Aula02

2,240 views
2,053 views

Published on

Aula

Published in: Education
0 Comments
5 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
2,240
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
38
Actions
Shares
0
Downloads
0
Comments
0
Likes
5
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Aula02

  1. 1. Lógica de programação Prof: Eduardo Rossit Paiossin
  2. 2. Conteúdo da aula– Exercícios da ultima aula– Considerações– Algoritmos (tipos de representação) • Código natural • Fluxograma • Pseudo código– Constantes e variáveis  Conceitos  Declaração  Tipos  Uso (Atribuições de valor)
  3. 3. Exercícios da aula passada1) Crie uma seqüência lógica para tomar banho. – Entrar no banheiro – Tirar a roupa – Entrar no box – Abrir a torneira do chuveiro – Entrar na água – Ensaboar-se – Sair da água – Fechar a torneira – Sair do box – Enxugar-se – Vestir-se
  4. 4. Refinando o Algoritmo (RELEMBRANDO)• Ação Primitiva: É uma ação que não pode mais ser refinada.• Ação não Primitiva: É uma ação que pode ser refinada ainda mais. Ela deve ser refinada até virar uma ação primitiva.• EX:Ref. Entrar no banheiro Abrir a porta Passar pela porta Fechar a portafim-ref.
  5. 5. Considerações• Vimos que ALGORITMO é uma seqüência lógica de instruções que podem ser executadas.• É importante ressaltar que qualquer tarefa que siga determinado padrão pode ser descrita por um algoritmo.
  6. 6. Dicas• Para escrever um algoritmo precisamos descrever a seqüência de instruções, de maneira simples e objetiva. Para isso utilizaremos algumas técnicas: – Usar somente um verbo por frase – Imaginar que você está desenvolvendo um algoritmo para pessoas que não trabalham – com informática – Usar frases curtas e simples – Ser objetivo – Procurar usar palavras que não tenham sentido dúbio
  7. 7. Dicas• Ao montar um algoritmo, precisamos dividir o problema apresentado em três fases fundamentais.• ENTRADA: São os dados de entrada do algoritmo• PROCESSAMENTO: São os procedimentos utilizados para chegar ao resultado final• SAÍDA: São os dados já processados
  8. 8. Algoritmo (tipos de representação)• Existem diversas formas de representação de algoritmos, mas não há um consenso com relação à melhor delas.• Dentre as formas de representação de algoritmos mais conhecidas podemos citar:• Descrição Narrativa• Fluxograma• Pseudocódigo
  9. 9. Algoritmo (tipos de representação)• Descrição narrativa ou descrição natural :• Nesta forma de representação os algoritmos são expressos diretamente em linguagem natural.• Esta representação é pouco usada na prática porque o uso da linguagem natural muitas vezes dá oportunidade a más interpretações, ambigüidades e imprecisões.
  10. 10. Algoritmo (tipos de representação)• Por exemplo, a instrução "afrouxar ligeiramente as porcas" no algoritmo da troca de pneus está sujeita a interpretações diferentes por pessoas distintas. Uma instrução mais precisa seria: "afrouxar a porca, girando-a 30º no sentido anti-horário".• Usadas por nós até agora para a resolução dos problemas.
  11. 11. Algoritmo (tipos de representação)• Fluxograma: É uma representação gráfica de algoritmos que emprega formas geométricas padronizadas para indicar as diversa ações e decisões que devem ser executadas para resolver um problema. Tal propriedade facilita o entendimento das idéias contidas nos algoritmos e justifica sua popularidade.
  12. 12. Algoritmo (tipos de representação)• Esta forma é aproximadamente intermediária à descrição narrativa e ao pseudocódigo (subitem seguinte), pois é menos imprecisa que a primeira e, no entanto, não se preocupa com detalhes de implementação do programa, como o tipo das variáveis usadas.
  13. 13. Algoritmo (tipos de representação)• Formas geométricas do Fluxograma:
  14. 14. Algoritmo (tipos de representação)• Existem mais expressões geométricas na composição de fluxograma.• Para representar a saída de dados para o monitor usamos uma figura geométrica diferente da de uma saída de dados por meio de uma impressora.• No momento não vamos nos preocupar com isso. O intuito ainda é a compreensão da lógica e do fluxo básico das informações.
  15. 15. Pseudocódigo ou portugol:• Esta forma de representação de algoritmos é rica em detalhes, como a definição dos tipos das variáveis usadas no algoritmo. Por assemelhar-se bastante à forma em que os programas são escritos, encontra muita aceitação
  16. 16. Pseudocódigo ou portugol:• Este nome é uma alusão à posterior implementação em uma linguagem de programação, ou seja, quando• formos programar em uma linguagem, por exemplo Visual Basic, estaremos gerando código em• Visual Basic. Por isso os algoritmos são independentes das linguagens de programação.
  17. 17. Algoritmo (tipos de representação)• Pseudocódigo:• Na verdade, esta representação é suficientemente geral para permitir a tradução de um algoritmo nela representado para uma linguagem de programação específica seja praticamente direta.
  18. 18. Pseudocódigo• A forma geral da representação de um algoritmo na forma de pseudocódigo é a seguinte:Algoritmo <nome_do_algoritmo> <declaração_de_variáveis> <subalgoritmos>Início <corpo do algoritmo>Fim
  19. 19. Pseudocódigo• Algoritmo é uma palavra que indica o início da definição de um algoritmo em forma de pseudocódigo.• <nome_do_algoritmo> é um nome simbólico dado ao algoritmo com a finalidade de distingui-los dos demais.• <declaração_de_variáveis> consiste em uma porção opcional onde são declaradas as variáveis globais usadas no algoritmo principal e, eventualmente, nos subalgoritmos.• <subalgoritmos> consiste de uma porção opcional do pseudocódigo onde são definidos os subalgoritmos.• Início e Fim são respectivamente as palavras que delimitam o início e o término do conjunto de instruções do corpo do algoritmo
  20. 20. Exercícios• 1) Identifique os dados de entrada, processamento e saída no algoritmo abaixo• Receba código da peça• Receba valor da peça• Receba Quantidade de peças• Calcule o valor total da peça (Quantidade * Valor da peça)• Mostre o código da peça e seu valor total
  21. 21. Constantes e variáveis (Conceito)• Variáveis e constantes são os elementos básicos que um programa manipula.• Constante: Constante é um determinado valor fixo que não se modifica ao longo do tempo, durante a execução de um programa.
  22. 22. Constantes e variáveis (Conceito)• Conforme o seu tipo, a constante é classificada como sendo numérica,• lógica e literal.• Encontre a constante na equação abaixo: (N1+N2+N3)/3
  23. 23. Constantes e variáveis (Conceito)• Variável: Variável é a representação simbólica dos elementos de um certo conjunto. Cada variável corresponde a uma posição de memória, cujo conteúdo pode se alterado ao longo do tempo
  24. 24. Constantes e variáveis (Conceito)• durante a execução de um programa. Embora uma variável possa assumir diferentes valores, ela• só pode armazenar um valor a cada instante.• Exemplo: Total = Produto * Quantidade variáveis
  25. 25. Constantes e variáveis• Exemplo: Nome = “João” Conteúdo da variável (neste instante) Variável
  26. 26. Constantes e variáveis (Tipos)• As variáveis e as constantes podem ser basicamente de quatro tipos: Numéricas, Literais ou lógicas.• Numéricas: Específicas para armazenamento de números, que posteriormente poderão ser• utilizados para cálculos. (sejam eles positivos ou negativos)
  27. 27. Constantes e variáveis (Tipos)• Literais: Também são conhecidas como alfanuméricas. São um conjunto de cracteres (letras, dígitos ou símbolos especiais: -,%&*; etc)• Lógicas: Armazenam somente dados lógicos como, por exemplo, Verdadeiro ou Falso.
  28. 28. Declaração de variáveis• As variáveis devem ser declaradas no início do algoritmo. Assim o computador reserva um espaço na memória para cada uma delas.• Exemplo: Início NOME: literal IDADE, CEP: numérico fim
  29. 29. Declaração de variáveis (Observações)• Como boa prática de programação o identificador (nome) de uma variável deve sempre fazer referência (lembrar) ao seu conteúdo.• O nome da variável pode ser formado por um ou mais caracteres e deve sempre estar em letras maiúsculas. O primeiro caractere deve ser, obrigatoriamente, uma letra e os caracteres seguintes podem ser letras e números. Não é permitido o uso de símbolos gráficos e de pontuação (/,.-!@#$%&*()|^~?[]{}¨:;), exceto o sinal _
  30. 30. Declaração de variáveis (Observações)• Uma variável possui: Identificador, Tipo de dado e dado ArmazenadoEX:PESSOA: literal (identificador e tipo de dado) PESSOA <- “Maria” (Dado armazenado)
  31. 31. Atribuição de valores• Atribuir um valor a uma variável é armazenar uma constante em uma variável.• Tanto no Pseudocódigo, no fluxograma quanto no diagrama de Chapin usamos ( <- ) para indicar uma atribuição.
  32. 32. Atribuição de valores• Veja o exemplo de atribuição no pseudocódigo:inicio PESSOA: literal {nome da pessoa} IDADE: numérico PESSOA: <- “Maria” IDADE: <- 26fim
  33. 33. Exercícios1) Identifique de que tipo são as constantes a seguir. a) "Limão” g) "23/12/99" b) 34857 h) verdadeiro c) "verdadeiro" i) "NOME" d) falso j) 0,5 e) "304958" f) -2343
  34. 34. Exercícios
  35. 35. Exercícios1. Verifique se os identificadores a seguir são válidos. Senão forem, explique por quê.a) NOME-DO-ALUNO h) MAIOR_DE_IDADE?b) $ i) NOME_DA_PESSOAc) DINHEIRO j) ENDd) DATA/DE/NASCIMENTO k) %JUROSe) verdadeirof) NOME2 l) M239083g) 2APESSOA
  36. 36. Exercícios1. Verifique se os identificadores a seguir são válidos. Senão forem, explique por quê.
  37. 37. Comandos de Entrada e Saída• Na elaboração do algoritmo incluem-se os comandos de entrada e de saída de dados. Os dados entram no computador (“são lidos”) por meios dos códigos de barras, teclado, mouse, .... E saem dele (“são escritos”) por meio de impressora monitor, som, ....
  38. 38. Entrada de dados: comando leia• leia <lista_de_identificadores>• Exemplo inicio PESSOA: literal leia PESSOA fim
  39. 39. Saída de dados: comando escreva• escreva <lista_de_identificadores>• Exemplo inicio PESSOA: literal leia PESSOA escreva PESSOA fim
  40. 40. Utilizando Labels• Exemplo inicio PESSOA: literal leia “Digite o nome da pessoa”, PESSOA escreva “O nome da pessoa digitado foi: “, PESSOA fim
  41. 41. Exercícios1) Fazer um algoritmo simples para ler as informações do cadastro de fornecedores contendo: código, Razão social, Nome fantasia, cnpj, inscrição estadual, cep, cidade, estado, logradouro, número, telefone, contato, email, site.2) Fazer um fluxograma com a mesma finalidade do exercício anterior
  42. 42. Exercícios2) Faça um pseudocódigo para “Calcular o estoque médio de uma peça”, sendo queESTOQUEMÉDIO = (QUANTIDADE MÍNIMA + QUANTIDADE MÁXIMA) /23) Construa um fluxograma que : – Leia a cotação do dólar – Leia um valor em dólares – Converta esse valor para Real – Mostre o resultado
  43. 43. Bibliografia• Para a preparação da aula foi utilizado o livro do curso entregue pelo SENAC

×