Agentes quimicos parte_1

54,802 views
54,283 views

Published on

2 Comments
11 Likes
Statistics
Notes
No Downloads
Views
Total views
54,802
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
2
Actions
Shares
0
Downloads
1,024
Comments
2
Likes
11
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Agentes quimicos parte_1

  1. 1. Agentes químicos
  2. 2. AGENTES QUÍMICOS• É o perigo a que determinado indivíduo está exposto ao manipular produtos químicos que podem causar-lhe danos físicos ou prejudicar - lhe a saúde.• Os riscos químicos presentes nos locais de trabalho são encontrados na forma sólida, líquida e gasosa.
  3. 3. HISTÓRICOHipócrates (370 a.C)• Descreve as primeiras doenças ocupacionais (intoxicações por chumbo), escreve o livro Ares, Água e Lugares, relacionado o meio ambiente e a saúde.
  4. 4. HISTÓRICO• Galeno 129 – 199 d.C• - doenças presentes em trabalhadores das minas.• Plinius Secundus 23 – 79 a.C (Plínio, o Velho)• - os fundidores envolviam as faces com bexigas de animais, para não inalar as poeiras fatais.
  5. 5. CLASSIFICAÇÃO dos AGENTES QUÍMICOS• Agentes químicos podem ser classificados de acordo com:• 1. Forma física :• Poeiras• Fumos• Gases e vapores• Neblinas/ névoas
  6. 6. AGENTES QUÍMICOS• Poeiras, fumos, névoas, gases e vapores estão dispersos no ar e são chamados AERODISPERSÓIDES.Aerodispersóides diferem quanto:- tamanho das partículas e do seu- estado e forma de origem.• Se dividem em:a) Gases/Vaporesb) Líquidos: nevoas e neblinac) Sólidos: poeiras e fumos
  7. 7. AERODISPERSÓIDES • Irritantes Gases e •Asfixiantes• Vapores • AnestésicosSão divididos • Nevoas• Em: Líquidos • Neblina •Minerais • Poeiras •Vegetais •Alcalinas Sólidos • Fumos
  8. 8. GASES e VAPORES• VAPORES  fase gasosa de uma substância que nas Condições Normais de Temperatura e Pressão é sólida ou líquida  vapor de gasolina, de álcool, benzeno, etc.• GASES substâncias que nas CNTP (Condições Normais de Temperatura e Pressão) estão no estado gasoso como: metano, monóxido de carbono.
  9. 9. GASES E VAPORES: classificação a) Irritantes: irritação das vias aéreas superiores.• Ex: ácido clorídrico, ácido sulfúrico, soda caústica, cloro, etc.• b) Asfixiantes: dor de cabeça , náuseas, sonolência, convulsões, coma e morte. Ex: hidrogênio, nitrogênio, hélio, metano, acetileno, dióxido decarbono, monóxido de carbono, etc• c) Anestésicos:  ação depressiva sobre o sistema nervoso, danos aos diversos órgãos, ao sistema formador de sangue (benzeno), etc.  maioria solventes orgânicos.• Ex: butano, propano, aldeídos, cetonas, cloreto de carbono, tricloroetileno, benzeno, tolueno, álcoois, percloroetileno.
  10. 10. IRRITANTESSegundo a solubilidade em água se classificam em:1.1.Gases altamente solúveis:  amônia e cloro, que são bemadsorvidos pelo trato respiratório superior e rapidamente produzem efeitos nasmembranas mucosas dos olhos, nariz e garganta.1.2.Gases menos solúveis  fosgênio e dióxido de nitrogênio,são lentamente adsorvidos pelo trato respiratório superior e podem atingir otrato respiratório inferior, onde sua toxicidade será exercida. Efeitos tóxicos POR INALAÇÃO ( maior exposição):• cefaléia, conjuntivite, rinite, faringite, laringite, secura e insensibilidade nasal, hemorragia, edema de glote, edema laríngeo, pneumonite, bronquite, taquipnéia, sibilos, tosse, infiltrado pulmonar e síndrome disfuncional reativa das vias aéreas.Efeitos tóxicos por exposição CUTÂNEA  eritema e queimadura
  11. 11. IRRITANTES• Segundo sua ação irritante:• 1.1.IRRITANTES PRIMÁRIOS = substâncias que concentram sua ação irritante ao organismo e que têm ação:• sobre as vias respiratórias superiores  substâncias de alta solubilidade em água, (ex. ácido sulfúrico ,amônia e soda cáustica);• - sobre os brônquios  substâncias com moderada solubilidade em água que, quando inaladas, penetram mais profundamente no sistema respiratório (ex.: anidrido sulfuroso e cloro);• - ação sobre os pulmões  substâncias que apresentam baixa solubilidade em água, alcançando os alvéolos pulmonares (ex.: ozônio, óxidos nitrosos e fosgênio).
  12. 12. IRRITANTES• 1.2.IRRITANTES SECUNDÁRIOS= substâncias que, apesar de possuírem efeito irritante, têm uma ação tóxica generalizada sobre o organismo (ex.: gás sulfídrico).
  13. 13. ASFIXIANTESMONÓXIDO DE CARBONO• gás combustível, derivado do petróleo, incolor, inodoro e altamente inflamável USOS• motores a explosão e da indústria siderúrgica.• queimadores de gás sujos ou defeituosos.• motores de carros ( principais poluentes do ar atmosférico ).
  14. 14. ASFIXIANTES QUÍMICOSIntoxicações agudas leves e moderadas: mal-estar, cefaléia,fadiga, dispnéia leve, náusea, vômitos, fraqueza, distúrbios visuais e irritabilidade. Sinaisagudos que podem ser encontrados: taquipnéia, taquicardia, hipotensão. vertigens,astenia, dificuldade de concentração, diminuição da tolerância ao exercício físico, febrebaixa e hipotensão sistólica. Raramente podem ocorrer convulsões ou perdas deconsciência, geralmente de curta duraçãoIntoxicações leves e moderadas crônicas podem ocorrerdistúrbios psiquiátricos, mudanças de personalidade, apatia, apraxia, desorientação,rigidez muscular, incontinências urinária e fecal, e coma.10% dos pacientes recuperados de intoxicações moderadas e graves apresentamalguma sequela neurológica, entre as quais já foram relatados parkinsonismo, estadovegetativo persistente,, apraxia, alterações visuais, estados confabulatórios, amnésia epsicose.Intoxicações graves :síncope, convulsões, rigidez muscular generalizada,coma e morte por choque e insuficiência respiratória. Podem também ocasionarhemorragias na retina e edema pulmonar..Os níveis ambientais de monóxido de carbono estão diretamente relacionados àconcentração de carboxihemoglobina (COHb) e aos efeitos clínicos.
  15. 15. ASFIXIANTES QUÍMICOSMONÓXIDO de CARBONODuas síndromes tardias são descritas após a exposição aguda aomonóxido de carbono.• “REBOTE”, ocorre uma a duas semanas após o evento agudo, com aparecimento de sintomas parecidos com os da fase aguda, sem que haja nova exposição ao gás.• Podem aparecer cefaléia, náuseas, vômitos, confusão mental e amnésia.• SINDROMES NEUROLÓGICAS ou PSIQUIÁTRICAS: aparecimento tardio , como demência, parkinsonismo, movimentos coreiformes, zumbido, incontinência urinária e fecal, alucinações, labilidade emocional, etc.
  16. 16. ASFIXIANTES QUÍMICOS• 2.Cianeto de hidrogênio ou gás cianídrico  muito volátil, chegando a concentrações potencialmente letais, à temperatura ambiente. O vapor é inflamável e potencialmente explosivo.•• Tem um tênue odor de amêndoas amargas.• Limite de exposição máximo permissível (média para 8h de trabalho) da é de 10 ppm.
  17. 17. ASFIXIANTES QUÍMICOSUSOS do CIANETO• - fontes industriais de cianeto• - atividades de galvanoplastia,• - extração de ouro e prata,• - têmpera de metais,• - processos fotográficos,• - produção de acrilonitrila, acetonitrila e gliconitrila,• - fabricação de pesticidas e fumigantes
  18. 18. ASFIXIANTES QUÍMICOSEFEITOS CLÍNICOS hipóxia celular por inibição da atividade da citocromo oxidase mitocondrial; impede a extração e uso do oxigênio do sangue arterial. inibição dometabolismo oxidativoA citocromo oxidase é uma metaloenzima contendo ferro, que constitui umelemento importante da fosforilação oxidativa e, conseqüentemente, daprodução de energia aeróbica celular. Sua função na cadeia transportadora deelétrons na mitocôndria leva à produção de uma molécula altamenteenergética, o trifosfato de adenosina ou ATP  cianeto se combina com o íonférrico da citocromo oxidase mitocondrial, prevenindo o transporte de elétronno sistema citocromo e causando uma interrupção da fosforilação oxidativa eda produção de ATP.Esta inibição do metabolismo oxidativo provoca um aumento da glicóliseanaeróbica que produz ácido lático e leva a distúrbios ácido-base severos.O sistema nervoso central é particularmente sensível aos efeitos tóxicos docianeto cujos sintomas se manifestam, em geral, em um curto período detempo.
  19. 19. ASFIXIANTES QUÍMICOSINTOXICAÇÃO AGUDA : cianeto Ocular: midríase, edema de córnea, conjuntivite e ceratite. - Nasal: irritação, rinorréia, sangramento. - Cardiovascular: hipertensão e taquicardia, seguidos de hipotensão ebradicardia, cianose e arritmias. - Respiratório: irritação das vias aéreas, desconforto, dispnéia, depressãorespiratória e edema pulmonar não cardiogênico, - Neurológico: cefaléia, fraqueza, síncope, estimulação do sistema nervosocentral, tonteira, alucinação, convulsão e coma. Síndrome extrapiramidal,alterações de personalidade, déficit de memória têm sido reportados comosequelas. - Gastrintestinal: náuseas, vômitos e dor abdominal. Pode ocorrer oaparecimento de uma úlcera gástrica. - Acidose metabólica severa. - Dermatológico: pápulas, eritema extenso, prurido, irritação e ulcera.
  20. 20. ASFIXIANTES QUÍMICOS• ESPOSIÇÃO CRÔNICA DO CIANETO• - perda auditiva,• - irritação de pele e mucosas,• - náuseas, vômito,• - cefaléia, vertigem• - desconforto torácico,• - palpitação,• - irritação ocular e respiratória,• - diminuição do apetite,• - perda de peso,• - sonolência e efeitos neurotóxicos.• Não há evidências de carcinogenicidade
  21. 21. ANESTÉSICOS– 1.Anestésico primário: são aquelas substâncias que não produzem outro efeito além da anestesia, mesmo que o trabalhador seja submetido a exposições repetidas, em baixas concentrações (ex.: aldeídos, cetonas, ésteres e os hidrocarbonetos alifáticos – butano, propano, eteno e outros).– 2.Anestésico de efeitos sobre as vísceras: são aquelas substâncias que podem acarretar danos ao fígado e aos rins dos trabalhadores expostos (hidrocarbonetos clorados – tricloroetileno, tetracloreto de carbono e percloroetileno).
  22. 22. ANESTÉSICOS– 3.Anestésico de ação sobre o sistema formador do sangue: são substâncias que se acumulam, preferencialmente, nos tecidos graxos, medula óssea e sistema nervoso (ex.: benzeno, tolueno e xileno).– 4.Anestésico de ação sobre o sistema nervoso: são substâncias que, devido à sua alta solubilidade em água, apresentam eliminação lenta pelo organismo; daí, a sua manifestação mais acentuada no sistema nervoso (ex.: álcool etílico e metílico).– 5.Anestésico de ação sobre o sangue e o sistema circulatório: são substâncias, em especial aquelas pertencentes ao grupo dos nitrocompostos de carbono, que, em decorrência de sua utilização industrial, podem ocasionar alteração na hemoglobina do sangue (ex.: nitrotolueno, nitrito de etila, nitrobenzeno e anilina).
  23. 23. LÍQUIDOS • Neblinas /NévoasPartículas líquidas produzidas por condensação de vapores desubstâncias em condições normais ou da dispersão mecânica de líquidos.NEBLINAS (MIST) ou NÉVOAS = Suspensão gasosa de pequenasgotas de líquido geradas por condensação de um estado gasosoou pela desintegração de um estado líquido por atomização,ebulição, etc. o seu tamanho varia entreo 0,001 µm e 10 µm• Partículas em suspensão derivadas de : pintura• por pistola, spray, processo de lubrificação,• monóxido de carbono liberado pelos escapamentos dos carros.
  24. 24. SÓLIDOS • POEIRAS•• POEIRAS (DUST) = Suspensão no ar de partículas sólidas de pequeno tamanho provenientes de processos mecânicos de desagregação ou ruptura: tamanho varia entre 0,1 µm a 25 µm. esmerilhamento, trituração.• São classificadas em:a) Poeiras minerais Ex: sílica, asbesto, carvão mineral. Consequências: silicose (quartzo ou silica), asbestose (amianto), pneumoconiose dos mineiros ( carvão mineral)
  25. 25. SÓLIDOS• b) Poeiras vegetais: Ex: algodão, bagaço de cana-de-açúcar. Consequências:• bissinose (algodão), bagaçose (cana-de-açúcar) etc.•• c) Poeiras alcalinas: Ex: calcário Consequências: doenças pulmonares obstrutivas crônicas, enfisema pulmonar.
  26. 26. SÓLIDOS FUMOS• FUMOS (SMOKE) = partículas sólidas suspensas no ar geradas pelo processo de condensação de vapores metálicos• como: chumbo, antimônio, manganês, ferro, etc tamanho é inferior a 0,1 µm• Ex: fumos de óxido de zinco nas operações• de soldagem com ferro. Consequências: doença pulmonar obstrutiva, febre de fumos metálicos, intoxicação específica de acordo com o metal.
  27. 27. AGENTES QUÍMICOS• 2. NATUREZA QUÍMICA 2.1. METAIS e METALÓIDES chumbo, mercúrio, manganês, cádmio e os metaloides, como o arsênico e o fósforo. 2.2.Solventes AROMÁTICOS amplamente utilizados nas industrias plásticas de borracha, química e petroquímica benzeno, o tolueno e o xileno.• Todos causam, mediante exposição maciça ( grandes quantidades), sonolência, torpor, coma, podendo causar a morte por parada respiratória, pois são narcóticos.
  28. 28. Metais De onde vem Efeitos Produção de artefatos de alumínio; serralheria; soldagem de medicamentos Anemia por deficiência deAlumínio (antiácidos) e tratamento convencional ferro; intoxicação crônica de água. Metalurgia; manufatura de vidros eArsênio Câncer (seios paranasais) fundição. Câncer de pulmões eCádmio Soldas; tabaco; baterias e pilhas. próstata; lesão nos rins Saturnismo (cólicas Fabricação e reciclagem de baterias de abdominais, tremores,Chumbo autos; indústria de tintas; pintura em fraqueza muscular, lesão cerâmica; soldagem. renal e cerebral) Fibrose pulmonar Preparo de ferramentas de corte eCobalto (endurecimento do pulmão) furadoras. que pode levar à morte
  29. 29. AGENTES QUÍMICOS• 2.3. Solventes HALOGENADOS • Uso industrial• - principalmente no desengraxamento de peças em metalúrgicas;• - solventes de tintas e vernizes,• - em pesticidas,• - nas lavagens a seco em tinturarias, etc.Exemplos : tetracloreto de carbono, o tricloroetileno, o tetracloroetileno, otricloroetano, etc. Exposição maior, também podem causar sonolência, torpor e até a morte,se a dose absorvida for muito alta ( efeito anestésico geral ).2.4. POEIRAS MINERAIS de graves doenças pulmonares crônicas,denominadas pneumoconioses silicose e a asbestose e antracose.
  30. 30. AGENTES QUÍMICOS• 2.5.ÓLEOS GRAXOS contato prolongado com óleos e graxas causa uma lesão de pele ELAICONIOSE = a pele apresenta vários pequenos pontos com pus e perda de pêlos nas regiões afetadas, em geral coxas e os antebraços.• Acomete frequentemente os trabalhadores mecânicos e metalúrgicos• Tratamento prolongado, exigindo longos afastamentos do trabalho para a cura completa.• Medidas preventivas :• higiene corporal após o trabalho• uso de avental de plástico que impeça o borrifo de óleo nas roupas do trabalhador.
  31. 31. AGENTES QUÍMICOS• 3. Tipo de ação tóxica ( FUNDACENTRO)• Grupo I - Substâncias de ação generalizada sobre o organismo cujos efeitos, no organismo dos trabalhadores, dependem da quantidade de substâncias absorvidas (ex.: cloro, chumbo, dióxido de carbono, monóxido de carbono e nitroetano).• Grupo II - Substância de ação generalizada sobre o organismo, podendo ser absorvida, também por via cutânea e inaladas por via respiratória.ex.: anilina, benzeno, bromofórmio, fenol, percloretileno, tetracloreto de carbono e tolueno.
  32. 32. AGENTES QUÍMICOS• Grupo III - Substâncias de efeito extremamente rápido e os limites máximos de tolerância não podem ser ultrapassados, em momento algum durante a jornada de trabalho (ex.: ácido clorídrico, dióxido de enxofre e formaldeído).• Grupo IV - Substâncias de efeitos extremamente rápidos, podendo ser absorvidas, também por via cutânea: álcool n- butílico, m-butilamonia, mono- etil - hidrazina e sulfato de dimetila, cujos limites de tolerância não podem ser ultrapassados em nenhum momento da jornada de trabalho e exige equipamento de proteção individual
  33. 33. AGENTES QUÍMICOS• Grupo V - Asfixiantes simples: são representados por alguns gases em altas concentrações no ar, atuam no sentido de deslocar o oxigênio do ar, sem provocar efeitos fisiológicos importantes. Ex.: acetileno, argônio, hélio, hidrogênio, metano).• Grupo VI - Poeiras: são substâncias químicas sólidas provenientes da segregação mecânica das substâncias no estado sólido; podem ser altamente nocivas, dependendo da sua dimensão, podendo causar pneumoconioses .• Grupo VII - Substâncias cancerígenas: ex.: cloreto de vinila, asbestos, benzidina, beta-naftalina, 4 nitrodifenil, 4-aminodifenil e, benzeno
  34. 34. RISCOS QUÍMICOS EM CASAAs principais vítimas costumam ser as crianças, pessoas com problemas visuais, mentais, senilidade ou analfabetas, por isso tenha os maiores cuidados!- várias espécies de plantas, muitas delas ornamentais
  35. 35. RISCOS QUÍMICOS EM CASA- produtos de limpeza para a casa e/ou carro e/ou moto (detergentes, sabão em pó, lustra-móveis, desinfetantes, alvejante, solventes, aromatizantes, etc.)- inseticidas (em aerossol, concentrado, em pó, iscas para formigas ou baratas, etc.)- raticidas, colas, produtos para desentupir pias, vasos sanitários, medicamentos
  36. 36. PANORAMA ATUAL33 998 351 Substâncias orgânicas e inorgânicas (CAS*:5/2008) 100000 Substâncias primarias• 4000 Conhecidas toxicologicamente• 2000 Suspeitas de carcinogenicidade 70 Carcinogênicas para humanos• 1600 Ensaios de efeitos teratogênico e fetotóxico• 800 Teratogênicas para animais• 50 Teratogênicas para humanos• 1300 Frequentemente associadas com acidentes• 260 mil uso industrial regulado• *Chemical Abstract System – American Chemical Society

×