Your SlideShare is downloading. ×
0
Apresentação Defesa Civil
Apresentação Defesa Civil
Apresentação Defesa Civil
Apresentação Defesa Civil
Apresentação Defesa Civil
Apresentação Defesa Civil
Apresentação Defesa Civil
Apresentação Defesa Civil
Apresentação Defesa Civil
Apresentação Defesa Civil
Apresentação Defesa Civil
Apresentação Defesa Civil
Apresentação Defesa Civil
Apresentação Defesa Civil
Apresentação Defesa Civil
Apresentação Defesa Civil
Apresentação Defesa Civil
Apresentação Defesa Civil
Apresentação Defesa Civil
Apresentação Defesa Civil
Apresentação Defesa Civil
Apresentação Defesa Civil
Apresentação Defesa Civil
Apresentação Defesa Civil
Apresentação Defesa Civil
Apresentação Defesa Civil
Apresentação Defesa Civil
Apresentação Defesa Civil
Apresentação Defesa Civil
Apresentação Defesa Civil
Apresentação Defesa Civil
Apresentação Defesa Civil
Apresentação Defesa Civil
Apresentação Defesa Civil
Apresentação Defesa Civil
Apresentação Defesa Civil
Apresentação Defesa Civil
Apresentação Defesa Civil
Apresentação Defesa Civil
Apresentação Defesa Civil
Apresentação Defesa Civil
Apresentação Defesa Civil
Apresentação Defesa Civil
Apresentação Defesa Civil
Apresentação Defesa Civil
Apresentação Defesa Civil
Apresentação Defesa Civil
Apresentação Defesa Civil
Apresentação Defesa Civil
Apresentação Defesa Civil
Apresentação Defesa Civil
Apresentação Defesa Civil
Apresentação Defesa Civil
Apresentação Defesa Civil
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×
Saving this for later? Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime – even offline.
Text the download link to your phone
Standard text messaging rates apply

Apresentação Defesa Civil

2,135

Published on

0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
2,135
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
0
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. PREFEITURA DA CIDADE DE SÃO PAULO COORDENADORIA MUNICIPAL DE DEFESA CIVIL
  • 2. DEFESA CIVIL DA CIDADE DE SÃO PAULO Defesa Civil da Cidade de São Paulo Ronaldo Malheiros Figueira Coordenador de Ações Preventivas e Recuperativas Coordenadoria Municipal de Defesa Civil
  • 3. Defesa Civil da Cidade de São Paulo
  • 4. DISPOSITIVOS LEGAIS DE REFERÊNCIAS DECRETO MUNICIPAL Nº 47.534/2006 (REORGANIZAÇÃO DO SISTEMA MUNCIPAL DE DEFESA CIVIL) DECRETO MUNICIPAL Nº 50.446/2009 (TRANSPORTE DE PRODUTOS PERIGOSOS) DECRETO MUNICIPAL Nº 50.388/2009 (REORGANIZA A SECRETARIA MUNICIPAL DE SEGURANÇA URBANA) DECRETO MUNICIPAL Nº 50.448/2009 (REORGANIZAÇÃO DA GCM) Defesa Civil da Cidade de São Paulo
  • 5. MINISTÉRIO DA INTEGRAÇÃO NACIONAL CONDEC SEDEC CONDEC ESTRUTURA DO SISTEMA NACIONAL DE DEFESA CIVIL CEDEC REDEC CONSDEC Defesa Civil da Cidade de São Paulo COMDEC CODDEC NUDEC
  • 6. SMSP SUBPREFEITURA CODDEC NUDEC PREFEITO SMSU CONSDEC COMDEC POLÍTICA MUNICIPAL DE DEFESA CIVIL Defesa Civil da Cidade de São Paulo RELAÇÃO INSTITUCIONAL DA COORDENADORIA MUNICIPAL DE DEFESA CIVIL – COMDEC
  • 7. Defesa Civil da Cidade de São Paulo
  • 8. Defesa Civil da Cidade de São Paulo
  • 9. PLANOS PREVENTIVOS DA COMDEC DA CIDADE DE SÃO PAULO Defesa Civil da Cidade de São Paulo PPDC – CHUVAS DE VERÃO PPDC – BAIXAS TEMPERATURAS PPDC – BAIXA UMIDADE PPDC – PRODUTOS PERIGOSOS PPDC ABELHAS PPDC TRANSPETRO
  • 10. PLANO PREVENTIVO DE DEFESA CIVIL – PPDC – CHUVAS DE VERÃO 2011-2012 Defesa Civil da Cidade de São Paulo
  • 11. PPDC – CHUVAS DE VERÃO Período de vigência 01/11/11 a 15/04/12 Ou quando houver necessidade no decorrer do ano Defesa Civil da Cidade de São Paulo
  • 12. <ul><li>Práticas preventivas destinadas a minimizar e gerenciar os riscos existentes relacionados as situações de inundações e deslizamentos. </li></ul>PRINCÍPIOS Defesa Civil da Cidade de São Paulo
  • 13. PRINCÍPIOS <ul><li>Prevenção aos riscos e integridade física e psicológica da população; </li></ul><ul><li>Redução das perdas e danos causados à Cidade e aos munícipes; </li></ul><ul><li>Monitoramento e gerenciamento de áreas de risco; </li></ul><ul><li>Envolvimento da comunidade em práticas preventivas por meio dos Núcleos de Defesa Civil – NUDEC. </li></ul>Defesa Civil da Cidade de São Paulo
  • 14. <ul><li>Planejamento e coordenação das atividades, de acordo com funções, responsabilidades e procedimentos pré-estabelecidos; </li></ul><ul><li>Informação pública para autodefesa e prevenção; </li></ul><ul><li>Comunicação permanente entre os grupos operacionais, CODDECs e NUDECs; </li></ul><ul><li>Decretação dos Estados do Plano. </li></ul>ESTRATÉGIAS Defesa Civil da Cidade de São Paulo
  • 15. <ul><li>Monitoramento pluviométrico; </li></ul><ul><li>Monitoramento de drenagens críticas; </li></ul><ul><li>Previsão meteorológica; </li></ul><ul><li>Observação de campo; </li></ul><ul><li>Conhecimento de áreas de risco ou de recorrência de Inundações / Escorregamentos . </li></ul>CRITÉRIOS TÉCNICOS UTILIZADOS Defesa Civil da Cidade de São Paulo
  • 16. Secretaria de Infra-Estrutura e Obras Fundação Centro Tecnológico de Hidráulica MONITORAMENTO METEOROLÓGICO PREVISÃO X PREVENÇÃO
  • 17. ESTAÇÕES METEOROLÓGIAS AUTOMÁTICAS Estações meteorológicas por região: Zona Norte 1- Perus 2- Pirituba/Jaraguá 3- Freguesia do Ó 4- Jaçanã 5- Tremembé Zona Oeste 6- Butantã Centro 7- Consolação Zona Leste 8- Vila Prudente 9- Rincão 10- Ermelino Matarazzo 11- Itaim Paulista 12- Itaquera 13- São Mateus Zona Sudeste 14- Ribeirão dos Meninos Zona Sul 15- Campo Limpo 16- M’Boi Mirim 17- Santo Amaro 18- Cidade Ademar 19- Pedreira 20- Capela do Socorro 21- Parelheiros 22- Parelheiros/Barragem
  • 18. PÁGINA DO CGE NA INTERNET Escala de cores utilizada no mapa de declaração de estados: Observação Atenção Alerta Pontos de alagamento detalhados www.cgesp.org
  • 19. ÍNDICES PLUVIOMETRICOS
  • 20. REDE TELEMÉTRICA Ponto de medição Ribeirão dos Meninos Ponto de medição Barragem da Penha Funcionamento de uma estação de telemetria
  • 21. RADAR SAISP – FCTH Alcance de 240 km localizado em Salesópolis 01h52 do dia 28/02/2011 até as 00h52 do dia 01/03/2011
  • 22. Defesa Civil da Cidade de São Paulo <ul><li>INUNDAÇÕES </li></ul><ul><li>ALAGAMENTOS </li></ul><ul><li>ESCORREGAMENTOS </li></ul><ul><li>QUEDA DE ÁRVORES </li></ul>RISCOS AMBIENTAIS RELACIONADOS AS CHUVAS
  • 23. Defesa Civil da Cidade de São Paulo ESCORREGAMENTOS
  • 24. ALERTA MÁXIMO ESTADOS DO PPDC OBSERVAÇÃO ATENÇÃO ALERTA Defesa Civil da Cidade de São Paulo
  • 25. OBSERVAÇÃO ATENÇÃO Ocorrência de chuvas intensas, com potencial para transbordo de córregos e previsão de chuvas nas cabeceiras. As Coordenadorias Distritais de Defesa Civil – CODDECs, devem mobilizar os recursos humanos necessários para um eventual atendimento em áreas atingidas por inundações; dentro dos procedimentos definidos nos respectivos PPDCs Locais. ALERTA Inundações generalizadas com previsão de continuidade de chuvas. As equipes da Defesa Civil vão ao local avalia ra dimensão dos danos e providenciar o atendimento. ALERTA MÁXIMO Este estado é decretado quando há transbordos generalizados e atingem muitas moradias de uma determinada região; deixando a população desabrigada. ENCHENTES DECRETAÇÃO - COMDEC Defesa Civil da Cidade de São Paulo
  • 26.   OBSERVAÇÃO Monitoramento do índice acumulado de chuvas das últimas 72 horas . ATENÇÃO Com um índice pluviométrico acumulado de 60 mm em 72 horas e previsão de continuidade de chuvas; equipes de campo intensificam o monitoramento das áreas de risco em encostas . ALERTA Atingido o valor acumulado de 60 mm , com previsão de continuidade de chuvas e com a ocorrência de um deslizamento em encosta, na área de uma subprefeitura. Intensificação do monitoramento e avaliação da necessidade de remoções preventivas das moradias em situação de risco alto e muito alto . ALERTA MÁXIMO Escorregamentos generalizados por todas as áreas de risco do município, associados a necessidade de grandes números de remoções de moradias em risco alto e muito alto. ESCORREGAMENTOS DECRETAÇÃO - COMDEC Defesa Civil da Cidade de São Paulo
  • 27. ÓRGÃOS ENVOLVIDOS NO PPDC Defesa Civil da Cidade de São Paulo <ul><li>SMSU – Secretaria Municipal de Segurança Urbana </li></ul><ul><li>COMDEC – Coordenação Municipal de Defesa Civil </li></ul><ul><li>GCM – Guarda Civil Metropolitana </li></ul><ul><li>SMSP- Secretaria Municipal de Coordenação das Subprefeituras </li></ul><ul><li>SIURB – Secretaria Municipal de Infra – estrutura Urbana e Obras </li></ul><ul><li>SMT – Secretaria Municipal de Transportes </li></ul><ul><li>SMADS – Secretaria Municipal de Assistência e Desenvolvimento Social </li></ul><ul><li>SEHAB – Secretaria Municipal de Habitação </li></ul><ul><li>SMS – Secretaria Municipal da Saúde </li></ul><ul><li>SEME – Secretaria Municipal de Esportes, Lazer e Recreação </li></ul>
  • 28. ÓRGÃOS ENVOLVIDOS NO PPDC Defesa Civil da Cidade de São Paulo SME – Secretaria Municipal de Educação SVMA – Secretaria Municipal do Verde e Meio Ambiente CGE – Centro de Gerenciamento de Emergências CET – Companhia de Engenharia de Tráfego CCO – Centro de Controle Operacional da SMSP SPTRANS – São Paulo Transportes GCM – Guarda Civil Metropolitana LIMPURB – Departamento de Limpeza Urbana CEDEC – Comissão Estadual de Defesa Civil AES – Eletropaulo SABESP – Cia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo CODDECs – Coordenadorias Distritais de Defesa Civil NUDECs – Núcleos de Defesa Civil, formados por voluntários da comunidade COBOM – Corpo de Bombeiros
  • 29. COORDENAÇÃO GERAL - COMDEC GRUPO DE APOIO A COORDENAÇÃO GERAL – Composição? GRUPOS TEMÁTICOS      Grupo de Diretrizes Técnicas e Operacionais Grupo de Apoio de Serviços Públicos Grupo de Emergências Grupo de Trânsito e Transporte Grupo de Ajuda humanitária/abrigos/atendimento habitacional Grupo de Saúde Grupo de Mobilização Grupo de Comunicação PLANO LOCAL Coordenação Geral Local – SUBPREFEITO Coordenação Operacional - CODDEC ESTRUTURA DO PPDC – 2011-2012 Defesa Civil da Cidade de São Paulo
  • 30. PPDC – LOCAL CHUVAS DE VERÃO – 2011-2012 Defesa Civil da Cidade de São Paulo Nas subprefeituras, segundo portaria a ser publicada pelo Srº Prefeito, a Coordenação do Plano Preventivo de Defesa Civil Local - Chuvas de Verão 2011-2012 competirá ao Subprefeito e será operacionalizado pelo Coordenador Distrital de Defesa Civil – CODDEC.
  • 31. PPDC – LOCAL CHUVAS DE VERÃO – 2011-2012 Defesa Civil da Cidade de São Paulo A operacionalização do referido plano local contará com o apoio de todas as coordenadorias e membros de outros órgãos municipais organizados localmente (saúde, habitação, guarda civil metropolitana, Companhia de Engenharia de Tráfego) e estaduais (Policia Militar - Policiamento e Corpo de Bombeiros) e órgãos de serviços (Eletropaulo, Sabesp, etc.) com funções e responsabilidades de acordo com o estabelecido no Plano Local.
  • 32. Sala de Situação/ Sala de Rádio EQUIPE DEFESA CIVIL CIUO SLP VARRIÇÃO LAVAGEM BUEIRO MECANIZADA BUEIRO MANUAL moradores alerta ocorrência Equipe de apoio Operação rescaldo Se houver necessidade coordenadores Outros orgãos Subprefeito <ul><li>Informe ao Prefeito </li></ul><ul><li>Abertura abrigo </li></ul><ul><li>Entrevistas </li></ul>alerta ALAGAMENTOS CODDEC ASS. IMPRENSA INFORMES À IMPRENSA CAPE/CRAS <ul><li>MONITORAMENTO DAS ÁREAS </li></ul><ul><li>AUX ATENDIMENTO DESABRIGADOS </li></ul><ul><li>ENTREGA KIT EMERGENCIA </li></ul><ul><li>LEVANTAMENTO RESIDENCIAS ATINGIDAS </li></ul>DESABRIGADOS <ul><li>ATENDIMENTO EMERGÊNCIAL </li></ul><ul><li>GERENCIAMENTO ABRIGO </li></ul><ul><li>Atendimento à moradores </li></ul><ul><li>Auxilio Limpeza </li></ul>ENCHENTES
  • 33. Sala de Situação/ Sala de Rádio QUEDA DE ARVORE CIUO ÁREAS VERDES EQUIPE PLANTONISTA EQUIPE TERCEIRIZADA NOITE DIA UNIDADE LIMP PUBLICA RECOLHIMENTO GALHOS PLANTÃO TÉCNICO DANOS EM IMOVÉIS INTERDIÇÃO INTIMAÇÃO DEFESA CIVIL APOIO GRANDE QTDE <ul><li>CORTE DAS ARVORES </li></ul><ul><li>DESOBSTRUÇÃO DE VIA </li></ul>CODDEC CET ELETROPAULO BOMBEIROS ASS. IMPRENSA <ul><li>INFORMES À IMPRENSA </li></ul><ul><li>RELATÓRIOS P/ SECRETARIA </li></ul>SUBPREFEITO <ul><li>RELATÓRIO P/ PREFEITO </li></ul><ul><li>ENTREVISTAS </li></ul>
  • 34. Sala de Situação/ Sala de Rádio ESCORREGAMENTOS Coordenador de Defesa Civil Plantão Técnico Caso haja necessidade <ul><li>INTERDIÇÕES/INTIMAÇÕES </li></ul><ul><li>VISTORIAS RESIDÊNCIAS </li></ul>Equipe da Defesa Civil/Geólogo <ul><li>RETIRADA DOS MORADORES </li></ul><ul><li>COLOCAÇÃO DE LONAS </li></ul><ul><li>Subprefeito </li></ul><ul><li>Ass. imprensa </li></ul>CRAS/CAPE CIUO SLP/CPO Desabrigados OBRAS DE CONTENÇÃO INFORME OPER. RESCALDO HABITAÇÃO ATENDIMENTO EMERGÊNCIAL ATENDIMENTO HABITACIONAL BOLETINS À IMPRENSA RELATÓRIO DE ÁREAS DE RISCO CASO HAJA CONDIÇÕES GERENCIAMENTO DO ABRIGO ABERTURA DE ABRIGO
  • 35. Defesa Civil da Cidade de São Paulo S ão pessoas das comunidades que atuam de forma descentralizada e voluntária com o intuito de integrar a comunidade na contenção dos riscos ambientais existentes. Quais as funções? - Orientar a comunidade em situação de emergência; - Criar uma cultura de gerenciamento de riscos ambientais local; - Manter um canal comunicativo entre a comunidade e a Defesa Civil; - Criar práticas preventivas para redução de desastres. NÚCLEOS DE DEFESA CIVIL - NUDECs
  • 36. Segundo o artº 17 do Decreto Municipal nº 47.534, de 1º de agosto de 2006 que reorganiza a o Sistema Municipal de Defesa Civil – SIMDEC os NUDECs de pois de oficializados junto aos respectivos CODDECs passam a fazer parte deste sistema NUCLEOS DE DEFESA CIVIL - NUDECs Defesa Civil da Cidade de São Paulo
  • 37. ESTRATÉGIAS DE ENVOLVIMENTO DO NUDECs Defesa Civil da Cidade de São Paulo Monitoramento participativo
  • 38. ESTRATÉGIAS DE ENVOLVIMENTO DO NUDECs Defesa Civil da Cidade de São Paulo <ul><li>Censo dos NUDECs </li></ul><ul><li>A criação de Núcleos de Defesa Civil e o monitoramento participativo são essenciais para a redução de vulnerabilidade a esses fenômenos. </li></ul><ul><li>A Régua de Nível e o Pluviômetro de PET são instrumentos eficientes e de pouco custo que viabilizam o monitoramento participativo . </li></ul>
  • 39. Defesa Civil da Cidade de São Paulo O QUE É RÉGUA DE NÍVEL? <ul><li>Trata-se de um método alternativo de monitoramento das drenagens municipais problemáticas a partir da participação da comunidade. </li></ul><ul><li>Sistema de monitoramento manual com níveis de situação das condições do canal. </li></ul><ul><li>Proposta alternativa de ampliação da sistemática atual de monitoramento das drenagens do município. </li></ul>
  • 40. Defesa Civil da Cidade de São Paulo VANTAGENS <ul><li>Contribui com informações de Campo. </li></ul><ul><li>Possibilita a comparação entre informações de campo com as do radar. </li></ul><ul><li>Aumenta a precisão da decretação dos estados do plano de chuvas. </li></ul><ul><li>Envolve a comunidade para o aviso e prevenção das situações de inundações e escorregamentos. </li></ul><ul><li>Cria um canal de contato entre Defesa Civil e Comunidade em situações emergenciais. </li></ul><ul><li>Cria um instrumento alternativo frente aos problemas sócio-ambientais. </li></ul>
  • 41. Defesa Civil da Cidade de São Paulo PRÁTICAS DE MONITORAMENTO <ul><li>Amarelo – estará localizado ao meio da pilastra que se encontra dentro do córrego com 40 cm de comprimento, sendo que o seu nível será representado pela situação de atenção para risco de inundação. </li></ul><ul><li>Vermelho – estará localizado na extremidade superior da pilastra com cerca de 50 cm de comprimento, sendo que o seu nível será representado pela situação de alerta e sua extremidade superior será representada pala situação de transbordo, tendo como referência o local mais crítico da área, localizada a cerca de 20 metros do ponto de instalação da régua. </li></ul>
  • 42. Defesa Civil da Cidade de São Paulo Na foto acima Régua de Nível na parte frontal da parede do córrego na Rua: Getulina centro de Guaianases observa-se ao fundo a cor da água e a quantidade de sedimentos no leito do rio.
  • 43. Defesa Civil da Cidade de São Paulo Exemplos de aplicação Subprefeitura do M´BOI MIRIM
  • 44. Defesa Civil da Cidade de São Paulo Pluviometro de PET <ul><li>O Pluviômetro é um aparelho que serve para monitorar um elemento que está intimamente relacionado às ocorrências de deslizamento e enchente, sendo de tal importância que receberá atenção especial nesse projeto: a água. A combinação de chuva intensa e ocupação de encostas desprovida de cobertura vegetal costuma ser um quadro comumente avistado nas regiões periféricas e pobres da cidade, e a Defesa Civil junto aos professores tem o dever com a sociedade (enquanto cidadãos) de prover as comunidades com conceitos que lhes proporcione as condições de prever situações criticas e assim salvar vidas. </li></ul>
  • 45. Defesa Civil da Cidade de São Paulo Para o monitoramento das chuvas já foi desenvolvido um projeto na COMDEC, de fácil implantação nas comunidades, graças à criação de um pluviômetro de baixo custo. Ele consiste em uma garrafa pet de refrigerante de dois litros, cimento e um adesivo fornecido pela Defesa Civil. Confeccionando o pluviometro de pet
  • 46. Defesa Civil da Cidade de São Paulo <ul><li>1º Passo: Escolha uma garrafa PET lisa e transparente, que não tenha ondulações ao seu meio (garrafa de Dolly, Fanta etc.) Marque com pincel atômico na extremidade superior (Foto – 1) onde deverá ser cortada, e em seguida corte-a com tesoura ou estilete (Foto – 2). </li></ul>Foto – 1 Foto – 2
  • 47. Defesa Civil da Cidade de São Paulo <ul><li>2º Passo: Preencha com massa impermeável (massa corrida, cimento etc.) a parte inferior e irregular da garrafa PET, para que a medida do adesivo inicie-se em sua extremidade lisa, possibilitando desta forma maior precisão nos acumulados pluviométricos (Fotos – 3 e 4). Adicione água posteriormente, iniciando assim a reação com a massa impermeável </li></ul>Foto – 3 Foto – 4
  • 48. Defesa Civil da Cidade de São Paulo 3º Passo: Após o preenchimento da garrafa com massa impermeável (Foto – 5), cole o adesivo sobre a parte externa da área preenchida por massa (Foto – 6), retirando posteriormente as rebarbas das áreas onde foram cortadas. iniciando assim a reação com a massa impermeável Foto – 5 Foto – 6
  • 49. Defesa Civil da Cidade de São Paulo <ul><li>4º Passo: Como suporte para o pluviômetro a ser fixado no caibro utilizaremos uma garrafa PET da Coca-Cola de 2 litros e meio, que terá sua base cortada (Foto – 7) a fim de formarmos um suporte para o pluviômetro em formato de um copo de apoio (Foto – 8). Também poderá ser utilizado bracelete de encanamento (PVC) que caiba o pluviômetro, sendo neste necessário acrescentar um custo adicional. </li></ul>Foto – 7 Foto – 8
  • 50. Defesa Civil da Cidade de São Paulo <ul><li>5º Passo: Para fixação do copo de apoio no caibro serão utilizados prego e martelo (Foto – 9 e 10). </li></ul>Foto – 9 Foto – 10
  • 51. Defesa Civil da Cidade de São Paulo
  • 52. BLOG DEFESA CIVIL NA ESCOLA Defesa Civil da Cidade de São Paulo ACESSO: http://educacaoambientalecidadania.blogspot.com/
  • 53. “ DEFESA CIVIL SOMOS TODOS NÓS” Defesa Civil da Cidade de São Paulo
  • 54. OBRIGADO PELA ATENÇÃO! Defesa Civil da Cidade de São Paulo Coordenadoria Municipal de Defesa Civil Avenida Zaki Narchi, 600 Internet:http://www.prefeitura.sp.gov.br/cidade/secretarias/seguranca_urbana/defesa_civil/ Fone: 3313-5726 ramal 223 Ronaldo Malheiros Figueira Coordenador de Ações Preventivas e Recuperativas [email_address]

×