PARÓQUIA S. MATEUS DO                                       BUNHEIRO                                 PROGRAMA PASTORAL    ...
ÍndiceSiglas..............................................................................   2Calendário Geral...............
SiglasAJOV     Assembleia de Jovens                         MA           Maré-AltaAP       Assembleia Paroquial           ...
2    Dom RI                   Ter   LAP                      2    Sex FIÉIS DEFUNTOS        Dom RI 3    Seg               ...
2    Qua                          Sab   F. Bem-Avent./MCJ     2     Sab   REPJ                   Ter   PA-MJ 3    Qui   PA...
2    Qui   Inicio MÊS MARIA    Dom Cortejo Flores/ RI         2    Ter   PA- MJ e AP           Sex   MJ – Tenda Vagueira 3...
2011 / 20121. Sinais de Crescimento                                   2. Desafios                                         ...
Programa do Ano Pastoral2012/13Meta Geral:O povo do Bunheiro, vive e celebra comalegria a missão jubilar da diocese,descob...
Programa do Ano PastoralExplicação:                                                              2012/13- O Povo do Bunhei...
Animação das zonas balneares, com                                                                     Tenda de Deus       ...
PASTORAL DE CONJUNTO               PROGRAMA 1                1.1   Festa das Colheitas                1.2   S. Martinho   ...
1.1 – Festa das Colheitas                                                                 Razão Sociológica: Na Festa das ...
1.2 – S. Martinho                                                 Razão Sociológica: Temos feito uma caminhada paroquial  ...
Nota: Alertar todas as zonas para que a confecção seja feita com a1.3 – Ceias de Natal                                    ...
1.4 – Festa da Família                                              Razão Sociológica: A paz é desejo inscrito no coração ...
1.5 – S. Brás                                                     5- Acção                                                ...
03 Fev. 13   Todo o povo   S. Silvestre
1.6 – Tempo Quaresmal/ Pascal                                            Razão Sociológica: A Quaresma é um tempo com muit...
1.7 – Mês de Maria                                               Razão Sociológica: O mês de Maio tem uma significante    ...
1.8 – Dia da Comunidade                                            Razão Sociológica: É habitual o encontro e o convívio d...
16 Jun. 13   Todo o Povo   Vessadas
PASTORAL  ESPECÍFICA               2 – Pastoral dos Pequenos Grupos               3 – Pastoral Familiar               4 – ...
2 – Pastoral dos PequenosGrupos                                                           Razão Sociológica: Sente-se nos ...
4 – Pastoral Sectorial                                            Razão Teológica: “É que quem vive unido a Cristo torna-s...
5- Serviços Pastorais                                           Razão Sociológica: Sente-se que os serviços de pastoral   ...
paroquial.                                                                 9- Inscrições para a catequese dia único – Sába...
Resp. Catequese e                        7.1- 1ª Catequese: “Ser Discípulo de Jesus Cristo”;Advento e Quaresma            ...
15 Fev. 13                                                  5.1- Envio de convite juntamente com a convocatória na     22 ...
4- Elaboração e Afixação do slogan.   PA – 02 Jul. 13                               S. Mateus                             ...
Ver calendário                                  Salas de catequese,     _________________________________________________ ...
________________________________________________________________________________________________
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Programação 2012 2013

567

Published on

0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
567
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
2
Actions
Shares
0
Downloads
4
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Transcript of "Programação 2012 2013"

  1. 1. PARÓQUIA S. MATEUS DO BUNHEIRO PROGRAMA PASTORAL 2012/2013Paróquia S. Mateus do Bunheiro Tiragem: 220 exemplares 22º Ano Setembro de 2012
  2. 2. ÍndiceSiglas.............................................................................. 2Calendário Geral............................................................. 4Avaliação do Ano Pastoral – 2011/2012........................... 10Programa do Ano Pastoral – 2012/2013........................... 12Acções de Pastoral de Conjunto........................................ 16 1.1 - Festa das Colheitas – Outubro............................. 18 1.2 - S. Martinho – Novembro...................................... 20 1.3 - Ceias de Natal – Dezembro.................................. 22 1.4 – Festa da Família – Janeiro…............................... 24 1.5 - S. Brás – Fevereiro ............................................. 26 1.6 - Quaresma – Março/Abril..................................... 28 1.7 - Mês de Maria – Maio............................................ 30 1.8 - Dia da Comunidade – Julho................................. 32Pastoral Específica........................................................... 34 2 - Pastoral dos Pequenos Grupos................................ 36 4 - Pastoral Sectorial................................................... 38 5 - Serviços Pastorais.................................................. 40 5.1 - Liturgia........................................................... 40 5.2 - Catequese....................................................... 42 6 - Agentes de Pastoral................................................ 44 7 - Estruturas de Participação e Decisão...................... 46 9 - Comunicações........................................................ 48Notas............................................................................... 50
  3. 3. SiglasAJOV Assembleia de Jovens MA Maré-AltaAP Assembleia Paroquial MFP Movimento Familiar ParoquialASS Adoração Santíssimo Sacramento MCI Missa Catequese InfantilAZ Acção de Zonas / Assembleia de Zona MCJ Missa Catequese JuvenilBA Bem-Aventuranças MG MensageirosBat. Batismos MJ MISSÃO JUBILAR da Diocese de AveiroCEZ Contactos de Reestruturação de Zona MMM Movimento Mundo MelhorCPM Centro de Preparação para o Matrimónio PA Preparação da AcãoCSPB Centro Social e Paroquial do Bunheiro RAC Reunião de AcólitosEA Equipa de Animação RARG Reunião Animadores e Responsáveis de GrupoEFEL Encontro de Formação da Equipa de Liturgia RC Reunião de CatequistasEMFP Encontro de Casais (MFP) RCE Reunião do Conselho EconómicoEG Encontro dos Grupos Familiares REL Reunião da Equipa de LiturgiaEJOV Encontro de Jovens RELZ Reunião da Equipa de Limpeza e ZeladorasEMG Encontro de Mensageiros REPJ Reunião da Equipa Promotora JuvenilEPJ Equipa Promotora Juvenil REZ Reunião de Equipas de ZonaER Equipa de Redação RI Reunião da IrmandadeES Equipa de Slogan RL Reunião de LeitoresEZ Equipa de Zona RMEC Reunião de Ministros Ext. da ComunhãoFAP Formação Agentes de Pastoral RPB Reunião de Preparação para BatismosIC Inscrições para a Catequese RPC Reunião de Pais de CatequizandosIR Irmãos do Santíssimo SL Afixação de SloganJNC Jornadas Nacionais da Catequese DIA SETEMBRO OUTUBROLAP Lançamento do Ano Apostólico 1 Sab Seg
  4. 4. 2 Dom RI Ter LAP 2 Sex FIÉIS DEFUNTOS Dom RI 3 Seg Qua 3 Sab SL Seg 4 Ter Qui 4 Dom RI/REPJ Ter PA 5 Qua Sex Feriado 5 Seg Qua 6 Qui Sab 6 Ter Qui RMEC 7 Sex Dom Início da Catequese /RI 7 Qua Sex 8 Sab Seg 8 Qui Sab SL / I. Conceição 9 Dom Ter EA/REL 9 Sex Dom10 Seg Qua 10 Sab S. MARTINHO/ MCJ Seg11 Ter Qui PA 11 Dom MJ – D. Anúncio Ter RPB / MJ – D. Palavra12 Qua Sex REPJ 12 Seg Qua13 Qui EA Sab SL /RAC 13 Ter EG – Z1 e 2 / RPB Qui REL14 Sex Dom 14 Qua Sex15 Sab Seg 15 Qui EG –Z3 e 4 Sab RC16 Dom Ter RARG 16 Sex Dom Bap. /CEIAS NATAL17 Seg Qua 17 Sab RPC (2º Volume) Seg18 Ter Qui EMG - MJ 18 Dom Bap. Ter19 Qua Sex 19 Seg Qua20 Qui Sab RC 20 Ter EG –Z5 e 6 Qui21 Sex S. MATEUS Dom F.COLHEITAS Inicio MJ 21 Qua Sex22 Sab Seg 22 Qui Sab Convívio Cat/ CSPB23 Dom Ter RMEC 23 Sex Dom MCI24 Seg Qua 24 Sab Hora Adoração JOV Seg25 Ter Qui 25 Dom F. do Pai-Nosso/MCI Ter NATAL26 Qua Sex 26 Seg Qua27 Qui Sab RPC (1º ao 12ºVol.) 27 Ter EA Qui EA28 Sex Dom F. Acolhimento/MCI 28 Qua Sex29 Sab RC Seg 29 Qui Sab MJ – Conc. Murtosa30 Dom Ter EA 30 Sex MJ - Debate Vagos Dom31 Qua 31 SegDIA NOVEMBRO DEZEMBRO DIA JANEIRO FEVEREIRO 1 Qui Todos Santos /PA Sab MCJ / REPJ/RAC 1 Ter Dia M. Paz Sex
  5. 5. 2 Qua Sab F. Bem-Avent./MCJ 2 Sab REPJ Ter PA-MJ 3 Qui PA Dom S. BRÁS /RI 3 Dom RI Qua 4 Sex Seg 4 Seg Qui 5 Sab SL /RPC (8º volume) Ter RPB 5 Ter RELZ Sex 6 Dom RI Qua MJ – Conc. Albergaria 6 Qua Sab R. Catequistas 7 Seg Qui EA 8 Ter RARG Sex 7 Qui RMEC Dom R. Catequistas / RI 9 Qua Sab RAC 8 Sex Proc. Sr. Passos Seg10 Qui Dom Renov Compr. Acólitos 9 Sab RC / MJ – D. Deserto Ter11 Sex MJ – D. Grito Seg MJ – D. Visita 10 Dom Qua12 Sab Festa da Vida/MCJ Ter Carnaval 11 Seg MJ – (In)Veste Qui MJ – D. Partilha13 Dom Qua CINZAS 12 Ter RPB Sex REPJ14 Seg Qui PA 13 Qua Sab RAC15 Ter Sex MJ – 1ª Catequese 14 Qui REL Dom16 Qua Sab SL/REPJ 15 Sex Proc. Sr. Soledade Seg17 Qui Enc. Semana Família Dom Bap. 16 Sab MJ – Encen. Ilhavo Ter RPB/EMG(Sopa Pedra)18 Sex Seg 17 Dom Bap. Qua19 Sab RPC (4º volume) Ter 18 Seg Qui EA20 Dom FESTA DA FAMÍLIA Qua 19 Ter Sex21 Seg Qui 20 Qua Sab RPC (5º volume)22 Ter EA Sex MJ – 2ª Catequese 21 Qui Dom Bap.23 Qua Sab CPM 22 Sex Via Sacra Jovem Seg24 Qui PA Dom MCI 23 Sab Ter25 Sex MJ - Debate Estarreja Seg 24 Dom Ramos Qua26 Sab SL /RPC (7º vol.) / RC Ter 25 Seg Qui Feriado / PA27 Dom Festa Palavra/MCI Qua 26 Ter Sex MJ - Debate Águeda28 Seg Qui 27 Qua Sab SL/RPC (6ºvol.) /RC29 Ter 28 Qui Ceia do Senhor Dom Festa do Credo/MCI30 Qua 29 Sex PROC. ENCONTRO Seg31 Qui RMEC 30 Sab Vigília Pascal Ter 31 Dom PÁSCOADIA MARÇO ABRIL 1 Sex MJ – 3ª Catequese Seg DIA MAIO JUNHO 1 Qua Dia Nacional Acólito Sab RC
  6. 6. 2 Qui Inicio MÊS MARIA Dom Cortejo Flores/ RI 2 Ter PA- MJ e AP Sex MJ – Tenda Vagueira 3 Sex Seg 3 Qua Sab MJ – Tenda Vagueira 4 Sab Ter EA 4 Qui Dom MJ – Tenda Vagueira 5 Dom Profissão de Fé /RI Qua 5 Sex Seg MJ – Tenda Vagueira 6 Seg Qui PA 6 Sab Ter MJ – Tenda Vagueira 7 Ter Sex 7 Dom RI Qua MJ – Tenda Vagueira 8 Qua Sab SL / RAC 8 Seg Qui MJ – Tenda Vagueira 9 Qui RMEC Dom Dia do Doente 9 Ter AP Sex10 Sex Seg 10 Qua Sab11 Sab MJ-Peregrinação MCJ Ter MJ – D. Saudação 11 Qui MJ – D. Oração Dom MJ - Cristoteca12 Dom MJ-Peregrinação Qua 12 Sex Seg13 Seg Qui 13 Sab Ter14 Ter RPB Sex 14 Dom Qua15 Qua Sab AJOV 15 Seg Qui16 Qui Dom D. COMUNIDADE/F.Env 16 Ter Sex17 Sex Seg 17 Qua Sab MJ – Conc. S.Vouga 18 Qui Dom18 Sab RPC (3º volume) Ter RPB 19 Sex MJ – Tenda Torreira Seg19 Dom Bap. Qua 20 Sab MJ – Tenda Torreira Ter20 Seg Qui 21 Dom MJ – Tenda Torreira Qua21 Ter Sex 22 Seg MJ – Tenda Torreira Qui22 Qua Sab 23 Ter MJ – Tenda Torreira Sex23 Qui Dom Bap. 24 Qua MJ – Tenda Torreira Sab MJ – Conc. Aveiro24 Sex Seg 25 Qui MJ – Tenda Torreira Dom25 Sab CPM Ter AZ – Z1, 2 e 3 26 Sex MJ – Tenda Barra Seg26 Dom 1ª Comunhão/MCI Qua 27 Sab MJ – Tenda Barra Ter27 Seg Qui AZ – Z4, 5 e 6 28 Dom MJ – Tenda Barra Qua28 Ter Sex 29 Seg MJ – Tenda Barra Qui29 Qua Sab IC (9h às 18h) 30 Ter MJ – Tenda Barra Sex30 Qui CORPO DE DEUS Dom 31 Qua MJ – Tenda Barra Sab31 Sex Enc. MÊS MARIADIA JULHO AGOSTO Avaliação do Ano Pastoral1 Seg Qui MJ – Tenda Barra
  7. 7. 2011 / 20121. Sinais de Crescimento 2. Desafios A maioria das pessoas não conhece a Meta Geral, Assistimos a sinais evidentes de crescimento pela ficando-se pela superficialidade e não consegue relacionarforma como as pessoas viveram os objetivos e gestos os gestos com a Meta Geral e os objetivos. Falta criar opropostos ao longo deste ano. Esta vivência proporcionou hábito de “usar e abusar” da Maré Alta, bem como dauma melhor compreensão do batismo, através da presença Programação, durante a preparação das Ações.dos símbolos deste sacramento como a água, a vela, o A missão Jubilar, por ocasião da comemoração dosóleo. As pessoas foram apercebendo-se cada vez mais que 75 anos da restauração da diocese de Aveiro, aparecesão batizados e não que foram batizados. como uma oportunidade de sentir e viver a dinâmica diocesana, à qual a comunidade Bunheirense nem sempre a sente como sua.
  8. 8. Programa do Ano Pastoral2012/13Meta Geral:O povo do Bunheiro, vive e celebra comalegria a missão jubilar da diocese,descobrindo nas bem-aventuranças ocaminho de esperança que nos reconciliacom a vida e com o mundo, à luz da fé.Justificação:Razão Sociológica: Ao longo destes anos, o povo doBunheiro, neste projeto de renovação pastoral, foi-seabrindo à fé e, como povo de batizados, foi fazendoexperiências de pertença à Igreja de Jesus Cristo. Aparóquia do Bunheiro pertence à diocese de Aveiro queestá a viver o Jubileu.Razão Teológica: “Os bispos sucedem aos apóstolos comopastores da Igreja: quem os ouve, ouve a Cristo…” (LG, 20)“Importa fazer das bem-aventuranças um caminho dediscípulos, um programa de vida…” (MJ, pág. 9) É umagraça de Deus… a realização do ano da Fé coincidir com amissão jubilar (cf. MJ, pág.59)Razão Pastoral: Queremos que o povo do Bunheiro, aocelebrar a missão jubilar, se sinta mais Igreja de Aveirovivendo à luz da fé as bem-aventuranças reconcilia-se coma vida e com o mundo.
  9. 9. Programa do Ano PastoralExplicação: 2012/13- O Povo do Bunheiro – Todos aqueles, crentes ou não,que vivem na paróquia do Bunheiro. Ações de Pastoral de Conjunto: Ação de Bem-- Vive e celebra com alegria a missão jubilar – Mês Conjunto Tema AventurançasAssocia-se aos 75 anos da restauração da diocese, acolhe BA os que têmas suas propostas e ajuda as pessoas a crescer na Festa das Chamados à Outubro fome e sede deconsciência do valor e sentido de diocese. Colheitas reconciliação justiça Novembr S. Abertos à BA os pobres em- Descobrindo nas bem-aventuranças – São estas o pano o Martinho reconciliação espíritode fundo que nos ajuda a ser discípulos de cristo; orientar Dezembr Ceias de Verdade –a vida com sabedoria e ser fermento e esperança para o reconciliação BA os humildes o Natalmundo; connosco mesmo. Festa da A paz faz-nos BA os Janeiro- O caminho de esperança que nos reconcilia com a Família felizes pacificadores Reconciliação navida e com o mundo – No itinerário catecumenal em que Fevereiro S. Brás caridade BA os que sofremestamos envolvidos e no seguimento do batismo, somosconvidado a iniciar a descoberta da reconciliação. Essa Tempo BA os que Março Conversãodescoberta vai ser fundamentada no espirito das bem- Quaresmal choramaventuranças respondendo à inquietação do nosso bispo:“A sociedade contemporânea precisa de servidores dos Abrilpobres, de obreiros da paz, de construtores da justiça, de Reconciliação com Mês de Cristo; BA os puros decorações compassivos e de olhos purificados para ver Maio Maria aproximação com coraçãoDeus.” (MJ, pág. 9) a Igreja Diocesana BA os- A luz da fé – Estamos no ano da fé em sintonia com a Junho Dia da Alegria da perseguidos…igreja universal, o caminho que estamos a percorrer tem- comunidade Reconciliação por causa denos ajudado a aprofundar o sentido da fé! Jesus Cristo Julho Agosto
  10. 10. Animação das zonas balneares, com Tenda de Deus oração, silêncio, tertúlias, concertos, etc. Animação noturna, onde se transmitem Dia da Cristoteca valores humanosAções da Missão Principal gesto das ações da Jubilar Missão Jubilar Inicio Solene da Missão Jubilar: Toque de Génesis sinos e oração da Missão Jubilar. Anúncio da Missão Jubilar: Colocação de Dia do Anúncio estandartes. Divulgação de frases Bíblicas: Dia da Palavra Exteriorização da Palavra de Deus. Participar na concentração “Grito pela Dia do Grito Paz”. Organização de visitas a doentes, idosos, Dia da Visita pessoas que vivem sozinhas, etc. Espaço no arciprestado onde haja lugar ao Dia do Deserto silêncio, à reflexão, oração, reconciliação. As pessoas são convidadas a usar uma (In)Veste peça de roupa alusiva à Missão Jubilar. Dia da Partilha Recolha de bens alimentares. Peregrinação ao túmulo de Santa Joana Princesa em Aveiro.Dia da Peregrinação Aproximação e saudação/cumprimento a Dia da Saudação todos com quem se cruzar. Dia da Oração Oração noturna em espaço público.
  11. 11. PASTORAL DE CONJUNTO PROGRAMA 1 1.1 Festa das Colheitas 1.2 S. Martinho 1.3 Ceias de Natal 1.4 Festa da Família 1.5 S. Brás 1.6 Tempo Quaresmal/Pascal 1.7 Mês de Maria 1.8 Dia da Comunidade
  12. 12. 1.1 – Festa das Colheitas Razão Sociológica: Na Festa das Colheitas, o povo encontra- se no início de um novo ano pastoral, coincidindo com o inícioTema: Chamados à reconciliação. da Missão Jubilar da diocese e com o Ano da Fé.Bem-aventurança: Bem-aventurados os que têm fome e sede Razão Teológica: Em Cristo, Deus reconcilia-nos consigo ede justiça, porque serão saciados. oferece-nos a sua justiça que é misericórdia e amor (cf. 2 Cor 5, 16-20; Mt 5, 6).Objetivo: Todos são chamados a viver o novo ano pastoral,envolvidos na Missão Jubilar da diocese e são motivados a Razão Pastoral: Anunciar com alegria o anúncio da Missãoacolher a reconciliação que Deus nos oferece e dá sentido à Jubilar e criar nas pessoas um espírito de acolhimento à graçanossa vida. da reconciliação que Deus nos oferece como caminho que nos faz felizes. COMO QUANDO QUEM ONDE1- Slogan: S. Silvestre, S. 13 Out. 12 ES“Na alegria da Missão, chamados à reconciliação.” Mateus e Catequese2- Anúncio: Maré 11 Out. 12 Mensageiros e ER Nas Casas3- Preparação da acção 11 Out. 12 EZ, EA e Pároco S. Mateus4- Gesto:4.1- Ornamentação dos altares com frutos da terra. 20 Out. 12 Zeladoras Igreja4.2-Eucaristia: 21 Out. 12 EA, EZ Igreja4.2.1- No ofertório cada zona demonstrar o uso do produto daterra para a prática da justiça.4.2.2- Preparar a oração da Missão Jubilar para ser rezada nasEucaristias (ação de graças) do fim de semana.4.3- Cortejo a começar às 14h ao mesmo tempo que o tocar dos 21 Out. 12 Todo o Povo Em cada Zona p/sinos da missão jubilar. Porto Pequeno4.4- Cortejo – Cada zona explora em relação a um produto da 21 Out. 12 EA, EZterra situações de justiça/injustiça.4.5- Leilão das oferendas. 21 Out. 12 Todo o Povo Junta de Freguesia5- Acção 21 Out. 12 Todo o Povo Ruas e Junta
  13. 13. 1.2 – S. Martinho Razão Sociológica: Temos feito uma caminhada paroquial consistente, mas com pouco sentido de Igreja diocesana.Tema: Abertos à reconciliação. Razão Teológica: A Igreja diocesana presidida pelo bispo é porção do povo de Deus onde todos nos integramos numa relação fraterna como família de Deus (cf. CD 11). “Para se conseguir a finalidade própria da diocese, é preciso que aBem-aventurança: Bem-aventurados os pobres em espírito, natureza da Igreja se manifeste claramente no Povo de Deus queporque deles é o Reino dos Céus. pertence à diocese; que os bispos possam cumprir eficazmente nelas os deveres pastorais” (CD 22).Objetivo: Que as pessoas se sintam como corpo integrante Razão Pastoral: Que na oportunidade do S. Martinho, asda diocese de Aveiro e envolvidas na Missão Jubilar, num pessoas se abram aos outros, tomem consciência de pertença àespírito de abertura e reconciliação com todos. Igreja diocesana e aceitem envolver-se na ação da diocese num espírito de despreendimento. COMO QUANDO QUEM ONDE1- Slogan: S. Silvestre, S. 03 Nov. 12 ES“Com o Bispo de Aveiro, somos corpo inteiro” Mateus e Catequese2- Anúncio: Maré Alta 01 Nov. 12 Mensageiros e ER Nas Casas3- Preparação da acção 01 Nov. 12 EZ, EA e Pároco S. Mateus4- Gesto:4.1- Festa de S. Martinho com crianças (1º ao 6º) e idosos Catequese, CSPB e Salão da Juntadurante a tarde. Idosos4.2- Preparação do espaço da ação com a colaboração dos Jovens e EZ Em cada zonajovens e dos grupos de catequese do 7º ao 12º volume.4.3- Visita aos doentes com oferta de castanhas, integrando MEC e EZ Em cada zonaalguns jovens e fazendo a oração da Missão Jubilar. 10 Nov. 124.4- Na acção de graças ocorre recepção dos estandartes na EA, EPJ Em cada zonaIgreja e envio dos jovens que os levam até às zonas4.5- Na zona construir o mapa da diocese: em cada encontra-se Jovens e Todo o Em cada zonaexposto o mapa do nosso arciprestado. Aquando da chegada dos Povojovens completa-se com os restantes arciprestados da diocese deAveiro.4.6- Convívio nas zonas, no fim baile com animação aberto à Jovens e Todo o Salão da Juntacomunidade. Povo5- Acção 10 Nov. 12 Todo o Povo Em cada zona
  14. 14. Nota: Alertar todas as zonas para que a confecção seja feita com a1.3 – Ceias de Natal partilha de bens, tanto quanto possível, no local de convívio. Razão Sociológica: As ceias de Natal têm sido um momento que tem alegrado as pessoas. A diocese propõe uma ação ligadaTema: Verdade – reconciliação connosco mesmo. com a Palavra de Deus. O tempo de natal é propício àBem-aventurança: Bem-aventurados os humildes, porque interioridade.possuirão a terra. Razão Teológica: Jesus Cristo vindo ao mundo é Palavra de Deus, caminho, verdade e vida que nos ilumina e reconciliaObjetivo: Que todas as pessoas acolham com humildade a connosco mesmo. “Deixo-vos a paz, dou-vos a minha paz!” (JoPalavra de Deus, revelada na Sagrada Escritura, como 14, 27)Verdade que ilumina a vida e nos dá a paz interior. Razão Pastoral: Sintonizar o espírito da diocese que nos propõe a atenção à Palavra de Deus. Ajudar as pessoas a COMO reconciliar-se consigo mesmas à luz da Palavra de Deus.1- Slogan: QUANDO QUEM ONDE“A Palavra de Deus é verdade, para acolher com humildade.”2- Anúncio: Maré Alta S. Silvestre, S. 08 Dez. 12 ES Mateus e Catequese3- Preparação da acção 04 Dez. 12 Mensageiros e ER Nas Casas4- Gesto:4.1- Frases Bíblicas da Missão Jubilar: 04 Dez. 12 EZ, EA e Pároco S. Mateus4.1.1- Envolver os movimentos/sectores a construir o“pergaminho” com as frases bíblicas a colocar em locais Dez. 12 EA, EZ, Nas Casaspúblicos. Resp. Catequese e4.1.2- Convidar as famílias a transcrever uma frase bíblica para Todo o Povoo seu “pergaminho familiar” e coloca-la em lugar de destaque.4.1.3- Envolver a campanha de advento da catequese e jovensnesta dinâmica.4.1.4- Nas Ceias de Natal convidar as pessoas a procurar naBíblia e transcreve-la para um “pergaminho” da zona.4.2- Na Igreja construir o presépio e colocar os “pergaminhos” EA, EZ e Igrejadas zonas e das catequeses. Advento Catequese e EA4.3- Presépio vivo no adro da Igreja realizado por jovens. Darênfase à palavra de Deus presenteando, através do Pai Natal, os 25 Dez. 12 Jovens, Catequese e Igrejapresentes no adro da Igreja com postais com frases bíblicas. Todo o povo5- Acção – Ceias de Natal 16 Dez. 12 Todo o Povo Nas Zonas
  15. 15. 1.4 – Festa da Família Razão Sociológica: A paz é desejo inscrito no coração de todas as famílias do Bunheiro. A paz é também um desejo alargado ao sentir de toda a Humanidade.Tema: A paz faz-nos felizes. Razão Teológica: A paz é dom de Deus. Cristo trouxe a paz à Humanidade que une as pessoas e as faz felizes. (Cf LG 9 ; GSBem-aventurança: Bem-aventurados os que promovem a paz, 72)porque serão chamados filhos de Deus. Razão Pastoral: É importante que as famílias sejam escolasObjetivo: Que as famílias do Bunheiro tomem consciência de paz e cresçam na consciência de serem anunciadoras de pazde si mesmas como espaço onde se vive a paz e, em aos outros.comunhão com a diocese, promovam o grito pela paz. COMO QUANDO QUEM ONDE1- Slogan: S. Silvestre, S. 05 Jan. 13 ES“O amor em que acredito é a paz que grito” Mateus e Catequese2- Anúncio: Maré Alta 03 Jan. 13 Mensageiros e ER Nas Casas3- Preparação da acção 03 Jan. 13 EZ, EA e Pároco S. Mateus4- Gesto:4.1- Abraço da paz: Criar um momento especial através de efeito 20 Jan. 13 EA e MFP Igreja Paroquialsonoro (jogral com momento especial, etc.) de modo a despertarpara a importância da paz.4.2- Bênção das grávidas e dos bebés. 13 Jan. 13 Grávidas, Bebés e Igreja Paroquial4.3- Eucaristia c/convite personalizado às pessoas que 20 Jan. 13 Todo o Povocomemoraram 10, 25, 50 anos de casados e aos que casaram,baptizaram e matricularam os filhos na catequese em 2012.4.4- Encontro com os casais acima referidos. 17 Jan. 13 MFP e casais S. Mateus4.5- Na eucaristia ornamentar o altar com duas alianças 20 Jan. 13 EA e Zeladoras Igreja Paroquialgrandes e douradas e uma ânfora com óleo.4.6 – Preparação, pelo M.F.P. da Semana da Família. Jan. 13 MFP S. Mateus4.7- Iniciativa “Grito pela Paz” articulada com o arciprestado da 11 Jan. 13 – 18h00 Todo o Povo A designarMurtosa, inserida na Missão Jubilar5- Acção De 13 a 20 Jan. 13 Todo o povo S. Mateus
  16. 16. 1.5 – S. Brás 5- Acção Razão Sociológica: A festa de S. Brás congrega as pessoas em grande número com espírito de alegria e boa disposição.Tema: Reconciliação na caridade. Razão Teológica: A caridade é razão fundamental na vivênciaBem-aventurança: Bem-aventurados os que sofrem da fé, fruto e testemunha da reconciliação. Expressa-se deperseguição por amor da justiça, porque deles é o Reino dos modo significativo na atenção aos mais debilitados daCéus. sociedade. (cf. Mt 9, 2.6-7 ; 1Tm 1, 5 ; Porta Fidei 14)Objetivo: Que à volta do S. Brás todos sejamsensibilizados para a reconciliação como atenção e Razão Pastoral: Na alegria do encontro com os outrosabertura aos mais debilitados e necessitados da sociedade. sensibilizar para a atenção aos mais frágeis e desfavorecidos da vida. COMO QUANDO QUEM ONDE1- Slogan: S. Silvestre, S. 26 Jan. 13 ES “Vive a Reconciliação, pensa no teu irmão” Mateus e Catequese2- Anúncio: Maré Alta 24 Jan. 13 Mensageiros e ER Nas Casas3- Preparação da acção 24 Jan. 13 EZ, EA e Pároco S. Mateus4- Gesto:4.1- Sorteio da ordem de desfile das marchas. 24 Jan. 13 EA e EZ S. Mateus4.2- Enquadrar na letra da marcha de cada zona o tema da 03 Fev. 13 EZ Nas zonasacção dando ênfase ao amor aos mais carenciados.4.3- Na Eucaristia incluir testemunhos de visitas de doentes, 03 Fev. 13 EA e MEC S. Silvestreidosos, pessoas que vivem sozinhas, carenciados, de forma amotivar o dia da Visita da missão jubilar.4.4- Cortejo das zonas – Preparação de um local específico para 03 Fev. 13 Conc. Económico, Espaço na Escolaidosos, doentes e debilitados terem oportunidade de assistir de CSPB e EA S.Silvestremodo especial ao cortejo das marchas; providenciarlogisticamente o transporte e convite dos idosos.4.5- Convidar idosos de instituições das freguesias vizinhas 03 Fev. 13 EA, EZ, MEC, Casas com Doentes,para assistir às marchas. CSPB CSPB, outras4.5- Leilão das oferendas 03 Fev. 13 EZ e Todo o povo instituições4.6- Iniciativa “Dia da Visita”, inserida na Missão Jubilar. 11 Fev. 13 Todo o Povo
  17. 17. 03 Fev. 13 Todo o povo S. Silvestre
  18. 18. 1.6 – Tempo Quaresmal/ Pascal Razão Sociológica: A Quaresma é um tempo com muito significado na nossa comunidade paroquial e com diversificadas oportunidades de congregar as pessoas na perspectiva doTema: Conversão acontecimento pascal.Bem-aventurança: Bem-aventurados os que choram, porque Razão Teológica: Viver a fé é ser discípulo de Jesus Cristo emserão consolados. comunidade. “A tarefa particular da Igreja de todos os tempos e de modo particular do nosso tempo é a dirigir o olhar do homem eObjetivo: Todos são chamados a aprofundar o sentido da Fé de orientar a consciência para o mistério de Cristo.” (cf Encíclica RH nº10)como discípulos de Jesus Cristo e membros da Igreja diocesanano caminho das Bem-Aventuranças. Razão Pastoral: É importante viver a quaresma como tempo significativo de interioridade e conversão que nos purifica e nos ajuda a crescer como discípulos de Jesus Cristo no espírito das Bem-Aventuranças. COMO QUANDO QUEM ONDE1- Slogan: S. Silvestre, S. 16 Fev. 13 ES“Na reconciliação: bem-aventurados, filhos de Deus amados” Mateus e Catequese2- Anúncio: Maré Alta 14 Fev. 13 Mensageiros e ER Nas Casas3- Preparação da acção 14 Fev. 13 EZ, EA e Pároco S. Mateus4- Gesto:4.1- Oração de Vésperas Quaresma Todo o Povo Igreja Paroquial4.2- Celebração Comunitária da Penitência com a absolvição 14 Mar. 13 Todo o Povo Igreja Paroquialindividual;4.3- Via-Sacra Jovem – Desenvolver tema da Reconciliação. 22 Mar. 13 EPJ, Jovens A designar4.4- Visita Pascal (com imagem de Cristo Ressuscitado) – 31 Mar. 13 Todo o Povo Nas casasRealçar a ideia do Cristo Vivo na Visita Pascal. Nota: Integrar oselementos da visita Pascal na Eucaristia. Incentivar as pessoas a usart-shirt e/ou pin da MJ4.5.-Na Procissão da Ressureição convidar as pessoas a 31 Mar. 13 Todo o Povo Igreja Paroquialvestirem de branco.4.5- Iniciativa “Dia do Deserto”, inserida na Missão Jubilar: 09 Mar. 13 Párocos e Arciprestado4.6- Iniciativa “(In)Veste”, inserida na Missão Jubilar. 11 Mar. 13 Todo o Povo4.7- Catequeses de formação Comunitária (ver quadro 6). 15, 22 Mar e 01 Abr Todo o Povo S. Mateus5- Acção: Quaresma/ Páscoa Todo o Povo Igreja Paroquial
  19. 19. 1.7 – Mês de Maria Razão Sociológica: O mês de Maio tem uma significante importância na comunidade. Santa Joana é padroeira da diocese mas as pessoas têm pouca consciência dela como tal, e a diocese quer reunir as pessoas à sua volta.Tema: Reconciliação com Cristo; aproximação com a IgrejaDiocesana Razão Teológica: Maria é a mãe da Igreja que na humildade congrega os seus filhos e nos indica Jesus Cristo. Santa JoanaBem-aventurança: Bem-aventurados os puros de coração, aponta-nos o mesmo caminho e apresentam-se como modelosporque verão a Deus. de humildade e pureza do coração.Objetivo: Que à volta de Nossa Senhora e de Santa Joana as Razão Pastoral: Valorizar o mês de Maria como oportunidadepessoas vivam momentos de encontro e oração que as ajudem a de ajudar as pessoas a sentir o gosto da vida cristã e abrirem-sesaborear a proximidade de Cristo e dos outros como membros à consciência de Igreja diocesana a partir da vida de Santada Igreja diocesana. Joana como modelo inspirador. COMO QUANDO QUEM ONDE1- Slogan: S. Silvestre, S.“Com Santa Joana, a alegria de sermos Igreja diocesana” 27 Abr. 13 ES Mateus e Catequese2- Anúncio: Maré Alta 25 Abr. 13 Mensageiros e ER Nas Casas3- Preparação da acção 25 Abr. 13 EZ, EA e Pároco S. Mateus4- Gesto:4.1- Envio das imagens dando prioridade às casas que tenham 02 Maio 13 Todo o Povo Igreja – Zonasdoentes, idosos e crianças.4.2- Oferta ao doente, idoso de uma estampa de Santa Joana Ao longo do mês EZ Em cada zonacom uma flor. Sextas-feiras do mês Jovens, Crianças e Nas casas4.3- Participação dos jovens às sextas-feiras a decidir. Todo o Povo4.4- Fazer uma oração para ser rezada diariamente (pequenas Ao longo do mês EA, EZ e Todo o Nas casastarjetas) sobre a Vida de Santa Joana Princesa. Povo4.5- Encerramento com procissão de velas com o gesto de elevar 31 Maio 13 Todo o Povo Zonas – Junta –a vela e o de oferecer a flor à Mãe do Céu. Igreja4.6- Iniciativa “Dia da Peregrinação”, inserida na Missão 11 e 12 Maio 13 Todo o Povo Bunheiro – AveiroJubilar. – Preparar uma peregrinação com paróquias vizinhas,de bicicleta e/ou a pé.5- Acção Mês de Maio Todo o Povo Nas Casas
  20. 20. 1.8 – Dia da Comunidade Razão Sociológica: É habitual o encontro e o convívio das pessoas em comunidade mas nota-se certa dificuldade em aceitar o outro nas suas diferenças.Tema: Alegria da ReconciliaçãoBem-Aventurança: Bem-aventurados sereis, quando, por Razão Teológica: A paróquia espaço de comunhão fraterna,minha causa, vos insultarem, vos perseguirem e, mentindo, congregadora de todas as adversidades onde cada um édisserem todo o mal de vós. Alegrai-vos e exultai, pois é grande chamado a ter o seu lugar e a acolher os dons dos outros. (cf AAnos Céus a vossa recompensa. 10 ; 1 Cor 10, 17 ; 1 Cor 12, 27 ; 1 Cor 12, 1-11)Objetivo: Que as pessoas olhem os outros com apreço e Razão Pastoral: Ajudar as pessoas a sentirem-se à vontadetenham para com elas um gesto de simpatia e cresçam no umas com as outras, a viverem sem preconceito e asentido de reconhecerem as suas diferenças como dons que enriquecerem-se em comunidade.enriquecem toda a comunidade. COMO QUANDO QUEM ONDE1- Slogan: S. Silvestre, S. 08 Jun. 13 ES“Comunidade em alegria, olha os outros com simpatia” Mateus e Catequese2- Anúncio: Maré Alta 06 Jun. 13 Mensageiros e ER Nas Casas3- Preparação da acção 06 Jun. 13 EZ, EA e Pároco S. Mateus4- Gesto:4.1- Preparação do espaço, confecção de almoço e cenário da Eq. Responsável, 16 Jun. 13Eucaristia. Criação de Equipa e Distribuição de Tarefas. Zeladoras e Acólitos4.2- Eucaristia:4.2.1- No ato penitencial incentivar as pessoas a saudarem-se EA e Pároconum gesto de cumprimento – Alertar para o facto de as pessoasquando vão à Igreja não se cumprimentarem.4.2.2- No abraço da paz reforçar a saudação – Incentivar o EA e Párococumprimentar o máximo de pessoas; o padre desce para estarcom a comunidade. Vessadas4.2.3 – Comunhão sob as duas espécies. MEC e Pároco4.3- Exposição do Trabalho desenvolvida ao longo do ano pelos Todos osdiversos movimentos /sectores. Movimentos /4.4- Almoço / Convívio. Sectores4.5- Tarde recreativa: os grupos de catequese e outros sectores Todo o Povoapresentam pequenas animações que reforcem a alegria neste Colectividades,dia. Animação pelo Rancho Camponeses e A.C.B. Catequeses e4.6- Iniciativa “Dia da Saudação”, inserida na Missão Jubilar. Todo o Povo 11 Jun. 135- Acção Todo o Povo
  21. 21. 16 Jun. 13 Todo o Povo Vessadas
  22. 22. PASTORAL ESPECÍFICA 2 – Pastoral dos Pequenos Grupos 3 – Pastoral Familiar 4 – Pastoral Sectorial 5 – Serviços Pastorais 5.1- Liturgia 5.2- Catequese 6 – Agentes de Pastoral 7 – Estruturas de Participação e Decisão 9 – Comunicações
  23. 23. 2 – Pastoral dos PequenosGrupos Razão Sociológica: Sente-se nos grupos um cansaço e desgaste normais depois de muitos anos desde a sua criação.Meta: Que os pequenos grupos descubram nas Bem- Razão Teológica: “A catequese da "vida nova" (Rm 6,4) emaventuranças o caminho de esperança que nos reconcilia com a Cristo será: uma catequese das bem-aventuranças, pois ovida e com o mundo, à luz da fé. caminho de Cristo se resume às bem-aventuranças, único caminho para a felicidade eterna, à qual o coração do homem aspira.” (CIC, 1697) Razão Pastoral: Que os grupos familiares paroquiais cresçam em número meditando nas bem-aventuranças e no compromisso que daí advém. COMO QUANDO QUEM ONDE1- Criação de novos grupos a começar pelos jovens pós-crisma e EA, Pároco, Resp. e Out. 12 S. Mateuscasais jovens Anim de Grupos2- Encontro dos Animadores e Responsáveis de Grupo 16 Out. 12, EA e Grupos S. Mateus 08 Jan. 133- Temas dos encontros:3.1- O porquê da Reconciliação. Outubro3.2- O sacramento/diálogo da Reconciliação. Novembro3.3- Reconciliar-se na Verdade. Dezembro EA, Pároco e Local de Reunião de3.4- A comunidade, artífice da paz. Janeiro Grupos Cada Grupo3.5- Reconciliar-se no amor mútuo. Fevereiro3.6- Comunidade em permanente conversão. Março / Abril3.7- (Tema a fornecer pelo Padre Zé Manel) Maio3.8- A alegria da fé cristã. (?) Junho4- Celebração com os grupos familiares e o pároco. Pároco e Grupos S. Silvestre e 13, 15 e 20 Nov. 12 (por zonas) S. Mateus
  24. 24. 4 – Pastoral Sectorial Razão Teológica: “É que quem vive unido a Cristo torna-se uma nova pessoa. Isto é obra de Deus, que em Cristo, nosMeta: Os jovens do Bunheiro vivem e celebram a Missão reconciliou consigo e nos chamou a colaborar nessa obra deJubilar da diocese, descobrindo nas bem-aventuranças o reconciliação.” (2 Cor 5, 17-18)caminho de esperança que nos reconcilia com a vida e o mundo,à luz da fé. Razão Pastoral: Que os jovens, motivados pela fé e à luz dasRazão Sociológica: Os jovens participam nas ações e bem-aventuranças, sejam construtores da reconciliação com aatividades propostas como resposta à necessidade de se vida e com o mundo e vivam a Missão Jubilar.encontrarem uns com os outros. COMO QUANDO QUEM ONDE1- Equipa Pastoral Juvenil:1.1- Reestruturação da Equipa Promotora; 12 Out. 12 EPJ S. Mateus1.2- Reunião mensal da Equipa Promotora; Ver CalendárioREPJ EPJ1.3- Assembleia Geral para todos os Jovens. 4 Nov. 12 EPJ e Jovens2- Participação nas acções de conjunto:2.1- Festa das Colheitas: Participação ativa no cortejo e 21 Out. 12 Igreja – Junta depreparação do mesmo. Freguesia2.2- S. Martinho: Preparação do espaço; Formação de grupos 10 Nov. 12 Em cada zonapara a preparação do espaço e animação do Magusto Eucaristia;Envio dos Jovens para as zonas; Organização do Baile aberto àcomunidade com animação. Jovens2.3- Natal: Participação e animação das Ceias de Natal; 16 Dez. 12 Em cada zonaPresépio público no adro da Igreja. 25 Dez. 12 Igreja2.4- S. Brás: Participação e auxílio na preparação das marchas. 3 Fev. 12 S. Silvestre2.5- Tempo Quaresmal: Realização da Via-sacra Jovem. 22 Mar. 13 A designar2.6- Mês de Maria: Participação especial dos Jovens Sextas-feiras Em cada zona2.7- Dia da Comunidade: Assembleia para todos os jovens, 15 Jun. 13 VessadasNoite de convívio com peddy - papper.3- Retiro de jovens. A designar Jovens A designar4- Escapadinha Jovem:Momento de paragem e reflexão para jovens. Conhecer novos A designar Jovens A designarlugares, locais de quebra de rotina, desligar do mundo real.5- Participação nas acções arciprestais e diocesanas.5.2- Jornadas Marianas (EAJovEM) 27 e 28 Nov.12 Jovens Beduído5.3- Hora de Adoração no Bunheiro (EAJovEM) 24 Nov. 12 Igreja Paroquial5.3- JC Cup (EAJovEM) A designar A designar6- Encontro de Universitários A designar Jovens Universitários Igreja Paroquial
  25. 25. 5- Serviços Pastorais Razão Sociológica: Sente-se que os serviços de pastoral fazem um esforço por motivar ao processo de renovação pastoral, no entanto, por vezes a sua vivência neste processoMeta: Que os serviços pastorais da comunidade do Bunheiro não é completa.vivam e celebrem a Missão Jubilar da diocese, descobrindo nasbem-aventuranças o caminho de esperança que nos reconcilia Razão Teológica: “Os leigos participantes no múnuscom a vida e o mundo, à luz da fé. sacerdotal, profético e real de Cristo, têm um papel próprio a desempenhar na missão do inteiro povo de Deus, na Igreja e no mundo.” (Cf. AA, 2) Razão Pastoral: Que os serviços se disponibilizem e se sintam comprometidos com a meta geral do ano, não esquecendo a diversas iniciativas e objetivos da Missão Jubilar da diocese5.1- Liturgia COMO1- Continuar a estruturação da Equipa de Liturgia, com QUANDO QUEM ONDEresponsáveis pelos diversos serviços: Leitores, Cantores, EL,Acólitos, Catequese, MEC’s, Limpeza e Zeladoras. 09.Out. 12 EA e S. Mateus2- Reunião ordinária da Equipa de Liturgia. Apresentar os Pároco.conteúdos das metas de cada mês (valor e objetivo). EL, EA Ver calendário (REL) S. Mateus3- Participação nas acções de conjunto: e Pároco.3.1- Festa das Colheitas3.2- Ceias de Natal (Advento). 21 Out. 123.3- S. Brás Advento3.4- Tempo Quaresmal / Semana Santa / Páscoa 03 Fev. 133.5- Cortejo das Flores EL Local da acção Quaresma3.5- Dia do Doente 02 Jun. 133.6- Dia da Comunidade 09 Jun. 134- Elaboração de mapa mensal de todos os Agentes da Liturgia. 16 Jun. 13 1º Fim-de-semana do S. Mateus e5-Motivação para o ensaio semanal do Grupo Coral. EL e ER Mês S. Silvestre REL e Todas as 4ªs feiras Igreja Paroquial Grupo Coral
  26. 26. paroquial. 9- Inscrições para a catequese dia único – Sábado (9h-18h).5.2- Catequese COMO1- Reuniões de Catequistas:1.1- Reunião mensal para debater assuntos pertinentes; QUANDO QUEM ONDE1.2- Momentos de formação propostos pela Diocese e pelaEquipa Responsável da Catequese. Ver Catequistas S. Mateus2- Participação nas Ações de Conjunto: Calendário2.1- S. Martinho: - Magusto infantil com idosos e comanimação; Participação nas tarefas das zonas, no Magusto e nobaile. 11 Nov. 12 Junta de Freguesia2.2- Tempo de Advento: Participação com a campanha e no e ZonasPresépio Vivo. Advento2.3- Convívio de Natal: Os diferentes grupos de catequese S. Mateusinteragem e convivem com os idosos da paróquia e do CSPB, 22 Dez. 12 Responsáveis danuma tarde recreativa. Junta de Freguesia Catequese,2.5- Tempo Quaresmal: Participação na Via-sacra Jovem e nas Catequistas epropostas Quaresmais/Pascais. Quaresma Nas Zonas Catequizandos.2.6- Mês de Maria: Participação na oração ao longo do mês. S. Mateus2.7- Participação, por grupos de catequese, no Cortejo das Maio 13Flores. 02 Jun. 13 Zonas2.8- Dia da Comunidade: Acolhimento, Participação na S. MateusEucaristia, manhã e tarde recreativas. 16 Jun. 13 Vessadas3-Programação de alguns retiros e encontros com as catequeses4- Participação dos Pais dos catequizandos: Ao longo do ano Do 7º ao 12º vol. A designar4.1 – Reunião inicial com todos os pais. Resp. Catequese,4.2 – Reunião com cada grupo de catequese ao longo do ano. 27 Out. 12 Salão da Junta Catequistas e Pais5- Início da Catequese integrado na Eucaristia dominical com Ver calendário S. Mateusenvio dos grupos/catequistas. Resp. Catequese e 07 Out. 12 S. Mateus6- Retiro de catequistas. Catequistas7- Participação nas atividades jovens do Dia da Comunidade (7- 06 e 07 Abr. 13 Catequistas A designar12ºvolumes). Resp. Catequese, 15 Jun. 13 Vessadas8- Adaptação das Campanhas Diocesanas à programação Catequistas e EPJ
  27. 27. Resp. Catequese e 7.1- 1ª Catequese: “Ser Discípulo de Jesus Cristo”;Advento e Quaresma S. Mateus Catequistas 7.2- 2ª Catequese: “Realizar as Bem-aventuranças no mundo”; 29 Jun. 13 Resp. Catequese S. Mateus 7.3- 3ª Catequese: “A história da Igreja Diocesana”6- Agentes da PastoralMeta: Os agentes da Pastoral, são chamados à vivência e Razão Teológica: “Os leigos … devem te ruma consciênciacelebração da Missão Jubilar, descobrindo nas bem- cada vez mais clara, não somente de que pertencem à Igreja, masaventuranças o caminho de esperança que nos reconcilia com a que são Igreja, isto é, comunidade dos fiéis na terra sob avida e o mundo, à luz da fé. direcção do chefe comum, o Papa.” (Cf. Pio XII discurso de 20/2/1946)Razão Sociológica: A formação é algo essencial para manter Razão Pastoral: Tendo em vista a Missão Jubilar da diocese,os agentes de pastoral motivados e sensibilizados para o torna-se fundamental formar e munir os agentes de pastoral decaminho de renovação paroquial; no entanto ainda nem todos todas as informações, para que ninguém se sinta excluído daestão sensibilizados para esta necessidade. missão Jubilar. COMO1- Formação para Mensageiros no início do ano pastoral na QUANDO QUEM ONDElinha de serviço e de aprofundamento do projeto paroquial, EA, Responsáveisapresentando e motivando para os trabalhos da Missão Jubilar. 18 Out. 12 de Zona e S. Mateus2- Participação da semana de Liturgia em Fátima. Mensageiros. Agentes de A designar Fátima3- Participação de elementos da Comunidade na formação Liturgiadiocesana em Música Sacra. Ao longo EL Aveiro4- Formação de catequistas: do ano4.1- Retiro de formação de catequistas. Catequistas e4.2- Retiros de formação promovidos pelo secretariado 06 e 07 Abr. 13 A designar Responsáveis dadiocesano de catequese. Ver calendário Aveiro Catequese5- Retiro para jovens. EPJ e A desginar A designar6- Formação de todos os agentes (retiro com apoio do MMM). Jovens Todos os A designar A designar7- Temas de Formação Comunitária (Missão Jubilar): Agentes Missionários e S. Mateus
  28. 28. 15 Fev. 13 5.1- Envio de convite juntamente com a convocatória na 22 Fev. 13 Todo o Povo iniciativa “Dia da oração” da Missão Jubilar. 01 Mar. 13 5.2- Assembleia Paroquial para discussão da avaliação do ano pastoral,7- Estruturas de Participaçãoe Decisão Razão Teológica: “A Missão Jubilar destina-se a todos e conta com todos. Neste belo e bom caminho que queremos percorrer,Meta: Que as estruturas de participação e decisão vivam e todos somos necessários e todos nos devemos sentir envolvidos,celebrem a Missão Jubilar da diocese, descobrindo nas bem- abrindo o coração e a inteligência aos dons do Espirito Santo, …,aventuranças o caminho de esperança que nos reconcilia com a concedidos a cada um de nós para o multiplicarmos ao serviço dovida e o mundo, à luz da fé. bem de todos.” (D. António Francisco, MJ, pág.19)Razão Sociológica: Nota-se que há elementos das estruturasalgo cansados, no entanto o trabalho persistente de espalhar a Razão Pastoral: Que os elementos das estruturas sintam omensagem e de concretizar as ações é visível. compromisso da Missão Jubilar e consigam transmitir e motivar todo o povo para todas as iniciativas da grande festa Diocesana. COMO1- Lançamento do Ano Pastoral (LAP): QUANDO QUEM ONDE1.1- Assembleia Paroquial para lançamento do Ano Apostólicopara os agentes de pastoral. 02 Out. 12 S. Silvestre1.2- Lançamento do Ano Apostólico incorporado nas celebrações EA e(vespertinas e dominicais de S. Silvestre e S. Mateus). – 06 e 07 Out. 12 Pároco S. Silvestre eComeçar no adro da Igreja e remeter para a porta da Fé. S. Mateus2- Presença de elementos da Equipa de Animação nas reuniõesdas Equipas das diversas Zonas, em ordem à reestruturação Nas diversasdas EZ’s e motivação ao trabalho pastoral. Ao longo do ano EA e EZ Zonas3- Encontro de Equipas de Zona em ordem à formação e aoconvívio (Sopa de Pedra). EA, EZ 16 Abr. 13 S. Mateus4- Assembleias de Zonas com inquérito de avaliação, por zonas. e Pároco EA e S. Mateus e 25 e 27 Jun. 135- Assembleia Paroquial Todo o Povo S. Silvestre
  29. 29. 4- Elaboração e Afixação do slogan. PA – 02 Jul. 13 S. Mateus EA e Todo o Povo 09 Jul. 13 S. Silvestre 5-Manutenção do blog da paróquia.9- ComunicaçõesMeta: Que as estruturas de comunicação consigam transmitiras dinâmicas e as atividades da Missão Jubilar, motivando a Razão Teológica: “Sei da importância da comunicação noque todos os leigos façam nas Bem-aventuranças a descoberta contexto da cultura e do mundo de hoje e estou consciente dedo caminho de esperança que nos reconcilia com a vida e com o quanto e como a comunicação gera comunhão. … Sabemos quemundo, à luz da fé. [pelos canais de comunicação] passam os novos modos de diálogo e de abertura ao mundo e se percorrem os necessários caminhos de evangelização”Razão Sociológica: A Maré Alta, o blog paroquial e os avisos (D. António Francisco, MJ, pág. 20 e 21)semanais são um bom meio de comunicação, embora nemsempre chegue a todas as famílias da comunidade. Razão Pastoral: Queremos que a mensagem chegue a todos de uma maneira simples e precisa, e que a Missão Jubilar seja destacada na vivencia de toda a comunidade Bunheirense. COMO1- Elaboração, reprodução e distribuição da Maré - Alta através QUANDO QUEM ONDEda rede de mensageiros. Colocar especial destaque às atividades ER, Semana anteriorda Missão Jubilar. Mensageiros e S. Mateus à PA2- Elaboração de cartazes que anunciem algumas das acções de Resp. Zonaconjunto (Imagem, Slogan, Data, Local, etc.) Semana anterior ER S. Mateus3- Elaboração dos Avisos semanais incluindo uma pequena à PAreflexão litúrgica e o mote (slogan) relativo à próxima acção deconjunto a viver. Semanalmente ER e EA S. Mateus
  30. 30. Ver calendário Salas de catequese, _________________________________________________ ER S. Silvestre (SL) e S. Mateus _______________________________________________ http://paroquiabunheiro.Ao longo do ano Nuno Bessa blogspot.com NOTAS NOTAS __________________________________________________________________________________________________ __________________________________________________________________________________________________ __________________________________________________________________________________________________ __________________________________________________________________________________________________ __________________________________________________________________________________________________ __________________________________________________________________________________________________ __________________________________________________________________________________________________ __________________________________________________________________________________________________ __________________________________________________________________________________________________ __________________________________________________________________________________________________ __________________________________________________________________________________________________ __________________________________________________________________________________________________ __________________________________________________________________________________________________ _______________________________________________ ______________________________________________ __________________________________________________________________________________________________ __________________________________________________________________________________________________
  31. 31. ________________________________________________________________________________________________
  1. A particular slide catching your eye?

    Clipping is a handy way to collect important slides you want to go back to later.

×