EXTENSÃO FOUFUNovos Projetos para 2012!BIOLOGIAMOLECULARVocê já ouviu falar?E MAIS:PETODONTOODONTOPETREVISTACIÊNCIA E SAÚD...
PETODONTOODONTOPETREVISTACIÊNCIA E SAÚDETutor Pet-OdontoProf. Dr. Paulo Vinícius SoaresNátilla Roberta Soares68ª TurmaMEMB...
Extensão 5O que é o Programa de Educação Tutorial (PET)?	 O Programa de Educação Tutorial - PET foi criado para apoiarativ...
ExtensãoExtensão6 7para levar promoção e educação em saúde acerca da saúde bucale das principais doenças e agravos odontol...
Pesquisa 9Extensão8Saúde Bucal no RádioPor: Nátilla Roberta Soares(membro Grupo PET-Odonto)Coordenador: Prof. Dr. Márcio M...
PesquisaPesquisa10 113D das estruturas de interesse, gerando um modelo virtual.A partir daí o InVesalius é capaz de export...
PesquisaPesquisa12 13índices de reprovação; incentivo aos alunos acerca de criticas esugestões; tornar o processo de apren...
EnsinoEnsino14 15Agende-se!!!II Semana da Disfunção Têmporo-mandibularda FOUFUPor Paola Gomes Souza (membro do PET-Odonto ...
Anexos revista pet_odonto_ciencia_e_saude_ano1_vol1_outubro2012
Anexos revista pet_odonto_ciencia_e_saude_ano1_vol1_outubro2012
Anexos revista pet_odonto_ciencia_e_saude_ano1_vol1_outubro2012
Anexos revista pet_odonto_ciencia_e_saude_ano1_vol1_outubro2012
Anexos revista pet_odonto_ciencia_e_saude_ano1_vol1_outubro2012
Anexos revista pet_odonto_ciencia_e_saude_ano1_vol1_outubro2012
Anexos revista pet_odonto_ciencia_e_saude_ano1_vol1_outubro2012
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Anexos revista pet_odonto_ciencia_e_saude_ano1_vol1_outubro2012

736

Published on

Revista UFU; casos clínicos

Published in: Health & Medicine
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
736
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
9
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Transcript of "Anexos revista pet_odonto_ciencia_e_saude_ano1_vol1_outubro2012"

  1. 1. EXTENSÃO FOUFUNovos Projetos para 2012!BIOLOGIAMOLECULARVocê já ouviu falar?E MAIS:PETODONTOODONTOPETREVISTACIÊNCIA E SAÚDEAno 1 - Vol. I - Outubro/2012UFUISSN 2316-5073Tecnologias 3D aplicadasàs áreas de saúdeEntrevista:Ensino no hospital odontológicoSaúde bucal na penitenciáriaExperiências no Projeto Rondon
  2. 2. PETODONTOODONTOPETREVISTACIÊNCIA E SAÚDETutor Pet-OdontoProf. Dr. Paulo Vinícius SoaresNátilla Roberta Soares68ª TurmaMEMBROS DO GRUPO PET ODONTOLOGIA 2012Fabiana Custódio Borges69ª TurmaNathália Inácio Carvalho70ª TurmaAline Teixeira Braga71ª TurmaTamara Pamplona Siqueira71ª TurmaPaola Costa Cunha71ª TurmaPaola Gomes Souza72ª TurmaPROGRAMA DE EDUCAÇÃO TUTORIAL - PET-ODONTO UFUEndereço: UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA –AV. PARÁ 1720,–CEP 38400-902CAMPUS UMUARAMA, CENTRO DE CONVIVÊNCIA, SALA 7 - TELEFONE 34 3218 2131 (COCOD).Site: www.pet.fo.ufu.brSUBMISSÃO DE TRABALHOS E REPORTAGENS• Máximo 05 páginas, em arquivo .doc• Margens sup 3,0cm, inf 2,0cm, laterais 2,0cm• Fonte arial, tamanho 12, espaçamento duplo• Imagens em arquivo jpg ou tiff.ENVIO ELETRÔNICO PARA:petodonto@odon.ufu.br, com cópia para petodonto@yahoo.com.brPALAVRA DO TUTORPrezados leitores da Revista PET Odonto Ciência e Saúde, écom muita satisfação que finalizamos um trabalho sonhadoe planejado pelos membros do PET-ODONTO 2012, que temcomo principal objetivo divulgar de maneira fácil, acessívele interativa, os conhecimentos gerados pela FOUFU e demaisInstituições parceiras por meio dos projetos de extensão,pesquisa e ensino. Acreditamos que por meio da extensãoconseguimosnosaproximardarealidadecomunitária,vivenciaros problemas e demandas da sociedade e colaborar com aresolução dos mesmos. Por meio dos projetos e pesquisasenvolvendo alunos de graduação, pós-graduação e docentespodemos analisar estes problemas e gerar novas tecnologias eprotocolos de prevenção e tratamento. Por fim, após conhecera realidade e pesquisar soluções, poderemos ampliar nossosconhecimentos e transmitir aos nossos alunos, aperfeiçoandonossas práticas de ensino e devolvendo a comunidadeum profissional promotor de saúde, capaz de atendê-launiversalmente, com embasamento clínico e científico.Para tanto, nossa revista inicia em 2012 seu primeiro número,respeitando nesta ordem Extensão, Pesquisa e Ensino, maspautada nos preceitos da indissociabilidade destes pilares.Aproveite a leitura, ela foi elaborada pelos membros doGrupo PET-Odonto da FOUFU, e conta fundamentalmentecom colaborações futuras de novos trabalhos, casos clínicos,resultados de projetos de pesquisa, projetos de extensão eensino, reportagens, entrevistas, notícias e curiosidades nãosó da Odontologia, mas de toda área da saúde.Ótima leitura, até o próximo número!Prof. Paulo Vinicius Soares – Tutor PET Odontologia FOUFU.EditorialRuaGauicurus, 157 - Saraiva34-3086-2772A HD PósGraduação emOdontologia, oferece comalta qualidade de ensino,Cursos deAperfeiçoamentoe Especialização nas àreas de Dentistica, Endodontia,Ortodontia, Implantodontia , Periodontia e Prótese Dentária.A HD ensinos estasorrindo para você.Marina Ferreira Lima Naves(Colaboradora Pet Odonto) – Turma 71
  3. 3. Extensão 5O que é o Programa de Educação Tutorial (PET)? O Programa de Educação Tutorial - PET foi criado para apoiaratividades acadêmicas que integram ensino, pesquisa e extensão. Existemdois tipos de grupos PET na UFU, o PET MEC e o PET Institucional, o primeiroé reconhecido e subsidiado pelo Ministério da Educação e o último é regidoe regulamentado exclusivamente pela Universidade. O estudante e oprofessor tutor (MEC SESu) recebem apoio financeiro de acordo com a PolíticaNacional de Iniciação Científica. Ambos os grupos são supervisionados por umComitê Local de Acompanhamento (CLA) e pelo Colegiado de sua UnidadeAcadêmico. O PET-Odonto foi criado em 2006 e exerce na FOUFU atividadesde extensão, pesquisa e ensino, em parceria com outros grupos PET, alunosde graduação, pós-graduação da UFU e de outras Instituições. A sede do PET-Odonto está localizada no Centro de Convivência do Campus Umuarama.Compete aos CLAs:• acompanhar e orientar os grupos de sua IES quanto aos aspectosfilosóficos, conceituais e metodológicos, do Programa de EducaçãoTutorial – PET, levando em consideração o Plano de DesenvolvimentoInstitucional da IES e o projeto pedagógico do curso de graduaçãopertinente;• coordenar e participar ativamente do processo formal deacompanhamento dos grupos sob sua coordenação;• referendar os processos de seleção e desligamento de alunos bolsistasdos grupos, por proposta do professor tutor;• emitir parecer final acerca do relatório anual dos grupos e encaminhá-lo à SESu;• organizar dados e informações relativas ao PET e emitir pareceres porsolicitação da SESu;• representar o programa PET na IES;• orientar os membros e órgãos internos das IES quanto aos objetivos,características e filosofia do PET a fim de garantir o bom funcionamento,assim como o planejamento e execução de atividades dos grupos.Colegiado de Graduação- COCOD/FOUFUProf. Paulo Vinicius Soares (presidente do Colegiado)Profa. Flaviana Rocha Soares (Área Cirurgia CTBMF-UFU)Prof. Luis Carlos Gonçalves (Área Prótese Removível – FOUFU)Profa. Rosana Ono (Área Odontologia Social e Preventiva – FOUFU)Profa. Paula Dechichi (Histologia – ICBIM UFU)Ac. Vanessa Cristina Oliveira Pimenta (turma 70, vice-presidente do DAHSa)– representante acadêmica de Graduação.Ac. Tamara Pamplona Siqueira (turma 71, membro Grupo PET-Odontontologia)T.A. Doralice Maria de Andrade (secretária COCOD-FOUFU)Mais informações deste grupo podem ser encontradas no site: www.pet.fo.ufu.br ou no facebook: http://pt-br.facebook.com/PetOdontologiaUfuPETODONTOODONTOPETREVISTACIÊNCIA E SAÚDESumárioExtensãoO que é o Programa de Educação Tutorial (PET)?.................................................................................................................................5Dia do Sorriso em Uberlândia! ...........................................................................................................................................................5Entrevista Pet Odontologia - Saúde Bucal Na Penitenciaria..................................................................................................................5Extensão na FOUFU e novos Projetos para 2012!................................................................................................................................6Projeto Rondon: Educação e Prevenção em Saúde Bucal..................................................................................................................7Saúde Bucal no Rádio........................................................................................................................................................................8PesquisaVocê já ouviu falar sobre Biologia Molecular? ....................................................................................................................................8Comportamento de crianças atendidas no Hospital Odontológico da Universidade Federal de Uberlândiaapós Implantação de aquário, fotos de animais e vistas de cães na sala de espera ......................................................................9Avaliação da Musicoterapia no Ambiente de Trabalho Odontológico ...............................................................................................9“LíquenPlanoOral:estudoretrospectivodascaracterísticasclínico-patológicaserevisãosistemáticadaliteraturamundial”...........9Tecnologias 3D aplicadas às áreas de saúde ...................................................................................................................................10Efeito da composição química salivar na degradação dentinária e progressão da Lesão Cervical Não Cariosa - Revisão ...............12Pesquisa: Avaliação da qualidade do atendimento na clínica integrada do curso de Odontologia da Universidade FederaldeUberlândia........................................................................................................................................................................................12S.I.A. – FOUFU - Sistema Integrado de Avaliação................................................................................................................................13EnsinoCurso De Inglês Instrumental Na Foufu .............................................................................................................................................14Curso Preparatório para Concurso Público ........................................................................................................................................14Curso de Informática Aplicada para os alunos de Graduação .........................................................................................................14Agende-se!!! - II Semana da Disfunção Têmporo-mandibular da FOUFU.........................................................................................15Entrevista Pet – “O ensino no Hospital Odontológico”........................................................................................................................15PSE e Consultórios Itinerantes – Ministério da Saúde e Ministério da Educação.............................................................................16Momento ClínicoPasso a passo de faceta direta em resina composta - alternativa direta para alteração estética do sorriso................................18Reabilitação Oral empregando Overlays ...........................................................................................................................................19Molares ineriores em forma de “C”: Desafio na prática endodôntica ..............................................................................................19O NEPRO – Núcleo de Ensino e Pesquisa em Reabilitação Oral e as Próteses Odontológicas por Sistemas CAD/CAM......................20Reabilitação estética - perspectivas de uma visão integrada .........................................................................................................23Acerte o DiagnósticoAcerte o Diagnóstico! .........................................................................................................................................................................24CuriosidadesAplicação de produtos a base de vidro podem ser utilizados no tratamento de lesões ósseas....................................................24Notícias33ª Jornada Odontológica da Universidade Federal de Uberlândia .................................................................................................25Premiações e menções honrosas por congresso ..............................................................................................................................25A SeCoPET vem ai! ..............................................................................................................................................................................26ExtensãoDia do Sorriso em Uberlândia!Por: Aline Teixeira Braga - Membro do Grupo Pet-OdontoCarla Gomes Souza - Membro do Grupo Pet-Odonto Sabe-se que orientar, por meio da educação em prol da saúdee adoção de medidas preventivas é o melhor e mais barato meio de semanter uma dentição sadia. Medidas simples como escovação, utilização defio dental, dieta adequada e autoexame são importantes e contribuem paraa manutenção e qualidade da saúde bucal. Sendo assim, o grupo PET-OdontoUFU, juntamente com o auxílio da comunidade acadêmica, visa instruir eproporcionar à população carente de instituições privadas e/ou públicas dacidade de Uberlândia acerca de todas as abordagens do âmbito odontológico,para que desta forma haja uma propagação dos conhecimentos acadêmicose melhoria na qualidade de vida da população com base na troca deexperiência. O Dia do Sorriso proporciona qualidade em educação e saúdepor meio de palestras educativas, utilização de fantoches, cartazes, macromodelos e rodas de conversa na comunidade uberlandense. Almeja-se queos petianos e discentes do curso de Odontologia da Universidade Federalde Uberlândia, tenham uma visão mais humanitária e rica do conceito desaúde, preparando-os para uma vertente que vem em grande crescimentono mercado de trabalho. As últimas versões foram realizadas na Casa de AcolhimentoFraterno Santa Gemma, na Fundação CEAC (Centro Evangélico de Atendimentoa Criança), na FALE (Fraternidade Assistencial Lucas Evangelista) - que abrigae assiste a portadores de HIV, e na Casa de Repouso Recanto da Felicidade. Em breve novos Dias do Sorriso serão realizados, e todos estãopreviamente convidados! Contamos com sua presença, venha participarconosco!!!Entrevista Pet OdontologiaPor: Alunos membros PET-OdontoSAUDE BUCAL NA PENITENCIARIAEntrevistada: Profa. Dra. Liliane Parreira Tannús GontijoA Área de Odontologia Preventiva eSocial da Faculdade de Odontologia daUniversidade Federal de Uberlândiadesenvolve o Projeto de ExtensãoDetentos sentenciados, saúde ecárcere: Aspectos da atenção emsaúde bucal na Penitenciária ProfessorJoão Pimenta da Veiga. A Profa. Dra.Liliane Parreira Tannús Gontijo nos concedeu uma entrevistaabordando o funcionamento do projeto e suas áreas deassistência e promoção de saúde.Você já atendeu algum presidiário? Entenda como funciona aassistência a esse grupo.1.Quais são as razões que motivaram a realização do Projetode Extensão para reclusos sentenciados da PenitenciáriaPimenta da Veiga?Três grandes razões motivaram a realização do Projeto deExtensão, iniciado em Julho de 2012, denominado: Detentossentenciados, saúde e cárcere: Aspectos da atenção em saúdebucal na Penitenciária Professor João Pimenta da Veiga, dentreeles:• Atendimento da Universidade à solicitação formal derepresentantes da comunidade, de um lado, a Comissão deFiscalização e Acompanhamento de Penas da Comarca deUberlândia, tendo a sua frente o convite do Coronel AdanilFirmino da Silva, diretor do Presídio Jacy de Assis e do Juiz deDireito da Vara de Execuções Criminais e presidente da referidaComissão, o Dr. Valter Rocha Rubio, e do outro o acolhimentodessa demanda pela Área de Odontologia Preventiva eSocial/Universidade Federal de Uberlândia – UFU, com focono atendimento às urgências odontológicas dos criminosossentenciados da supracitada Penitenciária. Agravado peloafastamento da cirurgiã-dentista responsável pelo atendimento,ocorreu crescimento da demanda de urgências odontológicas,com aumento das queixas de dor e incômodo (em situação deconfinamento) por parte dos detentos, gerando inclusive emalguns casos desordens e conflitos nos pavilhões da penitenciária.• Existência de uma experiência exitosa, revelando mitos,desenvolvendo expertise na atenção ao segmento carcerárioverificado no Projeto de Extensão denominado AtençãoOdontológica aos detentos do Presídio Prof. Jacy de Assis, em2010 e 2011.• Promover a aproximação do acadêmico da rotina das instituiçõesde reclusão e de construção de um outro olhar sobre elas e seusparticipantes. Minimizar a discriminação social sofrida pelosinternos penitenciários, sob a ótica dos direitos humanos noprocesso de confinamento.Nessa perspectiva posta, o projeto surgiu como oportunidademesmo que pequena, para a reabilitação, ou como é usado pela penitenciária,reeducação de uma pessoa”.“O projeto de extensão tem como principal objetivo devolver à sociedade osbenefícios recebidos pelos graduandos. A oportunidade de vivenciar outrasrealidades, com problemas diferentes dos da prática clínica habitual enriquecepessoal e profissionalmente os discentes envolvidos, além de contribuir narecuperação e reeducação dos que ali se encontram custodiados”.“Quando se trabalha com saúde pública, é preciso não só a destreza de umbom trabalho, mas a compreensão da diversidade e a vontade de tentar ajudara quem mais necessita”.
  4. 4. ExtensãoExtensão6 7para levar promoção e educação em saúde acerca da saúde bucale das principais doenças e agravos odontológicos, realização detriagens para organizar o atendimento por ordem de prioridadee efetivo atendimento clínico-cirúgico-restaurador.2. Há alterações bucais específicas nesta população reclusa?As drogas são substâncias químicas que além de alterar fatorespsíquicos do dependente, é responsável por alterar a fisiologiade tecidos de vários sistemas do nosso organismo, desde oSistema Nervoso Central até o Cardíaco. Na cavidade bucal, nãoseria diferente, elas são responsáveis por certas alterações quecomprometem a saúde bucal do indivíduo.A redução do fluxo salivar, redução da capacidade tampão dasaliva, a deficiência da higiene oral entre os usuários, entre outros,são fatores que resultam no surgimento e/ou agravamento dedoenças, como xerostomia, bruxismo, cáries mais frequentese “violentas”, problemas periodontais, halitose, estomatites,queilite angular.Nessa perspectiva posta na literatura sobre o assunto, foi possívelverificar nesse Projeto da Penitenciária JPV, diversos casos clínicoscaracterísticos de adictos (dependentes) com alterações bucaisdecorrentes do longo uso de substâncias psicoativas, dentre elas,nos chamaram a atenção a grande porcentagem de pacientescom cáries cervicais e intensas nestas regiões, bruxismo,manchas acastanhadas na região cervical características do usode crack, manchas nicotínicas e problemas periodontais.3. Há riscos de segurança para os estudantes de odontologiano atendimento dentro da Penitenciária?Os graduandos envolvidos no projeto, ao aceitarem participar,estavam cientes dos riscos envolvidos, no entanto contaramcom esclarecimentos prestados por parte dos responsáveis pelasegurança da Penitenciária. Durante as visitas, o esquema desegurança dentro dos blocos foi reforçado, garantindo uma maiortranquilidade para os estudantes, esse reforço consistia em ummaior número de agentes penitenciários, além do apoio do canile do GIT. A dinâmica da triagem ocorria por meio da retiradade um preso de cada vez, estando presente na sala no máximo4 sentenciados, propiciando um maior controle por parte dosagentes.Relato de uma aluna: “O medo inicial é natural, pois fantasiamosmuito as condições e pessoas que ali estão, mas em nenhummomento tive problemas ou fui colocada em uma situação derisco lá dentro”.4. O uso do fio dental, escova e pasta de dente, enxaguatóriosbucais são permitidos dentro da cela da penitenciária?As escovas de dente são fornecidas pela penitenciária para amaioria dos detentos, mas também pode ser levada pela família,sendo de fundamental importância para a saúde bucal. A pastade dente é fornecida ou também pode ser recebida, no entanto,deve ser em forma de gel e conter embalagem transparente,pois houve casos do uso do creme dental para esconder objetos,túneis e furos nas paredes das celas. Os enxaguatórios sãopermitidos, com restrição, em composição sem álcool e comprescrição odontológica, tendo sido orientado pelos alunos,durante a triagem, o bochecho vigoroso com água no auxilio àhigienização bucal. O fio dental não é permitido livremente, tendorestrições, por questões de segurança. É importante salientar queas reclamações por parte dos sentenciados sobre a insuficiênciados itens de higiene bucal ocorreram com frequência, mas muitasvezes foram motivadas pela presença dos graduandos, uma vezque foi realizada uma abordagem pacífica e houve contato comuma equipe diferente da habitual.5. Quais são os principais resultados do Projeto de Extensãopara a formação do aluno e para a comunidade em geral?Relatos de alguns estagiários do Projeto:“Esteprojetonospossibilitaencararumarealidadecompletamentediferente da que encontramos dentro do que nos é oferecido pelosistema de ensino da universidade. Deparamo-nos com situaçõesque vão além de casos padronizados encontrados dentro deuma escola, de uma unidade básica de um bairro periférico,encontramos queixas corriqueiras decorrentes a uso de drogasilícitas, à falta de atendimento adequado e digno para todosaqueles que estão reclusos. Podemos por meio desta experiênciarever conceitos que carregamos e ver, também, que podemosfazer parte de uma porcentagem, mesmo que pequena, para areabilitação, ou como é usado pela penitenciária, reeducação deuma pessoa”.“O projeto de extensão tem como principal objetivo devolverà sociedade os benefícios recebidos pelos graduandos. Aoportunidade de vivenciar outras realidades, com problemasdiferentes dos da prática clínica habitual enriquece pessoal eprofissionalmente os discentes envolvidos, além de contribuir narecuperação e reeducação dos que ali se encontram custodiados”.“Quando se trabalha com saúde pública, é preciso não só adestreza de um bom trabalho, mas a compreensão da diversidadee a vontade de tentar ajudar a quem mais necessita”.Extensão na FOUFU e novos Projetos para 2012!Por: Fabiana Custódio Borges (membro do Grupo PET-Odonto)Atualmente, a Faculdade de Odontologia conta com 26projetos de Extensão, em andamento, sendo desenvolvidospelas várias Áreas de Ensino que compõem o Curso deOdontologia, e administrados pela Coordenação de Extensãoda FOUFU. A coordenadora de Extensão é docente da Áreade Odontologia Social e Preventiva-FOUFU Profa. Dra.Regina Maria Tolesano Loureiro e secretariada pela TécnicaAdministrativa Aparecida Fátima Lourenço, localizada noBloco 4L anexo B. Em todos estes projetos há a participaçãode discentes do Curso de Odontologia, membros do GrupoPET-Odonto e também de alunos do Programa de Pós-Graduação em Odontologia, o que mostra a preocupação coma integração entre ensino e extensão.Conheça o novo projeto de extensão que foiaprovado em Setembro de 2012:Programa de Reabilitação de pacientes com lesõescervicais não cariosas e hipersensibilidade dentinária.O objetivo desse programa é viabilizar o tratamento delesõescervicaisnãocariosas(LCNC)parapacientescadastradosou não no Hospital Odontológico; permitir ao estagiário dagraduação uma visão realista da teoria aplicada à práticareferente a estas condições; conferir ao pós- graduando umagrande oportunidade para consolidar seus conhecimentos ecapacidade de orientação dentro da prática docente; e aoprofessor a imprescindível oportunidade de acompanhamentodestespacientes,naqualrealizaráumaanálisecomparativadetratamentos já propostos, pesquisas desenvolvidas e revisõesda literatura sugeridas. Para a preparação dos estagiários,será realizada uma calibração prévia, com informações sobreos protocolos atuais de tratamento e padrões de diagnóstico.Ao ser encaminhado para o projeto, o paciente passará poruma prévia triagem: anamnese; exame clínico extra-oral eintra-oral; exame radiográfico e preenchimento de diáriode dieta. Diagnosticado a patologia, o caso será registradopor fotografias digitais e o tratamento será realizado deforma planejada e completa. O protocolo de tratamentoadotado incluirá para as LCNC orientações de saúde bucal,restaurações adesivas com resina composta, ajuste oclusalcom montagem em articulador, orientação de dieta integradacom nutricionistas, acompanhamento psicológico; e aplicaçãode agentes dessensibilizantes (quando diagnosticadohipersensibilidade dentinária - HD). Os dados obtidos e oscasos clínicos registrados serão apresentados e discutidosem reuniões semanais, aliados a leitura de artigos sobre otema. O paciente ao final do tratamento preencherá umaficha de avaliação do atendimento e será acompanhado comuma periodicidade de 30 dias, fornecendo-nos informaçõessobre o sucesso do tratamento. O programa será avaliadopor meio de relatórios semanais elaborados pelos bolsistas,o levantamento dos dados obtidos apresentados por todos osestagiários envolvidos, avaliação do coordenador, discentes,pós-graduandos e a avaliação e acompanhamento do pacienteao final da consulta. Como meta, ao concluir o projeto de12 meses, procura-se atender/tratar aproximadamente 115pacientes, trazendo melhorias em sua condição de saúde bucale consequentemente melhor qualidade de vida; e conferirembasamento teórico dos dados para publicação em artigoscientíficos sobre odontologia e áreas de saúde associadas aoprograma. Espera-se que o projeto possa expandir o acessodos pacientes de baixa renda que apresentem LCNC e/ouHD ao Hospital Odontológico, proporcionando um serviço desaúde bucal de alto padrãode qualidade e gratuito;além de proporcionaruma maior carga horáriaclínica para o estagiárioe fornecer conteúdoscientíficos para estudos.Por: Paola Gomes Souza (membro do Grupo PET-Odonto)Coordenador do Projeto: Prof. Paulo ViníciusSoaresPara saber mais acesse: http://www.fo.ufu.br/node/472PROJETO RONDON: EDUCAÇÃOE PREVENÇÃO EM SAÚDE BUCALPor: Jussara Silva SoaresINTRODUÇÃO O Projeto Rondon estásob a coordenação do Ministérioda Defesa em conjunto com asInstituições de Ensino Superior(IES), que realizam operaçõescom a participação de estudantese professores universitários, emdiversos municípios duranteo período de férias nas IES. OProjeto Rondon tem o intuitode proporcionar aos acadêmicosvoluntários a oportunidade deatuarem em ações sócio-educativasem municípios carentes do Brasil,e dar uma visão da realidade dopaís, desenvolvendo um lado maishumanizado. Abordando temáticasdiversificadas como: saúde, direitoshumanos, comunicação, trabalho,meio ambiente, tecnologiasocial, educação entre outros. Érelevante salientar a importânciada composição multidisciplinar daequipe, considerando as várias áreasdo conhecimento, o que permitiráaos estudantes (Rondonistas) umaexperiência inestimável e única,enquanto graduando em suasáreas de interesse, bem como aoportunidade de vivenciar trocas desaberes e fazeres com outras áreas.OBJETIVOS DO PROJETO1. Contribuir para a formação douniversitário como cidadão.2. Integrar o universitário ao processode desenvolvimento nacional, pormeio de ações participativas sobre arealidade do País.3. Consolidar no universitáriobrasileiro, o sentido deresponsabilidade social coletivaem prol da cidadania, dodesenvolvimento e da defesa dosinteresses nacionais.4. Estimular no universitário aprodução de projetos coletivos locais,em parceria com as comunidadesassistidas.PARTICIPAÇÃO NO PROJETORONDON Para participar de umadas operações, deve se elaborar umaproposta de trabalho considerandoas temáticas indicadas no Convite àsIES, no Conjunto A (Cultura, DireitosHumanos e Justiça, Educação eSaúde) ou Conjunto B (Comunicação,Tecnologia e Produção, MeioAmbiente e Trabalho), uma vezque a perspectiva é de se atuarem uma realidade municipal que,no dia-a-dia, carece de algunssuportes, por exemplo, recursosmateriais e financeiros, de pessoasem quantidade suficiente edevidamente capacitadas paraatuação profissional no plano local.A proposta deve estar centradana importância e na relevânciado desenvolvimento de açõesque atendam algumas demandasda comunidade local, em relaçãoàs informações e capacitaçõesde diferentes segmentos sociais,instituições diversas, da sociedadecivil organizada, servidores edirigentes de órgão públicos. Todasas ações propostas devem seinteragir e possuir certa sinergianum conjunto de ações, queproporcionem, na medida dopossível, integrações como umtodo. A partir das ações maioresacredita-se que as menores,com seus desdobramentos esuas metodologias diferenciadas,investigam, valorizam e instigama troca de saberes e fazeres entrea comunidade local e a Equipe deRondonistas da Instituição que iráatuar no município. Para a seleção dosacadêmicos é consideradoinicialmente a participação naelaboração da proposta, experiênciade extensão, incentivando evalorizando, desta forma, oenvolvimento nas atividadesextensionistas da instituição.Ressalta-se ainda, que para aseleção consideram-se as áreas quecontemplem as demandas de cadamunicípio.A REALIDADE DO PROJETORONDON O Projeto foi realizadopelo grupo de rondonistas daUniversidade Federal de Uberlândia(UFU) na cidade de Axixá doTocantins em Janeiro de 2011. Aprimeira etapa da operação foi arealização da viagem de Uberlândiaà Brasília, onde a equipe derondonistas da UFU embarcou nosaviões da Força Aérea Brasileirapara Marabá – PA. Os dois primeirosdias da operação foram destinadospara a ambientação dos grupos,tendo neste momento a finalidadede integração entre as equipesdas universidades envolvidas, bemcomo o conhecimento dos propósitosdo projeto Rondon, da realidadedos municípios contempladosna Operação Carajás e para arealização de um treinamento desobrevivência em selva, ministradopelos sargentos do 52º Batalhãode infantaria de Selva em Marabá-PA. Todas as equipes da OperaçãoCarajás, tiveram a participação deuniversidades de diferentes estados,distribuídas nos municípios dosestados Pará, Maranhão e Tocantins,sendo que a composição emcada município foi formada pelosacadêmicos e professores de estadosdistintos, contando ainda com oapoio de um militar denominado“anjo”. Esta composição possibilitoua interlocução de experiências eculturas no grupo, além de contatocomarealidademilitar.(Fig.1eFig.2) Após a experiência emMarabá-PA seguimos de ônibus paraa cidade de Axixá do Tocantins-TO,pela rodovia transamazônica. Nachegada ao município tivemos oprimeiro choque de realidade aoencontrarmos uma diferença socialevidente. (Fig. 3 e Fig. 4)O alojamento no município nos gerouexpectativas, pois, normalmenteos locais disponibilizados pelasprefeituras são escolas, creches,clubes entre outros, que sãoadaptados para receber duranteos quinze dias os grupos. Nonosso caso foi disponibilizadauma creche, ao chegarem osacadêmicos tiveram que realizaruma faxina, uma vez que o local seencontrava sujo e sem condiçõespara estadia. Não havia conforto,porém apresentava infraestruturasuficiente. É importante ressaltar,que o alojamento coletivo e adinâmica de organização que omesmo gera faz parte do projetoRondon. É um espaço onde asequipes descansam, alimentam-se, preparam as atividades, enfimé o ambiente que proporcionamaior integração entre e intraequipes. A receptividade foi ótima,uma vez que toda a comunidadeenvolveu-se de algum modo comas atividades desenvolvidas. Aprefeitura municipal juntamentecom a comunidade local mobilizou-se na organização e realização deeventos de abertura e encerramentodas atividades do projeto Rondon nacidade. Estes foram realizados naCâmara Municipal, houve diversasapresentações artísticas culturaisde grupos envolvidos em projetossociais. Nestas ocasiões ocorreramtambém inúmeras homenagensque manifestaram a imensareceptividade da comunidade emgeral que durante o encerramentoreconheceram e agradeceram pelotrabalho realizado.O DESENVOLVIMENTO DASATIVIDADES DE SAÚDE BUCAL O público alvo das açõesde saúde bucal foi à população emgeral, com enfoque nos ciclos devida: crianças, adolescentes, adultos,idosos e gestantes. Bem como osmoradores das zonas urbana e rural,além dos profissionais da saúde.Transformando a população emeducadores bucais permanentes,perante a sociedade. Seminários,palestras, oficinas, teatro lúdico,grupo de discussão, rodas deconversa e escovação assistida,utilizando recursos educativos,foram as estratégias utilizadaspara a realização das atividades.Ressalta-se que as atividades foramtrabalhadas sempre tendo comoponto de partida a experiênciado público alvo, considerando osaspectos da realidade do município.No decorrer destas atividades foramapontadas várias estratégias deação para o aprofundamento destastemáticas no espaço de trabalhodos multiplicadores. Um deles foi àconfecção de fio dental ecológico,método pratico e barato para serealizar a educação e promoção desaúde em comunidades carentes.(Fig. 5 Fig. 6 e Fig.7)busca afastar o assistencialismo e o tecnicismo presente nos cursos deodontologia. Nesse projeto fomos capazes de desenvolver uma visãohumanizada, interagindo com a comunidade, passando o conhecimento quetínhamos, porém levando muito mais conhecimento em nossas bagagens, oque faz com que o Projeto Rondon seja uma lição de vida e cidadania.REFERÊNCIASMINISTÉRIO DA DEFESA. Projeto Rondon: Planejamento estratégico.Disponível emwww.url:ttps://www.defesa.gov.br/internet/sitios/internet/projetorondon/historico/planejamentoestratégico.Os temas trabalhados procuraramreforçar os fatores protetores desaúde, mostrando a importânciade se ter dentes e gengivas sadias,bem como identificando os fatoresde risco que levam à doença cárie,à gengivite e à perda precoce dosdentes que é tão importante paraa alimentação adequada, para aestética, fonética e função, alémde proporcionar uma autoestimamais elevada no indivíduo. Odesenvolvimento de trabalhoseducativo-preventivos fornecea comunidade uma visão dediagnóstico, prevenção e tratamentobem como informação quanto àeducação em saúde bucal.(Fig. 8,Fig. 9 e Fig. 10 )CONSIDERAÇÕES FINAIS Os resultados daparticipação no projeto Rondon,foram tanto com relação ao públicoalvo das ações como também emminha formação acadêmica. Opúblico alvo teve a oportunidadede apreender, repensar e discutirsobre o desenvolvimento de suasatividades. Para mim, como alunade odontologia, pude colocarem prática aquilo que aprendina universidade por meio doatendimento as demandas dacomunidade do município, ou seja,através da participação no projetopude perceber que o aprendizadoda universidade pode ser utilizadocomo um instrumento valioso napromoção social e no exercícioda cidadania na medida em quenós acadêmicos interagimoscom a realidade de diferentescomunidades num trabalho quebusca afastar o assistencialismo eo tecnicismo presente nos cursosde odontologia. Nesse projetofomos capazes de desenvolveruma visão humanizada, interagindocom a comunidade, passando oconhecimento que tínhamos, porémlevando muito mais conhecimentoem nossas bagagens, o que faz comque o Projeto Rondon seja uma liçãode vida e cidadania.REFERÊNCIASMINISTÉRIO DA DEFESA. Projeto Rondon:Planejamento estratégico. Disponível em:www.url:ttps://www.defesa.gov.br/internet/sitios/internet/projetorondon/historico/planejamentoestratégico.
  5. 5. Pesquisa 9Extensão8Saúde Bucal no RádioPor: Nátilla Roberta Soares(membro Grupo PET-Odonto)Coordenador: Prof. Dr. Márcio Magno Costa Apesar de a Faculdade deOdontologia da Universidade Federal deUberlândia apresentar diversos projetosde extensão que levam atendimentoodontológico à sociedade, ainda faltamações que eduquem e orientem a populaçãosobre os cuidados relativos à saúde oral. Aeducação e a informação sobre a atençãocom a saúde bucal têm sido ressaltadas pordiversos pesquisadores. O desconhecimentosobre cuidados necessários de higienebucal representa um importante fator a serconsiderado, uma vez que a informação,embora disponível nas grandes mídias, nãochega a todas as camadas da população damesma forma e, dificilmente, é apreendidade modo a produzir conhecimento eautonomia em relação aos cuidados com asaúde. Por isso, a importância de programasodontológicos educativos, que levantem einterpretem as necessidades das populaçõesem geral, mas principalmente a de menoracesso aos serviços de saúde odontológica,precisa ser valorizada. A cada semana um novo tópicoé abordado no programa que tem umaduração média de 10 minutos. A preparaçãodos textos que são utilizados comosuporte no momento da gravação é feitapor meio do levantamento da literaturaacerca do assunto definido. Os discentes ecolaboradores externos estão envolvidos natarefa de pesquisa bibliográfica e elaboraçãoda parte textual de cada assunto.Como o tema é bastante abrangente, osassuntos a serem discorridos serão bastantediversificados, podendo a cada semanaserem apresentados temas isolados. Portanto, o Programa semanal derádio, aborda aspectos específicos da saúdeda boca e das estruturas ou órgãos queestão diretamente relacionados a ela, alémde discutir a inter-relação entre o bem estarbucal e a saúde geral dos indivíduos. Comesta ação, o projeto busca informar e educara população de Uberlândia e região acercados problemas bucais e suas inter-relações.nível de relação, pois todos estão inseridos no mesmo tema.O Programa semanal de rádio, aborda aspectos específicos da saúde da bocae das estruturas ou órgãos que estão diretamente relacionados a ela, além dediscutir a inter-relação entre o bem estar bucal e a saúde geral dos indivíduos.Com esta ação, o projeto busca informar e educar a população de Uberlândia eregião acerca dos problemas bucais e suas inter-relações.Você já ouviu falar sobre BiologiaMolecular?Membros Grupo PET-Odonto UFUProf. Dra. Carla Silva SiqueiraCirurgiã-dentista pela UFUDoutora em Patologia e Estomatologia Básica e Aplicada pela USPProfessora substituta de Patologia Bucal na UFU1. Quais os principais avanços relacionadosao diagnóstico e prognóstico de neoplasiasorais? Os maiores avanços no que diz respeitoao diagnóstico das lesões orais consistem emuma melhor definição genética das doençasatravés da chamada Patologia Molecular. Esseprocesso ocorre com base em alterações nasproteínas contidas no tumor e em característicasmoleculares, que nos permitem não sóclassificar melhor as neoplasias, mas tambémpesquisar a presença de alvos terapêuticos.O valor prognóstico é indissociável desse tipode descoberta, melhorando as condições deconhecimento de cada um dos profissionais daárea da saúde e possibilitando-os de promoverum tratamento mais efetivo para cada paciente.2. O que é Biologia Molecular? Há algumas décadas o estudo dostecidos vivos baseava-se, basicamente, naanálise morfológica, fossem estas a nívelmacroscópico ou microscópico. A análise dasalterações ocorridas nesses tecidos poderiamser identificadas apenas mediante os efeitosobservados sobre sua estrutura, que levavam amodificações em sua forma, tamanho e função.O desenvolvimento da tecnologia permitiu queestes mesmos tecidos fossem posteriormenteanalisados através da identificação das moléculasque os compõem. Os grandes responsáveis poresse salto na área do conhecimento humanoforam Watson e Crick que, na década de 50,definiram a estrutura química da molécula deDNA, a molécula de dupla hélice que guarda todasas informações genéticas dos organismos dentrodas células. A partir desta descoberta, sucedeu-seuma seqüência de eventos relacionados ao DNA,a partir do qual poderíamos compreender asprincipais características dos seres vivos, além dedesenvolver estudos grandiosos como o ProjetoGenoma Humano, clonagem e transgênicos.Nascia a biologia molecular.3. Qual a função da Biologia Molecular nodiagnóstico dessas lesões? O advento da biologia molecularrepresenta uma das áreas de maior potencialpara a realização de pesquisas na área dasaúde, considerando-se não apenas sua granderelevância clínica e epidemiológica, mas tambémpela possibilidade de aplicação de ferramentasrecentemente desenvolvidas a um númerobastante amplo de doenças. A identificação dascaracterísticas neoplásicas presentes em cadapaciente, principalmente a nível molecular, éextremamente importante na resposta a umtratamento mais específico. A partir do momentoem que se consegue associar determinadaneoplasia a alguma via de ativação ou alteraçãomolecular, tornar-se-á imperativo que seja feitoum planejamento antecedente ao uso de diversasdrogas-alvo, na tentativa de melhorar ainda maiso prognóstico de diversas doenças, através daindividualização do tratamento de escolha.4. Quais as principais técnicas de BiologiaMolecular usadas com finalidade diagnóstica? Algumas técnicas bastante utilizadas econhecidas podem ser citadas, como:PCR (Reação em Cadeia da Polimerase); PCRem tempo real; Hibridização in situ; Microarray;Genômica de alta resolução; Clonagem;Seqüenciamento; Bioinformática.5. Qual a melhor forma de armazenamentodas amostras de tecidos para utilizaçãodessas técnicas? Para utilização de técnicas molecularesque farão análise de DNA, deve-se coletar aamostra (biópsias) e armazenar em freezer a-20oC. Já para utilização de técnicas que utilizemanálise de RNA através de amostras de biópsias,deve-se armazenar em nitrogênio líquido(-196oC), gelo seco (-79oC) ou, ainda, emfreezer a -80oC.6. Quais as vantagens e desvantagens dessatécnica como meio de diagnóstico? As principais vantagens dessa técnicacompreendem as altas taxas de sensibilidade eespecificidade, com índices altos de acertos. Jáas principais desvantagens incluem o alto custoe a necessidade de profissionais treinados para arealização dos experimentos.7. Qual a relação da Biologia molecular comoutras ciências de nível molecular? A Biologia Molecular advém de umacombinação de técnicas e conceitos provindosda Genética, Bioquímica e Biofísica e pode-seconsiderar na interface entre a Bioquímica e aGenética, como mostra o esquema abaixo.A Bioquímica define-se, de uma forma geral, comoo estudo das reações químicas em organismosvivos; a Genética ocupa-se especificamentedo estudo das consequências de diferenças nomaterial genético nos organismos. A BiologiaMolecular ocupa, então, um espaço próprio masrelacionando conhecimentos dos dois campos,ao investigar os mecanismos de replicação,transcrição e tradução do material genético.8. O que é polimorfismo genético e como elepode contribuir na prevenção e tratamento dedoenças como cárie ou artrite reumatoide? Diferentesversõesdeumadeterminadasequencia de DNA em um determinado localcromossômico (locus) são chamados de alelos.A coexistência de alelos múltiplos em um locusé chamada de polimorfismo genético. Qualquersítio no qual existam alelos múltiplos comocomponentes estáveis da população é, pordefinição, polimórfico. Portanto, o polimorfismopode ser definido como a diferença na sequenciaPesquisaPesquisade DNA entre indivíduos, grupos ou populaçõesque dá origem a formas diferentes, como porexemplo, os grupos sanguíneos. Um alelo égeralmente definido como polimórfico se eleestiver presente em uma frequência maior que1% na população, caso contrário teremos o quechamamos de mutação.Estudos recentes mostram que o polimorfismogenético em moléculas como CCR5 ou MMP13,são fatores de risco independentes para umamaior susceptibilidade para doenças como artritereumatoide e cárie dentária, respectivamente(Han et al., 2012; Tannure et al., 2012).Informações como essa permitem a pesquisa dealvos terapêuticos individualizados e, portanto,mais eficazes.9. O que os avanços no conhecimento daBiologia Molecular e do Genoma Humanopodem modificardentro do que já conhecemossobre o Câncer Bucal, tanto na prática clínicaquanto na área da pesquisa? A identificação molecular de mutaçõese polimorfismos genéticos traduz-se para a saúdepública como possibilidade de caracterização dasuscetibilidade individual ao câncer podendo,no futuro, conduzir às novas perspectivas para aprevençãoeodiagnósticoprecoce,bemcomoparao aconselhamento genético e o desenvolvimentode terapêutica gênica. Do ponto de vista dapesquisa, representa obter estimativas maisabrangentes dos riscos, permitindo intervençõesmais eficazes e mecanismos de avaliação maisadequados.10. Quais as perspectivas futuras que possamlevar a já consagrada Patologia Molecular auma nova dimensão? Com o avanço do conhecimento dasvias de sinalização e mecanismos biomolecularese através da riqueza de dados morfológicos,histológicos e moleculares das diversaspatologias, a criação de um modelo matemáticooferece um potencial muito grande de relacionaro conhecimento a nível molecular com oresultado a nível celular/tumor. A justificativada transformação da patologia em um métodoquantitativo seria a de que um teste empírico decada um dos possíveis agentes que possa estarrelacionado com o desenvolvimento de umadeterminada doença pode ser excessivamentecaro e clinicamente impraticável criando,assim, um sistema dinâmico e personalizado dediagnóstico e tratamento (Faratian et al., 2009 –Nature). Um exemplo do uso de modelosmatemáticos como propostas para melhorcaracterização do câncer seria estudar o efeitoque determinada droga teria sobre um organismoatravés do cálculo de possibilidades de interaçãoe a previsão de uma interação indesejada entremoléculas de vias de sinalização distintas.O aprimoramento das técnicas de biologiamolecular e a organização desses dadospossibilitarão, cada vez mais, uma maior acuráciano diagnóstico, tratamento e previsão deprognóstico das doenças. Acredita-se que serápossível prever o efeito da ação de drogas nasvias regulatórias considerando as característicasda doença junto às características do paciente,a ponto de direcionar um tratamento específicounindo métodos moleculares quantitativos adados patológicos e/ou testá-los. Para isso,é necessária uma rica coleta de dados noestado dinâmico. A complexidade deles poderequerer uma abordagem matemática parapossibilitar a interpretação. No entanto, o nívelcientífico racional ainda é limitado perante essacomplexidade dos processos, mas é importantelembrar que não existe um fim para a busca doconhecimento.Comportamento de crianças atendidas no Hospital Odontológico da UniversidadeFederal de Uberlândia após Implantação de aquário, fotos de animais e vistas de cãesna sala de espera”Fabiana Custodio BorgesNatilla R. Soares - Membros Pet Odonto A integração homem-animal tem sido descrita comobenéfica, tanto para a saúde física como para a saúde mentaldo ser humano (Kitagawa e Coutinho, 2004). Por isso surgiuo interesse em levar os animais até as crianças que fazemtratamento no Hospital Odontológico da Universidade Federal deUberlândia (HO-UFU), com o intuito de acalmá-las antes de entrarpara o consultório odontológico. Segundo Eli (1992) a situaçãode tratamento odontológico está profundamente relacionadacom manifestações de ansiedade e estresse, uma vez que existem estímulos fisiológicos - como, porexemplo, a dor – e aspectos psicológicos envolvidos no tratamento dentário que podem ser avaliadospelos pacientes como potencialmente ameaçadores ao seu bem-estar, principalmente em crianças.Jacob (1998) também afirma que o cirurgião-dentista, quando submetido ao estresse, diminui a suatolerância às diferentes situações que terá que enfrentar. Portanto, a importância deste trabalho nãoserá apenas para as crianças, mas também para os estudantes de odontologia que as atendem. Segundo a pesquisa de Cardoso & Loureiro (2008) desenvolvido na Clínica de Odontopediatriada Faculdade de Odontologia de Ribeirão Preto (FORP/USP) o atendimento odontopediátrico dainstituição mostrou-se cheio de manifestações de estresse por parte das crianças, acompanhantes ealunos, condição pouco favorecedora da aprendizagem dos alunose de comportamentos de colaboração com o atendimento por partedas crianças. As mesmas autoras também sugerem pensamentos desoluções criativas para diminuir o problema favorecendo assim umamaior integração entre profissionais e usuários. A escolha dos peixescomo “animais terapeutas” se deu pela facilidade de manejo com osmesmos, pelo menor risco de transmissão de zoonoses e acidentescom as crianças. Como crianças se interessam por gravuras é possíveldistraí-las com imagens de animais, retratadas em um álbum comfotos de cães. Questionários serão aplicados antes e depois dainstalação do aquário para avaliar se ocorrerão mudanças no comportamento das crianças. O objetivo é verificar se há mudança no comportamento da criança ao aguardar peloatendimento odontológico depois da implantação de um aquário e de uma pasta com imagens dediferentes animais na sala de espera do Hospital Odontológico da Universidade Federal de Uberlândia.O aquário doado pela Área de Aquicultura da FAMEV – UFU (Faculdade de Medicina Veterinária –Universidade Federal de Uberlândia) será instalado sobre uma mesa na sala de espera do HospitalOdontológico da UFU com o apoio do Programa de Educação Tutorial (PET) Odontologia. Espera-se assimverificar e quantificar o efeito deste processo no comportamento da crianças atendidas no HO-UFU. Esteé mais um projeto realizado em parceria com outros grupos PET UFU e Unidades Acadêmicas.AVALIAÇÃO DA MUSICOTERAPIA NO AMBIENTE DE TRABALHO ODONTOLÓGICOPor: Paola Costa Cunha e Tamara Pamplona Siqueira (membros do PET-Odonto) Na prática odontológica é nítido a presença do medo associado àansiedade nos pacientes frente ao tratamento. Isso pode ser justificado devidoao ambiente clínico propiciar sensações de insegurança e aumento na tensãodurante o atendimento que prejudica a resposta à terapêutica.A utilização damúsica em prol do relaxamento possui eficácia comprovada cientificamente.Portanto, com o intuito de aumentar a colaboração dos pacientes e aperfeiçoaras ações curativas promovidas pelos discentes nas clínicas integradas do HospitalOdontológico da Universidade Federal de Uberlândia, o PET Odontologia estádesenvolvendo um projeto de pesquisa que visa minimizar os efeitos acarretadospelo estresse nos pacientes. O projeto se baseará na introdução de músicas comsons de intensidade suave que induzem ao relaxamento dos pacientes durante os atendimentos. Após,será feita aplicação de questionários para comparar do nível de estresse e qualidade dos atendimentosantes e depois do emprego da musicoterapia.Participe deste projeto e contribua com a melhoria da qualidade do ensino na FOUFU!!http://belezanegocios.wordpress.com/2012/05/12/musicoterapia-o-poder-da-musica-a-seu-favor/ acesso em 25 de setembro de 2012“Líquen Plano Oral: estudo retrospectivo das características clínico-patológicas erevisão sistemática da literatura mundial”Fabiana Custódio Borges (membro Grupo PET-Odonto)João Paulo Servato e Silva (Graduando FOUFU)Tatiane Vieira Andrade (Pós-Graduanda FOUFU)Prof. Dr. Sérgio Vitorino Cardoso (Área de Patologia Oral da FOUFU).O líquen plano (LP) é uma doença crônica auto-imune a qual pode acometer pele, anexos cutâneos emembranas mucosas. (Alves MGO, 2010; Roopashree MR, 2010). A prevalência estimada da doença napopulação geral é de 0,4- 4% (McCartan BE, 2008). Cinquenta por cento dos pacientes com lesões de peletambém manifestam lesões da mucosa oral, e 25% dos pacientes com LP apresentaram somente lesõesbucais. O LP mostra uma predominância no sexo feminino e acomete principalmente pacientes adultos,entre a quinta e sexta década de vida. Os sítios da cavidade oral mais frequentemente envolvidosincluem a mucosa jugal (Figura 1), língua e gengiva (McCartan BE, 2008). As características clínicas doLP na mucosa oral são geralmente polimórficos e, geralmente, consistem em lesões brancas (Figura2) ou avermelhadas (Figura 3) bilaterais e /ou múltiplas. A alternância entre fases de exacerbação etranquilidade tem sido relatada. É considerado uma condição pré-maligna, com uma porcentagem demalignização de aproximadamente 0-2% (Alves MGO, 2010; Roopashree MR, 2010). As característicasclássicas microscópicas observadas na mucosa oral incluem hiper ortoqueratose ou paraqueratose,espessamento da camada espinhosa, liquefação da camada basal e infiltração de linfócitos e outras
  6. 6. PesquisaPesquisa10 113D das estruturas de interesse, gerando um modelo virtual.A partir daí o InVesalius é capaz de exportar um arquivo emformato padrão STL (STereoLithograpy) para qualquer máquinade manufatura aditiva, permitindo sua materialização. O modelo físico permite melhor planejamento, namedida em que facilita a manipulação, visualização por grandesequipes e a confecção de dispositivos perfeitamente ajustadosàs características da anatomia do paciente. Atualmenteo CTI já ofereceu apoio a mais de 2000 casos clínicos depesquisa utilizando esta tecnologia para o planejamento edesenvolvimento de dispositivos biomédicos de suporte, taiscomo guias e modelos de próteses personalizadas. Além destasaplicações, a infraestrutura tecnológica da DT3D/CTI possibilitao desenvolvimento de inúmeros temas de pesquisa, tendo sidoutilizada no apoio a mais de uma centena de trabalhos de pós-graduação e pesquisa em diversas áreas de conhecimento, comfoco destacado na área de saúde e odontologia. Contando comum parque de estações de trabalho e programas de computadorque possibilitam o desenvolvimento de modelos de simulação 3Ddo comportamento mecânico de estruturas físicas pelo métododos elementos finitos e de aplicativos para desenvolvimentode modelos geométricos de alta complexidade, principalmenteutilizados para representar estruturas anatômicas, a DT3D/CTI tem capacidade de apoiar temas de pesquisa na fronteirada ciência e inovação, além de desenvolver temas próprios nocontexto de sua missão. O uso de tecnologia da informação e recursoscomputacionais, como a ferramenta de elementos finitos, paraáreas como a da saúde tem se configurado como um desafiointerdisciplinar,exigindonovasequipesenovasmaneirasdepensarquefavoreçamestaintegração.Demodogeral,ousodetecnologiatridimensional tem habilitado o pensamento e desenvolvimentode soluções anteriormente consideradas inviáveis, integrandoconhecimentos multidisciplinares com o uso de recursos deinformaçãoeacapacidadedematerializarasideiasdeformaúnica.Esta perspectiva multidisciplinar tem tornado cada vez maisimportante a integração entre pesquisadores das mais diversasáreas de conhecimento em ambientes interdisciplinares,criando desafios como a comunicação. Esta é uma das principaisutilidades das tecnologias tridimensionais, na medida emque possibilitam transforma e condensar informação emum meio bastante intuitivo que são os modelos virtuaise físicos, tirando proveito da alta capacidade naturalpresente na interação física e visual dos seres humanos. Esta nova fronteira da pesquisa vem sendocontinuamente explorada pela DT3D/CTI e seus parceiros depesquisa, dentre eles as principais universidades públicas doBrasil com a Universidade Federal de Uberlândia. Esperamos queo interesse cresça e que novos pesquisadores e novas propostasde pesquisa possam utilizar a infraestrutura do CTI e venham a seintegrar à nossa equipe.infraestrutura de máquinas de manufatura aditiva da divisão,possibilitando o envio direto do modelo 3D reconstruído paraqualquer máquina de manufatura aditiva.Complementandoainfraestrutura,aDT3Ddispõede8máquinasdemanufatura aditiva, abrangendo cinco das principais tecnologiasdisponíveis no mercado. Estão disponíveis as tecnologias: 3DPrinter, SLS (Selective Laser Sintering), Polyjet, jato de cera e FDM(Fused Deposition Modeling). A principal tecnologia aplicada paraa área de saúde na DT3D/CTI tem sido a 3D Printer, devido asua velocidade, custo e facilidade de operação. Apesar disso, hárestrições de resistência mecânica e outros aspectos de qualidadegeométrica e dimensional que podem levar a se solicitar o uso dequalquer das demais tecnologias disponíveis.Cada uma destas tecnologias apresenta características próprias,com vantagens e limitações, bem como trabalham com materiaisespecíficos. A 3D Printer usualmente trabalha com material àbase de gesso, que é aglutinado por um líquido específico, ambosfornecidos pelo fabricante do equipamento; a SLS trabalha compolímero em pó, geralmente a poliamida, o qual é sinterizadoseletivamente por laser, num processo que envolve aquecimentoe derretimento localizado do polímero para solidificação domaterial; a Polyjet trabalha com polímeros fotopolimerizáveis,que são depositados em camadas por bicos de jato e endurecidospela ação de luz; a jato de cera funciona de modo similar à Polyjet,mas utiliza cera derretida ao invés de polímero; finalmente a FDMtrabalha depositando filamentos de um polímero termoplástico,geralmente o ABS (Acrylonitrile Butadiene Styrene), o qual éalimentado na forma de fios em um cabeçote aquecido, o qualpromove o derretimento do material e controla sua injeção porum bico para gerar os filamentos. Todas estas máquinas funcionam de acordo com umamesma tecnologia, que é chamada de manufatura aditiva,segundo a qual um objeto pode ser materializado por adiçãocontrolada de material camada sobre camada. Assim, a formaçãode cada camada do material ocorre por sua aglutinação a partirdo uso de alguma energia, o que garante a capacidade dereproduzir geometrias sem os limites de complexidade que sãocaracterísticos de processos subtrativos como a usinagem ou osprocessos utilizados em diversas máquinas CAM (Computer AidedManufacturing), que têm sido empregadas na manufatura decoroas para a área de odontologia nos conhecidos processos CAD/CAM (Computer Aided Design/Computer Aided Manufacturing). A integração destas tecnologias tridimensionais,principalmente o InVesalius e as técnicas de manufaturaaditiva, desenvolvida no contexto do CTI como um protocolo deaplicação chamado PROMED possibilita o acesso a um alto nívelde informação condensado no modelo físico, o qual hospedainformações vindas de diversa fontes em um registro físico defácil entendimento. O protocolo PROMED se inicia com a chegada de umexame de imagens médicas em formato DICOM, que segue parao InVesalius, no qual será feita a segmentação e reconstruçãocélulas inflamatórias dispostas em banda na lâmina própria (Figura 4). O conhecimento das características clinico-patológicas de uma doença é de extremaimportância, visto ao fato que tais dados podem ajudar Clínicos e Patologista no reconhecimento e tratamento dessa entidade. Além de gerar conhecimentosobre predileção e achados histomorfológicos mais comumente evidenciados. O objetivo desse estudo retrospectivo será rever as características clínico-demográficas (idade, gênero, localização e sintomas clínicos) e histopatológicas do LP oral em um grupo de pacientes diagnosticados no Laboratório dePatologia Bucal da Universidade Federal de Uberlândia entre 1978 e 2010 de acordo com as normas propostas pela Organização Mundial de Saúde em 1978.Em complementações aos dados clinico-patológicos, um levantamento bibliográfico sistematizado de todos os relatos epidemiológicos sobre LP oral serárealizada utilizando as bases eletrônicas Pubmed, Medline, Cochrane reviews e LILACS.Histológico cedido pelo Laboratório de Patologia Oral da Universidade Federal de UberlândiaFotos cedidas pela C.D. Roberta Rezende RosaMestre em Clínica Odontológica Integrada / Diagnóstico Estomatológico UFUDoutoranda em Clínica Odontológica Integrada / Patologia Oral UFUFig.1- Líquen plano em mucosa jugal Fig.2- Líquen plano- lesão esbranquiçada Fig 4- Ortoqueratose, espessamentoda camada espinhosa e infiltraçãode linfócitos e outras célulasinflamatórias dispostas em banda nalâmina própria ( Aumento de 20x).Tecnologias 3D aplicadas às áreas de saúdeProf. Dr. Pedro Noritomi – Centro de Tecnologia da Informação, Campinas-São Paulo. Quando recebi o convite de escrever para esta publicaçãodo jornal PET pensei em tratar o artigo com uma visão técnica,falando das possibilidades e do panorama atual das tecnologiastridimensionais e suas aplicações, atuais ou potenciais, nas áreasde saúde. No entanto, após alguma reflexão, optei por um textomais informal, certamente com os mesmos objetivos, mas quepermitisse transparecer uma visão mais humana e social paraesta questão de tão elevada importância que é a saúde. Ao finalespero ter conseguido. Atualmente, o Brasil possui um dos maiores, se não omaior, sistema de saúde pública de acesso universal no mundo.Contamos com uma população de mais de 190 milhões dehabitantes (IBGE, censo de 2010), uma extensão territorial demais de 8.000.000 km2 e orçamento previsto para a saúde em2011 que superou os R$ 77 bilhões, o que dá uma ideia dasdimensões e dificuldades que são enfrentadas pelo SistemaÚnico de Saúde (SUS) brasileiro. Neste contexto, a aplicaçãode tecnologia em qualquer escala tem o potencial de gerareconomias relevantes. Há diversas oportunidades de uso de tecnologia nas diferentesáreas da saúde pública, desde a informatização e uso intensivo detecnologia de informação, que tem o potencial de alterar a formacomo se dá acesso e se utiliza a informação nos sistemas públicos,por exemplo, unificando bancos de dados e tornando prontuáriosde pacientes disponíveis em tempo real para médicos, mesmoque eles estejam distantes dos locais de atendimento; até suaaplicação no desenvolvimento de procedimentos e soluçõesde melhor qualidade e efetividade, reduzindo custos diretos eindiretos de sua aplicação ao mesmo tempo em que aumenta adurabilidade dos resultados, oferecendo uma melhor qualidadede vida aos pacientes beneficiados.Entre as tecnologias mais aplicáveis atualmente para a saúdepública estão as tecnologias tridimensionais, principalmenteutilizadas para apoiar o planejamento cirúrgico de procedimentosde alta complexidade e na assistência ao desenvolvimento depróteses e dispositivos biomédicos específicos aos pacientes.Estas tecnologias representam uma família de tecnologias queintegram soluções de modelagem virtual e física, a partir do usode software de digitalização e criação de modelos 3D e máquinasde manufatura aditiva, capazes de materializar a informaçãocontida nos modelos virtuais. O Centro de Tecnologia da Informação Renato Archer(CTI), a partir de sua Divisão de Tecnologias Tridimensionais(DT3D) vem desenvolvendo tecnologias e aplicações voltadaspara a área de saúde desde o ano 2000, tendo trabalhado maisespecificamente no apoio à pesquisa, ao planejamento cirúrgicoe desenvolvimento de soluções específicas a pacientes utilizandoinfraestrutura de software e hardware disponíveis na divisão. A DT3D/CTI desenvolve, desde 1999, um software paravisualização e manipulação de imagens de exames médicos3D como a tomografia computadorizada e ressonância nuclearmagnética chamado InVesalius. Atualmente o software encontra-se em sua terceira versão e está disponível, tanto para uso quantopara acesso ao código fonte, gratuitamente no portal do SoftwarePúblico Brasileiro (www.softwarepublico.gov.br) para downloadpor qualquer interessado. Suas funcionalidades principais vãodesde a visualização básica das imagens fotográficas das fatiasde uma tomografia, até sua segmentação, separando os tons decinza de interesse na imagem para reconstrução da estruturaanatômica de interesse em 3D. O software é integrado com aRoberta, 2011.Roberta, 2011.Fig.3- Líquen plano- lesão esbranquiçadacom áreas avermelhadasna medida em que possibilitam transforma e condensar informação em um meio bastante intuitivoque são os modelos virtuais e físicos, tirando proveito da alta capacidade natural presente nainteração física e visual dos seres humanos.Esta nova fronteira da pesquisa vem sendo continuamente explorada pela DT3D/CTI e seusparceiros de pesquisa, dentre eles as principais universidades públicas do Brasil com a UniversidadeFederal de Uberlândia. Esperamos que o interesse cresça e que novos pesquisadores e novaspropostas de pesquisa possam utilizar a infraestrutura do CTI e venham a se integrar à nossa equipe.
  7. 7. PesquisaPesquisa12 13índices de reprovação; incentivo aos alunos acerca de criticas esugestões; tornar o processo de aprendizagem mais prazerosoe menos traumático; melhorias na forma de ensino e didáticados professores; detectar dificuldades dos alunos; forma de auto-avaliação; propiciar a atualização pedagógica dos docentes docurso; aumentar a motivação dos alunos, aumentar o apoio dostécnicos administrativos, reduzir as taxas de retenção e evasão dealunos do curso, melhorar a dedicação em atividades extraclassee provas; modificar a preocupação com o cumprimento deatividades curriculares somente do mínimo necessário para osalunos. O resultado das avaliações é repassado ao colegiado do cursopara que o mesmo possa avaliar a qualidade do ensino dagraduação e enviar aos coordenadores de áreas acadêmicas.O arquivo de avaliação encontra-se no site da FOUFU, e édisponibilizado no final de cada semestre letivo com a finalidadede avaliá-lo. (Figura 1) A partir de decisões tomadas pelo Conselho deGraduação (CONGRAD-UFU) ficou decidido em 2012 que asUnidades Acadêmicas deverão realizar seus próprios processosde avaliação dos respectivos cursos de graduação, por meioda ação da coordenação de Curso e Colegiado de Graduação.Desde 2010 a Coordenação de Graduação implementou o S.I.A.-FOUFU (Sistema Integrado de Avaliação), baseado nas fichasde avaliação presentes no Projeto Político Pedagógico do Cursoelaborado em 2007 (Anexos 5 e 6). O S.I.A.FOUFU é de extremaimportância para qualidade do curso, porém isso só é possívelse todos envolvidos na graduação responderem ao questionáriono final de cada semestre. Convidamos a todos para participar, osistema é digital e pode ser realizado em qualquer computadorou similar que possua conexão com a Internet.Efeito da composição química salivar na degradação dentinária e progressão daLesão Cervical Não Cariosa - RevisãoPor: Paola Gomes Souza (Membro Do Grupo Pet)Prof. Dr. Foued S. EspíndolaProf. Dr. Paulo Vinícius Soares No intuito de maior compreensão e entendimento da associação plena da origem e progressão das difundidas lesões cervicaisnão cariosas (LCNC) nos últimos anos verificou-se o amplo desenvolvimento de uma infinidade de novos estudos referentes às estaslesões. Tais lesões são consideravelmente evidenciadas na prática clínica odontológica e cada vez mais comuns, acometendo cerca de85% dos indivíduos e caracterizam-se pela perda de estrutura no terço cervical da coroa dentária, e na superfície radicular subjacente,perante a ausência de cárie e bactérias à composição química salivar. Entretanto, apesar de ser encontrada com relativa frequência,existe grande controversia quanto a sua etiologia e planejamento reabilitador, sendo válido o desenvolvimento e obtenção de novosconhecimentos que possam vir a auxiliar e complementar de forma consistente o efetivo diagnóstico e tratamento das mesmas. (Figura1) Apesar disto atualmente admite-se, que estas lesões iniciam-se e progridem fundamentadas em uma etiologia multifatorial.Sendo esta, estruturada e baseada em uma associação de três fatores: biocorrosão, tensão e fricção. No entanto, a contribuição específicade cada processo permanece indeterminada, cooperando para o desenvolvimento de pesquisas e programas científicos referentes aoassunto. Esta revisão buscará ressaltar a enriquecedora interação entre estudo laboratorial e aplicabilidade clínica, para que estudos maissignificativos possam ser revistos e integrados em uma abordagem prática para a designação dessas lesões. (Figura2) Focando em especifico, na compreensão do fator etiologico biocorrosivo na progressão destas lesões e na degradação dentinária,o qual acredita-se se aliar aos fatores oclusais de desgaste comprometendo o elemento dental. A biocorrosão refere-se à degradaçãoquímica, bioquímica e eletroquímica da substância dental; causada por ácidos endógenos e exógenos, agentes proteolíticos e efeitospiezoeléctricos da dentina, o que a difere do processo erosivo. Desta forma, é importante a abordagem dos marcadores salivares,composição química da saliva e o efeito do ph na ativação de metaloproteinases, considerando que estudos correlacionam o local deocorrência das LCNCs aos parâmetros salivares, demonstrando o imprescindível papel protetor da saliva perante a evolução de taislesões. Sendo que a composição salivar funciona como um cofator, considerando que a gênese da LCNC é o efeito combinado dos ácidose proteases enzimáticas. Estas proteases oriundas do fluido crevicular gengival podem também ser oriundas do estômago, que entram em contatocom o meio oral em condições de distúrbios gastroesofágicos. Distinguindo dois processos erosivos: aquele causado por ingestão dealimentos/bebidas ácidas e aqueles causados por distúrbios gástricos. A exposição de dentina justifica-se em determinados artigospor refletir a exposição a forças erosivas e as forças opostas de proteção. Desta forma acredita-se que a patogênese do processoerosivo se estrutura em fatores biológicos como: saliva, espessura da película adquirida, posicionamento aos tecidos moles e língua.E fatores comportamentais tais como: comer, beber, exercício físico regular, higiene oral, estilo de vida e alcoolismo. O entendimentocientífico e bioquímico de tais lesões, auxiliará a constituição de diagnosticos clínicos e destacará a contribuição significante da salivarno desenvolvimento de tais condições. Servindo portanto, de respaudo para pesquisas científicas referentes ao estudo de evidenciaçãoe definição de biomarcadores salivares associados a degradação dentinária e progressão da lesão cervical não cariosa. (Figura 3)ReferênciasReferências Imagens: (Figura1, 2 e 3: FOTOS DO ACERVO NÚCLEO LCNC-FOUFU)1. Mishra P , Palamara J. E. A , Tyas M. J,Burrow , M. F. Effect of Static Loading of Dentin Beams at Various pH Levels. Calcif Tissue Int (2006) 79:416_421.2. Enberg et al. Saliva flow rate, amylase activity, and protein and electrolyte concentrations in saliva after acute alcohol consumption Oral Surg Oral Med Oral Pathol Oral Radiol Endod 2001;92:292-8 Vol. 92.No 3.3. Greabu M, et al. Saliva – a diagnostic window to the body, both in health and in disease Journal of Medicine and Life Vol. 2, No.2, April-June 2009, pp.124-132.4. GRIPPO J,SIMRING M,COLEMAN T Abfraction, Abrasion, Biocorrosion, and the Enigma of Noncarious Cervical Lesions: A 20-Year Perspective Vol 24 • No 1 • 10–23 • 2012 Journal of Esthetic and RestorativeDentistry.5. Ranjitkar S, Kaidonis J, and Smales R. Review Article Gastroesophageal Reflux Disease and Tooth Erosion. Hindawi Publishing Corporation International Journal of Dentistry Volume 2012, Article ID 479850, 10pages. doi:10.1155/2012/479850.estrutura em fatores biológicos como: saliva, espessura da película adquirida,posicionamento aos tecidos moles e língua. E fatores comportamentais taiscomo: comer, beber, exercício físico regular, higiene oral, estilo de vida ealcoolismo. (Figura4) O entendimento científico e bioquímico de tais lesões,auxiliará a constituição de diagnosticos clínicos e destacará a contribuiçãosignificante da salivar no desenvolvimento de tais condições. Servindoportanto, de respaudo para pesquisas científicas referentes ao estudo deevidenciação e definição de biomarcadores salivares associados a degradaçãodentinária e progressão da lesão cervical não cariosa. (Figura5)(Figura1) (Figura2)(Figura3) (Figura4) (Figura5)Referências1. Mishra P , Palamara J. E. A , Tyas M. J,Burrow , M. F. Effect of Static Loading of DentinBeams at Various pH Levels. Calcif Tissue Int (2006) 79:416_421.Figura 1estrutura em fatores biológicos como: saliva, espessura da película adquirida,posicionamento aos tecidos moles e língua. E fatores comportamentais taisomo: comer, beber, exercício físico regular, higiene oral, estilo de vida ealcoolismo. (Figura4) O entendimento científico e bioquímico de tais lesões,auxiliará a constituição de diagnosticos clínicos e destacará a contribuiçãoignificante da salivar no desenvolvimento de tais condições. Servindoportanto, de respaudo para pesquisas científicas referentes ao estudo deevidenciação e definição de biomarcadores salivares associados a degradaçãodentinária e progressão da lesão cervical não cariosa. (Figura5)(Figura1) (Figura2)(Figura3) (Figura4) (Figura5)Referências1. Mishra P , Palamara J. E. A , Tyas M. J,Burrow , M. F. Effect of Static Loading of DentinBeams at Various pH Levels. Calcif Tissue Int (2006) 79:416_421.Figura 2estrutura em fatores biológicos como: saliva, espessura da película adquirida,posicionamento aos tecidos moles e língua. E fatores comportamentais taiscomo: comer, beber, exercício físico regular, higiene oral, estilo de vida ealcoolismo. (Figura4) O entendimento científico e bioquímico de tais lesões,auxiliará a constituição de diagnosticos clínicos e destacará a contribuiçãosignificante da salivar no desenvolvimento de tais condições. Servindoportanto, de respaudo para pesquisas científicas referentes ao estudo deevidenciação e definição de biomarcadores salivares associados a degradaçãodentinária e progressão da lesão cervical não cariosa. (Figura5)(Figura1) (Figura2)(Figura3) (Figura4) (Figura5)Referências1. Mishra P , Palamara J. E. A , Tyas M. J,Burrow , M. F. Effect of Static Loading of DentinBeams at Various pH Levels. Calcif Tissue Int (2006) 79:416_421.Figura 3Pesquisa: Avaliação da qualidade do atendimento na clínica integrada do curso de Odontologiada Universidade Federal de UberlândiaPor: Aline Teixeira Braga, Nathália Inácio Carvalho, Paola Gomes Souza, Tamara Pamplona Siqueira (membros grupo PET-Odonto)Coordenador: Prof. Dr. Luís Carlos Gonçalves Esta pesquisa tem como foco identificar o nível de qualidade da atenção à saúde bucal dos pacientes que estão em tratamentonas clínicas integradas no curso de Odontologia da Universidade Federal de Uberlândia.A pesquisa encontra-se em fase de aplicação dos questionários, que será feita no 2º semestre de 2012 aos pacientes atendidos pelasturmas do 5º ao 8º período, contabilizando uma amostra aleatória de 260 pacientes. Estes questionários consistirão em perguntas objetivaspara obter a opinião dos pacientes relacionada aos diversos aspectos do serviço prestado pelos alunos, professorese auxiliares administrativos que atendem na disciplina de Clínica Integrada do Hospital Odontológico da Faculdadede Odontologia da UFU, tais como: informações sobre o tratamento curativo e procedimentos preventivos; vestuário;relação com o professor, aluno e serviço de triagem; motivo de procura do serviço; notas para atendimento; satisfaçãocom o serviço e organização. Esta pesquisa contribuirá para o processo ensino/aprendizagem e fornecerá subsídios importantes para osadministradores, acadêmicos ou não, para a condução de ações que visem a adequação das condições físicas/estruturaise humanas em busca da melhor atenção em saúde bucal.Pesquisa: Avaliação da qualidade do atendimento na clínica integrada docurso de Odontologia da Universidade Federal de UberlândiaPor: Aline Teixeira Braga, Nathália Inácio Carvalho, Paola Gomes Souza, Tamara PamplonaSiqueira (membros grupo PET-Odonto)Coordenador: Prof. Dr. Luís Carlos GonçalvesEsta pesquisa tem como foco identificar o nível de qualidade da atenção à saúdebucal dos pacientes que estão em tratamento nas clínicas integradas no curso deOdontologia da Universidade Federal de Uberlândia.A pesquisa encontra-se em fase de aplicação dos questionários, que será feita no2º semestre de 2012 aos pacientes atendidos pelas turmas do 5º ao 8º período,contabilizando uma amostra aleatória de 260 pacientes. Estes questionários consistirãoem perguntas objetivas para obter a opinião dos pacientes relacionada aos diversosaspectos do serviço prestado pelos alunos, professores e auxiliares administrativos queatendem na disciplina de Clínica Integrada do Hospital Odontológico da Faculdade deOdontologia da UFU, tais como: informações sobre o tratamento curativo eprocedimentos preventivos; vestuário; relação com o professor, aluno e serviço detriagem; motivo de procura do serviço; notas para atendimento; satisfação com o serviço eorganização.Esta pesquisa contribuirá para o processo ensino/aprendizagem e fornecerásubsídios importantes para os administradores, acadêmicos ou não, para a condução deações que visem a adequação das condições físicas/estruturais e humanas em busca damelhor atenção em saúde bucal.S.I.A. – FOUFU - Sistema Integrado de AvaliaçãoPor: Nathália Inácio Carvalho (Membro grupo PET-Odonto),Daiane Rezende (Acadêmica da FOUFU),Ana Carolina (Acadêmica da FOUFU),Prof. Paulo Vinicius Soares (Coordenador de Graduação, Tutor PET-Odonto). O Sistema Integrado de Avaliação é caracterizado por serum sistema dinâmico, composto por vários procedimentos, como intuito de melhorar os resultados do processo pedagógico. Aavaliação surgiu no segundo semestre de 2007, juntamente como novo currículo a fim de avaliá-lo. É composta de dois tipos dequestionários aplicados através do Google Docs semestralmente,envolvendo todas as disciplinas oferecidas pela FOUFU. São eles:avaliação didático-pedagógica do Professor, Unidade de ensinorealizada pelos alunos , auto-avaliação por parte do docente etécnicos administrativos. Os objetivos propostos pela aplicação do sistemade avaliação são: estimulo ao aprendizado; diminuição dosFigura 5. Exemplos de resultados estatísticos gerados após finalização daconsulta.Figura 5 - Exemplos de resultados estatísticos gerados após finalização daconsulta.Figura 4 - Ficha eletrônica elaborada pelos Google Doc´s.(Figura 3) Ficha eletrônica elaborada pelo Google Doc’s.(Figura 4) Ficha eletrônica elaborada pelo Google Doc’s.Figura 2 - Ficha eletrônica elaborada pelos Google Doc´s.(Figura 1) Rotina do site FOUFU.(Figura 2) Ficha eletrônica elaborada pelo Google Doc’s.Figura 1 - Rotina do site FOUFU.(Figura 1) Rotina do site FOUFU.(Figura 2) Ficha eletrônica elaborada pelo Google Doc’s.Figura 3 - Ficha eletrônica elaborada pelos Google Doc´s.(Figura 3) Ficha eletrônica elaborada pelo Google Doc’s.
  8. 8. EnsinoEnsino14 15Agende-se!!!II Semana da Disfunção Têmporo-mandibularda FOUFUPor Paola Gomes Souza (membro do PET-Odonto UFU) A II Semana daDisfunção Têmporo-mandibularéumeventoque visa ofereceraos graduandosuma abordagemmultidisciplinar eorientações acerca dotratamento nas maisdiversas áreas da saúdedo paciente com DTM.Com vista a ampliaro conhecimentodos estudantes degraduação e pós-graduação de Odontologia e áreas afins abordando umaetiologia multifatorial e do tratamento multidisciplinar dasDisfunções Temporomandibulares. O tratamento das condições de dor crônica estáentre os problemas mais difíceis confrontados pelosclínicos. As Desordens Temporomandibulares (DTMs) sãoreconhecidas como condições de Dor Orofacial que não sãoocasionadas por patologias dentárias e são responsáveispor confrontar dentistas e outros profissionais de saúdepública. Assim, faz-se necessário oferecer aos profissionaisda saúde as diversas formas de abordagem do paciente queapresenta desordem temporomandibular. Os cirurgiõesdentistas devem compreender o modelo biopsicosocialdo tratamento da dor orofacial crônica e da DTM. Afinal,pacientes com desordens dolorosas frequentemente têmamplas limitações e devem ser tratados por uma equipemultidisciplinar formada por profissionais da área dasaúde. Além disso, esses profissionais devem diagnosticarcorretamente e tratar as condições de dor orofacial e DTMmediante as abordagens práticas, efetivas e baseadas emevidências científicas (Fernandes-Neto et al., 2002). Serão convidados como ministrantes profissionaisrenomados, de diversas áreas da saúde, tais comoOdontologia, Medicina, Fisioterapia e Psicologia. Esteevento acontecerá em horário extraclasse para permitirassim, um amplo acesso da comunidade acadêmica. OGrupo PET-Odonto participa da Comissão organizadora comdemais colegas de graduação, técnicos administrativos edocentes da FOUFU e convida a todos para prestigiar oevento!!!Mais informações estarãodisponibilizadas no nossosite: www.pet.fo.ufu.br.Referências Imagens:Figura1:http://odontobloggers.blogspot.com.br/2010/04/disfuncao-temporomandibular.htmlFigura2:http://clinicaodontomania.blogspot.com.br/2011/05/disfuncao-temporomandibular-em-criancas.htmladministrativos e docentes da FOUFU e convida a todos para prestigiar oevento!!!Mais informações estarão disponibilizadas no nosso site: www.pet.fo.ufu.br.Referências Imagens:Figura1:http://odontobloggers.blogspot.com.br/2010/04/disfuncao-temporomandibular.htmlFigura2:http://clinicaodontomania.blogspot.com.br/2011/05/disfuncao-temporomandibular-em-criancas.htmlEste evento acontecerá em horário extraclasse para permitir assim, um amploacesso da comunidade acadêmica. O Grupo PET-Odonto participa daComissão organizadora com demais colegas de graduação, técnicosadministrativos e docentes da FOUFU e convida a todos para prestigiar oevento!!!Mais informações estarão disponibilizadas no nosso site: www.pet.fo.ufu.br.CURSO DE INFORMÁTICA APLICADA PARA OSALUNOS DE GRADUAÇÃOPor: Tamara Pamplona Siqueira (Membro do Grupo PET-Odonto) A informatização da odontologia é a inserçãodecomputadoreseciênciadainformaçãonapromoçãoda prática clínica, diagnóstico, planejamento, napesquisa, em programas de administração, marketinge de comunicação. Isso tem estado mais presente naeducação médica e odontológica, o que representaum desafio para adequar a formação profissionalà realidade atual e às necessidades futuras. Coma necessidade de desenvolver competências nodomínio das tecnologias de informação e comunicaçãodurante o curso de graduação da área da saúde, osestudantes devem adquirir conhecimentos básicosem informática aplicada e também otimizar os níveisde auto-aprendizagem e a educação continuada.Fomentando o debate acerca da importância destetema para a odontologia, O grupo PET ODONTOLOGIApretende capacitar os acadêmicos da graduação daUniversidade Federal de Uberlândia através de umcurso de aprendizagem sobre Informática na áreaodontológica. Este se faz necessário para que aeficiência e domínio informático sejam adquiridose/ou aperfeiçoados para contribuir com a qualidadedo ensino geral da graduação. O curso portanto,cumprirá com os preceitos atuais de inclusão digital,garantindo uma assistência odontológica adequada ede qualidade aos alunos da graduação, alinhados comas ações da Gestão Administrativa Superior da UFU,que atualmente esta implantando a rede de internetwire-less, criando as vilas digitais para os alunos degraduação e fomentando a digitalização do ensinosuperior por meio de programas do Governo Federalatravés do subsídio de equipamentos de informática.Fonte: CORREIA, A.R.A.; MATOS, C.R.C.; PINTO, A.L.M.; FILIPE, M.J.M.; COSTA, P.M.F.V. InformáticaOdontológica: uma disciplina emergente. Revista Odonto Ciência. v.23, p.397-402, 2008.Imagem: (http://www.netdentista.com/wp-content/uploads/2011/08/computadordentista.png)Fonte: CORREIA, A.R.A.; MATOS, C.R.C.; PINTO, A.L.M.; FILIPE, M.J.M.;COSTA, P.M.F.V. Informática Odontológica: uma disciplina emergente. RevistaOdonto Ciência. v.23, p.397-402, 2008.Por: Tamara Pamplona (membro do Grupo PET-Odonto).Figura 1(http://www.abo.org.br/revista/92/materia1.php)ENTREVISTA PET – “O ensino noHospital Odontológico”.Entrevistados: Prof. Murilo Menezes e Prof. Márcio Teixeira.Por: Alunas do Grupo PET-Odontologia UFU O Programa de Educação Tutorial visa acima de tudoo princípio da indissociabilidade entre os pilares da educaçãosuperior: ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO. O novo ProjetoPedagógico do Curso de Graduação em Odontologia foi elaboradoem 2007 e tem sido implementado nestes preceitos. Nós dogrupo PET-Odonto acreditamos que um importante local deaplicação destes princípios na FOUFU é o Hospital Odontológico.Para tanto, convidamos o atual Diretor do Hospital Odontológico(HO), Prof. Márcio Teixeira, e o atual supervisor do HO, Prof.Murilo Sousa Menezes, para elucidar alguns pontos importantessobre as ações, o ensino no HO e perspectivas para o futuro.PET-Odonto: Qual a importância do Hospital Odontológico naprática do Ensino de graduação? Prof. Márcio e Prof. Murilo: O hospital Odontológicotem importância direta na qualidade do ensino aprendizadoda graduação. Como explícito no projeto pedagógico da FOUFU,este curso tem por objetivo formar profissionais de saúdecom conhecimentos, habilidades e destrezas que o caracterizecomo Cirurgião Dentista Clínico Geral tecnicamente capaz,cientificamente orientado, social, ético e humanisticamentesensível para promover a saúde e solucionar, com critérioreflexivo, educativo, preventivo e reabilitador, os problemasodontológicos mais prevalentes na região geo-educacionaldesta Instituição e em programas de interesse nacional. Assim,é durante o atendimento clínico, no Hospital Odontológico, queo aluno coloca em prática todo o aprendizado teórico, gerandoas habilidades psicomotoras. Com a implantação do novo projetopedagógico, o aluno tem o primeiro contato com o atendimentoclínico ainda no 3º período, na Unidade de Clínica EstomatológicaIntegrada 1 (UCEI 1). Isto permite que a articulação entre teoria ea prática ocorra desde o início do curso, possibilitando ao discentemaior aproximação dos conteúdos estudados à sua real aplicaçãoclínica, aumentando seu interesse e favorecendo à aprendizagem.Nesta unidade, o aluno faz exame clínico entre eles, em algunsmomentos sendo paciente, outros sendo o Cirurgião Dentista eoutros como auxiliar. Ainda nesta Unidade o aluno tem o primeirocontato com o paciente externo. Neste primeiro atendimentoprocede-se a anamnese, exame clínico e a triagem do paciente,que irá nortear a viabilidade do início do tratamento na próximaunidade, UCEI 2, a ser realizado pelo próprio aluno que efetuouo atendimento inicial. Nesta etapa, é iniciado o atendimentode assistência a atenção básica seguido dos procedimentos demédia e alta complexidade, até a conclusão do tratamento,que pode ser desenvolvido durante as sete unidades de ClínicaEstomatológica Integrada, UCEI 2, UCEI 3, UCEI 4, UCEI 5, UCEI 6,UCEI 7 e UCEI 8, ou seja quase todo atendimento clínico durante agraduação é realizado no Hospital Odontológico. Por outro lado,o HO esta disponível para atendimentos a comunidade por meioda realização de Projetos de Extensão. Existem diversos projetosde extensão cadastrados na FOUFU, e a grande maioria destesque utilizam atendimento clínico, são realizados em horárioslivres das Clínicas de Graduação.Pet-Odonto: O que mudou na organização e ensino noHospital Odontológico nos últimos anos? Prof. Márcio e Prof. Murilo: Algumas mudançasimportantes ocorreram na atual gestão do Prof. Dr. MárcioTeixeira em parceria com a administração do Magnífico ReitorProf. Dr. Alfredo Júlio Fernandes Neto. De todas as mudanças,consideramos como a mais importante a conscientizaçãode todos os segmentos envolvidos no processo ensinoEnsinoCURSO DE INGLÊS INSTRUMENTAL NA FOUFUPor: Paola Cunha (Membro do Grupo PET-Odonto UFU)Aline Teixeira Braga (Membro do Grupo PET-Odonto UFU) O domínio da língua inglesa é imprescindível nos diasatuais. Diariamente convivemos com uma série de expressõese palavras em inglês que nos obriga a compreender o idioma,mesmo que de forma mais ampla e superficial. Artigos e pesquisasna área da saúde com ênfase em Odontologia são publicadosfreqüentemente, e o discente precisa ter o conhecimento dessestrabalhos para o engrandecimento científico e profissional. Outraimportância visível no âmbito acadêmico, se refere a mobilidadeinternacional, em que o aluno por falta do conhecimento dalíngua estrangeira vê-se impossibilitado a participar de talatividade. Nesse contexto, observa-se que o inglês é primordial enecessário, o grupo PET Odontologia, diante disto, busca ofereceraos alunos de graduação um curso de inglês instrumental. A Universidade Federal de Uberlândia possui a Centralde Línguas que oferece aproximadamente 600 vagas paracursos de diversas línguas estrangeiras. Ë proposta da atualgestão superior da UFU a criação de uma nova Central deLínguas para aproximadamente 5.000 alunos, por meio do apoiodo Governo Federal, que tem como meta envolver 100.000alunos de graduação de todo país em programas de MobilidadeInternacional. Para colaborar com esta idéia, o Grupo PET-Odontoirá disponibilizar um curso de inglês instrumental com vagaslimitadas, que apresentará aos alunos envolvidos estratégias deleitura para o domínio mínimo da língua inglesa e a possibilidadede compreensão de textos de gêneros variados, principalmenteartigos científicos.Fiquem atentos, pois em breveanunciaremos o período de inscriçãoe efetivação do curso no nosso sitewww.pet.fo.ufu.br.Por: Paola Cunha (Membro do Grupo PET-Odonto UFU)Curso Preparatório para Concurso PúblicoAline Teixeira Braga Atualmente os concursos estão sendo uma boaalternativa para quem deseja seguir uma carreira pública ecom estabilidade financeira. Pesquisas demonstram que aprocura por cursos preparatórios para quem quer prestar taisconcursos crescem cerca de 15% ao ano. Porém, ao passoque notamos esta incessante procura por cargos concursados,notamos, por conseguinte, a crescente competição entre oscandidatos pelos mesmos.Desta forma, o PET Odontologia, sob a orientação daprofessora Liliane Tannús, disponibilizará aos graduandos deOdontologia da Universidade Federal de Uberlândia, um cursopreparatório para concurso público, com aulas nas diversasáreas da Odontologia, Conhecimentos Gerais e Português,sobre os temas mais cobrados nestes, além da aplicação deprovas previamente elaboradas com questões de processosseletivos anteriores. O objetivo de tal curso é possibilitar um melhorpreparo aos alunos da FOUFU, para que possam prestarconcursos em todo o território nacional, expandindo assimseus conhecimentos para os diversos ramos da Odontologianessa área, além de promover um diferencial destes alunosquanto a preparação em concursos públicos. O curso ocorrerá no segundo semestre de 2012 eterá vagas limitadas.

×