Síntese dos processos (formação & avaliação)
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

Síntese dos processos (formação & avaliação)

on

  • 581 views

 

Statistics

Views

Total Views
581
Views on SlideShare
581
Embed Views
0

Actions

Likes
0
Downloads
3
Comments
0

0 Embeds 0

No embeds

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Microsoft PowerPoint

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

Síntese dos processos (formação & avaliação) Síntese dos processos (formação & avaliação) Presentation Transcript

  • PROJETOUM COMPUTADOR POR ALUNOUCA UMA VISÃO SINTÉTICA DOS PROCESSOS DE Formação & Avaliação 1
  • “A cura óbvia para as trágicas deficiências da intuição humana em ummundo de tecnologia avançada é a educação. E isso traz prioridades para apolítica educacional: dar aos estudantes as ferramentas cognitivas que são mais importantes para compreender o mundo moderno e que muito provavelmente não são as ferramentas cognitivas que já nasceram com eles.”Steven Pinker (*), 2004. Tábula rasa: a negação contemporânea da natureza humana, Companhia de Letras, p. 324 (*) Steven Pinker é professor de psicologia em Harvard e foi diretor do Centro de Neurociência Cognitiva do MIT 2
  • FORMAÇÃO 3
  • DESENHO DA FORMAÇÃOGrupo• Beatriz Corso Magdalena – UFRGS• Iris Elisabeth Tempel Costa - UFRGS• Maria Elisabette Brisola Brito Prado - UNICAMP• Maria Elizabeth Bianconcini de Almeida - PUC/SP• Maria Helena Cautiero Jardim - UFRJ• Mauro Cavalcante Pequeno – UFC• Pedro Ferreira de Andrade - SEED/MECCoordenação• Pedro Ferreira de Andrade - SEED/MEC 4
  • Formação UCA: prolegômenos• Fundamentada em modelos científicos que fornecem novos enfoques epistemológicos dos quais se abstraem os princípios e as práticas educacionais, esta articulada aos objetivos sócio-educacionais, aos componentes curriculares, às experiências individuais e coletivas, às estratégias pedagógicas e das diferentes mídias entre si, e ainda às características das instrumentações• Uso das instrumentações e técnicas disponíveis para fomentar atividades cognitivas e atitudes capazes de promover o pensamento diversificado, aberto ao enfoque na aprendizagem, à interdisciplinaridade do conhecimento e à contextualização• Opção por aplicações técnicas que ativem o pensamento de forma significativa e contextualizada tanto por atividades que sejam proporcionadas pelos formadores quanto pelos educadores• Uso das ferramentas e técnicas para: representar o que a pessoa sabe; produzir aplicações próprias (autoria); apoiar a reflexão sobre as aplicações; pensar criticamente sobre a utilização das aplicações; questionar ou realizar intervenções alternativas de reconstrução no seu contexto, em sua realidade 5
  • Formação UCA: prolegômenos• Formação única, aprovada pelo MEC/SEED, mas que não impõe um modelo de aplicação, pré-formatado, para ser executado fielmente por todas as escolas UCA• Oferta de elementos numa lista de opções tecnológicas, científicas, metodológicas e artísticas que possibilite ser contextualizadas em trajetórias próprias, a serem reconstruídas na ação em sala de aula ou na gestão de cada escola, de cada realidade, contexto• O curso UCA “Formação Brasil” foi implantado no ambiente colaborativo de aprendizagem e-Proinfo, para possibilitar o desenvolvimento de ações tanto presenciais como a distância• Inovar é uma condição presente na concepção da formação, nos conhecimentos a serem trabalhados e nas sugestões de práticas pedagógicas e de gestão. Será um processo continuado em serviço, sem a necessidade do Professor ou Gestor se ausentar da sua escola, onde a apropriação dos diversos recursos tecnológicos será intercalada com momentos de utilização dos mesmos em práticas com alunos ou no trabalho coletivo na escola, registro e reflexão dos processos e resultados, tendo como base as teorias sobre o uso das Tecnologias de Informação e Comunicação (TIC) 6
  • Formação UCA: prolegômenos• O e-Proinfo possibilita o apoio à aprendizagem, disponibilizando uma infraestrutura tecnológica que permite o compartilhamento de conteúdos e ações colaborativas e cooperativas em rede de pessoas. O ambiente se integra aos sistemas e repositórios de conteúdos educacionais digitais e aos portais do Ministério da Educação, desenvolvidos e mantidos pela Secretaria de Educação a Distância (MEC/SEED)• Experiência de aprender a distância e a participar das dinâmicas em rede de contínuas trocas de conhecimento entre os diversos grupos da formação UCA, e o caminhar por trilhas para se apropriar de elementos metodológicos presentes em vivências pedagógicas com suportes tecnológicos digitais, visando o desenvolvimento de competências educacionais que permitirão planejar situações de aprendizagem para os alunos e a gestão do uso de tecnologias nas escolas UCA• À medida que se apropriem e fizerem escolhas e testagens das opções ofertadas, reconstruirão a sua própria ação pedagógica em sua realidade, em seu contexto, criando e inventando outros usos e outras aplicações. Com isso, poderão chegar ao desenvolvimento de práticas inovadoras 7
  • Objetivos da formação• Estruturar uma rede de formação, de acompanhamento e apoio às práticas pedagógicas, com o uso do laptop educacional nas escolas• Qualificar professores das escolas públicas participantes do piloto do Projeto UCA para o uso do laptop educacional em práticas que privilegiem a aprendizagem baseada na construção cooperativa do conhecimento, em consonância com as especificidades das propostas curriculares de suas escolas.• Criar uma cultura de redes cooperativas, intra e inter escolas, com o uso de tecnologias digitais, favorecendo a autonomia, o aprofundamento e a ampliação do conhecimento sobre a realidade contemporânea. 8
  • Objetivos da formação• Contribuir na construção da proposta político- pedagógica das escolas, aproveitando as possibilidades do laptop educacional, as estratégias pedagógicas inovadoras, respeitando a diversidade das comunidades e a consciência do papel da escola no desenvolvimento da inteligência dos seus membros, com consequentes mudanças em sua participação crítica e ativa na sociedade• Contribuir com a inserção de uma prática inovadora do uso das tecnologias educacionais nos cursos e programas de formação inicial e continuada de professores. 9
  • Pressupostos que norteiam a formação• O papel das tecnologias digitais na sociedade e suas implicações nos modos de pensar e agir• Comprometimento com a dimensão pública da escola como espaço formal de aprendizagens, visando à inclusão digital e social das classes menos favorecidas• Aproveitamento da pluralidade cultural, construtora de diferentes visões de mundo• Respeito à autonomia na organização curricular, considerando as características e experiências específicas dos alunos e professores assim como as necessidades de construção de conhecimento científico 10
  • Pressupostos que norteiam a formação• Interrelação entre as práticas pedagógicas e as teorias que as fundamentam• Visão da instituição escolar como uma organização aprendente, que se desenvolve e se reestrutura• Papel do professor como mediador do conhecimento e criador de condições favoráveis ao desenvolvimento dos processos de aprendizagem dos alunos• Papel de liderança dos gestores na articulação da comunidade escolar e no apoio à utilização inovadora das tecnologias digitais, promovendo as adaptações dos espaços e dos tempos da sala de aula, bem como do projeto político-pedagógico da escola 11
  • Condições necessárias à formação na escola• Laptop para todos os gestores, professores e alunos• Existência de infraestrutura de conectividade wireless que assegure o acesso simultâneo dos alunos, de um turno, à internet• Envolvimento efetivo das diversas instâncias do sistema de ensino para viabilizar a implantação do processo de reestruturação dos tempos e espaços escolares• Garantia de tempo, nos planejamentos dos professores, para que possam realizar a formação em serviço• Formadores (IES e NTE/NTM) com disponibilidade para trabalhar em parceria com os professores e gestores, tanto no ambiente físico da escola, quanto nos ambientes virtuais• Disponibilização de um ambiente virtual de aprendizagem estável, capaz de abrigar várias turmas, acessos simultâneos, recursos de interação e espaço para publicações e ferramentas de gestão. 12
  • Estratégias de implementação da formação• Encontros Nacional e Regionais com gestores estaduais e municipais de educação e representantes de instituições colaboradoras para divulgar o Projeto UCA e obter adesão• Formação de forma descentralizada e em redes• Utilizar, quando pertinente, os conteúdos e capacitações dos programas da SEED/MEC: Proinfo Integrado, Portal do Professor, TV Escola, Banco Internacional de Objetos Educacionais, Portal Domínio Público, além dos desenvolvidos por IES, secretarias estaduais e municipais de educação• Utilizar o ambiente virtual de aprendizagem e-Proinfo como espaço de trabalho e trocas entre os participantes dos projetos e entre as equipes formadoras das universidades e NTE/NTM 13
  • Estratégias de implementação da formação• Explorar o potencial pedagógico de recursos do laptop educacional para trabalhar, em espaços dentro e fora da escola, com diferentes linguagens e mídias• Utilizar as ferramentas interativas disponíveis na web 2.0• Respeitar os diferentes níveis de apropriação tecnológica dos professores e gestores• Desenvolver movimentos e processos de cooperação e solidariedade• Trabalhar, concomitantemente, com ações disciplinares e interdisciplinares, tendo como ponto de partida tanto os interesses dos alunos quanto a intencionalidade pedagógica dos professores 14
  • Estrutura geral de operacionalização (descrição)• O processo de formação envolve os seguintes grupos: – Equipes de Formação e Pesquisa, compostas de professores- pesquisadores das IES Globais, constituídas por 10 docentes[1] integrantes do Grupo de Trabalho de Assessores Pedagógicos do Projeto Um Computador por Aluno – GTUCA – Grupo de Formação (desenho e acompanhamento da formação), constituído por 6 consultores especialistas da área e um representante do SEED/MEC – Equipes de Formação destinadas a atuarem junto às escolas piloto. compostas por professores de IES Locais e multiplicadores dos NTE/NTM – Professores e gestores das escolas UCA e gestores UCA dos sistemas de ensino – Alunos-monitores [1] Divanizia Souza – UFS, José Armando Valente – Unicamp, Léa Fagundes- UFRGS, Maria Elizabeth B. de Almeida – PUC/SP, Maria Helena C. Horta Jardim – UFRJ, Mauro Cavalcante Pequeno – UFC, Paulo Gileno Cysneiros - UFPE, Roseli 15 de Deus Lopes – USP; Simão Pedro P. Marinho – PUC Minas, Stela Piconez – USP
  • ESTRUTURA GERAL DE OPERACIONALIZAÇÃO DA FORMAÇÃO MEC/SEED - GTUCACoordenação, orientação IES Global (9) Equipes de formadores (90) IES Local (18) + NTE (?) Informação, Formação, informação Informação Formação, informação Informação Equipes de formadores (144+ ?) Escolas (300 ) Curso presencial (na escola) + a distância, com reuniões presenciais (7,2 mil profissionais) 16
  • FORMAÇÃO UCA Gestores Professores Aluno monitor Equipe de formadores Escola Escola Equipe de formadores IES Local + NTE Coordenação e IES globais orientação MEC-SEED MEC-SEED 17
  • Composição das diferentes equipes formadoras 18
  • Rede estrutural do processo de formação Esta rede liga os diversos grupos, produzindo movimentos contínuos de troca, que possibilitarão o desenvolvimento das ações e os ajustes necessários ao processo de formação 19
  • As nove (9) equipes de formação e pesquisa(IES-Globais) envolverão vinte e sete (27) Estrutura organizacional da formaçãoIES Locais que atuarão, em colaboraçãocom os NTE/NTM, de modo a implantar aproposta de formação para o uso do laptopeducacional em trezentas (300) escolasTodos os Estados estarão,simultaneamente, cobertos por equipes deformadoresO processo de formação inicia com apreparação dos grupos das nove (9) equipesdas IES Globais, compartilhando ospressupostos do Projeto UCA e a proposta deapropriação tecnológica e pedagógica dolaptop educacionalEm seguida, o processo de formação seestende para o grupo de formadores dasIES Locais e NTE/NTM que estarão ligadosdiretamente com a ação nas escolas 20
  • Beneficiários da formação• 90 Profissionais das equipes das IES global• 144 Profissionais das equipes das IES locais• 300 Escolas UCA• 600 (?) Professores multiplicadores (média de dois professores por NTE/NTM)• 6.000 Professores (média de 20 professores/escola)• 900 Profissionais das equipes gestoras das escolas (diretor, coordenador, supervisor)• 300 Profissionais das equipes gestoras de sistemas estaduais e municipais de ensino 21
  • Estrutura organizacional da formação 22
  • Estrutura organizacional da formação• Modalidade: Formação em serviço (formação continuada de professores e equipes gestoras das escolas vinculadas ao Projeto UCA)• Estrutura: Modular – Módulo é entendido como uma unidade de ensino/aprendizagem de curta duração, centrada no desenvolvimento de competências e de conhecimentos – Nessa estrutura, serão oferecidos alguns módulos obrigatórios e outros opcionais de modo que as escolas, em parceria com as instituições formadoras, possam escolher um elenco de módulos que se ajustem a sua realidade escolar 23
  • Estrutura organizacional da formação• A proposta apesar de ter sido idealizada para um trabalho continuado por dois anos, poderá ser executada em – 1 ano (letivo) = tempo mínimo para que os educadores adquiram as competências para operar com os recursos das tecnologias digitais disponíveis na escola, em direção à inovação das práticas pedagógicas e da melhoria da aprendizagem dos alunos. Deverá ser proporcionado nesta condição em 2 etapas: – Etapa 1 – Composta por cinco (5) módulos obrigatórios: • Compreensão da Proposta UCA • Apropriação dos recursos do laptop • Inovação pedagógica no uso das tecnologias digitais • Atualização do PPP da escola, para incluir as tecnologias digitais • Socialização da proposta UCA da escola – Etapa 2 – Módulos opcionais (oficinas) adicionados em função das necessidades e interesses das escolas. Esse conjunto constituirá o “Kit Personalizado de Formação” 24
  • Dimensões organizacionais da formaçãoTeórica - Articulação das teorias educacionais aos usos do laptop em diferentescontextos e à reconstrução das práticas pedagógicas e de gestãoTécnica - Conhecimento e apropriação das funcionalidades e dos recursos tecnológicosexistentes no laptop e associados ao processo de formaçãoPrática - Uso do laptop nos processos de ensinar e aprender e de gestão no âmbito daescola e da comunidade 25
  • Estrutura organizacional da formação• Os módulos prevêem a vivência de pequenas ações pedagógicas com uso de tecnologias digitais, visando desenvolver nos professores e gestores competências tecnológicas e pedagógicas que lhes permitirão planejar situações de aprendizagem para os alunos• Esse fazer será acompanhado de forma contínua, permitindo reformulações ao longo do processo• Os resultados dessas vivências serão socializados em seminários regionais, como sugestões de alternativas que se constituirão na matéria-prima para a reconstrução / reformulação dos projetos político- pedagógicos das escolas. 26
  • Estrutura organizacional da formação• Em todos os níveis, as ações de formação terão flexibilidade de modo a respeitar: – Diversidades organizacionais das agências formadoras e dos grupos de formação – Diferentes comunidades escolares – Variedade de situações de trabalho – Organizações curriculares próprias das escolas – Diferenças entre os professores no domínio dos conteúdos das áreas de conhecimento – Diferentes apropriações e familiarizações com as tecnologias digitais – Diversidade dos estilos pedagógicos dos professores – Especificidades de cada área de conhecimento 27
  • Estrutura organizacional da formaçãoEm síntese,pretende-se possibilitar que cada uma das oito (9)equipes de formação e pesquisa das IES Globais,juntamente com cada IES Local e NTE/NTM afetos,configurem um plano de formação, com suasações ajustadas às possibilidades dosformadores, dos professores e gestores emformação, tendo como eixo central os interesses dasescolas participantes 28
  • Plano de desenvolvimento da formação: esquemas descritivos das ações 29
  • AÇÃO 1 - FORMAÇÃO DOS FORMADORES FORMAÇResponsável: Grupo de Formação e AcompanhamentoParticipantes: equipes de formação e pesquisa das IES GlobaisObjetivo: preparar a equipe de formadores e pesquisa das IES Globais para realizar a Ação 2 que compreende a preparação das IES Locais,das SE e dos NTE/NTM, para o desenvolvimento da formação na escola, o acompanhamento, a orientação e a avaliação do Projeto UCA.Duração: 80 h sendo 48h para a fase inicial e 32h da fase continuadaMaterial de apoio: documentos do projeto e curso implantado no e-Proinfo para o desenvolvimento das ações 3 e 4. Tema Objetivos Prazos Conhecer os princípios, pilares e metas do projeto UCA. Projeto UCA Propiciar a integração entre as equipes da IES 4h presenciais Local, da SE e do NTE para o trabalho conjunto; Explorar o sistema do laptop computacional e 16hFormação os softwares disponíveis; a plataforma presenciais inicial Apropriação tecnológica computacional e-proinfo. Explorar 12h pedagogicamente as ferramentas interativas a distância da Web 2.0 Conhecer o curso implementado no e-proinfo; Organizar as ações de preparação conforme o 8h Planejamento da formação de Projeto UCA e design do curso presenciais gestores e professores Organizar as ações de preparação conforme 8h projeto UCA e design do curso; a distância Negociar na escola o cronograma do curso. Acompanhar, orientar e identificar demandas 24h (em torno Acompanhamento e avaliação da emergentes e intervenções apropriadas para o de 20% das 120h ação da IES Locais e NTE/NTM na desenvolvimento da formação; da ação 2) ao formação da escola Participar da construção da rede colaborativaFormação continuada na longo doCurso de formação.ação Identificar mudanças, avanços e dificuldades para subsidiar a criação de um referencial da Sistematização 8h 30 disseminação da formação na nova etapa do projeto UCA;
  • AÇÃO 2 - FORMAÇÃO DA IES LOCAL FORMAÇResponsável: Equipes de Formação e Pesquisa das IES GlobaisParticipantes: equipes da IES Local e do NTE/NTMObjetivo: preparar equipe de formadores da IES Local, da Secretaria de Educação – SE e do NTE/NTM para o desenvolvimento da formaçãona escola.Duração: 120h sendo 70h para a fase inicial e 50h longo de todo o processo de formaçãoMaterial de apoio: documentos do projeto e curso implantado no e-Proinfo (ação 3 – escola e ação 4 - gestores) Tema Objetivos Prazos Propiciar a integração entre as equipes da IES Local, da SE e do NTE para o trabalho conjunto; 4h Projeto UCA Conhecer os princípios, pilares e metas do presenciais projeto UCA. Explorar o sistema do laptop computacional e os 20h softwares disponíveis, a plataforma presenciais Apropriação tecnológica computacional e-proinfo. Explorar 20hFormação inicial pedagogicamente as ferramentas interativas da a distância Web 2.0 Definir os papéis dos formadores em consonância Planejamento da com os princípios e metodologia do Projeto UCA; 8h presenciais formação de gestores e Conhecer o curso implementado no e-proinfo; 18h professores Organizar as ações de preparação conforme a distância projeto UCA e design do curso; Negociar na escola o cronograma do curso. Acompanhar, orientar e identificar demandas Acompanhamento e emergentes e intervenções apropriadas para o avaliação da ação da IES desenvolvimento da formação; 42h ao longo do curso Local e NTE na formação da escola Participar da construção da rede colaborativa deFormação continuada formação. Identificar mudanças, avanços e dificuldades para subsidiar a criação de um referencial da Sistematização 8h disseminação da formação na nova etapa do projeto UCA; 31
  • AÇÃO 3 - FORMAÇÃO DA ESCOLA FORMAÇResponsável: Equipes da IES Locais e do NTE/NTMParticipantes: professores e gestoresObjetivos: preparar a equipe de professores e gestores das escolas para o uso pedagógico inovador das tecnologias digitais e favorecer aestruturação de redes cooperativas.Duração: 180h – presencial e a distânciaMaterial de apoio: documentos do projeto, curso implantado no e-Proinfo; siteseducacionais, como o Portal do professor; material Salto para o Futuro Tema Objetivos Prazos Projeto UCA Conhecer os princípios, pilares e metas do projeto UCA. 4h presenciais Apropriação tecnológica Explorar o sistema do laptop educacional, os softwares disponíveis, o ambiente virtual de aprendizagem (AVA) e-Proinfo e os recursos da 24 presenciais web 2.0. e 48h a distância Aprender a usar os recursos do laptop, outras mídias e os recursos da web 2.0. a partir da vivência de práticas pedagógicas inovadoras Planejamento das ações na escola Estabelecer parcerias internas e externas. Selecionar e planejar diferentes práticas pedagógicas, usando as 8h tecnologias digitais tanto do laptop quanto do laboratório de presenciais e 20h a informática. distância .Implementação das ações Implementar, na escola, as práticas pedagógicas e de gestão 48h a distância planejadas pelos professores e gestores distribuídas em 6 a 8 semanasSistematização das ações Analisar os resultados das práticas e das ações de reestruturação 28h a distância dos tempos e espaços escolares; socializar os resultados com outras escolas UCA; elaborar o Projeto UCA para o próximo ano. 32
  • FORMAÇÃO DA / NA ESCOLA Módulos 1 2 3 3 4 5GESTÃO DA ESCOLA E GESTÃO DO PROCESSO DE ENSINO E APRENDIZAGEM COM LAPTOP EDUCACIONAL 33
  • Detalhes do design da formação dos professores 34
  • Detalhes do design da formação dos gestores 35
  • IES da formação da 1ª entrega laptops nas escolas , NTE e Escolas• CE – UFCE – Mauro Pequeno & José Aires – NTE – Escolas (9)• DF – UnB – Lucio França Teles & ___ – NTE – Escolas (5)• MG – PUC Minas – Simão Pedro & Lucila Ishitani – NTE – Escolas (UCA Total = 7)• PE – UFPE – Paulo Cysneiros & Sergio Abranches – NTE – Escolas (10)• PR – UFPR – Alexandre Direne – NTE – Escolas (UCA Total = 5)• RJ – UFRJ – Maria Helena & Franklin – NTE – Escolas (9)• RS – UFRGS – Léa Fagundes & Marcus Basso – NTE – Escolas (14)• SE – UFS – Divanízia & Anne Lima – NTE – Escolas (1 CA + 11 UCA Total = 12)• SP – PUC/SP, Unicamp, USP - Beth&Graça, Valente&Cecília, Roseli&Irene – NTE – Escolas (6)• TO – UFTO – Marilene Ferreira & George – NTE – Escolas (3) 36
  • Resumo40 horas – UCA + Apropriação tecnológica (Compreensão da proposta UCA+recursos do laptop+familiarização com o e-proinfo) Grupo de Formação + Equipe UFC30 horas – Recursos Web 2.0 Beatriz Magdalena + Iris Costa + Equipe UFC40 horas – Formação na escola (Professor e Gestor) Beth Alemida + Bette Prado40 horas – Elaboração de projetos+apresentação Beth Alemida + Bette Prado + Grupo de Formação___150 horas 30 horas – Oficinas (opcionais)___180 horas – Total 37
  • Avaliação e certificaçãoAVALIAÇÃOA avaliação do cursista nas modalidades processual e somativa, contando-se asproduções efetivadas, participações nas atividades, registros, presencial e adistância, além da participação cooperativa da proposta final de ação pedagógica, aformulação do projeto UCA da escola com os demais agentes educacionais. Aesse conjunto se somará a auto-avaliaçãoNa avaliação dos resultados da formação deverão ser levados em conta diversosaspectos relativos à implementação do laptop na escola que envolvem mudanças, aserem auferidos pela equipe de avaliação do Projeto UCACERTIFICAÇÃOA certificação será de responsabilidade das IES locais, levando-se emconsideração as recomendações e as competências descritas na proposta deformação 38
  • PLANO DE AÇÃO DA FORMAÇÃO NO E-PROINFO - MODELOSobre a Estrutura Administrativa do CursoEntidade, Curso, Módulos e Turmas dentro do e-Proinfo. À entidadeUCA liga-se o curso Formação Brasil, e a este os módulos inseridosaos quais se vinculam as instituições globais que, por sua vez,estabelecem entre as turmas locais com as quais tem aresponsabilidade de cooperar. O exemplo acima ilustra essa estruturapara duas IES como será operacionalizada 39
  • Estrutura administrativa do Curso no e-proinfo• A UFC ficará responsável por inserir os módulos e as propostas de atividades relacionadas aos módulos. Estas propostas são a descrição das atividades que aparecem para os alunos.• No entanto, cada responsável de turma ficaria encarregado de criar os fóruns e chat relacionados a estas atividades.• Os perfis a serem criados para o curso são: – Administrador de Entidade: criação de perfis; inserção de Módulos; inserção da lista de atividades de um módulo (atividades sugeridas); alocação de Administradores de Curso; – Administrador de Curso: responsável pelo cadastro geral de alunos, a partir de uma lista para importação; Abertura de Inscrições para o curso; Alocar os Administradores de Turma; Inserir o Módulo no Curso; Inserir Fóruns e Chat gerais do curso; Criação das Turmas; – Administrador de Turma: alocação de alunos na turma; criação de fóruns e chats da turma relacionados às atividades propostas nos módulos; Inserção do Plano de Ensino; – Tutor: acompanhamento dos alunos. 40
  • Integração de participantesPara integração entre as turmas das diversas regiões, será criado umcurso chamado “Integra Brasil”, onde fóruns, atividades e chat deintegração seriam propostos por nossa equipe de Formação. Nestecurso só haverá turmas por região participante, porém, as discussõesserão em nível geral, em fóruns e bate-papo criados no curso e não naturma. Esta possibilidade permitirá, também, a integração regional(cibercafe), cuja intenção é fortalecer os intercâmbios. 41
  • Próximos passos• 22/01/2010 – Entrega dos módulos 2, 3, 4 ao MEC via UFC para inserir no e- Proinfo• 26 e 27/01/2010 – Reunião do Grupo de Formação para: – Estabelecer os eventos e prazos de início de execução das ações de formação em consonância com o cronograma geral e entrega dos equipamentos, especialmente o planejamento da formação dos professores e gestores, definindo os eventos que ocorrerão nas escolas – Elaborar em conjunto o módulo referente à socialização do projeto UCA da Escola – Análise dos módulos entregues, inseridos no e-proinfo – Estabelecer a configuração da estrutura de formação no eproinfo já planejada, a customização do curso e a estratégia de oferta dos módulos – Elencar as condicionantes de execução 42
  • AVALIAÇÃO 43
  • Grupo de AvaliaçãoGrupo• Bartholomeu Torres Tróccoli – UnB• Cláudio Albuquerque Marques - UFC• Isabel Franchi Cappelletti – PUC/SP• Wagner Bandeira Andriola - UFC/SP• Pedro Ferreira de Andrade - SEED/MECCoordenação• Pedro Ferreira de Andrade - SEED/MEC 44
  • Fluxo da Avaliação Fluxo da AvaliaçãoMacro Contexto Macro Contexto Sala de aula Sala de aula Meso Contexto Meso Contexto Avaliação Avaliação Avaliação Avaliação Avaliação de Avaliação de Diagnóstica Diagnóstica de de Resultados Resultados Processo Processo Impacto Impacto Escola Escola Sala de aula Sala de aula Município Município 45
  • Modalidades, contextos, objetos e designs de pesquisa• Modalidades – Diagnóstica, processual, resultados e impacto• Contextos – Macro (município), meso (escola) e micro (sala de aula)• Objetos centrais – Formação, escolas piloto, sala de aula, município piloto (UCA Total)• Designs de pesquisa de avaliação (quase-experimentais) – Grupos equivalentes • socioeconômico e educacional, porém submetidos a situações distintas no que diz respeito ao uso dos insumos e das ações inerentes ao UCA – Delineamentos pré e pós-testes • Pré (ex-ante = situação) , incide sobre contexto, características e objetivos • Pós (ex-post = impacto), incide sobre resultados 46
  • Município Objetos de Avaliação Objetos de AvaliaçãoFormação Escolas Piloto Escolas Piloto Formação GT UCA GT UCA Avaliar Avaliar Gestão do Gestão do Objetos Objetos Objetos Objetos Projeto Projeto UCA SEED UCA SEED Planejar Planejar MEC MEC GT AVAL GT AVALMunicípios Municípios Sala de Aula Sala de Aula Piloto Piloto 47
  • Aspectos relativos aos contextos e aos objetos centrais daavaliação UCA• Contexto (macro, meso e micro, parcerias efetivas entre as esferas públicas e privadas, modelo de gestão etc.)• Insumos utilizados (na execução e grau de adequação aos objetivos do PPP dos recursos disponíveis, infraestrutura em geral, material educacional)• Recursos humanos (qualificação, formação inicial e continuada, características marcantes, experiências pedagógicas, competências em TIC, uso das TIC em sala de aula)• Processos de gestão administrativa e pedagógica (processos de gestão inovadores, apoio à utilização das TIC e a experiências inovadoras)• Resultados (mudanças em indicadores sociais do município e da comunidade, transformações nos processos escolares e práticas educativas, uso das TIC e de outros recursos para aprendizagem)48
  • Dimensões e características da avaliação diagnóstica1. Escola e laptops Estrutura Física da Escola Conectividade Manutenção dos Laptops Equipamentos em Sala de Aula2. Projeto pedagógico Origem Qualidade Pertinência/Abrangência3. Parcerias Instituições Públicas Instituições Privadas4. Gestão pedagógica Rotinas, grade curricular, horários, divisão de trabalho5. Formação Inicial Estrutura física dos locais de formação Aspectos tecnológicos Aspectos pedagógicos Expectativas e objetivos dos formandos Experiência anterior com as TICs dos formadores e formandos Avaliação dos formandos6. Práticas pedagógicas já existentes na escola Uso anterior do computador e das TIC em laboratórios ou mesmo em sala de aula Tipos de atividades mais rotineiras Formas de avaliação do aprendizado discente7. Indicadores da escola e do município Indicadores municipais relacionados à educação Indicadores sociais do município Indicadores econômicos do município Desempenho dos alunos em sistemáticas avaliativas (estadual e nacional) Letramento digital 49 Demanda escolar
  • Dimensões e características da avaliação diagnóstica8.Perfil cognitivo e social Motivação Cooperação Desenvolvimento e Capacidades Cognitivas Cidadania digital Interesse pela pesquisa científica Relacionamento com a escola9. Equipe responsável pelo Projeto UCA Formação básica, gênero, idade, experiência em atividades pedagógicas, conhecimento do Projeto UCA e do PPP da escola10. Perfil sócio-demográfico dos alunos Gênero, idade, cor, classe social, inserção laboral, formação profissional, etc11. Expectativas da comunidade escolar O que esperam da escola a partir do uso cotidiano do computador? o que esperam dos professores a partir do uso cotidiano do computador? existem lojas de computador no município (para compras de peças, manutenção, acessórios)? existem lan houses próximas a escola? existem lan houses próximas as residências? Expectativas de desenvolvimento cognitivo dos alunos.12. Expectativas dos pais dos alunos O que esperam da escola a partir do uso cotidiano do computador? O que esperam dos professores? Existem lojas de computador no município (para compras de peças, manutenção, acessórios)? Existem lan houses próximas a escola? Existem lan houses próximas a sua casa? Expectativas de desenvolvimento cognitivo dos alunos.13. Inclusão digital no município Existência e uso das salas de informática, existência de lojas de informática, de empresas de informática, de lan houses, salas do Proinfo existentetes no município.Essa são as dimensões que serão inicialmente envolvidas na Avaliação Diagnóstica. Nos municípios UCA Total incidirão todasas observações e mensurações acima, bem assim em municípios equivalentes (selecionados de acordo com os macro-indicadores municipais – emprego da base de dados organizado pela Fundação CERTI) 50
  • Cronograma geral de execução: etapasTrês meses antes do início Dois primeiros meses do Do 3o mês até o 24o mês do Dois últimos meses do Após o 24o mêsdo Projeto até dois meses Projeto Projeto Projeto do Projeto após o início do Projeto Etapa 1 Etapa 3 Etapa 4 Etapa 5 Organização da Avaliação Diagnóstica Avaliação Processual Avaliação de base de dados e (No início da (Fase de execução do Resultados delineamento implementação do Projeto)amostral do Projeto Projeto) UCA Etapa 2 Etapa 6 Avaliação dos Avaliação de Impactodiversos momentos de formação promovidos pelo Projeto UCA 51
  • ESTRATÉGIAS DE COLETA DE DADOS Análise de documentos referentes à proposta pedagógica do UCA para a escola. Será realizada pela equipe pedagógica do UCA. Perguntas on-line direcionada automaticamente aos usuários do laptop educacional (alunos e professores). Será utilizada em diversas ações de monitoramento e não necessitará de aplicadores, uma vez que deverá utilizar recursos da rede. Questionários e entrevistas aplicados a vários públicos (alunos, professores, gestores, familiares, etc.). Será utilizada para coletar informações através da aplicação de instrumentos por aplicadores externos à escola. Testes padronizados, questionários estruturados e semi-estruturados. Será utilizada para coletar informações através da aplicação de instrumentos por aplicadores externos à escola. Rotina especial de coleta de dados em diversas bases de dados. Rotina especial de filmagem da atuação dos professores em sala de aula Grupos focais com os paisANÁLISE DE DADOSEstá prevista a coleta de dados quantitativos e qualitativos. Para análisecrítica e interpretação de informações qualitativas serão utilizados osrecursos da análise do discurso, recorrendo-se a software específicos. Nasanálises quantitativas foram previstas técnicas estatísticas, modelos paratestar relações causais e de associações entre as variáveis 52
  • Meses após a implantação do Projeto UCA -3 -2 -1 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24ETAPA 1 - Organização da base de dados e delineamento amostral do Projeto UCA - Organização da base de dados para o Projeto UCA (IBGE, EDUCACENSO, PROVABRASIL, etc.) - Realização de estudo descritivo do conjunto de escolas UCA - Elaboração de um plano amostral das escolas UCAETAPA 2 – Avaliação dos diversos momentos de formação promovidos pelo Projeto UCA - Avaliação da formação inicial proporcionada aos IES Globais - Avaliação da formação inicial proporcionada aos IES Locais - Avaliação da formação inicial proporcionada aos NTE - Avaliação da formação inicial proporcionada aos professoresETAPA 3 - Avaliação Diagnóstica (Na fase de implementação do Projeto)Análise da proposta UCA (a ser realizada pela equipe pedagógica do UCA) - Verificar a existência de Projeto Pedagógico e sua adequação aos objetivos do Projeto UCA - Verificar as parcerias estabelecidas com agentes externosRotina inicial de descrição das condições iniciais do Projeto UCA - Descrever a adequação da infra-estrutura física, das instalações e dos equipamentos deinformática - Caracterizar a da escola - Caracterizar a prática da escola - Descrever os indicadores educacionais da escola - Caracterizar o perfil da das do UCA nas escolasRotina de caracterização dos participantes do Projeto UCA (será conduzida novamente na faseda Avaliação de Resultados) - Caracterizar o dos alunos - Caracterizar o perfil dos gestores, professores, alunos e pais - Identificar as expectativas da escolar - Identificar as expectativas dos paisETAPA 4 - Avaliação Processual (Fase de implementação do Projeto)Rotinas de monitoramento dos recursos tecnológicos e da utilização dos laptops - Monitoramento on-line do uso dos laptops por parte dos alunos e dos professores (perguntason-line) - Avaliação do uso dos laptops por parte dos alunos e dos professores (questionários eentrevistas) - Monitoramento on-line do funcionamento e manutenção da rede, dos equipamentos e dosespaços de aprendizagem - Avaliação do funcionamento e da manutenção da rede, dos equipamentos e dos espaços deaprendizagem - Monitoramento on-line da disponibilidade, facilidade e relevância dos recursos do laptopeducacional 53 - Avaliação da disponibilidade, facilidade e relevância dos recursos do laptop educacional
  • Rotina de verificação da atuação dos professores - Monitoramento on-line da atuação pedagógica dos professores em sala de aula(perguntas on-line) - Avaliação da atuação pedagógica dos professores em sala de aula (questionários eentrevistas) - Monitoramento da atuação pedagógica dos professores em sala de aula através defilmagem - Monitoramento on-line do uso das TIC pelos professores (perguntas on-line) - Avaliação do uso das TIC pelos professores (questionários e entrevistas)Rotina de verificação da gestão escolar - Avaliação da gestão acadêmico-pedagógica da escola - Monitoramente da gestão (execução) do Projeto UCA nas escolas (perguntas on-line)Rotina de verificação da gestão escolar - Adequação de Institucionais as IES (NTE)ETAPA 5 - Avaliação de ResultadosRotina de caracterização dos alunos do Projeto UCA (rotina igual à aplicada naAvaliação Diagnóstica) - Caracterização do dos alunos - Descrição das expectativas da escolar - Identificar as expectativas dos paisETAPA 6 - Avaliação de Impacto - Avaliação da percepção das mudanças ocasionadas pelo Projeto UCA, através daopinião da - Avaliação da percepção das mudanças na da Escola - Avaliação da percepção das inovações pedagógicas introduzidas nas escolas eoriundas do Projeto UCA - Avaliação da percepção da inclusão digital ocasionadas pelo Projeto UCA - Levantamento dos indicadores de inclusão digital no município em que o ProjetoUCA está presente 54 - Avaliação das mudanças em indicadores educacionais da Escola
  • LEGENDA DAS CORES UTILIZADAS NO CRONOGRAMA DE ATIVIDADESAnálise de documentos referentes à proposta pedagógica do UCA para a escola. Será realizadapela equipe pedagógica do UCA.Perguntas on line direcionada automaticamente aos usuários do laptop educacional (alunos eprofessores). Será utilizada em diversas ações de monitoramento e não necessitará deaplicadores, uma vez que deverá utilizar recursos da rede.Questionários e entrevistas aplicados a vários públicos (alunos, professores, gestores, familiares,etc.). Será utilizada para coletar informações através da aplicação de instrumentos poraplicadores externos à escola.Testes padronizados, questionários estruturados e semi-estruturados. Será utilizada para coletarinformações através da aplicação de instrumentos por aplicadores externos à escola.Rotina especial de coleta de dados em diversas bases de dados.Rotina especial de filmagem da atuação dos professores em sala de aulaGrupos focais com os pais 55
  • Avaliação do impactoImplica em identificar o grau de mudanças significativas, positivas ounegativas, ocorridas nos indivíduos, nas famílias e na realidade na qual estãoinseridos, decorrentes das ações desenvolvidas no âmbito do UCA. Além dacomparação entre a avaliação diagnóstica e a avaliação de resultados, far-se-ãooutros estudos comparativos envolvendo os seguintes aspectos e estratégias:• Percepção das mudanças ocasionadas pelo Projeto UCA, através da opinião da comunidade escolar (questionários estruturados e semi-estruturados aos alunos, professores, famílias e gestores);• Percepção das mudanças na gestão pedagógica da Escola, através da opinião dos professores e das famílias dos alunos (questionários estruturados e semi-estruturados aos professores e às famílias dos alunos);• Percepção das inovações pedagógicas introduzidas nas escolas e oriundas do Projeto UCA, através da opinião dos professores, dos alunos e dos gestores (questionários estruturados e semi-estruturados dirigidos aos professores, alunos e gestores);• Percepção da inclusão digital ocasionada pelo Projeto UCA, através da opinião dos professores, dos alunos, dos gestores e dos familiares (questionários estruturados e semi-estruturados aos professores, alunos, gestores e familiares)• Outros indicadores de inclusão digital no município em que o Projeto UCA, Fase I, esteve presente (verificação de abertura de novas lan houses, uso das TIC na Escola, uso do computador na família etc.)• As mudanças em indicadores educacionais da escola (serão coletadas informações a respeito de novas matrículas, evasão discente, reprovação discente etc.) 56
  • Avaliação de impacto do UCA TotalLevando ainda em conta os aspectos anteriores e estratégias de obtençãode dados e informações e a comparatividade entre os dois momentos daproposta de avaliação do antes (diagnóstica) e depois (resultados)definidos primeiramente em relação à avaliação de impacto do Projeto, seráimprimida também mais uma avaliação de impacto, contemplando o UCATotal, valendo-se da estratégia de comparação entre :Município de tratamento (UCA Total) versus municípiode controle (características similares, mas não sendo umUCA Total)Foco nos objetivos finais de: evolução nos resultados de aprendizagem edesenvolvimento das competências pessoais de inclusão na ‘nova` sociedadedo conhecimento, com ênfase na autonomia, criatividade, comunicação ecooperação 57
  • Estrutura de acompanhamento e avaliação UCA 58
  • Dimensionamento da rede de acompanhamento e avaliação do Programa UCA Grupo de Escolas NTE especialistas estaduais 28 bolsistas I 20 bolsistas III IES (27) EscolasGT Avaliação Redes NTM municipais estaduais 2 bolsistas I 5 membros 1 bolsista III Escolas Equipe de UCA total municipais e logística (05) estaduais 2 bolsistas I 5 técnicos 1 bolsista III 28 bolsistas I 54 bolsistas I 10 bolsistas I 5 membros 20 bolsistas III 27 bolsistas III 5 bolsista III 5 técnicos 5928 + 54 + 10 = 92 bolsistas I / 20 + 27 + 5 = 52 bolsistas III / 5 técnicos (equipe de logística)/5 consultores (GT de avaliação)
  • Rede de acompanhamento e avaliação (descrição das equipes) GT de Avaliação será responsável pela formulação da proposta de acompanhamento e avaliação, pelasupervisão das atividades do Grupo de especialistas e da Equipe de logística, pela consolidação dosdados coletados e análise de inclusão dos relatórios parciais e locais fornecidos pela rede deacompanhamento e avaliação e pela elaboração dos relatórios parciais, com proposta de açõescorretivas, bem como de relatórios finais• Grupo de especialistas será responsável pela construção do referencial teórico que servirá de basepara a elaboração dos instrumentos, pela construção dos instrumentos de acompanhamento eavaliação, pela análise dos dados coletados e pela elaboração de relatórios parciais dos resultadosobtidos• Equipe de logística será responsável pelo gerenciamento das informações no portal do UCA, pelacomunicação com os supervisores das redes estaduais, pela distribuição dos instrumentos de avaliação,pelo acompanhamento da aplicação dos instrumentos• Redes estaduais (IES) serão responsáveis pelo recebimento dos instrumentos, pelo encaminhamentodos instrumentos para as equipes dos NTE e NTM, pelo acompanhamento da aplicação dosinstrumentos nas escolas, pela realização de determinadas rotinas de acompanhamento e avaliação,pela organização dos dados coletados nas escolas e pela produção de relatórios relativos aosprocessos avaliativos conduzidos no estado para que sirvam de subsídios e base para os relatórioselaborados pelo GT de Avaliação• Equipes dos NTE e NTM serão responsáveis pelo recebimento dos instrumentos, pela aplicação dosinstrumentos nas escolas, pela organização dos dados coletados nas escolas e pelo envio dasinformações coletadas à equipe da rede estadual à qual estão vinculadas. 60
  • Constituição das equipes estaduais• Essas equipes serão constituídas por um professor pesquisador, com experiência em avaliação educacional, por um aluno de pós-graduação e um aluno de graduação de uma Instituição de Ensino Superior (IES) em cada estado• Deverá contemplar o envolvimento de seus participantes em todas as fases de desenvolvimento e implementação da avaliação• A proposta de avaliação será discutida e analisada com essas equipes estaduais não só para fins de treinamento e uniformização de procedimentos, mas também para a obtenção de feedback e aperfeiçoamento das propostas já definidas pelo GT de Avaliação• Essas equipes deverão também contribuir com a elaboração de relatórios parciais e setoriais, com vistas ao diagnóstico preciso das dimensões avaliadas e à proposição de ações corretivas eficazes, que devem ser implementadas rapidamente• A equipe de avaliação de cada IES deverá ter disponibilidade para participar de seminários a serem organizados com o objetivo de promover a socialização da proposta de avaliação do Projeto UCA, a formação em avaliação educacional e a socialização dos resultados obtidos através dos processos avaliativos 61
  • Articulação das equipes estaduais• A formação em serviço para o processo de avaliação – Seminário introdutório para dar ênfase à importância da avaliação de políticas públicas, bem como de programas e de projetos sociais, ao conhecimento da proposta de avaliação do Projeto UCA, dos procedimentos, dos instrumentos, das funções e das responsabilidades dos vários sujeitos envolvidos; à compreensão da proposta de organização e funcionamento da rede de acompanhamento e avaliação do Programa UCA – Seminário para orientação do processo de elaboração de relatórios parciais, para conhecimento dos procedimentos (tabulação, cálculo de valores absolutos e relativos, análise de informações qualitativas) e para apresentação dos roteiros de apresentação – Seminário de fechamento como subsídio para o relatório anual, ganhos, dificuldades, avaliação da avaliação – meta-avaliação – As dúvidas, dificuldades e busca de soluções durante o desenvolvimento do processo, serão discutidas permanentemente via on-line (e-ProInfo) 62
  • 63
  • Passos conduzidos pelo GT AvaliaçãoPasso 01 – Elaboração de plano detalhado da avaliação diagnóstica contendo ascaracterísticas principais a serem avaliadas (concluido)Passo 02 – Identificação de especialista por área de atuação (concluído)Passo 03 – Contratação de especialistas (em andamento)Passo 04 – Acompanhar o processo de elaboração do instrumento pelosespecialistas (em processo)Passo 05 – Realização de levantamento bibliográfico visando oferecer umembasamento teórico e empírico necessário para o detalhamento do instrumentode coleta de informações baseado (concluído)Passo 06 – Detalhamento do instrumento de coleta de informações baseado emLevantamento bibliográfico (concluído) 64
  • Passos conduzidos pelo GT AvaliaçãoPasso 07 – Elaboração de manual de orientação para a aplicação doinstrumento (concluído)Passo 08 – Formatação do instrumento de coleta de informações(concluído)Passo 09 – Realização de aplicação piloto do instrumento (concluído)Passo 10 – Adequação do instrumento (a executar)Passo 11 – Validação do instrumento (a executar)Passo 12 – Realização do cadastro do instrumento no site do UCA (aexecutar) 65
  • Outros passos conduzidos pelo GT AvaliaçãoPasso 01 – Articulação para a constituição das equipes estaduais (apartir de 25 janeiro de 2010)Passo 02 – Seminário introdutório ao início do processo de avaliação (apartir de 22 de fevereiro de 2010)Passo 03 – Início de coleta de informações (diagnósticas) nas escolasUCA (a partir da segunda semana de agosto de 2010)***25/01/2010 – Próxima reunião do Grupo de Avaliação, em Brasília, paraencaminhar providências de execução de ações das etapas do processode avaliação 66
  • PorPedro Ferreira de Andrade MEC/SEED/DITEC/Projeto UCA Brasília, 8 de janeiro de 2010 Revisada em 12 de janeiro de 2010 67