Your SlideShare is downloading. ×
0
Biblioteca 2.0
Biblioteca 2.0
Biblioteca 2.0
Biblioteca 2.0
Biblioteca 2.0
Biblioteca 2.0
Biblioteca 2.0
Biblioteca 2.0
Biblioteca 2.0
Biblioteca 2.0
Biblioteca 2.0
Biblioteca 2.0
Biblioteca 2.0
Biblioteca 2.0
Biblioteca 2.0
Biblioteca 2.0
Biblioteca 2.0
Biblioteca 2.0
Biblioteca 2.0
Biblioteca 2.0
Biblioteca 2.0
Biblioteca 2.0
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×
Saving this for later? Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime – even offline.
Text the download link to your phone
Standard text messaging rates apply

Biblioteca 2.0

1,861

Published on

Published in: Education
0 Comments
8 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total Views
1,861
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
1
Actions
Shares
0
Downloads
2
Comments
0
Likes
8
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  1. Biblioteca 2.0 Curso BAD 13/14 Outubro 2008 Paulo Leitão
  2. I – Web 2.0 <ul><li>O conceito </li></ul>Fonte: O’Reilly
  3. II – Biblioteca 2.0 2.1. Conceito [1] Uma teoria da Biblioteca 2.0 deve ser entendida através dos seguintes 4 elementos essenciais: É centrada no utilizador . Os utilizadores participam na criação de conteúdos e serviços a que têm acesso no universo web da biblioteca, OPAC, etc. O consumo e criação de conteúdos é dinâmico, e assim os papéis do utilizador e do bibliotecário tornam-se nem sempre claros. Proporciona uma experiência multimedia . Quer as colecções, quer os serviços da Biblioteca 2.0 contém componentes vídeo e aúdio. Apesar de isto não ser frequentemente citado como uma função da Biblioteca 2.0, sugerimos que o deveria ser.
  4. II – Biblioteca 2.0 É socialmente rica . A presença da biblioteca na Web incliu a presença dos utilizadores. Elas podem ser formas síncronas (i.e. IM) e assíncronas (i.e. wikis) de os utilizadores comunicarem entre si e com os bibliotecários. É comunitariamente inovadora . Isto é, talvez, o aspecto mais inovador da Biblioteca 2.0. Ele baseia-se no princípio das bibliotecas como um serviço para a comunidade, mas compreende que as comunidades mudam e que a biblioteca não só deve acompanhar essa mudança, mas permitir que os utilizadores mudem a biblioteca. A biblioteca procura continuamente mudar os seus serviços, encontrar novas formas que permitam às comunidades, e não apenas aos indivíduos, procurar, encontrar e utilizar informação. Maness
  5. II – Biblioteca 2.0 [2] “A ideia de Biblioteca 2.0 representa uma significativa mudança de paradigma na forma como vemos os serviços de biblioteca. É sobre uma experiência enriquecedora para os utilizadores, na qual usabilidade, interoperabilidade e flexibilidade dos sistemas de biblioteca são a chave. É sobre a biblioteca estar mais presente na comunidade através da programação de actividades, construção de comunidades de interesse, utilizando as facilidades da tecnologia (IM, blog, wikis, etc.).
  6. II – Biblioteca 2.0 [2] É sobre permitir a participação dos utilizadores atrvés de comentários e “tagging” nos catálogos e tornar a sua voz presente através de blogues e wikis. É sobre tornar a biblioteca mais transparente através da sua presença na Web e do seu desenho físico. Precisamos de tornar a biblioteca humana, ubíqua e centrada no utilizador. Isto envolve uma mudança nos nossos sistemas, na nossa presença na Web e nas nossas atitudes.” Meredith Farkas
  7. II – Biblioteca 2.0 2.2. Visão Global
  8. II – Biblioteca 2.0: ferramentas <ul><li>2.3. Sindicação de Conteúdos – RSS </li></ul><ul><li>2.3.1. Definição </li></ul><ul><li>RSS = Really Simple Syndication </li></ul><ul><li>Formato (baseado em XML) para sindicação de conteúdos. </li></ul><ul><li>O conteúdo de um sítio web, um blogue, etc. pode ser “partido” em pequenas partes a partir das quais se gera um “FEED” disponibilizado a qualquer internauta. Subscrevendo este FEED num leitor /agregador o internauta é avisado automaticamente sempre que esse conteúdo se altera. </li></ul><ul><li>2.3.2. RSS e Bibliotecas (as bibliotecas como produtoras) </li></ul><ul><li>Catálogos – http://www.biblartepac.gulbenkian.pt </li></ul><ul><li>Blogues </li></ul><ul><li>DSI (Difusão selectiva da informação) </li></ul><ul><li>Outros </li></ul>
  9. II – Biblioteca 2.0: ferramentas <ul><li>2.3.3. Leitores / Agregadores de RSS </li></ul><ul><li>Definição </li></ul><ul><li>Plataforma que possibilita a leitura e agregação de FEEDS de RSS </li></ul><ul><li>b) Exemplos de agregadores: IEE7, bloglines ( http://www.bloglines.com/ ), newsgator, feed reader, add to google, my msn, my yahoo, netvibes, pageflakes ( http://www.pageflakes.com/ ) , </li></ul>
  10. II – Biblioteca 2.0: ferramentas <ul><li>2.3. Sindicação de Conteúdos – RSS </li></ul><ul><li>d) NETVIBES ( http://www.netvibes.com ) </li></ul><ul><li>- Exemplo: http://www.netvibes.com/pauloleitao#General </li></ul><ul><li>EXERCÍCIO PRÁTICO </li></ul><ul><li>Crie uma conta no NETVIBES (precisa de ter um endereço de mail – qualquer um serve) </li></ul><ul><li>Configure a sua página pessoal </li></ul><ul><li>Configure a página pública </li></ul>
  11. II – Biblioteca 2.0: ferramentas <ul><li>2.4. BLOGUES </li></ul><ul><li>2.4.1. Definição </li></ul><ul><li>Um weblog ou blog é um sítio Web actualizado com frequência, composto de entradas (posts) datadas organizadas por ordem cronológica, de forma a que a mais recente aparece primeiro. </li></ul><ul><li>COMPONENTES ESTRUTURAIS </li></ul><ul><li>Arquivo </li></ul><ul><li>Entradas (posts) datados </li></ul><ul><li>“ Permalinks” </li></ul><ul><li>Organização cronologica dos posts </li></ul><ul><li>Formatados a 2 ou 3 colunas usualmente </li></ul><ul><li>Categorias </li></ul><ul><li>Comentários </li></ul><ul><li>Funcionalidades de pesquisa de posts anteriores </li></ul><ul><li>“ Track-backs” </li></ul>
  12. II – Biblioteca 2.0: ferramentas <ul><li>2.4.2. Blogues e Bibliotecas: exemplos de Blogues de bibliotecas e bibliotecários.PT </li></ul><ul><li>A Informação - http://a-informacao.blogspot.com/ </li></ul><ul><li>Viva Biblioteca Viva - http://vivabibliotecaviva.blogspot.com/ </li></ul><ul><li>Ler em Espinho - http://www.leremespinho.com/blog/ </li></ul><ul><li>Oeiras a ler - http://oeiras-a-ler.blogspot.com/ </li></ul><ul><li>2.4.3. Boas práticas na criação e gestão de blogues </li></ul><ul><li>Questões prévias: </li></ul><ul><li>- Qual é o foco do blogue? O que pretendemos com o blogue? </li></ul><ul><li>“ BLOGS SHOULD ALWAYS FILL A NEED” </li></ul><ul><li>- Necessidades de Software </li></ul><ul><li>- Questões de segurança (spam, etc.) </li></ul><ul><li>- Percentagem de interactividade pretendida (comentários: quem faz, em que circunstâncias) </li></ul><ul><li>- Estratégia de Marketing </li></ul>
  13. II – Biblioteca 2.0: ferramentas <ul><li>2.4. Redes Sociais </li></ul><ul><li>2.4.1. Definição </li></ul><ul><li>Comunidades de indivíduos, geralmente construídas da base para o topo, que se juntam para troca de interesses, informação, lazer, etc. </li></ul><ul><li>Têm base soluções aplicaionais na plataforma web, designadas por muitos como “SOFTWARE SOCIAL” </li></ul><ul><li>Caraterísticas: </li></ul><ul><li>Permite comunicação, colaboração e a construção de comunidades </li></ul><ul><li>Conteúdo pode ser “sindicado”, partilhado, remisturado </li></ul><ul><li>Permite aos utilizadores aprender com facilidade e capitalizar o conhecimento de outros </li></ul>
  14. II – Biblioteca 2.0: ferramentas 2.4.2. Tipos de Redes Sociais (genéricas, temáticas, etc.) Genéricas Temáticas Comunidades de “lazer” Comunidades profissionais Empresas que utilizam estratégias de redes sociais – Exemplo: http://www.amazon.com
  15. II – Biblioteca 2.0: ferramentas 2.4.3. Exemplos de redes sociais: MySpace - http://pt.myspace.com/ (espaço PT) Facebook - http://www.facebook.com/ Linkedin - http://www.linkedin.com/ LibraryThing - http://www.librarything.com/ Flickr- http://www.flickr.com HI5- http://www.hi5.com Youtube- http://www.youtube.com Slideshare – http://www.slideshare.net Exemplo a analisar: http://www.flickr.com/photos/biblarte
  16. II – Biblioteca 2.0: ferramentas <ul><li>EXERCÍCIOS PRÁTICOS </li></ul><ul><li>Crie uma conta no FLICKR (necessita de criar uma conta de mail no Yahoo). Construa a sua galeria de fotos. </li></ul><ul><li>2. Crie uma conta no Facebook (necessita de um endereço de mail, qualquer um serve) </li></ul><ul><li>Crie uma conta no LibraryThing </li></ul><ul><li>Crie uma conta no HI5 </li></ul>
  17. II – Biblioteca 2.0: ferramentas 2.5. tagging e folksonomias 2.5.1. O que são TAG’s Palavras ou expressões utilizadas para descrever/classificar conteúdos. Sem controlo vocabular. 2.5.2. O que são Folksonomias Uma “ecologia” de tag’s numa dada plataforma. An important aspect of a folksonomy is that is comprised of terms in a flat namespace: that is, there is no hierarchy, and no directly specified parent-‍child or sibling relationships between these terms. There are, however, automatically generated “related” tags, which cluster tags based on common URLs . These folksonomies are simply the set of terms that a group of users tagged content with, they are not a predetermined set of classification terms or labels. (Mathes, 2004)
  18. II – Biblioteca 2.0: ferramentas <ul><li>2.5. tagging e folksonomias </li></ul><ul><li>2.5.3. Exemplos de utilização de TAG’s: </li></ul><ul><li>FLICKR – http://www.flickr.com/photos/biblarte </li></ul><ul><li>LibraryThing - http://www.librarything.com/catalog.php?view=pauloleitao&shelf=list </li></ul><ul><li>del.icio.us - http://delicious.com/ - http://delicious.com/pjleitao ) </li></ul><ul><li>2.5.4. TAG’s e Bibliotecas </li></ul><ul><li>Que papel para as Tag’s nos sistemas de informação das bibliotecas? </li></ul><ul><li>Problemas de harmonização </li></ul>
  19. II – Biblioteca 2.0: ferramentas 2.5. tagging e folksonomias 2.5.4.1. A utilização de TAG’s no ambiente “tradicional” das Bibliotecas (tag’s e catálogos) [exemplos] Seattle Public Library - http://tinyurl.com/3klmhz Moonee Valey Library - http://tinyurl.com/48hqyd University of Huddersfield - http://tinyurl.com/4ucj5v Ann Arbor Public Library - http://tinyurl.com/3l8yv5 2.5.4.2. TAG CLOUDS (Nuvens de Palavras)
  20. II – Biblioteca 2.0: ferramentas <ul><li>2.6. WIKIS </li></ul><ul><li>2.6.1. Definição </li></ul><ul><li>Sítio web com o objectivo de promover a produção colaborativa de conteúdos. Pode ser infinitamente expansível através de páginas que são criadas e ligadas a outras através de hiper-ligações. A sua estrutura pode não ser predefinida, mas constituir o resultado do comportamento dos seus produtores. </li></ul><ul><li>CARACTERÍSTICAS: </li></ul><ul><li>Um wiki convida todos os utilizadores a editar ou criar novas páginas; </li></ul><ul><li>Promove a relação entre assuntos através de uma implementação facilitada de hiper-ligações </li></ul><ul><li>Envolve constantemente o utilizador na criação de conteúdos </li></ul>
  21. II – Biblioteca 2.0: ferramentas <ul><li>“ PROS” e CONS” na utilização de Wikis </li></ul><ul><li>- Facilidade de utilização </li></ul><ul><li>- Flexibilidade de edição </li></ul><ul><li>- Trabalham sobre a plataforma WWW </li></ul><ul><li>- Verdadeiramente “democráticos” </li></ul><ul><li>- Ausência de estrutura </li></ul><ul><li>- Abertura  SPAM </li></ul><ul><li>- Controlo de versões  restrições no ACESSO </li></ul><ul><li>2.6.2. Exemplos </li></ul><ul><li>LisWiki - http://liswiki.org/wiki/Main_Page </li></ul><ul><li>WIKIBIB - http://cursosmestrado.wetpaint.com </li></ul>
  22. II – Biblioteca 2.0: ferramentas 2.6.3. Wikis e Biliotecas (boas práticas) The Biz Wiki - http://www.library.ohiou.edu/subjects/bizwiki/index.php/Main_Page 2.6.3. Criar um WIKI http://www.wetpaint.com/

×