Políticas e mandatos de Acesso Aberto: perceções dos investigadores

555 views
532 views

Published on

Apresentação da comunicação ao 11º Congresso BAD - Lisboa, 19 de outubro de 2012 - Pedro Príncipe, Eloy Rodrigues, Clara Parente Boavida, José Carvalho, Ricardo Saraiva – Serviços de Documentação da Universidade do Minho

0 Comments
4 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
555
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
1
Actions
Shares
0
Downloads
9
Comments
0
Likes
4
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Políticas e mandatos de Acesso Aberto: perceções dos investigadores

  1. 1. Políticas e mandatos deACESSO ABERTOperceções dos investigadoresClara Boavida, Pedro Príncipe,Eloy Rodrigues, José Carvalho, Ricardo Saraiva
  2. 2. Tópicos1. Enquadramento2. Perfil e representatividade dos participantes3. Resultados: 1. Participação em Projetos 2. Opinião sobre o Acesso Aberto 3. Prática de Publicação e Acesso Aberto4. Considerações finais 1. Recomendações
  3. 3. 1ENQUADRAMENTO
  4. 4. ENQUADRAMENTO Inquérito promovido pelos Serviços de Documentação da Universidade do Minho (SDUM) para:  recolher informações sobre a perceção, opinião e prática dos investigadores em Portugal relativamente ao acesso aberto (Open Access) à literatura científica. Iniciativa no âmbito dos Projetos Open Access desenvolvidos pelos SDUM – OpenAIRE, MedOANet e OpenAIREplus.
  5. 5. ENQUADRAMENTO Reforço das politicas e iniciativas Open Access da União Europeia (Horizonte 2020).  A definição acompanhada de estudos e inquéritos
  6. 6. FICHA TÉCNICA Inquérito por questionário:  Anónimo e composto por 49 perguntas.  Disponibilizado via web usando o software LimeSurvey em http://openaccess.sdum.uminho.pt/inqueritos.  Período para resposta: 19 de Junho a 27 de Julho 2012.  Divulgação através de email para coordenadores e participantes de projetos financiados pelo 7ºPQ e pela FCT, e de canais de comunicação de universidades e organizações de investigação.  1249 respostas completas.
  7. 7. ESTRUTURA DO ESTUDO PRÁTICAS DE PUBLICAÇÃO E ACESSO ABERTO PARTICIPAÇÃO OPINIÃO SOBRE EM PROJETOS O ACESSO ABERTO ACESSO ABERTO E INVESTIGADORES EM PORTUGAL
  8. 8. 2PERFIL EREPRESENTATIVIDADEDOS PARTICIPANTES
  9. 9. IDENTIFICAÇÃO1. Carreira Profissional2. Instituição3. Área Científica4. Sexo5. Idade
  10. 10. CARREIRA PROFISSIONAL  Docente universitário: 39%  Investigação científica: 23%  Bolseiro: 22%  Docente do Politécnico: 11%
  11. 11. INSTITUIÇÃO Instituições Ensino Ano Total Empresas Estado Privadas sem Internacional Outra Superior Fins Lucrativos 2012 1249 6 70 1091 68 7 7Subsistema de ensino %  Instituições: N  Ensino Superior: 87% Universitário 908 83%Público Politécnico 128 12%  Públicas do estado: 6% Total 1036 95%  Privadas: 5% Universitário 47 4%Privado Politécnico 8 1%  Ensino Superior Total TOTAL 55 5%  Público: 95% 1091  Privado: 5%
  12. 12. DOMÍNIO CIENTÍFICO26% 21% 19%
  13. 13. DOMÍNIO CIENTÍFICO
  14. 14. IDADE/SEXO até 30 51-60 45% F 41-50 31-40 55% M
  15. 15. CHECKLIST IDENTIFICAÇÃO Masculino: 55%  Idade 31-40: 35% Feminino: 45%  Idade 41-50: 30% Docente universitário: 39%  Engenharia e Tecnologia:26% Investigação científica: 23%  Ciências Sociais: 21% Bolseiro: 22%  Ciências Naturais: 19% Docente do Politécnico: 11%  Ciências Médicas: 11% Instituições de Ensino Superior: 87% Instituições e organismos Públicos do estado: 6% Instituições Privadas sem fins lucrativos e empresas: 6%
  16. 16. REPRESENTATIVIDADEDAS RESPOSTAS Existência de equivalência entre dados da amostra (na identificação da carreira profissional e instituição) e os dados de caracterização demográfica da população inquirida (utilização de dados disponíveis pelo GPEARI e na PORDATA). Significativa abrangência e representatividade nos domínios científicos. Relevante amostra de participantes do ensino superior, particularmente Universidades públicas. Elevada participação em projetos financiados.
  17. 17. 3PARTICIPAÇÃOEM PROJETOS
  18. 18. PARTICIPAÇÃO EM PROJETOS
  19. 19. SOBRE OS PROJETOSFCT Participação como investigador: 1039 Participação como coordenador: 574 0% 0% SIM 46% NÃO 54%7º PQ Participação como investigador: 300 Participação como coordenador: 65
  20. 20. 3OPINIÃO SOBREO ACESSO ABERTO
  21. 21. 97% SIM3% NÃOCONHECE E COMPREENDE O CONCEITODE ACESSO ABERTO (OPEN ACCESS) ÀPRODUÇÃO CIENTÍFICA?
  22. 22. 77% (CONCORDO E CONCORDO PLENAMENTE)10% (DISCORDO E DISCORDO PLENAMENTE)13% (SEM OPINIÃO)O ACESSO ABERTO IRÁ ALTERAR ACOMUNICAÇÃO CIENTÍFICA NA MINHAÁREA DE INVESTIGAÇÃO NOS PRÓXIMOSANOS
  23. 23. 77% (CONCORDO E CONCORDO PLENAMENTE)7% (DISCORDO E DISCORDO PLENAMENTE)16% (SEM OPINIÃO)O ACESSO ABERTO AUMENTA O NÚMERODE CITAÇÕES DOS MEUS TRABALHOS DEINVESTIGAÇÃO
  24. 24. 92% (CONCORDO E CONCORDO PLENAMENTE)2% (DISCORDO E DISCORDO PLENAMENTE)6% (SEM OPINIÃO)O ACESSO ABERTO AUMENTA O ACESSO EA DISSEMINAÇÃO DAS PUBLICAÇÕESCIENTÍFICAS
  25. 25. 76% (CONCORDO E CONCORDO PLENAMENTE)9% (DISCORDO E DISCORDO PLENAMENTE)15% (SEM OPINIÃO)O ACESSO ABERTO À PRODUÇÃOCIENTÍFICA PODE COEXISTIR COM OTRADICIONAL MODELO DE PUBLICAÇÃOCIENTÍFICA
  26. 26. 57% – Elevados preços dos artigos/assinaturas44% – Financiamento das bibliotecas reduzido ou limitado35% – Falta de incentivos para encorajar práticas quepromovam o acesso à produção científica34% – Insuficientes políticas, estratégias e estruturas deacesso às publicações científicasQUAL É A SUA OPINIÃO EMRELAÇÃO ÀS SEGUINTESPOTENCIAIS BARREIRAS DE ACESSOÀS PUBLICAÇÕES CIENTÍFICAS?
  27. 27. 63% (CONCORDO PLENAMENTE)29% (CONCORDO)2% (DISCORDO E DISCORDO PLENAMENTE)6% (SEM OPINIÃO)PRINCÍPIO DA DISPONIBILIZAÇÃO EMACESSO ABERTO DAS PUBLICAÇÕESCIENTÍFICAS RESULTANTES DEPROJETOS COM FINANCIAMENTOSPÚBLICOS?
  28. 28. Acesso aberto dos resultados deprojetos com financiamento público
  29. 29. 83% (CONCORDO E CONCORDO PLENAMENTE)8% (DISCORDO E DISCORDO PLENAMENTE)9% (SEM OPINIÃO)OPINIÃO SOBRE UMAPOLÍTICA/MANDATO DE ACESSO ABERTODA FCT, REQUERENDO O AA ÀSPUBLICAÇÕES PRODUZIDAS PELOSPROJETOS E BOLSAS QUE FINANCIA?
  30. 30. COMO REAGIRIA PERANTE UM MANDATODE ACESSO ABERTO À PRODUÇÃOCIENTÍFICA IMPLEMENTADO PELA FCT? N %Cumpriria integralmente com facilidade 962 77%Cumpriria integralmente com desagrado 95 8%Cumpriria parcialmente 174 14%Não cumpriria de todo 18 1% Total 1249
  31. 31. POLÍTICA INSTITUCIONAL N % Na sua instituição existe Sim 168 13% uma política obrigatória Não 683 55% de acesso aberto à Não sei 398 32% produção científica? Total 1249 N Cumpro integralmente com facilidade 130 Qual o nível de Cumpro integralmente com desagrado 10 cumprimento que faz Cumpro parcialmente 27 do mandato de acesso Não cumpro de todo 1aberto da sua instituição? Total 168
  32. 32. POLÍTICA INSTITUCIONAL N Se a sua instituição aprovasseCumpriria integralmente com facilidade uma política obrigatória de 806Cumpriria integralmente com desagrado 88Cumpriria parcialmente 169 acesso aberto à produção científica dos seus afiliadosNão cumpriria de todo 18 Total 1081 como reagiria? N % Depositar uma cópia do artigo num repositório institucional/temático 359 29% Qual a forma mais Publicar em revistas científicas de acesso aberto 198 16% fácil de satisfazer os Combinar a publicação em revistas de acesso aberto e o depósito de artigos num repositório requisitos de uma institucional/temático Não sei/ Sem opinião 625 67 50% 5% política obrigatória? Total 1249 000100%
  33. 33. 72% (CONCORDO E CONCORDO PLENAMENTE)17% (DISCORDO E DISCORDO PLENAMENTE)11% (SEM OPINIÃO)OPINIÃO SOBRE O PRINCÍPIO DADISPONIBILIZAÇÃO EM ACESSO ABERTODOS DADOS CIENTÍFICOS RESULTANTESDE PROJETOS FINANCIADOS PORPROGRAMAS PÚBLICOS?
  34. 34. 3PRÁTICA DE PUBLICAÇÃOE ACESSO ABERTO
  35. 35. JÁ DISPONIBILIZOU EMACESSO ABERTO? NÃO REPOSITÓRIO REPOSITÓRIO + REVISTA REVISTA
  36. 36. NÚMERO APROXIMADO DEARTIGOS EM ACESSO ABERTO Depositados N.º Artigos AA N % em repositórios 0 323 25% institucionais 1-9 371 30% 10 - 49 145 12% 50 - 100 33 3% > 100 4 0% N.º Artigos AA N % Sem resposta 373 30% 0 687 55% Total 1249 1-9 133 11% 10 - 49 47 4% 50 - 100 6 0% > 100 Depositados 3 0% Sem resposta 373 30% em repositórios Total 1249 temáticos
  37. 37. TRÊS PRINCIPAIS MOTIVOS PARAPROCEDER AO DEPÓSITO DOS SEUSARTIGOS CIENTÍFICOS EMREPOSITÓRIOSINSTITUCIONAIS/TEMÁTICOS N %Aumenta a visibilidade e o impacto (citações) da investigação 439 35%Aumenta a rapidez de disseminação dos resultados da investigação 438 35%É obrigatório na minha instituição 122 10%Posso delegar esta tarefa em outra pessoa 15 1%Existe suficiente suporte técnico na minha instituição 46 4%A editora autoriza o depósito em repositórios institucionais 58 5%O processo de depósito é rápido e simples 116 9%É um requisito do financiador da minha investigação 14 1%É uma forma de preservar a minha produção científica 224 18%Publico em revistas científicas em acesso aberto 65 5%
  38. 38. TRÊS PRINCIPAIS MOTIVOS PARA NÃODEPOSITAR OS SEUS ARTIGOS CIENTÍFICOSNUM REPOSITÓRIO INSTITUCIONAL/TEMÁTICO N % Não existe um repositório institucional ou temático adequado 137 11% Falta de tempo para realizar o depósito 50 4% O processo de depósito é demorado e/ou complexo 25 2% Falta de conhecimentos técnicos e formação no uso do sistema 85 7% Insuficiente formação no uso do sistema 51 4% Receio de ser vítima de plágio 40 3% Falta de suporte na instituição 60 5% Não identifico vantagens no depósito das publicações 24 2% Duplicação de tarefas 66 5% Receio de violar os direitos de autor 134 11% Não reconheço vantagens no acesso aberto 10 1% Falta de uma pessoa em quem possa delegar a tarefa do depósito 25 2% Os meus colegas também não o fazem 20 2% Falta de conhecimento sobre o carácter obrigatório das políticas institucionais 56 5% Falta de conhecimento sobre as políticas de depósito dos editores 113 9%
  39. 39. 6CONSIDERAÇÕES FINAIS
  40. 40. CONSIDERAÇÕES Realçar o conhecimento generalizado sobre o conceito de Acesso Aberto Elevada concordância com o princípio do Acesso Aberto aos resultados de investigação com financiamento público Diferença ainda significativa entre a opinião e adesão aos princípios do Acesso Aberto e a prática efetiva
  41. 41. OBSERVAÇÕES FINAIS Clara adesão à eventual política mandatória da FCT Aceitação dos requisitos e políticas institucionais Desconhecimento (preocupante) dos investigadores face a políticas institucionais e/ou da União Europeia
  42. 42. RECOMENDAÇÕES Existe espaço para a definição de políticas que requeiram a disponibilização em acesso aberto das publicações dos investigadores Para garantir a adesão e sucesso das políticas será necessário facilitar o seu cumprimento:  criando procedimentos e ferramentas amigáveis  prosseguir atividades regulares de sensibilização,  implementar mecanismos de monitorização e alerta para o cumprimento das políticas definidas
  43. 43. Clara Boavida, Eloy Rodrigues, José Carvalho, Pedro Príncipe, Ricardo Saraivaopenaccess@sdum.uminho.ptOPENACCESS.SDUM.UMINHO .PT

×