Design Instrucional para EAD.

3,508 views

Published on

Conceito de Design Instrucional. Definição de Design Instrucional como planejamento didático. Indicação das principais áreas das competências do designer instrucional. Atuação do DI em equipes para produção de cursos extensivos online a distância.

Published in: Education
2 Comments
9 Likes
Statistics
Notes
No Downloads
Views
Total views
3,508
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
16
Actions
Shares
0
Downloads
273
Comments
2
Likes
9
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Design Instrucional para EAD.

  1. 1. DESIGN INSTRUCIONAL Vani Kenski USP
  2. 2. EAD – uma modalidade diferente • Ensinar a distância é muito diferente de ensinar presencialmente, mesmo para professores com larga experiência em educação. • Aprender a distância exige comportamentos e ações bem diferentes das propostas em cursos presenciais. • Cursos de qualidade em EAD precisam ser produzidos por equipes de profissionais especializados.
  3. 3. EAD – uma modalidade diferente Condições especiais de ensino-aprendizagem • • • • • • Relação tempo – espaço; Interações síncronas e assíncronas; Multiálogos; Usos de múltiplos recursos educacionais; Produção em equipes; Equipes com profissionais especializados: ‒ Professores, tutores, técnicos e designers instrucionais.
  4. 4. EAD Coordenador de EAD Coordenador do curso Conteudista Designer Instrucional Equipe de produção: ilustrador, webdesigner, programador, diagramador, revisor, design de jogos, roteirista, equipe de vídeo. Gerente de projeto Equipe de Divulgação Tutor/monitor/professor responsável Suporte técnico: programador, especialista em TI, webdesigner, especialista no ambiente virtual
  5. 5. O termo DESIGN INSTRUCIONAL – Origem no inglês (Instructional Design); – Tradução em português: Design > projeto, planejamento + Instructional > Ensino = Planejamento do Ensino ou Planejamento didático – Nos EUA, a formação se dá em diversos níveis: graduação, mestrado, doutorado. – Designa uma PROFISSÃO reconhecida internacionalmente: Instructional Designer
  6. 6. DESIGN INSTRUCIONAL • Campo de estudos e ações sobre o desenvolvimento de projetos para os mais diversos modelos e formatos de cursos e processos educacionais. • Não é uma profissão nova, mas foi fortalecida com o avanço da EAD e o uso intensivo das tecnologias digitais. • Competências (pesquisa do IBSTPI – International Board of Standards for Training, Performance and Instruction com mais de mil DIs). • Competências: 1986 > revista e reformulada em 2002 e 2012. • 0 foco central da atuação do Designer Instrucional está na aprendizagem das pessoas, de acordo com as necessidades de formação, o tempo disponível e os recursos a que têm acesso.
  7. 7. Designer Instrucional • Implementam, avaliam, coordenam e planejam o desenvolvimento de projetos pedagógicos nas modalidades de ensino presencial e/ou a distância, aplicando metodologias e técnicas para facilitar o processo de ensino e aprendizagem. • Atuam em cursos acadêmicos e/ou corporativos em todos os níveis de ensino. • Viabilizam o trabalho coletivo, criando e organizando mecanismos de participação em programas e projetos educacionais, facilitando o processo comunicativo entre a comunidade escolar e as associações a ela vinculadas. (MET/CBO, 2009)
  8. 8. Competências do Designer Instrucional * • FUNDAMENTOS DA PROFISSÃO • PLANEJAMENTO E ANÁLISE • DESIGN E DESENVOLVIMENTO • AVALIAÇÃO E IMPLEMENTAÇÃO • GESTÃO * IBSTPI, 2012
  9. 9. Competências do Designer Instrucional • FUNDAMENTOS DA PROFISSÃO – Comunicar-se com eficiência, por meio visual, oral e escrito. – Aperfeiçoamento contínuo de suas competências. – Identificar e buscar resolver problemas éticos e legais que surjam no trabalho de design instrucional.
  10. 10. Competências do Designer Instrucional • PLANEJAMENTO E ANÁLISE – Realizar levantamento de necessidades para o desenvolvimento de projetos. – Planejar cursos/disciplinas baseados nos resultados do levantamento de necessidades. “Cada situação de aprendizagem, cada projeto educacional é único e especial. Deve ser contextualizado, relativizado e definido de acordo com as condições específicas dos alunos, dos recursos envolvidos, do conteúdo, do tempo disponível e outras características de cada situação pedagógica” (Kenski, 2010).
  11. 11. Competências do Designer Instrucional DESIGN E DESENVOLVIMENTO – Selecionar, modificar ou criar um modelo apropriado para um determinado projeto educacional. – Selecionar as estratégias mais adequadas para sequenciar o conteúdo e as atividades de um curso ou disciplina. – Selecionar materiais e recursos didáticos. – Desenvolver atividades de ensino que respeitem a diversidade dos alunos e suas necessidades de aprendizagem.
  12. 12. Competências do Designer Instrucional AVALIAÇÃO ‒ ‒ ‒ ‒ Avaliar todo o processo para a produção do curso. Identificar pontos de melhoria e possibilidades de ajustes. Avaliar o processo desenvolvido e seu impacto nos alunos. Avaliação como processo contínuo e transversal: Avaliação –Validação – Ajustes – Reavaliação-Autoavaliação GESTÃO ‒ ‒ ‒ Gestão de projetos de design instrucional. Gestão das interações e integrações entre as equipes. Promover a colaboração, as parcerias e os relacionamentos entre os participantes de um projeto.
  13. 13. DI e as interações entre equipes
  14. 14. Papel do DI na integração das equipes
  15. 15. Níveis de atuação de um DI MACRO • Responsável pela definição de diretrizes gerais do processo educacional a ser desenvolvido pela instituição, sistema de ensino, organização... MESO • • Estruturação de programas, cursos e disciplinas. Adequação de ações educacionais de acordo com o contexto. MICRO Desenvolvimento de unidades de estudo, compreendendo: • Design de cursos para a modalidade on-line; • Desenvolvimento de roteiros, conforme especificidades de cada projeto; • Adaptação de conteúdos para diferentes mídias.
  16. 16. Relações e Mediações Processo Ensino-aprendizagem Docentes Design Instrucional Equipe de Produção Contexto sócio-técnico- educacional
  17. 17. O futuro do Design Instrucional
  18. 18. O futuro do Design Instrucional Especializações e atuações distintas: – Processos imersivos (games, mundos virtuais); – Mídias móveis; – Ações extensivas de formação (acadêmico); – Ações treinamento e capacitação (autoinstrucionais; passo a passo; simulações); – Ações abertas e massivas (comunidades, redes, MOOCs); – Acessibilidade e inclusão; – Gestão em DI.
  19. 19. Obrigada! Vani Moreira Kenski vani@siteeducacional.com.br

×