• Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Be the first to comment
    Be the first to like this
No Downloads

Views

Total Views
664
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0

Actions

Shares
Downloads
0
Comments
0
Likes
0

Embeds 0

No embeds

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
    No notes for slide

Transcript

  • 1. Gestão Estratégica da Inovação na Empresa
    DPCT - UNICAMP
    Conceitos Básicos sobre Finanças em Projetos de
    P&D e Inovação Tecnológica
    Pablo Viníciusde Mello Leonardo
  • 2. Introdução
    Alguns conceitos básicos sobre a análise financeira são essenciais para se conseguir valorar uma tecnologia ou ainda ter a possibilidade de se mensurar o retorno sobre o investimento da atividades de P&D.
  • 3. Gestão Financeira na prática da P&D
    As atividades de P&D podem ser consideradas como unidades de negócios, por consequência serem avaliadas e administradas utilizando-se ferramentas e metodologias já conhecidas de gestão financeira e corporativa.
    Ou seja, os projetos de P&D podem ser vistos como uma micro ou mini empresa possuindo os seus próprios relatórios financeiros que posteriormente serão parte do resultado das unidades de negócios os quais pertencem.
    Todos os relatórios corporativos anuais incluem três tipos de relatórios financeiros:
    Demonstração de Resultados
    Balanço Financeiro
    Demonstração do Fluxo de Caixa
  • 4. Demonstração de Resultados – Conceito
    De uma forma simples é onde as receitas são declaradas e onde os custos e impostos são subtraídos para se chegar ao lucro.
    Geralmente a demonstração de resultados representa a rentabilidade de um empresa geralmente em um trimestre ou um ano.
  • 5. Demonstração de Resultados – Elementos
    A tabela abaixo descreve basicamente os elementos de uma demonstração financeira de resultados.
    Referência: “The Valuation of Technology”, página 47
  • 6. Demonstração de Resultados
    Receita e Despesas Operacionais
    Para muitas operações de manufaturas as receitas representam as vendas de seus produtos mas podem incluir muitas outras formas de receitas tais como aluguéis e royalties sobre uma patente.
    As despesas diretamente ligadas às atividades de criação dessas receitas são chamadas de despesas operacionais. Estes incluem custos em manufatura, custos de vendas, despesas gerais e P&D.
  • 7. Demonstração de Resultados
    Receita Operacional (EBIT) - Conceito
    O valor líquido das vendas menos as despesas operacionais é chamado de receita operacional ou lucro operacional.
    Os Analistas Financeiros e os investidores bancários frequentemente referem a ele como EBIT, earnings before interest and taxes (lucro antes de juros e impostos).
    O EBIT é um número muito importante na avaliação e gestão de um negócio porque ele é independente de como a organização é financiada (Ex. usando dinheiro emprestado ou dos seus próprios acionistas).
  • 8. Demonstração de Resultados
    Receita Operacional (EBIT) – Calculo de valor
    O calculo do valor de uma empresa usando o EBIT pode ser visto abaixo.
    Referência: “The Valuation of Technology”, página 48
  • 9. Balanço Financeiro - Conceito
    Indica todos os ativos de propriedade da empresa e todas as obrigações sobre esses ativos situados em um determinado período de tempo.
  • 10. Balanço Financeiro - Elementos
    A tabela abaixo demonstra o balanço financeiro anual de uma companhia.
    Referência: “The Valuation of Technology”, página 53
  • 11. Balanço Financeiro – Ativos
    Em contabilidade o ativo são os bens e direitos que a empresa tem num determinado momento, resultante de suas transações ou eventos passados da qual futuros benefícios econômicos podem ser obtidos.
    Ex:
    • Dinheiro e títulos negociáveis
    • 12. Contas a receber
    • 13. Inventário
    • 14. Capital de giro
    • 15. Propriedade, planta e equipamentos
    • 16. Goodwill (Ativo Intangível)
    • 17. Investimentos e outros ativos
  • Balanço Financeiro – Passivos
    Em contabilidade, o passivo corresponde ao saldo das obrigações devidas.
    O passivo é um recurso controlado por uma entidade e um acontecimento passado e do qual se esperam que fluam benefícios econômicos no futuro, cuja liquidação se espera um fluxo de recursos.
    Ex:
  • Balanço Financeiro – Patrimônio Líquido
    O patrimônio líquido representa os valores que os sócios ou acionistas têm na empresa em um determinado momento.
    No balanço patrimonial, a diferença entre o valor dos ativos e dos passivos e resultado de exercícios futuros representa o PL (Patrimônio Líquido), que é o valor contábil devido pela pessoa jurídica aos sócios ou acionistas, baseado no Princípio da Entidade.
  • 23. Balanço Financeiro – Equação
    A imagem de uma empresa pode ser sumarizada por uma simples equação:
    O fato dos dois lados da equação serem iguais explica o termo balanço financeiro.
  • 24. Demonstração do Fluxo de Caixa – Conceito
    A demonstração de fluxos de caixa deve relatar os movimentos de caixa durante o período analisado. Os seus elementos nos dizem de onde o dinheiro veio e para onde ele foi.
    É também a chave para a maioria dos métodos de avaliação financeira.
    A estrutura típica da demonstração do fluxo de caixa possui três seções:
    • Operações
    • 25. Investimentos
    • 26. Atividades Financeiras
  • EBITDA - Conceito
    É a medida usada no fluxo de caixa antes de impostos.
    Os Analistas Financeiros e os investidores bancários frequentemente referem a ele como earningsbeforeinterest, taxes, depreciationandamortization (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização).
  • 27. Demonstração do Fluxo de Caixa – Elementos
    A tabela abaixo demonstra os elementos básicos da demonstração do fluxo de caixa.
    Referência: “The Valuation of Technology”, página 65
  • 28. Problemas na Demonstração Financeira
    Em termos gerais, existem duas importantes classes de problemas associados aos sistemas de contabilidade corporativos que produzem demonstrações financeiras:
    Problema da Alocação
    Problema da Valoração
  • 29. Problemas na Demonstração Financeira
    Problema da Alocação
    Mudança/Troca de Alocação
    do recurso
    Unidade de Negócio A
    (Projeto de P&D)
    Unidade de Negócio B
    (Projeto de P&D)
    Cobra-se o
    preço de transferência
    Problemas com a alocação existem em todos os níveis da contabilidade. Mas possui uma problemática particular com a adoção generalizada do conceito de centro de lucros/unidades de negócios/centros de responsabilidade.
    A troca ou mudanças na alocação de recursos entre as unidades de negócios (entende-se como um projeto de P&D) podem gerar um grande problema de gestão, pois se não forem controlados acabam mascarando o desempenho individual de cada unidade de negócios que consequentemente, em uma estrutura descentralizada, afetando a organização como um todo pois esta depende dos resultados individuais das unidades de negócios.
    Para evitar esse tipo de problema é adotada a taxação da mudanças da alocação de recursos através do preço de transferência.
  • 30. Problemas na Demonstração Financeira
    Problema da Valoração
    Os maiores de todos os problemas em contabilidade são os problemas relativos a valoração, eles ocorrem pois os valores dos ativos e passivos podem mudar com o tempo.
    Ex.: O valor de uma planta fabril de cinco anos pode ser estimado pelo custo menos a depreciação, mas será que esse valor é realístico?
    Vale lembrar que a prática da P&D por consequência pode gerar um conhecimento, produto ou processo novo e valorá-los pode se tornar um obstáculo.
    Também é encontrada uma grande dificuldade em se valorar a propriedade intelectual, este é um problema severamente único.
    As ferramentas e as terminologias de demonstrações financeiras, em especial as ligações entre a demonstração de resultado e o balanço financeiro são ambos essenciais para a valoração da tecnologia e o seu impacto na corporação como um todo.
  • 31. Propriedade Intelectual
    Na era da informação, uma parcela cada vez maior do valor econômico das empresas é associada com os seus ativos intangíveis, sendo muitas vezes a propriedade intelectual a mais importante.
    A propriedade intelectual pode assumir muitas formas, que incluem propriedades identificáveis, tais como:
    Mas também podem pode assumir muito pouco a característica de propriedade identificável, tais como:
    • Conhecimento sobre os clientes;
    • 35. Conhecimento sobre uma determinada tecnologia;
    • 36. Conhecimento de como uma indústria trabalha;
    • 37. Conhecimento dos processos de produção com qualidade.;
    • 38. Expertise em uma tecnologia.
  • Como tratar a
    Propriedade Intelectual?
    A propriedade intelectual desenvolvida por uma empresa pode ser tratada de duas formas:
  • 39. Como valorar a
    Propriedade Intelectual?
    Valorar comercialmente a propriedade intelectual pode ser lógico em princípio, mas com o tempo vemos que não é tão fácil assim.
    A vantagem competitiva gerada pela propriedade intelectual gera receita.
    Ex.: Aumento de produção decorrida de uma nova tecnologia.
    A propriedade intelectual pode ser licenciada, assim sendo a invenção teria o valor do fluxo de caixa dos royalties antecipados sobre a vida útil da patente. Nesse contexto você pode perder a vantagem competitiva gerada pela propriedade intelectual.
    Licenciar ou não é um exercício de valoração, mas vale lembrar o segredo no processo deve ser mantido pois os competidores podem inventar algo similar e garantir a execução da patente.
    A propriedade intelectual pode gerar uma vantagem competitiva
  • 40. O valor da Tecnologia é Situacional
    Qual Forma de Valoração Devo Usar?
    Em alguns casos a valoração da tecnologia só pode ser empreendida em situações específicas de negócios.
    Ex.: Na venda do negócio beneficiado, deve-se entender qual foi a abordagem financeira (custo ou investimento) aplicada ao desenvolvimento da tecnologia que lhe rendeu a vantagem competitiva.
    A tecnologia não tem um valor intrínseco
  • 41. O valor da Tecnologia é Situacional
    Qual Forma de Valoração Devo Usar?
    Dentre os fatores situacionais que irão conduzir as decisões da empresa, se o valor mais alto sobre a propriedade intelectual, é obtido via licença ou segredo comercial/industrial podem ser incluídos:
  • 42. O valor da Tecnologia é Situacional
    Qual Forma de Valoração Devo Usar?
    A decisão de se obter o valor mais alto pode requerer que seja feito:
    • Uma análise dos cenários alternativos usando os fatos conhecidos;
    • 43. Suposições Razoáveis
    • 44. Estimar as probabilidades
    Todavia a empresa pode optar em não aceitar a alternativa de se obter o
    maior valor por questões de estratégias globais ou proteger e construir relacionamentos valorosos.
  • 45. Diferentes Medidas de Retorno
    ROE
    (ReturnOnEquity)
    ROI
    (ReturnOnInvestment)
    RONA/ROA
    (ReturnOnAssets)
    Retorno sobre o Capital Próprio = Lucro Líquido / Saldo Médio Ajustado do Patrimônio Líquido
    Retorno sobre Investimento Total = Lucro Líquido / Saldo Médio do Ativo Total
    Retorno sobre Ativo Operacional = Lucro Operacional / Saldo Médio do Ativo Operacional
  • 46. O modelo Pro - Forma
    O modelo Pro - Forma é um modelo que incorpora valores estimados ou previstos para uma atividade futura da mesma forma utilizada para representar os valores atuais ou passadas, tais como a declaração de entrada ou o balanço financeiro.
    O modelo de valoração como o Pro – Forma, serve como guia em uma série de decisões em P&D de uma forma que não seria possível utilizando métodos não quantitativos.
  • 47. Construindo o modelo Pro - Forma
    Demonstração de Resultados
    • Custo das vendas (Custo direto de manufatura) e Margem bruta
    • 48. Overhead (Indiretos)
    • 49. Depreciação
    • 50. Lucro bruto
    • 51. Custo de vendas(Força de Vendas), despesas gerais e administrativas, despesas com P&D
    • 52. EBIT/Lucros antes dos impostos
    • 53. EBITDA
    • 54. Lucro líquido pré imposto
    • 55. Retorno sobre as vendas/Margem de lucro
    Balanço Financeiro
    • Inventário
    • 56. Contas a pagar e Contas a Receber
    • 57. Capital de giro
    • 58. Ativos fixos (Custo da planta, equipamentos antes da depreciação)
    • 59. Depreciação acumulada
    • 60. Imobilizado líquido e capital total de empregados
    • 61. Retorno sobre o capital
    Demonstração do Fluxo de Caixa
    • Lucro líquido pós imposto e depreciação
    • 62. Despesas de capital e aumento no capital de giro
    • 63. Fluxo de caixa operacional
    • 64. Fluxo de caixa livre mais o valor terminal
    Modelo
    Pro - Forma
  • 65. Fim