A biblioteca 2.0 e as bibliotecas públicas: o caso português

1,394 views
1,283 views

Published on

Apresentação das conclusões da investigação realizada para o doutoramento em Ciências da Infromação na Universidade de Évora.

Published in: Internet
0 Comments
4 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
1,394
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
295
Actions
Shares
0
Downloads
32
Comments
0
Likes
4
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

A biblioteca 2.0 e as bibliotecas públicas: o caso português

  1. 1. A Biblioteca 2.0 e as bibliotecas públicas O caso português Doutoramento em Ciências da Informação | IIFA |Universidade de Évora |2014 Doutorando: Paulo Jorge Oliveira Leitão Orientador: Doutor José António Calixto
  2. 2. Doutoramento em Ciências da Informação | IIFA |Universidade de Évora |2014 Estrutura da Apresentação 1. Fins, objetivos e objeto da investigação 2. Abordagem metodológica 3. Resultados e discussão 4. Conclusões e desenvolvimentos futuros 2
  3. 3. Doutoramento em Ciências da Informação | IIFA |Universidade de Évora |2014 1. Fins, objetivos e objeto da investigação  Contribuir para o desenvolvimento das bibliotecas públicas portuguesas no contexto da Biblioteca 2.0:  Caracterizar e compreender as práticas e as representações das bibliotecas e dos seus profissionais no âmbito da Biblioteca 2.0;  Elaborar contributos para uma teoria sobre a participação das bibliotecas públicas portuguesas na Web 2.0 3
  4. 4. Doutoramento em Ciências da Informação | IIFA |Universidade de Évora |2014 4
  5. 5. Doutoramento em Ciências da Informação | IIFA |Universidade de Évora |2014 5
  6. 6. Doutoramento em Ciências da Informação | IIFA |Universidade de Évora |2014 2. Abordagem metodológica 6
  7. 7. Doutoramento em Ciências da Informação | IIFA |Universidade de Évora |2014 3. Resultados e discussão 7 0 5 10 15 20 25 30 35 Ano 2006 Ano 2007 Ano 2008 Ano 2009 Ano 2010 Ano 2011 Ano 2012 Nºdebibliotecas Ritmo de adesão das bibliotecas da RNBP às plataformas Blogues Facebook Twitter YouTube Flickr Slideshare Scribd
  8. 8. Doutoramento em Ciências da Informação | IIFA |Universidade de Évora |2014 3.1 Construção da identidade nas plataformas  Aspeto pouco valorizado, muitas vezes ausente  Autodescrições valorizam sobretudo a biblioteca como espaço físico  O passado como forma de transmitir a perenidade  Frequente ausência de definição dos objetivos da participação (menos frequente nos blogues) 8
  9. 9. Doutoramento em Ciências da Informação | IIFA |Universidade de Évora |2014 3.1 Construção da identidade nas plataformas O Internauta em apuros (1):  Identificar o autor da conta  Compreender o que pretendem as bibliotecas com a participação  Tomar a decisão de seguir ou não a Biblioteca 9
  10. 10. Doutoramento em Ciências da Informação | IIFA |Universidade de Évora |2014 3.2 Compromisso de socialização  As bibliotecas não usam os mecanismos de socialização das plataformas  As bibliotecas são seguidas pelos internautas MAS  Raramente seguem alguém As bibliotecas não estão nas plataformas para se integrar numa comunidade 10
  11. 11. Doutoramento em Ciências da Informação | IIFA |Universidade de Évora |2014 3.2 Compromisso de socialização O Internauta em apuros (2):  Tarefa da descoberta da sua exclusiva responsabilidade.  Jamais será “encontrado”  Expetativa de reciprocidade gorada 11
  12. 12. Doutoramento em Ciências da Informação | IIFA |Universidade de Évora |2014 3.3 Os Conteúdos: produção / publicação 12 0 5 10 15 20 25 30 35 Semana 1 Semana 2 Semana 3 Semana 4 Semana 5 Semana 6 Semana 7 Semana 8 Semana 9 Semana 10 Padrões tipo dos ritmos de publicação de conteúdos Tipo 1 Tipo 2 Tipo 3
  13. 13. Doutoramento em Ciências da Informação | IIFA |Universidade de Évora |2014 3.3 Os Conteúdos: tipologias 13
  14. 14. Doutoramento em Ciências da Informação | IIFA |Universidade de Évora |2014 3.3 Os Conteúdos: organização  Ausência: conteúdos publicados sem qualquer descrição  Não normalizada: conteúdos do mesmo tipo podem ser descritos de forma diversa  Pouca sistematicidade: conteúdos descritos VS não descritos  Ausência de exploração das formas de representação do conteúdo: o caso das “tag’s” Mas Também  Conteúdos descritos de forma sistemática e normalizada 14
  15. 15. Doutoramento em Ciências da Informação | IIFA |Universidade de Évora |2014 O Internauta em apuros (3):  Dificuldade em descobrir os conteúdos publicados  Dificuldade em identificar / avaliar a publicação  Impossibilidade de criar uma expetativa quanto à regularidade dos conteúdos  Dificuldade em manter o interesse 15
  16. 16. Doutoramento em Ciências da Informação | IIFA |Universidade de Évora |2014 3.4 As plataformas da Web 2.0 na prática das bibliotecas públicas  Máquinas de difusão de notícias sobre as atividades  Canais de promoção do Livro e da Leitura  Leitura de lazer e uma cultura “cultivada”  Baixo nível de interação com os públicos 16
  17. 17. Doutoramento em Ciências da Informação | IIFA |Universidade de Évora |2014 3.4 As plataformas da Web 2.0 na prática das bibliotecas públicas  Completa ausência da prestação de serviços  Reduzida aposta nas potencialidades das plataformas para organização e descoberta de conteúdos  Experimentação VS Consistência de utilização 17
  18. 18. Doutoramento em Ciências da Informação | IIFA |Universidade de Évora |2014 18 OLD WINE NEW BOTTLES
  19. 19. Doutoramento em Ciências da Informação | IIFA |Universidade de Évora |2014 19 3.5 E no entanto…eles movem-se: a reação dos públicos à participação das bibliotecas  Quantitativamente significativa, embora não ao nível da grande popularidade de outros  As 2.198 publicações das bibliotecas no FB em jun/jul 2012 receberam 215.212 reações do público  Diferente impacto das plataformas consoante a sua popularidade  Reações predominantemente passivas: visualizações, “gostos”, etc.  Partilha da mesma perspetiva quanto ao Livro e à Leitura
  20. 20. Doutoramento em Ciências da Informação | IIFA |Universidade de Évora |2014 20 3.5 E no entanto…eles movem-se: a reação dos públicos à participação das bibliotecas  Utilização das plataformas para interação com a biblioteca: questões, correções…  Construção de capital social para a Biblioteca  Resposta positiva a uma estratégia de solicitação / motivação da participação  Um fenómeno de difícil compreensão: mesmo as bibliotecas que nada ou muito pouco publicam têm seguidores
  21. 21. Doutoramento em Ciências da Informação | IIFA |Universidade de Évora |2014 21 3.6 O discurso sobre a prática ou quando o puzzle ganha sentido  A ausência de uma estratégia  O impulso intuitivo da experimentação e a dificuldade de ultrapassar este patamar  Uma conceção operacional das plataformas: Divulgar…divulgar…divulgar atividades, livros…  As plataformas servem para conduzir os utilizadores à biblioteca física  A abertura da biblioteca ao Mundo
  22. 22. Doutoramento em Ciências da Informação | IIFA |Universidade de Évora |2014 22 3.6 O discurso sobre a prática ou quando o puzzle ganha sentido  A completa subalternização do novo ambiente  Um participação reconhecidamente:  episódica  desorganizada  amadora  A ausência de know-how e as dificuldades da formação
  23. 23. Doutoramento em Ciências da Informação | IIFA |Universidade de Évora |2014 23 3.6 O discurso sobre a prática ou quando o puzzle ganha sentido  Públicos e comunidades:  O clássico modelo da intermediação e o público como um recetor  O público como produtor e a obsessão do controle  O utilizador do território VS os outros  A verdadeira cidadania é ganha quando se acede ao templo
  24. 24. Doutoramento em Ciências da Informação | IIFA |Universidade de Évora |2014 24 3.6 O discurso sobre a prática ou quando o puzzle ganha sentido  Um certo desencanto pelo nível de participação, embora se reconheça que ela resulta da prática organizacional  Um utilizador à imagem do bibliotecário  O público que invade o espaço sagrado: celeridade e qualidade da resposta  “Podemos estar todos com a cabeça a prémio”  A difícil integração das comunidades: a pré-validação como condição
  25. 25. Doutoramento em Ciências da Informação | IIFA |Universidade de Évora |2014 25 3.6 O discurso sobre a prática ou quando o puzzle ganha sentido 3.6.1. A caminho da mudança  Uma estratégia (assumida!) pela diferenciação. A importância do Local.  A biblioteca como agregadora de informação e de indivíduos  A participação consentida e motivada embora contaminada pela ânsia do controle  Uma certa subordinação do utilizador: o público como coadjuvante do trabalho de identificação e descrição dos conteúdos
  26. 26. Doutoramento em Ciências da Informação | IIFA |Universidade de Évora |2014 26 3.6 O discurso sobre a prática ou quando o puzzle ganha sentido 3.6.2. A caminho da mudança  Diversificação de conteúdos publicados  A possibilidade de um efetivo serviço: o caso do serviço de referência  A exigência de equipas mais “culturalmente” qualificadas  A centralidade do novo universo  Um discurso não reconhecidamente aplicado
  27. 27. Doutoramento em Ciências da Informação | IIFA |Universidade de Évora |2014 27 4. Conclusões e desenvolvimentos futuros  Uma biblioteca completamente autocentrada com dificuldade de sair do seu ambiente  Transposição para o novo ambiente do clássico modelo da intermediação  Um modelo finito de participação que depende de variáveis não controláveis  A crónica dificuldade com as tecnologias da informação e da comunicação  O privilégio das missões tradicionais
  28. 28. Doutoramento em Ciências da Informação | IIFA |Universidade de Évora |2014 28 Uma Biblioteca Pública perdida nos anos 80 do século XX com… bolsas de inovação
  29. 29. Doutoramento em Ciências da Informação | IIFA |Universidade de Évora |2014 29

×