O PRÉ-MODERNISMO NO BRASL
Localização:   Não constitui uma escola literária, mas um período de transição para o Modernismo. Realismo Naturalismo Par...
No geral, o  Pré-Modernismo  é uma literatura de  Crítica Social . Uma Radiografia Crítica do Brasil Mostra o Brasil real,...
Que Brasil é este?   É o Brasil desigual... Rural  Urbano civilizado politizado refinado Anacrônico Brutalizado Fanatizado...
O Brasil Caipira anacrônico inerme analfabeto Tema de Monteiro Lobato obtuso Urupês (Jeca Tatu) Cidades Mortas Pré-Moderni...
O Brasil da Marginalização Urbana O negro O funcionário público Os alcoólatras Pré-Modernismo Lima Barreto Subúrbio
CONTEXTUALIZAÇÃO HISTÓRICA <ul><li>Substituição da “República da espada” (governos Marechal Deodoro e do Marechal Floriano...
<ul><li>Surto da urbanização de São Paulo; </li></ul>
<ul><li>Revolta de Canudos, na Bahia; </li></ul>Tempo do cangaço no sertão, com a figura lendária de LAMPIÃO;
<ul><li>Conflitos no Ceará, que tiveram como figura central o padre Cícero; </li></ul>
Em 1934 morria em Juazeiro do Norte um &quot;messias&quot;, também perseguido pela Igreja Católica, porém, ao contrário de...
Revolta da Chibata, liderada por João Cândido, o “Almirante Negro”;
<ul><ul><li>As classes trabalhadoras, lideradas por anarquistas, iniciavam movimentos grevistas em São Paulo.  </li></ul><...
Cinco dias após a aprovação da lei, é criada a Liga Contra a Vacinação Obrigatória. O medo de morrer por causa da vacina n...
MANIFESTAÇÕES ARTÍSTICAS <ul><li>O ESTILO ART NOUVEAU (ARTE NOVA), EMPREGADO POR MUITOS ESTUDIOSOS, É UMA REAÇÃO À IMITAÇÃ...
 
<ul><li>ALBERTO NEPOMUCENO INTRODUZ OS MODERNOS COMPOSITORES ERUDITOS EUROPEUS NO BRASIL </li></ul>
 
<ul><li>A MÚSICA POPULAR (MAXIXE, MODINHA E TOADA) COMEÇA A SER OUVIDA NOS SALÕES ELEGANTES </li></ul>O mais importante ce...
<ul><li>O CARNAVAL COMEÇA A SE FIRMAR COMO A PRINCIPAL FESTA POPULAR DO RIO DE JANEIRO  </li></ul>
<ul><li>“ Ó ABRE ALAS  </li></ul><ul><li>QUE EU QUERO PASSAR </li></ul><ul><li>Ó ABRE ALAS </li></ul><ul><li>QUE EU QUERO ...
 
CARACTERÍSTICAS DO PRÉ-MODERNISMO <ul><li>RUPTURA COM O PASSADO </li></ul><ul><li>DENÚNCIA DA REALIDADE BRASILEIRA </li></...
PRINCIPAIS OBRAS E REPRESENTANTES <ul><li>OS SERTÕES , de Euclides da Cunha (relato sobre a Guerra de Canudos)  </li></ul>...
Igreja do Bom Jesus ou Nova, arrasada pela artilharia expedicionária. Como trincheira, cairá somente dias antes do término...
O Conselheiro exumado após 13 dias do sepultamento.
CIDADES MORTAS e URUPÊS, DE MONTEIRO LOBATO  <ul><li>PASSAGEM DO CAFÉ PELO VALE DO PARAÍBA PAULISTA. </li></ul><ul><li>LIN...
 
 
TRISTE FIM DE POLICARPO QUARESMA, DE LIMA BARRETO <ul><li>RETRATO DO GOVERNO DE FLORIANO PEIXOTO E DA REVOLTA DA ARMADA </...
 
EU , de AUGUSTO DOS ANJOS <ul><li>Linguagem cientificista-naturalista </li></ul><ul><li>Emprego de palavras não-poéticas <...
<ul><li>A esperança </li></ul><ul><li>A Esperança não murcha, ela não cansa,  Também como ela não sucumbe a Crença.  Vão-s...
<ul><li>Hino à dor </li></ul><ul><li>  </li></ul><ul><li>Dor, saúde dos seres que se fanam, </li></ul><ul><li>Riqueza da a...
Versos  Íntimos   Vês! Ninguém assistiu ao formidável Enterro de tua última quimera. Somente a Ingratidão – esta pantera –...
Psicologia de um vencido Eu, filho do carbono e do amoníaco, Monstro de escuridão e rutilância, Sofro, desde a epigênesis ...
FONTES <ul><li>PEREIRA & PELACHIN, Helena Bonito e  Marcia Maisa. Português Na trama do  texto. Ensino Médio. Ed. FTD </li...
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

O Pre Modernismo No Brasl

34,838

Published on

Aula sobre o Pré-Modernismo direcionada ao ensino médio e pré-vestibular

Published in: Education, Travel, Business
0 Comments
15 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total Views
34,838
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
3
Actions
Shares
0
Downloads
1,112
Comments
0
Likes
15
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Transcript of "O Pre Modernismo No Brasl"

  1. 1. O PRÉ-MODERNISMO NO BRASL
  2. 2. Localização: Não constitui uma escola literária, mas um período de transição para o Modernismo. Realismo Naturalismo Parnasianismo Simbolismo Pré- Modernismo 1902 Os Sertões Canaã 1922 Semana de Arte Moderna Modernismo Vanguardas Européias Pré-Modernismo
  3. 3. No geral, o Pré-Modernismo é uma literatura de Crítica Social . Uma Radiografia Crítica do Brasil Mostra o Brasil real, com seus Conflitos Político-Sociais . Desmistifica o romantismo e seu Nacionalismo Ufanista . Portanto, um Nacionalismo Crítico-Amargo . “ Precisamos descobrir o Brasil! Escondido atrás das florestas, Com a água dos rios no meio, O Brasil está domindo, coitado!” Carlos Drummond de Andrade Pré-Modernismo
  4. 4. Que Brasil é este? É o Brasil desigual... Rural Urbano civilizado politizado refinado Anacrônico Brutalizado Fanatizado Tema de Euclides da Cunha Pré-Modernismo
  5. 5. O Brasil Caipira anacrônico inerme analfabeto Tema de Monteiro Lobato obtuso Urupês (Jeca Tatu) Cidades Mortas Pré-Modernismo
  6. 6. O Brasil da Marginalização Urbana O negro O funcionário público Os alcoólatras Pré-Modernismo Lima Barreto Subúrbio
  7. 7. CONTEXTUALIZAÇÃO HISTÓRICA <ul><li>Substituição da “República da espada” (governos Marechal Deodoro e do Marechal Floriano) pela “República do café-com-leite”; </li></ul><ul><li>Auge da economia cafeeira no Sudeste; </li></ul><ul><li>Entrada de grandes levas de imigrantes (notadamente os italianos) no país; </li></ul><ul><li>Esplendor da Amazônia, com o ciclo da borracha </li></ul>                                    Deodoro da Fonseca e Floriano Peixoto foram os presidentes militares do período inicial da História Republicana do Brasil, denominado “República da Espada”.
  8. 8. <ul><li>Surto da urbanização de São Paulo; </li></ul>
  9. 9. <ul><li>Revolta de Canudos, na Bahia; </li></ul>Tempo do cangaço no sertão, com a figura lendária de LAMPIÃO;
  10. 10. <ul><li>Conflitos no Ceará, que tiveram como figura central o padre Cícero; </li></ul>
  11. 11. Em 1934 morria em Juazeiro do Norte um &quot;messias&quot;, também perseguido pela Igreja Católica, porém, ao contrário de Antonio Conselheiro, o Padre Cícero Romão Batista era um aliado dos coronéis do Vale do Cariri, que a partir de 1912 lutaram contra a política de intervenções do governo federal e derrubaram o governador Franco Rabelo.
  12. 12. Revolta da Chibata, liderada por João Cândido, o “Almirante Negro”;
  13. 13. <ul><ul><li>As classes trabalhadoras, lideradas por anarquistas, iniciavam movimentos grevistas em São Paulo. </li></ul></ul>Manifestação operária em S.P. ocorrida em 1917
  14. 14. Cinco dias após a aprovação da lei, é criada a Liga Contra a Vacinação Obrigatória. O medo de morrer por causa da vacina não é o único motivo que inflama o povo. Os agentes de saúde teimam em inocular as mulheres na perna, o que é considerado um atentado sério ao pudor. O decreto que regulamenta a vacinação obrigatória vaza para a imprensa e é publicado num jornal em 9 de novembro. No dia seguinte, 10 de novembro de 1904, a tensão finalmente explode.
  15. 15. MANIFESTAÇÕES ARTÍSTICAS <ul><li>O ESTILO ART NOUVEAU (ARTE NOVA), EMPREGADO POR MUITOS ESTUDIOSOS, É UMA REAÇÃO À IMITAÇÃO DO ESTILO GÓTICO E DO RENASCENTISTA </li></ul>
  16. 17. <ul><li>ALBERTO NEPOMUCENO INTRODUZ OS MODERNOS COMPOSITORES ERUDITOS EUROPEUS NO BRASIL </li></ul>
  17. 19. <ul><li>A MÚSICA POPULAR (MAXIXE, MODINHA E TOADA) COMEÇA A SER OUVIDA NOS SALÕES ELEGANTES </li></ul>O mais importante centro de divulgação da música popular carioca da virada do século era o teatro de revista, ou revista de ano, palco canalizador das novas composições populares e de lançamento das músicas carnavalescas – só perdendo este status com o advento do disco e do rádio.
  18. 20. <ul><li>O CARNAVAL COMEÇA A SE FIRMAR COMO A PRINCIPAL FESTA POPULAR DO RIO DE JANEIRO </li></ul>
  19. 21. <ul><li>“ Ó ABRE ALAS </li></ul><ul><li>QUE EU QUERO PASSAR </li></ul><ul><li>Ó ABRE ALAS </li></ul><ul><li>QUE EU QUERO PASSAR </li></ul><ul><li>EU SOU DA LIRA </li></ul><ul><li>NÃO POSSO NEGAR </li></ul><ul><li>Ó ABRE ALAS </li></ul><ul><li>QUE EU QUERO PASSAR </li></ul><ul><li>Ó ABRE ALAS QUE EU QUERO PASSAR </li></ul><ul><li>ROSA DE OURO </li></ul><ul><li>É QUEM VAI GANHAR” </li></ul><ul><li>Chiquinha Gonzaga - 1991 </li></ul>
  20. 23. CARACTERÍSTICAS DO PRÉ-MODERNISMO <ul><li>RUPTURA COM O PASSADO </li></ul><ul><li>DENÚNCIA DA REALIDADE BRASILEIRA </li></ul><ul><li>REGIONALISMO </li></ul><ul><li>TIPOS HUMANOS MARGINALIZADOS </li></ul><ul><li>LIGAÇÃO COM FATOS POLÍTICOS, ECONÔMICOS E SOCIAIS CONTEMPORÂNEOS </li></ul>
  21. 24. PRINCIPAIS OBRAS E REPRESENTANTES <ul><li>OS SERTÕES , de Euclides da Cunha (relato sobre a Guerra de Canudos) </li></ul><ul><li>Linguagem cientificista </li></ul><ul><li>Teorias deterministas (o homem é fruto do meio em que vive) </li></ul><ul><li>Obra dividida em três partes : </li></ul><ul><li>A terra </li></ul><ul><li>O homem </li></ul><ul><li>A luta </li></ul>
  22. 25. Igreja do Bom Jesus ou Nova, arrasada pela artilharia expedicionária. Como trincheira, cairá somente dias antes do término da guerra.
  23. 26. O Conselheiro exumado após 13 dias do sepultamento.
  24. 27. CIDADES MORTAS e URUPÊS, DE MONTEIRO LOBATO <ul><li>PASSAGEM DO CAFÉ PELO VALE DO PARAÍBA PAULISTA. </li></ul><ul><li>LINGUAGEM PRÓXIMA DA COLOQUIAL </li></ul><ul><li>PRESENÇA DO CAIPIRA PAULISTA (JECA TATU) </li></ul>
  25. 30. TRISTE FIM DE POLICARPO QUARESMA, DE LIMA BARRETO <ul><li>RETRATO DO GOVERNO DE FLORIANO PEIXOTO E DA REVOLTA DA ARMADA </li></ul><ul><li>LINGUAGEM PRÓXIMA DA LÍNGUA FALADA DA ÉPOCA </li></ul><ul><li>PERSONAGENS MARGINALIZADOS, IGNORANTES E OPRIMIDOS </li></ul>
  26. 32. EU , de AUGUSTO DOS ANJOS <ul><li>Linguagem cientificista-naturalista </li></ul><ul><li>Emprego de palavras não-poéticas </li></ul><ul><li>Pessimismo e angústia em face dos problemas e distúrbios pessoais </li></ul>
  27. 33. <ul><li>A esperança </li></ul><ul><li>A Esperança não murcha, ela não cansa, Também como ela não sucumbe a Crença. Vão-se sonhos nas asas da Descrença, Voltam sonhos nas asas da Esperança. </li></ul><ul><li>Muita gente infeliz assim não pensa; No entanto o mundo é uma ilusão completa, E não é a Esperança por sentença Este laço que ao mundo nos manieta? </li></ul><ul><li>Mocidade, portanto, ergue o teu grito, Sirva-te a crença de fanal bendito, Salve-te a glória no futuro - avança! </li></ul><ul><li>E eu, que vivo atrelado ao desalento, Também espero o fim do meu tormento, Na voz da morte a me bradar: descansa! </li></ul><ul><li>  </li></ul>
  28. 34. <ul><li>Hino à dor </li></ul><ul><li>  </li></ul><ul><li>Dor, saúde dos seres que se fanam, </li></ul><ul><li>Riqueza da alma, psíquico tesouro, </li></ul><ul><li>Alegria das glândulas do choro </li></ul><ul><li>De onde todas as lágrimas emanam.. </li></ul><ul><li>   </li></ul><ul><li>És suprema!  Os meus átomos se ufanam </li></ul><ul><li>De pertencer-te, oh!  Dor, ancoradouro </li></ul><ul><li>Dos desgraçados, sol do cérebro, ouro </li></ul><ul><li>De que as próprias desgraças se engalanam! </li></ul><ul><li>   </li></ul><ul><li>Sou teu amante!  Ardo em teu corpo abstrato. </li></ul><ul><li>Com os corpúsculos mágicos do tacto </li></ul><ul><li>Prendo a orquestra de chamas que executas... </li></ul><ul><li>  </li></ul><ul><li>E, assim, sem convulsão que me alvorece, </li></ul><ul><li>Minha maior ventura é estar de posse </li></ul><ul><li>De tuas claridades absolutas! </li></ul>
  29. 35. Versos Íntimos Vês! Ninguém assistiu ao formidável Enterro de tua última quimera. Somente a Ingratidão – esta pantera – Foi tua companheira inseparável! Acostuma-te à lama que te espera! O Homem, que, nesta terra miserável, Mora entre feras, sente inevitável Necessidade de também ser fera. Toma um fósforo. Acende teu cigarro! O beijo, amigo, é a véspera do escarro, A mão que afaga é a mesma que apedreja. Se a alguém causa inda pena a tua chaga, Apedreja essa mão vil que te afaga, Escarra nessa boca que te beija!
  30. 36. Psicologia de um vencido Eu, filho do carbono e do amoníaco, Monstro de escuridão e rutilância, Sofro, desde a epigênesis da infância, A influência má dos signos do zodíaco. Profundíssimamente hipocondríaco, Este ambiente me causa repugnância... Sobe-me à boca uma ânsia análoga à ânsia Que se escapa da boca de um cardíaco. Já o verme — este operário das ruínas — Que o sangue podre das carnificinas Come, e à vida em geral declara guerra, Anda a espreitar meus olhos para roê-los, E há-de deixar-me apenas os cabelos, Na frialdade inorgânica da terra!
  31. 37. FONTES <ul><li>PEREIRA & PELACHIN, Helena Bonito e Marcia Maisa. Português Na trama do texto. Ensino Médio. Ed. FTD </li></ul><ul><li>TERRA, ERNANI. Português para o Ensino Médio. Vol. Único. Ed. Scipione </li></ul><ul><li>www. Google.com.br </li></ul>
  1. A particular slide catching your eye?

    Clipping is a handy way to collect important slides you want to go back to later.

×