Your SlideShare is downloading. ×

Programação 2011 2012

741

Published on

0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
741
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
2
Actions
Shares
0
Downloads
5
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. PARÓQUIA S. MATEUS DO BUNHEIRO PROGRAMA PASTORAL 2011/2012Paróquia S. Mateus do Bunheiro Tiragem: 220 exemplares Setembro de 2011 21º Ano
  • 2. ÍndiceSiglas.............................................................................. 2Calendário Geral............................................................. 4Avaliação do Ano Pastoral – 2010/2011........................... 10Programa do Ano Pastoral – 2011/2012........................... 12Acções de Pastoral de Conjunto........................................ 14 1.1 - Festa das Colheitas – Outubro............................. 16 1.2 - S. Martinho – Novembro...................................... 18 1.3 - Ceias de Natal – Dezembro.................................. 20 1.4 – Festa da Família – Janeiro…............................... 22 1.5 - S. Brás – Fevereiro ............................................. 24 1.6 - Quaresma – Março/Abril..................................... 26 1.7 - Mês de Maria – Maio............................................ 28 1.8 - Dia da Comunidade – Julho................................. 30Pastoral Específica........................................................... 32 2 - Pastoral dos Pequenos Grupos................................ 34 3 - Pastoral Familiar.................................................... 36 4 - Pastoral Sectorial................................................... 38 5 - Serviços Pastorais.................................................. 40 5.1 - Liturgia........................................................... 40 5.2 - Catequese....................................................... 42 6 - Agentes de Pastoral................................................ 44 7 - Estruturas de Participação e Decisão...................... 46 9 - Comunicações........................................................ 48Notas............................................................................... 50
  • 3. SiglasAJOV Assembleia de Jovens MCI Missa Catequese InfantilAP Assembleia Paroquial MCJ Missa Catequese JuvenilASS Adoração Santíssimo Sacramento MA Maré-AltaAZ Acção de Zonas / Assembleia de Zona MG MensageirosBapt. Baptismos MMM Movimento Mundo MelhorCEZ Contactos de Reestruturação de Zona MFP Movimento Familiar ParoquialCPM Centro de Preparação para o Matrimónio PA Preparação da AcçãoCSPB Centro Social e Paroquial do Bunheiro RAC Reunião de AcólitosEA Equipa de Animação RARG Reunião Animadores e Responsáveis de GrupoEFEL Encontro de Formação da Equipa de Liturgia RC Reunião de CatequistasEMFP Encontro de Casais (MFP) RCE Reunião do Conselho EconómicoEG Encontro dos Grupos Familiares REL Reunião da Equipa de LiturgiaEJOV Encontro de Jovens RELZ Reunião da Equipa de Limpeza e ZeladorasEMG Encontro de Mensageiros REPJ Reunião da Equipa Promotora JuvenilEPJ Equipa Promotora Juvenil REZ Reunião de Equipas de ZonaER Equipa de Redacção RI Reunião da IrmandadeES Equipa de Slogan RL Reunião de LeitoresEZ Equipa de Zona RMEC Reunião de Ministros Ext. da ComunhãoFAP Formação Agentes de Pastoral RPB Reunião de Preparação para BaptismosIC Inscrições para a Catequese RPC Reunião de Pais de CatequizandosIR Irmãos do Santíssimo SL Afixação de SloganJNC Jornadas Nacionais da CatequeseLAP Lançamento do Ano Apostólico
  • 4. DIA SETEMBRO OUTUBRO DIA NOVEMBRO DEZEMBRO1 Qui Sab LAP 1 Ter Todos Santos /PA Qui R. Advento Catequistas2 Sex Dom LAP / RI / Inicio Cateq. 2 Qua FIÉIS DEFUNTOS Sex3 Sab Seg 3 Qui CEZ6 Sab4 Dom Ter PA 4 Sex Dom RI5 Seg Qua 5 Sab SL Seg CSPB6 Ter Qui CEZ5 6 Dom RI Ter PA7 Qua Sex JNC 7 Seg CEZ1 Qua REPJ8 Qui Sab SL/JNC 8 Ter RPB /CSPB Qui Imaculada Conceição9 Sex Dom Sr.ª Rosário /JNC 9 Qua Sex10 Sab Seg CEZ4 10 Qui RL Sab SL/MCJ11 Dom Ter RARG / RPB 11 Sex Dom12 Seg Qua 12 Sab S. MARTINHO/MCJ Seg13 Ter Qui RC / RMEC 13 Dom Ter RPB14 Qua Sex REPJ 14 Seg Qua15 Qui Sab RCE 15 Ter QuiRCE / RMEC16 Sex Dom FESTA COLHEITAS 16 Qua SexRC17 Sab Seg 17 Qui EMG (Enc. Formação) Sab EFEL18 Dom Ter CEZ3 18 Sex REL Dom CEIAS DE NATAL19 Seg Qua 19 Sab RC/ RCE Seg20 Ter Qui CEZ2 20 Dom Bapt. Ter21 Qua Sex 21 Seg Qua22 Qui EA Sab RPC(1ºao12ºano). 22 Ter EG – Z1, 2 e 3 Qui EA23 Sex REPJ Dom Bapt. 23 Qua Sex24 Sab RC Seg 24 Qui EG – Z4, 5 e 6 Sab25 Dom Ter EA 25 Sex Dom NATAL/ MCI /Bapt.26 Seg Qua 26 Sab RAC Seg27 Ter Qui 27 Dom F. Pai-Nosso Ter PA28 Qua LAP Sex 28 Seg Qua29 Qui EA Sab 29 Ter EA Qui30 Sex Dom F.Acolhimento/AJOV 30 Qua Sex31 Seg 31 Sab
  • 5. DIA JANEIRO FEVEREIRO DIA MARÇO ABRIL1 Dom Dia M. Paz Qua 1 Qui Dom Ramos/RI/D M Jov.2 Seg SL Qui CSPB 2 Sex Proc. Sr. Passos Seg3 Ter CSPB Sex S. BRÁS 3 Sab Escap. Jovem Ter4 Qua Sab RPC7ºv 4 Dom Escap. Jovem/RI Qua5 Qui RARG Dom RI 5 Seg Qui Ceia do Senhor6 Sex Seg 6 Ter CSPB Sex PROC. ENCONTRO7 Sab Ter EA / RPB 7 Qua Sab Vigília Pascal8 Dom S. FAMÍLIA - Bênção Qua 8 Qui Dom PÁSCOA9 Seg Qui EMG (Sopa de Pedra) 9 Sex Proc. Sr. Soledade Seg10 Ter Encontro S. Família Sex REPJ 10 Sab MCJ / CPM Ter RPB/CSPB11 Qua Sab F. Bem Av./MCJ 11 Dom Qua12 Qui Encontro S. Família Dom 12 Seg Qui EA13 Sex Seg 13 Ter RPB Sex14 Sab MCJ Ter PA 14 Qua Sab R. Catequistas15 Dom FESTA FAMÍLIA Qua 15 Qui RCE / RMEC Dom R. Catequistas16 Seg Qui EFEL 16 Sex ASS Seg17 Ter EA / RPB Sex 17 Sab REPJ Ter RL18 Qua Sab RPC5ºv/SL 18 Dom Qua19 Qui RCE Dom Bapt. 19 Seg Qui RCE20 Sex Seg 20 Ter RELZ Sex RPC8ºv21 Sab RPC4ºv Ter Carnaval 21 Qua Sab EMFP22 Dom Bapt. Qua CINZAS 22 Qui Celeb. Penitencial Dom Bapt.23 Seg Qui 23 Sex ASS Seg24 Ter PA Sex 24 Sab RC /RAC Ter PA25 Qua Sab 25 Dom MCI/Bapt. Qua Feriado26 Qui Dom F.Credo/MCI 26 Seg Qui27 Sex Seg 27 Ter Sex28 Sab SL / EMFP Ter 28 Qua Sab SL/F.Vida/RPC6ºv29 Dom F.Palavra/MCI Qua 29 Qui Dom30 Seg 30 Sex VIA SACRA JOVEM Seg31 Ter 31 Sab
  • 6. DIA MAIO JUNHO DIA JULHO1 Ter Início Mês Maria Sex RC 1 Dom RI2 Qua Sab 2 Seg3 Qui Dom RI 3 Ter4 Sex Seg 4 Qua5 Sab MCJ/ RPC3ºv Ter PA 5 Qui AP6 Dom Prof.Fé /RI Qua 6 Sex7 Seg Qui CORPO DE DEUS 7 Sab8 Ter RPB /CSPB Sex 8 Dom9 Qua Sab SL/Tarde Radical (1-6ºv) 9 Seg10 Qui Dom Dia do Doente 10 Ter11 Sex Seg 11 Qua12 Sab Ter RPB / CSPB 12 Qui13 Dom Qua 13 Sex14 Seg Qui 14 Sab IC (das 9h às 18h)15 Ter Sex 15 Dom16 Qua Sab EJOV 16 Seg17 Qui RMEC Dom D. COMUNIDADE/F.Env. 17 Ter18 Sex Seg 18 Qua19 Sab CPM / RCE Ter 19 Qui20 Dom Bapt. Qua 20 Sex21 Seg Qui RCE 21 Sab22 Ter Sex 22 Dom23 Qua Sab 23 Seg24 Qui Dom Bapt./Dia Catequista 24 Ter25 Sex REPJ Seg 25 Qua26 Sab Ter AZ – Z1, 2 e 3 26 Qui27 Dom 1ªComunhão/MCI Qua 27 Sex28 Seg Qui AZ – Z4, 5 e 6 28 Sab29 Ter EA Sex 29 Dom30 Qua Enc. Mês de Maria Sab 30 Seg31 Qui 31 Ter
  • 7. Avaliação do Ano Pastoral 2. Principais Lacunas2010 / 2011 As principais lacunas prenderam-se à pouca participa- ção da comunidade em algumas acções, ao desgaste e re-1. Sinais de Crescimento petição das acções e alguma falta de organização. Houve A meta não foi atingida na sua totalidade uma vez falhas ao nível das equipas de zona que se reflectiram naque o sentido de pertença à Igreja não foi conseguido em incompreensão do objectivo de cada acção.toda a comunidade do Bunheiro. No entanto, a comunida- A comunidade sente que ainda não existe o sentido dede está a caminhar positivamente para atingir esse objec- comunhão entre as pessoas e que falta saber viver emtivo e houve motivos para as pessoas se aproximarem mais Igreja.de Deus. 3. O que fazer No próximo ano pastoral é preciso continuar a renova- ção das equipas de zona e ainda reforçar a importância da realização de reuniões das equipas de zona de forma a me- lhorar a passagem da mensagem de cada acção. É neces- sário ainda dar maior atenção à programação e organiza- ção próximas das acções.
  • 8. Programa do Ano Pastoral Justificação:2011/12 Razão Sociológica: Ao longo destes anos, o povo do Bun-Meta Geral: heiro fez um caminho de descoberta de pertença à Igreja, reconhecendo-se como povo de Deus chamado a testemu-À luz da Palavra de Deus, o Povo do Bunheiro é nhar o seu amor por toda a humanidade.chamado a compreender o sacramento do Bap-tismo e a reconhecer nele o fundamento para Razão Teológica: O Baptismo é a porta de entrada na vi-um sentido renovado da vida. da cristã, gera em nós uma vida nova e abre-nos a um es- tilo novo de relação com Deus e com os outros como Igreja. (cf. LG 11 e 31) Razão Pastoral: É importante continuar o processo de consciencialização do que é ser Igreja, aprofundando o sa- cramento do Baptismo e abrindo-se ao novo sentido queExplicação: nos traz para a vida.- À luz da Palavra de Deus: – De acordo com a Revela-ção.- O Povo do Bunheiro: – Todos aqueles, crentes ou não,que vivem na paróquia do Bunheiro. Acções de Pastoral de Conjunto: 1.1 – Festa das Colheitas – Ser amado e amar.- É chamado a compreender: – É um convite a redesco- 1.2 – S. Martinho – Membro da Igreja.brir o valor do Baptismo 1.3 – Ceias de Natal – Viver segundo a fé. 1.4 – Festa da Família – Compromisso de servir.- E a reconhecer nele o fundamento para um sentido 1.5 – S. Brás – A vida: sacrifício espiritual.renovado da vida: – Aceitar que a vida cristã não temsentido sem o Baptismo. 1.6 – Tempo Quaresmal – Purificação. 1.7 – Mês de Maria – Homem novo que oferece a vida. 1.8 – Dia da Comunidade – Celebrar – Renovar o Baptis- mo.
  • 9. PASTORAL DE CONJUNTO PROGRAMA 1 1.1 Festa das Colheitas 1.2 S. Martinho 1.3 Ceias de Natal 1.4 Festa da Família 1.5 S. Brás 1.6 Tempo Quaresmal/Pascal 1.7 Mês de Maria 1.8 Dia da Comunidade
  • 10. 1.1 – Festa das Colheitas Razão Sociológica: A Festa das Colheitas é uma tradição do povo do Bunheiro em que este agradece a Deus (que nos ama) e oferece os produtos do seu trabalho.Tema: Ser amado e amar Razão Teológica: Toda a vida é dom de Deus. O Baptismo é oObjectivo: Que na vivência da Festa das Colheitas, as pessoas mais belo e magnífico dos dons de Deus … porque o amor deagradeçam o amor de Deus presente na vida e descubram o Deus foi derramado em nossos corações pelo Espírito Santo. (cf.Baptismo como manifestação especial do amor de Deus por nós. CIC 1216 e Rom 5, 5) Razão Pastoral: Aproveitar a vivência da festa das Colheitas para ajudar as pessoas a reconhecer o amor de Deus no Bap- tismo. COMO QUANDO QUEM ONDE1- Slogan: S. Silvestre, S. Ma- 08 Out. 11 ES“Somos baptizados, filhos de Deus amados.” teus e Catequese2- Anúncio: Maré 04 Out. 11 Mensageiros e ER Nas Casas3- Preparação da acção 04 Out. 11 EZ, EA e Pároco S. Mateus4- Gesto:4.1- Ornamentação dos altares com frutos da terra. 15 Out. 11 Zeladoras Igreja4.2-Eucaristia: 16 Out. 11 EA, EZ Igreja4.2.1- Na acção de graças, cada zona leva um recipiente comágua e escolhe um fruto. Em conjunto, a comunidade agradecea água que fecunda a Terra para dar frutos/que nos fecundapelo amor de Deus.4.2.2- Fazer a oração para chegar às pessoas.4.3- Cortejo das zonas e encontro destas no Porto Pequeno com 16 Out. 11 EA, EZ e Em cada Zona p/bênção das colheitas. Apresentação das Zonas: Z1- Barcos; Z2- Todo o Povo Porto PequenoArtes da pesca; Z3- Poço (P. da Samaritana); Z4- Fonte de S.Gonçalo/Cântaros; Z5- Lavadouros; Z6- Regas dos campos.4.4- Leilão na Junta de Freguesia (começar mais tarde). 16 Out. 11 Todo o Povo Junta de Freguesia5- Acção 16 Out. 11 Todo o Povo Ruas e Junta
  • 11. 1.2 – S. Martinho Razão Sociológica: O magusto de S. Martinho congrega as pessoas. É um momento de convívio, partilha e oração que pro-Tema: Membros da Igreja. porciona às pessoas sentirem-se mais Igreja. Razão Teológica: O Baptismo faz de nós membros do CorpoObjectivo: Ajudar a comunidade a tomar consciência de que de Cristo. O Baptismo incorpora na Igreja. Somos de verdadepelo Baptismo, tornamo-nos membros da Igreja. filhos de Deus porque renascidos no baptismo. (cf. CIC 1267) Razão Pastoral: Que cada baptizado tome consciência que pertence à Igreja e é membro do Corpo de Cristo. COMO QUANDO QUEM ONDE1- Slogan: S. Silvestre, S. Ma- 05 Nov. 11 ES“O Baptismo faz-nos comunidade numa nova fraternidade” teus e Catequese2- Anúncio: Maré Alta 01 Nov. 11 Mensageiros e ER Nas Casas3- Preparação da acção 01 Nov. 11 EZ, EA e Pároco S. Mateus4- Gesto:4.1- Festa de S. Martinho com crianças (1º ao 6º) e idosos du- Catequese, CSPB e Salão da Juntarante a tarde. Idosos4.2- Preparação do espaço da acção com a colaboração dos jo- Jovens e EZ Em cada zonavens e dos grupos de catequese do 7º ao 12º volume. 12 Nov. 114.3- Visita aos doentes com oferta de castanhas, integrando al- MEC e EZ Em cada zonaguns jovens fazendo oração pela Igreja Universal.4.4- Sketch que liga o S. Martinho ao Baptismo. EA, EPJ, Em cada zona4.5- Convívio nas zonas, no fim baile com animação aberto à Jovens e Todo o Po- Salão da Juntacomunidade. vo5- Acção 12 Nov. 11 Todo o Povo Em cada zona
  • 12. 1.3 – Ceias de Natal Razão Sociológica: As ceias de Natal são uma oportunidade em que as pessoas nas suas zonas vão vivendo em espírito deTema: Novos à luz do Baptismo. Igreja Razão Teológica: O Natal é a vida nova de Jesus Cristo queObjectivo: Que as pessoas vivam o Natal abertos à vida nova vem até nós. “O Baptismo é a fonte da vida nova em Cristo.”que o Baptismo nos traz. (CIC 1254).“Os baptizados devem confessar diante dos homens a fé que de Deus receberam por meio da Igreja.” (LG 11) Razão Pastoral: Que as pessoas ao celebrarem o Natal tomem consciência do Baptismo e se abram às exigências da vida nova que ele nos traz. COMO QUANDO QUEM ONDE1- Slogan: S. Silvestre, S. Ma- 10 Dez. 11 ES“No Baptismo, Cristo, fonte de vida nova.” teus e Catequese2- Anúncio: Maré Alta 06 Dez. 11 Mensageiros e ER Nas Casas3- Preparação da acção 06 Dez. 11 EZ, EA e Pároco S. Mateus4- Gesto:4.1 - Estrela da vida nova: Entregar uma estrela em todas as 06 Dez. 11 EA, EZ, Nas Casascasas. Cada casa escolhe os aspectos que fazem o homem novo Resp. Catequese ee coloca nas pontas da estrela; afixam as estrelas nas suas ca- Todo o Povosas de forma visível. Tentar adaptar esta iniciativa à campanhadiocesana.4.2 - Fazer também o mesmo esquema para as zonas nas Ceias 18 Dez. 11 EA, EZ e Nas Zonasde Natal. Todo o Povo4.3- Na Igreja construir um presépio e adaptar à iniciativa “Es- Advento Catequese e EA Igrejatrela de vida nova” descrita no ponto 4.1.4.4- Presépio vivo no adro da Igreja realizado por jovens. No fi- 25 Dez. 11 Jovens, Catequese e Igrejanal da Eucaristia fazer uma oração/vénia ao Menino trazido Todo o povopor Maria e José do presépio. Bênção Final no exterior em jeitode adoração ao menino Jesus.5- Acção 18 Dez. 11 Todo o Povo Nas ZonasNota: Alertar todas as zonas para que a confecção seja feita com a par-tilha de bens, tanto quanto possível, no local de convívio.
  • 13. 1.4 – Festa da Família Razão Sociológica: As famílias do Bunheiro já se sentem um pouco pertencentes à Igreja, com um certo espírito de família eTema: Compromisso de servir. de abertura aos outros.Objectivo: Que as famílias do Bunheiro, em união umas com Razão Teológica: Pelo Baptismo somos identificados comas outras, descubram no Baptismo a fonte que nos torna família Cristo que veio ao mundo para servir e deu a vida por nós.de Deus e nos põe ao serviço uns dos outros. Razão Pastoral: É preciso ajudar as famílias a tomarem cons- ciência da sua missão na sociedade e na Igreja e a crescerem na disponibilidade e no serviço aos outros. COMO QUANDO QUEM ONDE1- Slogan: S. Silvestre, S. Ma- 02 Jan. 12 ES“Família é compromisso / amor e serviço” teus e Catequese2- Anúncio: Maré Alta 30 Dez. 11 Mensageiros e ER Nas Casas3- Preparação da acção 30 Dez. 11 EZ, EA e Pároco S. Mateus4- Gesto:4.1- Símbolo: óleo. Na Eucaristia fazer a unção com o óleo e ca- De 08 a 15 Jan. 12 EA e MFP Todas as Casasda família levar uma porção de óleo para casa para o chefe defamília ungir a família em momento de oração. (caixinha comalgodão embebido em óleo)4.2- Bênção das grávidas e dos bebés. 08 Jan. 12 Grávidas, Bebés e Igreja Paroquial4.3- Eucaristia c/convite personalizado às pessoas que come- 15 Jan. 12 Todo o Povo Igreja Paroquialmoraram 10, 25, 50 anos de casados e aos que casaram, bapti-zaram e matricularam os filhos na catequese em 2010.4.4- Encontro com os casais acima referidos. 12 Jan. 12 MFP e casais S. Mateus4.5- Na eucaristia ornamentar o altar com duas alianças gran- 15 Jan. 12 EA e Zeladoras Igreja Paroquialdes e douradas e uma ânfora com óleo.4.6 – Preparação, pelo M.F.P. da Semana da Família. Jan. 12 MFP S. Mateus5- Acção De 08 a 15 Jan. 12 Todo o povo S. Mateus
  • 14. 1.5 – S. Brás Razão Sociológica: A festa do S. Brás é uma experiência onde a comunidade se alegra na partilha daquilo que tem.Tema: Homem novo que oferece a vida. Razão Teológica: O povo cristão, por força do Baptismo, ofe- rece sua vida a Deus e aos irmãos no serviço de cada dia (cf. Rm 12,1; 1Jo 3,16) “Onde quer que vivam, pelo exemplo da vida eObjectivo: Que à volta do S. Brás as pessoas façam uma expe- pelo testemunho da palavra, devem todos os cristãos manifestarriência de convívio alegre e de partilha, como pessoas renovadas o novo homem que pelo Baptismo vestiram" (AA, 11). "Os fiéis sãopelo Baptismo que oferecem a sua vida a Deus e aos outros obrigados a professar diante dos homens a fé que receberam de Deus pela Igreja" (LG 11). Razão Pastoral: Que as pessoas, à volta do S. Brás, sintam a exigência baptismal da doação de si mesmas a Deus e aos ou- tros. COMO QUANDO QUEM ONDE1- Slogan: S. Silvestre, S. Ma- 28 Jan. 12 ES “Somos baptizados, povo de coração novo.” teus e Catequese2- Anúncio: Maré Alta 24 Jan. 12 Mensageiros e ER Nas Casas3- Preparação da acção 24 Jan. 12 EZ, EA e Pároco S. Mateus4- Gesto:4.1- Sorteio da ordem de desfile das marchas. 24 Jan. 12 EA e EZ S. Mateus4.2- Enquadrar na letra da marcha de cada zona o tema da ac- 03 Fev. 12 EZ Nas zonasção.4.3- Na Eucaristia: Dar-vos-ei um coração novo. Coração de 03 Fev. 12 EA e EZ S. Silvestrepedra/Coração de carne (Baptismo) – Fazer jogral na homilia.Repetir no cortejo. Cada zona levar coração velho e novo:  Coração velho (mau colesterol): vingança, ódio, inveja…  Coração novo (bom colesterol): amor, partilha, paz…4.4- Cortejo das zonas. 03 Fev. 12 EZ e Todo o povo P/ S. Silvestre4.5 - Leilão das oferendas 03 Fev. 12 Todo o Povo S. Silvestre5- Acção 03 Fev. 12 Todo o povo S. Silvestre
  • 15. 1.6 – Tempo Quaresmal/ Pas-cal Razão Sociológica: As pessoas do Bunheiro já participam nasTema: Purificação diversas iniciativas durante o tempo quaresmal/pascal. Razão Teológica: “Ele salvou-nos: não por causa das obras deObjectivo: Que as pessoas interiorizem um processo de aco- justiça que tivéssemos feito, mas por misericórdia, mediante olhimento e abertura à graça e ao perdão de Deus, fundamenta- Baptismo de regeneração e renovação do Espírito Santo.”da à luz do Baptismo. (Tit 3, 5)(Que as pessoas reconheçam que, pela água baptismal, são pu-rificadas e recebem plenamente a misericórdia e a graça de Razão Pastoral: Que as pessoas sintam nas diversas iniciati-Deus.) vas do tempo quaresmal/pascal que pelo Baptismo somos puri- ficados recebendo a misericórdia e a graça de Deus. COMO QUANDO QUEM ONDE1- Slogan: S. Silvestre, S. Ma- 18 Fev. 12 ES “No tempo quaresmal renovação baptismal” teus e Catequese2- Anúncio: Maré Alta 14 Fev. 12 Mensageiros e ER Nas Casas3- Preparação da acção 14 Fev. 12 EZ, EA e Pároco S. Mateus4- Gesto:4.1- Oração de Vésperas Quaresma Todo o Povo Igreja Paroquial4.1- Celebração Comunitária da Penitência com a absolvição 22 Mar. 12 Todo o Povo Igreja Paroquialindividual; aspersão da água4.2- Adoração do Santíssimo – Toda a comunidade participa 16 e 23 Mar. 12 EZ e Todo o Povo Igreja Paroquialintercaladamente. Tempo de adoração reduzido: 1h30.4.3- Via-Sacra Jovem – Desenvolver tema do Baptismo. 30 Mar. 12 EPJ, Jovens A designar4.4- Vigília Pascal (encerramento da campanha) 07 Abr. 12 Todo o Povo Igreja Paroquial4.5- Visita Pascal (com imagem de Cristo Ressuscitado) – Real- 08 Abr. 12 Todo o Povo Nas casasçar a ideia do Cristo Vivo na Visita Pascal. Nota: Integrar os elemen-tos da visita Pascal na Eucaristia.5- Acção: Quaresma/ Páscoa Todo o Povo Igreja Paroquial
  • 16. 1.7 – Mês de Maria Razão Sociológica: Sentimos que muitas pessoas já ultrapas- saram a ideia de uma Maria fora deste mundo e endeusada. JáTema: A vida: sacrifício espiritual. a identificam como uma mulher que teve uma vida como nós mas cheia da graça de Deus.Objectivo: Que as pessoas tomem consciência do Baptismo Razão Teológica: Junto à cruz de Jesus Cristo esteve pade-como realidade que faz da nossa vida uma oferta espiritual a cendo amargamente com o seu filho único associando-se comoDeus. mãe ao seu sacrifício (cf. Jo 19, 26-27). Na apresentação do me- nino ao Templo Simeão profetizou que uma espada trespassaria o coração de sua mãe (cf. Lc 2, 35). “Se alguém quer seguir-Me, renuncie a si mesmo, tome cada dia a sua cruz, e siga-Me” (Lc 9, 23). Razão Pastoral: Queremos que os baptizados do Bunheiro sintam a graça de Deus que os motiva a viver uma vida de sa- crifício espiritual e de louvor a Deus como Maria. COMO QUANDO QUEM ONDE1- Slogan: S. Silvestre, S. Ma- 28 Abr. 12 ES“Com Maria vive o Baptismo dia-a-dia” teus e Catequese2- Anúncio: Maré Alta 24 Abr. 12 Mensageiros e ER Nas Casas3- Preparação da acção 24 Abr. 12 EZ, EA e Pároco S. Mateus4- Gesto: Gesto da flor, vela como símbolo do baptismo4.1- Envio das imagens dando prioridade às casas que tenham 01 Maio 12 Todo o Povo Igreja – Zonasdoentes, idosos e crianças.4.2 - Oferta ao doente de uma flor. Ao longo do mês EZ Em cada zona4.3 - À sexta-feira realização de uma celebração juvenil com a Sextas-feiras do mês Jovens, Crianças e Nas casasparticipação de jovens e crianças, tendo em conta o tema. Todo o Povo4.4- Fazer uma oração para ser rezada diariamente que relacio- Ao longo do mês EA, EZ e Todo o Po- Nas casasna Maria, Igreja e sacramentos (momentos da vida cristã e bo- vodas de prata sacerdotais) e no final do mês uma oração de con-clusão.4.5 - Encerramento com procissão de velas com o gesto de ele- 30 Maio 12 Todo o Povo Zonas – Junta –var a vela e o de oferecer a flor à Mãe do Céu Igreja5- Acção Mês de Maio Todo o Povo Nas Casas
  • 17. Razão Sociológica: Ao culminar do ano pastoral, as pessoas1.8 – Dia da Comunidade estão receptivas à celebração do Dia da Comunidade.Tema: Celebrar/Renovar o Baptismo Razão Teológica: A fé tem necessidade da comunidade dos crentes (CIC 1253). Deus quis que os homens formassem uma só comunidade e se tratassem uns aos outros como irmãos (cf.Objectivo: Que o povo do Bunheiro tome consciência que a GS 24).vida de Deus, a sua graça, nos é comunicada pelo Baptismo evivida em comunidade. Razão Pastoral: Consciencializar as pessoas de que a graça de Deus, recebida pelo Baptismo, se renova vivendo em comunida- de. COMO QUANDO QUEM ONDE1- Slogan: S. Silvestre, S. Ma- 09 Jun. 12 ES“Baptismo renovar, comunidade celebrar” teus e Catequese2- Anúncio: Maré Alta 05 Jun. 12 Mensageiros e ER Nas Casas3- Preparação da acção 05 Jun. 12 EZ, EA e Pároco S. Mateus4- Gesto:4.1- Preparação do espaço, confecção de almoço e cenário da Eq. Responsável,Eucaristia. Criação de Equipa e Distribuição de Tarefas. Zeladoras e Acólitos4.2- Eucaristia:4.2.1 – Acolhimento com entrega do credo e vela. 9ºvolume catequese4.2.2 - Levar todos os gestos realizados nas acções ao longo da EA e EZcelebração. MEC e Pároco4.2.3- Vela + sínodo paroquial – profissão de fé. 17 Jun. 12 Todos os Movimen- Vessadas4.2.4 – Comunhão sob as duas espécies. tos / Sectores4.3- Exposição do Trabalho desenvolvida ao longo do ano pelos Todo o Povodiversos movimentos /sectores. Colectividades, Ca-4.4- Almoço / Convívio. tequeses e4.5- Tarde recreativa: os grupos de catequese e outros apresen- Todo o Povotam pequenas animações realçando razões de viver. Animaçãopelo Rancho Andorinhas e G.M.B.5- Acção 17 Jun.12 Todo o Povo Vessadas
  • 18. PASTORAL ESPECÍFICA 2 – Pastoral dos Pequenos Grupos 3 – Pastoral Familiar 4 – Pastoral Sectorial 5 – Serviços Pastorais 5.1- Liturgia 5.2- Catequese 6 – Agentes de Pastoral 7 – Estruturas de Participação e Decisão 9 – Comunicações
  • 19. Razão Sociológica: Sente-se que os pequenos grupos, apesar2 – Pastoral dos Pequenos do cansaço, continuam a querer reunir-se e a caminharem jun-Grupos tos. Razão Teológica: “A formação para o apostolado deve come-Meta: Os pequenos grupos aprofundam o sentido do sacra- çar com a primeira formação das crianças… e deve continuar amento do Baptismo e reconhecem nele o fundamento para um aperfeiçoar-se durante toda a vida.” (cf. AA 30)sentido renovado da sua vida. Razão Pastoral: Que os grupos familiares paroquiais, ao se reunirem mensalmente, aprofundem o sentido do sacramento do Baptismo. COMO QUANDO QUEM ONDE1- Reestruturação dos grupos EA, Pároco, Resp. e 11 Out. 11 S. Mateus Anim de Grupos2- Encontro dos Animadores e Responsáveis de Grupo 11 Out. 11, EA e Grupos S. Mateus 05 Jan. 123- Temas dos encontros:3.1- Sabemos que somos amados. Outubro3.2- Tornamo-nos baptizados. Novembro3.3- Renascidos pela graça de Deus. Dezembro3.4- Gastar a vida para quê? Janeiro EA, Pároco e Local de Reunião de3.5- Chamados a oferecer a vida. Fevereiro Grupos Cada Grupo3.6- Da fonte baptismal, necessitados de misericórdia. Março / Abril3.7- A vida, sacrifício espiritual de louvor a Deus. Maio3.8- Deus comunica a sua ida através da Igreja – comunidade Junhocrente.4- Celebração com os grupos familiares (com momentos de ado- Pároco e Grupos S. Silvestre eração ao Santíssimo) reunindo 3 zonas de cada vez. 22 e 24 Nov.11 (por zonas) S. Mateus
  • 20. Razão Sociológica: Na nossa comunidade o Movimento Fami-3- Pastoral Familiar liar Paroquial (M.F.P.) promove acções no âmbito da pastoral familiar. Razão Teológica: É na família cristã que devem ser ensina-Meta: As famílias do Bunheiro são chamadas a compreender o dos os filhos desde os primeiros anos, segundo a fé recebida nosacramento do Baptismo e a reconhecerem nele o fundamento baptismo. (cf. GE 3)para um sentido renovado da sua vida. Razão Pastoral: Pretende-se ajudar as famílias do Bunheiro a tomarem consciência do sacramento do Baptismo. COMO QUANDO QUEM ONDE1- CPM para todos os casais do MFP. MFP e Após 14 Nov.11 S. Mateus Pároco2- Encontros para todas as famílias da paróquia.2.1- Família, lugar de educação integral Casais e 28 Jan.12 S. Mateus2.2- Família, educadora da economia Pároco 21 Abr.123- Reuniões de preparação para o matrimónio e remota para o CPM – 10 Março 12 Casais ematrimónio. S. Mateus 19 Maio 12 Pároco4- Realização da Semana da Família:4.1- Bênção das grávidas e dos bebés. 08 Jan.124.2- Encontro com os casais jubilados. 10 Jan.124.3- Encontro com os pais que baptizaram e que matricularam 12 Jan.12 EA, MFP eos filhos no 1º ano de catequese S. Mateus Casais4.4- Surpresa para os casais que casaram e que comemoram os 15 Jan. 1210/25 ou 50 anos.4.5- Elaboração da Oração em Família durante a semana. 27 Dez. 11
  • 21. 4 – Pastoral SectorialMeta: Os jovens do Bunheiro são chamados a compreender o Razão Teológica: “Escrevo-vos, jovens, porque sois fortes, e asacramento do Baptismo e a reconhecerem nele o fundamento palavra de Deus permanece em vós”(1 Jo 2,14). “Que ninguém tepara um sentido renovado da vida. despreze por seres jovem… sê para os fiéis um modelo na pala- vra, na conduta, no amor, na fé, na pureza” (1 Tm 4,12)Razão Sociológica: Os jovens participam nas actividades eacções da paróquia animados pela vontade de se encontrarem Razão Pastoral: Para que os jovens sintam o apelo à compre-com os outros, mas por vezes com dificuldades em compreender ensão da palavra de Deus tendo como mote o baptismo, funda-os objectivos traçados. mento de toda a vida cristã. COMO QUANDO QUEM ONDE1- Equipa Pastoral Juvenil:1.1- Reestruturação da Equipa Promotora; 23 Set. 11 EPJ1.2- Reunião mensal da Equipa Promotora; Ver Calendário-REPJ EPJ S. Mateus1.3- Assembleia Geral inicial para todos os Jovens com apresen- 30 Out. 11 EPJ e Jovenstação do calendário para o ano e almoço-convivio.2- Participação nas acções de conjunto:2.1- S. Martinho: Preparação do espaço; Formação de grupos 12 Nov. 11 Em cada zonapara a preparação do espaço e animação do Magusto. Organiza-ção do Baile aberto à comunidade com animação.2.2- Natal: Presépio público no adro da Igreja. 25 Dez. 11 Igreja2.3- Tempo Quaresmal: Elaboração e realização da Via-sacra 30 Mar. 12 Jovens A designarJovem, tendo como tema o Baptismo.2.4- Mês de Maria: Elaboração semanal de uma oração Maria- 6ªfeiras do mês de Em cada zonana com a participação de jovens e crianças. Maio2.5- Dia da Comunidade: Assembleia para todos os jovens, 16 Jun. 12 VessadasNoite de convívio com peddy - papper.3- Retiro de jovens. A designar Jovens A designar4- Escapadinha Jovem:Momento de paragem e reflexão para jovens. Conhecer novos 03 e 04 Março 12 Jovens A designarlugares, locais de quebra de rotina, desligar do mundo real.5- Participação nas acções arciprestais e diocesanas. A designar Jovens A designar
  • 22. 5- Serviços PastoraisMeta: Que no desenvolvimento da sua acção, os diversos servi- Razão Sociológica: Sentimos que nem sempre os serviçosços pastorais tenham em conta o aprofundamento do sentido do pastorais da comunidade se integram adequadamente na pasto-Baptismo e o reconhecimento do seu fundamento para o sentido ral de conjunto.renovado da vida. Razão Teológica: Na Igreja há diversos dons mas é o mesmo espírito. Razão Pastoral: É necessário mobilizar todos os âmbitos da acção para a meta geral do ano, (aprofundamento do sentido do5.1- Liturgia Baptismo). COMO QUANDO QUEM ONDE1- Continuar a estruturação da Equipa de Liturgia, com res- EL,ponsáveis pelos diversos serviços: Leitores, Cantores, Acólitos, Out. 11 EA e S. MateusCatequese, MEC’s, Limpeza e Zeladoras. Pároco.2- Reunião bimensal da Equipa de Liturgia. Apresentar os con- EL, EAteúdos das metas de cada mês (valor e objectivo). Ver calendário (REL) S. Mateus e Pároco.3- Participação nas acções de conjunto:3.1- Festa das Colheitas 16 Out. 113.2- Ceias de Natal (Advento). Advento3.3- S. Brás 03 Fev. 123.4- Tempo Quaresmal / Semana Santa / Páscoa EL Local da acção Quaresma3.5- Cortejo das Flores 07 Jun. 123.5- Dia do Doente 10 Jun. 123.6- Dia da Comunidade 17 Jun. 124- Elaboração de mapa mensal de todos os Agentes da Liturgia. 1º Fim-de-semana do S. Mateus e EL e ER Mês S. Silvestre5- Acções de formação para todos os Agentes de Liturgia em 17 Dez. 11conjunto. REL Igreja Paroquial 16 Fev. 116-Motivação para o ensaio semanal do Grupo Coral. REL e Todas as 4ªs feiras Igreja Paroquial Grupo Coral
  • 23. 5.2- CatequeseNota: Em cada festa da catequese, fazer referência ao Baptismo. COMO QUANDO QUEM ONDE1- Reuniões de Catequistas:1.1- Reunião mensal para debater assuntos pertinentes; Ver Catequistas S. Mateus1.2- Momentos de formação propostos pela Diocese e pela CalendárioEquipa Responsável da Catequese.2- Participação nas Acções de Conjunto:2.1- S. Martinho: - Magusto infantil com idosos e com anima- 12 Nov. 11 S. Mateus e Zonasção; Participação nas tarefas das zonas, no Magusto e no baile.2.2- Tempo de Advento: Participação com a campanha e no Advento S. MateusPresépio Vivo.2.3- Festa / Semana da Família: Sensibilização da Família 08 a 15 Jan. 12 Responsáveis da Nas Casasatravés da distribuição da oração. Catequese,2.4- S. Brás: Participação nas marchas de cada zona. 03 Fev. 12 Catequistas e Nas Zonas2.5- Tempo Quaresmal: Participação na Via-sacra Jovem e nas Quaresma Catequizandos. S. Mateuspropostas Quaresmais/Pascais.2.6- Mês de Maria: Participação na oração ao longo do mês. Maio 12 Zonas2.7- Participação, por grupos, no Cortejo das Flores. 07 Jun. 12 S. Mateus2.8- Dia da Comunidade: Acolhimento, Participação na Euca- 17 Jun. 12 Vessadasristia, manhã e tarde recreativas.3-Programação de alguns retiros e encontros com as catequeses Ao longo do ano Do 7º ao 12º vol. A designar4- Participação dos Pais dos catequizandos: Resp. Catequese,4.1 – Reunião inicial com todos os pais e a presença do MFP. 22 Out. 11 Salão da Junta Catequistas e Pais4.2 – Reunião com cada grupo de catequese ao longo do ano. Ver calendário S. Mateus5- Início da Catequese integrado na Eucaristia dominical com Resp. Catequese e 02 Out. 11 S. Mateusenvio dos grupos/catequistas. Catequistas6- Retiro de catequistas. 14 e 15 Abr. 12 Catequistas A designar7- Tarde Radical para crianças (1-6ºvolumes). 09 Jun. 12 EPJ e Catequistas Largo Junta8- Participação nas actividades jovens do Dia da Comunidade Resp. Catequese, 16 Jun. 12 Vessadas(7-12ºvolumes). Catequistas e EPJ9- Encontro de catequistas com um convívio e troca de experi- Resp. Catequese e 24 Jun. 12 A designarências após encerramento dos trabalhos. Catequistas10- Adaptação das Campanhas Diocesanas à programação pa- Resp. Catequese e Advento e Quaresma S. Mateusroquial. Catequistas11- Inscrições para a catequese em dia único – Sábado(9h-18h). 14 Jul. 12 Resp. Catequese S. Mateus
  • 24. 6- Agentes da Pastoral Razão Sociológica: Sente-se falta de formação do baptizado para poder viver pessoal e comunitariamente a sua fé.Meta: Os agentes da Pastoral são chamados à compreensão dosacramento do Baptismo e a reconhecer nele o fundamento para Razão Teológica: Os baptizados, regenerados pelo Baptismoum sentido renovado da vida. para serem filhos de Deus, devem participar na actividade apos- tólica e missionária do povo de Deus (cf. CIC 1270). Razão Pastoral: Que os agentes da pastoral, iluminados pelo sacramento do Baptismo, sejam evangelizadores da palavra de Deus. COMO QUANDO QUEM ONDE1- Formação para Mensageiros no início do ano pastoral na li- EA, Responsáveisnha de serviço e de aprofundamento do projecto de renovação 17 Nov.11 e S. Mateusparoquial. Mensageiros.2- Participação da semana de Liturgia em Fátima. Agentes de Jul. 12 Fátima Liturgia3- Participação de elementos da Comunidade na formação dio- Ao longo EL Aveirocesana em Música Sacra. do ano4- Formação de catequistas:4.1- Jornadas da Catequese. 07 a 09 de Out. 11 Catequistas e4.2- Retiro de formação de catequistas. 14 e 15 Abr. 12 Responsáveis da A designar4.3- Retiros de formação promovidos pelo secretariado diocesa- Ver calendário Catequese Aveirono de catequese.5- Retiro para jovens. EPJ e A desginar A designar Jovens6- Formação de todos os agentes (retiro com apoio do MMM). Todos os A designar A designar Agentes
  • 25. 7- Estruturas de Participaçãoe Decisão Razão Teológica: Os baptizados tornaram-se «pedras vivas»Meta: Que as estruturas de participação e decisão sejam opor- para «a edificação dum edifício espiritual, para um sacerdóciotunidade para as pessoas compreenderem o sacramento do santo». Pelo Baptismo, participam no sacerdócio de Cristo, naBaptismo e o reconheçam como fundamento para uma vida re- sua missão profética e real, são «raça eleita, sacerdócio de reis,novada. nação santa, povo que Deus tornou seu», para anunciar os lou- vores dAquele que os «chamou das trevas à sua luz admirável»Razão Sociológica: Nas assembleias de zona e paroquiais, as (cf. CIC 1268)pessoas embora pouco motivadas, verifica-se um certo númerosignificativo de presenças. Sente-se o cansaço de algumas equi- Razão Pastoral: Pretende-se que as pessoas integrem as es-pas de zona. truturas de participação e decisão, de acordo com a missão que receberam do Baptismo. COMO QUANDO QUEM ONDE1- Lançamento do Ano Pastoral (LAP):1.1- Convite para o lançamento do Ano Apostólico através dos 24 e 25 Set. 11 S. MateusResponsáveis dos diversos Sectores/Movimentos. EA e1.2- Assembleia Paroquial para lançamento do Ano Apostólico 28 Set. 11 S. Silvestre Párocopara os agentes da pastoral.1.3- Lançamento do Ano Apostólico incorporado nas celebrações 01 e 02 Out. 11 S. Silvestre e(vespertinas e dominicais de S. Silvestre e S. Mateus). S. Mateus2- Presença de elementos da Equipa de Animação nas reuniões Ver Nas diversasdas Equipas das diversas Zonas, em ordem à reestruturação Calendário EA e EZ Zonasdas EZ’s e motivação ao trabalho pastoral. (sigla – CEZ)3- Encontro de Equipas de Zona em ordem à formação e ao EA, EZ 09 Fev. 12 S. Mateusconvívio (Sopa de Pedra). e Pároco4- Assembleias de Zonas com inquérito de avaliação, por zonas. EA e S. Mateus e 26 e 28 Jun. 12 Todo o Povo S. Silvestre5- Assembleia Paroquial para discussão da avaliação do ano EA e 05 Jul. 12 S. Silvestrepastoral. Todo o Povo
  • 26. 9- ComunicaçõesMeta: Que a equipa de redacção, através dos diversos meios de Razão Teológica: “Os leigos que fazem uso dos meios de co-comunicação, motive a que a comunidade sinta o fundamento municação (Maré Alta, Avisos) procuram dar testemunho de Cris-do Baptismo para o sentido renovado da vida. to, realizando em primeiro lugar as suas tarefas com perícia e espírito apostólico” (cf. IM 13)Razão Sociológica: Ainda há dificuldades na passagem deinformação das actividades da paróquia. Razão Pastoral: Queremos que a mensagem chegue a todos de uma maneira simples e precisa, e que a meta geral do ano (aprofundamento do sentido do Baptismo) seja valorizada em cada acção através do valor/objectivo/gestos de cada acção. COMO QUANDO QUEM ONDE1- Elaboração, reprodução e distribuição da Maré - Alta através Semana anterior ER, Mensageiros S. Mateusda rede de mensageiros. à PA e Resp. Zona2- Elaboração de cartazes que anunciem algumas das acções de Semana anterior ER S. Mateusconjunto (Imagem, Slogan, Data, Local, etc.) à PA3- Elaboração dos Avisos semanais incluindo uma pequena re-flexão litúrgica e o mote (slogan) relativo à próxima acção de Semanalmente ER e EA S. Mateusconjunto a viver.4- Elaboração e Afixação do slogan nas salas de catequese e na Salas de catequese, Ver calendárioIgreja e em S. Silvestre (no exterior). ER S. Silvestre (SL) e S. Mateus5-Manutenção do blog da paróquia. http://paroquiabunheiro. Ao longo do ano Nuno Bessa blogspot.com
  • 27. NOTAS NOTAS_________________________________________________ __________________________________________________________________________________________________ __________________________________________________________________________________________________ __________________________________________________________________________________________________ __________________________________________________________________________________________________ __________________________________________________________________________________________________ __________________________________________________________________________________________________ __________________________________________________________________________________________________ __________________________________________________________________________________________________ __________________________________________________________________________________________________ __________________________________________________________________________________________________ __________________________________________________________________________________________________ __________________________________________________________________________________________________ _________________________________________________ ______________________________________________ ________________________________________________________________________________________________ __________________________________________________________________________________________________ __________________________________________________________________________________________________ ________________________________________________________________________________________________ _______________________________________________

×