Eficiência, Eficácia ou Efetividade, para onde o está orientado o modelo de gestão de sua IES?

2,757
-1

Published on

Ponente: Luciano Rodrígues, UNISUL, Brasil

Published in: Education

Eficiência, Eficácia ou Efetividade, para onde o está orientado o modelo de gestão de sua IES?

  1. 1. "Eficiencia, eficacia o efectividad, para donde está orientado el modelo de gestión de su universidad?"   Prof. Luciano Rodrigues Marcelino, Dr. Pró-Reitoria de Desenvolvimento & Inovação da UNISUL Sócio-Diretor STANDARD CONSULTORIA EDUCACIONAL
  2. 2. A Universidade do Sul de Santa Catarina – Unisul <ul><li>Fundada em Tubarão-SC, em 1964 </li></ul><ul><ul><li>3 Campi </li></ul></ul><ul><ul><li>2100 funcionários e 45 mil alunos </li></ul></ul><ul><li>Foco de negócios: </li></ul><ul><ul><li>Ensino, Pesquisa e Extensão </li></ul></ul><ul><ul><li>Ensino à Distância </li></ul></ul><ul><li>Níveis de ensino: </li></ul><ul><ul><li>Graduação </li></ul></ul><ul><ul><li>Pós-Graduação ( Lato e Stricto Sensu ) </li></ul></ul><ul><ul><li>Sequênciais e de Extensão </li></ul></ul><ul><ul><li>Fundamental e Médio </li></ul></ul>MISSÃO Educação e gestão inovadoras e criativas no processo do ensino, da pesquisa e da extensão, para formar integralmente , ao longo da vida, cidadãos capazes de contribuir na construção de uma sociedade humanizada , em permanente sintonia com os avanços da ciência e da tecnologia.
  3. 4. SUMARIO Modelo de Gestión de IES por la Eficiencia Modelo de Gestión de IES por la Efectividad Modelo de Gestión de IES por la Eficacia Contextualización
  4. 5. A grande pergunta <ul><ul><li>Como vamos nos organizar (institucional, de projetos...) e como vamos gerir a universidade para oferecermos um vínculo mais duradouro e qualitativo com a vida das pessoas e do entorno? </li></ul></ul>
  5. 6. Modelo Educacional <ul><li>GADOTTI : </li></ul><ul><li>A Educação Permanente é um conceito, englobando a formação total do homem e, conseqüentemente, um processo que se desenrola enquanto durar a vida. </li></ul><ul><li>“ O que se espera da Educação Permanente? Espera-se dela um sistema de educação flexível e diversificado , que permita aprender a qualquer momento e no ritmo desejado, segundo os interesses de cada um, a idade e o grau de formação.” </li></ul>
  6. 7. CONFLITOS EXISTENCIAIS DA EDUCAÇÃO SUPERIOR Universidad vs Multiversidad (Clark Kerr) Academico vs Administrativo Público vs Privada vs Mista Profesor vs Tutor vs Monitor Coordenador vs Gestor Alunmo vs Cliente Presencial vs Distancia vs Mista Producto vs Servicio Academia vs Administración Institución vs Organización Enseñanza vs Enseñanza Aprendizaje Formación vs Capacitación Pedagogia vs Andragogia Diário de turma vs Semestrario Pró-Rector vs Contra-Rector Egreso vs Siempre Alunmo ? ?
  7. 8. Quem vende algo intangível necessita inspirar confiança!
  8. 9. <ul><li>Relação da estratégia da instituição com os processos de negocio: </li></ul><ul><li>A estratégia da instituição define os objetivos de médio e longo prazo. </li></ul><ul><li>Os processos devem ser alinhados aos planos de ação desenvolvidos para alcançar os objetivos. </li></ul><ul><li>A estrutura deve ser alinhada para suportar as mudanças nos processos da instituição. </li></ul>Estratégia Processos Estrutura REGRA GERAL PARA ESTRUTURAÇÃO DO MODELO DE GESTÃO
  9. 10. Eficácia: representa a busca da qualidade de sua cadeia de valor (ensino, pesquisa e extensão) e serviços associados, integrando sistemicamicamente os elementos da gestão, orientando-se pela melhoria contínua. Eficiência: representa o alcance dos objetivos de produtividade, pela racionalização, desburacratização e compartilhamento de recursos, em uma relação custo benefício, atendendo os aspectos normativos legais internos e externos associados. Efetividade: representa a capacidade que os resultados planejados produzam mudanças significativas e sustentáveis ao seu entorno, respondendo a sua pertinência. Aspectos legais + Produtividade Qualidade + Melhoria Continua Pertinência + Excelência PERSPECTIVAS EVOLUTIVAS DOS MODELOS DE GESTÃO EDUCACIONAL
  10. 11. Princípios Requisitos Disciplina Hábitos Cultura Posicionamento e Alinhamento Zona de imaturidade Zona de maturidade CONCEITO BÁSICO DE MODELO DE GESTÃO
  11. 12. PRINCÍPIO: LIDERANÇA EDUCACIONAL
  12. 13. PRINCÍPIO: MOTIVAÇÃO PARA AS MUDANÇAS EDUCACIONAIS
  13. 14. PRINCÍPIO: ACADÊMICO VERSUS ADMINISTRATIVO
  14. 15. PRINCÍPIO: PROCESSOS EDUCACIONAIS E A TECNOLOGIA
  15. 16. PRINCÍPIO: PROCESSOS EDUCACIONAIS HORIZONTAIS Macro-Processos Educacionais
  16. 17. PRINCÍPIO: ORIENTAÇÃO VERTICAL OU HORIZONTAL
  17. 18. Modelo de Gestión de IES por la Eficiencia Modelo de Gestión de IES por la Efectividad Modelo de Gestión de IES por la Eficacia Contextualización SUMARIO
  18. 19. A Universidade e... ...o modelo Fordista A Necessidade de Ruptura de Paradigmas “ O planejamento é a mais relevante e cerebral atividade do homem. A capacidade de planejar torna o homem único no reino animal” (JACK BOLOGNA)
  19. 20. FOCO NA CADEIA DE VALOR EDUCACIONAL Extensão Pesquisa Ensino Processos de Suporte Indissociabilidade -1ª ONDA - fragmentação
  20. 21. 2. Avaliação de Processos 3. Aperfeiçoamento de Processos 1. Mapeamento de Processos 4. Documentação de Processos METODOLOGIA BÁSICA PARA A GESTÃO DE PROCESSOS
  21. 22. ETAPAS BÁSICAS METODOLOGIA BÁSICA PARA A GESTÃO DE PROCESSOS Diagnosticar a situação atual Analisar e propor melhorias Implementar as melhorias
  22. 23. A UNIVERSIDADE VISTA POR PROCESSOS MACROPROCESSOS PROCESSO PROCESSO TAREFAS TAREFAS SUBPROCESSO SUBPROCESSO ATIVIDADES ATIVIDADES SUBPROCESSO SUBPROCESSO
  23. 24. 1. Mega Processo Prover Ensino 5. Mega Processo Prestar Apoio Acadêmico 4. Mega Processo Prestar Apoio Administrativo 6. Mega Processo Realizar Gestão Institucional 3. Mega Processo Prover Extensão e Serviços Específicos 2. Mega Processo Prover Pesquisa A UNIVERSIDADE VISTA POR PROCESSOS
  24. 25. DESDOBRAMENTO DE MACROPROCESSOS
  25. 26. A UNIVERSIDADE VISTA POR PROCESSOS Elaborar Projeto Pedagógico do Curso Captar e Selecionar Alunos Implementar Projeto Pedagógico do Curso Validar Cursos e credenciar docentes 1.1 1.2 1.3 1.4 Macro Processo Processos Principais Processos 1.1.2 Pesquisar e Analisar Mercado Analisar a Viabilidade 1.1.3 1.2.1 Fazer Marketing Recepcionar alunos 1.2.3 Avaliar o Ensino, Pesquisa e Extenção 1.3.3 Ensino 1 Gerar Projeto Pedagógico de Curso 1.1.4 Planejar ações 1.3.1 Fornecer ensino, pesquisa e extenção 1.3.2 Conceder título 1.4.3 Receber Avaliação Externa 1.4.4 Reconhecer curso 1.4.2 Aprovar PPC 1.1.5 Selecionar alunos 1.2.2 Credenciar docentes 1.4.1 Propor Criação de Curso 1.1.1
  26. 27. A UNIVERSIDADE VISTA POR PROCESSOS Realizar Pesquisa Científica 2.1 Prover Pesquisa 2 Planejar Pesquisa Científica 2.1.1 Executar Projetos de Pesquisa Científica 2.1.3 Selecionar Projetos de Pesquisa Científica 2.1.2 Disseminar Resultados de Pesquisa Científica 2.1.4 Avaliar Pesquisa Científica 2.1.5 Macro Processo Processos Principais Processos
  27. 28. A UNIVERSIDADE VISTA POR PROCESSOS Prestar Serviços Promover Eventos 3.1 3.2 Promover Extensão e Prestar Serviços Específicos 3 3.3 Promover Projetos e Programas de Extensão Pesquisar e analisar mercado 3.1.1 Elaborar projetos de serviços 3.1.2 Operar serviços 3.1.3 Cunho pedagógico Médio Prazo Avaliar resultados 3.1.4 Pedagógico/Financeiro Curta duração Captação financeira Macro Processo Processos Principais Processos Elaborar Projetos e Programas Diversos 3.2.2 Avaliar Resultados 3.2.4 Operar Projetos e Programas Diversos 3.2.3 Apresentar proposta de Eventos 3.3.1 Avaliar Resultados 3.3.4 Operar Eventos 3.3.3 Identificar demandas 3.2.1 Planejar Eventos 3.3.2
  28. 29. A UNIVERSIDADE VISTA POR PROCESSOS Gerir Finanças Gerir Pessoas Gerir Suprimentos 4.1 4.2 4.3 Prestar Apoio Administrativo 4 Admitir pessoas 4.2.2 Processar Informações para contrato 4.2.3 Prover Manutenção Organizacional 4.2.4 Gerir Patrimônio 4.4 Gerir Tecnologia da Informação 4.5 Realizar Manutenção e Melhoria da Infra-estrutura 4.4.2 Gerir Apoio Administrativo 4.6 Avaliar Fornecedores 4.3.4 Realizar Qualificação Profissional 4.2.5 Arquivar documentos em Central 4.6.6 Prestar serviço de Telefonia 4.6.7 Macro Processo Processos Principais Processos Acompanhar Ciclo de Receita 4.1.1 Controlar Contas a Pagar 4.1.2 Recrutar e Selecionar pessoas 4.2.1 Elaborar, executar Fluxo de Caixa 4.1.3 Controlar Informações Contábeis 4.1.4 Desligar pessoas 4.2.6 Controlar Patrimônio 4.4.1 Estabelecer Políticas e Dire- trizes de TI 4.5.1 Executar Operacional Corporativo 4.5.2 Executar Operacional Campi 4.5.3 Comprar Suprimentos 4.3.1 Armazenar e distribuir suprimentos 4.3.2 Controlar Contratos e Convênios 4.3.3 Analisar Viabilidade Econô- mico Financeira 4.1.5 Receber e distribuir documentos 4.6.1 Controlar Transporte 4.6.2 Realizar limpeza 4.6.3 Prestar serviço de Copa 4.6.4 Prover Vigilância 4.6.5 Controlar Locações 4.4.3
  29. 30. A UNIVERSIDADE VISTA POR PROCESSOS Realizar Planejamento Institucional Prover Marketing e Comunicação Captar Recursos Estratégicos Prover Avaliação Institucional e Clima Organizacional 6.1 6.2 6.4 6.5 Realizar Gestão Institucional 6 Pesquisar e Analisar Mercado 6.2.1 Realizar Plano de Marketing 62.2 Levantar Informações de Demanda e Oferta 6.4.1 Elaborar Projeto de Captação de Recurso Estrat. 6.4.2 Gerar Relações Institucionais 6.3 Estruturar Novos Negócios 6.1.4 Executar Projeto de Captação de Recursos 6.4.4 Fazer Rede de Relacionamentos 6.4.3 6.7.1 6.7.2 6.7.3 Prover Plano Pedagógico Institucional 6.7 Prover Gestão de Processos 6.6 Implementar Auditoria de Processos 6.6.5 Elaborar o PPI Apreciar o PPI Validar o PPI 6.7.4 Consolidar o PPI Macro Processo Processos Principais Processos Elaborar Planejamento Estratégico 6.1.1 Elaborar Orçamento 6.1.2 Prover Informação Institucional 6.1.3 Promover Relações c/ Comunidade 6.3.1 Diagnosticar Clima Organizacional 6.5.1 Fazer Avaliação Institucional 6.5.2 Avaliar Egresso 6.5.3 Realizar Plano de Comunicação 6.2.3 Implementar requisitos CRUB 6.5.4 Implementar Certificação / Credenciamento 6.6.1 Coordenar Projetos Tecnológicos 6.6.2 Fazer Padronização de Processos 6.6.4 Coordenar Programas da Qualidade 6.6.3
  30. 31. A UNIVERSIDADE VISTA POR PROCESSOS AS IS
  31. 32. A UNIVERSIDADE VISTA POR PROCESSOS <ul><li>COMO podemos fazer mais rápido o que fazemos? </li></ul><ul><li>COMO podemos fazer melhor o que fazemos? </li></ul><ul><li>COMO podemos fazer o que fazemos com menor custo? </li></ul>
  32. 33. A UNIVERSIDADE VISTA POR PROCESSOS TO BE
  33. 34. A criação de novos Cursos e oferta dos Cursos existentes Para que a SEAD possa liberar a oferta de um determinado curso para Inscrição, o mesmo deverá estar cadastrado no sistema. Antes de ser cadastrado, o curso deve passar por trâmites institucionais que envolvem Coordenação do curso, Câmara de Gestão e Secretaria Geral de Ensino.
  34. 35. Tipos de Ingresso
  35. 36. Tipos de Ingresso
  36. 37. Tipos de Ingresso
  37. 38. Tipos de Ingresso
  38. 39. <ul><li>Matrícula de Calouros: </li></ul><ul><li>Matrícula de alunos ingressantes em um determinado curso e que acontece a posterior resultado de Processo Seletivo respeitando as datas do Edital. A matrícula é feita internamente, em todas as disciplinas da primeira fase ou módulo do currículo. Esta é processada em Blocos baseado na listagem de alunos Classificado por quaisquer tipo de Ingresso. </li></ul><ul><li>A matrícula é confirmada mediante o pagamento dos créditos relativos à matrícula e o envio do contrato de prestações de serviços a SEAD devidamente assinado pelo aluno. </li></ul>Matrícula
  39. 40. <ul><li>Matrícula de Veteranos </li></ul><ul><li>É a renovação de matrícula de alunos adimplentes regulamente matriculados em semestre anterior. </li></ul><ul><li>A matrícula de veteranos é realizada via WEB pelos alunos com a ajuda de um informativo de Matrícula enviado via correio e também disponibilizado no Portal. </li></ul><ul><li>Os alunos veteranos devem renovar a matrícula a cada período semestral, respeitando as datas estipuladas pela Instituição, o mínimo de créditos e os choques de horários de avaliações presenciais. </li></ul>Matrícula
  40. 41. <ul><li>Licença Gestação </li></ul><ul><li>À Gestante é oferecido o Atendimento especial de Licença Gestação, conforme Lei Nº 6.202 DE 17 DE ABRIL DE 1975 e Regimento Unificado – UNISUL. A partir do oitavo mês, a gestante tem direito a 90 dias de licença, ou seja, um mês antes do parto e dois após, comprovado mediante atestado médico. </li></ul>Registros Acadêmicos
  41. 42. ORGANOGRAMA vs PROCESSOGRAMA Gerência 1 Diretoria 1 Presidência Processo Diretoria 2 Diretoria 3 Gerência 2 Gerência 4 Gerência 5 Gerência 3 Dono de Processo
  42. 43. ORGANOGRAMA vs PROCESSOGRAMA
  43. 44. Critérios de Priorização para Intervenção Diretrizes Estratégicas Cadeia de valor Suporte acadêmico Demandas tecnológicas As is To be Normalização
  44. 45. Modelo dos Níveis de Maturidade em Gestão de Processos Indefinido, imprevisível Disciplinado Normalizado, consistente Previsivelmente, controlado Continuamente melhorado <ul><li>Informal </li></ul><ul><li>Conceito de Processo ausente </li></ul><ul><li>Prazos, custos e qualidade não previsível </li></ul>2. Organizado Processos principais definidos Compromissos e recursos balanceados 3. Bem estruturado Procedimentos normalizados com algum grau de controle Início de uso de indicadores 4. Otimizado Processos integrados e alinhados, com bons indicadores Metas e planos baseados em dados 5. Diferenciado Difusão de melhores práticas Compromisso com melhoria e refinamento de processos
  45. 46. Organização da Documentação Institucional Sistema Nomativo Informatizado
  46. 47. A UNIVERSIDADE VISTA POR PROCESSOS Processo executado de acordo com as regras e procedimentos? Conformidade Não conformidade <ul><li>Auditoria de Processos Educacionais </li></ul>Sim Não Procedimento Institucional Resolução Normativa Instrução Normativa
  47. 48. FOCO NA GESTÃO DE RECURSOS EDUCACIONAIS Gestão de Pessoas, Infraestrutura e de ambientes Extensão Pesquisa Ensino Processos de Suporte Indissociabilidade -1ª ONDA - fragmentação -2ª ONDA - alienação
  48. 49. Modelo de Gestión de IES por la Eficiencia Modelo de Gestión de IES por la Efectividad Modelo de Gestión de IES por la Eficacia Contextualización SUMARIO
  49. 50. “ Proporcionar a cada colaborador uma vivência profissional de sentido , de modo que encontrem na Unisul enriquecimento para sua vida pessoal e contribuindo para a excelência institucional .” GESTÃO DE PESSOAS DA UNISUL
  50. 51. “ Os que buscarem as raízes, ou os valores essenciais desta Instituição descobrirão que essas palavras – ALMA e MOTOR de seu desenvolvimento, não constituem apenas palavras, ou expressões vazias...” A Unisul na perspectiva dos próximos 40 anos Ética e Transparência Humildade Visão Integrada do Ser Humano Valorização Humana e Profissional Valorização da Postura criativa e inovadora Orientação para Aprendizagem Organizacional Liderança para resultados ALMA (valores)
  51. 52. POLÍTICAS DE GESTÃO DE PESSOAS DA UNISUL Política 1 – Atrair, identificar, manter, desenvolver e reter pessoas entusiasmadas pela causa da educação e identificadas com a missão, visão, valores da Unisul, de forma a torná-las fonte de vantagem competitiva e sustentável. Política 2 – Estimular e manter um ambiente de trabalho que promova à participação, o crescimento das pessoas por meio de relacionamento respeitoso e solidário, a valorização da confiança, da lealdade, do profissionalismo e da ética e que conduza à excelência do desempenho. Política 3 - Promover ações de educação permanente , estimulando o desenvolvimento das competências pessoal, profissional e social. Política 4 – Identificar, estimular e aprimorar as lideranças para a busca incessante de melhores resultados. Política 5 – Assegurar à evolução continua dos processos de gestão de pessoas , orientado por competências, para garantir a qualidade, presteza e confiabilidade. Política 6 - Manter sistema de remuneração e benefícios contextualizadas nas boas práticas de Mercado Política 7 – Promover e fortalecer a comunicação interna por meio de sensibilização, conscientização, envolvimento, estimulando o processo de mudança e o compartilhamento de informações e de conhecimentos.
  52. 53. POLÍTICAS DE GESTÃO DE PESSOAS DA UNISUL (exemplo de drill) Política 1 – Atrair, identificar, manter, desenvolver e reter pessoas entusiasmadas pela causa da educação e identificadas com a missão, visão, valores da Unisul, de forma a torná-las fonte de vantagem competitiva e sustentável. Diretriz 1.1 – Garantir que os processos de recrutamento e seleção considerem o conhecimento, a formação do candidato, suas habilidades técnicas e comportamentais. Ação 1.1.1 - Procedimento de Recrutamento e Seleção com Foco em Competências Diretriz 1.2 – Criar e manter um sistema de gestão de carreira, de reconhecimento e de sucessão aprimorando a identificação e retenção de talentos. Ação 1.2.1 - Plano de Cargos & Salários com Foco em Competências Ação 1.2.2 - Banco de Talentos Unisul (Mapa de Competências – Páginas Amarelas) (Em construção) Ação 1.2.3 - Programa ReconheSER Ação 1.2.4 - Programa Olhando para o Futuro: preparação para a aposentadoria Diretriz 1.3 – Consolidar práticas de absorção de novos talentos e lideranças institucionais. Ação 1.3.1 - Programa de Trainee Unisul Ação 1.3.2 - Procedimento de Estágio Curricular (Em análise) Ação 1.3.3 - Programa de Incentivo à Produção Acadêmica voltada à realidade interna (Em construção)
  53. 54. O Projeto Estratégico MinhaUnisul Colaborador (Ferramentas)
  54. 55. O Projeto Estratégico MinhaUnisul Colaborador
  55. 56. MODO DE SER UNISUL SABER SER... ...quer dizer ser um ser humano de qualidade, SABER CONVIVER... ...diz respeito à capacidade do profissional Unisul de “viver com”, ao lado de outros profissionais, de modo produtivo, sinérgico e amistoso. SABER FAZER... ...diz respeito à toda a bagagem conceitual e prática (talentos, habilidades e competências) do profissional Unisul em suas tarefas diárias, SABER APRENDER... ...diz respeito à imprescindível flexibilidade que todo profissional Unisul deve ter em relação ao que conhece e que desconhece.
  56. 57. Modelo de Gestión de IES por la Eficiencia Modelo de Gestión de IES por la Efectividad Modelo de Gestión de IES por la Eficacia Contextualización SUMARIO
  57. 58. ALINHAMENTO ESTRATÉGICO INSTITUCIONAL Modelo de Gestão Estratégica Educacional Gestão de Pessoas EIXOS ESTRATÉGICOS -Educação Permanente -Competências Essenciais -Vocação Institucional -Internacionalização -Provedora do conhecimento -... -1ª ONDA - fragmentação -2ª ONDA - alienação -3ª ONDA - alinhamento Extensão Pesquisa Ensino Processos de Suporte Indissociabilidade
  58. 59. DESAFIO: GESTÃO ESTRATÉGICA EDUCACIONAL visão estratégica pensamento estratégico planejamento estratégico
  59. 60. QUEM TEM FUNÇÃO ESTRATÉGICA NA IES?
  60. 61. A importância da Gestão Humana e Profissional no Contexto da Gestão Estratégica da Unisul (Direcionadores Estrat é gicos) Gestão Inovadora e Integrada Educação Inovadora, Criativa e de Qualidade O Aluno como foco essencial da Unisul Foco em Resultados Valoriza ç ão da Dimensão Humana e Profissional Unisul Fortalecimento dos Relacionamentos Internacionaliza ç ão da Universidade
  61. 62. PLANO DE GESTÃO UNISUL 2009-2013
  62. 63. OPERAÇÃO UNIVERSITÁRIA Modelo de Gestão de Pessoas Medição, Análise e Melhoria -1ª ONDA - fragmentação -2ª ONDA - alienação -3ª ONDA - alinhamento -4ª ONDA - sistêmica Extensão Pesquisa Ensino Processos de Suporte Indissociabilidade Modelo de Gestão Estratégica
  63. 64. GESTÃO DE INDICADORES DE DESEMPENHO EDUCACIONAL Somente conseguimos gerenciar aquilo que podemos controlar e somente controlamos o que podemos medir (CAMPOS, 1992).
  64. 65. <ul><li>MISSÃO </li></ul><ul><li>Desenvolver um modelo sistematizado e balanceado de informações gerenciais , orientadas a resultados , para o acompanhamento e controle da gestão e a tomada de decisões , a partir das diretrizes estratégicas da Unisul. </li></ul>Desempenho Acadêmico Desempenho Financeiro Desempenho de Mercado Desempenho de RH Contrato de Gestão CONSOLIDADO REITORIA PROAD PROAC CAMPUS SUL CAMPUS NORTE CAMPUS VIRTUAL O Painel do Gestor da UNISUL
  65. 66. Mapa Estratégico da UNISUL Perspectiva Mercado Perspectiva Recursos Humanos Perspectiva Operacional Perspectiva Acadêmica Incrementar a relevância da marca Aumentar a fatia de mercado Tornar a pesquisa mais eficiente Melhorar a qualidade e eficácia do ensino Incrementar a produção Monitorar a sustentabilidade econômico financeira Melhorar a produtividade Ações para incrementar a motivação e o comprometimento Investir em ações que incrementem a qualificação Tornar a extensão mais aderente as necessidades regionais
  66. 67. Aspiração Institucional 1 o nível de desdobramento 2 o nível de desdobramento (ações / iniciativas) Relações de causalidades O Painel do Gestor da UNISUL
  67. 68. Direcionadores Estratégicos Expectativas de Desempenho INSPIRADORES ESTRATÉGICOS <ul><li>Educação Flexível, Inovadora e de Qualidade </li></ul><ul><li>Foco no Aluno </li></ul><ul><li>Gestão Integrada e Descentralizada dos Campi </li></ul><ul><li>Valorização da Gestão Humana e Profissional </li></ul><ul><li>Fortalecimento dos Relacionamentos e Transparência na Comunicação </li></ul><ul><li>Foco em Resultados </li></ul>Direcionadores Estratégicos Aspiração Institucional: Aprimorar a Qualidade e os Resultados da Operação da Universidade Alinhamento estratégico O Painel do Gestor da UNISUL Cartas Compromisso Plano Pedagógico Institucional Planejamento Estratégico Planejamento Acadêmico
  68. 69. Aprimorar a Qualidade e os Resultados da Operação da Universidade Melhorar o Resultado Acadêmico Melhorar os Resultados da Operação Aumentar a Representatividade Institucional da Unisul Melhorar o Nível de Qualificação e Comprometimento dos Recursos Humanos 1 2 4 3 Desdobramento em macro-objetivos O Painel do Gestor da UNISUL
  69. 70. Melhorar o Resultado Operacional Melhorar a produtividade Incrementar a produção 1 1.1 1.2 Monitorar a sustentabilidade econômico-financeira 1.3 Desdobramento objetivos específicos O Painel do Gestor da UNISUL Aprimorar a Qualidade e a Produtividade da Operação
  70. 71. Melhorar a Produtividade Diminuir a evasão Melhorar o aproveitamento acadêmico Otimizar o processo de criação de turmas Aumentar o n o de alunos por sala de aula Diminuir / diluir custos Diminuir / diluir custos diretos Diminuir / diluir custos indiretos Monitorar expectativa dos alunos Monitorar situação financeira dos alunos Captar melhores alunos Acompanhar rendimento acadêmico dos alunos Incrementar reforço acadêmico Revisar processo de ocupação de salas de aula Aumentar a alocação de professores em sala de aula Redirecionar despesas de marketing Otimizar ocupação de salas de aula Privilegiar instrumentos de relacionamento com o aluno Monitorar eficiência das campanhas de marketing Monitorar eficiência dos canais Otimizar relacionamento contratual com professores Alongar Período Letivo Otimizar ocupação de laboratórios Implantação das UNAs Adequar espaços físicos Melhorar o Resultado Operacional 1 Aprimorar o processo de captação de alunos (ver 2.2) Apoiar/“tutoriar” vida acadêmica do aluno Aumentar a dedicação dos professores Desdobramento por processos O Painel do Gestor da UNISUL Aprimorar a Qualidade e a Produtividade da Operação 1.1 Operacional
  71. 72. % de evasão do curso Melhorar o Resultado Operacional 1 Melhorar a Produtividade % de aproveitamento acadêmico (+) (+) (-) (-) número de discentes por disciplina índice clima organizacional avaliação dos serviços (discentes) (+) % de ingressos por transferência externa % de reingressos % de readmissão % de ingressos por transferência interna % de evasão da universidade %de trancamento (graduação) % de saídas por transferência interna % de saídas por transferência externa (graduação) % de desistência (graduação) (+) % de abandono (graduação) número de trancamento número de desistência número de abandono número de saídas por transferência externa número de saídas por transferência interna Ingressantes (vestibular) Ingressantes (Hist. escolar) Ingressantes (ENEM) Ingressantes (SAEM) (+) N o de concluintes (graduação) (+) Total de discentes veteranos rematriculados (graduação) (-) N o de concluintes com diploma registrado Construção de mapas de indicadores O Painel do Gestor da UNISUL Aprimorar a Qualidade e a Produtividade da Operação 1.1
  72. 73. Conceito Objetivos Forma de Cálculo Resp. pela Informação (Área) Resp. Institucional (Cargo) Permissão para Acesso semestral Freqüência de Reporte Dimensões de Consolidação 2007/01 – 2007/02 – 2008/01 – 2008/02 – <ul><li>* Desconsiderar as disciplinas inativas (não-ofertadas), tais como: optativas, núcleo orientado e habilitação não-ofertados. </li></ul>Observações Processos Relacionados Metas Data p/ Disponibilizar a Informação abr/set Secretaria Geral de Ensino Pró-reitor Acadêmico <ul><li>Reitoria Restrita </li></ul><ul><li>Reitoria Plena </li></ul><ul><li>Gestores PROAD </li></ul><ul><li>Gestores PROAC </li></ul><ul><li>Gestores ASSEST </li></ul><ul><li>Gestores Campus </li></ul><ul><li>Gestores UNA </li></ul><ul><li>Coordenadores de Curso </li></ul><ul><li>Geral </li></ul>Representa o número de discentes matriculados na graduação numa dada disciplina. Mensurar a capacidade da universidade em diluir seus custos diretos (docentes e sala de aula) em suas atividades de ensino Σ matrículas em disciplinas Σ disciplinas ofertadas* Objetivo Estratégico : Indicador: Sistema Acadêmico – Oracle/PeopleSoft Fonte da Informação <ul><li>Universidade </li></ul><ul><li>Campus </li></ul><ul><li>Unidade </li></ul><ul><li>Curso </li></ul><ul><li>Turno </li></ul>1.1.1 número de discentes por disciplina (graduação) 1.1 Melhorar a Produtividade na graduação Definição Conceitual dos Indicadores <ul><li>Matrículas </li></ul><ul><li>Trancamentos </li></ul><ul><li>Transferências </li></ul><ul><li>Desistências </li></ul><ul><li>Abandonos </li></ul>
  73. 74. O Painel do Gestor da UNISUL PDCA Metas Dimensiones Objetivos Estrategicos Valores Misión Visión Ambiente Interno Ambiente Externo Iniciativas Indicadores Estrategicos STRATEGIC MANAGEMENT Proyeto 1 Proyeto 2 Proyeto n Programas Proyetos PROJECT MANAGEMENT Indicadores de Proyeto Metas Proceso n Proceso 1 Proceso 2 Macro Procesos Indicadores de Procesos BUSINESS PROCESS MANAGEMENT Metas
  74. 75. O Painel do Gestor da UNISUL
  75. 76. REDE DE COOPERAÇÃO INTERAMERICANA EM INDICADORES DE DESEMPENHO DE IES VISIÓN AMPLIADA DE INDICADORES DE DESEMPEÑO
  76. 77. VISÃO - MISSÃO - VALORES INDISSOLUBILIDADE ENSINO APRENDI- ZAGEM PESQUISA E TRANSFE- RÊNCIA TECNOLÓGICA EXTENSÃO E SERVIÇOS MODELO SISTÊMICO DE GESTÃO EDUCACIONAL GESTÃO DE PESSOAS GESTÃO ESTRATÉGICA MEDIÇÃO, ANÁLISE E MELHORA N E C E S S I D A D E S E E X P E C T A T I V A S S A T I S F A Ç Ã O E B E N E F Í C I O S A L U M O S S O C I E D A D E E M P R E S A E S T A D O APOIO ACADÊMICO A L U N O S S O C I E D A D E E M P R E S A E S T A D O entrada saídas Princípios -Foco no aluno e demais interessados -liderança -participação das pessoas -Orientação por processos Princípios -Visão sistêmica -Melhoria contínua -Tomada de decisão baseada por fatos e dados -benefícios mútuos nas relações
  77. 78. 45 km 90 km QUEM GANHARÁ ESTA COMPETIÇÃO?
  78. 79. Criatividade Ousadia Iniciativa Coragem para enfrentar desafios Visão
  79. 80. “ Se você for um varredor de ruas, seja o melhor varredor do mundo. Varra as ruas como se fosse Beethovem compondo, Leonardo da Vinci pintando e Shakespeare escrevendo... Por aqui, passou o melhor varredor de ruas do mundo” Martin Luther King Jr. QUEBRA DE PARADIGMAS
  80. 81. “ Existem três tipos de IES - as que fazem as coisas acontecerem; - as que ficam observando o que passou e ; - as que ficam perguntando, o que passou?” MUCHAS GRACIAS! MUITO AGRADECIDO! Prof. Luciano Rodrigues Marcelino, Dr. [email_address] Fone: + 55 (48) 36213166 / 88276800 / 99963422 www.unisul.br www.standardconsultoria.com

×