Construção do thread sobre a cidade!http://www.emdiv.com.br/pt/minas/nastrilhasminas/152-divinopolis-uma-passagem-pela-his...
Espírito Santo e São Francisco de Paula, a antiga Igreja do Rosário, a Praça da Estação,o Convento dos Franciscanos e as a...
1758 a 1847 e Itapecerica de 1847 a 1912. Agora já era hora de se criar o município, eassim foi feito em 30 de agosto de 1...
ponte era importante como ligação rodoviária com a capital do Estado, que era feita naépoca via Pará de Minas. A nova pont...
Praça do SantuárioLocalizada no coração de Divinópolis, a praça possui jardins e serve de ponto deencontro para os morador...
http://ezerberus.multiply.com/photos/album/882/882
Upcoming SlideShare
Loading in …5
×

Divinopolis construção do thread sobre a cidade

1,228 views

Published on

0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
1,228
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
2
Actions
Shares
0
Downloads
3
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Divinopolis construção do thread sobre a cidade

  1. 1. Construção do thread sobre a cidade!http://www.emdiv.com.br/pt/minas/nastrilhasminas/152-divinopolis-uma-passagem-pela-historia-do-centro-oeste.htmlPrimeira Página Minas Nas Trilhas de Minas Divinópolis - Uma Passagem Pela Históriado Centro-OesteDivinópolis - Uma Passagem Pela História do Centro-OesteTer, 10 de Junho de 2008 15:20 EmDivLocomotiva 340Quem passa hoje pelas ruas de Divinópolis nem imagina seu belo passado. A cidadepólo do Centro-oeste de Minas, uma das mais modernas da região, com tantas escolas,faculdades, indústrias, lojas, fábricas, shopping e cinema nasceu bem pequenina, em umlugarejo afastado, um cerrado de uma Minas mais tranqüila, inocente e desabitada. HojeDivinópolis esta órfã de algumas de suas mais saudosas construções, como a capela do
  2. 2. Espírito Santo e São Francisco de Paula, a antiga Igreja do Rosário, a Praça da Estação,o Convento dos Franciscanos e as antigas Cadeia e Câmara Municipal.Em 1750 já se conhecia o lugar como Passagem da Itapecerica, devido a Cachoeira doItapecerica, dizem, nome dado pelos emboabas à Cachoeira do Niterói, onde faziam atravessia do rio, Itapecerica (Ita-pissirica) em Tupi-Guarani significa pedra molhada eescorregadia.Em 1767 foi iniciada a construção da capela do Espírito Santo e São Francisco de Paulano Largo da Matriz, onde hoje é a Catedral. O primeiro documento escrito, datado de1770, foi uma certidão de doação de terras a referida capela, a primeira igrejinha dolugarejo que já apresentava um aparente crescimento. Em 1775 houve o reconhecimentoda doação, ano também em que o lugarejo foi elevado a curato, um grande passo paraseu crescimento e desenvolvimento.Um incêndio em 1830, causado por uma vela deixada acesa por um sacristão, destruiucompletamente a capela, a Matriz, causando um desespero geral na população, quelevou tempo para apagar o fogo e que via naquele acontecimento suas vidas maisamuadas. Naquela época tudo girava ao redor da pequena igreja que era o referencial dolugarejo, e como sua perda foi tão desastrosa para todos, um ano depois já havia umamovimentação para reconstrução da Matriz, sendo concluída em 1834.A escravidão estava por todo o país e Divinópolis não fugiu à regra. Já eram constantese populares as festas de reinado por aqui, sendo realizadas até mesmo dentro da Matriz.Os brancos porém, não gostando nada disso, resolveram construir uma igreja só paraeles, e assim foi feito, em 1850 inicia-se a construção da Igreja do Rosário, onde hoje éo Mercado Municipal. Neste mesmo ano foi instalada no Espírito Santo do Itapecerica aprimeira escola pública primaria.O último dos casarões de dois andares mais antigos que restou, apesar de ter perdidouma parte de trás, é o sobrado que hoje funciona o Museu Histórico de Divinópolis, sóele já da pra contar muita história, desde a sua construção, feita por 200 escravos emapenas 40 dias. Na época do Arraial do Espírito Santo ele era o melhor imóvel dalocalidade e já foi Posto de Saúde, Escola Normal Dr. Mario Casassanta, residência dasIrmãs do Sagrado Coração, sede do Comissário da Província de Santa Cruz, ColégioSeráfico, Cúria Paroquial e residência dos padres, Grupo Escolar Dona AntôniaValadares, Escolas Reunidas Monsenhor Domingos. Sabe-se também que foi lárealizada a exibição da primeira sessão cinematográfica no município.Em 30 de abril de 1890 foi inaugurada a Estação Henrique Galvão. A linha férrea doArraial era chamada de bitolinha, devido à bitola (largura entre os trilhos) que era deapenas 76cm. Mais tarde um nome singelo e carinhoso foi dado a esse ramal, era oTrem do Sertão.O arraial foi tomando ares de modernidade, com a linha férrea trazendo gente nova ecom pensamentos diferentes, foram se implantando novos hábitos, novas tecnologias,religiões, culturas e conhecimentos.Divinópolis até então já tinha passado pelo comando de diversas comarcas, comoSabará de 1711 a 1744, Vila São José do Rio das Mortes de 1744 a 1758, Pitangui de
  3. 3. 1758 a 1847 e Itapecerica de 1847 a 1912. Agora já era hora de se criar o município, eassim foi feito em 30 de agosto de 1911 após muito sonho e luta. Em 1912 a nova VilaHenrique Galvão se preparava para erguer os prédios da Câmara Municipal, do grupoescolar e da cadeia. No dia 1º de junho deste ano, em um sobradinho da av.Independência (hoje av. Antonio Olímpio de Moraes), esquina da rua Itapecerica, aomeio dia, foi empossada a primeira Câmara Municipal eleita, que nas reuniões seguintesse discutia um novo nome para o município, mais moderno e definitivo. Dentre ossugeridos estavam Alexandria, Palmeiras e Cachoeira do Ouro, mas o que agradoumesmo a todos foi Divinópolis que passou assim ser chamado em 3 de setembro destemesmo ano.Foi instalada a oficina da estrada de ferro que já em 1915 colocava em atividade a suausina hidrelétrica. Quando foi iniciado seu projeto, em 1911 a represa descaracterizou asCachoeiras da Itapecerica, aquelas mesmas que foram o primeiro referencial da região.Estas até então possuíam uma corredeira que vinha desde a curva do rio, no bairroEsplanada até a ponte do bairro Niterói. A corredeira do rio foi destruída sem nenhumareação de caráter histórico ou de preservação de sua beleza natural.No mês de fevereiro de 1916 foi inaugurada a nova estação da EFOM, que passou a sechamar Estação de Divinópolis, sua edificação ainda hoje sobrevive no início da rua Riode Janeiro, quase atrás do Pronto-Socorro. No dia 11 de setembro de 1920 foiinaugurada em Divinópolis a luz elétrica.O 1º ônibus urbano de Divinópolis foi o “Grizu”. Na verdade ele parecia mais um bondedo que um ônibus, possuía a carroceria de madeira e as laterais abertas, foi trazido deSão João Del Rei em estado deplorável e aqui reformado em 1925. Fazia um trajetodiário do Largo da Matriz passando pela av. 1º de Junho até a rua Goiás com 21 deAbril.Setembro de 1932 foi inaugurada a Usina do Gravatá, pioneira na produção de álcoolmotor extraído da mandioca. A primeira bomba para abastecimento com álcool motorfoi inaugurada em 2 de dezembro de 1934 na esquina da rua São Paulo com av. 1º deJunho, depois foram instaladas em Belo Horizonte, Bom Sucesso, Lavras e outrospontos do Estado. Recentimente o antigo prédio da usina foi reformado e transformadono Teatro Municipal.Em 16 de janeiro de 1937 é autorizado o ajardinamento da Praça da Estação, nomeposteriormente alterado para Praça Benjamin Constant. Foi inaugurada em 1939 e eraum dos mais agradáveis e belos pontos da Divinópolis de antigamente, tinha umromântico coreto e suntuosos jardins. Infelizmente hoje ela não existe mais, pois apesarde haver tantos lotes vagos, foi demolida para construção da antiga estação rodoviária,que também já foi demolida para construção do atual pronto-socorro.Ainda em 1937, com os traumas da revolução de 32 as famílias de ferroviários paulistascomeçaram a ser removidas para Minas Gerais. Foi Divinópolis que recebeu grandeparte dessas pessoas, resultando em um considerável desenvolvimento para omunicípio.A ponte de madeira que interligava a cidade ao bairro Niterói foi parcialmente destruídapor uma enchente em 1939, sendo substituída por uma maior de cimento armado. Esta
  4. 4. ponte era importante como ligação rodoviária com a capital do Estado, que era feita naépoca via Pará de Minas. A nova ponte veio trazer progresso ao bairro Niterói, como aconstrução da Igreja do Senhor Bom Jesus, que tivera início em 1936, e melhorias naestrada que ligava a Belo Horizonte. Com isso foi inaugurada em 1940 a primeiraempresa de ônibus ligando Divinópolis a Capital, no início a viagem tinha duração de 5horas e a jardineira, como era chamado o ônibus da época, tinha cobertura de lona ejanelas sem vedação, o que cobriam seus passageiros de poeira.Na década de 1950 houve em Divinópolis um crescimento bastante ativo,principalmente pelo comércio na rua Goiás, siderúrgicas (esta foi a década do ferro-gusa), implantação de novos colégios e faculdade, eletrificação da linha férrea de BeloHorizonte a Divinópolis, começaram as atividades para instalação do Centro Industrial,instalação da Companhia Telefônica de Divinópolis e construções de hospitais.Em 1958 foram demolidos a Igreja e Cemitério do Rosário para construção do MercadoMunicipal, prédio hoje descuidado e quase sem expressão para a cidade. Foi tambémdemolida a Matriz, com a construção da atual catedral em 1960.Na década de 1970 outros avanços foram realizados, como asfalto em algumas ruas,reforma da rede elétrica, tirando os postes que antigamente eram no meio da rua,construção do viaduto do Porto Velho e uma grande reformulação das ruas da cidade.Por outro lado, o desenvolvimento divinopolitano nos anos 50, 60 e 70 foi o maisdepredatório de todos, levou a baixo a câmara, a Praça Benjamim Constant, o prédio dacadeia, a antiga Matriz, o obelisco da Praça Benedito Valadares, o convento dosfranciscanos, a Igreja do Rosário. E assim continua até hoje, casas antigas estão sendodescaracterizadas... Quando não são demolidas para construção de prédios, umaconstrução de uma antiga gráfica acima do Santuário está caindo aos pedaços, comjanelas quebradas, sem telhado e sem paredes, enfeando o centro da cidade.Dos anos 80 até os dias atuais uma nova onda de progresso atinge Divinópolis, novareformulação de ruas e ampliação da cidade com criação de novos bairros.Estação FerroviáriaPontos Turísticos:Praça dos FerroviáriosPosta em exposição em 1980, a locomotiva de número 340 fabricada em Divinópolis naantiga Rede Mineira de Viação em 1940 - batizada como Dircinha Batista, nome deuma cantora famosa da época de sua fabricação; - a 340 está preservada até hoje comomonumento na Praça dos Ferroviários no bairro Esplanada.
  5. 5. Praça do SantuárioLocalizada no coração de Divinópolis, a praça possui jardins e serve de ponto deencontro para os moradores da cidade. Aos domingos tem feira de artesanato.Praça da CatedralAmpla praça de movimento familiar, com direito a brinquedos para as crianças eesportes para os jovens.Museu HistóricoLocalizado na Praça da Cadedral, o casarão conta um pouco da história de Divinópolis eregião, tanto em sua arquitetura quanto em suas exposições.Mercado MunicipalCentro de alimentação e compras, talvez algum dia se torne um dos mais importantespontos culturais da cidade.Teatro MunicipalTem espaço para 297 pessoas. Sua construção antiga é uma preservação da Usina doGravatá, produtora de álcool - motor.EcoturismoPara quem não perde um bom passeio junto à natureza tem a cachoeira do 49, com umbelo gramado em volta e as águas deliciosas do rio Pará.http://www.divinopolis.mg.gov.br/cultura/patrimonio/(maRAVILHOSO THREAD CHEIO DE FOTOS!!!!!!!!!http://ezerberus.multiply.com/photos/album/881/881#photo=24http://ezerberus.multiply.com/photos/album/881/881
  6. 6. http://ezerberus.multiply.com/photos/album/882/882

×