas fundiram-se numa nova entidade, aBizone. Esse território voltou a ter administração alemã, liderados por Konrad Adeanuer. Começavamos preparativos para a convocação de uma Assembléia Constituinte.Para impedir a adoção dessas medidas que resultariam no surgimento de um Estado alemãoseparado, a partir de 23 e 24 de junho de 1948 os soviéticos organizaram um bloqueio da antigacapital. Os acessos rodoviários e ferroviários foram fechados ate maio de 1949. Para suprir a cidadede alimentos e outros artigos básicos, os americanos e britânicos montaram uma ponte aérea dequase duzentos mil voos.Começa a nascer a Alemanha Ocidental – RFAA questão das indenizações de guerra também constituía um ponto de discórdia entre ocidentais esoviéticos. Os soviéticos além de praticarem a política de terra arrasada em seu setor, exigiam serindenizados com os equipamentos das indústrias situadas nas regiões mais ricas da Alemanha.Americanos e britânicos perceberam que este desmantelamento transformariam as zonas deocupação em desertos industriais e os obrigariam a gastar enormes quantias para sustentar o país.Dessa forma se declaram prontos devolver responsabilidades econômicas aos alemães, para queestes assumissem seu próprio destino. Apesar de algumas reservas e apreensão foi permitida oestabelecimento de uma economia social de mercado alemã, e a criação de uma zona econômicacom uma nova moeda, o marco alemão –Deutschmark. Essa reforma monetária de 1948 pode serconsiderada a etapa mais importante para a criação de um e depois de dois Estados alemães. Defato, com ela o Ocidente confirmou a divisão da nação alemã. Nesse contexto de guerra fria, só restou
  4. 4. aos soviéticos responder com medidas que tiveram por consequência a criação do segundo Estadoalemão.Surge a Alemanha Oriental - RDADesde cedo os soviéticos encorajaram a formação de um bloco antifascista na Alemanha Oriental.Três anos mais tarde o bloco transformou-se na Frente Nacional que constitui-se na espinha dorsal donovo Estado, criado a 7 de outubro de 1949. Constituía-se também de organizações de massa,sobretudo a federação sindical, o movimento feminino e o juvenil. A frente desenvolveu um programaantifascista e democrático, comandado por Walter Ulbricht, que voltou a Alemanha (zona soviética)em 1945. Tal estratégia subordinava inteiramente aos desejos e necessidades do ocupante soviético.Porem, para responder ao Plano Marshall e a garantia de um poder sem contestação sobre as novanações socialistas , já que o dirigente iugoslavo Tito traçava uma política interna e externaindependente de Moscou, o partido comunista adotou a ideologia marxista-lenista endurecendo seucontrole sobre as nações sob seu domínio.Duas Alemanha em busca de reconhecimento 1949-1972Uma vez constituídas, as duas Alemanhas se engajaram por completo na área de influencia de seusrespectivos protetores. A guerra fria eliminou rapidamente qualquer esperança de reunificação alemã.Em 1961, a construção de um muro que isolava Berlim Oriental pareceu selar a divisão definitiva daAlemanha em dois Estados distintos. A RDA E A RFA tentaram ser reconhecidas pela comunidadeinternacional, também profundamente dividida.RFA-RDA: historia de uma separação – 1949-1955Tanto no leste quanto no oeste, nenhum político alemão admitiu que a divisão de seu povo fossepermanente. A Alemanha Ocidental afirmava representar todo o povo alemão e decidiu atribuir-se oprivilegio de representar a continuidade de Estado alemão. Na disputa áspera e sem concessões queopôs a RFA e a RDA, foi a Alemanha Ocidental a que obteve mais depressa os resultados visíveis.A opção ocidental e europeia de AdenauerEntre 1951 e 1955, o chanceler Adenauer ocupando também a função de ministro do Exteriorobjetivou sua política externa em fazer da novíssima RFA uma potência de âmbito internacional. Assim,adotou uma política de alinhamento com as condições impostas pelos aliados e não uma política deoposição buscando o alinhamento com a política dos Estados Unidos ou o estabelecimento de umeixo franco-alemão, em torno do qual se inscreveria a unidade europeia em 1958-1963.A RFA aprovava as grandes decisões ocidentais, mas para ela era ponto de honra que essasdecisões levassem em conta um ponto de vista simultaneamente alemão e europeu. Isso constituíauma oportunidade de afirmar sua soberania e ser considerada uma entidade política igual a seusparceiros. Dessa forma foi aceita em 1954 na OTAN.O Leste limita-se a reagirNo Leste, a situação se apresentava de maneira totalmente diversa. Os dirigentes comunistasalemães não tentaram obter autonomia em relação aos soviéticos. Além disso, todas as medidas queprovocaram a mudança do estatuto jurídico da zona de ocupação soviética foram apenas respostas adecisões ocidentais: a RDA foi fundada alguns meses depois da RFA, a Alemanha Oriental seintegrou na aliança militar do Pacto de Varsóvia após a adesão da Alemanha Ocidental a OTAN.Essas decisões sempre se fizeram acompanhar de declarações que denunciavam a políticarevanchista dos alemães-ocidentais.Às medidas políticas se juntavam aquelas destinadas a dar credibilidade à ideia de que a AlemanhaOriental, pacifica por natureza, era forçada a se transformar numa fortaleza para proteger-se doexpansionismo das forças capitalista que a assediavam. Assim em 1952, uma zona proibida de cincoquilômetros de largura ao longo de toda a fronteira do oeste foi criada.A Alemanha Ocidental alcança a soberaniaDiante de uma garantia , a da integração da RFA na Comunidade Europeia de Defesa (CED) quedeveria agrupar também a França, Itália, Holanda, Bélgica e Luxemburgo, a Alemanha Ocidentalconsegue sua soberania. Os únicos limites impostos eram a permanência de tropas estrangeiras nopaís, a continuação da divisão de Berlim em quatro zonas e a impossibilidade de concluir tratado depaz. Essa medida, considerada unilateral pelas autoridades soviéticas, fez com que a AlemanhaOriental imediatamente fechasse as fronteiras entre as duas zonas.Contrariando os objetivos soviéticos, que queriam uma Alemanha desmilitarizada e neutralizada nocentro da Europa, Adenauer consegue o rearmamento da Alemanha Ocidental integrando seuexercito na OTAN, em outubro de 1954. Acabava também o regime de ocupação, e os altoscomissários foram substituídos por embaixadores. Os ocupantes de antes se transformaram emaliados que defenderiam a Alemanha Ocidental do perigo comunista.
  5. 5. Conseguido a soberania a RFA inicia um crescimento econômico ininterrupto, o Milagre Alemão. Essese deu devido ao modelo econômico, onde existia total liberdade aos agentes econômicos nacondução de seus negócios, a ajuda financeira do plano Marshall e a moderna legislação trabalhistasindical introduzida no país. Isso permitiu uma taxa de crescimento superior a 10% durante 10 anos.A soberania Ampliada da RDAOs soviéticos, por sua vez, concederam `soberania ampliada` aos alemães orientais, em marco de1954. Um ano depois, em maio de 1955, a RDA se tornou membro pleno do Pacto de Varsóvia.No entanto, para não ser considerada apenas uma das duas Alemanhas, a RFA pôs então em praticaa chamada doutrina Hasllstein: todo reconhecimento diplomático da RDA por um Estado soberanoimplicaria a ruptura de relações diplomáticas com a RFA. A Alemanha Ocidental reivindicava o direitode representar unilateralmente a Alemanha. A doutrina seria aplica duas vezes: em 1957 contra aIugoslávia e em 1963 contra Cuba.Economicamente , o objetivo era levar a zona oriental a adotar os princípios de coletivizado quevigoravam na União Soviética: a intervenção do estado na economia mediante a planificação e atransformação do conceito propriedade e uma política de coletivização dos diferentes ramoseconômicos.Ideologicamente, houve a imposição de uma identidade comum a população, que ao sair da guerraainda não havia aderido aos ideais comunistas. Baseado no marxismo-leninismo, essa ideologia eraveiculadas em todas as atividades sociais - escolas, universidades, clubes esportivos e associaçõesculturais.Dada a natureza do regime, em que a ideologia desempenhava um papel fundamental, resistênciasfizeram-se sentir nos meios políticos, científicos e culturais. Assumiram a forma de fuga constante deoperários e outros profissionais – técnicos, administradores, médicos, professores – para a AlemanhaOcidental. O fechamento das fronteiras em 1961-62 com a construção do muro de Berlim salvou oregime de um desmoronamento quase inevitável. Sem qualquer esperança de uma reunificaçãorápida, os alemães orientais aderiram à ideia de se tornaremos trabalhadores mais eficientes domundo socialista, objetivo que alcançaram com relativa rapidez.A caminho do reconhecimento mutuoAo longo de toda a sua historia, a Alemanha frequentemente se voltou mais para o leste do que parao oeste. Dessa forma a RFA rapidamente desenvolveu uma política independente para o lesteconhecida como Ostpolitik. Ela resultou no estabelecimento de relações comerciais com diversospaíses do leste: Polônia, Romênia, Hungria em 1963 e Bulgária em 1964. Pouco a pouco, a doutrinaHallstein foi sendo abandonada, e a Alemanha Ocidental estabeleceu relações diplomáticas oficiaiscom a Romênia em 1965, Iugoslávia em 1966 e Tchecoslováquia em 1967. Por fim, em 1973rejeitaram definitivamente o passado hitlerista, reconhecendo de modo oficial a nulidade dos acordosde Munique de 1938, que haviam levado a destruição do Estado tchecoslovaco.Em 1970, uma troca de visitas de chefes de governo de RFA e da RDA simbolizou a aproximaçãoentre os dois países. Em dezembro de 1972, com a assinatura de um tratado entre as duasAlemanhas, chegou-se ao fim de 23 anos de hostilidades. Os dois países garantiam imutabilidade desuas fronteiras e reconheciam a independência de ambos os Estados. Cada uma se comprometia ainstalar no vizinho uma representação permanente. Assim os dois Estados alemães foramconjuntamente admitidos na ONU em 1973.A partir de meados da década de 80, grandes empréstimos oriundos de bancos alemães ocidentais enumerosos acordos comerciais fizeram da Alemanha Oriental um membro associado – embora oculto– da comunidade econômica europeia. Entretanto, o apoio econômico alemão-ocidental não foiacompanhado de um controle orçamentário, que deveria ter limitado os gastos dos setoresimprodutivos da Alemanha Oriental. Tal qual em todos os países do bloco socialista o aparelhoprodutivo não foi modernizado, e a passagem para a Era da automação industrial se fez de formabastante inadequada. Era uma situação ainda mais embaraçosa porque, anos após ano, a AlemanhaOriental afirmava-se ser o país mais avançado do Leste europeu no que referia a industrialização e aodomínio da tecnologia moderna.O ano 1 da nova AlemanhaEm 1989, alguns meses de manifestações populares conseguiram o que quarenta anos deintermináveis negociações internacionais não tinha alcançado: a reunificação da Alemanha.Enquanto na União Soviética e nos outros países comunista a abertura política e as reformas daperestroika avançavam, na Alemanha Oriental o governo criticava violentamente essa abertura. Maisuma vez, foi abandonando o país que os alemães – orientais mostraram seu repudio ao socialismo.O desmoronamento de um regime
  6. 6. No fim de 1988, os ventos de liberdade e democracia já haviam abalado os regimes comunistas daPolônia e da Tchecoslovaquia. Em eleições livres e limpas os partidos comunistas foram varridosdesses países. Essa abertura política foi muito mal recebida pelos dirigentes da RDA que nãoestavam dispostos a aceita-la na Alemanha Oriental. Mas a grande maioria da população nãopensava assim e fugiram do país quando em agosto de 1989, a Hungria abriu suas fronteiras com aÁustria. Uma onda de emigração apanhou o governo de surpresa: enormes filas de carrosatravessaram a Tchecoslovaquia, a Hungria e depois a Áustria, para chegara a Alemanha Ocidental.A revolução pacificaA partir de setembro, quando o grosso dessa evasão já acabara, os habitantes da Alemanha Orientalse mobilizam em grandes manifestações, exigindo que a RDA seguisse o exemplo dos outros paísesda Europa oriental e concedesse liberdade e democracia com o lema `O povo somos nós. Astentativas de conter as manifestações por meio de repressões violentas e intimidações fracassaram eHonecker, no poder desde 1971 é destituído.Cai o muro de BerlimA 9 de novembro de 1989, convencidos de que não havia outra saída o Partido Comunista ordenouque se abrisse a fronteira berlinense e se derrubassem o muro. Na euforia do momento, em tres diascerca de 3 milhões de alemães orientais foram a Berlim Ocidental. Como presente de boas vindas, ogoverno da Alemanha Ocidental ofereceu a cada visitante dezenas de marcos. Dali a menos de umano, viria a reunificação.O Partido Comunista ainda tentou dominar a situação organizando eleições livres. Elas forammarcadas para a segunda metade de março e teriam a participação dos dois grandes partidos daAlemanha Ocidental.Porém para evitar que a RDA reformada sobrevivesse e que uma confederação de dois Estadosalemães se concretizassem, Helmut Kohl, chanceler da RFA, acelerou o processo de reunificação. Sedeclarou a favor da rápida abertura de negociações entre as duas Alemanhas, da unificaçãomonetária, qualificando como dramática a situação econômica da Alemanha Oriental propondo que oDeustschmark se tornasse a moeda comum de reunificação. Mas, se recusou a conceder ajudaeconômica se nas eleições de março, a RDA voltasse a ser governada por comunistas. Porem, estasderam vitória arrasadora aos democratas cristãos em todas as regiões da RDA.Novamente um só paísCom a união monetária e econômica entre as duas Alemanhas e a entrada da antiga RDA na OTAN –por meio da incorporação do país `a Alemanha Ocidental a União Soviética cedeu aos apelos daAlemanha Ocidental aceitando retirar suas tropas da antiga Alemanha Oriental, após 45 anos deocupação. Ficou acertado que as forcas militares soviéticas se retirariam dali ate 1994. Os custosdessa retirada seriam bancados pela Alemanha Ocidental.Em setembro de 1990, em Moscou, a Alemanha Ocidental assinou com os Estados Unidos, a UniãoSoviética, o Reino Unido e a França um tratado que punha fim à tutela dessas potências sobre aAlemanha, a qual voltava a ser plenamente soberana.A reunificação entrou em vigor a 3 de outubro de 1990, com a transformação da antiga RDA em cincoLânder da Alemanha Ocidental.Emancipada, a Alemanha, antes uma gigante econômica e anão político, passou a se afirmar nãoapenas como a terceira potência econômica mundial, mas também como a mais rica e populosa naçãoda nova União Europeia, formada a partir do Tratado de Maastricht, que entrou em vigor emnovembro de 1993.http://www.coladaweb.com/historia/alemanha-da-divisao-a-reunificacao

×