Your SlideShare is downloading. ×
Apostila para os alunos  sistema urinário, sistema digestório  2012_
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×
Saving this for later? Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime – even offline.
Text the download link to your phone
Standard text messaging rates apply

Apostila para os alunos sistema urinário, sistema digestório 2012_

5,111

Published on

0 Comments
1 Like
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total Views
5,111
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
63
Comments
0
Likes
1
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. Sistema Urinário O Sistema Urinário remove do sangue subprodutos tóxicos demetabolismo, secreta os hormônios renina e eritropoetina, conservam sais,glicose, proteínas e água. armazena a urina produzidas no rim na bexigaurinária e retira a urina do corpo. Essas funções são realizadas por doisrins, dois ureteres, uma bexiga e uma uretra. Por causa destas funçõesde eliminação e conservação, os rins também ajudam a regular apressão do sangue, a hemodinâmica, assim como o equilíbrio ácido-basedo corpo.Funções:Reciclagem. Os rins recuperam materiais essenciaisExcreção. Os rins removem do corpo produtos residuais do metabolismo,particulamente a uréia.Secreção hormônios (renina e eritropoetina)RIMÓrgãos grandesAvermelhados 1
  • 2. Forma de feijãoSituados na parede posterior do abdômenRamos de artéria e veia, vasos linfáticos renais, ureter perfuram o rim nohilo (uma depressão)No hilo o ureter se expande formando a pelve renalUma extensão do hilo, cheia de gordura, situada dentro do rim, édenominada seio renal.O rim está dividido em córtex e medulaForma de um feijão com uma borda convexa e a outra côncava, na qual sesitua o hilo, onde entram e saem os vasos sanguíneos, entram nervos esaem os ureteresO hilo contém dois ou três cálices que se reúnem para formar a pélvisrenal (parte superior dilatada do ureter) e tecido adiposo.As paredes dos cálices menores e maiores e da pelve renal consistem emtrês camadas chamadas de mucosa, muscular e adventícia. Mucosa. Revestido por epitélio de transição ou urotélio, querepousa sobre uma lâmina própria de tecido conjuntivo. Muscular. Consiste em células musculares lisas dispostas em duascamadas, uma interna longitudinal e outra externa circular. Adventícia. Composta por tecido conjuntivo frouxo 2
  • 3. O rim é constituído pela cápsula, a zona cortical e a zona medular.As regiões medular e cortical são constituídas pelo conjunto de néfronse de tecido intersticial do rim. Cápsula Camada fina e resistente que cobre o rim. Ela pode ser dividida emuma camada externa de Tecido Conjuntivo Denso Não Modelado comfibras elásticas e musculares ocasionais e uma camada internacaracterizada por numerosos miofibroblastos que auxiliam o rim a resistiràs mudanças de volume e pressão. Zona Cortical/ Córtex Faixa de tecido castanho avermelhado situado sob a cápsula, sendoque sua cor é causada pelo fato de 90% a 95% do sangue que passa pelorim estar no córtex. Ele consiste de corpúsculos renais, de partescontorcidas dos túbulos proximais e distais. Os glomérulos envolvidospor suas cápsulas dão a aparência granulosa ao córtex. Zona Medular 3
  • 4. A medula é a porção mais clara do rim. Ela é constituída porporções retas dos túbulos proximais e distais, das alças de Henle,ductos coletores e vasos sanguíneos retos. Ela está organizada em 8 a 18estruturas cônicas, denominadas pirâmides medulares, que apresentamestrias radiais. A base de cada pirâmide é adjacente ao córtex e o ápiceprojeta-se no seio renal. Formada por 10 a 18 pirâmides medulares (deMalpighi), cujos vértices fazem saliência nos cálices renais. Essassaliências são as papilas, sendo cada uma perfurada por 10 a 25 orifícios(área crivosa). Da base de cada pirâmide partem os raios medulares, quepenetram na cortical. Colunas renais e Raios medulares. As colunas renais sãoconstituídas de tecido cortical que se projeta para dentro da medula e osraios medulares são um tipo de tecido medular que se projeta paradentro do córtex. Lobo = 1 pirâmide + Tecido Cortical que recobre sua base e seuslados Lóbulo = Raio Medular + Tecido Cortical que lhe fica em volta 4
  • 5. Túbulo urinífero = Néfron + Túbulo Coletor Cada túbulo urinífero é envolvido por uma lâmina basal que secontinua com o escasso tecido conjuntivo do rim. Néfron O néfron é a unidade básica da estrutura e função do rim. Orim humano possui 1,5 a 2,0 milhões de néfrons e é constituído por várioscomponentes que são corpúsculo renal, túbulo contorcido proximal,segmento reto do túbulo proximal, alça de Henle, segmento reto dotúbulo contorcido distal e túbulo contorcido distal. Existem dois tipos denéfrons, classificados pela localização de seus corpúsculos renais nocórtex do rim: o justamedular (cujo glomérulo se localiza na regiãoprofunda da cortical apresentam glomérulo de maior volume e umalonga alça de Henle que alcança a medula) e o cortical (cujo gloméruloestá localizado na região cortical superficial apresentam um glomérulode pequeno volume e uma delgada alça de Henle). Os néfrons justamedulares por possuir uma alça de Henle maior e osanimais que possuem essa alça produz uma urina hipertônica, e assimpoupa a água do corpo. 5
  • 6. Corpúsculo renal (corpúsculo de Malpighi). Os corpúsculos renaisconstituem o início do néfron e localizam-se exclusivamente no córtex.Um corpúsculo é constituído por um revestimento epitelial duplo, acápsula renal (Bowmann) que envolve um tufo de alças de capilaresanastomosadas, o glomérulo. Corpúsculo renal = Glomérulo + Cápsula de Bowmann Cada corpúsculo renal possui um pólo vascular pelo qual penetra aarteríola aferente e sai à arteríola eferente e um pólo urinário, onde teminício o túbulo contorcido proximal Glomérulo O glomérulo é formado por capilares provenientes de váriaspequenas arteríolas, ramos da arteríola aferente, que supre o corpúsculorenal. A arteríola aferente divide-se em vários capilares, que vãoconstituir alças. O glomérulo é um tufo de capilares arteriais envolvidopela cápsula de Bowmann. Os capilares glomerulares são fenestrados,com amplos poros e sem diafragma. Uma membrana basal (fusão daslâminas basais do endotélio e podócitos) está interposta entre os capilares eos podócitos que revestem a superfície externa dos capilares glomerulares. 6
  • 7. Admite-se que esta membrana basal seja a principal barreira defiltração glomerular. Os capilares glomerulares possuem as célulasmesangiais em certas regiões de suas paredes. As células mesangiais sãocontráteis e têm receptores para angiotensina II. A ativação dessesreceptores reduz o fluxo sanguíneo glomerular. Possui receptores para ohormônio natriurético produzido pelas células musculares do átrio docoração. Este hormônio é um vaso dilatador e relaxa as célulasmesangiais, provavelmente aumentando o volume de sangue noscapilares e a área disponível para a filtração. As células mesangiaispossuem outras funções como: dar suporte estrutural ao glomérulo,sintetizam a matriz extracelular, fagocitam e digerem substânciaspatológicas retidas pela barreira de filtração e produz substânciascomo a endotelina, que causa contração nas musculaturas lisas dasarteríolas aferentes e eferentes do glomérulo. Cápsula de Bowman. É a parte do néfron na qual o sangue éfiltrado, produzindo o filtrado glomerular. Estrutura da Cápsula A cápsula é constituída por um folheto visceral interno e umfolheto visceral externo, sendo que, o espaço situado entre os dois folhetos 7
  • 8. da cápsula renal espaço capsular, que recebe o líquido filtrado através daparede dos capilares e do folheto visceral da cápsula. Folheto Visceral Interno. O folheto visceral é altamenteespecializado e intimamente aderido aos capilares glomerulares. Sãocélulas que se modificaram durante o desenvolvimento embrionário e sãochamadas podócitos sendo formadas por um corpo celular de onde partemdiversos prolongamentos primários que dão origem aos prolongamentossecundários. Os podócitos localizam-se sobre uma membrana basal, poréma maior parte do corpo celular e prolongamentos primários não se apóiamna membrana basal. Os espaços entre os prolongamentos secundários sãoconhecidos como fendas de filtração. Folheto Parietal Externo. O folheto parietal é constituído porEpitélio Pavimentoso Simples que tem continuidade no epitélio cubóidedo túbulo contorcido proximal. Túbulo Contorcido Proximal O espaço urinífero da cápsula renal drena para o TCP. Estes túbulosconstituem a maior parte do labirinto cortical do rim. O TCP é revestido 8
  • 9. por epitélio cubóide ou colunar baixo e são células largas, (sendo que emcorte transversal aparece apenas três a quatro núcleos esféricos), comgrande quantidade de microvilosidades que formam orla em escova paraabsorção. Inúmeras mitocôndrias e invaginações na porção basal(características de células transportadoras de íons). Os túbulos contorcidosproximais são circundados por muitos capilares sanguíneos. O filtradoglomerular passa para o túbulo contorcido proximal, onde começa oprocesso de absorção e excreção. Absorve a glicose e os aminoácidoscontidos no filtrado glomerular, 70% da água, bicarbonato de sódio ecloreto de sódio. A glicose, aminoácidos e íons são absorvidos portransporte ativo, com gasto de energia, porém a água acompanhapassivamente essas substâncias. Quando a quantidade de glicose no filtradoexcede a capacidade de absorção nos túbulos proximais, a urina se tornamais abundante e contêm glicose. Além dessas atividades, o túbuloproximal secreta creatinina e substâncias estranhas ao organismo, comoácido úrico. Alça de Henle A alça de Henle é uma estrutura em forma de U que participa daretenção de água e consiste em um segmento delgado interposto a doissegmentos espessos. Apresenta três porções distintas: Porção inicial, que 9
  • 10. corresponde a porção final do TCP; porção fina constituída por epitéliopavimentoso simples, por isso observa-se um lúmen largo e a porçãoterminal que é a porção inicial do TCD. Túbulo Contorcido Distal. Localiza-se no labirinto cortical e possuisomente cerca de um terço do comprimento do TCP. É formado porepitélio cúbico simples e possui um acúmulo de células que encosta naarteríola eferente, chamada mácula densa. Esta porção especializada doepitélio do túbulo distal está envolvida na regulação da pressão dosangue. Túbulos e Ductos Coletores. Epitélio geralmente cúbico ouprismático simples Aparelho Justaglomerular. Próximo ao corpúsculo renal, aarteríola aferente (às vezes também a eferente) não tem membranaelástica interna e suas células apresentam-se modificadas. Essas célulassão chamadas células justaglomerulares ou células JG e possuem núcleosesféricos e citoplasma carregado de grânulos de secreção. 10
  • 11. Interstício Renal. É constituído pelo Tecido Conjuntivo Frouxoque se encontra entre os néfrons, ductos, vasos sanguíneos e linfáticos dorim. No córtex seu volume é pequeno, no entanto, a partir do limitecorticomedular aumenta progressivamente e, na altura das papilasrenais, representa 20% do volume tecidual. Ureter Ureter. A urina atravessa a extremidade estreita da pelve renal e évertida no ureter, um ducto de 30 cm de comprimento e 4 mm dediâmetro. Possui uma luz de forma estrelada que é revestida por epitéliode transição (urotélio), lâmina própria, camada Tecido Muscular Liso(camada interna longitudinal e uma externa circular) e camadaadventícia. Bexiga Bexiga. A bexiga é um reservatório distensível de urina, seutamanho e forma mudam quando fica cheia. Quanto à organizaçãohistológica assemelha-se ao ureter, exceto por ser uma estrutura muitomais desenvolvida e não possui luz estrelada. A mucosa é formada porepitélio de transição e por uma lâmina própria de tecido conjuntivo 11
  • 12. que varia de frouxo a denso. As células superficiais do epitélio detransição são responsáveis pela barreira osmótica. Nestas células, amembrana plasmática em contato com a urina é especializada,apresentando placas espessas separadas por faixas de membranas maisdelgadas. Quando a bexiga se esvazia, a membrana se dobra nas regiõesdelgadas e as placas de espessas se envaginam e se enrolam. Ao se enchernovamente sua parede se distende. A muscular é composta por trêscamadas de músculo liso (longitudinal interna, circular média elongitudinal externa). Possui externamente uma camada adventícia. Uretra feminina: Mede 3 a 5 cm de comprimento Epitélio estratificado pavimentoso não queratinizado(exceto próxima a bexiga onde possui epitélio polimorfo) Entre as glândulas epiteliais a glândulas equivalentes àsglândulas de Littré O Tecido Conjuntivo Frouxo da lâmina própria formapregas longitudinais que desaparecem durante a micção Abundância de vasos venosos Em torno da mucosa há uma camada de fibras musculareslisas que se continua com o músculo da bexiga 12
  • 13. Há esfíncter externo constituído de tecido muscular estriadoesquelético 13
  • 14. Sistema Digestório: Cavidade Oral O sistema digestório, constituído pela cavidade oral, tratoalimentar e glândulas associadas, atua na ingestão, mastigação,deglutição, digestão e absorção dos alimentos, assim como na eliminaçãodos resíduos não digeridos. A cavidade oral é constituída pela boca e seuconteúdo: lábios, bochechas, palatos duro e mole, língua, dentes eglândulas salivares. A cavidade oral é revestida por um epitélio pavimentosoestratificado queratinizado ou não, dependendo se no local há agressõesmecânicas durante a mastigação. Lábios O lábio humano apresenta três superfícies (pele, bordavermelha e a mucosa) e um núcleo comum. A superfície externa érecoberta pela pele, composta por epiderme e derme à qual estão associadasglândulas sudoríparas, folículo piloso e glândulas sebáceas. A bordavermelha é a região rosada do lábio, que também está coberto pela pelefina e é encontrada somente em seres humanas, onde as papilas dérmicas 14
  • 15. altas conduzem vasos sanguíneos próximos à superfície, contribuindo paraa região rosada dessa região. É destituída de glândulas sudoríparas efolículo piloso, apesar de glândulas sudoríparas não funcionais estarempresentes ocasionalmente. A mucosa (face interna) é revestida por umepitélio úmido, estratificado pavimentoso não queratinizado e um tecidoconjuntivo denso não modelado que abriga glândulas salivares menores.O eixo central do lábio possui tecido muscular estriado esqueléticoentremeado por tecido conjuntivo, responsáveis pela motilidade dos lábios A cavidade oral é revestida por um epitélio pavimentoso estratificadoqueratinizado ou não, dependendo da região. A camada queratinizadaprotege a mucosa oral das agressões mecânicas durante à mastigação epode ser observada na gengiva e no palato duro. A lâmina própria nestasregiões possui varias papilas e repousa diretamente sobre o periósteo.Epitélio pavimentoso não queratinizado reveste o palato mole, lábios,bochechas e o assoalho da boca. A lâmina própria possui papilas similaresáquelas observadas na derme e é contínua com a submucosa, que contémglândulas salivares menores.Palato duroDuroFixoRecebe esse nome por conter uma prateleira óssea 15
  • 16. Epitélio pavimentoso estratificado queratinizado assentado sobre tecidoconjuntivo denso não modeladoTecido conjuntivo com glândulas salivares mucosas e células adiposasPalato moleMóvelEpitélio pavimentoso estratificado não queratinizadoTecido conjuntivo denso não modelado contendo pequenas glândulassalivares mucosasSeu eixo central é constituído por músculo estriado esqueléticoresponsável por seu movimentoA extensão mais posterior do palato mole forma a úvula cujo aspectohistológico é semelhante ao do palato moleDentesMoem e maceram os alimentosSão encaixados e presos ao maxilar e à mandíbulaTodos os dentes decíduos e permanentes possuem coroa, colo e raiz. Osseres humanos possuem 2 conjuntos de dentes: 20 decíduos (de leite), quesão substituídos por 32 dentes permanentes (de adulto). 16
  • 17. 8 dentes em cada quadrante: 2 incisivos, 1 canino, 2 pré molares e 3molaresOs dentes são um componente essencial do processo digestivo, sendo omaior órgão da cavidade oral. Os vários dentes possuem funções diferentescomo agarrar, cortar, macerar para formar um bolo.. Estão encaixados epresos ao maxilar e à mandíbula. A parte do dente visível na cavidade oralé denominada coroa, enquanto a região dentro do alvéolo (alojamentoósseo) é denominada raiz. A parte entre a coroa e a raiz constitui o colo. Odente adulto possui 4 componentes histologicamente distintos: esmalte,cemento, dentina e cavidade pulpar.Forame apical. Orifício que permite a entrada e saída de vasos sanguíneos,linfáticos e nervos da polpa.EsmalteCobre toda a porção visível exposta (coroa) do denteA porção de esmalte acaba no coloSubstância mais dura do corpo humanoProduzido durante o desenvolvimento do dente pelos ameloblastosMais mineralizado que o osso (98% de hidroxiapatita) 17
  • 18. O esmalte pode ser danificado por bactérias produtoras de ácidos, quevivem na superfície dos dentes causando a cárie dentáriaA matriz orgânica do esmalte não é composta por fibras colágenas e simamelogenina e enamelinaOs bastonetes do esmalte são longos prismas de hidroxiapatitaA hidroxiapatita preenche os espaços entre os bastonetes (diferem só naorientação dos cristais)O esmalte maduro é acelular e não pode ser substituído, depois de formadonão cresce e nem pode ser reparadoProduzido por células denominadas ameloblastos (células colunares, altas,possuem muitas mitocôndrias, RER e Golgi desenvolvidoPossui uma extensão apical (processo de Tomes) que possui grânulos desecreção contendo as proteínas que constitui a matriz do esmalte. Após otérmino da síntese do esmalte, os ameloblastos formam um epitélio protetorque recobre a coroa até a erupção do dente. Esta função protetora éimportante na prevenção de vários defeitos do esmalteSubstância não vivaO corpo não pode reparar o esmalte, pois os ameloblastos morrem antes daerupção do dente da cavidade oral.DentinaEnvolve a cavidade pulpar 18
  • 19. Recoberta pelo esmalte na coroa e pelo cemento na raizMaterial calcificado que forma a maior parte da substância do denteContêm 70% de hidroxiapatita, sendo a segunda substância mais dura docorpoAmareladaA maior parte da substância orgânica é colágena associada a proteoglicanase glicoproteínasO seu alto grau de elasticidade protege contra fraturas o esmalteDentina é secretada lentamente durante toda a vidaOdontoblastos são localizados na periferia da cavidade pulpar secretam apré dentina que é mineralizada é forma a dentinaOs odontoblastos são células colunaresPossuem prolongamentos citoplasmáticos, os prolongamentosodontoblásticos, que ocupam lugar semelhantes a túneis na dentinapercorrendo toda a sua extensão. Os prolongamentos odontoblásticosocupam canais estreitos denominados túbulos dentináriosA matriz produzida pela dentina e não mineralizada é denomina pré-dentinaVesículas da matriz aparecem produzidas pelos odontoblastos que devidoao elevado conteúdo de cálcio e fosfato facilitam o aparecimento de cristaisde hidroxiapatita que crescem e servem como sítio de nucleação paraadição de minerais sobre as fibras de colágeno. Com o espessamento da pré 19
  • 20. dentina os odontoblastos são deslocados centralmente em direção acavidade pulpar, mas seus prolongamentos permanecem contidos dentro dadentina, formando canais longos e estreitos denominados canalículos dadentina.Cavidade PulparCompartimento de Tecido Conjuntivo Frouxo muito vascularizado einervadoSeus principais componentes são os odontoblastos e fibroblastosFica dentro do dente envolvido pela dentinaOs vasos sanguíneos e nervos penetram na cavidade pulpar pelo forameapical, uma abertura situada na ponta da raizA cavidade pulpar diminui com a idade porque a dentina continua a sersecretada durante toda a vidaPeriodonto (Tecidos de sustentação dos dentes)Compreende as estruturas responsáveis por manter o dente nos ossosmaxilar e mandibular. São eles: cemento, ligamento periodontal, ossoalveolar e gengiva.CementoCobre a raiz do dente, a parte do dente que se encaixa dentro do o alvéolo 20
  • 21. Mais espessa na região apical da raiz onde pode encontrar os cementócitos(não se comunicam entre si como os osteócitos do osso)Possui a mesma dureza do ossoCamada delgada de material semelhante ao ossoMenos mineralizado que o esmalte (45% a 50% de hidroxiapatita)Secretado pelos cementoblastos que ficam na superfície externa docementoQuando envolvidas pelo cemento, estas células são denominadascementócitos, ficam em lacunas e lançam prolongamentos dentro decanalículosA produção continua do cemento compensa o desgaste fisiológico dosdentesO ligamento periodontal fixa o cemento ao osso adjacenteOsso AlveolarEsta em contato direto com o ligamento periodontalOsso imaturo (osso primário)Ligamento periodontalFixa e dá sustentação ao denteTecido Conjuntivo com feixes grossos de fibras colágenas (fibras deSharpey) inseridos no cemento e no osso alveolar, fixando o dentefirmemente no alvéolo suportar pressões exercidas durante a mastigação, o 21
  • 22. que evida a pressão diretamente sobre o osso um processo que poderiaocasionar uma reabsorção óssea localPermite movimentos limitados dos dentesAs fibras do ligamento são organizadas para sGengivaServe para sustentação dos dentesMembrana mucosa firmemente aderida ao periósteo dos ossos maxilar emandibularPossui um epitélio pavimentoso estratificado e abaixo do epitélio fica umtecido conjuntivo denso não modeladoLâmina própria contendo papilas conjuntivasParte especializada do epitélio chamado Epitélio Juncional esta unida aoesmalte do dente por uma cutícula que se assemelha a uma lâmina basalespessaLínguaÓrgão muscular (massa de músculo estriado esquelético)As fibras musculares se intrecruzam em três planos e estão agrupadas emfeixes separadas por tecido conjuntivoSuperfície ventral lisaSuperfície dorsal irregular 22
  • 23. Essencial para a mastigação, deglutição, paladar, fala.Massa de fibras musculares esqueléticas entrelaçadasPossui uma superfície dorsal , uma ventral e 2 lateraisA porção mais posterior da língua é denominada raiz da língua Papilas linguais: Elevações do epitélio oral + lâmina propria Há 4 tipos: Filiforme Fungiforme Foliada Circunvalada Localizadas na porção dorsal da línguaPapila FiliformeEstruturas delgadasMuita queratina (ajudam a retirar alimento de uma superfície)No gato assemelha-se a uma lixaNão possuem corpúsculos gustativosMais numerosasSão projeções cônicas e alongadasDistribuídas em toda a superfície dorsal 23
  • 24. Função mecânica de fricçãoPapila FungiformeAssemelha-se a um cogumeloBase estreita e uma porção superior dilatada e lisaRevestimento pavimentoso queratinizadoSão pontos vermelhos entre as papilas filiformesPossui poucos corpúsculos gustativosMais altas que as papilas filiformesCorpúsculos gustativos são encontrados na superfície dorsalPapila FoliadaPouco desenvolvidas em humanosCorpúsculos Gustativos são encontrados nas fendas que separam as cristasPapila CircunvaladaEstruturas grandes e circularesForma de cúpulaEpitélio queratinizadoCada papila circunvalada está rodeada por uma invaginação 24
  • 25. Este arranjo similar a um fosso permite um fluxo continuo sobre os botõesgustativos. Esse fluxo é importante na remoção de partículas de alimentos,para que eles possam receber e processar novos estímulosAs glândulas serosas secretam uma lípase que provavelmente previne aformação de uma camada hidrofóbica sobre os botões gustativos o quepoderia prejudicar sua funcaoContem corpúsculos gustativosDuctos de pequenas glândulas salivares desembocam nas invaginações. Suasecreção remove o material presente nas invaginações e permite que oscorpúsculos gustativos respondam rapidamente a novos estímulosCorpúsculos gustativos se encontram lateralmenteCorpúsculo GustativoCada um contendo de 50 a 100 célulasMuitas células são as próprias células gustativasOutras possuem a função de suporteCélulas basais indiferenciadas são responsáveis pela reposição de todos ostipos celularesSão intra-epiteliaisAgem na percepção do gostoEstrutura ovalPossui células fusiformes 25
  • 26. Mais claro que o epitélio que o envolvePossui uma abertura (Poro Gustativo) constituídos por células epiteliaispavimentosasFibras nervosas penetram no corpúsculo gustativoTodos os 3 tipos celulares funcionam na discriminação do gostoCada tipo celular possuem microvilosidadesHá 4 sensações primarias do gosto: salgado, doce, amargo e ácido.Acredita-se que apesar de cada corpúsculo gustativo poder discernir cadauma das 4 sensações, cada corpúsculo gustativo se especializa em 2 dos 4gostos. O processo de percepção de gostos complexos é causado mais peloaparelho olfativo do que pelos corpúsculos gustativos, como evidenciandopela diminuição da capacidade gustativa das pessoas com congestão nasal. Glândulas Salivares Fornecem os lubrificantes (mucina) para a cavidade oral,algumas enzimas digestivas (amilase, por exemplo), eletrólitos essenciaispara a manutenção dos dentes enzima bactericida e imunoglobulinasecretora.Funções: Digestiva, lubrificante e protetora São glândulas exócrinas que produzem saliva. Podem serglândulas salivares pequenas dispersas na submucosa da cavidade oral e 26
  • 27. recebem nomes de acordo com a sua localização. Elas são glândulas bucais,labiais, linguais e palatinas; ou glândulas salivares maiores, as glândulassalivares parótida, submandibular e sublingual. Nas glândulas maioresuma cápsula de tecido conjuntivo rico em fibras colágenas contorna asglândulas e separa as glândulas em lóbulos por septo de conjuntivo quepartem da cápsula. As porções secretoras possuem 2 tipos de células secretoras, asserosas e mucosas. Células serosas: Células secretoras de proteínas Forma piramidal Núcleo é bem visível e está no meio da célula Grânulos de secreção (Zimogênio) são encontrados no citoplasmasupranuclear Células mucosas: Células secretoras de mucina Núcleo fica comprimido na base Grânulos de mucina Grânulos não se cora pela coloração H/E Os ácinos podem ser exclusivamente serosos ou exclusivamentemucosos, ou ainda mistos. Ácinos mistos são constituídos principalmente 27
  • 28. de células mucosas com um capuz de células serosas. O capuz de célulasserosas é denominado semilua serosa porque, nos cortes histológicos, tem oaspecto de meia lua.Sistema de ductos das glândulas exócrinasExiste um sistema de ductos que conduz a saliva produzida para a cavidadeoral. No sistema de ductos, as terminações secretoras se continuam comos ductos intercalares formado por células epiteliais cubóides. São ductoscurtos que se unem para formar o ducto estriado. As estriações consistemem invaginações da membrana plasmática. Ductos intercalares eestriados são também denominados ductos intralobulares, devido à sualocalização dentro dos lóbulos glandulares. O ducto estriado de cadalóbulo converge e desemboca em ductos maiores localizados nos septos dotecido conjuntivo que separam os lóbulos, onde se tornam ductosinterlobulares ou excretores. Estes são inicialmente formados por epitéliocubóide estratificado, mas as porções mais distais dos ductos excretoressão revestidas por epitélio colunar estratificado. O ducto principal decada glândula salivar maior desemboca na cavidade oral e, no final érevestido por epitélio pavimentoso estratificado não queratinizado.DUCTOS INTRALOBULARES 28
  • 29. Ductos intercalaresLigam a luz da ácino a um ducto intralobular maiorCélulas epiteliais cubóidesDuctos curtosCélulas basófilasLuz pequenaSe unem para formar o ducto estriadoPequenos ductosDucto estriadoGrandes ductosConfluência de ductos intercalaresApresentam estrias radiaisLuz evidenteCélulas cilíndricas e acidófilasDUCTOS EXTRALOBULARESDuctos revestidos por epitélio estratificado cúbico contendo luz bemevidente. Estes ductos situam-se circundados abundantemente por tecidoconjuntivo (septos). 29
  • 30. Ducto excretorEstes são inicialmente formados por epitélio cubóide estratificado, mas asporções mais distais dos ductos excretores são revestidas por epitéliocolunar estratificado, aumentando o epitélio à medida que os ductosaumentam de tamanho.Estroma: tecido conjuntivo de sustentação reponsável pela vascularizaçãoe inervação.Parênquima: tecido epitelial de revestimento e glandular, ácinos e ductos.Glândulas Salivares Menores São glândulas não encapsuladas distribuídas em toda mucosa oral esubmucosa. A saliva é produzida em pequenas unidades secretoras econduzida à cavidade oral em ductos curtos. As glândulas salivaresmenores geralmente produzem muco. As glândulas serosas na parteposterior da língua são exceção. Agregados de linfócitos podem serencontrados nas glândulas salivares menores, associados à secreção de IgA(Imunoglobulina A).Glândulas Salivares Maiores 30
  • 31. Glândula Parótida Glândula Submandibular Glândula SublingualGlândula ParótidaSão as maiores glândulas salivaresLocalização abaixo e na frente da orelhaGrande quantidade de tecido adiposo está presente na parótidaGlândula tubuloacinosa compostaTodas as suas unidades secretoras são serosasGlândula SubmandibularGlândulas seromucosas mistasÁcinos principalmente serosasLocalizadas no assoalho da boca junto da mandíbulaGlândula tubuloacinosa compostaA maioria de suas unidades é exclusivamente serosa, mas pode serencontrado alguns túbulosácidos mucosos (com capuz de semiluas serosas)Glândula Sublingual 31
  • 32. São as menores glândulas das glândulas salivares maioresLocalizadas no assoalho da bocaGlândulas tubulosas compostasGlândulas mistas que secretam principalmente mucoÁcinos exclusivamente serosos são rarosAlguns túbulos que secretam muco têm um capuz de semilua serosa 32
  • 33. Trato Digestório InferiorEsôfagoBolo alimentar é conduzido ao esôfago pela ação da língua e damusculatura da faringe durante a deglutiçãoConduz o alimento da cavidade oral para o estômagoForte tubo muscularParedes musculosas efetuam movimentos peristálticos onde impulsionam obolo alimentar em direção distal e esse é separado em pequenas partes.Organização Histológica:1. MUCOSAEpitélio pavimentoso estratificado não queratinizadoLâmina Própria. Tecido Conjuntivo Frouxo (Fibroelástico. para aacomodação da deglutição)Possui as glândulas esofágicas da cárdia que secretam um muco neutroque protege o esôfago distal do conteúdo gástrico caso haja refluxo.Muscular da mucosa. Delgada camada de músculo liso responsável pelopregueamento da mucosa2. SUBMUCOSA. Tecido Conjuntivo Frouxo sustenta a mucosa e possuiglândulas esofágicas (muco levemente ácido e são distribuídas por todo oesôfago onde lubrifica a luz do esôfago e o protege da fricção dos 33
  • 34. alimentos). Na submucosa possui muitas fibras elásticas, o que permiteuma considerável distensão durante a passagem do bolo alimentar3. CAMADA MUSCULAR. Porção Proximal. Fibras EstriadasEsqueléticas Porção Média. Mistura de musculaturaesquelética e lisa Porção Distal. Há células musculareslisasCamada Circular InternaCamada Longitudinal ExternaA ação das duas camadas em ângulo reto entre si é a base da contraçãoperistáltica4. SEROSA. Camada externa de Tecido Conjuntivo Frouxo. Nas regiõesque o tubo digestivo fica dentro da cavidade abdominal (cavidadeperitoneal) a camada é serosa (Tecido Conjuntivo Frouxo + Epitéliosimples pavimentoso)/ ADVENTÍCIA. (Tecido Conjuntivo Frouxo que sefunde com os tecidos adjacentes)Na junção do esôfago com o estômago, a mucosa do trato sofre umatransição abrupta de um epitélio estratificado pavimentoso nãoqueratinizado de proteção para uma mucosa secretora colunar simplespovoada com glândulas. 34
  • 35. EstômagoResponsável pela digestão parcial dos alimentos, secreção de enzimas ehormôniosSegmento dilatadoOnde o alimento é retido por 2 horas ou maisHá pouca absorção de nutrientes no estômagoTransforma o bolo alimentar em uma massa viscosa (quimo) por meio daatividade muscular e químicaUma vez completada a formação do quimo o esfíncter pilórico relaxa epermite que o quimo líquido seja esguichado para dentro do duodenoPossui 4 regiões: Cárdia, fundo, corpo e piloro, mas apenas 3 regiões sãoconsideradas histologicamente.Digestão química:Continuação da digestão de carboidratos iniciada na bocaAdição de um fluido ácido (HCL) ao alimento ingeridoDigestão parcial da proteína (ação da pepsina)Digestão parcial de triglicerídeosProduz fator intrínsecoProduz hormôniosDigestão física: 35
  • 36. Executa movimentos diferentes (Ação da musculatura lisa em diferentesdireções que ajudam na ação muscular para transformar o bolo alimentarem quimo)Pregas LongitudinaisPossui pregas longitudinais (rugas) não permanentes que permitemgrande distensão do estômago, pois essas se desfazem para se adaptar àexpansão e ao enchimento do estômago (aumenta o volume do estômago)Fossetas GástricasA mucosa sofre invaginações formando as fossetas gástricas. Aberturasem toda região da superfície do estômago. Atuam como ductos quetransportam secreções gástricas para a luz do estômago. As glândulasgástricas desembocam no fundo das fossetas.Organização Histológica:1. MUCOSA. A mucosa do estômago é protegida da autodigestão por umaespessa cobertura de muco, que é mantido num PH mais alto que o dosuco gástrico devido à secreção de íons bicarbonato pelas células doepitélio. Os íons bicarbonato mantêm o PH da cobertura de muco maisalta do que o suco gástrico (líquido produzido pelo estômago, contendo 36
  • 37. água, enzimas, sais e ácido clorídrico) que atua sobre o bolo alimentartransformando-o em quimoEpitélio Colunar Simples (Todas as células secretam um muco alcalino ebicarbonato)Lâmina própria. Tecido Conjuntivo Frouxo. O Tecido ConjuntivoFrouxo é escasso por causa da grande proximidade das fossetas e glândulasumas das outras.Muscular da mucosa. Tecido Muscular Liso2. SUBMUCOSA. Tecido Conjuntivo Denso3. CAMADA MUSCULAR. Tecido Muscular Liso em 3 direções Camada interna oblíqua Camada média circular Camada externa longitudinal4. SEROSACárdiaPequena área de glândulas secretoras de mucoFaixa circular estreitaTransição entre o esôfago e o estômagoNa mucosa da cárdia são encontradas as GLÂNDULAS CÁRDICAS quesão Glândulas Tubulares Ramificadas ou não com porções terminaisenoveladas e lúmen amplo. 37
  • 38. Possui: Células mucosas Células parietais Células-TroncoFundo e CorpoApresentam glândulas que elaboram secreções ácidas e enzimáticas queforma o suco gástrico e muco protetorNa mucosa do fundo e corpo são encontradas as GLÂNDULASCORPOFÚNDICAS que são Glândulas Tubulares que se abrem nasfossetas gástricas. Possuem 3 regiões com uma população mista de células: Istmo Células mucosas superficiais Células-tronco Células parietais Colo Células-tronco Células mucosas do colo Células parietais Células enteroendócrinas Base 38
  • 39. Células parietais Células zimogênicas Células enteroendócrinasPiloro (gr. Porteiro)Possui fossetas mais longas e glândulas mais curtasGlândulas são constituídas por células secretoras de muco, um númeropequeno de células parietais Possui células enteroendócrinas (células Gque liberam o hormônio gastrina), intercaladas com células mucosas. Apresença de alimento no estômago estimula a secreção de gastrina para acorrente sanguínea; a gastrina promove a secreção do ácido clorídrico pelascélulas parietais.Características das células encontradas nas glândulas do estômago:1. Células-TroncoAs células-tronco se diferenciam (mitose) para substituir os todos os outrostipos de células das glândulas, amadurecem e migram para cima ou parabaixo conforme for apropriado2. Células Mucosas SuperficiaisCobrem a superfície luminal do estômago e revestem parcialmente asfossetas gástricasCora-se mal com H/E 39
  • 40. Secretam bicarbonato e muco3. Células Mucosas do ColoFicam situadas entre as células parietaisFormato irregularNúcleos na base da célulaGrânulos de secreção próximos à superfície apical secretam mucina quepossui propriedade antibiótica4. Células Parietais (Oxínticas)São avermelhadas com a coloração de H/ESecretam H e CL e o fator intrínseco (glicoproteína necessária para aabsorção da vitamina B12)Núcleo esférico centralInvaginações da membrana plasmática formando um canalículo intracelularPossui estruturas tubulovesiculares localizadas na região apical, abaixo damembrana plasmática que se fundem com a membrana celular para formaro canalículo e mais microvilos, promovendo um aumento generoso nasuperfície da membrana celular. Os íons H e CL são secretados e se unemno lúmen do estômago formando o ácido clorídrico que proporciona ummeio ácido ideal para a atuação das enzimas para que ocorra a digestão etambém ajuda a destruir as bactérias presentes no bolo alimentar. 40
  • 41. 5. Células Zimogênicas (Principais)Reconhecidas pelo citoplasma granular com pepsinogênio, o precursor dapepsina, é secretado pelos ribossomos e armazenados em grânulos desecreção que permanece inativo até que chegue ao lúmen do estômago,onde é ativado pelo baixo ph do suco gástrico e transforma-se em pepsina(enzima que atua na digestão das proteínas)Células produtoras da enzima lípase (atua na digestão das gorduras)6. Células EnteroendócrinasCélulas secretoras de hormôniosProduz hormônios de atuação parácrina ou endócrinaIntestino DelgadoPossui de 6 a 7 metrosPossui 3 regiões: Duodeno (25 cm), jejuno (2 a 3 m) e íleo (3 a 4 m)Processo de digestão se completa no intestino delgadoEnzimas e bile agem na luz do intestino delgado decompondo o quimovindo do estômago em moléculas pequenas para serem absorvidas pelascélulas intestinaisPrincipal local da digestão e absorção de nutrientesSecreção endócrina 41
  • 42. Organização Histológica:1. MUCOSA. Epitélio. Colunar Simples Lâmina própria. Tecido Conjuntivo Frouxo (Preenche ocentro das vilosidades intestinais). Muscular da mucosa. Tecido Muscular Liso2. SUBMUCOSA. Tecido Conjuntivo Frouxo. No Duodeno contém asGLÂNDULAS DE BRUNNER que secretam muco alcalino. Este mucoprotege a mucosa contra os efeitos da acidez do suco gástrico e neutraliza oPH do quimo, aproximando-o do PH ótimo para ação das enzimaspancreáticas.LÂMINA PRÓPRIA e SUBMUCOSA do intestino delgado contêmagregados de nódulos linfóides que são mais numerosos no íleo e nesteórgão são conhecidos como placas de Peyer (área oval)3. CAMADA MUSCULAR. Tecido Muscular Liso Camada circular interna Camada longitudinal externa4. SEROSA 42
  • 43. Estruturas que aumentam a superfície do intestinoEstruturas que aumentam a superfície do Intestino Delgadoaumentando assim a área disponível para absorção dos nutrientes:PREGAS, VILOSIDADES E MICROVILOSIDADES1. Pregas permanentes são dobras da mucosa e submucosaMais desenvolvidas no jejunoPresentes no duodeno e íleo, porem não são características desses órgãos2. Vilosidades intestinais que são projeções alongadas da mucosa(Epitélio e lâmina própria)3. MicrovilosidadesProjeções citoplasmáticasDuodenoPrimeira parte do intestino delgadoRecebe o alimento parcialmente digerido sob a forma de quimo ácidoPossui as glândulas de Brunner encontradas na submucosaA presença do quimo no duodeno estimula as glândulas de Brunner asecretarem um muco alcalino que ajuda a neutralizar o quimo ácido eprotege a mucosa duodenal da autodigestão. 43
  • 44. JejunoLocal primário para absorção dos nutrientesÍleoPorção terminal do intestino delgadoAgregações de nódulos linfáticos (placas de Peyer)O INTESTINO DELGADO possui a mesma estrutura básica ao longode toda a sua extensão. As principais diferenças são:Presença de glândulas de Brunner no duodenoA proporção das células caliciformes no epitélio aumenta em direçãodistalVilosidades tornam-se mais curtas em direção ao íleoAs placas de Peyer são mais numerosas no íleoAs vilosidades do intestino delgado são revestidas por epitélio simplescilíndrico, que é contínuo com o das criptas. Como outras partes do tratodigestório o epitélio inclui uma variedade de tipos celulares, cada qualcom sua função específica. São eles:1. Enterócitos: 44
  • 45. O tipo celular mais numerosoCélulas cilíndricas altas com microvilos São as principais células absortivasColunaresNúcleo oval basalPossui borda em escova (microvilosidades densamente agrupadas), sendoque cada célula absortiva possui cerca de 3000microvilosidadesFunção é internalizar nutrientes produzidas durante a digestão2. Células CaliciformesEspalhadas entre os enterócitosDistribuídas entre as células absortivasMenos abundantes no duodeno e aumentam em direção ao íleoProduzem mucina que forma o muco cuja função é proteger e lubrificar orevestimento do intestinoProduzem mucina para lubrificação do conteúdo intestinal e proteção doepitélio3. Célula de PanethEncontradas na base das criptas de LieberkuhnDistinguidas pelos seus grânulos apicaisLocalizadas na porção basal das glândulas intestinaisCélulas exócrinas com grânulos de secreção (com lisozima e defensina,enzimas que digerem as paredes das bactérias). Devido a sua atividade 45
  • 46. antibacteriana a lisozima também exerce controle sobre a microbiotaintestinalFunção de defesaOs grânulos das células de Paneth contêm peptídeos antimicrobianos eenzimas protetoras como a lisozima.4. Células enteroendócrinasPossui grânulos de secreção e os hormônios podem exercer efeito parácrinoou endócrino5. Células-troncoEncontradas na base das criptasSe dividem continuamente para substituir os tipos celulares6. Célula MRecobrem folículos linfóides das placas de Peyer localizadas no íleoPossui invaginações basais contendo muitos linfócitos e célulasapresentadoras de antígenos como os macrófagosPodem captar antígeno por endocitose e transportá-los para os macrófagosIntestino Grosso 46
  • 47. Principais funções do intestino grosso são a recuperação da água e dos saisdas fezes e a propulsão das fezes cada vez mais sólidas em direção ao reto,antes da defecação.Constituído por:CecoCólon ascendenteCólon transversoCólon descendenteCólon sigmóideRetoÂnusCamada mucosa nao tem pregas circulares distintas (exceto no reto), nemvilosidadesCriptas longas caracterizadas por abundância de células caliciformes eabsortivas e um pequeno número de células enteroendócrinasOrganização Histológica1. MUCOSA Epitélio Colunar Simples Lâmina própria. Rica em células linfóides e nódulos(Relacionada à população bacteriana abundante no intestino grosso 47
  • 48. Muscular da mucosa. Tecido Muscular Liso2. SUBMUCOSA. Tecido Conjuntivo Frouxo3.CAMADA MUSCULAR. Tecido Muscular Liso Camada circular Camada longitudinalAs fibras da camada longitudinal externa se unem para formar 3 faixaslongitudinais separadas e espessas denominadas tênias de cólon4. SEROSA e ADVENTÍCIA (onde o intestino grosso une à paredecorporal)Tipos de células encontradas:1. Células absortivas2. Células caliciformes3. Células-troncoAs fezes passam pelo intestino grosso e se tornam cada vez maisdesidratadas e o muco torna-se cada vez mais importante na proteção damucosa contra traumatismo.O intestino grosso é habitado por uma variedade de bactérias comensaisque degradam os resíduos alimentares. A degradação bacteriana é ummecanismo importante para a digestão da celulose nos ruminantes, mas nosseres humanos a maior parte da celulose é excretada. Pequenas quantidades 48
  • 49. de vitaminas derivadas das atividades bacteriana são absorvidas nointestino grosso.ApêndiceDivertículo do cecoLúmen irregularPossui nódulos linfóides abundantes em sua paredeNão possui tênias do cólon, apesar de sua estrutura geral ser similar à dointestino grossoRetoPorção terminal dilatada e curta do intestino grossoContêm muitas células caliciformesNa junção reto anal sofre uma transição abrupta para se tornar um epitélioestratificado pavimentoso não queratinizado no canal anal e também acamada mucosa forma dobras longitudinais, as colunas retais. 49
  • 50. Parte do trato Tipo de Epitélio Principais tipos celulares Outras características gastrointestinal do Epitélio distintivasEsôfago Estratificado Pavimentoso Não Células Pavimentosas Glândula na Submucosa e na Queratinizado Mucosa do Esôfago distalCorpo/Fundo do estômago Simples Cilíndrico 1. Células Mucosas (Revestimento Superficial) Superficiais Glândulas Tubulosas Retas 2. Células Mucosas do Colo 3. Células Parietais 4.Células Principais (Zimogênicas)Regiões cárdica e pilórica Simples Cilíndrico Células mucosasdo estômago Glândulas Tubulosas Enoveladas Células parietais RamificadasDuodeno Simples cilíndrico com planura Enterócitos com Glândulas de Brunner estriada microvilosidades Pregas Circulares Glândulas Tubulosas Simples Células Caliciformes (Criptas de Lieberkuhn) Células de PanethJejuno e Íleo Simples cilíndrico com planura Enterócitos com Placas de Peyer estriada, Glândulas Tubulosas microvilosidades Pregas Circulares Simples (Cripta de Lieberkuhn) Células Caliciformes Células de PanethCólon e Reto Simples cilíndrico com planura Células caliciformes Tênias do cólon estriada, Glândulas Tubulosas Células absortivas Simples (Cripta de Lieberkuhn)Apêndice Simples cilíndrico com planura Células caliciforme Tecido linfóide proeminente estriada, Glândulas Tubulosas Células cilíndricas Simples (Cripta de Lieberkuhn)Canal Anal Estratificado pavimentoso Células Pavimentosas Colunas de Morgagni 50
  • 51. 51

×