Relações Interpessoais
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

Relações Interpessoais

on

  • 8,333 views

Turma - Técnico em Enfermagem.

Turma - Técnico em Enfermagem.

Statistics

Views

Total Views
8,333
Views on SlideShare
8,333
Embed Views
0

Actions

Likes
5
Downloads
236
Comments
0

0 Embeds 0

No embeds

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Microsoft PowerPoint

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

Relações Interpessoais Relações Interpessoais Presentation Transcript

  • Relações Humanas Profª Paula Borelli
  • ∗ 20 pontos – Participação em Sala de aula (Dinâmicas, atividades em grupo) ∗ 30 pontos – Prova/Trabalho 1 ∗ 50 pontos – Prova/Trabalho 2 Avaliação
  • Vamos nos apresentar?!
  • Escreva também... ∗Porquê escolheram a Enfermagem?
  • ∗ A escolha profissional é um processo para o qual, se procurarmos, encontraremos as mais diversas raízes. Influências como a família, a escola, as relações sociais, os amigos e, ainda, aquelas recebidas dos meios de comunicação, além das reflexões e sínteses pessoais compõem esse processo.
  • ∗ Outra questão que justifica a existência e a importância de um espaço para escolha profissional é que essa atividade é algo que nos acompanha por toda a vida, mais presente, talvez, que o parceiro escolhido. Uma pessoa satisfeita com seu trabalho, em uma ocupação associada a sua personalidade e a seus anseios, é alguém que tende à realização e a uma capacidade produtiva maior.
  • A importância da enfermagem ∗No fazer do enfermeiro e das demais categorias de enfermagem, há possibilidades de organização do trabalho com espaços de criação, tanto na sequência das tarefas a serem realizadas como no processo de sua realização, na iniciativa ou não de realizá-las.
  • ∗A atividade profissional não é apenas um modo de ganhar a vida. É uma forma de inserção social, em que aspectos psíquicos e físicos estão fortemente implicados. Mesmo que parcelar e especializado, o trabalho é imprescindível para as pessoas, pois refere-se à sua própria sobrevivência e condicionamento social, nem sempre sendo patogênico, mas, ao contrário, detendo um poder estruturante, em face tanto da saúde mental como da saúde física.
  • ∗O trabalho aparece, então, como um operador fundamental na própria construção do sujeito, revelando-se, também, como um mediador privilegiado, senão único, entre inconsciente e campo social e entre ordem singular e ordem coletiva. Não é apenas um teatro aberto ao investimento subjetivo, mas, também, um espaço de construção do sentido e significado e, desse modo, de conquista de identidade, da continuidade e historicização do sujeito.
  • ∗ Talento era o nome dado ao peso e moeda corrente na antiguidade grega e romana. Denota alguém que sabe fazer bem uma certa atividade com habilidade, engenho e sucesso. O talento está intimamente relacionado com a empregabilidade. A globalização da economia, os ventos da competitividade, o desenvolvimento tecnológico e os intensos programas de produtividade e de qualidade estão modificando o papel das pessoas nas empresas. Talento e Empregabilidade(Idalberto Chiavenato) ∗ Você sabe de onde vem a palavra Talento?
  • ∗ Os perfis dos colaboradores estão mudando, e quem não se adequar ao novo perfil solicitado pelas empresas, está fadado a perder o emprego para outro candidato mais adequado às novas demandas e expectativas do mercado.
  • ∗ A empregabilidade significa o conjunto de competências e habilidades necessário para uma pessoa manter-se colocada em uma empresa. ∗ Vocês sabem o que é empregabilidade? ∗ Significa a capacidade de conquistar e de manter um emprego de maneira sempre firme e valiosa. E como a natureza do emprego está mudando rapidamente, essa capacidade deve necessariamente incluir flexibilidade e inovação da pessoa para acompanhar essa mudança irresistível.
  • ∗ Os empregos vem se transformando...vem se tornando multifuncional, flexível e mutável. ∗ A tecnologia vem queimando velhas ocupações e criando novos empregos. ∗ O importante agora não é mais somente conseguir um emprego, mas assegurar a empregabilidade: tornar-se e manter-se empregável ao longo do tempo apesar das mudanças na natureza do emprego.
  • ∗ As empresas também abandonaram a postura paternalista de garantia de emprego eterno que predominou durante décadas a fio. Antes, a carreira exigia dedicação, lealdade e garra para galgar os patamares da hierarquia da empresa. Em troca, a empresa oferecia um emprego vitalício até a aposentadoria e cuidava da carreira do empregado como se ele fosse seu dependente.
  • ∗ Com a nova visão do mercado e do trabalho, houve uma profunda mudança no contrato de trabalho e, em consequência, a quebra do vínculo trabalhista, desestabilizando a relação entre empresa e empregado. Agora, a peteca está nas mãos de cada colaborador. ∗ A competitividade está exigindo de cada pessoa um incessante investimento em sua carreira e em sua preparação e qualificação profissional.
  • ∗ O assunto é empregabilidade
  • ∗ As bases da empregabilidade repousam sobre competências que as empresas requerem de seus executivos em diferentes graus, como: As bases da empregabilidade
  • ∗ O primeiro dos malabarismos é não mais perguntar o que a empresa pode fazer por você, mas sim o que você pode fazer por ela e que seja relevante para o seu negócio e para o seu sucesso. É dando que se recebe, mas é, sobretudo dando aquilo que é relevante e básico para a empresa. É essa a contribuição pessoal que irá determinar o seu sucesso na empresa. Agregar valor e contribuir para a empresa
  • ∗ O segundo dos malabarismos é ser responsável, assumir compromissos com a empresa e responder por eles, mesmo não tendo suficientes recursos pessoais para poder chegar lá. O bom funcionário não é mais aquele que cumpre ordens e faz a sua rotina quotidiana exatamente da maneira como aprendeu na época em que ingressou na empresa. Hoje, o bom funcionário não é o que localiza e aponta o problema, mas aquele que traz a solução. Não é mais o que executa perfeitamente a rotina burocrática, mas o que satisfaz a necessidade do cliente. Ser responsável...
  • ∗ O terceiro malabarismo é ser leal à empresa. Isto significa não somente vestir a camisa da empresa, mas apontar valor ao negócio, trazer contribuições efetivas para a empresa e torná-la mais criativa e valiosa a cada momento que passa. Lealdade é confiabilidade. A empresa precisa confiar em você para continuar a mantê-lo ativamente em seus quadros. Ser Leal...
  • ∗ Isto significa estar orientado para a ação, para fazer as coisas acontecerem, e se possível de acordo com as expectativas da empresa e com os requisitos do cliente. Trocar o comportamento passivo e rotineiro pelo desempenho ativo e empreendedor. Botar a mão na massa. Assumir riscos. Apresentar soluções e não apenas os problemas. Estar sempre no lugar onde acontecem as coisas. Ter iniciativa pessoal e senso de empreendedor...
  • ∗ Faça continuamente uma avaliação e adequação de suas atividades. ∗ A habilidade com as pessoas é uma outra exigência dos tempos modernos. Avalie e diversifique suas atividades
  • ∗ A dúvida que paira hoje em dia sobre a cabeça dos profissionais quase sempre é esta: Será que eu vou dar certo? Estou na direção adequada? Vou conseguir um emprego novo? Vou conseguir mantê-lo durante quanto tempo? Estou preparado para o futuro que está chegando? Não vou ficar obsoleto a curto prazo? Para responder a essa pergunta, isto é, para que seja bem sucedido profissionalmente você precisa reunir três coisas essenciais: conhecimento, perspectiva e atitude. Você vai dar certo?
  • ∗ O sucesso, em qualquer profissão depende fundamentalmente desse triângulo. É ele que faz a diferença entre os que são realmente muito bons e os demais funcionários que não conseguem decolar na carreira. E entre o sucesso e a mediocridade há uma diferença enorme. O profissional que vale ouro no mercado de hoje e do futuro precisa reunir esses três requisitos. ∗ Vejamos eles:
  • ATITUDE PERSPECTIVACONHECIMENTO
  • ∗ Ser um profissional que conheça bem o seu trabalho e mantenha constantemente atualizado esse conhecimento. A capacidade de continuar aprendendo o tempo todo é um atributo valioso, frente à certeza de que daqui a poucos anos o profissional estará lidando com realidades que nem sequer são hoje imaginadas. Há muita gente com currículos maravilhosos e cursos de pós-graduação - que adquiriu conhecimento - mas que não dispara na frente. Falta-lhe perspectiva. Conhecimento
  • ∗ É fundamental para as empresas contar com profissionais dotados de uma visão própria, individual e diferenciada na aplicação prática de seus conhecimentos. As atividades de rotina estão se tornando um componente cada vez menor nos cargos modernos, pois elas podem ser automatizadas, transferidas ou eliminadas. Perspectiva é a capacidade de colocar o conhecimento em ação. O conhecimento é recurso; a perspectiva é a sua aplicação. O importante no ato de agregar valor está em saber aplicar o conhecimento e a criatividade para situações novas. Perspectiva
  • ∗ Em suma, você precisa ter perspectiva própria. Isto é, aprender a pensar. E pensar em empresas tradicionais nunca foi um requisito na hora de preencher um cargo. O profissional que tem luz própria para pensar, por sí só, diante das situações que enfrenta tende a levar vantagem sobre o colega que, diante das mesmas situações, somente sabe aplicar regras , usar soluções do passado ou então pedir a opinião do chefe. Há muita gente que tem perspectiva e capacidade de colocar a teoria em prática - mas que é ignorada. Falta-lhe atitude.
  • ∗ Os fatores que levam à eficácia de uma empresa e que mudam seus resultados estão diretamente ligados aos valores e modo de pensar e agir das pessoas que compõem a organização. O conhecimento e a perspectiva dependem da atitude da pessoa. Uma atitude passiva impede a sua exteriorização. Para que possam acontecer é necessário que o executivo tenha uma atitude empreendedora e assertiva capaz de assumir riscos, negociar metas e objetivos, confrontar situações de resistência e ultrapassar obstáculos pela frente. Atitude
  • ∗ Essas são as três competências duráveis - aquelas que nunca irão tornar-se obsoletas – neste mundo de mudanças e transformações. O triângulo da excelência - conhecimento, perspectiva e atitude - precisa ser seriamente considerado por quem pretende ser bem sucedido profissionalmente. ∗ E qual é o mais importante dos elementos que compõem o triângulo?
  • ∗ Todos eles são importantes, mas decisivamente, o conjunto dos sinais que costumamos descrever como atributos de atitude sai disparado na frente. Pela simples razão de que tanto a aplicação do conhecimento como da perspectiva dependem da atitude e postura da pessoa. Cada vez mais, os órgãos de RH, mesmo antes de entrar no exame das qualificações técnicas e profissionais dos candidatos no processo seletivo, estão tentando mapear a atitude e a postura da pessoa diante do trabalho. E porque?
  • ∗ A resposta é elementar: de nada adianta ter na empresa um grande talento dotado de conhecimento e perspectiva, se a pessoa não tem uma atitude adequada frente às situações importantes que surgem no trabalho. Sem a atitude, o conhecimento e a perspectiva ficam na berlinda e se apagam. A chama do sucesso é proporcionada pela atitude. Ela é fundamental e preciosa. ∗ Vocês tem atitude? Vamos ver?
  • ∗ Dinâmica do Desafio...
  • ∗ Essa tríade - conhecimento, perspectiva e atitude - constitui a chamada santíssima trindade da empregabilidade que leva ao sucesso profissional. Na realidade, as empresas estão procurando trabalhar com mais cérebros e com menos dinheiro e recursos. Maior qualidade e menor quantidade. Menor número de pessoas e mais inteligências e talentos. A Santíssima Trindade do Sucesso Profissional
  • ∗ A postura correta diante do trabalho se reduz à VONTADE. Vontade de aprender e de fazer mais coisas. Vontade de contribuir para que a empresa progrida, porque este progresso traz oportunidades de ascensão profissional. Vontade de corrigir bobagens que perceba no dia-a-dia da empresa. Vontade, enfim, de ajudar a empresa, a cada momento, a lidar com suas reais necessidades.
  • 1. Capacidade para realizar e assumir riscos. 2. Ser ético e íntegro. 3. Ter visão do futuro e capacidade de planejamento. 4. Estar orientado para processos, pessoas e resultados. 5. Ter habilidade em negociação e flexibilidade para mudança. 6. Ter espírito inovador e criativo. 7. Ter boa liderança e exercê-las através do exemplo. 8. Ter energia e dinamismo. 9. Ter habilidade em solucionar problemas. 10. Ser bom comunicador, articulador e assertivo. Dez fatores prioritário para as organizações hoje:
  • ∗ O assunto é empregabilidade – parte 3
  • ∗ Muitas pessoas não sabem da importância de um bom Currículo. Por isso, muitas vezes fazem por fazer e não se preocupam com seu conteúdo e qualidade. Ele é visto somente como um pedaço de papel sem importância. Para quem tem esse pensamento, um alerta: O documento pode ser essencial na seleção de profissionais em determinada empresa. O formato e as informações constantes no currículo selam o seu destino: a lista de melhores candidatos ou a lata de lixo. Currículo
  • ∗ O currículo é uma das melhores formas de marketing pessoal. É por meio dele que uma empresa avalia o perfil de um profissional. ∗ As empresas buscam pessoas que melhor saibam vender sua marca: “Um profissional que sabe trabalhar suas qualidades, tem melhor potencial para a venda da marca da empresa”
  • ∗ Em qualquer processo seletivo você entrega seu currículo para que o recrutador tenha informações básicas sobre você. Afinal de contas, ele precisa saber onde você estudou, o que estudou, onde trabalhou, com o que, em que tipo de empresa e assim por diante. Além disso, também é através desse documento que ele sabe onde você mora, com quem, suas formas de contato e assim vai. ∗ O currículo tem que ser como roupa de gala: impecável. Inverta os papéis e pense se você leria um currículo cheio de erros de gramática e ortografia ou então amassado e sujo. Eu creio que não.
  • ∗ O currículo é um documento que não tem forma 100% correta para ser feita. Ele possui SIM uma estrutura BÁSICA a ser seguida, ou seja, existem informações dentro desse documento que não podem faltar de jeito algum e é aí que está a estrutura, o modelo básico a ser seguido. Ainda assim, não existe forma exata de ser feito e assim a forma adequada. É mais ou menos o seguinte: não é errado você falar gírias, mas não é adequado falar gírias em uma entrevista de emprego ou então para o seu chefe.
  • Empregabilidade | A Entrevista | Dica Click
  • ∗ Não há muito segredo... O importante num currículo é conter: ∗ Nome; ∗ CPF, Identidade; (Documentos Pessoais) ∗ Idade; ∗ Carteira de Habiltação; ∗ Estado Civil; ∗ Perfil Profissional Como fazer um currículo?
  • ∗ Contatos: (Email, TELEFONE, Redes Sociais); ∗ Endereço; ∗ Experiências Profissionais; ∗ Formação; ∗ Foto. ∗ É importante que esses itens acima estejam presentes em um currículo. Pode conter mais informações, mas estas tem que estar dispostas de forma organizada e clara!
  • ∗ www.contemporanearh.com.br ∗ Modelo e Currículo
  • ∗ Marketing pessoal não é propaganda enganosa. Ter autoconhecimento é fundamental para que você mostre a sua essência. ∗ É interessante fazer uma pesquisa para saber o que os outros acham de você. Aprenda a usar essas análises a seu favor. ∗ A busca de motivação ajuda na luta pelos objetivos e a melhorar relacionamentos. Dicas...
  • ∗ Planeje. Cada um deve estipular metas a curto, médio e longo prazos para os planos de vida. ∗ Uma rede de contatos é uma grande ferramenta de marketing. Mantenha seus relacionamentos sempre atualizados. Cada pessoa que passa por sua vida pode ajudar a gerar negócios. ∗ Tenha espírito empreendedor. A atualização e reciclagem profissional torna você um profissional com uma marca própria.
  • ∗ Dê atenção aos que o cercam. A valorização de outras pessoas pode resultar em uma boa imagem na mente daqueles indivíduos. ∗ Tenha ação, ação, ação, ou seja, atitude para fazer acontecer.
  • ∗ O assunto é empregabilidade – parte 02
  • ∗ Procure responder sinceramente às perguntas. Dê notas de 1 (resposta negativa) a 10 (resposta positiva) para cada resposta: ∗ 1. Você acha que vai dar certo no mercado de trabalho? ∗ 2. Você conhece bem o mercado de trabalho e como ele funciona? ∗ 3. Qual é o tipo de empresa onde você gostaria de trabalhar? Você já fez alguma pesquisa a respeito? Qual o seu conhecimento a respeito? Questionário sobre empregabilidade
  • ∗ 4. Você sabe quantos candidatos disputarão as mesmas oportunidades de trabalho que você deseja conquistar? Como se sente em relação a eles? ∗ 5. Quais são as suas armas para disputar um emprego e fazer carreira em uma empresa? Você já está suficientemente armado para a caçada? ∗ 6. Você já passou por um processo seletivo em alguma empresa? Você está realmente preparado para enfrentar a seleção de pessoal ou apenas pretende ir na base da improvisação?
  • ∗ 7. Você já elaborou o seu curriculum vitae? Você já montou o seu portfólio profissional? Qual a sua impressão a respeito deles? ∗ 8. Você já construiu o seu networking? Como vai sua rede de relações pessoais e profissionais? ∗ 9. Você fez algum planejamento de carreira? Você já pensou no que pretende ser no futuro ∗ e aonde quer chegar na sua profissão?
  • ∗ 10. Você faz investimentos pessoais (como leituras de livros e revistas especializadas, seminários, palestras, reuniões profissionais, discussões em grupo, estudo de línguas, como inglês ou espanhol) em sua educação profissional além do curso universitário?
  • ∗ Faça a contagem final. Se você teve menos de 50 pontos você precisa de ajuda, pois corre o sério risco de comer poeira atrás dos outros candidatos e aquecer os assentos nas salas de espera. Se conseguiu algo entre 50 a 75 pontos, é caso de recuperação: você precisa se reciclar urgentemente para melhorar sua candidatura. Se você obteve mais de 75 pontos, você será um páreo duro: sua empregabilidade está em alta.
  • Forma de Interagir com outras pessoas RELAÇÕES INTERPESSOAIS, CONFLITOS E EMOÇÕES
  • ∗ Segundo o dicionário Aurélio, relações significa convivência entre as pessoas, ou as pessoas com quem se mantém relações. Ainda pode significar semelhança, relacionamento, vínculo... Relações ∗ Qual o conceito de “relações”, “relacionamento” e “interpessoais”? Eles tem alguma ligação?
  • Relacionamento ∗ Estabelecimento de um processo de comunicação onde o emissor e receptor tenham claro suas reais atribuições. ∗ Para existir um relacionamento é necessário no mínimo duas pessoas.
  • Interpessoais ∗ Segundo o dicionário informal, é relativo a, ou que envolve relação entre duas ou mais pessoas; ∗ Semanticamente quer dizer “entre pessoas”;
  • Pessoal ∗ Particular, Privado, Individual... • Inter + Pessoal = Troca de Informações Individuais • Pontos de Vista Particulares. • Diferenças Individuais – conflitos de crenças, costumes, gostos, educação, cultura.
  • Relações Interpessoais ∗ Juntas essas palavras traduzem o significado do convívio social humano. ∗ O significado de Relações Interpessoais é um conceito que vem se tornando muito popular no treinamento de pessoas e executivos. Interação significa agir mutuamente.
  • Relacionar-se... ∗ A arte de fazer as pessoas se sentirem bem com você e vice- versa! ∗ Exige conhecimento e respeito às regras básicas das boas maneiras.
  • O que é interação? ∗ O que um faz provoca uma ação (ou reação) no outro. E para iniciar o estudo dessa peculiar relação do indivíduo com os outros, vamos situar os meios pelos quais conhecemos as pessoas com que interagimos.
  • De que forma?
  • ∗ As Relações Interpessoais tiveram como um de seus primeiros pesquisadores o psicólogo Kurt Lewin. “A produtividade de um grupo e sua eficiência estão estreitamente relacionadas não somente com a competência de seus membros, mas sobretudo com a solidariedade de suas relações interpessoais”.
  • Cuidado... ∗ Um erro que se comete em todo e qualquer tipo de relacionamento: Querer que o Outro adivinhe o que você quer... ∗ Nas relações interpessoais no ambiente de trabalho, deve-se atentar à 4 pontos: Escutar o sujeito, argumentar com o sujeito, não se envolver emocionalmente com o sujeito, lidar com o imprevisto.
  • Escutar o Sujeito ∗ Ter a habilidade de escutar o que os sujeitos tem a dizer, sem pré-julgamento ou achando que já têm a solução para o problema.
  • Argumentar com o Sujeito ∗ Argumentar no sentido de ter um discurso consistente, com falas consistentes, explicar com segurança uma possibilidade de solução apropriada para aquela situação. ∗ Se você argumentar com um sujeito de personalidade difícil, ficará mais fácil de argumentar com qualquer outro!
  • Não se envolver emocionalmente com o Sujeito ∗ Relacionar-se com um menor envolvimento com as emoções manifestadas pelo sujeito. Sem muita experiência, pode-se cometer o deslize de entrar com uma empatia excessiva com o sujeito e, consequentemente, repetir os mesmos erros dele.
  • Lidar com o Imprevisto ∗ Saber resolver situações, muitas vezes difíceis, que não foram previstas. “Arrumar” o imprevisto é a capacidade de arrumar e rearrumar rapidamente; sair de situações complicadas. ∗ A diversidade promove a inovação e a criatividade. Projetos não falham por causa de processos ou ferramentas ineficientes ou inexistentes.
  • ∗ Segundo Rocha (2010), “relacionar-se é dar e receber ao mesmo tempo, é abrir-se para o novo, é aceitar e fazer-se aceito, buscar ser entendido e entender o outro. A aceitação começa pela capacidade de escutar o outro, colocar-se no lugar dele e estar preparado para aceitar o outro em seu meio”. ∗ “As relações interpessoais fortalecem não apenas o desempenho do profissional, mas também traz à tona boas expectativas para que as equipes atinjam objetivos e superem metas que agreguem valor ao negócio”,
  • ∗ Relacionamento Interpessoal na Enfermagem... ∗ Vamos tentar?
  • Pontos que favorecem um bom relacionamento interpessoal: ∗ Ter habilidade/facilidade em compreender os outros; ∗ Podemos aprender/aperfeiçoar estas habilidades em compreender o outro e a si próprio.
  • Como melhorar... ∗ Melhorar o conhecimento de si próprio (compreender melhor como eu sou): entender minhas atitudes, meus comportamentos, meus sentimentos, meus objetivos, etc). ∗ Melhor compreensão do outro observando seu comportamento, seus sentimentos, suas ações e atitudes, no relacionamento com outras pessoas, dar oportunidade para ele expor seus pensamentos e sentimentos.
  • ∗ Melhor convivência em grupo (entender que em cada grupo as pessoas exercem papéis diferentes): papel de pai, de filho, de aluno, de professor, de gerente, de empregado, de amigo, de namorado, etc ∗ Em um grupo pode se notar vários comportamentos: agressividade, pouco caso, indiferença, esnobismo, formação de panelinha, etc.
  • ∗ Percebendo estes comportamentos e sabendo como tratá-los, terão condições de perceber como o grupo funciona e como os indivíduos interagem, assim fica mais fácil decidir como agir em diversas situações. ∗ Procurar entender como funciona seu grupo familiar/seu grupo escolar/seu grupo de trabalho, etc. ∗ Dessa forma, podemos ter mais condições de entender/perceber os grupos e ter uma relação mais amistosa.
  • Desenvolver aptidões para um relacionamento mais eficiente com o Outro. ∗ Conforme vamos desenvolvendo o nosso autoconhecimento e desenvolvendo o conhecimento do outro, vamos aprendendo e aperfeiçoando nossa maneira de nos comunicarmos de forma mais eficaz. ∗ Vamos aperfeiçoando nossas aptidões de como
  • Vamos aperfeiçoando nossas aptidões de: ∗ Como ouvir; ∗ Como dialogar; ∗ Como informar; ∗ Como avaliar; ∗ Como elogiar; ∗ Como disciplinar...
  • Aspectos ∗ Os colaboradores são diferentes entre si e têm competências e habilidades que se complementam e são interdependentes, o que favorece que sejam atingidos os objetivos empresariais previamente definidos; ∗ Os colaboradores são agregadores de valor e introduzem inteligência, conhecimento e talento que resultam em crescimento próprio e de cada organização;
  • ∗ Os colaboradores são parceiros únicos, capazes de levar empresas ao sucesso. Sucesso significa atingir os objetivos empresariais propostos. ∗ Qual é o objetivo de vocês dentro do trabalho de vocês? Já pensaram sobre isso?
  • CONFLITOS
  • Interesses opostos entre indivíduos ou grupos Crença de uns de que os outros vão ameaçar os seus interesses Reconhecimento desses interesses como antagónicos Ações que possam produzir esse antagonismo CONFLITO O Conflito – Esquema Resumo
  • Consequência dos Conflitos... ∗ Positivas: Rompimento do equilíbrio da rotina, desafio à acomodação de ideias, estimula solução de forma criativa e outros. ∗ Negativas: Quando não se busca soluções e há interferência nas relações e na concretização dos objetivos da equipe
  • QUESTIONANDO OS CONFLITOS ∗ Para que saibamos administrar e solucionar os conflitos, sejam eles em nível nacional, regional, competitivo, empresarial ou mesmo pessoal, precisamos saber as respostas de algumas questões básicas:
  • ∗ O que é um conflito? ∗ Origem do conflito? ∗ Quais são suas causas? ∗ Qual é sua dinâmica? ∗ Como o conflito se desenvolve? ∗ Um conflito é sempre destrutivo? ∗ Como administrar os conflitos?
  • ∗ Ao lermos os jornais, ao ouvirmos conversas sobre relações de trabalho, relações afetivas ou outras, ao analisarmos algumas das nossas experiências pessoais, constatamos que o conflito está presente nas várias dimensões da vida social, no contexto das interações sociais.
  • CONFLITO: QUAL SUA DEFINIÇÃO? ∗ A palavra conflito, em diferentes contextos pode adquirir significados diferentes para diferentes pessoas.
  • ∗ Normalmente ela tem uma conotação negativa. Nós a vemos como o oposto da cooperação, harmonia, acordo ou mesmo paz. ∗ Conflito pode ser definido como sendo uma incompatibilidade entre duas ou mais pessoas, grupos, organizações ou países.
  • ∗ Representa uma tensão que envolve pessoas ou grupos de pessoas quando existem tendências ou interesses incompatíveis; ∗ Processos onde as partes envolvidas percebem que a outra parte frustrou ou irá frustrar os seus interesses; ∗ Podem ser resolvidos de maneira violenta ou pacífica, dependendo dos recursos cognitivos e afetivos dos envolvidos, e dos contextos sociais em que ocorrem.
  • ∗ Porém pode ser visto com um enfoque mais construtivo: Como um fenômeno social multidimensional, que é parte integrante da existência humana, essencial para o processo evolutivo da humanidade e para a transformação social.
  • ∗ Os conflitos existem desde o início da humanidade e fazem parte do processo de evolução dos seres humanos e são necessários para o desenvolvimento e o crescimento de qualquer sistema (familiar, político, social e organizacional). ∗ É um estado de tensão que gera uma mobilização para obter melhores resultados.
  • Causa dos Conflitos ∗ Preconceito; ∗ Grosseria; ∗ Teimosia; ∗ Sensibilidade exagerada; ∗ Diferenças de Percepção; ∗ Diferença de Valores;
  • ∗ Diferenças de Interesses; ∗ Competição; ∗ Distorções na comunicação; ∗ Luta por status ou poder; ∗ Vaidade desmedida.
  • ∗ O conflito tanto pode trazer benefícios como elevados custos. ∗ Deve-se conseguir manter o conflito a um nível tão baixo que permita assim tirar o máximo partido dele, eliminando os prejuízos associados.
  • ∗ Pressupostos desta visão: ∗ Conflitos são o resultado de comportamentos de indivíduos indesejáveis; ∗ Conflito está associado a raiva/agressividade/batalha física, verbal, comportamentos negativos, etc… ∗ Críticas a essa perspectiva: ∗ Limitada e inadequada O conflito - Visão Tradicional x Visão Atual
  • ∗ Reconhece-se utilidade da existência do conflito; ∗ Existe em qualquer relação, não significando que sejam destrutivos; ∗ São causas de mudanças positivas; ∗ Sinal de tomada de consciência de problemas; Atualmente...
  • CONFLITOS: ORIGEM E EVOLU OÇÃ Diferenças Tensões Disputas Conflitos Conflitos armados Intensidade Começo da violência GUERRA
  • Como administrar um conflito?
  • COMO UM CONFLITO SE DESENVOLVE? ∗ Em nosso dia-a-dia profissional, estamos sempre cercado de conflitos; ∗ Eles podem ser gerados por situações como stress, medo das mudanças, falhas na comunicação e diferenças de personalidades; ∗ Os conflitos podem ser de toda natureza, desde pequenas discussões sobre a melhor forma de realizar um processo, até grandes divergências sobre a estratégia da organização.
  • ∗ Sempre que existir uma diferença de prioridades ou objetivos, existirá um conflito; ∗ Sempre que os interesses entre duas pessoas ou dois grupos forem divergentes podemos esperar que se desenhe um conflito traduzido em comportamentos e atitudes competitivas, que podem atingir formas elevadas de hostilidade e até agressão.
  • TIPOS DE CONFLITOS ∗ Conflitos pessoais: Diz respeito a unicamente uma pessoa. ∗ Conflitos interpessoais: Envolve várias pessoas. ∗ Conflitos entre necessidades e valores: Surge quando aquilo que você necessita para cumprir o objetivo do seu trabalho entra em conflito com a sua personalidade e os valores que mais preza.
  • CONFLITOS: QUAIS SÃO SUAS CAUSAS? Recursos e interesses: ∗ Disputa por direito; ∗ Fronteiras; ∗ Terras; ∗ Negócios; ∗ Poder.
  • Políticos ∗ Legitimação política; ∗ Direito de voto; ∗ Movimentos de independência; ∗ Comando da empresa.
  • Ideologia/Religião ∗ Comunismo x Capitalismo; ∗ Cristianismo x Islamismo; ∗ Autoritarismo x Liberalismo.
  • Identidade ∗ Etnias diferentes; ∗ Grupos culturais e socioeconômicos; ∗ Grupos organizacionais.
  • Experiência de frustração de uma ou ambas as partes ∗ Incapacidade de atingir metas ou de satisfazer os seus desejos.
  • Diferenças de personalidade ∗ Valores; ∗ Crenças; ∗ Culturas diferentes.
  • Metas diferentes ∗ Objetivos a serem seguidos diferentes dos de outras pessoas e outros departamentos.
  • Diferenças em termos de informações e percepções ∗ Tendemos a analisar as informações através dos nossos conhecimentos e referências.
  • CONFLITOS: FORMAS DE EXPRESSÃO ∗ Positivo: Conflito como fonte de ideias, podendo levar a discussões abertas, sobre determinados assuntos. Expressão e exploração de diferentes pontos de vista, interesses e valores. ∗ Gera oportunidade de crescimento e desenvolvimento.
  • ∗ Quando os interesses objetivos de dois grupos forem convergentes e os recursos suficientes para que ambos os consigam atingir, é mais provável que se desenhe a cooperação entre eles, sendo os comportamentos então orientados para a colaboração. ∗ É estranho assimilar a ideia de que os conflitos possuam um lado positivo, mas é verdade que esta ideia se constata quer a nível intrapessoal quer a nível intragrupal.
  • ∗ Os conflitos intrapessoais (o que cada um de nós vive quando está perante motivações que são incompatíveis) são positivos porque depois de ultrapassados somos capazes de responder de forma mais adaptada à situação que vivemos. ∗ Ao nível intragrupal os conflitos também albergam o seu caráter positivo, isto porque o confronto é gerador de mudança que é fundamento de evolução e do desenvolvimento social.
  • ∗ Perdendo a conotação totalmente negativa, os conflitos são encarados como um elemento vital à mudança.
  • Dicas para controlar os conflitos no t
  • ∗ A título de exemplo: Pensemos no contributo dos conflitos entre os negros e os brancos para o reconhecimento da igualdade de todos os cidadãos ou então pensemos talvez nas manifestações em Paris lideradas por estudantes em Maio de 1968 que abalaram o sistema político vigente em França tendo como consequência a melhoria do funcionamento de inúmeras instituições sociais.
  • ∗ Os conflitos são uma realidade e podem ser úteis nas diferentes instâncias, isto porque impedem a estagnação e estimulam o surgimento de ideias e estratégias. ∗ Em suma, apesar de os conflitos incrementarem um caráter pernicioso estes também possuam um caráter positivo inerente à vida social do homem.
  • ∗ Negativo: Das divergências de opiniões à violência verbal e/ou física. Leva à agressão, destruição, guerra
  • Conflito Energia Negativa Energia Positiva Express oã destrutiva Anula oçã Viol nciaê Situa o de conflitoçã continua e o mal que causa tamb mé Anula oçã Oportunidade de melhoria é perdida Express oã Construtiva Mudan aç pessoal, social, pol ticaí Perman ncia dosê problemas
  • DIFERENÇA ENTRE: CONFLITO E VIOLÊNCIA ∗ Conflito: Confronto equilibrado de poderes.
  • ∗ Violência: é uma expressão do conflito, onde uma das partes impõe seu poder sobre o outro, tomando a forma de agressão física ou verbal. ∗ A violência é a inexistência da aceitação de normas dadas e não aceita por um ou ambas as partes.
  • DIN MICA! ∗ Abrigo Subterrâneo. ∗ Refletir sobre a influência de nossos conceitos, valores e como agimos diante de uma decisão de muitos riscos. Avaliar o grau de liderança, a forma de persuadir ou intervir no grupo, bem como a flexibilidade, a capacidade criativa e o saber ouvir. ∗ Como se sentiram e quais as coisas de que tiveram de abrir mão?
  • UM CONFLITO É SEMPRE DESTRUTIVO? ∗ Um conflito pode ser entendido como um núcleo de mudança, como uma manifestação das interações sociais; ∗ O agravamento ou o atenuamento do conflito vai depender das relações internas de cada um; ∗ Pode aumentar ou diminui, dependendo do desenvolvimento das atitudes de provocação ou de conciliação.
  • ∗ Devemos aceitar os conflitos como realidades do nosso mundo social. Eles acabam por impedir a estagnação e promovem novas ideias e novos ideais, podendo a sua consequência representar um modo mais adequado e dinâmico de integrar na sociedade.
  • ∗ Para que haja uma superação dos conflitos não basta o simples contato entre grupos hostis. Implica essencialmente um contato que envolve cooperação, entreajuda e a interdependência de modo a construir um maior sucesso na finalidade visada. Entreajuda
  • ∗ É importante que por cooperação entendamos uma ação conjunta e concentrada que envolve a colaboração dos envolvidos para se atingir um objetivo comum.
  • DINÂMICA DO CONFLITO: CICLO DO CONFLITO Frustra o,çã raiva, estresse Surge o conflito Rea o:çã Partir para viol nciaê Negar sua exist nciaê Tentar resolver, dialogar Solu o doçã conflito, continuidade do relacionamento Fortalecimento do conflito
  • CONSEQUÊNCIAS DOS CONFLITOS EM UM AMBIENTE DE TRABALHO Negativos: ∗ Descomprometimento da equipe ou parte dela; ∗ Erros; ∗ Atrasos; ∗ Discórdias; ∗ Individualismo;
  • ∗ Problemas não resolvidos; ∗ Carga mental ∗ Ambiente estressante; ∗ Desviam a atenção dos reais objetivos; ∗ Favorecem a percepção estereotipada;
  • Positivos: ∗ São bons elementos de socialização; ∗ Trazem inovação, melhoria, vantagem competitiva, debate de ideias; ∗ Propiciam a formação de alianças.
  • ADMINISTRANDO OS CONFLITOS ∗ Identificação dos conflitos existentes; ∗ As causas dos conflitos; ∗ Quem está envolvido; ∗ Como as partes conflitantes se relacionam entre si; ∗ A situação atual; ∗ Oportunidades de resolução; ∗ Possíveis resultados. O importante é, primeiramente, reconhecer os conflitos para saber administrá-los corretamente. Posições Valores Crenças Interesses Desejos Percepções Mapeando os conflitos. Nessa análise deve conter:
  • ESTRATÉGIAS PARA A TENTATIVA DE RESOLUÇÃO ∗ Os conflitos não podem ser totalmente eliminados, mas podem ser minimizados. ∗ As estratégias de resolução incluem: ∗ Ignorar; ∗ Dissipar; ∗ Confrontar.
  • ∗ Ignorar e dissipar são táticas questionáveis porque raramente se identificam e se discutem as fontes e causas dos conflitos. Em consequência disso, o problema poderá ocorrer novamente. ∗ A estratégia de confrontação é a mais adequada, porque enfoca as causas e os possíveis mecanismos de resolução do conflito.
  • AS FORMAS DE RESOLU OÇÃ ∗ Alerta prévio: ∗ Atividade de antecipação de conflitos com o objetivo de identificar, antecipadamente, os fatores que desencadearam o conflito. ∗ Mediação: ∗ A intervenção de alguém capacitado e experiente intermediário (neutro) para tentar facilitar um acordo para o conflito.
  • ∗ Mediação coercitiva: ∗ Inclui o uso da coerção pelo intermediário na forma de promessa, de recompensas ou ameaças de punição. ∗ Arbitragem: ∗ Envolve um intermediário com autoridade para julgar o conflito entre as partes envolvidas e para definir um acordo razoável e justo. Dentro de sistemas legais, a arbitragem impõe penalidade pelo não cumprimento do acordo.
  • ∗ Negociação: ∗ Principais elementos de um processo de negociação: ∗ Conhecimento das raízes do conflito; ∗ Domínio do processo de solução de conflitos; ∗ Identificação de toda as partes e grupos envolvidos; ∗ Identificação de facilitadores, suas posições e objetivos; ∗ Conhecimento das técnicas de argumentação.
  • ∗ Conciliação: ∗ Um mediador confiável proporciona um elo informal de comunicação entre os antagonistas com o objetivo de identificar seus interesses, reduzir a tensão e encorajar seu direcionamento a uma interação ou negociação para solucionar suas diferenças.
  • ∗ Solução de problemas: ∗ Uso de métodos analíticos para a solução de problemas: ∗ Focar do PROCESSO todo do conflito e não somente no resultado final; ∗ Avaliar COMO um conflito TRANSFORMA relacionamentos, comunicações, percepções; ∗ Intenção de TRANSFORMAR O CONFLITO de “expressão violenta” para “expressão construtiva e pacífica”.
  • ∗ Concentrar nas transformações ESTRUTURAIS, necessárias dentro de organizações sociais, para gerar a paz SUSTENTÁVEL; ∗ Intervenção nos processos de conflito na forma de INTEGRAÇÃO, envolvendo a todos.
  • Como gerenciar os conflitos no ambi
  • COMPET NCIAS PARA RESOLVERÊ CONFLITOS ∗ Trabalho em equipe: ∗ O esforço de todos, voltado para um objetivo comum, é que assegura a sobrevivência e continuidade dos negócios.
  • ∗ Não ignore os problemas: ∗ A omissão e a inércia são duas forças poderosas que agem para que as coisas não se modifiquem. ∗ Um problema é um ponto vulnerável da organização e deve ser imediatamente solucionado. ∗ Qualidade total é fundamental para o sucesso competitivo.
  • ∗ Trabalho integrado: ∗ Assegurar a continuidade do negócio é responsabilidade de todos os departamentos e funcionários. ∗ É o esforço multifuncional, de forma planejada, que permite a eficácia nos negócios.
  • ∗ Errando e aprendendo: ∗ A busca contínua de inovações é importante para o desenvolvimento de todos. ∗ Nenhuma ideia nasce perfeita. A ideia bruta precisa ser aperfeiçoada até atingir seu ponto ideal. ∗ Cuidado com as pessoas inertes, que temem as inovações. Elas adoram destruir novas ideias. ∗ Mudanças ocorrem gradualmente: ∗ É preciso mudar os pensamentos das pessoas para modificar suas atitudes.
  • ∗ A recompensa: ∗ Um ambiente melhor e eficiente, é um excelente lugar para trabalhar. ∗ Mas não se esqueça: ∗ conflitos são amenizados e a eficácia no ambiente de trabalho só é atingida se forem eliminadas as doenças da inércia, da incompetência, da negação.
  • A seguir estão algumas dicas para uma melhor gestão dos conflitos: ∗ Pergunte, e não mande: A partir do momento que você faz perguntas ao invés de dar ordens, você estará convidando os outros a participar da solução de um problema. Neste momento, as pessoas passam a ser cúmplices da solução, e terão uma atitude mais positiva sobre o assunto.
  • ∗ Peça com educação: Mesmo nos momentos em que você precise dar uma ordem direta, peça educadamente. O uso de frases como “Você poderia…”, “Preciso de sua ajuda com o seguinte…” ou “Você estaria disposto a…” fará com que o outro saia da defensiva e aceite melhor sua requisição. ∗ Mostre disposição: Se uma pessoa precisa de você, tente ajudá-la e mostre que você está fazendo tudo o que pode. Às vezes é melhor receber um “não” bem intencionado do que um “sim” com má vontade.
  • ∗ Ataque o assunto, não as pessoas: ∗ Quando você quer mudar algo, diga O QUE você quer diferente, e não QUEM. Por exemplo, se uma pessoa é responsável por lhe transmitir um relatório semanal, mas tem atrasos regulares nesta atividade, é mais produtivo dizer “É importante que eu receba o relatório no dia correto para tomar boas decisões” do que “Não posso tomar boas decisões porque VOCÊ não manda os relatórios no dia correto.”
  • ∗ Esclareça suas decisões: Se você deve tomar uma decisão entre ideias divergentes de 2 funcionários, sempre explique claramente o porque de sua decisão, e quais fatores o levaram à escolha. Desta forma, os “rejeitados” se sentirão melhor com a situação e você poderá manter a equipe unida em torno da mesma solução.
  • ∗ Escute antes de falar: A interrupção em si já é criadora de conflitos. Além disso, se você está ouvindo seu interlocutor, e dando sinais corporais ou sonoros de compreensão, ele estará mais disposto a expressar suas necessidades e aceitar suas ideias, e suas sugestões e soluções serão mais coerentes.
  • ∗ Não aja emocionalmente: Nos conflitos profissionais é comum que o assunto seja levado para o lado pessoal e emocional. Você deve evitar isto completamente. Mesmo que seu interlocutor vá por este caminho, mantenha sua postura serena e profissional. Isto tem 2 objetivos: primeiro, para que você não diga algo do qual se arrependerá depois, e segundo, para tentar “puxar” o interlocutor de volta para um clima profissional.
  • ∗ Dê seguimento às soluções: ∗ Se um conflito parece resolvido, não se esqueça de dar seguimento ao assunto posteriormente. Sem que você saiba, o conflito pode ter aparecido novamente, ou a solução que você deu ao assunto pode ter sido ignorada.
  • ∗ O cliente AEOP (ASSUNTOS ESPACIAIS DE OUTROS PLANETAS) resolveu investir na fabricação de um novo automóvel . Chamou as melhores montadoras do ramo e pediu o desenvolvimento e apresentação de um produto dentro das condições do planeta e dos seres que nele habitam. ∗ No projeto do automóvel do século XXI deve constar: Designer Características Material utilizado Preço Prazo para entrega Características do planeta e de seus seres: Automóvel do Futuro
  • ∗ Planeta: Terreno montanhoso e rochoso Próximo ao Sol (quente e com claridade intensa) População concentrada em cidades afastadas Atmosfera não permite voar; ∗ Seres: Medindo entre 3 e 4 metros de altura Braços fracos Pernas fortes Apenas 3 dedos em cada em mão (sem polegares)
  • AUTOM VEL DO FUTUROÓ ∗ No projeto do automóvel do século XXI deve constar: Design Características Material utilizado Preço Prazo para entrega ∗ Características do planeta e de seus seres: Planeta: Terreno montanhoso e rochoso Próximo ao Sol (quente e com claridade intensa) População concentrada em cidades afastadas Atmosfera não permite voar ∗ Seres: Medindo entre 3 e 4 metros de altura Braços fracos Pernas fortes Apenas 3 dedos em cada em mão (sem polegares)
  • ∗ Este projeto representa um potencial de lucro imenso e as empresas possuem a informação que seu maior concorrente está no páreo, o pensamento dos dois presidentes é o mesmo: NÃO POSSO PERDER ESSE CLIENTE ! ∗ As empresas marcam uma reunião. A intenção é conhecer a proposta do concorrente antes deste passar para o cliente e se for o caso reformulá-lo dentro de uma negociação onde ambas as empresas se saiam bem sucedidas junto ao cliente. Automóvel do Futuro
  • TESTE
  • RESULTADO ∗ 49 a 60 pontos - Sua habilidade para LIDAR COM CONFLITOS é EXCELENTE. Tem atitudes muito positivas diante das situações de conflito, favorecendo soluções eficazes e podendo assumir papel de mediador/conciliador no conflito entre terceiros.
  • ∗ 37 a 48 pontos - Sua habilidade para LIDAR COM CONFLITOS é BEM DESENVOLVIDA, mas pode aprender ainda mais com cada nova experiência. ∗ 25 a 36 pontos - Sua habilidade para LIDAR COM CONFLITOS É MEDIANA. Você precisa expandir mais sua inteligência emocional, pois o autoconhecimento, o autocontrole, a empatia , a sociabilidade, a assertividade e a flexibilidade são as bases para esta habilidade. Você tem potencial, mas precisa desenvolvê-lo mais!
  • ∗ 12 a 24 pontos - Você tem POUCA habilidade para LIDAR COM CONFLITOS. Aprenda a ouvir mais os outros e a respeitar as diferenças naturais, ninguém é igual a ninguém! Admita e aceite as vulnerabilidades (pontos fracos). Observe pessoas e situações bem sucedidas nestes aspectos e avalie quais são as habilidades e atitudes que fizeram diferença. Elabore um plano de ação para desenvolver as habilidades e atitudes que deseja aprimorar!
  • ∗ Menos de 12 pontos - ∗ Sua habilidade para LIDAR COM CONFLITO É MUITO PEQUENA. Acredite que melhorar esta habilidade, pode ser mais fácil do que você imagina, mas exige trabalho persistente, e muita disponibilidade para o outro. Procure aprender com todas as experiências, mesmo que sejam negativas. Evite repetir situações que promovam frustrações, procure estar mais aberto para os relacionamentos e a considerar alternativas novas diante das situações. Seja mais flexível! Exercite! Tente! Tente de novo! Você pode!
  • DEZ MANDAMENTOS PARA A SOLU O  ÇÃ DE CONFLITOS 1. Seja um bom ouvinte e não responda até a pessoa terminar. 2. Identifique e defina o problema básico, trazer outras questões suscita mais conflitos. 3. Defina a área de concordância e discordância. 4. Identifique sua contribuição no problema e sugira que o outro faça o mesmo, evite dizer o erro dele, pois a tendência é o revide, e as críticas. 5. Confesse que você também tem problema.
  • 6. Dê sugestões de como você pode mudar seu comportamento e atitude. 7. Pratique a tolerância, a empatia, coloque-se no lugar do outro sem pretensões, sinta sua dificuldade e deficiência. 8. Se o problema existe, para que super dimensioná-lo e desesperar-se? Resolva-o ou melhora-o! Estresse diminui dias de vida, lembre-se disso!
  • 9. Exerça autocontrole! Não são as pessoas que lhe descontrolam, é você quem faz isso e a responsabilidade é toda sua. 10. Escolha uma boa hora e ocasião para dialogar sobre as divergências, em parte é o segredo para um diálogo produtivo para ambas as partes.
  • ∗ Quais destes procedimentos você já pratica?? ∗ Como eles tem te ajudado a resolver os conflitos que surgem nas relações familiares, de amizade e trabalho? ∗ Quais destes você deseja incorporar à sua conduta?
  • ∗ A concorrência, as comunicações virtuais e as mudanças comportamentais criaram obstáculos para a chamada “relação interpessoal”. A pergunta é: como superá-los para atingir o equilíbrio nos relacionamentos? O que vocês pensam? ∗ A relação interpessoal abrange toda a vida pessoal quanto a vida profissional de uma pessoa. No entanto, é na profissional que se sente mais dificuldades para colocá-las em prática. Porque isso ocorre?
  • Comunicação Intrapessoal ∗ É a comunicação que uma pessoa tem consigo mesma. Esta, de certa forma, relacionada à reflexão. Este é um tipo de comunicação em que o emissor e o receptor são a mesma pessoa, e pode ou não existir, um meio por onde a mensagem é transmitida.
  • Comunicação Interpessoal ∗ É um método de comunicação que promove a troca de informações entre duas ou mais pessoas. Cada pessoa, que passamos a considerar como interlocutor, troca informações baseadas em seu repertório cultural, sua formação educacional, vivências, emoções, toda a bagagem que traz consigo.
  • ∗ Concorrências e competição passaram a ser palavras citadas como empecilhos para a relação interpessoal no trabalho. Será que elas tem tanta culpa assim? ∗ As relações interpessoais dependem, sobretudo, de PESSOAS.
  • No que o ambiente de trabalho reflete nas relações interpessoais? ∗ Se considerar que um adulto passa em média oito horas dormindo e entre 8 e 10 horas trabalhando, o ambiente de trabalho reflete na grade maioria das relações interpessoais de um profissional. Se vai refletir de maneira positiva ou negativa, vai depender de como esta pessoa se relaciona no trabalho.
  • ∗ Vocês conhecem alguém que tenha um mau relacionamento no trabalho e que chegue em casa contente, tratando a esposa e os filhos de maneira afetuosa? Vocês conseguem?
  • ∗ Os esforços feitos pelas pessoas para ter boas relações determina o ambiente psicológico numa empresa. Enfrentamos problemas concretos e emocionais. Concretos são aqueles do “mundo dos fatos”, que são resolvidos por métodos racionais, práticos. Já os emocionais são aqueles causam frustração, são difíceis de ser percebidos e levam mais tempo para ser resolvidos.
  • ∗ Principalmente os problemas não resolvidos no mundo dos sentimentos é que impedem o crescimento e desenvolvimento pessoais e organizacionais. ∗ Como vocês se relacionam no ambiente de trabalho? O que pensam sobre isso?
  • ∗ Há casos que o relacionamento interpessoal no trabalho entra na vida privada do profissional, ou seja, ele (ou ela) passa a se relacionar afetivamente com um colega de trabalho. No que isso ajuda ou atrapalha? ∗ Vocês conhecem algum caso em que ocorreu essa situação de forma negativa?
  • ∗ No caso de “gestor” e “colaboradores”, a relação interpessoal ideal é a mesma em todos os sentidos: respeito, cordialidade, admiração pela capacidade e reconhecimento do talento do outro, ética, empatia e um forte sentimento de equipe. ∗ Sabemos que o ambiente de trabalho influi no comportamento das pessoas, e consequentemente, influi nas relações interpessoais e supostamente nos resultados em todos os sentidos.
  • ∗ Vamos ver umas dicas?
  • Básico nas Relações ∗ Autoestima;
  • ∗ Empatia – Aprenda a ouvir com empatia. Tenha capacidade de se colocar no lugar do outro e a buscar a participação dos seus amigos no seu dia a dia;
  • ∗ Aceite o Outro – Relacionar-se é olhar para o Outro. Evite julgamentos para que o Outro não reaja de forma defensiva, desconsiderando as suas palavras.
  • ∗ Bom Humor – Qualidade fundamental do bom trabalhador e do bom amigo;
  • ∗ Autoconhecimento – Temos coisas boas e ruins dentro de nós. Desenvolva seus pontos fracos e aprimore seus pontos fortes. Descubra-se!
  • ∗ Comunicação - O homem é um ser social e depende da interação com seus semelhantes para a garantia de sua sobrevivência. É portanto, fundamental haver feedbacks para facilitar o processo de mudança das pessoas.
  • Motivação ou não – causada pelo ambiente de trabalho. ∗ O homem se caracteriza por um padrão dual de comportamento: tanto pode cooperar como pode competir com os outros. ∗ É bom lembrar que o ser humano é individual, é único e que, portanto, também reage de forma única e individual a situações semelhantes, assim como também devemos lembrar que somos produto do meio, mas também influímos no meio.
  • ∗ O poder que a palavra exerce em sua vida é muito mais forte do que você possa imaginar. Preste atenção nas palavras que você tem usado. Saiba que elas são poderosas e podem se transformar em realidade. ∗ Observe como está a sua vida e que palavras tem utilizado para descrevê-la. Sua vida tem sido maravilhosa ou mais ou menos? Você é um sucesso ou vai levando a vida?
  • As Palavras Certas... ∗ Quando falar, escolha as palavras certas! Busque elogiar mais e criticar menos. Veja o lado bom da vida e das pessoas. Em nosso dia a dia, no convívio com as pessoas, somos mais felizes quando procuramos ver o lado bom das coisas e das pessoas.
  • Trate cada um como gostaria de ser tratado! ∗ Abra os olhos e a mente para o mundo a seu redor; ∗ Preste atenção aos diferentes comportamentos; ∗ Ouça atentamente; ∗ Trate aos outros com respeito; ∗ Tenha disposição para ajudar aos outros. ∗ Você é uma companhia agradável?
  • ∗ Precisamos nos conscientizar de que num relacionamento interpessoal a responsabilidade não é unilateral - Existirão pelo menos duas fontes - o EU e o OUTRO”...
  • ∗ O homem precisa conhecer a si mesmo e ter equilíbrio e percepção em suas atitudes. Respeito, espaço, direitos e deveres, obrigações, valores, são regras que não basta conhecer, precisamos colocá-las em prática. Assim, estaremos entrando na linha do contínuo crescimento, e então o homem entenderá que ele é o único responsável por tudo o que lhe acontecer na vida.
  • ∗ Enfim, é importante valorizar o outro, tratar as pessoas com amor, respeito... Ter sempre na boca uma boa palavra e nas mãos uma boa atitude!
  • “Rir é correr o risco de parecer tolo. Chorar é correr o risco de parecer sentimental. Estender a mão é correr o risco de se envolver. Expor seus sentimentos é correr o risco de mostrar seu verdadeiro eu. Defender seus sonhos e ideias é correr o risco de perder pessoas. Amar é correr o risco de não ser compreendido. Viver é correr o risco de estar sempre em conflito, consigo e com os outros. Contar é correr o risco de se decepcionar. Tentar é o correr risco de fracassar.
  • A pessoa que não corre nenhum risco, não entra em conflito e evita alguns sofrimentos e desilusões, contudo, não sentem, não mudam, não crescem, não amam, não vivem. O risco e o conflito fazem parte da vida que nos cobra decisões a cada instante. O importante é decidir e agir sempre com consciência e liberdade, buscando tudo aquilo que nos trará felicidade.” (Autor Desconhecido).
  • LIÇÃO DE VIDA ∗ Aula 2LIÇÃO DE VIDA.mp4