Your SlideShare is downloading. ×
Publicidade 2.0 (Advertising 2.0)
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×

Introducing the official SlideShare app

Stunning, full-screen experience for iPhone and Android

Text the download link to your phone

Standard text messaging rates apply

Publicidade 2.0 (Advertising 2.0)

1,493
views

Published on

Monografia de Conclusão de Curso (ESPM/SP - 2009) …

Monografia de Conclusão de Curso (ESPM/SP - 2009)


Resumo
O presente trabalho traz uma investigação sobre novas formas de se estabelecer relacionamentos entre empresas e consumidores no universo da Web 2.0, com foco em ações de marca realizadas no Brasil. Para tal, é apresentada uma breve contextualização histórica e é feito um levantamento dos conceitos e princípios fundamentais deste universo, por meio de pesquisa sobre a evolução da plataforma e sobre as mudanças no perfil de seus usuários. A análise das principais ferramentas deste novo cenário nos ajuda a compreender as transformações no modo que os usuários se relacionam e como isso afeta a presença das marcas na rede. O estudo de caso contribui para o entendimento de como tais transformações já impactam os modelos de gestão e as estruturas de negócio de grandes empresas, tendo em vista um relacionamento mais próximo e aberto com seus consumidores.
Palavras-chave: ações de marca na Web 2.0, publicidade online, marketing em redes sociais, relacionamento com o consumidor na web, RP 2.0, Fiat Mio, open source branding.

Abstract
This work presents a research on new ways to establish relationships between companies and consumers in the world of Web 2.0, focusing on branding actions taken in Brazil. To this end, we present a brief historical background and a survey of the concepts and principles of this universe, through research on the evolution of the platform and on the changing of its users’ profiles. The analysis of the key tools in this new scenario helps us to understand the changes in the way users relate to each other and how this affects the presence of brands in the internet. The case study contributes to our understanding of how such changes have an impact on management models and business structures of big enterprises that are looking forward to establish a closer relationship and open dialogue with their consumers.
Key-words: branding in the Web 2.0, online advertising, social network marketing, customer relationship in the web, PR 2.0, Fiat Mio, open source branding.

Published in: Business, News & Politics

0 Comments
5 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total Views
1,493
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
4
Comments
0
Likes
5
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide
  • \n
  • \n
  • FORD T COMO GANCHO PARA O PODER DA INDÚSTRIA\n
  • \n
  • FRASE EXPLICITA A FORÇA DA INDÚSTRIA FRENTE AOS CONSUMIDORES\n
  • ANALOGIA COM A PROPAGANDA, IMPOSITIVA, LINEAR. CONSUMIDOR COMO AGENTE PASSIVO, RECEPTOR. nessa lógica podemos assumir q o controle é da empresa.\n\n
  • EVOLUÇÃO TECNOLÓGICA, TRAZIDA PELA WEB, MUDA BRUSCAMENTE A FORMA DE RELACIONAMENTO ENTRE MARCAS E CONSUMIDORES. CONSUMIDOR CADA VEZ MAIS ATIVO E INDEPENDENTE PARA BUSCAR INFORMAÇÕES.\n
  • COMEÇO AINDA BASTANTE LIMITADA. PUBLICIDADE ADAPTADA DE CAMPANHAS TRADICIONAIS. POUCOS RECURSOS. web comercial. publicidade online nasce c/ essa web mas em formato adaptado de campanhas tradicionais, o q ñ permite um publicidade dirigida pro meio, é a pouca disponibilidade de formatos e suporte.\n
  • COMEÇO AINDA BASTANTE LIMITADA. PUBLICIDADE ADAPTADA DE CAMPANHAS TRADICIONAIS. POUCOS RECURSOS. web comercial. publicidade online nasce c/ essa web mas em formato adaptado de campanhas tradicionais, o q ñ permite um publicidade dirigida pro meio, é a pouca disponibilidade de formatos e suporte.\n
  • COMEÇO AINDA BASTANTE LIMITADA. PUBLICIDADE ADAPTADA DE CAMPANHAS TRADICIONAIS. POUCOS RECURSOS. web comercial. publicidade online nasce c/ essa web mas em formato adaptado de campanhas tradicionais, o q ñ permite um publicidade dirigida pro meio, é a pouca disponibilidade de formatos e suporte.\n
  • COMEÇO AINDA BASTANTE LIMITADA. PUBLICIDADE ADAPTADA DE CAMPANHAS TRADICIONAIS. POUCOS RECURSOS. web comercial. publicidade online nasce c/ essa web mas em formato adaptado de campanhas tradicionais, o q ñ permite um publicidade dirigida pro meio, é a pouca disponibilidade de formatos e suporte.\n
  • COMEÇO AINDA BASTANTE LIMITADA. PUBLICIDADE ADAPTADA DE CAMPANHAS TRADICIONAIS. POUCOS RECURSOS. web comercial. publicidade online nasce c/ essa web mas em formato adaptado de campanhas tradicionais, o q ñ permite um publicidade dirigida pro meio, é a pouca disponibilidade de formatos e suporte.\n
  • COMEÇO AINDA BASTANTE LIMITADA. PUBLICIDADE ADAPTADA DE CAMPANHAS TRADICIONAIS. POUCOS RECURSOS. web comercial. publicidade online nasce c/ essa web mas em formato adaptado de campanhas tradicionais, o q ñ permite um publicidade dirigida pro meio, é a pouca disponibilidade de formatos e suporte.\n
  • COMEÇO AINDA BASTANTE LIMITADA. PUBLICIDADE ADAPTADA DE CAMPANHAS TRADICIONAIS. POUCOS RECURSOS. web comercial. publicidade online nasce c/ essa web mas em formato adaptado de campanhas tradicionais, o q ñ permite um publicidade dirigida pro meio, é a pouca disponibilidade de formatos e suporte.\n
  • LIMITAÇÃO NÃO PERMITIA UMA COMUNICAÇÃO EXCLUSIVA PARA A WEB. POUCA INTERAÇÃO.\n
  • LIMITAÇÃO NÃO PERMITIA UMA COMUNICAÇÃO EXCLUSIVA PARA A WEB. POUCA INTERAÇÃO.\n
  • LIMITAÇÃO NÃO PERMITIA UMA COMUNICAÇÃO EXCLUSIVA PARA A WEB. POUCA INTERAÇÃO.\n
  • LIMITAÇÃO NÃO PERMITIA UMA COMUNICAÇÃO EXCLUSIVA PARA A WEB. POUCA INTERAÇÃO.\n
  • LIMITAÇÃO NÃO PERMITIA UMA COMUNICAÇÃO EXCLUSIVA PARA A WEB. POUCA INTERAÇÃO.\n
  • TIM O’REILLY E JOHN BATTELLE DA WIRED. WEB SEMÂNTICA, NOVA WEB, WEB COLABORATIVA. APENAS UM TERMO COMUMENTE USADO. Evolução natural dos meios, novas tecnologias criadas, + larga banda, + usuários, novas linguagens de programação destinadas ao meio.\n\n
  • EVOLUÇÃO NATURAL DO MEIO - LARGURA DE BANDA, AUMENTO DE VELOCIDADE, MAIOR ADESÃO DE USUÁRIOS, DESENVOLVIMENTO DE LINGUAGENS DE PROGRAMAÇÃO.\n
  • GRANDE ADESÃO GLOBAL AO MEIO, PRESENTE NO MUNDO TODO.\n
  • VELOCIDADE E PROGRAMAÇÃO PERMITEM UM ENORME AUMENTO NO DESEMPENHO DOS SITES E APLICATIVOS. TRANSMISSÃO DE ÁUDIO, VÍDEO, IMAGENS, ETC. PÁGINAS DINÂMICAS, MUITO INTERATIVAS.\n
  • INTERAÇÕES EM ESCALAS INIMAGINÁVEIS. O MUNDO TODO INTERAGINDO AO MESMO TEMPO, COMPARTILHANDO INFORMAÇÃO E CONTEÚDO.\n
  • INTELIGÊNCIA COLETIVA, CONSTRUÇÃO DE CONHECIMENTO, DISSEMINAÇÃO DA INFORMAÇÃO COMPARTILHADA. NOVAS FONTES DE PESQUISA, FERRAMENTAS DEPENDENTES DE COLABORAÇÃO. CREATIVE COMMONS, COPYLEFT.\n
  • USUÁRIOS NO PODER, DETENTORES DOS MEIOS DE PRODUÇÃO DE CONHECIMENTO.\n
  • VELOCIDADE INSTANTÂNEA DE PULVERIZAÇÃO DA INFORMAÇÃO. MUITO ANTES DOS MEIOS TRADICIONAIS. FENÔMENOS DA WEB GANHAM ESCALA MUITO MAIOR E MUITO MAIS RAPIDAMENTE QUE OUTROS MEIOS.\n
  • CÓDIGO ABERTO: CONVITE A PARTICIPAÇÃO E PROGRAMAÇÃO DE APLICATIVOS. DESMEMBRAR, CUSTOMIZAR, ADAPTAR. GOOGLE, PIERRE LEVI: conhecimento contido na humanidade e deve ser compartilhado.\n
  • MESCLAR FUNÇÕES DE APLICATIVOS. PROPOR NOVOS USOS, PROMOVER A INTEGRAÇÃO DAS FERRAMENTAS.\n
  • MESCLAR FUNÇÕES DE APLICATIVOS. PROPOR NOVOS USOS, PROMOVER A INTEGRAÇÃO DAS FERRAMENTAS.\n
  • MESCLAR FUNÇÕES DE APLICATIVOS. PROPOR NOVOS USOS, PROMOVER A INTEGRAÇÃO DAS FERRAMENTAS.\n
  • MESCLAR FUNÇÕES DE APLICATIVOS. PROPOR NOVOS USOS, PROMOVER A INTEGRAÇÃO DAS FERRAMENTAS.\n
  • MESCLAR FUNÇÕES DE APLICATIVOS. PROPOR NOVOS USOS, PROMOVER A INTEGRAÇÃO DAS FERRAMENTAS.\n
  • MESCLAR FUNÇÕES DE APLICATIVOS. PROPOR NOVOS USOS, PROMOVER A INTEGRAÇÃO DAS FERRAMENTAS.\n
  • MESCLAR FUNÇÕES DE APLICATIVOS. PROPOR NOVOS USOS, PROMOVER A INTEGRAÇÃO DAS FERRAMENTAS.\n
  • FERRAMENTAS EM ESTADO CONSTANTE DE APERFEIÇOAMENTO, NUNCA PRONTAS. SEMPRE SUJEITAS A MODIFICAÇÕES E AJUSTES.\n
  • CONSEQUENCIA DIRETA DO OPEN SOURCE. MILHÕES DE USUÁRIOS PASSAM A CRIAR APLICATIVOS. LINGUAGEM MAIS AMIGÁVEL. DESDE ENTRETENIMENTO, ATÉ SERVIÇOS DE PREVISÃO DE TEMPO E CONVERSÃO DE MOEDA.\n
  • VÁRIOS DISPOSITIVOS PORTÁTEIS COM ACESSO A INTERNET. CELULARES CADA VEZ MAIS HIGH-TECH. INTERNET EM DIFERENTES FORMATOS. APARELHOS MENORES, TELAS MENORES.\n
  • IMPLICA NUM AUMENTO NO NÚMERO DE APLICATIVOS VOLTADOS A ESSES APARELHOS, POR QUE ESTÃO SEMPRE A MÃO. APPLE DESENCADEIA O FENÔMENO DE APLICATIVOS MOBILE COM A APP STORE.\n
  • SOFTWARE EXCLUSIVO PARA PROGRAMAR APLICATIVOS, COM INTERFACE DE PROGRAMAÇÃO BASTANTE SIMPLIFICADA E INTUITIVA. BASTA FUÇAR UM POUCO. SOFTWARE DEVELOPMENT KIT.\n
  • A NOVA WEB É, SEM DÚVIDA, A ERA DAS REDES SOCIAIS. PROLIFERAÇÃO DE MILHARES DE SITES E FERRAMENTAS. \n\n
  • TODAS NECESSARIAMENTE BASEADAS NA INTERCONEXÃO ENTRE PESSOAS. É A WEB DOS RELACIONAMENTOS. E NÃO SOMENTE ENTRE USUÁRIOS, MAS ENTRE CONSUMIDORES E MARCAS/PRODUTOS TB.\n
  • TODAS NECESSARIAMENTE BASEADAS NA INTERCONEXÃO ENTRE PESSOAS. É A WEB DOS RELACIONAMENTOS. E NÃO SOMENTE ENTRE USUÁRIOS, MAS ENTRE CONSUMIDORES E MARCAS/PRODUTOS TB.\n
  • NASCIDO ENTRE 1980 E 1995. GERAÇÃO Y, GERAÇÃO NET. NASCE COMO CONSUMIDOR. PRODUTOR+CONSUMIDOR. DOMINA NOVAS TECNOLOGIAS. ATIVO. BUSCA INFORMAÇÕES. NÃO É MERO RECEPTOR. SABE COMO CRITICAR. É TOTALMENTE DIGITAL.\n\n
  • INVERTE-SE A LÓGICA. pull + participation. trabalho é sobre isso. Diálogo, publicidade 2.0. CONTROLE DOS CONSUMIDORES.\n\n
  • INVERTE-SE A LÓGICA. pull + participation. trabalho é sobre isso. Diálogo, publicidade 2.0. CONTROLE DOS CONSUMIDORES.\n\n
  • GOOGLE MEDE A REPUTAÇÃO DE UMA MARCA/EMPRESA. O CONSUMIDOR SABE DIFERENCIAR CONTEÚDO COMERCIAL, PUBLICITÁRIO. ENCONTRA OPINIÕES DE PESSOAS.\n\n
  • SUA MARCA ESTÁ NO GOOGLE! E COM CERTEZA HÁ CONSUMIDORES FALANDO DELA. AS CONVERSAS PASSAM POR MARCAS, PRODUTOS, AÇÕES DE COMUNICAÇÃO..\n
  • \n
  • BANNERS COMO PEÇAS “TRADICIONAIS” - 1.0.\n
  • BANNERS COMO PEÇAS “TRADICIONAIS” - 1.0.\n
  • BANNERS COMO PEÇAS “TRADICIONAIS” - 1.0.\n
  • BANNERS COMO PEÇAS “TRADICIONAIS” - 1.0.\n
  • BANNERS COMO PEÇAS “TRADICIONAIS” - 1.0.\n
  • BANNERS COMO PEÇAS “TRADICIONAIS” - 1.0.\n
  • INDICADORES MOSTRAM QUEDA ACENTUADA NA CREDIBILIDADE DA PUBLICIDADE.\n
  • mkt vira produto, evolução permite isso, caso de rich media, banner ganha alta qualidade, campanha online q interaja c/ consumidor , contato c/ o produto, não precisa clicar e ir p/ seu site.\n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • CASE DO WARIO: VÍDEO NO YOUTUBE EXTRAPOLA O QUADRO E INTERAGE COM A PÁGINA, ATÉ QUE TUDO DESABA. SURPREENDE, ENTRETÉM, SE APROXIMA DA EXPERIÊNCIA DO JOGO.\n
  • INTERAÇÃO SE DÁ POR OUTRAS FORMAS, DIRETAMENTE NA PÁGINA QUE O USUÁRIO SE ENCONTRA. USUÁRIO GASTA MAIS TEMPO QDO A PEÇA PROMOVE ALGUM TIPO DE INTERAÇÃO DIFERENCIADA/ATRAENTE.\n
  • CLICK AINDA MTO UTILIZADO EM FERRAMENTAS DE BUSCA. SEGMENTAÇÃO APRIMORADA, ALVO CERTEIRO.\n
  • CLICK AINDA MTO UTILIZADO EM FERRAMENTAS DE BUSCA. SEGMENTAÇÃO APRIMORADA, ALVO CERTEIRO.\n
  • CLICK AINDA MTO UTILIZADO EM FERRAMENTAS DE BUSCA. SEGMENTAÇÃO APRIMORADA, ALVO CERTEIRO.\n
  • E CAMPANHAS DE RESPOSTA-DIRETA, COMO NO CASO DE OFERTAS, DESCONTOS.\n
  • VERDADEIRA PUBLICIDADE 2.0 = ENGAJAMENTO. RELACIONAMENTO, DIÁLOGO EFETIVO COM O CONSUMIDOR.\n
  • PARA ISSO, É NECESSÁRIO UMA CAUSA. UM CONTEXTO.\n
  • E A EMPRESA CONVIDA O CONSUMIDOR A CONHECER/FAZER PARTE DAQUELA CAUSA. PULL, PARTICIPATION. DANCE T-MOBILE. MOBILIZAÇÃO.\n
  • SABER O QUE DIZEM DE SUA MARCA. NESTLÉ MUDOU PLANOS PARA NESCAU PQ FOI DETECTADA INSATISFAÇÃO DE MUITOS CONSUMIDORES.\n
  • FIGURA DO RP 2.0. SE CONFUNDE COM O PUBLICITÁRIO, POIS A WEB 2.0 É BASEADA EM RELACIONAMENTOS. AÇÕES NA WEB SEMPRE ENVOLVEM A BUSCA PELO RELACIONAMENTO COM O CONSUMIDOR.\n
  • CARACTERÍSTICA ESSENCIAL. CASO DO STARBUCKS ESTIMULA PARTICIPAÇÃO COLETIVA. EMPRESA SE COMPROMETE COM SEUS CONSUMIDORES.\n
  • É IMPORTANTE ESTAR PRESENTE NAS REDES SOCIAIS. MAS HÁ QUE RESPEITAR SEMPRE O ESPAÇO DO CONSUMIDOR. ESTÃO CONVERSANDO, ENTRE AMIGOS. NÃO QUEREM SER IMPORTUNADOS.\n
  • HÁ QUE OFERECER RECOMPENSA PELO TEMPO DEDICADO À MARCA. AGREGAR VALOR À EXPERIÊNCIA DA PLATAFORMA. CASE WHOPPER INVERTE A LÓGICA DO FACEBOOK. OUSADO, DIVERTIDO, INOVADOR.\n
  • É PRECISO EXTRAPOLAR AS REDES SOCIAIS. DEPENDÊNCIA DO SITE=VULNERABILIDADE. SE ALGO DER ERRADO, PERDE-SE MILHARES DE CONSUMIDORES DISPOSTOS A DIALOGAR COM A MARCA. OFERECER UMA PLATAFORMA É A MELHOR FORMA DE APROVEITAR O CAPITAL SOCIAL E ESTABELECER UM RELACIONAMENTO DE LONGO PRAZO.\n
  • É PRECISO EXTRAPOLAR AS REDES SOCIAIS. DEPENDÊNCIA DO SITE=VULNERABILIDADE. SE ALGO DER ERRADO, PERDE-SE MILHARES DE CONSUMIDORES DISPOSTOS A DIALOGAR COM A MARCA. OFERECER UMA PLATAFORMA É A MELHOR FORMA DE APROVEITAR O CAPITAL SOCIAL E ESTABELECER UM RELACIONAMENTO DE LONGO PRAZO.\n
  • PARA FAZER PUBLICIDADE 2.0 É PRECISO LEVAR PARA DENTRO DA EMPRESA TODOS ESSES CONCEITOS. HÁ QUE PREPARAR ESTRATEGICAMENTE A COMPANHIA PARA O 2.0. NÃO ADIANTA “ENTRAR POR ENTRAR”. SUA COMUNICAÇÃO DEVE SER FRUTO DE SEU POSICIONAMENTO. PAY TO PLAY VIRA PLAY TO PLAY (BOGUSKY).\n
  • PROJETO DA FIAT BRASIL. NASCE NO CENTRO DE PRODUÇÃO DA MONTADORA (CENTRO DE ESTILO). \n
  • \n
  • FORTE ENGAJAMENTO DIGITAL. OUSADA, EXPERIMENTA NOVOS FORMATOS E FERRAMENTAS.\n
  • FORTE ENGAJAMENTO DIGITAL. OUSADA, EXPERIMENTA NOVOS FORMATOS E FERRAMENTAS.\n
  • FORTE ENGAJAMENTO DIGITAL. OUSADA, EXPERIMENTA NOVOS FORMATOS E FERRAMENTAS.\n
  • FORTE ENGAJAMENTO DIGITAL. OUSADA, EXPERIMENTA NOVOS FORMATOS E FERRAMENTAS.\n
  • SEGUE, ENCABEÇADA PELA AGÊNCIA CLICK, O CONCEITO DE OPEN SOURCE BRANDING: O CONSUMIDOR FAZ PARTE DA MARCA, TEM PAPEL ATIVO. E OPEN INNOVATION: CROWDSOURCING, TRAZER IDEIAS EXTERNAS PRA DENTRO DO PROCESSO PRODUTIVO E GERENCIAMENTO DA EMPRESA.\n
  • SEGUE, ENCABEÇADA PELA AGÊNCIA CLICK, O CONCEITO DE OPEN SOURCE BRANDING: O CONSUMIDOR FAZ PARTE DA MARCA, TEM PAPEL ATIVO. E OPEN INNOVATION: CROWDSOURCING, TRAZER IDEIAS EXTERNAS PRA DENTRO DO PROCESSO PRODUTIVO E GERENCIAMENTO DA EMPRESA.\n
  • \n
  • CRIAR EFETIVAMENTE UM CARRO-CONCEITO, A SER EXPOSTO NO SALÃO DO AUTOMÓVEL DE SÃO PAULO EM 2010.\n
  • \n
  • O CARRO SERÁ CRIADO A PARTIR DA PARTICIPAÇÃO E DAS IDEIAS FORNECIDAS PELOS USUÁRIOS.\n
  • \n
  • A FIAT DESENVOLVEU COM A AGÊNCIACLICK UMA PLATAFORMA DEDICADA AO PROJETO. USUÁRIOS SE CADASTRAM E PODEM FORNECER IDEIAS, COMENTAR IDEIAS ALHEIAS E VOTAR NAS MELHORES. SEM AVALIAÇÃO PRÉVIA DA MONTADORA, TOTALMENTE LIVRE E ABERTA A QUALQUER INTERESSADO.\n
  • \n
  • O PRIMEIRO CARRO DO MUNDO CRIADO POR MEIO DE CROWDSOURCING. CHUVA DE IDEIAS PROVINDAS DE PESSOAS COM OS MAIS DIVERSOS INTERESSES. O PRIMEIRO CARRO COLABORATIVO DO MUNDO. 5 CATEGORIAS: propulsão, segurança, design, materiais e infotainment.\n
  • \n
  • CONSUMIDOR É PARTE EFETIVA DO VEÍCULO. O CARRO SURGIU DE SUAS IDEIAS.\n
  • \n
  • SISTEMA DE COMENTÁRIOS, ALIMENTA A INTELIGÊNCIA COLETIVA E BUSCA AS MELHORES SOLUÇÕES PARA OS PROBLEMAS LEVANTADOS.\n
  • \n
  • A FIAT ESTIMULA O COMPARTILHAMENTO DE IDEIAS EM OUTRAS FERRAMENTAS, COMO FACEBOOK, TWITTER E ORKUT.\n
  • \n
  • “No futuro que queremos ter, o que um carro deve ter para que eu possa chamar de meu, sem deixar de servir ao próximo?”. 3 FASES: JUNTAR IDEIAS, EXPLORAR AS MELHORES, CAMPANHA DO CARRO+DOCUMENTO CC.\n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • POST EM BLOG KOREANO. CONTEÚDO RETIRADO E TRADUZIDO DE OUTROS SITES PELOS PRÓPRIOS USUARIOS.\n
  • ACESSO DE DIVERSOS PAÍSES. FERRAMENTA DE TRADUÇÃO DIRETA NO SITE PARA 5 LÍNGUAS.\n
  • NO AR EM 4 DE AGOSTO. Notável por ser uma plataforma direcionada a uma marca e produto, \ncom 1 semana, cerca de 100 blog já comentavam e info. foi difundida em outras línguas, sem q a empresa tivesse fornecido isso, foi algo q publico fez por si.\n\n
  • Aprendemos com empresas como a Fiat que fazer parte integralmente da Web 2.0 demanda um profundo planejamento estratégico digital que vai além da comunicação. É preciso criar uma estrutura que obedeça aos princípios desse universo e que o modelo de negócios da empresa se adapte para funcionar de acordo com esses princípios. É necessário pensar de forma 2.0, para que as ações de marketing e comunicação sejam consequência direta do posicionamento adotado pela marca. \n
  • Mais do que nunca, o consumidor tem pleno poder de escolha, e não somente na hora de comprar o produto final, mas também na hora de consumir todos os artifícios de comunicação que envolvem o produto. Respeitar seus espaços e suas vontades é crucial para não ser mal visto, principalmente na web. O relacionamento deve ser buscado por meio do convite. E se o conteúdo da marca for relevante e adequado ao público, seguramente a informação será viralizada e atrairá a atenção de muito mais potenciais consumidores do que o previsto.\n\n
  • Como na publicidade tradicional, surpreender, envolver e agregar valor à experiência do consumidor com a marca são mandamentos obrigatórios. Porém, na web, as conversas são abertas e o usuário tem total controle do que deseja ver e quando. Isso faz com que sejam muito mais críticos em relação à propaganda impositiva, que atrapalha de alguma forma sua navegação e que não traz benefício imediato.\n
  • Estabelecer relacionamento direto com os consumidores, criar uma (ou mais) plataforma dedicada a esse fim e, mais do que convidar, valorizar essas pessoas pelas suas contribuições, deixando-as interagir livremente entre si e com a marca: é dessa forma que as empresas migram realmente para a comunicação 2.0.\n
  • CONTRAPOSIÇÃO A IDEIA INICIAL DE FORD. O PODER ESTÁ SIM NAS MÃOS DOS CONSUMIDORES E AS EMPRESAS TÊM QUE SE ADAPTAR À ESSA REALIDADE.\n
  • \n
  • Transcript

    • 1. PUBLICIDADE DOIS ZERO PEDRO MENEZES
    • 2. FORD T
    • 3. ANY CUSTOMER CAN HAVE A CARPAINTED ANY COLOUR THAT HEWANTS SO LONG AS IT IS BLACK. Henry Ford, 1910
    • 4. ANY CUSTOMER CAN HAVE A CARPAINTED ANY COLOUR THAT HEWANTS SO LONG AS IT IS BLACK. Henry Ford, 1910
    • 5. CONTROLE DA EMPRESA CONTROLE DOS CONSUMIDORES
    • 6. PUBLICIDADECONTROLE DA EMPRESA CONTROLE DOS CONSUMIDORES
    • 7. WORLD WIDE WEB
    • 8. 1996
    • 9. 1996
    • 10. 1996
    • 11. 1996
    • 12. 1996
    • 13. 1996
    • 14. WEB 1.0
    • 15. WEB 1.0CONEXÃO DISCADA (LENTA)
    • 16. WEB 1.0 CONEXÃO DISCADA (LENTA)PERFORMANCE GRÁFICA LIMITADA
    • 17. WEB 1.0 CONEXÃO DISCADA (LENTA)PERFORMANCE GRÁFICA LIMITADA CONTEÚDO PROPRIETÁRIO
    • 18. WEB 1.0 CONEXÃO DISCADA (LENTA) PERFORMANCE GRÁFICA LIMITADA CONTEÚDO PROPRIETÁRIOADAPTAÇÕES DE FORMATOS PUBLICITÁRIOS
    • 19. WEB 1.0 CONEXÃO DISCADA (LENTA) PERFORMANCE GRÁFICA LIMITADA CONTEÚDO PROPRIETÁRIOADAPTAÇÕES DE FORMATOS PUBLICITÁRIOSBAIXA INTERAÇÃO COM O USUÁRIO
    • 20. 2004 +
    • 21. Por que isso é possível? Web 2.0Colaborativa, inteligência coletiva, participação, conteúdo compartilhado, conversas globais, engajamento.
    • 22. Por que isso é possível? Web 2.0 Colaborativa, inteligência coletiva, participação, conteúdo compartilhado, conversas globais, engajamento.(R)EVOLUÇÃO ONLINE
    • 23. 1.7 BILHÕES DE USUÁRIOS
    • 24. ALTO DESEMPENHO
    • 25. CONVERSAS GLOBAIS
    • 26. CONTEÚDO COLABORATIVO
    • 27. GERADO POR USUÁRIOS
    • 28. VIRALIZAÇÃO DA INFORMAÇÃO
    • 29. OPEN SOURCE
    • 30. OPEN SOURCE + MASHUP
    • 31. OPEN SOURCE + MASHUP
    • 32. BETA PERPÉTUO
    • 33. “BOOM” DE APLICATIVOS
    • 34. MOBILIDADE
    • 35. + APLICATIVOS
    • 36. CRIADOS POR USUÁRIOS
    • 37. A ERA DAS REDES SOCIAIS
    • 38. MILHÕES DE USUÁRIOS INTERAGINDO
    • 39. MILHÕES DE USUÁRIOS INTERAGINDOWEB BASEADA EM RELACIONAMENTOS
    • 40. O “PROSUMER”
    • 41. CONTROLE DA EMPRESA CONTROLE DOS CONSUMIDORES
    • 42. CONTROLE DA EMPRESA CONTROLE DOS CONSUMIDORES
    • 43. PUBLICIDADE 2.0 CONTROLE DA EMPRESA CONTROLE DOS CONSUMIDORES
    • 44. GOOGLE: TERMÔMETRO DAS MARCAS
    • 45. PESSOAS FALAM DE MARCAS NA WEB
    • 46. E TOMAM DECISÕES BASEADAS NESSAS DISCUSSÕES
    • 47. Índice de Confiança do Consumidor
    • 48. Índice de Confiança do Consumidor RECOMENDAÇÕES DE PESSOAS CONHECIDAS
    • 49. Índice de Confiança do Consumidor RECOMENDAÇÕES DE PESSOAS CONHECIDAS OPINIÕES POSTADAS ONLINE
    • 50. Índice de Confiança do Consumidor RECOMENDAÇÕES DE PESSOAS CONHECIDAS OPINIÕES POSTADAS ONLINE BANNERS DE INTERNET
    • 51. Índice de Confiança do Consumidor RECOMENDAÇÕES DE PESSOAS CONHECIDAS 90% OPINIÕES POSTADAS ONLINE BANNERS DE INTERNET
    • 52. Índice de Confiança do Consumidor RECOMENDAÇÕES DE PESSOAS CONHECIDAS 90% OPINIÕES POSTADAS ONLINE 70% BANNERS DE INTERNET
    • 53. Índice de Confiança do Consumidor RECOMENDAÇÕES DE PESSOAS CONHECIDAS 90% OPINIÕES POSTADAS ONLINE 70% BANNERS DE INTERNET 33%
    • 54. QUEDA DE
    • 55. MARKETING TAMBÉM ÉPRODUTO
    • 56. ALTA QUALIDADE GRÁFICA
    • 57. PEÇAS INTERATIVAS
    • 58. ÁUDIO, VÍDEOS, GAMES
    • 59. FORMATOS DIVERSOS
    • 60. E INUSITADOS
    • 61. PUBLICIDADE ALÉM DO CLIQUE
    • 62. ADEQUAÇÃO AO CONTEÚDO
    • 63. ANÚNCIOS DE REPOSTA-DIRETA
    • 64. ENGAJAMENTO
    • 65. A BUSCA PELOENGAJAMENTO
    • 66. CRIAR UM CONTEXTO
    • 67. CONVIDAR O
    • 68. MONITORAR OPINIÕES
    • 69. CULTIVAR
    • 70. PROMOVER A COLABORAÇÃO
    • 71. EXPLORAR AS REDES SOCIAIS
    • 72. AGREGANDO VALOR À
    • 73. DESENVOLVER UMA COMUNIDADE DE MARCA
    • 74. DESENVOLVER UMA COMUNIDADE DE MARCA
    • 75. PENSARDE FORMA 2.0
    • 76. FIAT MIO
    • 77. POR QUE A FIAT?
    • 78. COMUNICAÇÃO DIGITAL
    • 79. COMUNICAÇÃO DIGITAL
    • 80. COMUNICAÇÃO DIGITAL
    • 81. COMUNICAÇÃO DIGITAL
    • 82. OPEN SOURCE BRANDING
    • 83. OPEN SOURCE BRANDINGOPEN INNOVATION
    • 84. O CONTEXTO
    • 85. CRIAR O CARRO DO
    • 86. O CONVITE
    • 87. VAMOS CRIAR O CARRO DO
    • 88. A PLATAFORMA
    • 89. AS OPINIÕES
    • 90. CROWDSOURCING
    • 91. O RELACIONAMENTO
    • 92. “UM CARRO PARA CHAMAR DE SEU”
    • 93. A COLABORAÇÃO
    • 94. INTELIGÊNCIA COLETIVA
    • 95. AS REDES SOCIAIS
    • 96. INTEGRAÇÃO DE FERRAMENTAS
    • 97. A ANÁLISE
    • 98. 2009 2010
    • 99. CRONOGRAMA 2009 2010
    • 100. PRIMEIROS RESULTADOS CERCA DE 24 HORAS APÓS O LANÇAMENTO
    • 101. PRIMEIROS RESULTADOS CERCA DE 24 HORAS APÓS O LANÇAMENTO 217 USUÁRIOS CADASTRADOS
    • 102. PRIMEIROS RESULTADOS CERCA DE 24 HORAS APÓS O LANÇAMENTO 217 USUÁRIOS CADASTRADOS 145 IDEIAS ENVIADAS
    • 103. PRIMEIROS RESULTADOS CERCA DE 24 HORAS APÓS O LANÇAMENTO 217 USUÁRIOS CADASTRADOS 145 IDEIAS ENVIADAS 43% ENVIOU AO MENOS UMA IDEIA
    • 104. PRIMEIROS RESULTADOS CERCA DE 24 HORAS APÓS O LANÇAMENTO 217 USUÁRIOS CADASTRADOS 145 IDEIAS ENVIADAS 43% ENVIOU AO MENOS UMA IDEIA 78 COMENTÁRIOS
    • 105. MÍDIA ESPONTÂNEA
    • 106. MOBILIZAÇÃO GLOBAL
    • 107. 1000+ SEGUIDORES NO TWITTER
    • 108. RESULTADOS (ATÉ1000+ SEGUIDORES NO TWITTER
    • 109. E ENTÃO..
    • 110. WE’RE NOT IN THE BUSINESS OFKEEPING THE MEDIA COMPANIESALIVE, WE’RE IN THE BUSINESS OFCONNECTING WITH CONSUMERS. Trevor Edwards, Nike
    • 111. WE’RE NOT IN THE BUSINESS OFKEEPING THE MEDIA COMPANIESALIVE, WE’RE IN THE BUSINESS OFCONNECTING WITH CONSUMERS. Trevor Edwards, Nike
    • 112. THE OLD MEDIA PARADIGM WAS PAY TO PLAY.NOW YOU GET BACK WHAT YOUAUTHENTICALLY PUT IN. YOU’VE GOT TO BE WILLING TO PLAY TO PLAY.Alex Bogusky, CP+B
    • 113. THE OLD MEDIA PARADIGM WAS PAY TO PLAY.NOW YOU GET BACK WHAT YOUAUTHENTICALLY PUT IN. YOU’VE GOT TO BE WILLING TO PLAY TO PLAY.Alex Bogusky, CP+B
    • 114. THE OLD MEDIA PARADIGM WAS PAY TO PLAY.NOW YOU GET BACK WHAT YOUAUTHENTICALLY PUT IN. YOU’VE GOT TO BE WILLING TO PLAY TO PLAY.Alex Bogusky, CP+B
    • 115. OBRIGADO ;)