Your SlideShare is downloading. ×
Semeaduraça, Planejamento e Ações Ministeriais
Semeaduraça, Planejamento e Ações Ministeriais
Semeaduraça, Planejamento e Ações Ministeriais
Semeaduraça, Planejamento e Ações Ministeriais
Semeaduraça, Planejamento e Ações Ministeriais
Semeaduraça, Planejamento e Ações Ministeriais
Semeaduraça, Planejamento e Ações Ministeriais
Semeaduraça, Planejamento e Ações Ministeriais
Semeaduraça, Planejamento e Ações Ministeriais
Semeaduraça, Planejamento e Ações Ministeriais
Semeaduraça, Planejamento e Ações Ministeriais
Semeaduraça, Planejamento e Ações Ministeriais
Semeaduraça, Planejamento e Ações Ministeriais
Semeaduraça, Planejamento e Ações Ministeriais
Semeaduraça, Planejamento e Ações Ministeriais
Semeaduraça, Planejamento e Ações Ministeriais
Semeaduraça, Planejamento e Ações Ministeriais
Semeaduraça, Planejamento e Ações Ministeriais
Semeaduraça, Planejamento e Ações Ministeriais
Semeaduraça, Planejamento e Ações Ministeriais
Semeaduraça, Planejamento e Ações Ministeriais
Semeaduraça, Planejamento e Ações Ministeriais
Semeaduraça, Planejamento e Ações Ministeriais
Semeaduraça, Planejamento e Ações Ministeriais
Semeaduraça, Planejamento e Ações Ministeriais
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×
Saving this for later? Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime – even offline.
Text the download link to your phone
Standard text messaging rates apply

Semeaduraça, Planejamento e Ações Ministeriais

1,348

Published on

0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
1,348
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
30
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. Semeadura, Planejamento e Ações Ministeriais Encontro de Capacitação Para a Liderança da Igreja Metodista em Valinhos
  • 2. Música... Música... Título: Cântico da Colheita Ministério: Comunidade da Zona Sul Álbum: Rompendo em Fé Ano: 1998
  • 3. Objetivos... Objetivos... Macro Objetivo Macro Objetivo Aplicar a Parábola do Semeador ao Planejamento Aplicar a Parábola do Semeador ao Planejamento Conversar Sobre as Ações da Liderança da IIM Valinhos em 2010 Conversar Sobre as Ações da Liderança da M Valinhos em 2010 Micros Objetivos Micros Objetivos Relacionar as Sementes aos Tipos de Ações Ministeriais Relacionar as Sementes aos Tipos de Ações Ministeriais Entender a Semeadura nas Ações Ministeriais Entender a Semeadura nas Ações Ministeriais
  • 4. Lendo a Bíblia... Lendo a Bíblia... Mateus 13.3-8
  • 5. Dinâmica Introdutória... Dinâmica Introdutória... Vamos Brincar Com Sementes...
  • 6. Ações Com Estratégias Ações Com Estratégias Ações Que Desviam da Visão Pré-Determinadas Que Ações Que Desviam da Visão Pré-Determinadas Que Geral E Não Tem Qualquer Geral E Não Tem Qualquer Tem Falta de Consistência Tem Falta de Consistência Chance de Crescer Chance de Crescer A Beira Do Caminho No Meio Das Pedras As Sementes e as Ações [Projetos] Ministeriais No Meio Dos Espinhos Em Terra Boa Ações Boas Que Se Ações Boas Que Se Ações Que Permanecem ee Ações Que Permanecem Desenvolvem, Mas São Desenvolvem, Mas São Atingem ooObjetivo Atingem Objetivo Sufocadas Por Outras Sufocadas Por Outras
  • 7. A Beira Ações Com Estratégias Pré-Determinadas Ações Com Estratégias Pré-Determinadas Do Caminho Que Tem Falta de Consistência Que Tem Falta de Consistência Exemplos •Trazemos e perdemos pessoas importantes porque não sabemos nos relacionar com elas; •Trazemos e perdemos pessoas porque não sabemos cuidar delas; •Superficialidade de ações e projetos; •Ministérios monótonos: sem vibração, razão de ser e emoção; •Má uso da mídia; •Frustração gerada pelos erros do passado;
  • 8. No Meio Ações Que Desviam da Visão Geral e Ações Que Desviam da Visão Geral e Das Pedras Não Tem Qualquer Chance de Crescer Não Tem Qualquer Chance de Crescer Exemplos • Relacionamentos superficiais nos ministérios; • Relacionamento da liderança com os/as demais é superficial; • Metodologias usadas são ultrapassadas; • Estratégias que insistimos, mas não dão resultado;
  • 9. No Meio Ações Boas Que Se Desenvolvem, Dos Ações Boas Que Se Desenvolvem, Espinhos Mas São Sufocadas Por Outras Mas São Sufocadas Por Outras Exemplos • As pessoas que trazemos são sufocadas pela nossas ações [ativismo na igreja]; • Nossos/as membros não multiplicam a dinâmica da igreja; • Nossos/as ministérios vivem em conflitos [programações, metodologias, estilo, etc...]; • Projetos bons que são sufocados pelos erros e por outros que não vão pra frente;
  • 10. Em Terra Ações Que Permanecem e Ações Que Permanecem e Boa Atingem o Objetivo Atingem o Objetivo Exemplos • Estratégias para acolher e cuidar das pessoas; • Programas de desenvolvimento de vocação; • Treinamento de liderança; • Discussão do planejamento e orçamento com a liderança e não somente com o min. de finanças;
  • 11. Entendendo a Semeadura... Entendendo a Semeadura... Princípios da Parábola das Sementes Para o Planejamento e Ação Ministerial
  • 12. Primeiro Princípio... Primeiro Princípio... “QUEM PLANTA BEM, COLHE BEM”. Cuide de Suas Ações Ministeriais •Ore, peça a direção de Deus antes de tudo; •Pense, reflita, analise; •Consulte, peça orientação; •Calcule, verifique possibilidades; •Acompanhe as ações ministeriais de perto;
  • 13. Segundo Princípio... Segundo Princípio... “O FRUTO É CONSEQUÊNCIA DE UMA SEMENTE”. Verifique o Que Esta Plantando •Sua semente é a necessária?; •Sua semente tem qualidade?; •Sua semente tem relevância?; •Sua semente tem sentido?;
  • 14. Terceiro Princípio... Terceiro Princípio... “OS FRUTOS DE UMA PLANTAÇÃO NÃO DEPENDEM APENAS DA QUALIDADE DA SEMENTE, MAS DA FORMA COMO ELA É PLANTADA”. Como Você Pretende Plantar a Boa Semente? •Verifique suas ferramentas; •Busque a melhor oportunidade / momento; “Semear é diferente de jogar na terra”.
  • 15. Quarto Princípio... Quarto Princípio... “PARA FRUTIFICAR, A SEMENTE DEPENDE DA PERCEPÇÃO DO SEMEADOR”. Você é Sensível / Atento/a... •As carências de sua semeadura [ministério, projeto]; •As necessidades que aparecem no processo; •A qualidade do desenvolvimento; •As podas necessárias;
  • 16. Quinto Princípio... Quinto Princípio... “SEMEAR NÃO É UM TRABALHO BRAÇAL, MAS DE INTELIGÊNCIA”. Não Se Desgaste Desnecessariamente •Valorize Ações Preventivas; •Antecipe Situações; •Esteja atento aos acontecimentos; •Priorize o que é necessário; •Se Avalie Constantemente; •Preste contas;
  • 17. Sexto Princípio... Sexto Princípio... “A SEMEADURA EXIGE TEMPO”. Aprenda a Esperar... •Grandes conquistas vem com o tempo; •Não fique mudando de estratégia; •Não sofra por antecipação; •Aprenda a conviver com o tempo;
  • 18. Os Recursos / Dons na Os Recursos / Dons na Semeadura... Semeadura... Água Terra Sol Adubo Ministério Pastoral Ministério Pastoral Administração Administração Louvor Louvor Comunicação Comunicação Mordomia Mordomia Comunhão e Lazer Comunhão e Lazer O Uso dos Dons Mulheres Mulheres Conselho Fiscal Conselho Fiscal Na Semeadura da Proclamação Proclamação Dep. Infantil Dep. Infantil Procuradores Procuradores Ensino Igreja Oração Ensino Oração Família Família Ornamentação Ornamentação Homens Homens Solidariedade Solidariedade Juventude Juventude Tesouraria Tesouraria
  • 19. A Importância do Processo de A Importância do Processo de Planejamento... Planejamento... Semeie Semeie Cuide Cuide Colha Colha Planeje Planeje estrategic estrategic amente amente Colha os Colha os Lance Lance suas suas frutos que frutos que Sonhos na Sonhos na ações; ações; Deus fez Deus fez Realidade; Realidade; Avalie-se Avalie-se crescer; crescer; Constante Constante mente; mente;
  • 20. Considerações Finais... Considerações Finais... Uma igreja que promove uma semeadura sadia pode ser testada por adversidades, mas sobrevive. Suas ações ministeriais podem ser avaliadas a qualquer momento, pois tem consistência. “O mesmo sol que endurece o barro derrete a cera”. [Provérbio Nordestino]
  • 21. Considerações Finais... Considerações Finais... Muitas sementes precisam do calor do sol para crescer, mas muitas não resistem ao mormaço e morrem. Há lideres que não estão dispostos a avaliar seus projetos, pois dificilmente resistiriam. “Não basta apenas semear, é preciso semear bem. Não basta apenas planejar, é preciso planejar bem. Não basta apenas agir, é preciso agir bem”.
  • 22. Vamos Conversar...
  • 23. Como Esta o Planejamento do Como Esta o Planejamento do Seu Ministério? Seu Ministério? •Você tem cumprido o que construiu no inicio do ano? •O Ministério se reúne [TODOS/AS JUNTOS/AS] periodicamente para pensar na sua ação ministerial? •Seu ministério agrupou mais pessoas?
  • 24. Temos Usados os Diversos Dons Temos Usados os Diversos Dons na Semeadura da Igreja na Semeadura da Igreja Metodista em Valinhos? Metodista em Valinhos? •Os Ministérios tem trabalhado em parceria uns com os outros? •Os Ministérios tem planejado junto? •Qual é o “horizonte” para qual nossos ministérios tem caminhado?
  • 25. Vamos Orar... Vamos Orar...

×