Colecções patrimoniais da  Biblioteca de Arte:  do analógico ao digital   José Afonso Furtado I Paulo Leitão I Ana Barata ...
B i b l i o t e c a d e A r t e <ul><li>I – Processo de digitalização </li></ul><ul><li>Produção de objectos digitais </li...
B i b l i o t e c a d e A r t e <ul><li>Produção de objectos digitais </li></ul><ul><li>1.1. Outsourcing </li></ul><ul><li...
B i b l i o t e c a d e A r t e <ul><li>Produção </li></ul><ul><li>1.2. Requisitos técnicos </li></ul><ul><li> Nomeação d...
B i b l i o t e c a d e A r t e 2. Armazenamento 2.1. Servidores 4 TB  ocupados 2.2. “File System” comum  2.3. Gestão de H...
B i b l i o t e c a d e A r t e <ul><li>3. Organização e Disponibilização </li></ul><ul><li>Modelo de Disponibilização: Ca...
B i b l i o t e c a d e A r t e
B i b l i o t e c a d e A r t e 4. Visão genérica do processo de integração e disponibilização Política de Acesso Registo ...
B i b l i o t e c a d e A r t e 4. Visão genérica do processo de integração e disponibilização 4.1. Geração de PDF - Utili...
B i b l i o t e c a d e A r t e
B i b l i o t e c a d e A r t e c) Definição das condições de acesso (de acordo com a Política de Acesso)
B i b l i o t e c a d e A r t e 4.3. Armazenamento dos PDF’s no AI a) Gravação do Registo b) AI escreve directamente no Re...
B i b l i o t e c a d e A r t e Exemplo de um registo com os campos do Bloco 9 já preenchidos
B i b l i o t e c a d e A r t e HTML href=&quot;javascript:OpenDocDC('http://baimages.gulbenkian.pt/images/winlibimg.exe?k...
B i b l i o t e c a d e A r t e II. As colecções patrimoniais da Biblioteca de Arte (BA)  Actualmente, a BA possui cerca d...
B i b l i o t e c a d e A r t e II. As colecções patrimoniais da Biblioteca de Arte (BA) Bibliotecas particulares  -  Cole...
B i b l i o t e c a d e A r t e II. As colecções patrimoniais da Biblioteca de Arte (BA) Arquivos de espécies fotográficas...
B i b l i o t e c a d e A r t e II. As colecções patrimoniais da Biblioteca de Arte (BA) Arquivos de espécies fotográficas...
B i b l i o t e c a d e A r t e OBRIGADO! [email_address]   I  [email_address]   I  [email_address]   14 de 14
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Colecções patrimoniais da Colecções patrimoniais da Biblioteca de Arte: do analógico ao digital

764

Published on

Colecções patrimoniais da Biblioteca de Arte: do analógico ao digital
José Afonso Furtado I Paulo Leitão I Ana Barata
Fundação Calouste Gulbenkian I Biblioteca de Arte

Published in: Technology, Business
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
764
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
1
Actions
Shares
0
Downloads
5
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Transcript of "Colecções patrimoniais da Colecções patrimoniais da Biblioteca de Arte: do analógico ao digital"

  1. 1. Colecções patrimoniais da Biblioteca de Arte: do analógico ao digital José Afonso Furtado I Paulo Leitão I Ana Barata Fundação Calouste Gulbenkian I Biblioteca de Arte B i b l i o t e c a d e A r t e Colóquio Rocha Peixoto no centenário da sua morte 8 e 9 de Maio de 2009 Museu Municipal de Etnografia e História da Póvoa do Varzim
  2. 2. B i b l i o t e c a d e A r t e <ul><li>I – Processo de digitalização </li></ul><ul><li>Produção de objectos digitais </li></ul><ul><li>1.1. Outsourcing </li></ul><ul><li>1.2. Requisitos técnicos </li></ul><ul><li>  Formatos: TIFF, JPEG </li></ul><ul><li>  Resolução: 300 ppp (pontos por polegada) </li></ul><ul><li>  Cor: </li></ul><ul><li>P&B – 1 bit / pixel </li></ul><ul><li>Escala de cinzentos: 8 bits / pixel </li></ul><ul><li>Cor: 24 bits / pixel </li></ul>
  3. 3. B i b l i o t e c a d e A r t e <ul><li>Produção de objectos digitais </li></ul><ul><li>1.1. Outsourcing </li></ul><ul><li>1.2. Requisitos técnicos </li></ul><ul><li>  Metadados técnicos </li></ul><ul><li>Conjunto de etiquetas básicas seleccionadas de acordo com as especificações do formato TIFF. </li></ul>
  4. 4. B i b l i o t e c a d e A r t e <ul><li>Produção </li></ul><ul><li>1.2. Requisitos técnicos </li></ul><ul><li> Nomeação de ficheiros </li></ul><ul><li>Regra base: COTA + TIPO DE FICHEIRO </li></ul><ul><li>TIFF: rlda25 . ia .tiff </li></ul><ul><li>JPEG: rlda25. ic .jpg </li></ul>
  5. 5. B i b l i o t e c a d e A r t e 2. Armazenamento 2.1. Servidores 4 TB ocupados 2.2. “File System” comum 2.3. Gestão de HW e segurança básica Outsourcing
  6. 6. B i b l i o t e c a d e A r t e <ul><li>3. Organização e Disponibilização </li></ul><ul><li>Modelo de Disponibilização: Catálogo (WEBOPAC) </li></ul><ul><li>Utilização do SGB (já em uso) + WEBOPAC + Aplicação Específica para Gestão das Imagens a disponibilizar </li></ul><ul><li> Vantagens: </li></ul><ul><li> Gestão de objecto físico e digital no mesmo sistema </li></ul><ul><li>  Integração com outros recursos de informação disponíveis via catálogo </li></ul>
  7. 7. B i b l i o t e c a d e A r t e
  8. 8. B i b l i o t e c a d e A r t e 4. Visão genérica do processo de integração e disponibilização Política de Acesso Registo Bibliográfico Geração de PDF Imagem Digital (JPEG) Integração de PDF na aplicação Arquivo de Imagem Ligação com HORIZON (chave: bib#) Arquivo de Imagem armazena Ligação com HORIZON HIP mostra resultados Ligação com HORIZON e AI Intervenção humana Automatismo
  9. 9. B i b l i o t e c a d e A r t e 4. Visão genérica do processo de integração e disponibilização 4.1. Geração de PDF - Utilização de aplicação comercial - Definidos parâmetros normalizados de produção 4.2. Integração do PDF no Arquivo de Imagem (AI) a) Criação de um novo registo no AI b) Ligação ao Horizon
  10. 10. B i b l i o t e c a d e A r t e
  11. 11. B i b l i o t e c a d e A r t e c) Definição das condições de acesso (de acordo com a Política de Acesso)
  12. 12. B i b l i o t e c a d e A r t e 4.3. Armazenamento dos PDF’s no AI a) Gravação do Registo b) AI escreve directamente no Registo Bibliográfico no HORIZON b.1) Campos do bloco 9 de uso local Objectivo: - Permitir ao HIP mostrar informação do descritivo da imagem - Permitir ao HIP criar uma hiperligação para o doc. digital no AI para ser mostrado quando o utilizador o invocar
  13. 13. B i b l i o t e c a d e A r t e Exemplo de um registo com os campos do Bloco 9 já preenchidos
  14. 14. B i b l i o t e c a d e A r t e HTML href=&quot;javascript:OpenDocDC('http://baimages.gulbenkian.pt/images/winlibimg.exe?key=&doc=187998&img=26143', 'image') [“chama” a aplicação Arquivo de Imagem e o doc. pretendido] ;&quot;>Fotografias: [s.d]. 6 provas p&b, 6X9 cm a 17,5X23,5 cm. RLF 12.1-12.6 (5 MB ) [ 958 no registo bibliográfico – visualização do descritivo] Exemplo da codificação em HTML do acesso aos objectos digitais
  15. 15. B i b l i o t e c a d e A r t e II. As colecções patrimoniais da Biblioteca de Arte (BA) Actualmente, a BA possui cerca de 180 colecções patrimoniais. Este conjunto divide-se em três grandes núcleos: - Bibliotecas particulares - Espólios de artistas e arquitectos portugueses - Arquivos de espécies fotográficas A BA tem vindo a digitalizar e a disponibilizar, através do catálogo, algumas destas colecções
  16. 16. B i b l i o t e c a d e A r t e II. As colecções patrimoniais da Biblioteca de Arte (BA) Bibliotecas particulares - Colecção Reis Santos : c. 12.000 títulos de monografias e 500 títulos de publicações periódicas que compunham a biblioteca pessoal do historiador e crítico de arte. Espólios de Artistas e Arquitectos - Espólio Amadeo Sousa Cardoso : 1.695 manuscritos; 713 fotografias; 658 recortes de imprensa; 196 monografias; 27 títulos de publicações periódicas e 8 objectos pessoais.
  17. 17. B i b l i o t e c a d e A r t e II. As colecções patrimoniais da Biblioteca de Arte (BA) Arquivos de espécies fotográficas - Azulejaria portuguesa – levantamento realizado por J.M. dos Santos Simões entre 1960-1968 (5.028 p&b e cor). - A talha em Portugal – levantamento realizado pelo historiador de arte americano Robert Chester Smith na década de 1960 (1.878 provas fotográficas p&b e 1.416 negativos).
  18. 18. B i b l i o t e c a d e A r t e II. As colecções patrimoniais da Biblioteca de Arte (BA) Arquivos de espécies fotográficas - Estúdio Mário Novais – abrange os 50 anos (1933-1983) de actividade deste estúdio (80.000 espécies de diversos tipos, p&b e cor)
  19. 19. B i b l i o t e c a d e A r t e OBRIGADO! [email_address] I [email_address] I [email_address] 14 de 14
  1. Gostou de algum slide específico?

    Recortar slides é uma maneira fácil de colecionar informações para acessar mais tarde.

×