FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC PELOTAS/RS
CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO EM DESENVOLVIMENTO DE TALENTOS E
GESTÃO DE EQUIPES
A UTILI...
 

2	
  

PALAVRAS-CHAVE: Redes Sociais. Recrutamento. Seleção de Pessoas.

ABSTRACT

This article discusses broadly the c...
 

3	
  

O acesso facilitado à internet e a oferta de computadores proporcionou às
pessoas novos meios de se comunicar e ...
 

4	
  

E ainda com o advento da internet surgem novas possibilidades para as
relações, independente da plataforma ou do...
 

5	
  

aproximação e a participação do usuário, a fim de que possa engajar e levar sua
rede a curtir e comprar aquela m...
 

6	
  

Tem-se, portanto, algumas preocupações por parte dos gestores e
empresários. Uma diz respeito a como posicionar-...
 

7	
  

tecnologia e constituindo então a unidade de negócios e relacionamentos que se
conhece hoje.
Atualmente a rede s...
 

8	
  

pudessem trocar mensagens curtas, como SMS. Junto à Dorsey, estavam Evan
Williams e Biz Stone no desenvolvimento...
 

9	
  

assunto que se está falando) e trending topics (seção do Twitter que mostra os
temas mais comentados na rede dur...
 

10	
  

primeira plataforma social na preferência dos gestores de contratação, seguida de
Facebook, Google+ e Twitter.
...
 

11	
  

Em relação aos tipos, o recrutamento pode ser de fonte interna, em que são
considerados apenas os colaboradores...
 

12	
  

muitas vezes estão presentes nas estratégias de comunicação, serviços e produtos,
e na esfera industrial (grupo...
 

13	
  

A busca de informações para a análise foi feita através de abordagem
qualitativa e teve por objetivo identifica...
 

14	
  

Ao concluir o preenchimento das questões, os respondentes se deparavam
com uma tela de agradecimento e contato:...
 

15	
  

Diariamente	
  
33,33%	
  

33,33%	
  
Semanalmente	
  
Esporadicamente	
  

33,33%	
  

Fonte de Pesquisa: Res...
 

16	
  

Em uma escala de 1 a 5, em que
Empresa

1 representa nada eficaz e 5

Justifique.

muito eficaz, a empresa
cons...
 

17	
  

Enquanto o grupo 2, respondeu conforme a tabela 2, já menos adepto à
utilização de mídias sociais para fins de ...
 

18	
  

Ao questionar sobre a escolha de recursos mais tradicionais de recrutamento,
percebe-se que indicações são prim...
 

19	
  

Tabela 3 – Eficácia de métodos tradicionais
Em uma escala de 1 a 5,
Empresa

em que 1 representa nada

Justifiq...
 

20	
  

também utilizamos
cartazes para sensibilizar
aqueles que talvez ainda
não estejam no mercado
ou na nossa rede d...
 

21	
  

Os resultados da pesquisa mostram que apesar de mídias sociais já fazerem
parte das estratégias de comunicação ...
 

22	
  

vez mais desenvolvidas, sites de redes sociais ainda são restritos às presenças
institucionais das marcas, esta...
 

23	
  

RECUERO, Raquel. Redes Sociais na Internet. Porto Alegre: Sulina, 2009.

_______. As Redes Sociais na Internet ...
 

SITE

24	
  

REVISTA

PROXXIMA

-

http://www.proxxima.com.br/proxxima/redes_sociais/noticia/2012/09/03/Twitterregistr...
Upcoming SlideShare
Loading in …5
×

A utilização de redes sociais como ferramentas no processo de recrutamento externo e seleção de pessoas

2,687 views
2,457 views

Published on

Artigo produzido como trabalho de conclusão para o curso de pós-graduação em Gestão de Equipes e Desenvolvimento de Talentos da Faculdade de Tecnologia Senac - Pelotas - RS.

Published in: Social Media
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
2,687
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
2
Actions
Shares
0
Downloads
0
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

A utilização de redes sociais como ferramentas no processo de recrutamento externo e seleção de pessoas

  1. 1. FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC PELOTAS/RS CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO EM DESENVOLVIMENTO DE TALENTOS E GESTÃO DE EQUIPES A UTILIZAÇÃO DAS REDES SOCIAIS COMO FERRAMENTAS NO PROCESSO DE RECRUTAMENTO EXTERNO E SELEÇÃO DE PESSOAS THE USE OF NETWORKS LIKE TOOLS IN THE PROCESS OF EXTERNAL RECRUITMENT AND SELECTION OF PEOPLE Orientando(a): Paola Müller Silva mullers.paola@gmail.com Orientador: Esp. Gladimir Ceroni Catarino gladimir@gmail.com RESUMO Este artigo discute de forma ampla a realidade atual da sociedade, que cada vez mais está conectada, veloz e globalizada graças ao advento de meios tecnológicos e computacionais, e ainda seu impacto na esfera empresarial. O principal intuito é questionar a forma como as instituições têm lidado com a era digital, direcionando o foco para os métodos de seleção e recrutamento de pessoas. Busca-se responder se estes processos continuam de maneira tradicional utilizandose de anúncios de jornal, contato com instituições escolares, indicações, programas de trainee, ou acompanham a evolução no mundo dos negócios, usufruindo de novos recursos que a tecnologia venha a oferecer. Indo mais a fundo, deseja-se identificar se redes sociais são utilizadas como adendos da estratégia de comunicação das empresas e, principalmente, se canais como Facebook, Twitter e Linkedin, são utilizados na hora de selecionar e contratar novos colaboradores. Por fim, anseia-se medir a eficácia quanto aos diferentes tipos de métodos e traçar um comparativo entre as companhias analisadas.
  2. 2.   2   PALAVRAS-CHAVE: Redes Sociais. Recrutamento. Seleção de Pessoas. ABSTRACT This article discusses broadly the current reality of the society that is increasingly connected, globalized and fast thanks to the advent of technological and computational means, and its impact in the business sphere. The main intention is to question how institutions have dealt with the digital era, directing the focus to the methods of selection and recruitment of people. Seeks to answer whether these procedures are still in the traditional way using newspaper ads, contacting educational institutions, indications of trainee programs, or monitor developments in the business world, boasting new features that technology will offer. Going further, one wishes to identify whether social networks are used as resource of the business and communication strategy, especially if channels like Facebook, Twitter and Linkedin, are used in selecting and hiring new employees. Finally, looking up how to measure the effectiveness of different methods and draw a comparison between the companies analyzed. KEYWORDS: Social Networks. Recruitment. Selection of People. 1 INTRODUÇÃO Inevitavelmente, hoje se vive em meio a um mundo cada vez mais conectado, veloz e globalizado em que distâncias foram diminuídas e o tempo reduzido graças a gadgets e recursos tecnológicos. Além da comunicação e política, a economia e a forma de fazer negócios evoluíram para o que Thomas Friedman (2005) chama de mundo plano, em que se presencia um achatamento e encolhimento do mundo que, consequentemente, afeta o comércio, o transporte, a cultura e o modo de vida da sociedade.  
  3. 3.   3   O acesso facilitado à internet e a oferta de computadores proporcionou às pessoas novos meios de se comunicar e se relacionar. E como exemplo claro desta transformação observa-se as redes sociais, sites em que além das pessoas estabelecerem contatos com outros usuários e marcas, têm a oportunidade de iniciar e manter relações de trabalho, assim como as empresas podem levantar e analisar perfis com o intuito de recrutar e selecionar seus colaboradores. É este contexto que permeia o objetivo desse estudo, investigar os processos de recrutamento e seleção de pessoas de dois segmentos distintos, com a intenção de traçar um comparativo de atuações. A proposta busca responder se atualmente as organizações do setor de tecnologia e indústria da cidade de Pelotas utilizam redes sociais como Facebook, Twitter e Linkedin para recrutar e selecionar funcionários. Em um segundo momento, busca-se entender a eficácia e ainda identificar as principais ferramentas utilizadas nas seleções. Espera-se que com o resultado desta pesquisa possa-se identificar bons exemplos de uso e oportunidades, para que então futuramente outros segmentos empresariais se adaptem e adotem canais sociais também na hora de contratar colaboradores. 2 REDES SOCIAIS É comum que atualmente, ao se falar sobre redes sociais, a associação a sites como Facebook e Twitter seja a primeira a ser feita na mente das pessoas, porém, ao ampliar a linha de pensamento percebe-se que o conceito de redes sociais é muito mais amplo e constitui uma estrutura social formada por indivíduos conectados por características compartilhadas formadoras de relações que transcende o ambiente online, ou seja, reuniões de pessoas com interesses e gostos em comum, que podem ser desde a um happy hour com os colegas de trabalho até encontros periódicos de associações ou organizações, configuram uma rede social. A análise de redes sociais traduz que todas as pessoas estão unidas por uma rede de relações, interligadas por elos fracos ou fortes, mas distantes apenas por seis graus de separação (Milgram, 1967). Ou seja, são necessários seis laços ou nós para que duas pessoas quaisquer estejam interligadas.  
  4. 4.   4   E ainda com o advento da internet surgem novas possibilidades para as relações, independente da plataforma ou do grau de distanciamento. Segundo Raquel Recuero (2011, pág 15): Redes sociais tornaram-se a nova mídia, em cima da qual a informação circula, é filtrada e repassada; conectada à conversação, onde é debatida, discutida e, assim, gera a possibilidade de novas formas de organização social baseadas em interesses das coletividades. O impacto desta mudança é a potencialização dos relacionamentos, que além de sociais também passaram a ser virtuais, ampliando alcance e conteúdo. Sites como Facebook agora fomentam a interação com grupos distintos de pessoas, concentrando diversos nichos em um mesmo espaço. 2.1 AS DIFERENTES APROPRIAÇÕES Como são ambientes de livre diálogo entre usuários, torna-se difícil prever que tipo de uso eles exercerão em uma rede virtual. Com isso, as características de um site de rede social são definidas mais pelos membros da comunidade do que propriamente pelos criadores dela. Como por exemplo, ao criar o Twitter, os fundadores tinham como objetivo que ele fosse um canal online para troca de SMS entre usuários, devido à curta mensagem de 140 caracteres que dispunha. No entanto, atualmente um dos principais valores da mídia é ser fonte de informação em tempo real. Com o tempo as apropriações podem ir se modificando, tornando os canais mais atrativos ou não para diferentes públicos, mas indiferente do uso, sempre haverá pessoas atuando em prol de seus interesses e relações sociais. Esta concentração massiva de pessoas se comunicando, trocando informações e compartilhando experiências sobre quaisquer assuntos mudou a forma como a sociedade se comporta, trabalha e consome. A adoção e popularização das ferramentas online provocou um movimento em que empresas vão ao encontro dos consumidores e aproveitam o meio para estabelecerem contatos, estreitar relações e promover a fidelização. É natural cada vez mais sermos surpreendidos por anúncios e publicidade de instituições visando a  
  5. 5.   5   aproximação e a participação do usuário, a fim de que possa engajar e levar sua rede a curtir e comprar aquela marca. Além da comunicação institucional e publicitária, também há espaço para relações profissionais, tanto por parte de colaboradores quanto empresas, sendo uma esfera tão abrangente que ocasionou até a formação de redes específicas, como o Linkedin. Essas práticas nos mostram a possibilidade infinita de adoções do meio e suas ramificações por diferentes tipos de usuários, exigindo assim a atualização e acompanhamento constante. Mesmo alheios às redes sociais, em algum momento seremos impactados por elas e manter-se fora atualmente pode ser um obstáculo para o desenvolvimento enquanto pessoa, profissional e principalmente empresa. 2.2 REDES SOCIAIS E O OBJETIVO DO ESTUDO Tendo este cenário, em que redes sociais são capazes de reunir milhões de pessoas em uma plataforma online e exercem um novo papel midiático para empresas, sua relevância se torna indiscutível e a influência sobre o comportamento da sociedade inquestionável. Os relacionamentos se tornaram mais voláteis e intensos, a informação passou a circular mais rápido e paralelamente perder a importância mais rapidamente devido ao volume de conteúdo publicado e ainda as distâncias geográficas diminuíram a ponto de estarem separadas por uma conexão 3G. Em uma realidade conectada potencializada pelo crescente consumo de dispositivos móveis, a internet se tornou um requisito para a rotina e convivência das pessoas e os smartphones um desdobramento do próprio corpo. Com isso tem-se o desafio por parte da esfera empresarial de saber acompanhar e lidar com esse novo mundo. Obviamente que os recursos tecnológicos auxiliam no desenvolvimento dos negócios e na comunicação, porém deve-se estar preparado para se inserir e utilizar sabiamente as ferramentas. Falando especificamente de redes sociais, independente de as empresas possuírem uma presença sólida e estratégica, seus consumidores e colaboradores estarão lá, compartilhando experiências vividas com a marca e também no ambiente de trabalho.  
  6. 6.   6   Tem-se, portanto, algumas preocupações por parte dos gestores e empresários. Uma diz respeito a como posicionar-se no ambiente digital aliando as estratégias de comunicação com as de negócio, mantendo um relacionamento saudável com o seu público. Junto à presença, deve-se também estar atento ao que clientes e stakeholders falam da empresa em ambientes online, pois podem ser fatores decisivos para a imagem da marca, tanto positivos quando bem aproveitados quanto negativos quando não se tem uma medida emergencial. Para isso é essencial que um monitoramento constante seja feito em canais sociais a fim de identificar oportunidades e possíveis crises de atuação. Paralelo à presença externa, é necessário ainda prever políticas internas quanto à utilização de meios sociais durante o horário de trabalho. Mesmo que haja alternativas de segurança para barrar o acesso a sites como Facebook, é necessário estar atento, pois as restrições muitas vezes se estendem apenas aos hardwares da empresa, sendo liberado o uso para dispositivos móveis dos colaboradores. Além de dispor regras flexíveis de acesso que mantenham o equilíbrio na relação colaborador X empresa, é fundamental também contar com o bom senso e comprometimento dos funcionários para com o trabalho. Ademais do comportamento do público interno, as instituições podem ainda usufruir dos canais online para identificar, recrutar e selecionar talentos. Com o advento das redes sociais, encontrar uma pessoa na web ficou fácil e conhecer seus hábitos, preferências e opiniões estão à distância de um clique. Contudo, deve-se dedicar atenção a todo tipo de publicação e opinião exposta em perfis sociais, pois estes podem ser os diferenciais na contratação de candidatos. E esta uma das questões o presente estudo busca responder, se as contratações de funcionários podem ser influenciadas pelo que os candidatos publicam em redes sociais e ainda se elas são utilizadas com este intuito. 2.3 FACEBOOK Desenvolvido em 2004 por Mark Zuckerberg, o Facebook era destinado a estudantes de universidades, inicialmente de Havard e com o tempo foi expandindo sua rede para outras universidades americanas e mundiais. Seu objetivo principal era proporcionar uma troca de contato mais próxima e virtual entre os universitários, mas aos poucos, foi chamando a atenção de investidores e profissionais de  
  7. 7.   7   tecnologia e constituindo então a unidade de negócios e relacionamentos que se conhece hoje. Atualmente a rede social tem por ambição reproduzir online todas as conexões sociais mantidas pelos seis graus de separação. Em um documentário produzido pelo canal de Discovery Channel, Zuckerberg (2004) arremata: O que tentamos fazer no Facebook foi mapear todas as relações que as pessoas têm, e olha que existem bilhões delas no mundo todo, e aquilo que podemos chamar de agregado das relações das pessoas nós chamamos de rede social. Em setembro de 2012 a rede atingiu o número de um bilhão de usuários ativos no mundo, número que só corroborou com sua liderança absoluta no âmbito de plataformas sociais online (G1, 2012). No Brasil, terceiro país com mais acessos, atrás somente de Estados Unidos e Índia, ele acumula atualmente 86 milhões de pessoas, com uma faixa etária predominante de 18 a 24 anos (30%), seguida de 25 a 34 (27%) e 13 a 17 (14%) (SocialBakers, 2013). Além de ser uma plataforma de relacionamento entre pessoas, o Facebook também oferece espaço para marcas interagirem com seu público, tornando-se assim um importante componente na estratégia de marketing e comunicação das empresas. Também são oferecidos espaços de mídia e anúncios, a fim de que as páginas institucionais possam atingir maiores índices de audiência e engajamento no conteúdo. Dados de 2011 do comScore, ferramenta que mede acessos na web, comprovam que o Facebook foi o meio mais utilizado para mídia display naquele ano, um índice de 17,4%, mostrando-se uma indispensável ferramenta para usuários e organizações. 2.4 TWITTER Testado pela primeira por Jack Dorsey, um de seus fundadores, em 21 de março de 2006 com a frase emblemática “Just setting up my twittr” (uma tradução livre para “Apenas configurando meu twittr”), o Twitter foi oficialmente lançado em julho do mesmo ano e inicialmente tinha por objetivo ser o meio onde pessoas  
  8. 8.   8   pudessem trocar mensagens curtas, como SMS. Junto à Dorsey, estavam Evan Williams e Biz Stone no desenvolvimento da nova plataforma. No ano seguinte, durante o evento South by Southewest (SXSW), festival anual de música, tecnologia e cinema, que acontece em Austin, no Texas, Estados Unidos, foram colocados grandes telões em locais estratégicos que mostravam as mensagens trocadas via Twitter, gerando buzz e adeptos à ferramenta. FIGURA 1: Telões do Twitter no SXSW em 2007 Fonte de Pesquisa: Arquivo de fotos do evento Foi aí então que o site tornou-se conhecido entre o cenário digital e ganhando usuários ao longo do tempo. Em março de 2008 registrou o primeiro milhão de membros, e em novembro de 2013 anunciou a chegada a 218 milhões de pessoas. Dados do comScore em setembro de 2012, divulgaram que no Brasil ele acumulava 9,7 milhões de acessos, atrás de Facebook e Orkut na preferência dos usuários. A troca dinâmica e rápida de mensagens, devido ao espaço de 140 caracteres, deu ao Twitter o valor da informação em tempo real, caracterizando o uso da ferramenta por jornalistas e veículos de notícia que a utilizam como forma de comunicar rápido e oficialmente. Outro aspecto peculiar da rede social é a utilização por fãs de celebridades, que em ações conjuntas, dominam hashtags (palavras-chave que determinam o  
  9. 9.   9   assunto que se está falando) e trending topics (seção do Twitter que mostra os temas mais comentados na rede durante um determinado momento em uma determinada região), com o intuito de chamar a atenção dos ídolos, iniciarem uma conversa ou simplesmente ecoar uma causa que estes apoiam. Para empresas, a plataforma permite também a troca de contato mais próxima e efetiva e tem o caráter voltado para o que chamamos de SAC 2.0, uma evolução no serviço de atendimento ao consumidor provocado principalmente pela internet e redes sociais que dá mais poder ao cliente, considerando a proporção da visibilidade que uma reclamação pode tomar e consequentemente perda da reputação da empresa. As instituições têm utilizado a ferramenta justamente com este objetivo, em tornar o atendimento mais ágil e eficaz, além do espaço adotado para criação de conteúdo e informação. 2.5 LINKEDIN Rede social que completou 10 anos em maio de 2013, o Linkedin tem como principal objetivo interligar profissionais e empresas no mesmo ambiente online. Para o usuário comum a plataforma oferece um espaço para que ele possa contar sua experiência profissional, habilidades, competências, projetos e trabalhos executados, prêmios ganhos e organizações por onde passou. Para empresas, são disponibilizadas páginas onde as instituições podem fornecer informações gerais, uma seção de produtos e serviços e uma seção de carreiras, onde são publicadas notícias voltadas para a gestão de pessoas, como anúncio de vagas e informes institucionais. Através da conexão entre usuários, pode-se expandir os contatos empresariais, o que abre um leque de opções na hora de buscar novas opções e recolocações no mercado. A opção de busca personalizada, publicidade para empresas, perfis premium com maior detalhe de informações e recomendações profissionais tornam a procura por novos talentos mais assertiva e diminui a distância entre empregadores e candidatos. Segundo pesquisa realizada pela Right Management (Forbes, 2013), cerca de 94% dos candidatos na América do Norte preferem o Linkedin como ferramenta para a busca de emprego e esta também é a  
  10. 10.   10   primeira plataforma social na preferência dos gestores de contratação, seguida de Facebook, Google+ e Twitter. Ao longo do tempo, a ferramenta foi adicionando recursos para tornar a experiência dos membros cada vez mais técnica e efetiva e desde o seu lançamento em 2003 até hoje, o Linkedin acumula 200 milhões de membros. O Brasil é um importante responsável na evolução da ferramenta, configurando o terceiro lugar entre o ranking de cadastrados com 15,7 milhões de pessoas, atrás de Estados Unidos (92,7 milhões) e Índia (23,6 milhões) (SocialBakers, 2013). Entre as áreas profissionais mais presentes na ferramenta, estão a de Tecnologia da Informação e Serviços, Acadêmica, Engenharia de Software e Telecomunicações (Deep Nishar, 2013). 3 RECRUTAMENTO E SELEÇÃO DE PESSOAS O recrutamento de pessoas nasce a partir de uma necessidade identificada na empresa, em que o responsável pela área de recursos humanos, solicita à gestão por meio de uma requisição de pessoal, a contratação de novos colaboradores. Os motivos pelos quais novas pessoas entram na empresa são diversos, vai desde aumento de quadro de profissionais, substituição de funcionários, abertura de novos negócios até o surgimento de novas equipes e áreas. O processo de recrutamento requer, sobretudo, um planejamento de comunicação que visa definir onde serão comunicadas as vagas, de que forma, quais os principais requisitos e por quanto tempo estará aberto ao envio de currículos. Depois da etapa de captação de talentos, o recrutamento dá origem à seleção de pessoas, que por sua vez, objetiva a escolha do novo colaborador. Quanto a estes dois pontos, Chiavenato (2004) define que recrutamento é um conjunto de procedimentos que visa atrair candidatos potencialmente qualificados e capazes de ocupar cargos dentro da organização. Segundo ele, para ser eficaz, o recrutamento deve atrair um número de candidatos suficiente para dar início ao processo de seleção.  
  11. 11.   11   Em relação aos tipos, o recrutamento pode ser de fonte interna, em que são considerados apenas os colaboradores da própria organização e geralmente é para a ocupação de cargos de níveis iguais ou superiores ao da gerência. Neste caso, tem-se como exemplo promoções, recolocações e transferências. Este processo pode ser bom por ser mais econômico e proporcionar a valorização dos funcionários, porém pode causar frustação para os candidatos não eleitos e atritos entre áreas. No método de recrutamento externo, são captados talentos fora da empresa, através de diversas ferramentas, como anúncios em jornais, revistas, sites e rádios, agências de emprego, cartazes em locais relacionados à empresa e instituições escolares, canais de comunicação institucionais e indicações. É realizado eventualmente para busca de candidatos com nível mais básico, perfis muito específicos ou ainda para estágios e trainees. Tem como vantagens a renovação das equipes com a entrada de novos perfis e ideias, porém é desvantajoso principalmente por exigir mais tempo e investimento financeiro. Uma terceira classificação é o recrutamento misto que mescla características de ambos. Após feito o recrutamento dos candidatos, o trabalho de seleção de pessoas é feito por etapas, as quais podem incluir entrevistas, testes técnicos e psicológicos, dinâmicas de grupo, seleção por competência e todas e quaisquer metodologias específicas que os requisitos para o cargo requeiram. O responsável pelo processo de seleção de pessoas é um profissional da área de capital humano e deve responder e concluir o procedimento com a recomendação do candidato mais adequado à vaga, o perfil que através das ferramentas utilizadas, constatou-se ser o de maior CHA - conhecimento, habilidade e atitude - para a execução do trabalho. 4 CENÁRIO DO ESTUDO Para o presente estudo foram selecionadas através de sorteio três organizações representantes do segmento de comunicação e tecnologia e três empresas representantes do segmento industrial, todas presentes na cidade de Pelotas. A escolha dos setores tem por objetivo comparar os métodos de recrutamento utilizados na área de comunicação e tecnologia (grupo 1), onde tem-se uma maior tendência em utilizar recursos inovadores como redes sociais, pois estas  
  12. 12.   12   muitas vezes estão presentes nas estratégias de comunicação, serviços e produtos, e na esfera industrial (grupo 2) que tende a ser mais formal e utilizar métodos off-line por ter um modelo de negócio mais tradicional, com atuação mecânica, em série e verticalizada. Entre o grupo 1, está a agência digital AG2 Publicis Modem, cuja sede em Pelotas está localizada na Avenida Figueiredo Mascarenhas, 94, no Bairro Três Vendas. Seu negócio é voltado ao desenvolvimento de produtos digitais, abrangendo todas as áreas do universo online, desde sites e presenças em redes sociais, até campanhas, estratégias de mídia e SEO e aplicativos mobile. Também é contemplada a produtora Fixedby.us, especializada em produtos e soluções de tecnologia para plataformas web, mobile e desktop, produzindo através de diversas linguagens e modelos de programação. Está localizada na Rua Vereador Wolney Vieira, 40, bairro Centro. E ainda, entre as empresas de comunicação está a Agência Incomum, situada na Rua Gonçalves Chaves, 3542, no Centro de Pelotas. Seu modelo de trabalho é dividido por células de clientes, as quais atendem desde o público interno, canal até o consumidor final, com o desenvolvimento de produtos em publicidade, endomarketing e mídias sociais. No grupo 2, está presente a fábrica de bebidas Biri, que atua produzindo e vendendo aguardente de cana, refrigerantes e água mineral, atendendo Pelotas e região. A sede fica na Avenida Fernando Osório, 6518 no Bairro Três Vendas. Participa também a Josapar, indústria alimentícia de arroz, feijão e produtos à base de proteína de soja, sediada na BR 116 Km 512, nº 4001, na Vila Princesa. No seu portfólio estão as marcas Tio João, Meu Biju e Supra Soy, as quais são distribuídas para todo Brasil e exportadas para mais de 40 países. E por fim, participou do estudo a fábrica de biscoitos Zezé, que além de uma ampla produção de bolachas e cookies, oferece também linhas de macarrão, suco em pó e batata palha. Presente no mercado há 45 anos, a marca distribui para vários pontos do Rio Grande do Sul e alguns estados do Brasil e está localizada na Rua Rafael Mazza, 581, no Bairro Areal. 5 METODOLOGIA  
  13. 13.   13   A busca de informações para a análise foi feita através de abordagem qualitativa e teve por objetivo identificar quais os métodos utilizados no recrutamento externo de colaboradores. Quanto aos procedimentos técnicos, utilizou-se de um questionário misto, o qual tinha 12 perguntas, 10 fechadas e 2 abertas. A pesquisa foi elaborada por meio de um formulário online do Google e enviada por e-mail através do link http://goo.gl/WrC9um para os setores responsáveis de cada empresa. As respostas foram recebidas entre os dias 20/11 e 3/12 de 2013 e o questionário completo pode-se conferir a seguir. FIGURAS 2-3: Pesquisa realizada nas empresas Fonte de Pesquisa: Instrumentos do estudo  
  14. 14.   14   Ao concluir o preenchimento das questões, os respondentes se deparavam com uma tela de agradecimento e contato: FIGURA 4: Pesquisa realizada nas empresas Fonte de Pesquisa: Instrumentos do estudo A compilação e análise de dados foi feita entre os dias 4 a 8/12 e obteve-se como resultado as informações presentes na discussão dos resultados. 6 ANÁLISE E DISCUSSÃO DOS RESULTADOS Para uma melhor visualização dos dados, as empresas foram divididas em dois grupos, nos quais o grupo 1 representa as agências de comunicação e tecnologia e o grupo 2 as indústrias. Ao serem questionadas sobre a utilização de portais institucionais na internet, todas declararam possuir site. Além disso, outros recursos como blog e aplicativo foram citados por uma empresa do grupo 1. Quanto ao uso de mídias sociais, Facebook é utilizado por 100% das empresas; Twitter 66%, sendo que apenas uma instituição de cada grupo não o utiliza; Linkedin é adotado por 50%, todas do grupo 1; e entre Outros foram citadas Youtube e Instagram por 33% das organizações. Quanto a frequência de atualização dos canais sociais, observa-se uma constância nos resultados, conforme gráficos a seguir. Gráfico 1 - Com que frequência os canais em mídias sociais da empresa são atualizados?    
  15. 15.   15   Diariamente   33,33%   33,33%   Semanalmente   Esporadicamente   33,33%   Fonte de Pesquisa: Respostas obtidas pelo grupo 1 Gráfico 2 - Com que frequência os canais em mídias sociais da empresa são atualizados?   33,33%   66,66%   Diariamente   Semanalmente   Fonte de Pesquisa: Respostas obtidas pelo grupo 2 Em relação à utilização dos perfis em mídias sociais como forma de captar talentos, as empresas do grupo 1 responderam com unanimidade que os utilizam através de posts de anúncios de vaga, sendo que uma delas acrescentou a abordagem direta de profissionais, enquanto as indústrias do grupo 2 declararam não utilizar tais métodos. A partir do momento em que os candidatos estão selecionados, apenas uma empresa do grupo 2 diz não buscar os respectivos perfis em redes sociais, já as outras instituições o fazem, mas com o intuito de curiosidade. Quanto à eficácia das mídias sociais na hora de recrutar colaboradores, as representantes do grupo 1 responderam e justificaram de acordo com a tabela a seguir, mostrando-se abertas a este tipo de recurso. Tabela 1 – Eficácia de mídias sociais  
  16. 16.   16   Em uma escala de 1 a 5, em que Empresa 1 representa nada eficaz e 5 Justifique. muito eficaz, a empresa considera mídias sociais meios eficientes para o recrutamento e a seleção de colaboradores? As Mídias Sociais ajuda muito no processo seletivo, pois os AG2 Publicis Modem 5 candidatos estão sempre conectados nas Mídias . É a forma mais rápida de captar profissionais. Utilizar as mídias sociais para recrutamento é importante pela maior Fixedby.us 4 rapidez e praticidade na divulgação de vagas e contato com os candidatos. Trabalhamos, basicamente, com alunos formandos ou profissionais com pouco tempo de mercado. Por sermos uma empresa, Incomum 5 razoavelmente, conhecida no meio é natural que a disponibilidade de vagas se dissemine com rapidez dentro da nossa rede. Fonte de pesquisa: Pesquisa realizada nas empresas  
  17. 17.   17   Enquanto o grupo 2, respondeu conforme a tabela 2, já menos adepto à utilização de mídias sociais para fins de contratação. Tabela 2 – Eficácia de mídias sociais Em uma escala de 1 a 5, em que 1 representa nada eficaz e 5 muito eficaz, a Empresa empresa considera mídias Justifique. sociais meios eficientes para o recrutamento e a seleção de colaboradores? Acreditamos que as redes sociais funcionam como uma ferramenta bastante eficaz no processo de seleção e recrutamento. Elas proporcionam o contato Josapar 1 direto com o perfil de cada pessoa. Assim temos acesso a informações que vão além do perfil profissional, mas que influenciam diretamente na personalidade do possível selecionado. Danby 1 Realizamos avaliação com profissional da área. Geralmente os funcionários para a produção têm baixa Biri 2 escolaridade e fazem parte de população de pouca renda. Fonte de pesquisa: Pesquisa realizada nas empresas  
  18. 18.   18   Ao questionar sobre a escolha de recursos mais tradicionais de recrutamento, percebe-se que indicações são primordiais ao requerer novos colaboradores, sendo considerada por 100% das empresas pesquisadas. Cartazes também são comumente adotados nas áreas de comunicação e tecnologia, enquanto nas indústrias, anúncios de jornal e no Sine são preferência, como se pode a ver detalhadamente nos gráficos abaixo. Gráfico 3 - Sem considerar mídias sociais, quais outras principais formas de recrutamento externo de candidatos?   Fonte de Pesquisa: Respostas obtidas pelo grupo 1 Gráfico 4 - Sem considerar mídias sociais, quais outras principais formas de recrutamento externo de candidatos?   Fonte de Pesquisa: Respostas obtidas pelo grupo 2 Considerando a eficiência de métodos de seleção mais tradicionais, pode-se perceber uma semelhança entre as empresas dos grupos, porém estes distintos entre si. O grupo 1 se mostrou mais direcionado a estes meios, principalmente indicações e cartazes, por serem mais assertivos na busca de candidatos.  
  19. 19.   19   Tabela 3 – Eficácia de métodos tradicionais Em uma escala de 1 a 5, Empresa em que 1 representa nada Justifique. eficaz e 5 muito eficaz, as ferramentas citadas anteriormente meios eficientes para o recrutamento e a seleção de colaboradores? Sim, pois temos que utilizar todas as ferramentas que temos para captação de AG2 Publicis 5 Modem talentos. Reforço que a indicação é a mais forte, mas aplicamos todas as outras citadas. As indicações e o uso de cartazes em instituições de ensino são formas de Fixedby.us 4 recrutamento que funcionam principalmente nos casos em que se busca perfis técnicos específicos ou escassos. Nosso mercado é limitado na oferta de profissionais. Existem poucas empresas no segmento e é natural que as pessoas se conheçam. Nas Incomum 5 Universidades que são fontes de candidatos  
  20. 20.   20   também utilizamos cartazes para sensibilizar aqueles que talvez ainda não estejam no mercado ou na nossa rede de relacionamentos. Fonte de pesquisa: Pesquisa realizada nas empresas Já o grupo 2, demonstrou certa dificuldade com alguns meios, devido o retorno ser mais demorado, mas ainda assim indicações torna-se o método de maior resultado na procura por novos colaboradores. Tabela 4 – Eficácia de métodos tradicionais Em uma escala de 1 a 5, em que 1 representa nada eficaz e 5 muito eficaz, as Empresa ferramentas citadas Justifique. anteriormente meios eficientes para o recrutamento e a seleção de colaboradores? Nem sempre obtemos o Josapar 3 retorno imediato, o que dificulta o processo. Recrutamento e seleção é Danby 4 realizado por profissional da área. Geralmente indicações funcionam muito bem por Biri 3 apresentarem pessoas que já tem alguma ligação com a empresa e o seu funcionamento. Fonte de pesquisa: Pesquisa realizada nas empresas  
  21. 21.   21   Os resultados da pesquisa mostram que apesar de mídias sociais já fazerem parte das estratégias de comunicação das marcas, ainda não são utilizadas efetivamente como recurso no recrutamento e seleção de pessoas. Apesar de terem presenças estabelecidas no Linkedin, por exemplo, que é uma mídia social própria para este tipo de abordagem, na maioria dos casos os canais sociais são apenas plataformas de divulgação de vagas. Outro comportamento identificado é o fato de o perfil de um candidato não ser avaliado no processo de seleção, sendo descartado como fator classificatório em ambos grupos de empresas. Vale ainda destacar que por estarem mais inseridas no ambiente online, empresas de comunicação se mostram mais propícias a utilizarem mídias sociais como métodos de recrutamento, porém tão importantes quanto, são cartazes em instituições de ensino e indicações. O grupo das indústrias também se mostrou aberto a utilização destes meios, porém tem dificuldades em encontrar o público alvo em tais ferramentas e deixam para profissionais especializados a tarefa de recrutar e selecionar colaboradores. Quanto à eficácia dos métodos, indicações se mostram a forma mais confiável e de retorno mais efetivo, sendo utilizada por todas as empresas pesquisadas. Resultado que mostra o quão é importante estabelecer e manter uma rede de contatos profissionais, e que por mais que recursos tecnológicos possam ajudar, o fator humano exerce um papel essencial na tomada de decisão das pessoas. 7 CONSIDERAÇÕES FINAIS Retomando os objetivos iniciais da pesquisa, conclui-se que as metas foram cumpridas e pôde-se conhecer melhor os métodos utilizados por empresas no recrutamento e seleção de pessoas, entender sua eficácia e ainda identificar possíveis usos de redes sociais. Constatou-se que por mais imersos que estejamos na tecnologia e no ambiente online e as empresas com suas estratégias de comunicação digital cada  
  22. 22.   22   vez mais desenvolvidas, sites de redes sociais ainda são restritos às presenças institucionais das marcas, estando pouco presentes no processo de contratação de novos colabores. Como oportunidade de atuação de uma forma geral, sugere-se que as áreas de Recursos Humanos e Comunicação/Marketing das empresas trabalhem de forma mais integrada para que recursos como mídias sociais sejam melhor aproveitados, vide o Linkedin por exemplo. Quanto a área industrial especificamente, foi possível identificar que há uma certa dificuldade em encontrar os perfis necessários em redes sociais, mas que ainda assim são ferramentas importantes, pois proporcionam contato próximo e imediato com as pessoas. Uma recomendação é manter o relacionamento com o público nos canais e traçar estratégias de abordagem e captação de talentos, pois mesmo que o público específico para uma determinada área não esteja presente na rede, é provável que alguém de seu círculo esteja e consequentemente alcançará muitas pessoas. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS ARAUJO, Luis César G, GARCIA, Adriana Amadeu. Gestão de Pessoas: Estratégias e integração organizacional. 2a ed. São Paulo: Atlas, 2009. CHIAVENATO, Idalberto. Recursos Humanos – O Capital Humano das a Organizações. 9 ed. São Paulo: Editora Elsevier – Campus, 2009. FREITAS, Alex Viegas de. Práticas de Recrutamento e Seleção. Disponível em http://www.administradores.com.br/artigos/carreira/praticas-de-recrutamento-eselecao/46587/ - Acesso em 14/12/2013. FRIEDMAN, Thomas. O Mundo é Plano: Uma Breve História do Século XXI. Portugal: Objetiva, 2005. MILGRAM, Stanley. The Small World Problem, Psychology Today, 1967, Vol. 2, 60– 67 MILKOVICH, George T. Administração de Recursos Humanos. 1a ed. São Paulo: Atlas, 2006.  
  23. 23.   23   RECUERO, Raquel. Redes Sociais na Internet. Porto Alegre: Sulina, 2009. _______. As Redes Sociais na Internet e a Conversação em Rede. Disponível em http://www.raquelrecuero.com/ciseco.pdf - Acesso em 09/09/2013. ADAMS, Susan. Linkedin Still Rules As The Top Job Search Technology Tool Survey Says. Disponível em http://www.forbes.com/sites/susanadams/2013/08/12/linkedin-still-rules-as-the-topjob-search-technology-tool-survey-says/ - Acesso em 20/11/2013. CHANNEL, Discovery. A história do Facebook por, disponível em http://www.youtube.com/watch?v=2d4budDQhNM, acesso em 20/11/2013. BLOG AGÊNCIA GANCHO - http://agenciagancho.com.br/blog/2010/as-midiassociais-dentro-do-mundo-plano-de-thomas-friedman/ - Acesso em 09/09/2013 BLOG AGÊNCIA LINEA - http://blog.agencialinea.com.br/wp- content/uploads/2013/08/midia-online-no-brasil.jpg - Acesso em 30/11/2013 SITE SOCIALBAKERS - http://www.socialbakers.com/facebook-statistics/ - Acesso em 20/11/2013. _______. http://www.socialbakers.com/linkedin-statistics/ - Acesso em 08/12/2013. SITE G1 - http://g1.globo.com/tecnologia/noticia/2012/10/facebook-atinge-1-bilhaode-usuarios-ativos-mensais.html - Acesso em 20/11/2013. Site G1 - http://g1.globo.com/tecnologia/fatos-twitter/platb/ - Acesso em 01/12/2013. ARQUIVO SXSW - http://gawker.com/243634/twitter-blows-up-at-sxsw-conference Acesso em 01/12/2013. _______. http://blog.podbop.org/archives/2007/03/10/sxsw_cool_tools_twitter/ - Acesso em 01/12/2013. SITE O GLOBO - http://oglobo.globo.com/infograficos/twitter-ipo/ - Acesso em 01/12/2013  
  24. 24.   SITE 24   REVISTA PROXXIMA - http://www.proxxima.com.br/proxxima/redes_sociais/noticia/2012/09/03/Twitterregistra-queda-em-acessos-no-Brasil.html - Acesso em 01/12/2013 SITE TEC MUNDO - http://www.tecmundo.com.br/rede-social/3667-a-historia-dotwitter.htm - Acesso em 01/12/2013. SITE LINKEDIN - http://ourstory.linkedin.com/ - Acesso em 08/12/2013. _______. http://blog.linkedin.com/2013/01/09/linkedin-200-million/ - Acesso em 08/12/2013. SITE SLIDESHARE - http://www.slideshare.net/kinharangel/recrutamento-e-seleode-pessoas - Acesso em 14/12/2013.  

×