ÁFRICA
CARACTERIZAÇÃO GERAL
África – posição geográfica e localização
• Mais de 30 milhões de quilômetros quadrados;
• 3º maior em extensão do mundo;
...
África – posição geográfica e localização
• Por ser cortado quase ao
meio pela linha do Equador,
podemos dizer que a Áfric...
África – Limites
Limites
Norte – Mar
Mediterrâneo;
Sul – Oceano Índico e
Atlântico;
Leste – Oceano
Índico;
Oeste – Oceano
...
África – Pontos extremos
Extremos (Pontos que
conferem maior distância
em linha reta)
Setentrional – Marrocos
(Cabo Branco...
AFRICA – DIVISÃO POLÍTICA E REGIONAL
•53 PAÍSES INDEPENDENTES
•54 PAÍSES INDEPENDENTES (A PARTIR DE 2011 – SUDÃO DO
SUL)
•...
SUDÃO DO SUL – MISERÁVEL DE BERÇO
• Sudão tornou-se independente da Inglaterra nos
anos 50;
• Diferenças culturais – Norte...
SUDÃO DO SUL – MISERÁVEL DE BERÇO
Território rico em riquezas naturais,
porém sem condições de explorá-las:
• abundância d...
Vídeo - Independência do Sudão
do Sul
Vídeo – Conflitos no Sudão
Posição Geológica – Base geológica antiga
– interior de placa tectônica
Zonas de instabilidade geológica
Posição da África na Crosta Terrestre
• O Continente africano encontra-se no interior
da Placa Africana, que por sua vez, ...
Planaltos predominantes
• O interior do continente é constituído,
predominantemente, de planaltos bastantes erodidos
e, po...
RELEVO ÁFRICA
Perfil Topográfico – oeste – leste da
porção central do continente africano
Interior – planaltos
de altitudes
modestas (mé...
ÁREAS COM PLANALTOS DE GRANDE
ALTITUDES E LAGOS TECTÔNICOS
• Os movimentos
verticais da crosta
terrestre são
responsáveis ...
Efeitos das falhas
Clique na imagem
para mais
informações.
MONTANHAS – CADEIA DO ATLAS
• Os movimentos
horizontais da
crosta terrestre
são responsáveis
pelo dobramento
das rochas e ...
Cadeia do Atlas
• A porção noroeste do continente fica no limite
entre as placas Africana e Euroasiática em
uma zona de co...
Região do grande Vale do Rift
• A porção leste-sudeste sofreu uma grande fratura,
denominada Rift Valley. Essa fratura oco...
Lago Vitória – Lago Tectônico
Nascente do Rio Nilo
• Imagens
dos lagos
tectônicos
das
regiões de
falhas no
leste-
sudeste
da África.
Ponto Culminante da África
Delta do Rio Nilo
Clima e Vegetação da África
Continente mais tropical do mundo, somente os
extremos norte e sul estão em zonas temperadas.
Domínio climático equatorial
África Pluvial
Baixa amplitude térmica ao longo do ano, temperaturas médias elevadas e
chuvas...
Floresta do Congo
Domínio climático tropical
África de pluviosidade intermediária
A grande extensão ocupada pelas savanas na África faz dest...
Domínio Desértico
África Árida ou Desértica
Desertos subtropicais – alta pressão atmosférica
• Nas áreas da Terra onde a pressão atmosférica é alta o
ar tende a ser m...
Continentalidade – Elevada amplitude térmica diária e
baixa interferência da umidade oceânica
Correntes marítimas frias – formação de
desertos litorâneos, devido à baixa evaporação
destas correntes
Corrente
fria de
B...
Barreiras Montanhosas
• As montanhas barram a passagem das massas
de ar úmidas que precipitam antes de
atravessar a montan...
A “Sahelização” da África
Intensificação da Seca na África
A PRODUÇÃO DO ESPAÇO
AFRICANO
COLONIZAÇÃO E OS PROBLEMAS
DECORRENTES
África até o final do século XIX
• A África permaneceu isolada durante muito tempo,
mas era um continente conhecido (Velho...
África até o século XV
Relações estabelecidas entre europeus e
africanos a partir do Século XV
• Expansão marítimo-comercial empreendida pelos
eu...
A “colonização” europeia na África até 1880
POSTOS COMERCIAIS AO
LONGO DOS LITORAIS
AFRICANOS
Colonialismo – Imperialismo na África
– Final do Século XIX
• Fim da escravidão;
• Desenvolvimento da indústria nos países...
Neocolonialismo – Imperialismo na
África – Final do Século XIX
• Partilha da África: Países europeus se reuniram na
Confer...
Neocolonialismo – Imperialismo na África – Final
do Século XIX / início do século XX
•Predomínio da ocupação
inglesa e fra...
Colonização da África – Sec XIX
Consequências da Colonização do continente
africano
• Destruição da organização social original dos africanos,
com a impos...
Descolonização da África
• Enfraquecimento das potências europeias após a 2ª GM;
• Pressão das potências emergentes (EUA e...
Etapas da descolonização da África
Guerra do Biafra – Nigéria pós-
independência
Regime de segregação da África do Sul
- Apartheid
A produção do espaço africano
A produção do espaço africano
A produção do espaço africano
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

A produção do espaço africano

1,602

Published on

...

0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
1,602
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
5
Actions
Shares
0
Downloads
24
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

A produção do espaço africano

  1. 1. ÁFRICA CARACTERIZAÇÃO GERAL
  2. 2. África – posição geográfica e localização • Mais de 30 milhões de quilômetros quadrados; • 3º maior em extensão do mundo; • é cortado por 3 paralelos principais: Trópico de Câncer, Trópico de Capricórnio e Equador; • 75% do território encontram-se na Zona Intertropical, por isso, é o continente mais tropical do mundo; • Os climas predominantes são o Equatorial e o Tropical;
  3. 3. África – posição geográfica e localização • Por ser cortado quase ao meio pela linha do Equador, podemos dizer que a África é um continente espelhado, pois as mesmas paisagens climatobotânicas que ocorrem do extremo norte à linha do equador, ocorrem do extremo sul à linha do equador.
  4. 4. África – Limites Limites Norte – Mar Mediterrâneo; Sul – Oceano Índico e Atlântico; Leste – Oceano Índico; Oeste – Oceano Atlântico; Nordeste – Mar Vermelho.
  5. 5. África – Pontos extremos Extremos (Pontos que conferem maior distância em linha reta) Setentrional – Marrocos (Cabo Branco); Meridional – África do Sul (Cabo das Agulhas); Leste – Somália (Guardafui); Oeste – Senegal (Cabo Verde).
  6. 6. AFRICA – DIVISÃO POLÍTICA E REGIONAL •53 PAÍSES INDEPENDENTES •54 PAÍSES INDEPENDENTES (A PARTIR DE 2011 – SUDÃO DO SUL) • SAARA OCIDENTAL – LUTA PELA INDEPENDÊNCIA, POIS É CONTROLADO PELO MARROCOS; •ALGUMAS ILHAS SÃO POSSESSÕES ESTRANGEIRAS •ASCENÇÃO (RUN) •SANTA HELENA (RUN) • SOCRATA (IEM) • MADEIRA (PORT) • CANÁRIAS (ESPANHA) • ARQUIPÉLAGO DOS AÇORES – PORTUGAL) • ILHAS INDEPENDENTES • SEICHELHES • COMORES •MAURÍCIO •MADAGASCAR
  7. 7. SUDÃO DO SUL – MISERÁVEL DE BERÇO • Sudão tornou-se independente da Inglaterra nos anos 50; • Diferenças culturais – Norte árabe e mulçumano e Sul negro e cristão; • Os árabes governaram o país e trataram os sulistas como cidadãos de segunda classe, impondo a islamização forçada do sul; • O Sudão do Sul separou-se do Sudão após 5 décadas de sangrenta guerra civil;
  8. 8. SUDÃO DO SUL – MISERÁVEL DE BERÇO Território rico em riquezas naturais, porém sem condições de explorá-las: • abundância de petróleo (98% das receitas do governo – sem condições de fazer refino e exportação); • Extensos campos férteis e grandes reservas hídricas (espaço subaproveitado pela agricultura – apenas subsistência) Alguns Indicadores: 17% população urbana PIB per capita 1890 dólares Mortalidade Infantil – 102 por mil Analfabetismo – 73% Alunos por sala de aula – 129 51% abaixo da linha da pobreza 7% da população com acesso à Internet 55% da população com acesso à água tratada
  9. 9. Vídeo - Independência do Sudão do Sul
  10. 10. Vídeo – Conflitos no Sudão
  11. 11. Posição Geológica – Base geológica antiga – interior de placa tectônica
  12. 12. Zonas de instabilidade geológica
  13. 13. Posição da África na Crosta Terrestre • O Continente africano encontra-se no interior da Placa Africana, que por sua vez, limita-se com as Placas Eurasiática, Arábica, Indiana, Sul-americana • A maior parte do continente situa-se em uma área de estabilidade geológica. • Porém as porções noroeste e leste-sudeste apresentam áreas vulneráveis devido à movimentação das Placas tectônicas.
  14. 14. Planaltos predominantes • O interior do continente é constituído, predominantemente, de planaltos bastantes erodidos e, portanto, de baixa altitude (700 metros em média), com superfícies mais planas.
  15. 15. RELEVO ÁFRICA
  16. 16. Perfil Topográfico – oeste – leste da porção central do continente africano Interior – planaltos de altitudes modestas (média de 700 metros), com superfícies em forma de tabuleiros bastante erodidos; Porção leste- sudeste: Maciços de grande altitude, com presença de vulcões.
  17. 17. ÁREAS COM PLANALTOS DE GRANDE ALTITUDES E LAGOS TECTÔNICOS • Os movimentos verticais da crosta terrestre são responsáveis pelo surgimento de planaltos elevados e lagos tectônicos na porção leste- sudeste.
  18. 18. Efeitos das falhas
  19. 19. Clique na imagem para mais informações.
  20. 20. MONTANHAS – CADEIA DO ATLAS • Os movimentos horizontais da crosta terrestre são responsáveis pelo dobramento das rochas e pelo surgimento da Cadeia do Atlas no noroeste da África.
  21. 21. Cadeia do Atlas • A porção noroeste do continente fica no limite entre as placas Africana e Euroasiática em uma zona de colisão/arraste, formando a Cadeia Montanhosa do Atlas (um dobramento de origem geológica recente, datada do Período Terciário); Voltar
  22. 22. Região do grande Vale do Rift • A porção leste-sudeste sofreu uma grande fratura, denominada Rift Valley. Essa fratura ocorreu devido às pressões causadas pelos movimentos tectônicos. Após a ocorrência da fratura ocorreu um movimento vertical da crosta terrestre ao longo dessas falhas , levando a formação de vales de afundamento da crosta, planaltos de grande altitude (maciços), lagos tectônicos e vulcões. Essa constituição do relevo tem origem no período terciário da Era Cenozoica.
  23. 23. Lago Vitória – Lago Tectônico Nascente do Rio Nilo
  24. 24. • Imagens dos lagos tectônicos das regiões de falhas no leste- sudeste da África.
  25. 25. Ponto Culminante da África
  26. 26. Delta do Rio Nilo
  27. 27. Clima e Vegetação da África Continente mais tropical do mundo, somente os extremos norte e sul estão em zonas temperadas.
  28. 28. Domínio climático equatorial África Pluvial Baixa amplitude térmica ao longo do ano, temperaturas médias elevadas e chuvas ao longo de todo ano.
  29. 29. Floresta do Congo
  30. 30. Domínio climático tropical África de pluviosidade intermediária A grande extensão ocupada pelas savanas na África faz deste um domínio morfoclimático exclusivo, embora o mesmo transite entre a Floresta e o Deserto.
  31. 31. Domínio Desértico África Árida ou Desértica
  32. 32. Desertos subtropicais – alta pressão atmosférica • Nas áreas da Terra onde a pressão atmosférica é alta o ar tende a ser mais pesado e não consegue ganhar altitude, conseqüentemente, não há condensação do vapor d’água e não ocorre precipitação (chuvas). Os desertos africanos ficam nestas faixas.
  33. 33. Continentalidade – Elevada amplitude térmica diária e baixa interferência da umidade oceânica
  34. 34. Correntes marítimas frias – formação de desertos litorâneos, devido à baixa evaporação destas correntes Corrente fria de Benguela – contribui para a existência do deserto da Namíbia. Corrente fria das Canárias – contribui para a existência do deserto do Saara.
  35. 35. Barreiras Montanhosas • As montanhas barram a passagem das massas de ar úmidas que precipitam antes de atravessar a montanha (à barlavento).
  36. 36. A “Sahelização” da África
  37. 37. Intensificação da Seca na África
  38. 38. A PRODUÇÃO DO ESPAÇO AFRICANO COLONIZAÇÃO E OS PROBLEMAS DECORRENTES
  39. 39. África até o final do século XIX • A África permaneceu isolada durante muito tempo, mas era um continente conhecido (Velho Mundo); • Sua população era constituída por povos bem distintos que apresentavam costumes, tradições, línguas e religiosidade próprios. Possuía civilizações com alto grau de desenvolvimento. Eram auto- suficientes (produziam o que consumiam).
  40. 40. África até o século XV
  41. 41. Relações estabelecidas entre europeus e africanos a partir do Século XV • Expansão marítimo-comercial empreendida pelos europeus; • O contato (escambo) era feito através de postos comerciais ao longo do litoral africano. Os europeus forneciam especiarias (canela, noz-moscada, cravo, fumo, bebidas, alimentos, armas, etc.) e recebiam de volta escravos e produtos como marfim, peles, madeiras, etc. • Comércio de negros - mão-de-obra escrava nas plantations e minas de ouro e prata das colônias na América; • Desequilíbrio populacional no continente africano (migração forçada, muitas baixas e diminuição do número de jovens).
  42. 42. A “colonização” europeia na África até 1880 POSTOS COMERCIAIS AO LONGO DOS LITORAIS AFRICANOS
  43. 43. Colonialismo – Imperialismo na África – Final do Século XIX • Fim da escravidão; • Desenvolvimento da indústria nos países europeus; • Mudanças nos interesses europeus (formação de mercado consumidor com a mão-de-obra livre e assalariada) – necessidade de expansão do mercado; • Busca por matéria-prima (território com subsolo rico em recursos minerais, vastas áreas para cultivos agrícolas); • Expansão dos territórios através do neocolonialismo.
  44. 44. Neocolonialismo – Imperialismo na África – Final do Século XIX • Partilha da África: Países europeus se reuniram na Conferência de Berlim, 1884 para delimitar as fronteiras coloniais (não levaram em conta os interesses dos africanos – divisão arbitrária do continente); • Cobrança de impostos para os africanos permanecerem em suas terras. Os africanos podiam cumprir as exigências dos europeus trabalhando no campo, nas minas e nas construções por troca de um salário;
  45. 45. Neocolonialismo – Imperialismo na África – Final do Século XIX / início do século XX •Predomínio da ocupação inglesa e francesa – maiores potências imperialistas; •Somente Etiópia e Libéria não foram colonizados
  46. 46. Colonização da África – Sec XIX
  47. 47. Consequências da Colonização do continente africano • Destruição da organização social original dos africanos, com a imposição de um modelo de economia e sociedade típico dos povos europeus (aculturação); • Economia dependente, subordinada ao mercado internacional; • Plantations, monoculturas de exportação com uso intenso de mão-de-obra (cacau, algodão, café, cana-de-açúcar, chá, etc.) • Sistema de transporte periférico e não integrador; • Fronteiras artificiais (conflitos de interesses étnicos, econômicos e religiosos dentro de um mesmo país); • Falsa ideia de melhoria de vida; • Aumento das desigualdades sociais;
  48. 48. Descolonização da África • Enfraquecimento das potências europeias após a 2ª GM; • Pressão das potências emergentes (EUA e ex-URSS); • Sentimentos nacionalistas, influências ideológicas; • Os movimentos de independência em algumas colônias foram pacíficos e em outras foram sangrentos; • Neocolonialismo (os países tornavam-se independentes, mas o poder econômico e político eram mantidos nas mãos de elites – representadas por ex-colonizadores, ficando a maioria africana sem direitos políticos).
  49. 49. Etapas da descolonização da África
  50. 50. Guerra do Biafra – Nigéria pós- independência
  51. 51. Regime de segregação da África do Sul - Apartheid
  1. Gostou de algum slide específico?

    Recortar slides é uma maneira fácil de colecionar informações para acessar mais tarde.

×