Your SlideShare is downloading. ×
TV analogica x TV digital
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×

Saving this for later?

Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime - even offline.

Text the download link to your phone

Standard text messaging rates apply

TV analogica x TV digital

4,410
views

Published on


0 Comments
1 Like
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total Views
4,410
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
0
Comments
0
Likes
1
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. TV ANALÓGICA x TV DIGITAL Tecnologia
  • 2. Padrões de TV Analógicas
    • NTSC – National Television Systems Committee
      • Primeiro padrão de TV (53/54)
      • Adotaram também Canadá, Japão e países com frequência igual a 60Hz
      • Problema: Apresentação das cores nunca duas vezes iguais. N ever T wice the S ame C olor
    • 60Hz – 30fps – 525 linhas
    • PAL – Phase Alternating Line
      • Desenvolvedor Telefunken Alemanha (déc.60)
      • Corrigia a distorção das cores do NTSC
      • Problema: 25 quadros por segundo pode flickar na tela
    • 50Hz – 25fps – 625 linhas
  • 3. Padrões de TV Analógicas
    • SECAM – Sequential Couleur Avec Memoir
      • Padrão francês (déc.60)
      • Adotado em países do leste europeu
      • Problema: Decisão política optando não receber transmissões de outros países. Não mantém compatibilidade.
    • 60Hz – 30fps – 525 linhas
    • PAL-M – Phase Alternating Line - Modificado
      • Adaptado pelo Brasil
      • Adotado em 1967
      • Problema: Não havia, no Brasil, aparelho capaz de captar o sinal. Foram desenvolvidos aparelhos específicos para o PAL-M brasileiro.
    • 60Hz – 30fps – 525 linhas
  • 4. Padrão da TV Digital
    • SBTVD-T – Sistema brasileiro de TV digital Terrestre
      • Adaptação do ISDB-T japonês
      • Prevê mobilidade e portabilidade
      • Modulação do sinal em MPEG-4 diferente do MPEG-2 japonês
      • Definição de 1920x1080 pixels
      • Permite multiprogramação
      • Sistema de interatividade ( Middleware )
  • 5. TV Analógica / TV Digital
    • Semelhanças na Transição
      • Primeiros testes foram realizados pelas emissoras
      • Governo assume o debate
      • Cria núcleo de pesquisa
      • Define o padrão e a adaptação a ser realizada no modelo
      • Inaugura Oficialmente/Comercialmente
  • 6. Televisão Digital Interativa Mercado
  • 7. Televisão e software: Uma união promissora
      • TV Digital sem software
        • Apenas converte o sinal analógico para o digital
        • Portabilidade do sinal
      • TV Digital com software
        • Adiciona à imagem o poder da interatividade
        • Conectividade através de canal de retorno
  • 8. Benefícios da Interatividade na TV
    • A grande mudança é comportamental
      • Aumenta a qualidade e a quantidade dos serviços oferecidos pelos broadcasters.
      • Surge uma nova forma de “assistir TV”: Interagir com a televisão, utilizando serviços, consultando informações, ou se divertindo com jogos e entretenimento.
      • Integração entre 2 indústrias do entretenimento (Broadcasting e Software)
  • 9. ETV (Enhanced TV):
      • Fórmula 1
    • (TV3, Catalonia´s Television)
    • - O usuário pode explorar informações extras ou mais detalhes sobre o Grande Prêmio, sem perder nenhum lance da corrida.
  • 10. Interatividade na TV
      • TV individualizada
      • MTV Hits (Sky Digital – UK) : adaptação total da TV ao gosto do telespectador, que pode personalizar a interface. O usuário também pode checar notícias, fofocas e até participar de um quiz do mundo da música, através do canal de retorno.
  • 11. Interatividade na TV
      • Walled garden: portal com guia das aplicações interativas. Esclarece ao usuário o que é possível fazer, o que está disponível e serve de canal de entrada para tais aplicações.
  • 12. Interatividade na TV
      • - Console de jogos: usar a TV para jogar, só, com a TV, ou em rede, com outros usuários – através do controle remoto ou de outros dispositivos e tecnologias (Wii; Bluetooth).
  • 13.
      • Eletronic program guide (EPG): portal com um guia de programação, descartando o zapping, o usuário escolhe o programa que quer assistir pelo guia, sabendo que horas começou, até que horas vai e qual o próximo programa a ser apresentado.
  • 14. Interatividade na TV
      • Serviços de Teletexto: informações fornecidas pelos transmissores em forma de texto, podendo se sobrepor às imagens, com informações adicionais à programação, ou cobrindo a tela inteira (informações de economia, clima, notícias etc.)
  • 15. Serviços Interativos para TV
      • T-commerce
      • T-banking
      • T-government
      • T-learning
      • Outros serviços (gravação em disco; internet no set top box; rede de relacionamento – chat on TV)
  • 16. Interatividade na TV
  • 17.  
  • 18.  
  • 19.  
  • 20. Interatividade na TV
  • 21. Desafios da TV Interativa
      • Não há respostas prontas!
      • Uma mídia nova, com características próprias.
      • Busca por formatos inovadores, a partir da união da TV com o software.
      • Quebrar paradigmas:
        • unidirecionalidade da programação
        • Passividade do telespectador
  • 22. Características da TV Digital
      • Convergência
      • Personalização
      • Interatividade
      • Sob-demanda
      • Mobilidade
      • Comunidades
      • Multi-task
  • 23. Convergência Digital Multiplataforma
  • 24. Convergência Digital O MELHOR CONTEÚDO, QUALQUER HORA – LUGAR – PLATAFORMA “ Novas formas de mídia são adicionadas e não irão substituir a televisão… No curto prazo, mudar a forma de como as pessoas assistem TV vai ser difícil” (MILTON NETO – Turner)
  • 25. Convergência Digital
    • Alcançar o consumidor durante todo o dia
      • Em casa: manhã, almoço e noite (primetime)
      • Durante seu deslocamento
      • No trabalho
      • Na hora do lazer
      • Mesmo com as mudanças tecnológicas, a maior publicidade ainda é orientada pela criatividade. O negócio é saber como chamar a atenção e contar uma história convincente.
  • 26. Convergência Digital
    • Diferentes produtos para diferentes plataformas
      • TV
        • video on demand
        • TV interativa
      • COMPUTADOR
        • video on demand
        • IPTV
      • CELULAR
        • Personalização
        • Interatividade
        • mobile TV
  • 27. Convergência Digital
    • Consumidor convergente
      • O DIGITAL USER é bem mais jovem que o TV VIEWER
      • Abre mão da qualidade para chegar ao conteúdo que quer, quando e onde estiver.
      • Escolhe e seleciona o que quer assistir e como quer participar (TV - controle remoto; celular – SMS, bluetooth; computador - internet)
      • Acessa múltiplas plataformas simultaneamente e/ou de maneira complementar (“ Two-Screen Programs ”).
  • 28. Convergência Digital
    • Conteúdo audiovisual convergente
      • Independente do modelo de negócios utilizado, diferentes plataformas exigem produtos diferenciados, formatados para destacar as melhores características de cada meio.
      • Diferentes produtos
        • Live Simulcast
        • Clip Service
        • Mobisodes
        • Full episodes
        • Loops
  • 29. Convergência Digital
    • Considerações para o mercado da convergência
      • Marcas facilmente reconhecidas fazem com que a adoção de novas tecnologias seja mais rápida
      • PLANETA TERRA “Nesse momento de proliferação de novas plataformas, de novos jeitos de se relacionar com o conteúdo, que se percebe o quão poderoso é o efeito da mídia de massa… A mídia de massa que agrega valor à multiplataforma, e não a multiplataforma que agrega valor à mídia de massa”
      • (Paulo César Queiroz – vice-presidente de mídia da DM9DDB)
  • 30. Convergência Digital
    • Considerações para o mercado da convergência
      • Tendência de re-empacotamento de conteúdo originalmente produzido
      • Novos formatos requerem tempo para apresentar resultados
      • De forma gradual, os hábitos de consumo de mídia estão mudando
      • O consumidor não vê tecnologia, mas sim experiências e sensações
      • NESCAU 2.0 – “Os clientes podem utilizar os meios de maior alcance para promover a interação entre as diferentes plataformas de comunicação.”
      • (Izael Sinem – diretor de comunicação e serviços de marketing - Nestlé)