Subsídio Maternidade N60

383
-1

Published on

Published in: Health & Medicine
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
383
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
4
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide
  • TÍTULO – FALA POR SI
  • ESTE SLIDE CHAMA A ATENÇÃO PARA UMA REALIDADE ATUAL Existe hoje uma sistemática política internacional anti-vida imposta. Esta realidade é observável e documentada (Documentos da Igreja e de fora. “The war against population” é um excelênte documentário – ver referências ao final). Quando poderes maiores violam os direitos de instituições menores (mais frágeis), violam o princípio da subsidiariedade, que é fundamento da liberdade. Gravidez tornou-se doença! Quase sempre indesejada, por causa das pressões e da cultura. E também por causa de deficiências da formação/educação – gravidez precoce.
  • A POLÍTICA INTERNACIONAL ANTI MATERNIDADE É FATO DOCUMENTADO: Ver relatos das Conferências (da ONU) Internacionais do Cairo e de Pequim; ver “Reflexos da Congresso Teológico Pastoral”, documento dos bispos de Brasil; Kasun; ver Encíclicas diversas nas referências bibliográficas.
  • COMENTÁRIO ANTERIOR
  • COMENTÁRIO ANTERIOR Sobre o último item – uma referência muito importante é: “ Confissões de um Assassino Econômico” de John Perkins.
  • Itens já comentados
  • Slide para apenas citar e passar rapidamente.
  • O LINK DESTE SLIDE ABRE UMA SÉRIE DE FOTOS QUE MOSTRAM A VIOLAÇÃO DOS DIREITOS HUMANOS E DA VIDA NA CHINA. O desrespeito atinge principalmente o nascituro e o bebe do sexo feminino. As fotos falam por si e mostram o descaso com o ser humano e a vida
  • ESTE SLIDE TRAZ A REFLEXÃO SOBRE O VALOR DA VIDA PARA O CRIADOR E SEUS SEGUIDORES. Os itens podem ser ligeiramente comentados
  • ESTE SLIDE DESTACA A IMPORTÂNCIA DA PRESENÇA MATERNA ATUANTE NA EDUCAÇÃO DA CRIANÇA.
  • CADA UM E TODOS OS INDIVÍDUOS DA SOCIEDADE, NASCERAM DA MÃE, PASSARAM PELOS CUIDADOS MATERNOS. LOGO NÃO É FAVOR RECONHECER OS DIREITOS DA MÃE!
  • A EDUCAÇÃO PARA A MATERNIDADE É UM GRANDE DESAFIO NO MUNDO MODERNO! É desafio para a mulher – que é sujeito e objeto deste processo! É desafio para todos, para a sociedade e para o Estado, para o bem social e da Igreja.
  • ESTE SLIDE MOSTRA A BELEZA DA CIÊNCIA A SERVIÇO DA VIDA! A SOLIDARIEDADE ENTRE VIDAS EM DIFERENTES ESTÁGIOS. A mão do bebê (nascituro) que foi operado dentro do útero materno de uma enfermidade grave. O bebê, hoje adulto, Samuel, teve a vida salva e não abortada, pelo Dr Bruner. Primeira cirurgia do genero.
  • Subsídio Maternidade N60

    1. 1. MATERNIDADE A mais nobre função da mulher: Gerar e educar um novo ser humano
    2. 2. Maternidade sob ataques do Estado e da cultura <ul><li>Anti- natalidade imposta pelas políticas anti-criança e movimentos anti-vida. </li></ul><ul><li>Violação do princípio da subsidiariedade no planejamento e na educação. </li></ul><ul><li>Cultura da gravidez indesejada. </li></ul><ul><li>Gravidez na adolescência: criança criando criança, geralmente, sem pai. </li></ul><ul><li>Ausência e/ou falta de acompanhamento e apoio do pai. </li></ul>
    3. 3. Maternidade sob ataques do Estado e da cultura <ul><li>Gavidez fruto de sexualidade desordenada (vida promíscua - pai desconhecido), incentivada pela cultura. </li></ul><ul><li>Gravidez com paternidade descartada. </li></ul><ul><li>Dificuldades sócio-econômicas e culturais impostas à mulher/mãe. </li></ul><ul><li>O aborto, o controlismo e escaladas legislativas e judiciais (com retaguarda médica e dos MCS). </li></ul>
    4. 4. Maternidade sob ataques do Estado e da cultura <ul><li>Feminismo ávido de divorciar a mulher do contexto familiar. </li></ul><ul><li>Maternidade é depreciativo. Afastamento da família, ligado a “status”. </li></ul><ul><li>ONU – Conferência de Beijing, 1995: “mulher que procria” ao invés da palavra mãe. </li></ul>
    5. 5. Maternidade sob ataques do Estado e da cultura <ul><li>“ Boutiques de semen” – ausência paterna - eugenismo e aborto na redução de embriões. (Médicos “senhores da vida e da morte”). </li></ul><ul><li>Experimentos científicos com células tronco extraídas de embriões. </li></ul><ul><li>A supremacia do Sitema Econômico sobre o ser humano. </li></ul>
    6. 6. Maternidade sob ataques do Estado e da cultura <ul><li>Rompimento com limites na educação e grande dificuldade de resgatá-los. </li></ul><ul><li>Desprezo à estabilidade do casamento. </li></ul><ul><li>Exploração do trabalho humano com ausência dos pais. </li></ul><ul><li>Sociedade violenta, com poucas opções de trabalho e de oportunidades para os menos favorecidos. </li></ul>
    7. 7. MATERNIDADE [Ref. 1] <ul><li>A mulher, hoje, corresponde a: </li></ul><ul><ul><li>42% da força de trabalho na Austrália </li></ul></ul><ul><ul><li>25% da força de trabalho na Alemanha </li></ul></ul><ul><ul><li>27% na Inglaterra </li></ul></ul><ul><ul><li>22% na Irlanda </li></ul></ul><ul><ul><li>36% na Itália </li></ul></ul><ul><ul><li>50% nos Estados Unidos </li></ul></ul><ul><li>A mãe se aplica ao trabalho em detrimento dos filhos, (mesmo quando gostaria de ficar em casa): </li></ul><ul><ul><li>Para fugir de uma dependência econômica. </li></ul></ul><ul><ul><li>Para não viver enclausurada em casa. </li></ul></ul>
    8. 8. AOS OLHOS DO MUNDO A vida indefesa clama aos céus ROGUEMOS AO DEUS DA VIDA
    9. 9. Maternidade no projeto do Criador <ul><li>Deus conosco através do sim à maternidade de Maria. </li></ul><ul><li>O útero “sacrário da vida”. A dignidade da mulher. </li></ul><ul><li>O novo ser é de co-autoria entre mãe-pai e Deus. </li></ul><ul><li>O ambiente da concepção e educação (União conjugal e Matrimônio – finalidades e propriedades). </li></ul><ul><li>A realização pessoal no seio familiar (satisfação de necessidades). </li></ul><ul><li>O amor materno na formação da criança. </li></ul>
    10. 10. A presença materna <ul><li>O amor de mãe educa mais que um bom profissional da pré-escola e da escola. </li></ul><ul><li>O amor e presença maternos são insubstituíveis na formação de cidadãos. </li></ul><ul><li>A mãe necessita do apoio do pai, da sociedade e dos poderes para que possa exercer atividades profissionais sem prejuizos para sua vocação maior. </li></ul>
    11. 11. Direitos naturais da maternidade <ul><li>Direito da mãe receber ajuda da sociedade. </li></ul><ul><li>Direito da mãe decidir por sua vida sexual, sem interferência do Estado. </li></ul><ul><li>Direito da mãe dedicar-se a seus filhos e sua família. </li></ul><ul><li>Direito da mãe trabalhar fora sem discriminação. </li></ul><ul><li>Direito da mãe educar seus filhos. </li></ul>
    12. 12. Papel insubstituível da mãe <ul><li>Na maternidade, que envolve: </li></ul><ul><ul><li>Conceber no amor e com responsabilidade. </li></ul></ul><ul><ul><li>Gerar educando e protegendo. </li></ul></ul><ul><ul><li>Com o esposo, formar cidadãos para o bem da criança, da família, da Igreja e do Estado. </li></ul></ul><ul><li>Existe outra atividade fora de casa mais importante do que esta? </li></ul>
    13. 13. O amor fala por si!!! ( Samuel Alexander Arms apert a a mão do Dr. Bruner ) .
    14. 14. REFERÊNCIAS <ul><li>MATLARY, Janne Haaland. The Rights of Motherhood. Congresso Teológico Pastoral. Rio de Janeiro. 1997. </li></ul><ul><li>BIDDULPH, Steve. Quem Vai Educar seus Filhos? Fundamento. 2003. </li></ul><ul><li>BIDDULPH, Steve. O Segredo das Crianças Felizes. Fundamento. 2002. </li></ul><ul><li>KASUN, Jacqueline. “The War Against Population” – Ignatius. 1988. </li></ul>
    15. 15. REFERÊNCIAS <ul><li>BISPOS DO BRASIL. Conclusões sobre o Congresso Teológico Pastoral (precede o II Encontro Mundial do Papa com as Famílias. Rio de janeiro, 1-3/8/97). Trabalho provisório. </li></ul><ul><li>JOÃO PAULO II Carta Encíclica Evangelium Vitae, sobre o valor e a inviolabilidade da vida human, (25 de março de 1995). </li></ul><ul><li>PERKINS, JOHN. Confissões de um Assassino Econômico. Editora Cultrix. São Paulo. 2005. </li></ul>

    ×