Your SlideShare is downloading. ×
UnBFE-PEAD 2 2012
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×

Saving this for later?

Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime - even offline.

Text the download link to your phone

Standard text messaging rates apply

UnBFE-PEAD 2 2012

71
views

Published on

Apresentacao da disciplina Pesquisa em EaD 2. Semestre 2012

Apresentacao da disciplina Pesquisa em EaD 2. Semestre 2012

Published in: Education

0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
71
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
0
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. Departamento de Métodos e Técnicas Pesquisa em educação a distância Plano de curso, programa da disciplina e temática 1
  • 2. Ementa Fundamentos da pesquisa na Educação a Distância (EaD): conceitos, evolução histórica, características, componentes básicos de um sistema de EaD, a comunicação na EaD, a construção de conhecimentos em ambientes de aprendizagem on line, o projeto de pesquisa em EaD. 2
  • 3. Identificação e caracterização da disciplina Disciplina: Pesquisa em Educação a Distância-PEAD Código da disciplina: 193020 Característica: Fluxo Curricular do Curso de Pedagogia/Vinculada ao Departamento de Métodos e Técnicas (MTC)/Optativa/Presencial Duração: 60 horas aula – 4 créditos Percentual máximo de faltas p/aprovação: 25%  7 dias e meio ou 7 aulas e meia (cada aula 2 horas). Atestados/justificativas? Dias da semana: Segundas e Quartas feiras Horário: 12:00 às 13:50 horas Período letivo: 2º Sem. 2012 (29/10/12 a 27/02/13) 3
  • 4. Identificação e caracterização da disciplina: • Atividades em classe – individuais, grupos, coletivas • Ambiente/Plataforma Moodle FE-VIRTUAL: – Atividades complementares necessárias ao desenvolvimento presencial da disciplina – Código inscrição: 193020-2 2012 • Com ferramentas/recursos do Ambiente (Glossário, Fóruns, Tarefas) • Com outras ferramentas/recursos “externos” (Sites, CmapsTools) • Síncronas (em tempo real – Google Docs) • Assíncronas (não simultânea – Fóruns, Glossário) – Oferta de recursos e conteúdos (material bibliográfico, ferramentas digitais de trabalho, mídias, hipertextos) 4
  • 5. MÊS Outubro ATIVIDADE DIAS Letiva PEAD (Segundas e Quarta feiras) 29, 31 Novembro Letiva 05, 07, 19, 21, 26, 28 Dezembro Letiva 03, 05, 10, 12, 17, 19 Janeiro Letiva 07, 09, 14, 16, 21, 23, 28, 30 Letiva Encerramento 04, 06, 18, 20 27 Fevereiro Marco -Total -- --------- 5
  • 6. Objetivo geral Promover a construção de conhecimentos sobre fundamentos de educação a distância visando à elaboração de uma proposta de pesquisa avaliativa em EaD 6
  • 7. Objetivos específicos . Analisar conceitualmente educação a distância, educação aberta, educação continuada . Discutir as possibilidades da educação a distância como estratégia de enfrentamento dos problemas educacionais em larga escola . Situar historicamente o desenvolvimento da educação a distância em suas diferentes modalidades . Analisar recursos de educação a distância confrontando os pressupostos teóricos desta área de conhecimento com as características técnico-pedagógicas expressas nos mesmos 7
  • 8. Objetivos específicos • Promover a reflexão crítica sobre a teoria e a prática da pesquisa em educação a distância e a construção do conhecimento em EaD • Propiciar a iniciação em conhecimentos de análises sistematizadas sobre pesquisa em educação a distância, compreendendo os conceitos, processos e aspectos práticos envolvidos • Contextualizar o conhecimento, vivenciando-o em algumas atividades da disciplina num ambiente de EaD, aplicativos e recursos disponíveis na web • Contribuir com a elaboração da proposta de pesquisa avaliativa em EaD 8
  • 9. Programa do curso • INTRODUÇÃO AO CURSO, AO PROGRAMA E A TEMÁTICA • UNIDADE I – A EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA. FUNDAMENTOS BÁSICOS - Conceitos, história e contexto atual no Brasil e no mundo. Quadro normativo: regulamentação no Brasil. Características tecnológicas e pedagógicas da EaD (comunicação, interatividade, mediação). Indicadores de qualidade em EaD. Elementos essenciais a um projeto em EaD • UNIDADE II – A EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA E A CONSTRUÇÃO DO CONHECIMENTO NA SOCIEDADE DA INFORMAÇÃO - Modos de conhecer na sociedade da informação. A aprendizagem continuada ao longo da vida 9
  • 10. Programa do curso • UNIDADE III - ELEMENTOS BÁSICOS DA PESQUISA E ATIVIDADES EM EaD - Oficinas tecnológicas: de organização semântica, de representação visual, de hipermídias, de autoria e colaborativas. Ambientes de EaD. Análise comparada. Metodologias em EaD • UNIDADE IV – TÓPICOS ESPECIAIS - Direitos autorais em TIC. Tecnologia na educação. Portáteis na educação • PROPOSIÇÃO DE PESQUISA AVALIATIVA EM EaD - Elaboração e apresentação do projeto de pesquisa avaliativa 10
  • 11. 11
  • 12. Estratégias didático-pedagógicas 1. Desenvolvimento do curso com metodologia participativa em encontros presencial semanal e no ambiente de aprendizagem virtual, privilegiando a interação, o diálogo, a construção de conhecimento individual e coletivo, a pesquisa, a cooperação e a reflexão-na-ação 12
  • 13. Estratégias didático-pedagógicas 2. Ênfase nas discussões em classe, debates, experimentações, trocas de informações que resultem em questionamentos críticos e aprendizagens reconstrutivas, colaboração entre pares, registros e divulgação dos novos conhecimentos 13
  • 14. Estratégias didático-pedagógicas 3. Utilização de recursos diversos disponíveis – educacionais e tecnológicos, além de fontes complementares para o enriquecimento de fundamentação teórico-prática 14
  • 15. Avaliação •Freqüência de 75% da carga horária é determinante à aprovação de acordo com regulamento da UnB e legislação educacional •Link para pontuação das atividades: 15
  • 16. Demandas gerais dos trabalhos e dos temas do trabalho final • Leitura prévia dos textos para as discussões em classe • Participação na criação de documento coletivo (Google Docs) • Participação nos fóruns de discussão no FE-Virtual • Participação na elaboração do glossário de termos, temas, siglas relacionados ao vocabulário na disciplina • Criação de sites individuais como repositório • A escolha de subárea em EaD de uma experiência ou objeto a ser enfocado para o trabalho final, que deverá ser definida pelo aluno. 16
  • 17. Bibliografia BELLONI, Maria Luiza. Educação a distância. Campinas, SP: Autores Associados BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação a Distância. Indicadores de qualidade para cursos de graduação a distância ____. Secretaria de Educação Superior. Comissão Assessora para Educação Superior a Distância. Relatório. Agosto 2002 DESAFIOS da educação a distância na formação de professores. Secretaria de Educação a Distância. Brasília KENSKI, Vani Moreira. Tecnologias e ensino presencial e a distância. Campinas, SP: Papirus 17
  • 18. Bibliografia LITTO, Fredric M.; FORMIGA, Marcos (org). Educação a distância: o estado da arte. São Paulo: Pearson Education do Brasil MOORE, Michael; KEARSLEY, Greg . Educação a distância: uma visão integrada. São Paulo: Thomas Learning MORAES, Maria Candida (org). Educação a distância: fundamentos e práticas. Campinas, SP: Unicamp/NIED NEVADO, Rosane Aragón de; CARVALHO, Maria Jane Soares; MENEZES, Crediné Silva de (org). Aprendizagem em rede na educação a distância: estudos e recursos para a formação de professores. Porto Alegre: Ricardo Lenz VALENTE, José Armando; ALMEIDA, Maria Elizabeth Bianconcini de (org). Formação de educadores a distância e integração de mídias. São Paulo: Avercamp 18
  • 19. Iniciação à temática - Educação a distância - Educação continuada - Educação aberta - Universidade aberta - Universidade corporativa 19
  • 20. Iniciação à temática Educação a distância = Teleducação E uma modalidade de educação em conformidade com a LDB, na qual o aprendiz não necessita estar fisicamente presente em um ambiente formal de ensino/aprendizagem, podendo fazer seus estudos em tempo distinto, dizendo ainda a respeito da separação temporal e espacial entre o professor ou tutor e o estudante 20
  • 21. Iniciação à temática • Educação continuada consiste da educação que se realiza ao longo da vida (lifelong learning), ou seja, continuamente • Educação aberta é o movimento que propugna que o conhecimento deve ser livre, gratuito e aberto para uso e re‐uso, acessível a todos. Ex.: MIT (Open Courseware); Academic Earth; YouTube; TEDx • Universidade aberta é entendida como universidade a distância, que atende a camadas da população que tem dificuldade de acesso à formação universitária 21
  • 22. Iniciação à temática • Educação / universidade corporativa. Universidade empresarial Oferece cursos técnicos específicos para os colaboradores da corporação / empresa Os cursos são customizados exatamente de acordo com as políticas e estratégias das empresas / corporações Exemplos: Correios, Infraero, Natura 22
  • 23. Iniciação à temática • • • • História Contexto atual: EaD no mundo e no Brasil Quadro normativo: regulamentação Elementos essenciais de um projeto de curso a distância: – Tecnológicos – Pedagógicos – Outros fatores • O professor como mediador na EaD • Oficinas tecnológicas 23
  • 24. Iniciação à temática PESQUISA • A pesquisa sobre um problema depende de fontes de informação sobre o mesmo • As informações provêm de: – Observações e experimentações – Reflexões pessoais – De pessoas-fontes – Acervo de conhecimentos reunidos em documentos e bibliografias 24
  • 25. Iniciação à temática PESQUISA • Pesquisa experimental – Parte de um fenômeno delimitado – Recorre-se à experiência, a experimentação do fenômeno – Designadas de: a) teórica ou básica; b) aplicada; c) descritiva; d) analítica; e) quantitativa ou qualitativa; f) monométicas – Designadas pelo método de abordagem analítica: a) comparativa; b) histórica; c) funcional; d) estrutural; e) sistêmica; f) dialética; ou então pelos objetivos específicos: a) clínica; b) pesquisa intervenção 25
  • 26. Iniciação à temática PESQUISA • Pesquisa qualitativa – Parte do fundamento de que há relação dinâmica entre o mundo real e o sujeito, entre mundo objetivo e a subjetividade do sujeito – Não se reduz a um rol de dados isolados conectados a uma teoria, o sujeito-observador é parte integrante e o objeto está possuído de significações e relações que sujeitos concretos criam em suas ações – As principais orientações estão presentes em correntes como a fenomenologia e a dialética 26
  • 27. Iniciação à temática PESQUISA • O processo de pesquisa é um conjunto de operações sucessivas e distintas, mas interdependentes • É um trabalho complexo que reúne diferentes competências (revisar literatura, escrever, sistematizar e analisar), organização pessoal e o domínio de técnicas específicas (documentação, instrumentos de pesquisa) • A organização de uma pesquisa pode ser dividida em fases e etapas de trabalho, em geral: 1) a determinação do problema; 2) a organização da pesquisa; 3) execução da pesquisa de campo; 4) redação do texto 27
  • 28. CONHECIMENTO. O QUE E O CONHECIMENTO? Conhecimento é a relação que se estabelece entre Sujeito que conhece e o objeto a ser conhecido (Aranha & Martins) Conhecimento também se refere ao produto, ao resultado do conteúdo desse ato, ou seja, do saber adquirido e acumulado pelo homem O Conhecimento tem uma especificidade inerente que o liga a História em sua estrutura e conjunturas e que é, em cada época, manifestado em seu sentido de diferentes maneiras 28
  • 29. “O Conhecimento é uma construção cultural (portanto, social e histórica) e a Escola (como veículo que o transporta) tem um comprometimento político de caráter conservador e inovador que se expressa também no modo como esse mesmo Conhecimento é compreendido, selecionado, transmitido e recriado.” Mario Sergio Cortella A escola e o conhecimento: fundamentos epistemológicos e políticos 29
  • 30. Característica do conhecimento como uma construção cultural: “Ninguém nasce sabendo.” “O bem de produção imprescindível para a nossa existência é o conhecimento” Impossibilidade humana de esgotar o processo de conhecimento. Quanto mais se sabe, mais se ignora (“Sei que nada sei.” máxima de Sócrates) • Conhecimento não deve ser reduzido a sua modalidade científica, pois existem outras modalidades (religioso, afetivo, estético etc.) 30
  • 31. A intuição (a visão súbita, o conhecimento imediato) como ponto de partida da construção do conhecimento 31
  • 32. Conhecimento pós-moderno . Produção e uso intensivo do conhecimento baseado em ciência e tecnologia . Provisoriedade do conhecimento “Certezas provisórias, dúvidas temporárias” . Inova quem sabe primeiro inovar-se . Saber pensar e aprender a aprender . Sabedorias coletivas . Todo conhecimento é local e total (local e global) . Todo conhecimento visa constituir-se em senso comum 32
  • 33. A objetividade do conhecimento numa epistemologia crítica deve ser incorporada na própria trama teórica. Foi nessas condições que puderam desenvolver-se a teoria da relatividade e a mecânica quântica 33
  • 34. “Armada de todos os poderes, gozando de todas as riquezas que devem à Ciência, nossas sociedades ainda tentam viver e ensinar sistemas de valores já destruídos na raiz por essa mesma ciência.” Jacques MONOD. O acaso e a necessidade. 1970, p. 189 34
  • 35. Definição clássica de conhecimento de Platão: “O conhecimento consiste de crença verdadeira e justificada.” 35 http://pt.wikipedia.org/wiki/Conhecimento
  • 36. Iniciação à temática: modos de conhecer / critérios de verdade Modos Critérios de verdade Mito Objetivação Metodologia Relação sujeito-objeto A fé, a crença Dogmatismo, doutrinamento e proselitismo Experiência pessoal Relação Suprapessoal, onde a Revelação do Sagrado se revela de modo sobrenatural ao profano através do rito (dramatização do mito, através da liturgia religiosa) Filosofia A razão A razão discursiva A dialética (discurso) Relação transpessoal onde a palavra diz as coisas. O mundo se manifesta pelos fenômenos e é dizível através do logos Senso comum Cultura ética e moral A tradição oral As crenças silenciosas (ideologias) Relação interpessoal, onde a ideologia é estabelecida pelas idéias dominantes e pelos poderes estabelecidos. Arte A estética Esteticismo = A subjetividade do artista e do contemplador (observador) da arte O gosto Relação pessoal, onde a criatividade e a percepção da realidade do autor e a interpretação e sensibilidade do observado Ciência Experimentação Objetividade Comprovação de uma determinada tese de modo objetivo A observação Relação "impessoal", a isenção do cientista diante de sua pesquisa: O mito da neutralidade científica 36 Vanderlei de Barros Rosas. Afinal o que é conhecimento.http://www.mundodosfilosofos.com.br/vanderlei22.htm
  • 37. Iniciação à temática: Conhecimento. Modos de conhecer Categoria Descrição Sensorial: É o conhecimento comum entre seres humanos e animais. Obtido a partir de nossas experiências sensitivas e fisiológicas (tato, visão, olfato, audição e paladar). Intelectual Esta categoria é exclusiva ao ser humano; trata-se de um raciocínio mais elaborado do que a mera comunicação entre corpo e ambiente. Aqui já pressupõe-se um pensamento, uma lógica. Vulgar /popular É a forma de conhecimento do tradicional (hereditário), da cultura, do senso comum, sem compromisso com uma apuração ou análise metodológica. Não pressupõe reflexão, é uma forma de apreensão passiva, acrítica e que, além de subjetiva, é superficial Científico Busca pela apuração e constatação. Busca por leis e sistemas, no intuito de explicar de modo racional aquilo que se está observando. Não se contenta com explicações sem provas concretas; seus alicerces estão na metodologia e na racionalidade. Análises são fundamentais no processo de construção e síntese que o permeia, isso, aliado às suas demais características, faz do conhecimento científico quase uma antítese do popular. Filosófico Ligado à construção de idéias e conceitos. Busca as verdades do mundo por meio da indagação e do debate; do filosofar. Portanto, de certo modo assemelha-se ao conhecimento científico, por valer-se de uma metodologia experimental , mas dele distancia-se por tratar de questões imensuráveis, metafísicas. A partir da razão do homem, o conhecimento filosófico prioriza seu olhar sobre a condição humana Teológico Conhecimento adquirido a partir da fé teológica, é fruto da revelação da divindade. A finalidade do teólogo é provar a existência de Deus e que os textos bíblicos foram escritos mediante inspiração Divina, devendo por isso ser realmente aceitos como verdades absolutas e incontestáveis. A fé pode basear-se em experiências espirituais, históricas, arqueológicas e coletivas que lhe dão sustentação Intuitivo Inato ao ser humano, o conhecimento intuitivo diz respeito à subjetividade. Às nossas percepções do mundo exterior e à racionalidade humana. Manifesta-se de maneira concreta quando, por exemplo, tem-se uma epifania. 37 http://pt.wikipedia.org/wiki/Conhecimento
  • 38. “A definição mesma do conhecimento „verdadeiro‟ repousa, em última analise, num postulado de ordem ética.” Jacques MONOD. O acaso e a necessidade. 1970, p. 191 38
  • 39. Pedro Ferreira de Andrade E-mail: f.pedro.a@gmail.com Blog: http://pesquisa-educao-a-distancia.blogspot.com/ FE-Virtual - http://fe-virtual.fe.unb.br/ Código de inscrição: 193020-2 2012 39