[Resumo] O Enigma de Kaspar Hauser
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Like this? Share it with your network

Share
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Be the first to comment
    Be the first to like this
No Downloads

Views

Total Views
17,877
On Slideshare
17,877
From Embeds
0
Number of Embeds
0

Actions

Shares
Downloads
56
Comments
0
Likes
0

Embeds 0

No embeds

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
    No notes for slide

Transcript

  • 1. O ENIGMA DE KASPAR HAUSERJustificativa Levando em consideração a ideia de que filme é umaconstrução sobre a realidade que articula palavra, som,imagem, movimento, se tornando, portanto, uma maneira decompreender comportamentos, visões de mundo, valores,identidades, ideologias de uma sociedade, etc.; Escolhi o referido filme para ilustrar um movimento,a principio, pitoresco: a possível existência de um homem sem sociabilidade, sem nenhum contatosocial, para que a partir dessa problemática, chegássemos ao debate de questões sociológicas.Resumo Kaspar Hauser apareceu em maio de 1828, numa praça de Nuremberg. Não se sabia de onde tinhavindo ou quem ele era. Inerte, com uma carta na mão, logo foi alvo da curiosidade de transeuntes. Acarta era endereçada ao capitão da cavalaria local e fazia uma breve apresentação de quem ele era, um homem sem contato humano, criado num porão e pedia que fizessem dele um cavaleiro. Quando Kaspar Hauser aprendeu a falar, ele contou que uma pessoa, que ele desconhecia, tratava dele enquanto esteve no porão, deixando-lhe alimentação durante anos. Antes dessas aprendizagens, não sabia andar, nem sabia falar, exceto uma única frase: “quero ser cavaleiro”. Um professor o acolheu, e seu filho tratou de iniciar com ele alguns processos desocialização. Seu comportamento foi logo tomado como estranho e considerado anormal, tanto quefoi posto no circo, junto a outros seres considerados anômalos, como um anão, um índio e umacriança autista. Visto como um “garoto selvagem”, era fonte de medo, espanto e curiosidade.É assassinado em 1833, sendo retirado seu cérebro para o estudo de médicos.BIBLIOGRAFIAMARTINS, Ana Lúcia Lucas. Cinema e ensino de sociologia: usos de filmes em sala de aula. Recife, 2007. Paperapresentado no Congresso Brasileiro de Sociologia. Em:http://www.sbsociologia.com.br/congresso_v02/papers/GT9%20Ensino%20de%20Sociologia/Cinema_e_Ensino_de_Sociologia-_SBS-2007.pdf (Acessado em 29/5/2008.)HERZOG, Werner. Jeder für sich und Gott gegen alle. Alemanha. 1974. DVD. 110 min. Legendado.