Cabos de rede

2,331 views

Published on

0 Comments
3 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
2,331
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
1
Actions
Shares
0
Downloads
201
Comments
0
Likes
3
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Cabos de rede

  1. 1. Evolução dos cabos de rede Trabalho realizado por: Ricardo Padinha Patrícia Morais
  2. 2. Índice • Cabeamento Estruturado • Evolução • Histórico da Padronização • Definição • Projeto • Subsistemas
  3. 3. • Teve a sua origem nos sistemas de cabeamento telefônico comerciais • Grande necessidade de mudança da infra- estrutura(posição física no interior da edificação); • Com o crescimento da demanda da telefonia, transmissão de dados, vídeos e outros houve a dificuldade de acompanhar; • Criaram seus próprios padrões; • Vasta diversidade de topologias, tipos de cabos, padrões de ligação, etc. Evolução dos Sistemas de Cabeamento
  4. 4. • Fusão das Tecnologias • Redes de Computadores e os diversos tipos de sistemas existentes(telefonia, CATV, etc); • A infra-estrutura básica e essencial para isto é o Cabeamento Estruturado; • Controles lógicos(alarmes, sensores); • Método mais adequado para uma estrutura de rede; Evolução dos Sistemas de Cabeamento
  5. 5. • Arquitetura Aberta • Processamento Distribuído • Sistemas Integrados – dados, voz, imagem, vídeo, automação predial • Altas Velocidades Evolução dos Sistemas de Cabeamento Sistema Atuais
  6. 6. • Flexibilidade; • Suporte a diversos padrões de comunicações; • Melhoria do desempenho; • Mudanças, alterações e Ampliações são feitas rapidamente. Evolução dos Sistemas de Cabeamento Porque utilizar cabeamento estruturado?
  7. 7. Histórico - Padronização • 1985 – Falta de padrão para os sistemas de fiação de telecomunicações em edifícios • CCIA solicita a EIA o desenvolvimento do padrão • Julho de 1991 – primeira versão da norma(EIA/TIA 568) • Agosto de 1991 – TSB36 • Agosto de 1992 – TSB40 • Norma TIA/EIA – 568A(TSB36 + TSB40)
  8. 8. • os requisitos mínimos para cabeamento de telecomunicações dentro de um ambiente de escritório. • topologia e distâncias recomendadas. • meios de transmissão, por parâmetros que determinam desempenho. • designações de conectores e pinos, para garantir a interconectividade. • a vida útil dos sistemas de cabeamento de telecomunicações como sendo maior que dez anos. Especificação da Norma
  9. 9. Cabeamento Estruturado Definição. É um sistema aberto que permite a transmissão de qualquer serviço de comunicação através de um único sistema de cabeamento universal.
  10. 10. • Deve nascer juntamente com o projeto arquitetônico; • Custo de desenvolvimento é menor se comparado ao de alteração; Projeto de um Cabeamento Estruturado
  11. 11. Implantação Física • Distribuição dos pontos de acesso • Pontos de Concentração • Encaminhamentos • Modelo de Projeto & Integrações (telefonia, segurança etc)
  12. 12. Sub-Sistemas de um Cabeamento Estruturado • Instalações de Entrada; • Sala de Equipamentos • Cabeamento Vertical • Gabinete de Telecomunicações • Cabeamento Horizontal • Área de Trabalho
  13. 13. • Estão Relacionadas com os Serviços que estarão disponíveis para o cliente, podem ser de: • Dados • Voz • Sistema de Segurança • Redes Corporativas • Existem três alternativas de conexão: • Através de cabo óptico • Através de um roteador • Dispositivos integrados WAN/LAN Sub-Sistemas Instalações de Entrada
  14. 14. Sub-Sistemas Instalações de Entrada Cabo da Rede Externa Caixa de Emenda Unidades de Proteção Elétrica Hardware de Conexão Cabos do Backbone Vertical
  15. 15. • Receber fibra óptica do backbone • Acomodar equipamentos de comunicação de operadoras de telecomunicações • Acomodar os equipamentos principais e outros componentes da rede local • Permitir acomodação e livre circulação do pessoal de manutenção • Restringir o acesso a pessoas não autorizadas Sub-Sistemas Sala de Equipamentos
  16. 16. Sub-Sistemas Sala de Equipamentos • Características Técnicas • Localização próxima ao centro geográfico • Dimensões mínimas: 3,00m X 4,00m • Livre de infiltração de água • Ambiente com porta e de acesso restrito
  17. 17. • A função básica dos cabos verticais é interligar todos os armários de telecomunicações instalados nos andares de um edifício comercial(backbone cabling) ou vários(campus backbone) • Topologia adotada é a estrela • Principais fatores a serem considerados quanto ao dimensionamento: • Quantidade de área de trabalho • Quantidade de armários de telecomunicações • Tipos de serviços disponíveis • Nível de desempenho desejado Sub-Sistemas Cabeamento Vertical
  18. 18. Sub-Sistemas Armário de Telecomunicações • Um armário de telecomunicações deve ser instalado levando em consideração algumas premissas: • Quantidade de área de trabalho • Disponibilidade de espaço no andar • Instalação Física
  19. 19. Sub-Sistemas Cabeamento Horizontal • É a parte do sistema de cabeamento estruturado que contém a maior quantidade de cabos instalados, estende-se da tomada de telecomunicação instalada na área de trabalho até o armário de telecomunicação.
  20. 20. • Local onde o usuário começa a interagir com o sistema de cabeamento estruturado. • Neste local estão os equipamentos de trabalho: • Computador • Telefone • Sistema de Armazenagem de informações • Sistema de Impressão • Sistema de Videoconferência • Sistema de Controle Sub-Sistemas Área de Trabalho
  21. 21. No mínimo 1 WA a cada 10 m2 de acordo com a Norma 568-A Sub-Sistemas Área de Trabalho
  22. 22. No mínimo 2 Tomadas por WA de acordo com a Norma 568-A Sub-Sistemas Área de Trabalho
  23. 23. Tipos de Aplicação • Redes de Dados – LAN´s • Voz – Telefonia – FAX • TV a Cabo – Antena Coletiva, Satélite • Sistemas de Controle e Supervisão Predial

×