qwertyuiopasdfghjklçzxcvbnmqwertyuiopasdfghjklçzxcvbnmqwertyuiopasdfghjklçzxcvbnmqwertyuiopasdfghjklçzxcvbnmqwertyuiopasdf...
MAIO/JUNHO 2012             geografias(Uma partilha de reflexões em torno de questões geográficas...)          ESCOLA SECU...
EditorialCá estamos! Desta vez somos mais. Somos os alunos de Geografiae Área de Integração da Escola Secundária de Santa ...
ÍNDICE                                                               Página:Recursos Naturais       A Terra, um planeta a ...
A Terra, um planeta a proteger                                A utilização deste recurso natural devia ter em           O ...
Recursos Naturais: usá-los,                                                           Portugal e o drama dos Recursos     ...
A Paisagem… um recurso                Meio rural e Meio urbano          Revendo todas as matérias que demos desde o1ºperío...
A População é antes de mais, um                               Além do perigo de não haver renovação de gerações,          ...
Portugal, um lar de idosos?                                  reduzida população em idade ativa; risco de colapso da       ...
E contudo, ela vive…                                              E no fundo o que acontece a aqueles que a               ...
She’s Alive … She´s Hurting                                          O vídeo, she´s alive … she´s hurtig, surpreendeu-    ...
Religião – Fonte de Conflitos?        O Fundamentalismo nasceu no princípio do séculoXX, no ano de 1909, quando nos EUA fo...
Imagine um mundo sem religião        Por fundamentalismo compreende-se a atitude           Foi no Irão que o fundamentalis...
(IN)AÇÃO DA ONU                                             No caso do Ruanda, a ONU violou os seus princípios, pois      ...
Dá que Pensar …                  Cartoon, Carlos Rico              http://www.tirinhasmemes.net                           ...
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Revista geo 2012

778

Published on

" Os alunos de Geografia da Escola Secundária de Santa Maria da Feira , publicaram o segundo número da sua revista. A todos os elementos da comunidade, desejam uma boa leitura"

Published in: Education
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
778
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
1
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Revista geo 2012

  1. 1. qwertyuiopasdfghjklçzxcvbnmqwertyuiopasdfghjklçzxcvbnmqwertyuiopasdfghjklçzxcvbnmqwertyuiopasdfghjklçzxcvbnmqwertyuiopasdfghjklçzxcvbnmqwertyuiopasdfghjklçzxcvbnmqwertyuiopasdfghjklçzxcvbnmqwertyuiopasdfghjklçzxcvbnmqwertyuiopasdfghjklçzxcvbnmqwertyuiopasdfghjklçzxcvbnmqwertyuiopasdfghjklçzxcvbnmqwertyuiopasdfghjklçzxcvbnmqwertyuiopasdfghjklçzxcvbnmqwertyuiopasdfghjklçzxcvbnmqwertyuiopasdfghjklçzxcvbnmqwertyuiopasdfghjklçz geografiasxcvbnmqwertyuiopasdfghjklçzxcvbn (Uma partilha de reflexões em torno de questões geográficas...)mqwertyuiopasdfghjklçzxcvbnmrtyui ESCOLA SECUNDÁRIA DE SANTA MARIA DA FEIRA ALUNOS DE GEOGRAFIA 2011-2012opasdfghjklçzxcvbnmqwertyuiopasdfghjklçzxcvbnmqwertyuiopasdfghjklçz
  2. 2. MAIO/JUNHO 2012 geografias(Uma partilha de reflexões em torno de questões geográficas...) ESCOLA SECUNDÁRIA DE SANTA MARIA DA FEIRA ALUNOS DE GEOGRAFIA 2011-2012 2
  3. 3. EditorialCá estamos! Desta vez somos mais. Somos os alunos de Geografiae Área de Integração da Escola Secundária de Santa Maria daFeira.Os nossos professores lançaram-nos o desafio. Vimos o que osnossos antecessores fizeram ano passado e decidimos ampliar…Tudo foi escrito por nós a partir das aulas; É isso que tambémdeve ser uma aula, um ponto de partida não é? E a Geografia, queciência tão especial…parece que cruza todas as áreasinterpretando o mundo.A todos os que nos leremSaudações geográficas 3
  4. 4. ÍNDICE Página:Recursos Naturais A Terra, um planeta a proteger 4 Recursos Naturais: usá-los, preservá-los ou geri-los? 5 Portugal e o drama dos recursos naturais 5 A Paisagem… um recurso 6Natalidade A população é antes de mais um recurso 7 Portugal, um lar de idosos? 8Desenvolvimento Sustentável E contudo, ela vive 9 She´s alive … she´s hurting 10Conflitos Religião – Fonte de conflitos? 11 Imagine um mundo sem religião 12 (In)Acção da ONU 13Dá que pensar … 14 4
  5. 5. A Terra, um planeta a proteger A utilização deste recurso natural devia ter em O Homem consome os recursos naturais a um conta o sustento das gerações futuras e, nesteritmo muito acelerado, o que pode provocar o seu momento, isso não acontece.esgotamento. Vamos falar da exploração irracional do O petróleo provoca o interesse de diferentes países, opetróleo. que pode levar ao desentendimento. O petróleo é um recurso natural energético Concluindo, a exploração das reservas de petróleoque é usado como matéria-prima ou fonte de energia. É devia ser realizada de forma racional, já que é uma principal fonte de energia do mundo, o que gera recurso energético não renovável. Devia ser exploradograndes interesses por parte de muitos países. O de maneira a preservar o ambiente e não prejudicar asmundo inteiro continua a depender dele para se poder gerações futuras.movimentar. Catarina Heitor nº10 Ana Rita Ferreira nº 3 Simone Loureiro nº28 Há cerca de trinta anos, a possibilidade do 8ºEesgotamento dos recursos petrolíferos foi percebidacomo uma ameaça real de curto prazo. O consumo depetróleo cresce em ritmo acelerado, assim como opreço do mesmo.A utilização do petróleo pela indústria moderna é feitadesde 1846, tendo vindo a aumentar até hoje.Atualmente, consumimos mais de 85 milhões de barrispor dia. Nós achamos que a exploração do petróleo temsido prejudicial para a saúde e qualidade de vida doHomem, prejudicando-o.Por se tratar de um produto com alto risco decontaminação, o petróleo provoca graves danos aomeio ambiente quando entra em contacto com oceanosou com a superfície do solo. Alguns dos principais problemas associados àutilização do petróleo como fonte de energia são apoluição atmosférica e o aumento do efeito de estufa,que contribui para o Aquecimento Global. 5
  6. 6. Recursos Naturais: usá-los, Portugal e o drama dos Recursos preservá-los ou geri-los? NaturaisOs recursos naturais não renováveis estão a ser sobre- Como deveria ser do saber nacional,explorados pelo Homem, sendo assim, estes correm o Portugal é muito “pobre” em recursos naturais não-risco de se extinguirem. renováveis como: carvão, petróleo, urânio, e gásPara travar este acontecimento, acho que podemos natural, tendo que importar esses combustíveisvirar-nos para os recursos naturais renováveis e fósseis de outros países.respetivas energias (como por exemplo: o sol, Mas agora eu pergunto: porquê gastarproduzindo energia solar, o vento, produzindo energia milhões a importar esses recursos? Por que nãoeólica, o calor do interior da terra produzindo energia apostar em recursos renováveis?geotérmica, entre outros) ou optar por diminuir o Segundo especialistas a instalação doconsumo dos recursos naturais não renováveis: equipamento e a sua manutenção iria ser de elevadopodemos escolher entre andar de autocarro, a pé,... preço, a sua eficiência energética poderia serDiminuindo assim o consumo de petróleo; promover a limitada. Mas a longo prazo iríamos poupar mais,reciclagem, com isto reaproveitamos material não sendo iríamos respeitar o ambiente, pois os recursospreciso consumir mais petróleo para o fabrico de renováveis não poluem nem a sua exploração degradaplásticos. Além de que reduzimos consideravelmente os o ambiente. Também esses recursos não se esgotamlançamentos de gases poluidores para a atmosfera. ou têm a capacidade de se regenerar a uma José António Almeida, 8ºD velocidade elevada. Os recursos não-renováveis pelo contrário esgotam-se, degradam e poluem o ambiente. Hugo Leal 8ºD 6
  7. 7. A Paisagem… um recurso Meio rural e Meio urbano Revendo todas as matérias que demos desde o1ºperíodo, a que mais me chamou a atenção e a que maisgostei de estudar foi o tema das áreas de fixaçãohumana. Gostei particularmente deste tema porque foiinteressante conhecer as diferenças entre o meio rurale o meio urbano. Não imaginava que as diferençasfossem tão significativas. Agora percebo a razão pelaqual algumas pessoas mudam de área de residência. Porexemplo, quem vive no meio urbano e está “cansado” dostress habitual que existe nas cidades, tenta arranjaruma forma de ir viver para o campo e assim ter umavida mais calma. Por sua vez, algumas pessoas preferema agitação das cidades e mudam-se do meio rural para omeio urbano. Vanessa Costa 8º D 7
  8. 8. A População é antes de mais, um Além do perigo de não haver renovação de gerações, estes países enfrentam as graves consequências da baixarecurso… natalidade como: a diminuição da população ativa; o Ao longo dos anos, a população vai envelhecendo, aumento das despesas com a saúde, construção de laresmas este não é um facto que, há uns tempos atrás, e segurança social; escolas e maternidades sãolevantasse grande preocupação, pois a renovação de encerradas.gerações era assegurada pelas taxas de natalidade Caso a taxa de natalidade não comece a aumentar nos(número de nascimentos numa dada população por cada países desenvolvidos, tal pode vir a comprometer a1000 habitantes) que eram muito elevadas. humanidade. Um futuro próximo, em que haja poucas Estas continuam a ser muito elevadas nos países crianças, levará a um futuro não tão próximo em queem vias de desenvolvimento, como por exemplo em essas crianças já serão adultos, em pouca quantidade,Angola, que, segundo uma estimativa da ONU divulgada em que também levarão ao nascimento de poucas crianças eOutubro de 2011, tem a maior taxa de natalidade do mundo assim sucessivamente, criando um ciclo repetitivo.pelo que a renovação de gerações está assegurada. Estes problemas são bastante graves e podemNestes países em desenvolvimento há um excesso de comprometer o desenvolvimento do país. Para que tal nãopopulação jovem e são, geralmente, países da África, Sul aconteça os governantes devem promover as medidas dada Ásia e do Médio Oriente. política natalista, que visam um aumento da natalidade. Só No entanto, quando falamos dos países assim é que veremos a população infantil a aumentar edesenvolvidos (países da Europa, América do Norte e estes problemas a diminuírem.Oceânia; Japão) a história muda de cenário. Segundo o Gabriela Gomes, nº7, 8ºDRelatório sobre a Situação da População Mundial 2011divulgado a 26 de Outubro de 2011 pelas Nações Unidas,Portugal tem a segunda mais baixa taxa de fecundidade(número médio de filhos por mulher em idade deprocriar) do mundo com apenas 1,3 filhos por mulher.Esta é inferior a 2,1 filhos por mulher, que é a necessáriapara que haja renovação de gerações. Isto deve-se a muitos fatores, masprincipalmente à idade cada vez mais tardia docasamento e ao facto de as mulheres também seencontrarem no mercado de trabalho. 8
  9. 9. Portugal, um lar de idosos? reduzida população em idade ativa; risco de colapso da segurança social; encerramento de escolas eHoje em dia, Portugal vive um problema de envelhecimento maternidades visto que não há crianças para manterempopulacional. Temos uma Taxa de Natalidade, um Índice de estes estabelecimentos abertos.Fecundidade muito baixos, uma Taxa de Mortalidade baixa, Contudo, também surgem algumas vantagens, como:uma Esperança Média de Vida elevada e um Crescimento uma maior disponibilidade dos idosos no apoio à famíliaNatural baixo. Na figura ao lado podemos verificar que a e a implantação da atividade turística. Em Portugal, aNatalidade apresenta uma constante diminuição. Este média de filhos por mulher em idade fértil é de 1.3, sendoproblema é cada vez mais notório, visto que, atualmente por isso necessário procurar medidas para colmatarPortugal está a enfrentar uma crise económica e este problema, para que o Índice de Fecundidade seconsequentemente as famílias estão com dificuldades, por situe no mínimo nos 2.1. Estas medidas são,isso não suportam as elevadas despesas com a educação presentemente, chamadas de Políticas Natalistas.e assistência médica. Algumas destas medidas são: reforço de abonos ePara além disso o desemprego também é um fator que subsídios familiares; gratuidade na frequência deafeta a evolução da população portuguesa, pois esta infantários e na escolaridade obrigatória; vacinação epretende garantir o seu emprego, surgindo a maternidade assistência médica gratuita para as crianças;como uma limitação à manutenção da situação alargamento da licença de parto, tanto para a mãe comoprofissional. O uso de meios contracetivos está para o pai, e medidas de apoio especiais a famíliasvulgarizado e a idade média das pessoas se casarem tem numerosas. Atualmente, apesar da aplicação de algumassubido, diminuindo assim a probabilidade de terem muitos estratégias referidas, “observamos” que este problemafilhos. Outro fator que leva a uma Taxa de Natalidade que Portugal enfrenta, está muito longe de serreduzida é o facto dos cidadãos portugueses preferirem solucionado.habitar nos meios urbanos, onde o elevado preço dashabitações leva a planear famílias mais pequenas.Considero que este processo de envelhecimentopopulacional tem como base a redução drástica daFecundidade que afeta a Taxa de Natalidade, e a diminuiçãoda Taxa de Mortalidade, aumentando a Esperança Média deVida. Assim, com esta diminuição da Taxa de Natalidade econsequente, população envelhecida, os portuguesessofrem as consequências, como: Ana Luísa de Sá Almeida, Nº 2,8ºE 9
  10. 10. E contudo, ela vive… E no fundo o que acontece a aqueles que a tentam proteger, que a tratam com respeito? No vídeo "Shes alive" é mostrada a triste Há alguém que prefere o dinheiro, que prefere a mansão,realidade em que o nosso mundo vive. que prefere andar com um casaco de pele de animal, do A natureza é um assunto que todos nós já que poder evitar as terríveis catástrofes queouvimos falar. Mas infelizmente há pessoas que habitualmente estão a sofrer.não param para pensar que a nossa vida, a Os incêndios, os rios secam, os glaciaresnossa sobrevivência depende dela. derretem, as árvores são cortadas, a poluição, tudo isto Cada dia que passa todos nós a destruímos, para alguém ter os seus bens quando os seres vivostodos nós fazemos algo de errado, com ela sem pensar morrem, e quando passam a vida a destruir aquilo quecomo ela é tão importante para nós, sem pensar nos dá vida, o nosso planeta!na consequência que o deitar uma simples lata para o Helena Petiz, nº 15, 9ºBchão, a descarga de materiais perigosos de uma fábricapara o rio ou mar, o andarmos de carro para todo o ladopode ser catastrófico, pode destruir uma cidade... Os nossos comportamentos, de todos, estãoerrados, somos egoístas ao não pensarmos naspaisagens magníficas. O cheiro, na pureza da natureza. É chamada de nossa mãe e porque não atratamos como tal? Todos os dias deveríamos agradecer peladádiva que temos, pela beleza, por tudo que a naturezanos oferece. Os seres vivos que diariamente morrem, LOBO, José, Novas Coordenadas, 7, raiz ed.as espécies que morrem porquê? Qual a necessidade deter que se matar animais para as nossas futilidades?! 10
  11. 11. She’s Alive … She´s Hurting O vídeo, she´s alive … she´s hurtig, surpreendeu- me um pouco, porque apesar de já ter uma ideia do que se passava, não pensava que fosse tão grave. A Terra pertence a todos, mas nem todos a respeitam, sendo uma triste desilusão! A Terra é complexa? Temos tudo o que podemos ter; É bonita? Diria antes maravilhosa; É finita? Concordo plenamente; É a nossa casa? Com todo o gosto. As pessoas querem tudo, e ao quererem tudo, acabam por magoá-la. O aquecimento global, os animais em extinção, todo o tipo de poluição e a desflorestação, são tudo obstáculos causados por nós! A Terra? A Terra é a nossa Mãe! Ela pode ser salva com pequenos gestos de todo o Mundo. Ela merece ser defendida por nós, merece que morramos por ela! Tantas pessoas que já morreram por ela, e foram mortas por pessoas sem escrúpulos, que não mereciam viver, sequer! A Terra é a nossa casa, por isso protege-a sempre, porque um ato pode fazer toda a diferença!Ben Heine, Global Warming, 2007 Nunca te esqueças: para TU estares bem, a TERRA tem de estar bem primeiro! Sê sempre uma pessoa racional. Ana Santos, 9ºB 11
  12. 12. Religião – Fonte de Conflitos? O Fundamentalismo nasceu no princípio do séculoXX, no ano de 1909, quando nos EUA foram escritos artigosprotestantes anglo-saxónica. Os movimentos religiosos quese apoiaram nestes documentos passaram a doutrina doliberalismo bíblico, que constitui, aliás, um aspeto doprotestantismo. É aqui que começa o fundamentalismo, e queatualmente ainda se verifica. O fundamentalismo estáseguro de que a sua doutrina é verdadeira e única e quetodas as outras não são válidas. As religiões monoteístas, como o judaísmo,islamismo e cristianismo são onde o fundamentalismo http://urania-josegalisifilho.blogspot.ptganha expressão e notoriedade pelo impacto das suasmanifestações. O terrorismo é uma dessas manifestaçõesde atos violentos, pois quando se acredita numa forma dereligião, não se vê nenhuma outra como verdadeira. O crescimento deste mesmo fundamentalismodeve-se ao crescimento da modernidade, quando a religiãodeixa de dar respostas e a ciência responde a váriasperguntas levando à perda de identidade religiosa. União das religiões monoteístas Na minha opinião a religião é algo que dá fé às http://profecianews.blogspot.ptpessoas e as faz acreditar na esperança e numa vidamelhor apesar de várias guerras se terem iniciado devidoà religião, mas não são as únicas fontes de guerras, poistambém nascem várias guerras por outros assuntos comodisputa de recursos naturais e pelo poder. João Fernandes, 12ºG 12
  13. 13. Imagine um mundo sem religião Por fundamentalismo compreende-se a atitude Foi no Irão que o fundamentalismo passou a ser sinónimo demental caracterizada pela defesa intransigente de violência e de destruição. No entanto, esta violência queprincípios de carácter conservador. O fundamentalismo é existe no Irão é uma violência que ocorre atualmente emum princípio presente em todas as religiões, quase todas as religiões, principalmente nas monoteístas.principalmente nas monoteístas, como por exemplo o Numa palestra dada pelo professor universitário Leandrocristianismo ou o judaísmo. Karnal, este fala-nos sobre as várias teorias existentes A expressão fundamentalista nasceu no sobre um possível mundo sem religião, sem Deus, esteCristianismo, quando um pastor Batista americano, no mundo seria, em teoria, diferente, visto que estaria livre deséculo XIX, combatia interpretações liberais da fé Batista. conflitos e estaria mais pacífico. Este acaba por discordarNesta época, esta expressão era utilizada com uma com estas teorias.conotação positiva, pois quando se era fundamentalistaera porque se ia ao fundamento da sua religião. Do meu ponto de vista, um mundo sem religião não é Há um embate entre a leitura liberal da bíblia, sinónimo de paz no mundo, pois uma grande parte dosque a aceita, por exemplo, a teoria de Darwin (os seres conflitos mundiais acontece por motivos económicos,humanos descendem dos macacos), pois acreditam que a políticos e também culturais, em países sem religião oficialevolução pode ser a forma como Deus nos criou e entre a definida.leitura literal da bíblia, que não aceitam as leituras Penso também que os revoltosos se aproveitam da religiãoliberais, porque acreditam que a bíblia deve ser lida tal para atacarem, ou seja, escondem os seus verdadeiroscomo ela está escrita. motivos e matam “em nome de Deus”. A expressão fundamentalismo abrange no século Um mundo sem religião continuaria, na minha opinião, cheioXX uma conotação mais ampla e abrangente. de conflitos, visto que é algo que se encontra entranhado na No Irão, no século XX, o fundamentalismo mente humana. Continuaria a existir a mania humana dereligioso ganha forma. Por fundamentalismo religioso impor as suas ideias sobre as dos outros , ideias estas queentende-se a manutenção e a defesa dos princípios nem sempre se encontram ligadas à religião.religiosos tradicionais e ortodoxos, como a infalibilidade Concluindo, eu creio que um mundo sem religião seria umdos textos sagrados e a sua aceitação como verdades mundo igual àquele que temos atualmente: cheio defundamentais imprescindíveis para a formação da ganância, de revolução e de ódio.consciência. Patrícia Ferreira Leite, 12 ºG 13
  14. 14. (IN)AÇÃO DA ONU No caso do Ruanda, a ONU violou os seus princípios, pois tinha-se comprometido a manter a paz e a assegurar a Durante as aulas de Geografia C fomos falando segurança, a promover a defesa dos Direitos Humanossobre as organizações internacionais, formais e não (onde está claramente explícito que qualquer indivíduoformais, na qual nos focamos na Organização das tem direito à vida), a promover e a estimular o respeitoNações Unidas (ONU), no seu papel, objetivos e atuação pelas liberdades fundamentais para todos, a funcionarnos conflitos mundiais que ameacem a paz e a como centro harmonizador das ações tomadas parasegurança internacionais. A ONU é uma organização alcançar estes propósitos, entre outros. Penso que amundial formal, da qual só podem fazer parte Estados. ONU deveria de ter intervido corretamente no Ruanda, Neste contexto visualizamos o filme Sometimes pois acho que se o tivesse feito, o genocídio que lá houvein April, cujo tema é o conflito, interno, no Ruanda, das poderia nunca ter acontecido, pelo menos poderia nãoetnias hutu e tutsi. Como já mencionei, a situação ter atingido aquelas dimensões.ruandesa era um problema interno, o que não permitia Mariana Guimarães 12ºa intervenção da ONU. Contudo, o país africano pediuajuda à organização internacional, podendo, assim, estaintervir para tentar harmonizar a situação e, já que é asua função, evitar que o conflito decorrente tomasseproporções catastróficas. Porém, a atuação da ONU foiineficaz pois esta organização tinha apenas ordem pararetirar os estrangeiros que se encontrassem no país.A atitude tomada pelas Nações Unidas foi a pior, naminha opinião, pois numa conferência, que visualizamosno filme, a ONU mostrou-nos que os interesses políticose/ou económicos podem influenciar a decisão deintervenção, o que não é correto, porqueindependentemente dos interesses (políticos e/oueconómicos, ou outros quaisquer), as Nações Unidas http://maryhelenpop.blogspot.pt/deveriam intervir num conflito, sempre que a sua ajudafosse solicitada. 14
  15. 15. Dá que Pensar … Cartoon, Carlos Rico http://www.tirinhasmemes.net Cartoon, Carlos Rico 15

×