TECNOLOGIASEMERGENTESE FERRAMENTASDE WEB SOCIALNAS BIBLIOTECASOPORTUNIDADES E       Pedro Príncipe                      Se...
EnquadramentoA mudança que a utilização dos novos recursos web edispositivos móveis está a provocar nas atitudes     daspe...
Tópicos1    CONTEXTO… novos ambientes e cenários em     mudança na aprendizagem e informação. 2      POSICIONAMENTO das bi...
41   CONTEXTO… novos ambientes e    cenários em mudança na    aprendizagem e informação.
Contexto… novos ambientes (1/5)Os processos e ambientes de ensino eaprendizagem, de formação e qualificação estãoconfronta...
Contexto… novos ambientes (2/5)Ênfase no desenvolvimento dos recursos e capacidadesnecessárias para os alunos se envolvere...
Contexto… novos ambientes (3/5)O papel dos utilizadores da web na relação queestabelecem com a rede transformou-se, passan...
Contexto… cenários em mudança (4/5)As ferramentas e plataformas da web socialestabelecem novas formas individuais e colect...
Contexto… cenários em mudança (5/5)As bibliotecas como serviços de suporte incorporadosnestes processos e ambientes assume...
A BIBLIOTECA DO FUTUROnão será o museu do livro         @MandyStewart da @britishlibrary no #SIBiUSP30
BIBLIOTECAS PARA A VIDA“utilizadores acrescentam valor”                          Tim O´Reilly (2007)
A informática já não tema ver com computadores.Tem a ver com a Vida.                   NEGROPONTE (1995)
Nova realidade• Proliferação dos meios e plataformas  digitais de comunicação• Crescimento e acesso generalizado à  intern...
(…) tempo para a adoção da tecnologia:• One Year or Less   • Cloud Computing   • Mobile Apps   • Social Reading   • Tablet...
Características emergentes• Das gerações que hoje chegam àsescolas… • Sempre conectado, multi-tarefa • Orientado para trab...
172   POSICIONAMENTO das    bibliotecas face aos desafios da    web social e dos novos suportes.
Antes de mais…Mobile communication has been more widely adoptedmore quickly than any other technology ever.Mobile communic...
Ferramentas 2.0 (da web social) Permitem às bibliotecas e serviços de informação e documentação tornar acessíveis os seus ...
PARA ALÉM DA TECNOLOGIAPOSICIONAMENTODe um serviço fronteiraGerador de sinergiasFacilitador de recursos
Biblioteca um serviço de FronteiraEstá na fronteira Um serviço de interface… de relações e interdependências…   Da educa...
Conversas 2.0 sobre Bibliotecas
UMA QUESTÃO DEATITUDEFlexível no contexto dos novos ambientesDe maior transparência e visibilidadeCorrer riscos, não recea...
Maior visibilidade• Estar onde o utilizador está• Ser útil onde o utilizador está• Organização aberta à mudança• Oferecend...
Adaptação à mudança• Ir ao encontro das necessidades dos públicos e confiar  nos utilizadores• Assumir uma atitude institu...
PARA ALÉM DA TECNOLOGIAESTRATÉGIAIntegração de conteúdos e serviçosRecursos e ferramentas de mobile e web socialIntegrados...
Integração dos conteúdos e serviços• Uma forma de    entregar a biblioteca aos  utilizadores…• Estratégia integrada no apo...
PARA ALÉM DA TECNOLOGIARELEVÂNCIASendo útil onde o utilizador estáCom atenção às necessidades dos públicosPara adequar con...
Mais relevância• Ir ao encontro das necessidades dos  públicos• Seleccionar criteriosamente ferramentas  e canais de comun...
Não basta estar onde o utilizador estáé importante ser útilonde o utilizador está e aí criarserviços de valor acrescentado
313    OPORTUNIDADES E AÇÃO    conteúdos e serviços, estratégias,    visibilidade e incorporação    (Biblioteca 2.0)
BIBLIOTECAS COMO ESPAÇOS PEDAGÓGICOSDE LITERACIA PARA A PROMOÇÃO EUTILIZAÇÃO DOS NOVOS RECURSOScom enfoque na funcionalida...
gerar conteúdos relevantes David Álvarez, Mi PLE - http://e-aprendizaje.es/2010/03/09/mi-ple
serviços em diferentes canaisMartin Weller - My personal work/leisure/learning environmenthttp://nogoodreason.typepad.co.u...
úteis onde o utilizador está  Alec Couros, PhD Thesis illustration, the Networked Teacher -  http://educationaltechnology....
com integração dos recursosIsmael Peña-López, Mapping the PLE sphere - http://ictlogy.net/20100715-mapping-the-ple-sphere/
construção de comunidades onlineKatherine Pisana - My PLE and 3 Sub PLEs oriented towards specific learning networks
fontes de informação relevantes    Paulo Simões - Twitter - the Heart of a #PLE
incorporados nos ambientesSteve Wheeler, Anatomy of a PLE - http://steve-wheeler.blogspot.com/2010/07/anatomy-of-ple.html
PLE sapo campus UA integrar o espaço pessoal de aprendizagemhttp://fotos.ua.sapo.pt/Vh6fhW1H2V4uYfBd41Oq
Concretizando no ensino e formação• Reposicionar as ferramentas e recursos de informação  da biblioteca, para ser possível...
VISIBILIDADEDinamismo na acçãoTransparência na comunicaçãoRedundância de pontos de acesso à info
CASO PRÁTICO: BIBLIOTECAS UA
FORMAÇÃO INTEGRADA DE UTILIZADORES
RECURSO Á COMUNICAÇÃO INSTITUCIONAL
COMUNICAÇÃO COLABORATIVA E INFORMAL
PRESENTE NA PLATAFORMA DE ELEARNING
CONVERSAR, CAPITALIZAR E AMPLIFICARNAS REDES SOCIAIS
NOVOS AMBIENTES E PROJECTOS(ple sapo campus ua)
RECURSO ABERTO E PARTILHADO NA WEB
PARTILHA E COLABORAÇÃO EM REDEInteressante…• CONTEÚDOS DE APOIO E LITERACIA • RELEVANTES e ÚTEIS • ESTRATÉGIA DE FORMAÇÃO ...
Just because you candoesn’t mean you should
Não andar pelas redes sociaissem antes reprogramar océrebro 1.0 com a versão 2.0
As ferramentas de web social devemser integradas numa estratégiaglobal de serviços aos utilizadores
Utilizar a inteligência colectiva para desenharnovos serviços aos utilizadores:- introduzindo no “processo” o público,- pr...
“Estar na web 2.0 cria expectativas deserviço, tão importantes como ter aporta aberta da biblioteca”
Saber utilizar os clicks que osutilizadores fazem… a biblioteca social
Construir relações de proximidade
As bibliotecas tem muitasoportunidades no futuro…e este futuro já começou         @EloyRodrigues @cibertecario02 no #SIBiU...
Centros de recursos para aaprendizagem e investigação
Competências, estratégias e agilidades de   pesquisa de informação na web
Promoção de hábitos de leitura
Outros espaços, mais proximidade e leitores
Dinamização e integração social
Papel activo e pioneiro nas literacias…
Parceiro na informação aos cidadãos
De dentro para fora e em acesso aberto
Formação ao longo da vida…
identidade e memória coletiva da comunidade
Não há receitas• É preciso criatividade• Adaptabilidade• E processos de construção colaborativa
“Community is the new content”http://seedmagazine.com/images/uploads/15Sci08368.jpg
Arranque…• Internet móvel é o próximo passo para as bibliotecas.• O aumento exponencial da utilização de dispositivos móve...
Projetos em curso (exploratórios)http://www.futureofthebook.org
Projetos em curso (exploratórios)http://www.territorioebook.com
Recomendações• Programa Arcadia da Cambridge Univ. e The Open Univ.Piloting text alerting services - giving users the oppo...
Boas práticas
Exemplos…• Consultar http://www.libsuccess.org/index.php?title=M- Libraries80
O mobile permite…Permite às bibliotecas virtualizar o espaço físico,aumentando a sua realidade, amplificar a sua acção,tor...
Explorando um exemplo
Mobile tagging• Processo de disponibilização de dados em dispositivos móveis, normalmente através do uso de informação cod...
Mobile tagging: QR codes• Códigos de barras 2D são  uma forma prática e  conveniente de incorporar  o “virtual” no espaço ...
Aplicações (QR codes)• Nas exposições, incluindo um ligação a músicas, vídeos, sites,    inquéritos ou outras informações ...
Em conclusão• Serviços que permitem chegar a mais e   novos públicos (muitos deles deslocalizados, oferta de serviços remo...
ratodebiblioteca.blogspot.com                 facebook.com/pedroprincipe                 twitter.com/pedroprincipe        ...
Referências e imagens•   http://edtechpost.wikispaces.com/PLE+Diagrams#downes•   http://ictlogy.net/20100715-mapping-the-p...
Tecnologias emergentes e ferramentas de web social nas bibliotecas: oportunidades e estratégias de ação
Tecnologias emergentes e ferramentas de web social nas bibliotecas: oportunidades e estratégias de ação
Tecnologias emergentes e ferramentas de web social nas bibliotecas: oportunidades e estratégias de ação
Tecnologias emergentes e ferramentas de web social nas bibliotecas: oportunidades e estratégias de ação
Tecnologias emergentes e ferramentas de web social nas bibliotecas: oportunidades e estratégias de ação
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Tecnologias emergentes e ferramentas de web social nas bibliotecas: oportunidades e estratégias de ação

737
-1

Published on

Ler em Barcelos 2012, 9 de Março. 2º Encontro de Bibliotecas Escolares de Barcelos.

Published in: Education
0 Comments
1 Like
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total Views
737
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
4
Comments
0
Likes
1
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Tecnologias emergentes e ferramentas de web social nas bibliotecas: oportunidades e estratégias de ação

  1. 1. TECNOLOGIASEMERGENTESE FERRAMENTASDE WEB SOCIALNAS BIBLIOTECASOPORTUNIDADES E Pedro Príncipe Serviços de DocumentaçãoESTRATÉGIAS DE AÇÃO da Universidade do Minho ratodebiblioteca.blogspot.com 9 de março de 2012
  2. 2. EnquadramentoA mudança que a utilização dos novos recursos web edispositivos móveis está a provocar nas atitudes daspessoas face à informação é marcante. As novas formas emétodos de acesso à informação, à cultura e àaprendizagem, a proliferação dos meios e plataformas digitaisde comunicação e o crescimento e acesso generalizado àinternet, às ferramentas de web, em particular às redes sociais,marcam estas alterações no perfil dos utilizadores e nasbibliotecas e serviços de informação e documentação.
  3. 3. Tópicos1 CONTEXTO… novos ambientes e cenários em mudança na aprendizagem e informação. 2 POSICIONAMENTO das bibliotecas face aos desafios da web social e dos novos suportes.3 OPORTUNIDADES E AÇÃO… conteúdos e serviços: estratégias, visibilidade e incorporação.
  4. 4. 41 CONTEXTO… novos ambientes e cenários em mudança na aprendizagem e informação.
  5. 5. Contexto… novos ambientes (1/5)Os processos e ambientes de ensino eaprendizagem, de formação e qualificação estãoconfrontados atualmente com mudançasconstantes, mas que não resultarão necessariamente nasubstituição de um tipo de aprendizagem por um outro.Há novas formas mais dinâmicas, personalizadase centradas no aluno. (DOWNES, 2005)
  6. 6. Contexto… novos ambientes (2/5)Ênfase no desenvolvimento dos recursos e capacidadesnecessárias para os alunos se envolverem na aquisiçãode novas competências e para a procura doconhecimento existente nas redes criadas e mantidaspelos utilizadores. (SIEMENS, 2008)Novas abordagens caracterizadas por uma maiorabertura, participação e colaboração.
  7. 7. Contexto… novos ambientes (3/5)O papel dos utilizadores da web na relação queestabelecem com a rede transformou-se, passando demeros pesquisadores ou consumidores de informação aprodutores e geradores de novos conteúdos.Do consumidor ao PROSUMERproducer (produtor) + consumer (consumidor)
  8. 8. Contexto… cenários em mudança (4/5)As ferramentas e plataformas da web socialestabelecem novas formas individuais e colectivas deinteração, produção e validação deinformação, amplificando a ideia de que estes sistemasde informação e comunicação se tornam cada vezmelhores à medida que mais utilizadores participam econtribuem.A biblioteca está a mudar (mudou) e temospouco tempo para lidar com estas mudanças.
  9. 9. Contexto… cenários em mudança (5/5)As bibliotecas como serviços de suporte incorporadosnestes processos e ambientes assumem particular relevona convergência gradual entre as diferentes formas deaprendizagem e na percepção das novas necessidades deinformação das comunidades.Todas estas mudanças exigem às bibliotecasdiferentes abordagens e conteúdos adequados,mais ou menos complexos, disponíveis emdiferentes formatos, plataformas e canais.
  10. 10. A BIBLIOTECA DO FUTUROnão será o museu do livro @MandyStewart da @britishlibrary no #SIBiUSP30
  11. 11. BIBLIOTECAS PARA A VIDA“utilizadores acrescentam valor” Tim O´Reilly (2007)
  12. 12. A informática já não tema ver com computadores.Tem a ver com a Vida. NEGROPONTE (1995)
  13. 13. Nova realidade• Proliferação dos meios e plataformas digitais de comunicação• Crescimento e acesso generalizado à internet, às ferramentas de web, em particular às redes sociais• Marcam alterações no perfil dos utilizadores
  14. 14. (…) tempo para a adoção da tecnologia:• One Year or Less • Cloud Computing • Mobile Apps • Social Reading • Tablet Computing• Two to Three Years • Adaptive Learning Environments • Augmented Reality • Game-Based Learning • Learning Analytics• Four to Five Years • Digital Identity • Gesture-Based Computing • Haptic Interfaces • Internet of Things 1 Year or Less - Electronic Books 1 Year or Less - Mobile Devices 2-3 Years - Augmented Reality 2-3 Years - Game Based Learning
  15. 15. Características emergentes• Das gerações que hoje chegam àsescolas… • Sempre conectado, multi-tarefa • Orientado para trabalho em grupo • Aprendizagem pela experimentação • Mais visual • Simultaneamente produtores e consumidores de informação
  16. 16. 172 POSICIONAMENTO das bibliotecas face aos desafios da web social e dos novos suportes.
  17. 17. Antes de mais…Mobile communication has been more widely adoptedmore quickly than any other technology ever.Mobile communications “is the fastestdiffusing technology ever”. Manuel Castells
  18. 18. Ferramentas 2.0 (da web social) Permitem às bibliotecas e serviços de informação e documentação tornar acessíveis os seus recursos, serviços e conteúdos onde e quando são necessários, para um número cada vez maior de utilizadores e em interação com outros.Facilitam a aprendizagem, disseminam a informaçãoe capitalizam o conhecimento dos utilizadores e autilização que fazem dos sistemas da biblioteca.
  19. 19. PARA ALÉM DA TECNOLOGIAPOSICIONAMENTODe um serviço fronteiraGerador de sinergiasFacilitador de recursos
  20. 20. Biblioteca um serviço de FronteiraEstá na fronteira Um serviço de interface… de relações e interdependências…  Da educação formal e da educação não-formal  Do estudo individual e da descoberta partilhada  Do tradicional e da novidade  Do espaço físico e do espaço virtual  Da cultura e da assistência social  Dos leitores e dos escritores  Da história e das estórias…
  21. 21. Conversas 2.0 sobre Bibliotecas
  22. 22. UMA QUESTÃO DEATITUDEFlexível no contexto dos novos ambientesDe maior transparência e visibilidadeCorrer riscos, não recear o erro
  23. 23. Maior visibilidade• Estar onde o utilizador está• Ser útil onde o utilizador está• Organização aberta à mudança• Oferecendo serviços e conteúdos relevantes• Confiando e envolvendo a comunidade
  24. 24. Adaptação à mudança• Ir ao encontro das necessidades dos públicos e confiar nos utilizadores• Assumir uma atitude institucional de pioneirismo tecnológico focado na funcionalidade e não na tecnologia.• Postura de early adopter com um duplo papel: • incorporador das tecnologias nos seus sistemas e serviços, • formador dos seus públicos na utilização dos novos recursos tecnológicos.• Correr riscos, não ter receio de errar e rejeitar a “cultura do perfeito”
  25. 25. PARA ALÉM DA TECNOLOGIAESTRATÉGIAIntegração de conteúdos e serviçosRecursos e ferramentas de mobile e web socialIntegrados na estratégia dos serviços
  26. 26. Integração dos conteúdos e serviços• Uma forma de entregar a biblioteca aos utilizadores…• Estratégia integrada no apoio ao utilizador em novos ambientes de aprendizagem.• Estratégia que se caracteriza por: • uma lógica de redundância de pontos de acesso à informação, • tornar acessíveis a biblioteca, os seus serviços e recursos onde e quando são necessários.
  27. 27. PARA ALÉM DA TECNOLOGIARELEVÂNCIASendo útil onde o utilizador estáCom atenção às necessidades dos públicosPara adequar conteúdos e ferramentas
  28. 28. Mais relevância• Ir ao encontro das necessidades dos públicos• Seleccionar criteriosamente ferramentas e canais de comunicação a utilizar• Olhar para fora das paredes da biblioteca e encontrar lá as oportunidades de novos serviços e aplicações• Oferecendo serviços de valor acrescentado
  29. 29. Não basta estar onde o utilizador estáé importante ser útilonde o utilizador está e aí criarserviços de valor acrescentado
  30. 30. 313 OPORTUNIDADES E AÇÃO conteúdos e serviços, estratégias, visibilidade e incorporação (Biblioteca 2.0)
  31. 31. BIBLIOTECAS COMO ESPAÇOS PEDAGÓGICOSDE LITERACIA PARA A PROMOÇÃO EUTILIZAÇÃO DOS NOVOS RECURSOScom enfoque na funcionalidadee não na tecnologia
  32. 32. gerar conteúdos relevantes David Álvarez, Mi PLE - http://e-aprendizaje.es/2010/03/09/mi-ple
  33. 33. serviços em diferentes canaisMartin Weller - My personal work/leisure/learning environmenthttp://nogoodreason.typepad.co.uk/no_good_reason/2007/12/my-personal-wor.html
  34. 34. úteis onde o utilizador está Alec Couros, PhD Thesis illustration, the Networked Teacher - http://educationaltechnology.ca/couros/580
  35. 35. com integração dos recursosIsmael Peña-López, Mapping the PLE sphere - http://ictlogy.net/20100715-mapping-the-ple-sphere/
  36. 36. construção de comunidades onlineKatherine Pisana - My PLE and 3 Sub PLEs oriented towards specific learning networks
  37. 37. fontes de informação relevantes Paulo Simões - Twitter - the Heart of a #PLE
  38. 38. incorporados nos ambientesSteve Wheeler, Anatomy of a PLE - http://steve-wheeler.blogspot.com/2010/07/anatomy-of-ple.html
  39. 39. PLE sapo campus UA integrar o espaço pessoal de aprendizagemhttp://fotos.ua.sapo.pt/Vh6fhW1H2V4uYfBd41Oq
  40. 40. Concretizando no ensino e formação• Reposicionar as ferramentas e recursos de informação da biblioteca, para ser possível a sua incorporação nos processo de ensino, aprendizagem e investigação.• As bibliotecas têm que incorporar os seus recursos e conteúdos nos sistemas e ferramentas dos estudantes e da instituição. Ocupar um lugar relevante nos fluxos de informação institucionais
  41. 41. VISIBILIDADEDinamismo na acçãoTransparência na comunicaçãoRedundância de pontos de acesso à info
  42. 42. CASO PRÁTICO: BIBLIOTECAS UA
  43. 43. FORMAÇÃO INTEGRADA DE UTILIZADORES
  44. 44. RECURSO Á COMUNICAÇÃO INSTITUCIONAL
  45. 45. COMUNICAÇÃO COLABORATIVA E INFORMAL
  46. 46. PRESENTE NA PLATAFORMA DE ELEARNING
  47. 47. CONVERSAR, CAPITALIZAR E AMPLIFICARNAS REDES SOCIAIS
  48. 48. NOVOS AMBIENTES E PROJECTOS(ple sapo campus ua)
  49. 49. RECURSO ABERTO E PARTILHADO NA WEB
  50. 50. PARTILHA E COLABORAÇÃO EM REDEInteressante…• CONTEÚDOS DE APOIO E LITERACIA • RELEVANTES e ÚTEIS • ESTRATÉGIA DE FORMAÇÃO E DIVULGAÇÃO INSTITUCIONAL • INCORPORADOS NOS SISTEMAS • UTILIZANDO A WEB SOCIAL • COM IMPLICAÇÕES DE DIMENSÃO MUNDIAL
  51. 51. Just because you candoesn’t mean you should
  52. 52. Não andar pelas redes sociaissem antes reprogramar océrebro 1.0 com a versão 2.0
  53. 53. As ferramentas de web social devemser integradas numa estratégiaglobal de serviços aos utilizadores
  54. 54. Utilizar a inteligência colectiva para desenharnovos serviços aos utilizadores:- introduzindo no “processo” o público,- procurando compreender como acedem, consomem eproduzem informação
  55. 55. “Estar na web 2.0 cria expectativas deserviço, tão importantes como ter aporta aberta da biblioteca”
  56. 56. Saber utilizar os clicks que osutilizadores fazem… a biblioteca social
  57. 57. Construir relações de proximidade
  58. 58. As bibliotecas tem muitasoportunidades no futuro…e este futuro já começou @EloyRodrigues @cibertecario02 no #SIBiUSP30
  59. 59. Centros de recursos para aaprendizagem e investigação
  60. 60. Competências, estratégias e agilidades de pesquisa de informação na web
  61. 61. Promoção de hábitos de leitura
  62. 62. Outros espaços, mais proximidade e leitores
  63. 63. Dinamização e integração social
  64. 64. Papel activo e pioneiro nas literacias…
  65. 65. Parceiro na informação aos cidadãos
  66. 66. De dentro para fora e em acesso aberto
  67. 67. Formação ao longo da vida…
  68. 68. identidade e memória coletiva da comunidade
  69. 69. Não há receitas• É preciso criatividade• Adaptabilidade• E processos de construção colaborativa
  70. 70. “Community is the new content”http://seedmagazine.com/images/uploads/15Sci08368.jpg
  71. 71. Arranque…• Internet móvel é o próximo passo para as bibliotecas.• O aumento exponencial da utilização de dispositivos móveis prevê um recurso inexplorado para a entrega de recursos da biblioteca aos seus públicos.
  72. 72. Projetos em curso (exploratórios)http://www.futureofthebook.org
  73. 73. Projetos em curso (exploratórios)http://www.territorioebook.com
  74. 74. Recomendações• Programa Arcadia da Cambridge Univ. e The Open Univ.Piloting text alerting services - giving users the opportunity to choose whether they want notificationsby text message, email or both are likely to be taken up by at least a third of library users. These alertswould include the notifications automatically generated by the Library Management System (LMS).Piloting a text reference service – if the library receives a high volume of enquiries that require briefresponses, such as dictionary definitions, facts or service information from the library.Providing a mobile OPAC interface – perhaps using a service such as AirPac or WorldCat Mobile, orworking with their LMS supplier to develop a mobile version of their OPAC.Ensuring that the library website is accessible and will resize to smaller screens – in order to be readyfor increasing numbers of netbook users and mobile internet users in the next few years.Providing audio tours of the library - to help visitors or new users orient themselves and learn moreabout the service.Allowing mobile phone use in the library - as long as they are set to silent or to flight mode (meaningthey are not receiving a signal).
  75. 75. Boas práticas
  76. 76. Exemplos…• Consultar http://www.libsuccess.org/index.php?title=M- Libraries80
  77. 77. O mobile permite…Permite às bibliotecas virtualizar o espaço físico,aumentando a sua realidade, amplificar a sua acção,tornando acessíveis os seus serviços, recursos e conteúdosonde e quando são necessários para um número cada vezmaior de utilizadores, captando novos públicos.
  78. 78. Explorando um exemplo
  79. 79. Mobile tagging• Processo de disponibilização de dados em dispositivos móveis, normalmente através do uso de informação codificada em códigos de barra 2D para serem lidos usando um telefone com câmara.
  80. 80. Mobile tagging: QR codes• Códigos de barras 2D são uma forma prática e conveniente de incorporar o “virtual” no espaço físico• Fornecer conteúdo útil, no momento em que ele é útil e necessário• Os códigos QR são uma tecnologia de baixo custo, fácil de implementar e de usar.
  81. 81. Aplicações (QR codes)• Nas exposições, incluindo um ligação a músicas, vídeos, sites, inquéritos ou outras informações que “ampliam” essas exposições;• Códigos nas estantes ou secções que apontam para recursos electrónicos ou bibliotecas digitais de assuntos relacionados;• Adicionar o código aos materiais impressos (folhetos, etc) para obter informações adicionais na web;• Nas mostras de arte ligando aos sites dos artistas• No catálogo para fornecer mais informações sobre um registo, incluindo a localização e o número de sistema;• Código colocado em portas de sala de estudo ou computadores ligando aos formulários de reserva;• Ligações a playlists de tutoriais vídeo da biblioteca…
  82. 82. Em conclusão• Serviços que permitem chegar a mais e novos públicos (muitos deles deslocalizados, oferta de serviços remotos).
  83. 83. ratodebiblioteca.blogspot.com facebook.com/pedroprincipe twitter.com/pedroprincipe youtube.com/user/pedroprincipe slideshare.com/pedroprincipe9 de Março de 2012
  84. 84. Referências e imagens• http://edtechpost.wikispaces.com/PLE+Diagrams#downes• http://ictlogy.net/20100715-mapping-the-ple-sphere/• http://steve-wheeler.blogspot.com/2010/07/anatomy-of-ple.html• http://www.microbiologybytes.com/tutorials/ple/ple5.html• http://www.virtuallyscholastic.com/2009/07/whats-in-your-orbit/• http://nogoodreason.typepad.co.uk/no_good_reason/2007/12/my-personal-wor.html• http://napraia.blogs.ua.sapo.pt/• http://prezi.com/sumyq0u4o4vo/workshop-ple_bcn-twitter-the-heart-of-your-ple/• http://fotos.ua.sapo.pt/Vh6fhW1H2V4uYfBd41Oq?a=6• http://www.gliffy.com/pubdoc/1092065/L.png• http://ictlogy.net/img/posts/0000003437.png• http://4.bp.blogspot.com/_p0M9IDN4_TM/TDmqK_u1ZGI/AAAAAAAABag/UMpeQCo- h4I/s1600/CLE+Concept.jpg• http://1.bp.blogspot.com/_p0M9IDN4_TM/TDmp- M7V3oI/AAAAAAAABaY/s4Sv6eCdytQ/s1600/PLE+anatomy.jpg• http://eaprendizaje.files.wordpress.com/2010/03/miple_basico1.png• http://nogoodreason.typepad.co.uk/.shared/image.html?/photos/uncategorized/2007/12/06/pwe_3.jpg• http://www.virtuallyscholastic.com/wp-content/uploads/2009/07/MY-Professional-PLE.png• http://edtechpost.wikispaces.com/file/view/Picture_5.png/155457331/Picture_5.png• http://www.slideshare.net/nebraskaccess/history-of-e-books-ereaders• http://www.flickr.com/photos/shifted/1240167805• http://www.flickr.com/photos/sixesandsevens/1288663668• http://lerebooks.wordpress.com/2011/11/18/a-amazon-em-numeros-infografico• http://revolucaoebook.com.br/infografico-pirataria-online-numeros

×