Your SlideShare is downloading. ×
Reflexoes sobre a educaçao online
Reflexoes sobre a educaçao online
Reflexoes sobre a educaçao online
Reflexoes sobre a educaçao online
Reflexoes sobre a educaçao online
Reflexoes sobre a educaçao online
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×
Saving this for later? Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime – even offline.
Text the download link to your phone
Standard text messaging rates apply

Reflexoes sobre a educaçao online

171

Published on

Reflexões sobre a educação online

Reflexões sobre a educação online

Published in: Education
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
171
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
4
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. REFLEXÕES SOBRE OS PRINCIPAIS CONCEITOS NA EDUCAÇÃO ONLINEDebruçando-nos sobre os principais conceitos da educação online, poderemosverificar que existe actualmente uma terminologia diferente. Assim, o que erauniversalmente conhecido como ensino ou educação a distância é hoje conhecidocomo aprendizagem a distância (que enfatiza a aprendizagem do estudante), ensinodistribuído (que foca a comunicação entre um ensino mais tradicional e as tarefas forada sala de aula) e a educação on-line (que se refere à educação mediada por meioselectrónicos), comummente, mas erradamente, designada de E-Learning.As ferramentas de aprendizagem á distância permitem ao aluno/formando, odesenvolvimento de competências individuais, assimilação de dados ao ritmo quepretender e uma grande quantidade de recursos didácticos úteis para o quotidiano.Mas falar de ensino e de aprendizagem não é a mesma coisa.A educação on-line está relacionada com o uso da Internet como meio para apublicação de material didáctico-pedagógico para a realização de cursos,comunicação com (e entre) estudantes, etc. Utiliza meios tecnológicos (computadorese outros) para fornecer material educativo.A educação on-line considera alguns aspectos prioritários, pedagógicos, tecnológicose organizacionais: (1) Pedagógicos: relativos às estratégias de ensino-aprendizagem;(2) Tecnológicos: relativos a computadores, programas, transmissão de dados, uso derecursos audiovisuais multimédia; (3) Organizacionais: relativos ao planeamento daestrutura, suporte ao estudante, processos síncronos e assíncronos.O EAD só pode ser visto como vantajoso se os argumentos de flexibilidade,acessibilidade, racionalização de recursos, interactividade e outros que atrás se citam,nos permitirem obter iguais ou melhores resultados pedagógicos, comparados com aformação tradicional.http://www.forma-te.com/forum/duvidas-/-sugestoes/3142-formador-a-distancia.htmlO E-Learning é considerada a 4ª geração do ensino a distância (mas são conceitos emodalidades diferentes...)Quanto à formação à distância tem vantagens e desvantagens quando comparadacom a formação presencial, mas o que me parece mais importante é que umdocente/formador com conhecimento adequado do que é a formação à distância, dosseus objectivos e dos recursos, consegue realizar um trabalho bastante dinâmico eque vai de encontro às necessidades dos formandos.
  • 2. Falando da minha experiência enquanto formadora, poderei referir que já existemcursos de E-formador, mais tarde ou mais cedo será importante apostar emcompetências tecnológicas, técnicas e pedagógicas no âmbito do E-Learning o E-Learning não é mais do que uma nova modalidade de formação realizada com aseparação física de formadores e formandos, através de uma mediação digitalsíncrona ou assíncrona, on-line ou off-line, onde a tecnologia está ao serviço daaprendizagem (Ferrão2007:278).Deixo-vos algumas vantagens e desvantagens do E-Learning retirado do site :http://www.mediasessions.com/elearning/sobre.php- Rápida actualização dos conteúdos. A tecnofobia ainda está presente numa parcelasignificativa da população.- Personalização dos conteúdos transmitidos;- Necessidade de maior esforço para motivação dos alunos;- Facilidade de acesso e flexibilidade de horários. O ritmo de treinamento pode serdefinido pelo próprio usuário;- Exigência de maior disciplina e auto-organização por parte do aluno. A criação e odesenvolvimento do curso on-line é, geralmente, mais demorado do que a dotreinamento;- Disponibilidade permanente dos conteúdos do treinamento.- Não gera a possibilidade da existência de insights e vínculos relacionais, quesomente o processo de interação presencial permite;- Custos menores quando comparados ao treinamento convencional;- O custo de implementação da estrutura para o desenvolvimento programa de E-learning é mais elevado;- Redução do tempo necessário para o aprendizado;- Dificuldades técnicas relativas à Internet e à velocidade de transmissão de imagens evídeos;- Possibilidade de treinar um grande número de pessoas ao mesmo tempo;- Limitações no desenvolvimento da socialização do aluno;- Diversificação da oferta de cursos;- Limitações em alcançar objectivos na área afectiva e atitudinal, pelo empobrecimentoda troca directa de experiência entre professor e aluno.NOS TEMPOS QUE CORREM CADA VEZ MAIS SE RECORRE AO ENSINO A DISTÂNCIA.UM CURSO DEVERÁ SER EXCLUSIVAMENTE ONLINE OU DEVERÁ CONTER ALGUMASSESSÕES PRESENCIAIS?Como formadora utilizo o modelo b-learning. Assim, os cursos que ministro não sãoexclusivamente online nem totalmente sessões presenciais. Utilizamos todos plataformas deensino.Olhando para o campo do Ensino Aberto e a Distância observamos que vários e diferentesmodelos de ensino e aprendizagem estão a aparecer. É pertinente considerar como o papel doformador/professor é concebido e se desenvolve nestes modelos.A Sociedade da Informação está a exigir um sistema de ensino que prepare os seusalunos/formandos para que a médio prazo possam compreender, acompanhar e promover amudança em curso. Ao mesmo sistema é ainda exigido a formação de cidadãos capazes de 2
  • 3. participar plenamente nas decisões inerentes a uma sociedade tecnologicamente avançada.As instituições são chamadas a intervir. A procura de conhecimentos transmitidos a distânciaestá em grande evolução e as instituições que o oferecem vão modificando comportamentos eadoptando novos modelos de funcionamento. As instituições vão compreendendo, com aprópria ou com a experiência de outras, que a formação de qualidade é de importânciaprimordial para o sucesso e que, mais do que investir em tecnologia, é importante investir naqualidade de ensino.Sou uma apologista da aprendizagem pela resolução de problemas e da aprendizagem baseadaem projectos de trabalho.Este tipo de aprendizagem é centrada no aluno. O aluno passa a fazer trabalho deinvestigação, assumindo grande parte da sua própria aprendizagem; o professor é umfacilitador da mesma, encorajando-os e dinamizando discussões.Utilizo esta metodologia, quer através de várias técnicas, desenvolvimento de projectos emgrupo, com actividades, participação activa dos alunos/formandos. Desta forma o aluno passaa fazer o trabalho de investigação. O que exige maior planificação por parte de um formador-mediador.Actualmente trabalho com formandos adultos, habituados há anos a um ensinotradicionalista. Neste momento considero que se adaptam perfeitamente ao Ensino àdistância e ao B-Learning, ao modelo da aprendizagem pela resolução de problemas e daaprendizagem baseada em projectos.A aprendizagem dos meus formandos faz-se com o meu apoio ou de outros formadores dainstituição que providenciam recursos e ajudam para a resolução das tarefas e dificuldadesque vão surgindo. Os formandos colaboram em pequenos grupos, com cerca de 6 elementos,discutem entre si problemas reais que já lhes surgiram, procuram em grupo a solução maisacertada. Eu, bem como outros colegas formadores procuramos levá-los a questionarem-sesobre as situações e desta forma a motivação e a participação activa dos formandos éconstante.Considero-me uma e-formadora, pois sou a pessoa responsável por planear, implementar,orientar, monitorar e avaliar acções de formação em regime de b-learning na área dasTecnologias da Informação.Como e-formadora tenho de promover, estimular, orientar e apoiar as interacções queocorrem no processo de formação nomeadamente:- interacção entre formando e formador;- interacção entre formando e conteúdos;- interacção entre formandos;- interacção entre o formando e a interface ou plataforma.Continuaremos a aplicar esta metodologia na instituição onde trabalho.Algumas das vantagens: Facilidade de acesso; Simplicidade de utilização; Desfragmentação deconteúdos; Eficácia; Economia; Reforço da cultura empresarial; Rapidez; Actualização deconteúdos; Uniformidade; Interacção e interactividade; Espírito de comunidade; Inovação emprocessos de formação; Redução e racionalização dos recursos; Flexibilidade de ensino eaprendizagem; Auto-formação; Flexibilidade temporal; Formação para activos;Interactividade fácil; Distribuição rápida dos conteúdos; Acessibilidade a conteúdos maisapelativos; Acessibilidade da valorização pessoal ou profissional; Ritmo personalizado. 3
  • 4. Há duas características distintas para ensinar online: síncronas que ocorrem para todos osestudantes simultâneamente (ex. chat, vídeo-conferência, classes virtuais etc.), e asassíncronas que acontecem em diferentes momentos para cada estudante, de acordo com otempo e necessidade de cada um (ex. tutoriais, fóruns de discussão, correio electrónico.Quando ambas as abordagens, tanto síncrona como assíncrona, são usadas temos o B-Learning.Os formandos/alunos respondem que o ensino online é importante, interessante e aliciante."A capacidade de aprendizagem por auto-regulação poderá alimentar ritmos detrabalhopersonalizados, contribuindo para uma dupla valorização pessoal".Apontadorhttp://www.fpce.up.pt/ciie/publs/jalencastre/15_Educacao_online-IasK2008.pdfO EAD só pode ser visto como vantajoso se os argumentos de flexibilidade, acessibilidade,racionalização de recursos, interactividade e outros que atrás se citam, nos permitirem obteriguais ou melhores resultados pedagógicos, comparados com a formação tradicional.http://www.forma-te.com/forum/duvidas-/-sugestoes/3142-formador-a-distancia.htmlCelina RodriguesREFLEXÕES SOBRE "A PROBLEMÁTICA DA AVALIAÇÃO É UM ELEMENTO CENTRALNAS PREOCUPAÇÕES DE MUITOS PROFESSORES E INVESTIGADORES EMEDUCAÇÃO". MARIA JOÃO GOMESA avaliação é uma das tarefas mais importantes no sistema educacional, no entanto, namaioria das vezes, é um aspecto do processo de aprendizagem que é negligenciado, ouaplicado incorrectamente. Deverá existir uma estreita relação entre ensino, aprendizagem eavaliação. A avaliação em sistemas E-Learning com recurso às TIC é uma fase do processo deaprendizagem que apresenta inúmeras vantagens, desde que correctamente aplicada. Noentanto, para alguns professores, a avaliação utilizada em ambientes virtuais de aprendizagemé simplesmente uma reprodução dos esquemas tradicionais. É necessário que se faça umarevisão crítica sobre o que é o processo de avaliação no EAD.A avaliação pode ter diversas funções, normalmente designadas de diagnóstica, formativa esumativa, sendo que , em termos muito simplistas, à avaliação diagnóstica cabe aresponsabilidade de permitir identificar o nível do aluno relativamente aos conhecimentos aadquirir e às competências a desenvolver no curso, à avaliação formativa compete facultar aoaluno e ao professor um feedback relativamente ao desenvolvimento das aprendizagenspermitindo introduzir reajustes que se revelem necessários e sobre a avaliação sumativa recainormalmente a necessidade de facilitar a atribuição de uma “classificação” ao aluno.Adopção de práticas de avaliação diagnóstica, formativa e sumativa diversificadas do ponto devista das fontes, instrumentos e momentos de recolha de informação bem como atransparência de critérios e processos e o seu esclarecimento atempado junto dos alunos éessencial. Estas práticas permitem credibilizar as tarefas de avaliação e classificação. Nelas hápossibilidade de extrair dados e análises quantitativas e qualitativas. (os instrumentos deavaliação online devem ser diversificados, os objectivos bem clarificados junto dos alunos, aexplicitação das tarefas ajudam o aluno online a compreender melhor o curso. É essencialexistir clareza na comunicação! 4
  • 5. Importa também salientar que o processo avaliativo em educação online deverá ter em conta aavaliação dos próprios cursos quer em termos de conteúdos, materiais e recursos, serviços etecnologias de mediatização, estratégias utilizadas. A avaliação deverá também ser dirigidanão só aos alunos/formandos mais também ao próprio professor/formador.Em educação online, seguindo o modelo sócio-constructivista, a avaliação deve ser contínua, ainteracção mútua, o trabalho cooperativo poderá ser fomentado, participando em actividadesque utilizem a partilha de recursos, fóruns de discussão, chat, etc.“Nada mais pertinente do que possibilitar ao aluno o entendimento do significado de cadatarefa” (Nunes & Vilarinho; 2006:119).Carlini e Ramos destacam a importância duma “avaliação em processo” nos cursos de EAD,que incluem um alto grau de interacção entre os participantes, pois nestes casos, apesar detodo o planeamento e preparação prévia que os mesmos devem incutir, existem sempre“ajustes de percurso” que importa efectuar (Carlini e Ramos; 2009: 161)Segundo Primo, é num modelo construtivista, em que o conhecimento se desenvolve de formacolaborativa que as aprendizagens são mais significativas. A avaliação neste modelo necessitade ferramentas específicas que hoje se tornaram vulgares na internet, como é o caso dosfóruns e dos blogs. Recursos tais como blogs, wiki, portfolios electrónicos, mini-testes e outrasferramentas colaborativas são utilizados pelos profissionais do ensino online.A avaliação é feita dentro da comunidade e para a comunidade. Um aspecto que ganha maiorrelevo online é o feedback que é dado pelo grupo ao longo do percurso, de uma forma acontribuir para a formação formativa de cada aluno, contribuindo ainda para a auto-avaliação ereconstrução das aprendizagens.Avaliar online passa por definir objectivos, critérios e escolher os instrumentos maisadequados. O que a avaliação online nos trás de novo (em relação à presencial) são novosrecursos para metodologias já testadas.Outros aspectos como a natureza da avaliação praticada, de carácter mais quantitativo ouqualitativo, ou a fiabilidade dos instrumentos usados, bem como questões de natureza éticacomo a prática de plágio ou da cópia são objecto de discussão.Importa esclarecer o conceito de avaliação nas várias dimensões desta no processo ensino-aprendizagem:- avaliação das aprendizagens;- avaliação para a aprendizagem, referindo-se ao diálogo entre professor e aluno e àimportância do feedback para o avanço do processo;- avaliação como aprendizagem, no sentido em que propicia uma análise e reflexão daspráticas educativas realizadas pelos próprios alunos;- avaliação a partir da aprendizagem, ou seja, a avaliação do ponto de partida daaprendizagem de um novo conhecimento.Partilho algumas reflexões interessantes acerca da avaliação das aprendizagens em contextoonline, destacando agora os seguintes aspectos:- a importância do feedback;- a dificuldade de avaliação de um modelo definido pelo aluno (PLE);- a necessidade de diversificar os métodos e instrumentos usados;- a importância da auto-avaliação, avaliação entre pares e transparência no processo.http://lealmaria.wordpress.com/2010/01/10/perspectivas-sobre-avaliacao-pedagogica-a-avaliacao-das-aprendizagens-em-contexto-online-2/ 5
  • 6. 6

×