Your SlideShare is downloading. ×
0
Aula10
Aula10
Aula10
Aula10
Aula10
Aula10
Aula10
Aula10
Aula10
Aula10
Aula10
Aula10
Aula10
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×
Saving this for later? Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime – even offline.
Text the download link to your phone
Standard text messaging rates apply

Aula10

810

Published on

0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
810
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
3
Actions
Shares
0
Downloads
0
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. Lógica de programação Prof: Eduardo Rossit Paiossin Prof: Leandro Maranim Dei Santi
  • 2. Conteúdo da aulaProgramação estruturadaModularizaçãoProcedimentoFunção Pag 319
  • 3. Programação estruturadaNo final dos anos 60 as empresas se depararam comum aumento crescente nos custos de fabricação de umsoftware e isso gerou a crise do software.A fim de resolver esse problema surgiram vários tiposde programação. Como por exemplo a programaçãoestruturada.Esse tipo de programação permite o desmembramentodo programa em partes menores e mais fáceis de seprogramar/dar manutenção, além de ficarem bem maissimples de se entender.
  • 4. Programação estruturadaProgramação estruturada é uma formade programação de computadores que preconiza quetodos os programas possíveis podem ser reduzidos aapenas três estruturas: sequência, decisão e interação,desenvolvida por Michael A. Jackson no seu livro"Principles of Program Design" de 1975.Tendo, na prática, sido transformada na Programaçãomodular, a Programação estruturada orienta osprogramadores para a criação de estruturas simples emseus programas, usando as subrotinas e as funções.Foi a forma dominante na criação de software anteriorà programação orientada por objetos.
  • 5. ModularizaçãoÉ um conceito de dividir um software em partesdistintas (módulos).À medida que vamos resolvendo problemas maiscomplexos, o tamanho dos nossos programas vaicrescendo, assim, fica difícil acompanhar asfuncionalidades dos trechos de Programas.Esta técnica de decomposição em unidadesfuncionais, proveniente da programação estruturada,é conhecida como modularização.Estes trechos devem ser logicamente coerentes, istoé, cada um deve realizar uma função definida.
  • 6. ModularizaçãoVisa principalmente aspectos como confiabilidade,legibilidade, manutenção e flexibilidade.Tem como principais vantagens: A independência entre os módulos permite uma manutenção mais simples e barata. Pode ser desenvolvido em paralelo ao restante do algoritmo Teste para correção de bugs podem ser feitos separadamante do programa. Um módulo pode ser utilizado em outros algorítmos
  • 7. Procedimentos e funçõesPara criarmos módulos no nosso algoritmo existemos comandos procedimento e função. As ações doprocedimento e função são hierarquicamentesubordinadas a um algoritmo principal geralmentechamado “Módulo Principal”Dentro de um procedimento/função podem havervários outros procedimento/funções.Os procedimentos e as funções podem utilizarobjetos (constantes e variáveis) do móduloprincipal, definir seus próprios, ou ainda utilizar osdois.
  • 8. Procedimentos e funçõesVariáveis globais: São variáveis que podem serutilizadas pelos procedimentos/funções internas aomódulo onde foi declarada.Variáveis locais: São variáveis que podem serutilizadas apenas nos módulos em que foramcriadas. Não em significado fora dele.Vejamos o exemplo na página 321.
  • 9. Procedimentos e funçõesProcedimento com parâmetros (pag 332)Passagem de parâmetro por valor: Na passagempor valor, os parâmetros de uma função funcionamcomo variáveis suas, ou seja NADA tem a ver comas variáveis da função que a chamou. Desta formaalterações nos valores desses parâmetros nãointerferem nos valores das variáveis da funçãochamadora.
  • 10. Procedimentos e funçõesPassagem de parâmetro por referência: No entantopode ser interessante que uma variável na funçãochamadora possa ser alterada (ex: função que troque ovalor de duas variáveis). Ou mesmo haja a necessidadede se retornar mais de um valor da função (pois com oreturn só é possível retornar um único valor).Para esses casos, algumas linguagens permitem apassagem de parâmetros por referência, onde umavariável passada como parâmetro ao ser alteradadentro da função tem seu valor alterado também nafunção chamadora (é na verdade uma única variávelusada por ambas as fuções).
  • 11. Procedimentos e funções“O que são Parâmetros de Entrada e Saída”Função: Assemelha-se muito ao procedimento, porémsempre há o retorno de um valor.Exemplo pagina 339
  • 12. Exercício1) Crie um algoritmo que chame uma função que calcula a média de 100 alunos e depois imprima essa média.2) Crie um algoritmo que chame uma procedimento que calcule e imprima a média de 100 alunos e depois imprima essa média.3) Crie um algoritmo que passe o nome e o endereço de um aluno para um procedimento. Esse procedimento vai imprimir essas informações juntamente com o nome da instituição “SENAC” para obter o nome da instituição o procedimento chamará a função IMPRIME_INSTITUIÇAO que também deve ser criada
  • 13. Bibliografia Para a preparação da aula foi utilizado o livro do curso entregue pelo SENAC e Modularização. MODULARIZAÇÃO Disponível em: <http://correio.fdvmg.edu.br/downloads/DET111/Parte1 _Modulariaza%E7%E3o.pdf> Acesso em: 02 MAIO. 2011, 21:00:00.

×