Your SlideShare is downloading. ×
0
8 b grp06_trab1
8 b grp06_trab1
8 b grp06_trab1
8 b grp06_trab1
8 b grp06_trab1
8 b grp06_trab1
8 b grp06_trab1
8 b grp06_trab1
8 b grp06_trab1
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×
Saving this for later? Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime – even offline.
Text the download link to your phone
Standard text messaging rates apply

8 b grp06_trab1

126

Published on

0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
126
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
0
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. 100 anos da Implantação da República em Portugal
    Golpe de Estado de 28 de Maio
    Trabalho realizado por:
    Ana Tavanez nº2
    Joyce Rodrigues nº 14
    8º B
    Escola José Maria dos Santos
    Área de Projecto
  • 2. O que foi o Golpe de Estado de 1926?
    O Golpe de Estado de 28 de Maio de 1926 foi uma revolta militar de aspecto nacionalista e anti-parlamentar que pôs fim á 1ª República Portuguesa, dando inicio ao Estado Novo.
    O Golpe de Estado de 28 de Maio de 1926 iniciou-se como mais um levantamento, dos muitos que já tinham surgido no seio da Primeira República Portuguesa, coincidindo com um momento crítico para o governo presidido por António Maria da Silva.
  • 3.
  • 4. O dia 27
    No dia 27 de Maio, Cunha Leal organiza em Braga um almoço com apoiantes e discursa criticando severamente o Partido Democrático.
    É neste dia, depois deste discursos, que chega à cidade, pelas 22:00 horas, o general Gomes da Costa, vindo expressamente para assumir o comando do golpe.
    Cunha Leal
  • 5. O dia 28
    No dia imediato,  28 de Maio de 1926, pelas 6:00 da madrugada, inicia-se a revolta militar, com acompanhamento e apoio civil, incluindo do operariado da região, organizando-se uma coluna que parte sobre Lisboa.
    O movimento reflecte-se por todo o país com um grande número de unidades militares a proclamar logo nesse dia e ainda maior número no dia seguinte, 29 de Maio, a sua adesão ao golpe.
    General Gomes da Costa
  • 6. O dia 29
    A 29 de Maio, a guarnição de Lisboa adere em massa ao golpe de Gomes da Costa.
    Nessa tarde, isolado e sem meios ou vontade de resistência, o governo de António Maria da Silva apresenta a sua demissão a Bernardino Machado.
    António Maria da Silva
  • 7. O dia 30
    A 30 de Maio Bernardino Machado convida Mendes Cabeçadas a formar governo. Perante a estabilidade conseguida e ultrapassado o risco de confrontos, Gomes da Costa dá ordem a todas as forças militares golpistas disponíveis para avançarem sobre Lisboa.
    Bernardino Machado
  • 8. O dia 31
    A 31 de Maio Mendes Cabeçadas manda expedir a ordem para se encerrar o Congresso da República Portuguesa.
    Era o fim oficial do parlamentarismo português.
    Mendes Cabeçadas
  • 9. Inicio de Julho de 1926
    A 1 de Junho o general Gomes da Costa, ainda em Coimbra na sua marcha sobre Lisboa, anuncia a formação de um comité por si presidido, incluindo Mendes Cabeçadas e Armando Humberto da Gama Ochoa.
    A 3 de Junho as tropas de Gomes da Costa chegaram a Sacavém de comboio e entraram em Lisboa sem sabotagens, nem resistência.
    A 7 de Junho o general Gomes da Costa toma posse das pastas para que fora nomeado e comanda um impressionante desfile militar de vitória ao longo da Avenida da Liberdade.
    Armando Ochoa

×