Dor lombar e dor irradiada para a perna
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

Dor lombar e dor irradiada para a perna

on

  • 14,115 views

 

Statistics

Views

Total Views
14,115
Views on SlideShare
13,207
Embed Views
908

Actions

Likes
0
Downloads
60
Comments
0

3 Embeds 908

http://rheumalus.blogspot.com.br 461
http://www.rheumalus.blogspot.com.br 439
http://rheumalus.blogspot.com 8

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Microsoft PowerPoint

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

Dor lombar e dor irradiada para a perna Dor lombar e dor irradiada para a perna Presentation Transcript

  • Dor lombar e dor irradiada para a perna Alambert,PA 2013
  • Quadro clínico• M.P.S, 49ª,torneiro mecânico,masc,procedente de São Vicente refere dor lombar há 2 semanas,contínua e em choque elétrico,a qual se irradia para a extremidade inferior direita até a face lateral do pé.Ás vezes fraqueza leve e/ou dormência na extremidade inferior citada.
  • Quadro clínico• A dor surgiu de forma aguda. Piora com a inclinação do tronco para a frente. As dores elétricas costumam ser intermitentes, piorando em decorrência de determinados movimentos.
  • SEMIOLOGIAEXAME FÍSICO DA COLUNALOMBO-SACRA
  • Exame físico coluna lombar• 1-Inspeção• 2-Palpação• 3-MobilidadeA)Flexão / ExtensãoB)Flexão (ou inclinação) lateral (D/E)C)Rotação (D/E)D)Distância mão-chão
  • Inspeção da coluna lombar
  • Palpação da coluna lombar
  • MOBILIDADE Flexão / Extensão Flexão lombarAmplitude articular: 0°-95° Extensão lombar Amplitude articular: 0°-35°
  • MOBILIDADEFlexão (ou inclinação) lateral (D/E) Ocorre no plano frontal. Amplitude articular: 0°-40°
  • MOBILIDADE ROTAÇÃO Ocorre no plano transversal. Amplitude articular: 0°-35°
  • Teste de Laségue(pesquisa de ciática)
  • EXAME NEUROLÓGICO
  • Exame neurológico L41-MOTRICIDADE: m. tibial anterior(inversão do pé)2-REFLEXO: patelar3-SENSIBILIDADE: dermátomo de L4(face medial perna e pé)
  • Exame neurológico L4
  • Exame neurológico S11-MOTRICIDADE: mms. fibulares longo e curto(eversão do pé)2-REFLEXO: aquileu3-SENSIBILIDADE: dermátomo de S1 (facelateral do pé)
  • Exame neurológico S1
  • CASO CLÍNICOEXAME FÍSICO
  • EXAME FÍSICO• Manobra de Lasegue positiva em 45º• Reflexo Aquileu ausente á direita• Paciente não consegue caminhar na ponta dos pés• Diminuição da sensibilidade na face lateral do pé direito
  • Qual é sua Hipótese diagnóstica? Que exames solicitar?
  • respostas• Lombociatalgia direita por provável hérnia discal segmento L5-S1.• Radiografia de coluna lombo-sacra• Ressonancia Nuclear Magnética de Coluna Lombo-Sacra
  • Rx de coluna lombo-sacra Imagem mostrando o sinal do vácuo entre L5 e S1 sugerindo discopatia
  • RNM de coluna lombo-sacra Volumosa hérnia discal em L5-S1
  • Tratamento• Fisioterapia:Estabilização lombar,aumento da flexibilidade e força dos isquiotibiais e dos flexores do quadril,melhora da biomecânica postural.• Aines• Analgésicos• Relaxantes musculares
  • Tratamento• Medicamentos estabilizadores do humor como gabapentina e pregabalina podem ser úteis.• Esteróides?• Infiltração epidural de esteróides• Microdiscectomia percutânes/nucleoplastia• Discectomia/discectomia com fusão
  • LombociatalgiaApresentação de tema
  • Lombalgia: dor região pósteroinferior do tronco entre últimoarco costal e a prega glútea.Lombociatalgia: dor lombar comirradiação pelo território deinervação do ciático.
  • Epidemiologia:80% das pessoas terão pelo menos 1 episódiodurante a vida.Homem = Mulher30 e 50 anos.50% do gasto total com a patologias ligadas aotrabalho.o50% melhoram após uma semana.o90% após 8 semanas.o5% incapacidade maior ou igual a 3 meses
  • Classificação AGUDA SUB-AGUDA CRÕNICA< 2 A 4 SEMANAS ATÉ 12 SEMANAS > 12 SEMANAS
  • Classificação etiológicaLombalgia Lombalgia LombalgiaMecânica Não mecânica ReferidaProvocada por Provocada por Provocada poranormalidade doença neoplásica doença visceralfuncional ou ou inflamatória ouanatômica, sem infecciosaevidencia clínica dedoença neoplásicaou inflamatória
  • Diagnóstico• Anamnese/antecedentes clínicos• Exame físico• Exames radiológicos• Exames por imagem• Exames laboratoriais
  • SINAIS DE ALERTA• FEBRE • PERDA DE PESO• DOR À PALPAÇÃO INEXPLICADA DAS VÉRTEBRAS • ACHADO• ACHADO NEUROLÓGICO NEUROLÓGICO POSITIVO PERSISTENTE POR MAIS DE 30 DIAS
  • SINAIS DE ALERTA• HISTÓRICO DE Ca • DORES• USO PROLONGADO ARTICULARES DE ESTERÓIDES • IMUNOSSUPRESSÃO• TRAUMA SIGNIFICATIVO
  • Sinais de alerta ( red flags)Febre ,consupção: infecção ,tumorDor aguda intensa: aneurisma aorda ,fratura, ruptura discal, trauma.Aumento da dor ao repouso: espondilite.Rigidez matinal > 1 hora: Doençainflamatória.Dor óssea noturna: tumor.Anestesia em sela ,perda do controleesfincteriano: Sd. da cauda equina.
  • Exames de imagem (rotina): (rotina)só caso sinais de alerta.Sem melhoras em quatro a seis semanas.1-Rx Simples.2-CT.3-RNM.4Hemograma / vhs (infecção)
  • Tratamento:1-Alteração hábitos de vida: trabalho excessivo,obesidade, tabagismo, sedentarismo, ansiedade.2-Analgesicos3-AINH4-Relaxamentos Musculares5-Corticosteroides6-Opioides7-Repouso curto8-Cinesioterapia (Alongamento fortalecimentomuscular)9-Infiltração Corticoide10-1 a 2 % Cirurgia