Your SlideShare is downloading. ×
  • Like
CRER no Centro de Portugal - Pedro Saraiva
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×

Now you can save presentations on your phone or tablet

Available for both IPhone and Android

Text the download link to your phone

Standard text messaging rates apply

CRER no Centro de Portugal - Pedro Saraiva

  • 326 views
Published

Apresentação de Pedro Saraiva, Presidente da CCDR-C, no Fórum de Desenvolvimento Económico de Penela 2013

Apresentação de Pedro Saraiva, Presidente da CCDR-C, no Fórum de Desenvolvimento Económico de Penela 2013

Published in Business
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Be the first to comment
    Be the first to like this
No Downloads

Views

Total Views
326
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
1

Actions

Shares
Downloads
11
Comments
0
Likes
0

Embeds 0

No embeds

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
    No notes for slide

Transcript

  • 1. CRER NO CENTRO DE PORTUGAL: a visão estratégica da Região Centro para 2014-2020 Penela 23 de novembro de 2013
  • 2. Resiliência Territorial
  • 3. Evolução da Taxa de Desemprego 20 % 16,4 15,6 11,5 15,7 11,2 3.º trim. de 2013 18 2.º trim. de 2013 17,7 16 12,7 14 10,8 12 5,4 1.º trim. de 2013 2003 7,7 2012 2002 Portugal 5,6 2009 3,6 5,5 2008 3,1 2004 2,8 4,3 5,2 2007 6,9 2001 2000 2,2 10,3 5,0 4 2 7,6 2006 4,0 8,0 2005 3,9 7,7 2011 6,3 8 6,7 7,6 12,0 2010 10 6 13,3 9,5 Centro Quebra de série Fonte: INE
  • 4. Evolução da Taxa de Desemprego 25 % 20 15,6 15 12,6 10 9,7 9,5 3.º trim. de 2011 11,5 11,2 11,2 2.º trim. de 2013 3.º trim. de 2013 9,4 2.º trim. de 2011 11,8 13,3 12,7 12,5 5 1.º trim. de 2011 Portugal Norte 4.º trim. de 2011 CENTRO 1.º trim. de 2012 Lisboa 2.º trim. de 2012 Alentejo 3.º trim. de 2012 4.º trim. de 2012 Algarve 1.º trim. de 2013 R.A. Açores R.A. Madeira
  • 5. A estratégia regional CRER 2020 Uma Abordagem Integrada Plano de Ação Regional (PAR) Programa Operacional Regional RIS3 Regional “Centro has been smart in developing RIS3 as part of a package involving its RAP and ROP. These sit side-by-side under the broad CRER2020 social and economic development package. This is an admirably integrated approach.” Phil Cooke (perito da Comissão Europeia)
  • 6. A estratégia regional CRER 2020 Uma Abordagem Integrada Plano de Ação Regional (PAR) Programa Operacional Regional RIS3 Regional O desígnio central para 2014-2020 Responsável no sentido de respeitar aspetos ambientais, respeitar os direitos humanos e a qualidade de vida dos cidadãos, bem como no sentido de responsabilidade social e de evolução harmoniosa da região Centro; Estruturante no sentido de corresponder a pilares duradouros e sustentáveis de construção da competitividade da região Centro no mundo contemporâneo, com uma ótica também de médio prazo e dirigida à aposta nos vetores com potencial regional de criação de valor acrescentado; Resiliente no sentido de ser robusta face a oscilações de contexto, traçando um rumo de evolução positiva que seja capaz de resistir a diferentes tipos de imprevistos que possam surgir a nível nacional e internacional, assim como aos momentos bons e menos bons.
  • 7. Processo CRER 2020: alguns descritores  5 Seminários regionais (395 participantes)  5 Workshops temáticos (119 participantes)  4 Reuniões institucionais com representantes regionais (146 participantes)  66 Reuniões de trabalho (551 participantes)  2 Questionários temáticos (42 respostas)  Mais de 8.000 Visualizações do site CRER 2020 2.000 páginas de reflexão partilhada 42 “Capítulos” de Contributos Temáticos Co-autoria de 700 pessoas e 300 entidades Um Processo de Desenvolvimento Regional Participado e Mobilizador
  • 8. CRER 2020: Auscultar as Vozes Regionais Cluster do mar Eficiência energética Exportações Inovação, criatividade e empreendedorismo Investimento público Prevenção de catástrofes naturais Associativismo empresarial Desenvolvimento Económico Educação Recursos endógenos Reorganização do Estado e intermunicipalidade Serviços de qualidade Apoio social e qualidade de vida As prioridades para a região: Energias alternativas Ligação empresas - SCT Cultura e património Desenvolvimento Sustentável (Opinião dos cidadãos regionais através do site http://crer2020.ccdrc.pt) Dinamizar atividade agrícola Acessibilidades Turismo Apoio às PME/indústria Criação de emprego 0 2 4 6 8
  • 9. Qual a relevância de cada objetivo temático no contexto da Região Centro? As prioridades identificadas através de inquérito ao Conselho Regional Importância Média Atribuída 10 9 9,0 8,8 8,8 8,7 8,2 7,7 8 7,6 7,5 7,0 7 Níveis de importância 8,6 6,8 6 5 4 3 2 1 0 8. 1. Emprego e Investig., Mobilidade Desenv. Laboral Tecnol. e Inovação 3. 9. Inclusão Competit. PME e Social e Setor Combate à Primário Pobreza 5. 10. 6. 11. 2. 7. 4. Ensino, Ambiente e Capacit. Acesso, Transportes Economia Adaptação Competênc. Eficiência Institucion. Utiliz. e Sustent. e com Baixas Alterações dos e AP Qualid. das Eliminar Emissões de Climáticas e e TIC Estrangulam. Carbono Riscos Aprendiz. Recursos Eficiente
  • 10. A Nossa Ambição Coletiva Ser Innovation Leader (RIS) [20% de I&D Nacional e 100 Empresas Gazela] Representar 20% do PIB Nacional Diminuir em 10% as Assimetrias Territoriais Ter 40% da População Jovem com Formação Superior Taxa de Desemprego Inferior a 70% da Média Nacional
  • 11. RIS3 do Centro de Portugal Especialização inteligente: “estabelecer prioridades, a nível regional, numa série de setores/tecnologias/áreas de conhecimento potencialmente competitivos e geradores de novas atividades, num contexto global, e tendo em conta a especialização de outras localizações”. RIS3: “agendas de transformação económica integradas de base local, que partem da identificação das características e ativos específicos de cada região para, através de um processo participado por todas as partes interessadas, estabelecerem uma visão de futuro sustentável para o território”. Como? METODOLOGIA 1. análise do contexto regional e do potencial de inovação 2. definição de um modelo de governação: participação e liderança 3. elaboração de uma visão global, partilhada, para o futuro da região 4. identificação das prioridades 5. definição do policy mix (combinação de instrumentos e políticas) e do plano de ação 6. 1. análise integração de mecanismos de monitorização e avaliação 2. processo 6. monitorização RIS3 3. visão 5. instrumentos 4. prioridades
  • 12. Potencial de Inovação  9 instituições de ensino superior público  86 mil alunos do ensino superior  11 incubadoras de empresas (RIERC)  3 centros tecnológicos  7 parques de ciência e tecnologia  3 Clusters e 5 Pólos de Competitividade  8 PROVERE  73.000 empresas  Rede polinucleada de cidades médias
  • 13. Potencial de Inovação Uma região que nunca se desindustrializou Ü Ü Empresas mais exportadoras Maiores empresas 1-2 1-2 3-5 3-5 6-7 0 15 30 Km 157 empresas acima de 35 M€/ano [46 concelhos] 8 - 14 6-7 0 15 30 Km 8 - 11 102 empresas acima de 15 M€/ano exportações [44 municípios]
  • 14. Potencial de Inovação Uma atividade económica com diversidade setorial e geográfica Ü N.º PME Excelência 1-2 3-4 5-9 10 - 15 0 15 30 Km 16 - 34 369 PME Excelência (28% do total nacional de 1314) [76 concelhos] 53 Empresas Gazela [31 concelhos]
  • 15. Regional Innovation Scoreboard Evolução do Centro no RIS: o milagre da inovação regional innovation follower moderate medium moderate low 2007 2009 2012
  • 16. Os Países Mais Inovadores Possuem uma Base Sólida de Regiões Inovadoras
  • 17. Domínios Diferenciadores Materiais Agricultura Saúde Turismo TICE Biotecnologia Domínios Temáticos Floresta Mar Eficiência Energética Inovação rural Domínios Transversais Produtividade Industrial Sustentável
  • 18. Domínios Diferenciadores Peso da Região Centro no VAB nacional por domínio diferenciador 45% 2004 2011 40% 35% 30% 25% 20% 15% 10% 5% 0% Agricultura Floresta Mar Materiais TICE Turismo Saude e bem estar Biotecnologia Fonte: INE, Sistema de Contas Integradas das Empresas
  • 19. As prioridades RIS3: áreas de interligação Áreas de Interligação que cruzam os domínios diferenciadores, promovendo a diversidade relacionada, e enquadram as apostas RIS3 1. Soluções industriais sustentáveis 2. Valorização e uso eficiente dos recursos endógenos naturais 3. Tecnologias ao serviço da qualidade de vida 4. Inovação territorial
  • 20. CRER2020@CENTRO.PT O Nosso PO Regional 2014-2020 CRER2020@CENTRO.PT -Dotação Financeira Reforçada face a 2007-2013 2.117 milhões de euros versus 1.700 milhões de euros (acréscimo de 25%) 909 euros/habitante versus 730 euros/habitante -Inclusão tanto de FEDER como de FSE 1.745 milhões de FEDER + 372 milhões de FSE -Em Construção Acelerada…
  • 21. O Nosso PO Regional 2014-2020 CRER2020@CENTRO.PT Eixo 1: Competitividade e Internacionalização da Economia Regional (COMPETIR) [40%] Eixo 2: Investigação, Desenvolvimento e Inovação (IDEIAS) [9%] Eixo 3: Desenvolver o Potencial Humano (APRENDER) [15%] Eixo 4: Promover e Dinamizar a Empregabilidade (EMPREGAR e CONVERGIR) [8%] Eixo 5: Fortalecer a Coesão Social e Territorial (APROXIMAR e CONVERGIR) [8%] Eixo 6: Afirmar sustentabilidade de territórios e recursos (SUSTENTAR e CAPACITAR) [15%] Eixo 7: Apoiar a mobilidade regional (MOVIMENTOS) [3%]
  • 22. Reforço Positivo e Mosaico de Oportunidades: a Nossa Atitude
  • 23. 20 anos de aposta nas Aldeias Históricas 45 milhões de euros de FEDER - 11 mil residentes nas 12 aldeias - 300 mil visitantes por ano registados - estima e orgulho das populações locais - vida em territórios que poderiam ter deixado de a ter - dinâmicas de iniciativa privada e jovem 23
  • 24. Territórios que Marcam e Criam Valor As nossas Grandes Aldeias e Vilas são verdadeiras preciosidades territoriais, onde ainda é possível preencher os ouvidos do mais puro silêncio e reencontrar nas almas a essência mais profunda da boa humanidade.
  • 25. “Não Existem Territórios Condenados ao Fracasso” 25