Your SlideShare is downloading. ×
Livro dos Espiritos questao217 Evangelho cap16 - 4
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×

Introducing the official SlideShare app

Stunning, full-screen experience for iPhone and Android

Text the download link to your phone

Standard text messaging rates apply

Livro dos Espiritos questao217 Evangelho cap16 - 4

361
views

Published on

Published in: Spiritual

0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
361
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
9
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. Estudo de O Livro dos Espíritos e do Evangelho Segundo o Espiritismo L.E. – Questão 217 Evangelho Cap. XVI – item 04 Dubai, 15/12/2013
  • 2. Parte II - Cap. IV – Da pluralidade das Existências. Parecenças físicas e morais 217. E do caráter físico de suas existências pretéritas conserva o Espírito traços nas suas existências posteriores? “O novo corpo que ele toma nenhuma relação tem com o que foi anteriormente destruído. Entretanto, o Espírito se reflete no corpo. Sem dúvida que este é unicamente matéria, porém, nada obstante, se modela pelas capacidades do Espírito, que lhe imprime certo cunho, sobretudo ao rosto, pelo que é verdadeiro dizer-se que os olhos são o espelho da alma, isto é, que o semblante do indivíduo lhe reflete de modo particular a alma. Assim é que uma pessoa excessivamente feia, quando nela habita um Espírito bom, criterioso, humanitário, tem qualquer coisa que agrada, ao passo que há rostos belíssimos que nenhuma impressão te causam, que até chegam a inspirarte repulsão. Poderias supor que somente corpos bem moldados servem de envoltório aos mais perfeitos Espíritos, quando o certo é que todos os dias deparas com homens de bem, sob um exterior disforme. Sem que haja pronunciada parecença, a semelhança dos gostos e das inclinações pode, portanto, dar lugar ao que se chama “um ar de família.” GECD - Grupo Espírita Cristão Despertar 2
  • 3. Parte II - Cap. IV – Da pluralidade das Existências. Parecenças físicas e morais Nenhuma relação essencial guardando o corpo que a alma toma numa encarnação com o de que se revestiu em encarnação anterior, visto que aquele lhe pode vir de procedência muito diversa da deste, fora absurdo pretender-se que, numa série de existências, haja uma semelhança que é inteiramente fortuita. Todavia, as qualidades do Espírito freqüentemente modificam os órgãos que lhe servem para as manifestações e lhe imprimem ao semblante físico e até ao conjunto de suas maneiras um cunho especial. É assim que, sob um envoltório corporal da mais humilde aparência, se pode deparar a expressão da grandeza e da dignidade, enquanto sob um envoltório de aspecto senhoril se percebe freqüentemente a da baixeza e da ignomínia. Não é pouco freqüente observar-se que certas pessoas, elevando-se da mais ínfima posição, tomam sem esforços os hábitos e as maneiras da alta sociedade. Parece que elas aí vêm a achar-se de novo no seu elemento. Outras, contrariamente, apesar do nascimento e da educação, se mostram sempre deslocadas em tal meio. De que modo se há de explicar esse fato, senão como reflexo daquilo que o Espírito foi antes? GECD - Grupo Espírita Cristão Despertar 3
  • 4. Parte II - Cap. IV – Da pluralidade das Existências. Parecenças físicas e morais Tematicas da Reencarnação “A humildade do Espírito Emmanuel nos proporciona esta narrativa de sua existência carnal, quando foi o orgulhoso senador romano Públiu Lentulus e obteve designação para alto cargo na Palestina, na época em que Jesus transmitia a humanidade seus ensinamentos imortais. “Cinqüenta anos depois das ruínas fumegantes de Pompéia, nas quais o impiedoso senador Públio Lêntulus se desprendia novamente do mundo, para aferir o valor de suas dolorosas experiências terrestres, vamos encontrá-lo, nestas páginas, sob a veste humilde dos escravos, que o seu orgulhoso coração havia espezinhado outrora. GECD - Grupo Espírita Cristão Despertar 4
  • 5. Parte II - Cap. IV – Da pluralidade das Existências. Parecenças físicas e morais “Quando já compreendemos essas leis, podemos e devemos nos esforçar na nossa própria melhoria espiritual. Analisemos o que somos e passaremos a ser melhores; observemos nossos pensamentos, analisemos nossa fala, nossa vida, e vejamos se ela está em sintonia com Jesus. Procuremos com Jesus os meios mais rápidos de saldar nossas contas, que ficaremos livres, com mais rapidez, do grilhão da dor, cuja semente nós mesmos plantamos. “Não devemos pensar que somente em corpos bem moldados se encontram Espíritos de elevação. Pode ser, e quase sempre é, o contrário. Os grandes missionários pedem corpos sem atração física, para que eles possam desempenhar melhor sua missão. Reconheceremos essas almas pela vida que levam, pela presença benfeitora, pelo amor que desprendem na sublimação do próprio amor.” (Miramez, Filosofia Espírita). GECD - Grupo Espírita Cristão Despertar 5
  • 6. O Evangelho Segundo o Espiritismo Cap. XVI – NÃO SE PODE SERVIR A DEUS E A MAMON Item 4 – Jesus em casa de Zaqueu Dubai, 05/02/2013
  • 7. Cap. XVI – Não se pode servir a Deus e a Mamon Item 4 – Jesus em casa de Zaqueu. Qual o significado da palavra Mamon? É um termo, derivado da Bíblia, usado para descrever riqueza material ou cobiça, na maioria das vezes, mas nem sempre, personificado como uma divindade. A própria palavra é uma transliteração da palavra hebraica "Mamom" ( ), que significa "dinheiro". Significado de Avareza s.f. Apego excessivo às riquezas. Mesquinhez, sovinice. Jesus se refere a tudo que nos prende a matéria e nos impede o avanço espiritual GECD - Grupo Espírita Cristão Despertar 7
  • 8. Cap. XVI – Não se pode servir a Deus e a Mamon Item 4 – Jesus em casa de Zaqueu. 4. Tendo Jesus entrado em Jericó, passava pela cidade - e havia ali um homem chamado Zaqueu, chefe dos publicanos e muito rico, - o qual, desejoso de ver a Jesus, para conhecê-lo, não o conseguia devido à multidão, por ser ele de estatura muito baixa. - Por isso, correu á frente da turba e subiu a um sicômoro, para o ver, porquanto ele tinha de passar por ali. - Chegando a esse lugar, Jesus dirigiu para o alto o olhar e, vendo-o, disse-lhe: Zaqueu, dá-te pressa em descer, porquanto preciso que me hospedes hoje em tua casa. - Zaqueu desceu imediatamente e o recebeu jubiloso. Vendo isso, todos murmuravam, a dizer: Ele foi hospedar-se em casa de um homem de má vida. (Publicano) Zaqueu, pondo-se diante do Senhor, lhe disse: Senhor, dou a metade Entretanto, dos meus bens aos pobres e, se causei dano a alguém, seja no que for, indenizoo com quatro tantos. Ao que Jesus lhe disse: Esta casa recebeu hoje a salvação, porque também este é filho de Abraão; visto que o Filho do Homem veio para procurar e salvar o que estava perdido. (S. LUCAS, cap. XIX, vv. 1 a 10.) GECD - Grupo Espírita Cristão Despertar 8
  • 9. Cap. XVI – Não se pode servir a Deus e a Mamon Item 4 – Jesus em casa de Zaqueu. GECD - Grupo Espírita Cristão Despertar 9
  • 10. Cap. XVI – Não se pode servir a Deus e a Mamon Item 4 – Jesus em casa de Zaqueu. O que precisamos para ver Jesus?! Pensando no que Zaqueu fez... - Disposição para uma vida nova! - Reconhecer os obstáculos. - Elaborar um plano, Ação! Iniciativa para afastar os obstáculos - Confirmar a mudança, arrependimento. Uma nova vida após ver Jesus, novo programa de Vida! Convém-me hoje que eu entre em vossa “casa”! GECD - Grupo Espírita Cristão Despertar 10