• Share
  • Email
  • Embed
  • Like
  • Save
  • Private Content
 

Livro Aspectos da História das Juventudes Brasileiras VOLUME 1 de Otávio Luiz Machado

on

  • 701 views

 

Statistics

Views

Total Views
701
Views on SlideShare
701
Embed Views
0

Actions

Likes
0
Downloads
22
Comments
0

0 Embeds 0

No embeds

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Adobe PDF

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

    Livro Aspectos da História das Juventudes Brasileiras VOLUME 1 de Otávio Luiz Machado Livro Aspectos da História das Juventudes Brasileiras VOLUME 1 de Otávio Luiz Machado Document Transcript

    • 1 OTÁVIO LUIZ MACHADO (ORG.)ASPECTOS DA HISTÓRIA DAS JUVENTUDES BRASILEIRAS(1930-1985): UM RESGATE HISTÓRICO SEM PÁGINA VIRADA [VOLUME 1: 1930-1962] PROPEJEC
    • 2 PRODUÇÃO DO LIVRORevisão: Otávio Luiz MachadoCapa: Propejec/designCréditos das Fotos: Otávio Luiz Machado____________________________________________Machado, Otávio Luiz (org.). ASPECTOS DA HISTÓRIA DAS JUVENTUDES BRASILEIRAS(1930-1985) – VOLUME 1/ Otávio Luiz Machado. - Recife: PROPEJEC, 2013. CONTATOS:CARTA PARA: Caixa Postal 7828. CEP: 50.670-000. Recife-PEFONES: 55 (81) 8762-5471 Ou 9941-6854E-MAILS: otaviomachado3@yahoo.com.br ou otaviomachado3@gmail.comBLOG: http://movimentosjuvenisbrasileiros1.blogspot.comTWITTER: http://twitter.com/otaviomachado3FACEBOOK: http://www.facebook.com/profile.php?id=100000003300640
    • 3 AGRADECIMENTOS Um trabalho de tamanha dimensão não se faz sozinho. O ato deagradecer é um demonstrativo de que tantas outras pessoas foramimportantes para a sua plena realização. Na impossibilidade deregistrar todos os nomes (o que poderia gerar esquecimentos injustosnessa hora), o que faço inicialmente é dizer o meu muito obrigado atodos os estudantes que participaram ativamente ou mesmoindiretamente em vários projetos, cujos nomes já estão registrados emtantos outros trabalhos que produzimos, o que também vale aoscolaboradores, interlocutores, apoiadores, depoentes e pessoas dediversas instituições que nos ajudaram a localizar os Documentos.Cabe registrar que boa parte do que é apresentado aqui veio dearquivos particulares, o que só aumenta a nossa responsabilidadecom a sua publicização. Aqui poderia falar da emoção de ter o acesso pessoalmente juntoàs pessoas ou de ter a grata satisfação de receber correspondênciascom o envio de diversos documentos doados aos nossos projetos.Lembro-me da emoção de abrir algumas correspondências vindas emSedex na qual estavam muitos Documentos de rara e preciosa lavra.São gestos de confiança ou até de carinho que aumenta a nossamotivação e explica um pouco a longevidade do nosso trabalho, quenunca deixou de contribuir e de atuar, tornando-se uma porta deentrada para um suporte a tantos outros trabalhos.
    • 4 Não foi por acaso que construímos um trabalho que se configuracomo o mais vigoroso no resgate da história das juventudesbrasileiras, sendo um esforço coletivo que conseguimos agrupar eexpandir para todo o Brasil. Muito ainda precisa ser feito para que osbrasileiros e brasileiras conheçam a história dos movimentos juvenise das juventudes em tantas outras particularidades. Recife, 02 de Janeiro de 2013. Otávio Luiz Machado
    • 5 SUMÁRIO GERAL COM TODOS OS VOLUMES VOLUME 1AGRADECIMENTOSSUMÁRIOAPRESENTAÇÃOINTRODUÇÃODOCUMENTO DO CENTRO ACADÊMICO CLORINDO BURNIERDA ESCOLA DE ENGENHARIA DE JUIZ DE FORA, 1932 [SOBRE AREGULAMENTAÇÃO DA PROFISSÃO DE ENGENHEIRO]UM DOS DOCUMENTOS DO DIRETÓRIO ACADÊMICO DAESCOLA DE ENGENHARIA DA UNIVERSIDADE DE MINASGERAIS (ATUAL UFMG). EM DESTAQUE A REFORMA DAEDUCAÇÃO SUPERIOR, 1933
    • 6TEXTO PRÉ-HISTÓRIA DA U.N.E. E SUA FUNDAÇÃO,INSTALAÇÃO E CONSOLIDAÇÃO (BASEADA EM MINHASMEMÓRIAS, NO LIVRO “O PODER JOVEM” DE ARTHURPOERNER E NA MEMÓRIA DE DANTE VIGGIANI), POR IRUNSANT´ ANNAESTATUTOS DO CONSELHO NACIONAL DE ESTUDANTES DAUNE, 1937RESOLUÇÕES DA ASSEMBLÉIA DO CONSELHO NACIONALDOS ESTUDANTES, PROGRAMA PARA O PERÍODO DE 1939-40REPRODUÇÃO DA CARTA DA CASA DO ESTUDANTE SEDESLIGANDO DA UNE, 1940DECRETO LEI N. 4.105, QUE RECONHECE A UNIÃO NACIONALDOS ESTUDANTES (1942)JORNAL O POLITÉCNICO ESCOLA POLITÉCNICA DA USP. EMDESTAQUE A LUTA PELA AUTONOMIA DA UNIVERSIDADE,1946NOTA DO PRESIDENTE DA UNE (ROBERTO GUSMÃO) LIDANO CONGRESSO NACIONAL BRASILEIRO EM 03/10/1947
    • 7CONSTITUIÇÃO DA UNIÃO DOS ESTUDANTES DEPERNAMBUCO (UEP), 1949DESTAQUE DE UM DOS CONGRESSOS DE ESTUDANTES DEENGENHARIA NOS ANOS 1950 – GENIVAL BARBOSAGUIMARÃESDISCURSO DE FORMATURA DE RUBENS PAIVA NA ESCOLADE ENGENHARIA DO MACKENZIE, SÂO PAULO-SP, INÍCIODOS ANOS 1950 (REPRODUÇÃO DE UMA REVISTA QUEPRESTOU UMA HOMENAGEM AO AUTOR DO DISCURSO)NOTA DA UNE SOBRE TÉRMINO DA GREVE, 1953DOCUMENTO COM HISTÓRICO DOS CONGRESSOSNACIONAIS DE ESTUDANTES DE ENGENHARIA, REVISTAACADÊMICA DA UNIVERSIDADE DO RECIFE, 1953TESE ESTUDANTIL APRESENTADA NO III CONGRESSONACIONAL DOS ESTUDANTES DE ENGENHARIA, RECIFE-PE,195TESE ESTUDANTIL APRESENTADA NO III CONGRESSONACIONAL DOS ESTUDANTES DE ENGENHARIA, RECIFE-PE,1955
    • 8UMA DAS CAPAS DO JORNAL O VIBRADOR, PUC-RJ, 1956TESE DEFENDIDA POR NELSON JANOT MARINHO (PUC-RJ) NOIV CNEE, 1956DOCUMENTO V FESTIVAL UNIVERSITÁRIO DE ARTE, 1956ANAIS DO IV CONGRESSO NACIONAL DOS ESTUDANTES DEENGENHARIA, NITERÓI-RJ, 1956DOCUMENTO LIVRO DO GRÊMIO LITERÁRIO TRISTÃO DEATAÍDE (GLTA), OURO PRETO-MG, 1952PROJETO DO REGIMENTO INTERNO DO V CONGRESSONACIONAL DOS ESTUDANTES DE ENGENHARIA, OUROPRETO-MG, 1957DOCUMENTO 2º BOLETIM INFORMATIVO DO V CONGRESSONACIONAL DE ESTUDANTES DE ENGENHARIA, 1957TESE “A PSICOLOGIA E A ESCOLA”, APRESENTADA NO VCONGRESSO NACIONAL DE ESTUDANTES DE ENGENHARIA,QUE OCORREU EM OURO PRETO-MG, 1957
    • 9TESE ESTUDANTIL “CONVERSÃO DE DISTÂNCIAS...”, PORKLEBER PINTO E FABIANO SAYÃO”, APRESENTADA NO VCONGRESSO NACIONAL DE ESTUDANTES DE ENGENHARIA,QUE ACONTECEU EM OURO PRETO-MG NO ANO DE 1957TESE ESTUDANTIL: “AEROFOTOGRAMETRIA”, DE JOSÉ JORGESEIXAS, APRESENTADA NO III CONGRESSO NACIONAL DEESTUDANTES DE ENGENHARIA, QUE ACONTECEU EM RECIFE-PE, 1955TESE ESTUDANTIL HABITAÇÃO: PROBLEMA NACIONAL DOESTUDANTE, DE JOSÉ CERQUEIRA ANTUNES, QUE FOIAPRESENTADA NO V CONGRESSO NACIONAL DOSESTUDANTES DE ENGENHARIA, REALIZADO EM OUROPRETO-MG, 1957TESE ESTUDANTIL DA NECESSIDADE DA COORDENAÇÃOENTRE OS ESTUDANTES DE ENGENHARIA, QUE FOIAPRESENTADA NO V CONGRESSO NACIONAL DOSESTUDANTES DE ENGENHARIA, REALIZADO EM OUROPRETO-MG, 1957CARTAZ DA PRIMEIRA SEMANA NACIONAL DE ESTUDANTESDE FILOSOFIA, CURITIBA-PR, 1958
    • 10SÚMULA DOS NOSSOS PROBLEMAS, DIRETÓRIO ACADÊMICODA ESCOLA DE ENGENHARIA DE PERNAMBUCO, 1958PLACA DE INAUGURAÇÃO DO RESTAURANTE DA ESCOLA DEMINAS DE OURO PRETO (REMOP), 1959LIVRETO DESTINADO AOS ESTUDANTES INTITULADO O QUEÉ A ESCOLA DE ENGENHARIA DA UNIVERSIDADE DO RECIFE,1960DISCURSO DE CELSO FURTADO PARA A TURMA DEFORMANDOS DA ESCOLA DE MINAS DE OURO PRETO, 1961DOCUMENTO A UNE E O GOLPE [SOBRE A PARTICIPAÇÃO DAUNE NA CAMPANHA DA LEGALIDADE], PORTO ALEGRE-RS,1961REPRODUÇÃO DO TEXTO “UNE E POLÍTICA EXTERNA”, UNE 25ANOS, 1960ANTEPROJETO DE REFORMA DO ESTATUTO DA UNE, DÉCADADE 1960CONSTITUIÇÃO DOS ESTUDANTES DE MINAS GERAIS, UEE-MG, 1960
    • 11DOCUMENTO COM O RELATÓRIO DA CPI DA UNE, BEASÍLIA-DF, 1962DOCUMENTOS DO VI CONGRESSO NACIONAL DOSESTUDANTES DE MEDICINA, SANTA MARIA-RS, 1961BOLETIM INFORMATIVO AOS CONGRESSISTAS DO ISEMINÁRIO NACIONAL DE REFORMA UNIVERSITÁRIA, UNE,1961REGIMENTO INTERNO DO I SEMINÁRIO DE REFORMAUNIVERSITÁRIA, UNE, 1961DOCUMENTO “PROPOSTA DA BANCADA DE SÃO PAULO AO ISEMINÁRIO NACIONAL DE REFORMA UNIVERSITÁRIA”, UNE,1961REPRODUÇÃO DA TESE DA UEE-SE AO 1 SEMINÁRIONACIONAL DE REFORMA UNIVERSITÁRIA INTITULADA“REFORMA UNIVERSITÁRIA: UMA POLÍTICA PARA AREFORMA”, UNE, 1961DOCUMENTO “CONCLUSÕES DO PRIMEIRO SEMINÁRIO DEREFORMA UNIVERSITÁRIA DA FACULDADE DE MEDICINA DAUFMG”, 1961
    • 12DOCUMENTO DA UEE-MG INTITULADO “DIRETRIZES PARAUMA REFORMA DA UNIVERSIDADE MINEIRA, 1961DOCUMENTO DA FEDERAÇÃO DOS ESTUDANTES DA UFRGSINTITULADO “REFORMA UNIVERSITÁRIA:DEMOCRATIZAÇÃO DO ENSINO”, 1961REPRODUÇÃO DA TESE APRESENTADA PELA BANCADA DESERGIPE NO I SEMINÁRIO NACIONAL DE REFORMAUNIVERSITÁRIA, UNIÃO NACIONAL DOS ESTUDANTES (UNE),1961DOCUMENTO “PROPOSTA DA BANCADA DE SERGIPE AO ISEMINÁRIO NACIONAL DE REFORMA UNIVERSITÁRIA”, UNE,1961DOCUMENTOS DA CASA DO ESTUDANTE DE OURO PRETO,1962-1963TESE APRESENTADA PELA UFF – NO II SEMINÁRIO NACIONALDE REFORMA UNIVERSITÁRIA, 1962. TÍTULO: UNIVERSIDADECOMO PARTE DE UM PROCESSO TOTAL DETRANSFORMAÇÃO DO BRASIL
    • 13DOCUMENTO DA UNIÃO DOS ESTUDANTES DO PARÁ AO IISEMINÁRIO DE REFORMA UNIVERSITÁRIA, UNE, 1962CARTA DO PARANÁ, 1962 [SOBRE OS DEBATES ACERCA DAREFORMA UNIVERSITÁRIA]TESE “REFORMA UNIVERSITÁRIA: INSTRUMENTO POLÍTICONA LUTA DO ESTUDANTE”, UNE, 1962DOCUMENTOS DA GREVE ESTUDANTIL DOS ESTUDANTESDA ESCOLA DE MINAS DE OURO PRETO-MG, 1962CAMPANHA DE ALFABETIZAÇÃO DOS ESTUDANTES DAESCOLA DE MINAS DE OURO PRETO-MG, 1962 VOLUME 2AGRADECIMENTOSSUMÁRIOAPRESENTAÇÃO
    • 14INTRODUÇÃODOCUMENTOS DO TEATRO DA ESCOLA DE MINAS DE OUROPRETO DO INÍCIO DOS ANOS 1960“ENTERRO “ SIMBÓLICO DO PROFESSOR JOAQUIM MAIAPELOS ESTUDANTES DA ESCOLA DE MINAS DE OURO PRETO,ANOS 1960PROTESTOS ESTUDANTIS DOS ESTUDANTES DA ESCOLA DEMINAS DE OURO PRETO, ANOS 1960BOLETIM DA UNIÃO DOS ESTUDANTES DE PERNAMBUCO(UEP), 1962 – TRECHOSCIRCULAR “AOS ESTUDANTES DA AMÉRICA LATINA”, FEITOPELA SECRETARIA EXECUTIVA LATINO-AMERICANA DEESTUDANTES DE ENGENHARIA, 1963DOCUMENTO UNE: LUTA ATUAL PELA REFORMAUNIVERSITÁRIA, 1963LIVRETO O QUE É A UNE, 1963
    • 15CIRCULAR DA UNE SOBRE AMPLIAÇÃO DO NÚMERO DEVAGAS NAS UNIVERSIDADES, JANEIRO DE 1964OFÍCIO-CIRCULAR DO GENERAL GUEDES FECHANDO TODOSOS DIRETÓRIOS ACADÊMICOS DO ESTADO DE MINASGERAIS, 14 DE ABRIL DE 1964MANIFESTO “AOS UNIVERSITÁRIOS”, ASSINADO PORPRESIDENTES DE UEES EM 1964DOCUMENTOS DO MOVIMENTO ESTUDANTIL NA UFPE PÓSGOLPE DE 64 (COM AS ELEIÇÕES DO DCE DA UFPE EINFORMES DOS NOMES DOS MEMBROS DAS ENTIDADESESTUDANTIS NA INSTITUIÇÃO)DOCUMENTOS DAS LIDERANÇAS ESTUDANTIS DA UFPEREQUERENDO ELEIÇÕES PARA O DCE, 1965DECRETO Nº 57.634, DE 1966, QUE SUSPENDE A UNEDECRETO Nº 58.921, DE 1966, QUE SUSPENDE A UEE-MGDESTAQUE DE UM DOS NÚMEROS DO JORNAL O MARTELO,DO DIRETÓRIO ACADÊMICO DA ESCOLA DE MINAS DE OURO
    • 16PRETO: “POLÍTICA EDUCACIONAL DO GOVÊRNO:REPRESSÃO”, 1968DOCUMENTOS FOTOS CENAS DE 1968 ATRAVÉS DA REVISTAVEJADOCUMENTO DEFENDER A UNE E REALIZAR VIGOROSASAÇÕES DE MASSAS, 1968DOCUMENTO O MOVIMENTO ESTUDANTIL E A LUTAPOPULAR, POR JEAN MARC, 1968DOCUMENTO O POVO NA LUTA DERROTA A DITADURA EEXPULSA O IMPERIALISMO, 1968DOCUMENTO PROGRAMA PARA O MOVIMENTOESTUDANTIL, 1968DECRETO Nº 64.305 - SUSPENDE A FEDERAÇÃO DEESTUDANTES DA UNB, 1969REPÚBLICA AQUARIUS DE OURO PRETO-MG, UMACONQUISTA DO MOVIMENTO ESTUDANTIL UNIVERSITÁRIO,1968-69
    • 17DESTAQUE DE UMA DAS PARTES DO LIVRO DE FORMATURADA ESCOLA DE MINAS DE OURO PRETO, EM 1969. JURAMENTODOS ENGENHEIRANDOSESTATUTO DO MOVIMENTO POR OURO PRETO, ANOS 1970INFORMATIVO SOBRE 1º SEMINÁRIO REGIONAL DEENGENHARIA CENTRO ACADÊMICO ARMANDO SALLESOLIVEIRA CAASO, ANOS 1970UM DOS NÚMEROS DO “SUPLEMENTO”: CENTROACADÊMICO SANTOS DUMONT DO INSTITUTOTECNOLÓGICO DE AERONÁUTICA (ITA), 1973DOCUMENTO ESTUDANTES DE ENGENHARIA ANALISAM OENSINO DE ENGENHARIA NO BRASIL, 1974RELATÓRIO DA CASA DO ESTUDANTE DE PERNAMBUCO 1970-74CAPA DE UM NÚMEROS DO JORNAL “O MARTELO”, DODIRETÓRIO ACADÊMICO DA ESCOLA DE MINAS DAUNIVERSIDADE FEDERAL DE OURO PRETO, 1976
    • 18DOCUMENTOS DA ÉPOCA DE ZÉLIO FURTADO PRESIDENTEDO DIRETÓRIO ACADÊMICO DA FACULDADE DE DIREITO DAUFPE, RECIFE-PE, MEADOS DOS ANOS 1970REPRODUÇÃO DO JORNAL “SEMINÁRIO DOS ESTUDANTESDE ENGENHARIA, 1978PROTESTOS DOS ESTUDANTES DE OURO PRETO NOS ANOS1970ASSEMBLÉIA GERAL DOS ESTUDANTES DA UFOP NO CENTROACADÊMICO DA ESCOLA DE MINAS (CAEM), 1975 VOLUME 3AGRADECIMENTOSSUMÁRIOAPRESENTAÇÃOINTRODUÇÃO
    • 19LIVRETO CAASO, 25 ANOS DE LUTA, 1978LIVRETO 75 ANOS DO GRÊMIO POLITÉCNICO DA USP, 1978LIVRO MEMOREX: ELEMENTOS PARA A HISTÓRIA DA UNE,1978 (COM POSFÁCIO)PARTES DO LIVRO A VOLTA DA UNE: DE IBIÚNA ASALVADOR (ORGANIZADO POR LUIZ HENRIQUEROMAGNOLI E TANIA GONÇALVES), 1979CARTAZ DO I CONGRESSO DA UEE-MG, RECONSTRUÇÃO, 1979DOCUMENTO “DISCURSO DE DORALINA RODRIGUES NOCONGRESSO DE ABERTURA DA REABETURA DA UEE-MG,OURO PRETO, 1979MATÉRIA SOBRE DORALINA RODRIGUES EM CONGRESSOESTUDANTIL EM OURO PRETO-MG, 1979: “EX-DIRIGENTE DAUNE REAPARECE”DOCUMENTO “REUNIÃO DA DIRETORIA PROVISÓRIA DAUEE-MG”, EM 1979CARTAZ DO II CONGRESSO DA UEE-MG, ANOS 1980
    • 20DOCUMENTO VAMOS BOTAR DE PÉ A NOSSA UEE,JORNAL MURAL DA UEE/MG Nº 1, S.D.JORNAL PRÓ-UNE, UNIÃO NACIONAL DOS ESTUDANTES(UNE), 1979BOLETIM POR UMA NOVA UNE, 1982BOLETIM N. 5 DO 34º CONGRESSO DA UNE”, 1982JORNAL DO CENTRO DE ESTUDANTES DE ENGENHARIA DAESCOLA DE ENGENHARIA DA UNIVERSIDADE FEDERAL DORIO GRANDE DO SUL, 1983PROTESTOS ESTUDANTIS EM OURO PRETO-MG, 1983DOCUMENTO LIVRO A UNE CONTRA O SNI, 1987MANUAL DO XIX ECEM - ENCONTRO DE ESTUDANTES DEMEDICINA, 1988
    • 21FOTOS DA MILITÂNCIA NA JUVENTUDE DO PSB EMILITÂNCIA DA JSB NAS PASSEATAS PELO IMPEACHMENTDE COLLOR NA AVENIDA PAULISTA (SP), 1992DOCUMENTOS GREVE ESTUDANTIL DA FFLCH-USP, 2002(ORGANIZADO POR ROSA UDAETA)ENCARTE DITADURA NUNCA MAIS - SOBRE 1964 NA REVISTADA FUNDAÇÃO PERSEU ABRAMO, 2004IMAGENS DA CAMPANHA DAS REPÚBLICAS DA UFOP, OUROPRETO-MG, ANOS 2006TESE DA CORRENTE PROLETÁRIA ESTUDANTIL AOCONGRESSO NACIONAL DOS ESTUDANTES DA UNE, 2007FOTOS PROTESTO DOS BOLSISTAS DO PROGRAMACONEXÕES DE SABERES DA UFPE, RECIFE-PE, 2009FOTOS DIVERSAS DO PROTESTO DOS ESTUDANTES DOCAMPUS DA UNIVERSIDADE DE PERNAMBUCO (UPE) EMNAZARÉ DA MATA-PE, 2011
    • 22ALGUNS DOCUMENTOS DOS PROTESTOS ESTUDANTISCONTRA O AUMENTO DAS PASSAGENS DE ONIBUS, RECIFE-PE, 27 DE JANEIRO DE 2012DOCUMENTOS DA ELEIÇÃO DO DCE DA UNIVERSIDADECATÓLICA DE PERNAMBUCO (UNICAP), OUTUBRO 2012CARTAZ DA CHAMADA PELO DCE DA UFRPE DO ATO DEREMATRÍCULA DO ESTUDANTE ODIJAS CARVALHO, 2012JORNAL DO DCE ODIJAS CARVALHO DA UFRPE, JULHO-AGOSTO DE 2012
    • 23 APRESENTAÇÃO Os novos volumes que se incorporam à coleção JUVENTUDES,DEMOCRACIA, DIREITOS HUMANOS E CIDADANIA doPROGRAMA PLURALIDADES, JUVENTUDES, EDUCAÇÃO ECIDADANIA (PROPEJEC), como deveria não deixar de ser, apresentanovidades para o leitor ao publicizar uma documentação coletada emdiversos momentos e em vários projetos. A primeira tentativa de sistematização de parte dos Documentosaqui relacionados veio com um DVD-rom produzido pelo projeto AENGENHARIA NACIONAL, OS ESTUDANTES E A EDUCAÇÃOSUPERIOR: 1930-85 (PROENGE), sendo seguido de diversos blogscujo único objetivo era contribuir com a realização de novos projetose dar suporte às pesquisas do tema por tantas outras pessoas nofuturo. O que foi cumprido. Ao longo do livro indicamos as fontes dos quais os Documentosforam reproduzidos, como o da Escola de Minas de Ouro Preto-MG,de particulares, do Congresso Nacional, da Escola Politécnica da USP,do Centro Acadêmico Horace Lane da Escola de Engenharia doMackenzie, da Escola de Engenharia de Pernambuco, do ArquivoCentral da UFPE e da Presidência da República.
    • 24 Tantos outros livros da Coleção citada acima dão conta da análiseque foi feita com esses e tantos outros Documentos, o que seriaduplicar por aqui um trabalho já realizado. Eis o motivo de só sepublicar os Documentos sistematizados, sendo cada um fonte deinformações e de conhecimentos que pode ser extraída. O grande contributo do nosso trabalho é passar por toda ahistória das juventudes brasileiras, que não se resume apenas aos trêsprimeiros volumes do livro ASPECTOS DA HISTÓRIA DASJUVENTUDES BRASILEIRAS (1930-1985): UM RESGATEHISTÓRICO SEM PÁGINA VIRADA, mas a tantos outros trabalhosjá disponíveis para consulta e download na internet. É assim que tal obra é apresentada, ou seja, aqui não se mostraapenas um aspecto de uma obra, mas de todo um trabalho que aospoucos vai sendo disponibilizado para que se produza cidadania.
    • 25 INTRODUÇÃO: UMA PÁGINA (QUASE) VIRADA NORESGATE DA HISTÓRIA MOVIMENTO ESTUDANTILBRASILEIRO “Esse Projeto é evidentemente muito importante. E no caso nosso, especialmente daqui em Pernambuco, ele colocou na ordem do dia a temática da juventude. É um projeto sistemático voltado para essa temática, nucleando pessoas, reunido material, organizando seminários e publicações. E isso realmente é novo. Ele tem trazido uma contribuição rica pelo que tem suscitado e vai suscitar” (Professor Denis Bernardes). A foto abaixo apareceu por acaso num trabalho de coleta dedados sobre a história do movimento estudantil. Na verdade, a folhanão virada foi fotografada em pleno movimento, o que a princípiopode ser só um erro durante a digitalização de documentos.
    • 26 Só me deparei de verdade para o significado dessa foto agora naprodução desse livro, que traz ao nosso trabalho uma reflexão sobrevirar ou não virar a página, mudar ou não mudar de uma vez atemática das pesquisas, mesmo que ainda não cheguemos naquelafase considerada como ponto de saturação. Já faz algum tempo quetento mudar o tema do trabalho sobre as juventudes, buscando partirnão mais da história, mas do cotidiano das juventudes na cidade. Ao mesmo tempo, quando percebo que são pouquíssimas aspessoas realizando o resgate que fazemos, a impressão que vemsempre é que precisamos continuar mesmo com tantos outros temasem maior evidência no nosso cotidiano de pesquisas. Talvez adiminuição no ritmo possa ser a solução nesse momento. Mas não poderia deixar essa “diminuição” de ritmo ser celebradasem dar mais um salto ou sem fazer um balanço do que foi feito,porque falamos de um trabalho consolidado e já conhecido pordiversas pessoas e instituições. Quando trabalhamos especificamente com o tema do movimentoestudantil ficamos satisfeitos por ver uma resenha sobre o nossotrabalho publicada na Revista Crítica de Ciências Sociais, que é umadas mais importantes e conceituadas no campo das Humanas nomundo. Lá se dizia o seguinte: “O propósito de Machado e de seugrupo de pesquisa é sem dúvida um debate público da memória domovimento estudantil”. Também foi dado destaque nos veículos de comunicação paraum público maior, como é o caso do Jornal do Commercio de Recife,
    • 27que o trabalho realizado abrangia uma dimensão nacional. “Aspesquisas a respeito do movimento estudantil no País encontram emPernambuco um pioneiro campo de estudos. Hoje, os estudostornaram-se referência nacional e já alcançam um espectro bem maisamplo” (janeiro de 2009). Na mesma linha foi o que analisou o Diario de Pernambuco:“Nem sempre a juventude foi uma banda numa propaganda derefrigerante. (...) Fenômenos sociais que estão no amplo levantamentofeito por um programa inédito em nível nacional” (janeiro de 2009). Um grande trabalho não só de publicações foi feito, mas deorientação de estudantes e de formação de pesquisadores sociais, oque forjou a aproximação entre ensino, pesquisa e extensão. O queconsidero ser esse envolvimento dos estudantes com os nossostrabalhos um dos pontos altos de tudo que fizemos. O apoio da imprensa é outro aspecto a considerar, pois sem apublicização do que fazíamos não seria possível formar outro grandeaspecto de todo o trabalho: uma rede de colaboração altamenteprodutiva.
    • 28 A ida a tantos locais ou a recepção a tantas pessoas que vieramaté nós só indica que conseguimos mobilizar todo um conjunto depessoas e instituições na construção de um campo de estudos sobre ajuventude brasileira. Não só no Brasil, mas até no exterior.
    • 29 O saldo é muito grande. Só indica que valeu e vale a pena lutarpelo que acredita. Para quem abriu campos raros, como o estudo dasmoradias universitárias no Brasil, os movimentos estudantis nasescolas de Engenharia do País, os movimentos juvenis em Recife nosanos 1970 e 1980, os protestos públicos na contemporaneidade e tantasoutras inovações, o que se pode dizer é que não existe trabalho
    • 30inconcluso, porque colaborar com os próximos trabalhos é quasecomo se fosse uma missão. È sabido que inovamos também na divulgação científica, o querelatamos em congressos científicos internacionais um pouco dessametodologia e dos seus principais resultados. È sempre necessário efundamental inovar mesmo com muitos anos de pesquisa dosmesmos temas e com muitos resultados exitosos apresentados. Nas últimas páginas da introdução apresento algumas imagensde nossos entrevistados, que certamente são outro grande orgulho dosprojetos. À medida do possível iremos divulgando a própria históriado nosso trabalho nos próximos livros e momentos.
    • 31
    • 32
    • 33
    • 34
    • 35
    • 36
    • 37
    • 38
    • 39 DOCUMENTO DO CENTRO ACADÊMICO CLORINDO BURNIER DA ESCOLA DE ENGENHARIA DE JUIZDE FORA, 1932 [SOBRE A REGULAMENTAÇÃO DA PROFISSÃO DE ENGENHEIRO]11 Reproduzido a partir de arquivos particulares.
    • 40
    • 41
    • 42 UM DOS DOCUMENTOS DO DIRETÓRIO ACADÊMICO DA ESCOLA DE ENGENHARIA DA UNIVERSIDADE DE MINASGERAIS (ATUAL UFMG). EMDESTAQUE A REFORMA DA EDUCAÇÃO SUPERIOR, 193322 Reproduzido de arquivos particulares,
    • 43
    • 44 TEXTO PRÉ-HISTÓRIA DA U.N.E. E SUA FUNDAÇÃO, INSTALAÇÃO E CONSOLIDAÇÃO (BASEADA EM MINHAS MEMÓRIAS, NO LIVRO “O PODER JOVEM” DE ARTHUR POERNER E NA MEMÓRIA DE DANTE VIGGIANI)3 IRUN SANT´ ANNA43 A documentação aqui reunida foi entregue pelo autor ao pesquisador Otávio LuizMachado, em dezembro de 2005, para os Projetos “Memória Virtual do MovimentoEstudantil Brasileiro” e “A Engenharia Nacional, Estudantes e Educação Superior:a Memória Reabilitada (1930-1985)”. O autor é médico. Participou da fundação daUnião Nacional dos Estudantes (UNE), em 1938.4
    • 45
    • 46
    • 47
    • 48
    • 49
    • 50
    • 51
    • 52
    • 53
    • 54 ESTATUTOS DO CONSELHO NACIONAL DE ESTUDANTES DA 5 UNE, 19375
    • 55
    • 56
    • 57
    • 58
    • 59
    • 60
    • 61
    • 62 RESOLUÇÕES DA ASSEMBLÉIA DO CONSELHO NACIONAL DOS ESTUDANTES,PROGRAMA PARA O 6 PERÍODO 1939-406
    • 63
    • 64
    • 65
    • 66 REPRODUÇÃO DACARTA DA CASA DO ESTUDANTE SE DESLIGANDO DA 7 UNE, 19407
    • 67
    • 68
    • 69
    • 70 DECRETO LEI N. 4.105, QUE RECONHECE A UNIÃO NACIONAL DOS ESTUDANTES 8 (1942)8 Reproduzido dos arquivos da Presidência da República.
    • 71DECRETO-LEI N. 4.105 – DE 11 DE FEVEREIRO DE 1942Reconhece a União Nacional dos Estudantes comoentidade coordenadora e representativa dos corposdiscentes dos estabelecimentos de ensino superiorO Presidente da República, usando da atribuição que lheconfere o art. 180 da Constituição,DECRETA:Art. 1º A União Nacional dos Estudantes, fundada a 11 deagosto de 1937, é considerada a entidade coordenadora erepresentativa dos corpos discentes dos estabelecimentosde ensino superior de todo o país.Art. 2º A União Nacional dos Estudantes reger-se-á pelosseus estatutos, aprovados por decreto do Presidente daRepública.Art. 3º O Ministro da Educação convocará uma assembléiarepresentativa dos diretórios acadêmicos dosestabelecimentos de ensino superior, federais,reconhecidos ou autorizados, para elaboração dosestatutos referidos no artigo anterior e eleição, para oseguinte mandato, dos orgãos de direção que foreminstituídos.
    • 72Art. 4º Até a decretação dos novos estatutos da UniãoNacional dos Estudantes, vigorarão os atuais.Art. 5º Fica incorporada à União Nacional dos Estudantesa Confederação dos Desportos Universitários, instituídapelo decreto-lei n. 3.617, de 15 de setembro de 1941.Art 6º Este decreto-lei entrará em vigor na data de suapublicação.Art. 7º Ficam revogadas as disposições em contrário.Rio de Janeiro, 11 de fevereiro de 1942, 121º daIndependência e 54º da República.GETULIO VARGAS.Gustavo Capanema.
    • 73 CONSTITUIÇÃO DA UNIÃO DOS ESTUDANTES DE PERNAMBUCO 9 (UEP), 19499 Reprodução de arquivos particulares.
    • 74
    • 75
    • 76
    • 77
    • 78
    • 79
    • 80
    • 81
    • 82
    • 83
    • 84
    • 85
    • 86
    • 87
    • 88
    • 89 JORNAL O POLITÉCNICO ESCOLA POLITÉCNICA DA USP. EM DESTAQUE A LUTA PELA AUTONOMIA DA UNIVERSIDADE, 19461010 Reprodução de arquivos particulares.
    • 90
    • 91 NOTA DO PRESIDENTE DA UNE (ROBERTO GUSMÃO) LIDA NO CONGRESSO NACIONAL BRASILEIRO EM 11 03/10/194711 Reproduzido de arquivos particulares.
    • 92NOTA DO PRESIDENTE DA UNE (ROBERTOGUSMÃO) LIDA NO CONGRESSO NACIONALBRASILEIRO EM 03/10/1947A diretoria da União Nacional dos Estudantes solicitadivulgar o seguinte:1. Causaram estranhesa à classe estudantil, as sensacionaismanchetes dos vespertinos de ontem, provocadas pelasinfelizes declarações do Sr. Hamilton Nogueira contra aUnião Nacional dos Estudantes.2. O Senador Hamilton Nogueira afirmou que a UNE estáeivada de comunistas. Tais palavras carecem defundamento. A União Nacional dos Estudantes congrega osalunos de todas as escolas superiores do país, acima dequalquer distinções políticas. A afirmação de S. Exªdemonstra uma total ignorância dos objetivos das entidadesda classe universitária.A atual Diretoria da UNE foi eleita por larga margem devotos num congresso em que se encontrava legitimamenterepresentada toda a classe estudantil brasileira e, até agora,não tem feito senão cumprir as resoluções do referidocertamem, como podemos provar.
    • 93Levando-se em conta a gravidade das acusações do senadorHamilton Nogueira à União Nacional dos Estudantes,vanguardeira das lutas pela democracia em nosso país –reptamos S. Exª a apontar e documentar qualquer atitudepartidária da atual diretoria.3. A “Campanha Nacional pró petróleo” foi lançada emobediência a uma determinação do Congresso.Evidentemente, não perguntemos aos colegas que desejamas letras dos cartazes, o credo político que professam. Istoseria absurdo. Porém, estamos certos de que as legendasque neles figuram nada contém de partidário. Frisamos quea UNE ainda não exagerou ponto de vista sobre aexploração do petróleo e que os referidos cartazes limitam aagitar a questão de interesse para o nosso povo.4) Acrescentamos, outrossim, que o ex-colega ErnestoBagdócimo negou que tivesse prestado qualquerinformação a respeito ao senador Hamilton Nogueira;5) Terminado êstes esclarecimentos, queremos deixar bemclaro não serão palavras como as do Senador HamiltonNogueira que poderão dividir e enfraquecer a classeestudantil.Os estudantes estão firmes e unidos e nada os afastará das
    • 94normas diretrizes traçadas pela Declaração de Princípios ePrograma Administrativo do recente X CongressoNacional.A Diretoria.Rio de Janeiro, 2 de outubro de 1947Roberto Gusmão, Presidente
    • 95DESTAQUE DE UMDOS CONGRESSOS ESTUDANTES DEENGENHARIA NOS ANOS 1950 –GENIVAL BARBOSA GUIMARÃES**
    • 96
    • 97 DISCURSO DE FORMATURA DE RUBENS PAIVA NA ESCOLA DE ENGENHARIA DO MACKENZIE, SÂO PAULO- SP, INÍCIO DOS ANOS 1950 (REPRODUÇÃO DE UMA REVISTA QUE PRESTOU UMA HOMENAGEM AO AUTOR DO DISCURSO)1212 Reproduzido dos arquivos da Universidade Mackenzie.
    • 98
    • 99
    • 100
    • 101
    • 102 DOCUMENTO LIVRO DO GRÊMIO LITERÁRIO TRISTÃO DE ATAÍDE (GLTA), OURO PRETO-MG, 13 195213 Reproduzido de arquivos particulares
    • 103
    • 104
    • 105
    • 106
    • 107
    • 108
    • 109
    • 110
    • 111
    • 112
    • 113
    • 114
    • 115
    • 116
    • 117
    • 118
    • 119
    • 120
    • 121
    • 122
    • 123
    • 124
    • 125
    • 126
    • 127
    • 128
    • 129
    • 130
    • 131
    • 132
    • 133
    • 134
    • 135
    • 136
    • 137
    • 138
    • 139
    • 140
    • 141
    • 142
    • 143
    • 144
    • 145
    • 146
    • 147
    • 148
    • 149
    • 150
    • 151
    • 152
    • 153 NOTA DA UNESOBRE TÉRMINO DA 14 GREVE, 195314 Reproduzido de arquivos particulares.
    • 154
    • 155 DOCUMENTO COM HISTÓRICO DOS CONGRESSOS NACIONAIS DE ESTUDANTES DE ENGENHARIA, REVISTA ACADÊMICA DA UNIVERSIDADE DO RECIFE, 195315 Reproduzido do Arquivo da Escola de Engenharia de15Pernambuco, Recife-PE.
    • 156
    • 157 TESE ESTUDANTIL APRESENTADA NO III CONGRESSO NACIONAL DOS ESTUDANTES DE ENGENHARIA, 16 RECIFE-PE, 195516 Reproduzido de arquivos particulares.
    • 158
    • 159
    • 160
    • 161
    • 162
    • 163
    • 164
    • 165
    • 166
    • 167
    • 168 REGULAMENTO DOS CONGRESSOS NACIONAISDE ESTUDANTES DE 17 ENGENHARIA, 1955 Reproduzido do Arquivo da Escola de Minas de Ouro17Preto-MG.
    • 169
    • 170
    • 171
    • 172
    • 173
    • 174
    • 175 UMA DAS CAPAS DO JORNAL O VIBRADOR, PUC-RJ, 18 195618 Reproduzido de arquivos particulares.
    • 176
    • 177 TESE DEFENDIDAPOR NELSON JANOT MARINHO (PUC-RJ) 19 NO IV CNEE, 195619 Reproduzido de arquivos particulares.
    • 178
    • 179
    • 180
    • 181 DOCUMENTO V FESTIVAL UNIVERSITÁRIO DE 20 ARTE, 195620 Reproduzido de arquivos particulares.
    • 182
    • 183
    • 184
    • 185 ANAIS DO IV CONGRESSO NACIONAL DOS ESTUDANTES DE ENGENHARIA, 21 NITERÓI-RJ, 195621 Reproduzido de arquivos particulares.
    • 186
    • 187
    • 188
    • 189
    • 190
    • 191
    • 192
    • 193
    • 194
    • 195
    • 196
    • 197
    • 198
    • 199
    • 200
    • 201
    • 202
    • 203
    • 204
    • 205
    • 206
    • 207
    • 208
    • 209
    • 210
    • 211 PROJETO DO REGIMENTO INTERNO DO V CONGRESSO NACIONAL DOS ESTUDANTES DE ENGENHARIA, OURO 22 PRETO-MG, 195722 Reproduzido de arquivos particulares
    • 212
    • 213
    • 214
    • 215
    • 216
    • 217
    • 218
    • 219
    • 220 DOCUMENTO 2º BOLETIM INFORMATIVO DO V CONGRESSO NACIONAL DE ESTUDANTES DE 23 ENGENHARIA, 195723 Reproduzido de arquivos particulares
    • 221
    • 222
    • 223
    • 224
    • 225
    • 226
    • 227
    • 228
    • 229
    • 230
    • 231 TESE “A PSICOLOGIA E A ESCOLA”, APRESENTADA NO V CONGRESSO NACIONAL DE ESTUDANTES DE ENGENHARIA, QUE OCORREU EM OURO 24 PRETO-MG, 195724 Reproduzido de arquivos particulares
    • 232
    • 233
    • 234
    • 235
    • 236
    • 237
    • 238 TESE ESTUDANTIL “CONVERSÃO DEDISTÂNCIAS...”, POR KLEBER PINTO E FABIANO SAYÃO”,APRESENTADA NO V CONGRESSO NACIONAL DE ESTUDANTES DE ENGENHARIA, QUE ACONTECEU EMOURO PRETO-MG NO 25 ANO DE 195725 Reproduzido de arquivos particulares
    • 239
    • 240
    • 241
    • 242
    • 243
    • 244 TESE ESTUDANTIL: “AEROFOTOGRAME TRIA”, DE JOSÉ JORGE SEIXAS, APRESENTADA NO III CONGRESSO NACIONAL DE ESTUDANTES DE ENGENHARIA, QUE ACONTECEU EM 26 RECIFE-PE, 195526 Reproduzido de arquivos particulares
    • 245
    • 246
    • 247
    • 248
    • 249
    • 250
    • 251
    • 252
    • 253
    • 254 TESE ESTUDANTIL HABITAÇÃO: PROBLEMA NACIONAL DO ESTUDANTE, DE JOSÉ CERQUEIRAANTUNES , QUE FOIAPRESENTADA NO V CONGRESSO NACIONAL DOS ESTUDANTES DE ENGENHARIA, REALIZADO EM
    • 255 OURO PRETO-MG, 27 195727 Reproduzido de arquivos particulares
    • 256
    • 257
    • 258 TESE ESTUDANTILDA NECESSIDADE DA COORDENAÇÃO ENTRE OS ESTUDANTES DE ENGENHARIA, QUE FOI APRESENTADA NO V CONGRESSO NACIONAL DOS ESTUDANTES DE ENGENHARIA, REALIZADO EM
    • 259 OURO PRETO-MG, 28 195728 Reproduzido de arquivos particulares
    • 260
    • 261 CARTAZ DA PRIMEIRA SEMANA NACIONAL DE ESTUDANTES DE FILOSOFIA, 29 CURITIBA-PR, 1958 Reproduzido a partir do Arquivo Central da UFPE,29Recife-PE
    • 262
    • 263 SÚMULA DOS NOSSOS PROBLEMAS, DIRETÓRIO ACADÊMICO DA ESCOLA DE ENGENHARIA DE 30 PERNAMBUCO, 195830 Reproduzido de arquivos particulares.
    • 264
    • 265
    • 266
    • 267
    • 268
    • 269
    • 270
    • 271
    • 272
    • 273 PLACA DE INAUGURAÇÃO DO RESTAURANTE DA ESCOLA DE MINAS DE OURO PRETO 31 (REMOP), 195931 Reproduzido de arquivos particulares.
    • 274
    • 275 LIVRETO DESTINADO AOS ESTUDANTES INTITULADO O QUE É A ESCOLA DE ENGENHARIA DA UNIVERSIDADE DO 32 RECIFE, 196032 Reproduzido de arquivos particulares.
    • 276
    • 277
    • 278
    • 279
    • 280
    • 281
    • 282
    • 283
    • 284
    • 285
    • 286
    • 287
    • 288
    • 289
    • 290
    • 291
    • 292 CONSTITUIÇÃO DOS ESTUDANTES DE MINAS GERAIS, UEE- 33 MG, 196033 Reproduzido de arquivos particulares.
    • 293
    • 294
    • 295
    • 296
    • 297
    • 298
    • 299
    • 300 REPRODUÇÃO DO TEXTO “UNE E POLÍTICA EXTERNA”, UNE 25 34 ANOS, 196034 Reproduzido de arquivos particulares.
    • 301
    • 302
    • 303
    • 304
    • 305
    • 306
    • 307
    • 308 ANOS 1960 ANTEPROJETO DE REFORMA DO ESTATUTO DA UNE, 35 DÉCADA DE 196035 Reproduzido de arquivos particulares.
    • 309
    • 310
    • 311
    • 312
    • 313 DISCURSO DE CELSO FURTADO PARA ATURMA DE FORMANDOSDA ESCOLA DE MINAS DE 36 OURO PRETO, 196136 Reproduzido da Revista da Escola de Minas, Ouro Preto-MG.
    • 314
    • 315
    • 316
    • 317
    • 318DOCUMENTO A UNEE O GOLPE [SOBRE A PARTICIPAÇÃO DA UNE NA CAMPANHA DA LEGALIDADE],PORTO ALEGRE-RS, 37 196137 Reproduzido de arquivos particulares.
    • 319
    • 320
    • 321
    • 322
    • 323
    • 324
    • 325
    • 326
    • 327
    • 328
    • 329
    • 330
    • 331
    • 332
    • 333
    • 334
    • 335
    • 336
    • 337
    • 338
    • 339
    • 340
    • 341
    • 342
    • 343
    • 344
    • 345
    • 346
    • 347
    • 348
    • 349
    • 350
    • 351
    • 352
    • 353 DOCUMENTOS DO VI CONGRESSO NACIONAL DOS ESTUDANTES DE MEDICINA, SANTA 38 MARIA-RS, 196138 Reproduzido de arquivos particulares.
    • 354
    • 355
    • 356
    • 357 BOLETIM INFORMATIVO AOS CONGRESSISTAS DO I SEMINÁRIO NACIONAL DE REFORMA UNIVERSITÁRIA, 39 UNE, 196139 Reproduzido de arquivos particulares.
    • 358
    • 359
    • 360
    • 361 REGIMENTO INTERNO DO I SEMINÁRIO DE REFORMA UNIVERSITÁRIA, 40 UNE, 196140 Reproduzido de arquivos particulares.
    • 362
    • 363
    • 364
    • 365 DOCUMENTO “PROPOSTA DA BANCADA DE SÃO PAULO AO I SEMINÁRIO NACIONAL DE REFORMA UNIVERSITÁRIA”, 41 UNE, 196141 Reproduzido de arquivos particulares.
    • 366
    • 367
    • 368 REPRODUÇÃO DA TESE DA UEE-SE AO 1 SEMINÁRIO NACIONAL DE REFORMA UNIVERSITÁRIA INTITULADA “REFORMA UNIVERSITÁRIA: UMA POLÍTICA PARA A 42 REFORMA”, UNE, 196142 Reproduzido de arquivos particulares.
    • 369
    • 370
    • 371
    • 372
    • 373
    • 374
    • 375 DOCUMENTO “CONCLUSÕES DO PRIMEIRO SEMINÁRIO DE REFORMA UNIVERSITÁRIA DA FACULDADE DE MEDICINA DA 43 UFMG”, 196143 Reproduzido de arquivos particulares.
    • 376
    • 377
    • 378
    • 379
    • 380
    • 381
    • 382
    • 383
    • 384
    • 385
    • 386
    • 387
    • 388
    • 389
    • 390
    • 391
    • 392 DOCUMENTO DA UEE-MG INTITULADO “DIRETRIZES PARA UMA REFORMA DA UNIVERSIDADE 44 MINEIRA”44 Reproduzido de arquivos particulares.
    • 393
    • 394
    • 395
    • 396
    • 397
    • 398
    • 399
    • 400
    • 401
    • 402
    • 403
    • 404
    • 405
    • 406
    • 407 DOCUMENTO DA FEDERAÇÃO DOS ESTUDANTES DA UFRGS INTITULADO “REFORMA UNIVERSITÁRIA: DEMOCRATIZAÇÃO 45 DO ENSINO”, 196145 Reproduzido de arquivos particulares.
    • 408
    • 409
    • 410
    • 411
    • 412
    • 413
    • 414
    • 415
    • 416
    • 417
    • 418
    • 419
    • 420
    • 421
    • 422
    • 423 REPRODUÇÃO DA TESE APRESENTADA PELA BANCADA DE SERGIPE NO I SEMINÁRIO NACIONAL DE REFORMA UNIVERSITÁRIA, UNIÃO NACIONAL DOS ESTUDANTES (UNE), 46 196146 Reproduzido de arquivos particulares.
    • 424
    • 425
    • 426
    • 427
    • 428 DOCUMENTO “PROPOSTA DA BANCADA DE SERGIPE AO I SEMINÁRIO NACIONAL DE REFORMA UNIVERSITÁRIA”, 47 UNE, 196147 Reproduzido de arquivos particulares.
    • 429
    • 430
    • 431
    • 432
    • 433
    • 434
    • 435
    • 436
    • 437
    • 438 DOCUMENTO RELATÓRIO DA CPI DA UNE, BRASÍLIA- 48 DF, 196248 Reproduzido de arquivos do Congresso Nacional,Brasília-DF
    • 439
    • 440
    • 441
    • 442
    • 443
    • 444
    • 445
    • 446 TESE APRESENTADA PELA UFF – NO II SEMINÁRIO NACIONAL DE REFORMA UNIVERSITÁRIA, 1962. TÍTULO: UNIVERSIDADE COMO PARTE DE UM PROCESSO TOTAL DE TRANSFORMAÇÃO 49 DO BRASIL49 Reproduzido de arquivos particulares.
    • 447
    • 448
    • 449
    • 450
    • 451
    • 452
    • 453 DOCUMENTO DA UNIÃO DOS ESTUDANTES DO PARÁ AO II SEMINÁRIO DE REFORMA UNIVERSITÁRIA, 50 UNE, 196250 Reproduzido de arquivos particulares.
    • 454
    • 455
    • 456
    • 457
    • 458
    • 459CARTA DO PARANÁ, 1962 [SOBRE OS DEBATES ACERCA DA REFORMA 51 UNIVERSITÁRIA]51 Reproduzido de arquivos particulares.
    • 460
    • 461
    • 462
    • 463
    • 464
    • 465
    • 466
    • 467
    • 468
    • 469
    • 470
    • 471
    • 472
    • 473
    • 474
    • 475
    • 476
    • 477
    • 478
    • 479
    • 480
    • 481
    • 482 TESE “REFORMA UNIVERSITÁRIA: INSTRUMENTO POLÍTICO NA LUTA DO ESTUDANTE”, 52 UNE, 196252 Reproduzido de arquivos particulares.
    • 483
    • 484
    • 485
    • 486
    • 487
    • 488
    • 489
    • 490
    • 491
    • 492DOCUMENTOS DA GREVE ESTUDANTIL DOSESTUDANTES DA ESCOLA DE MINAS DE OURO 53 PRETO-MG, 196253 Reproduzido de arquivos particulares.
    • 493
    • 494
    • 495
    • 496
    • 497
    • 498
    • 499 CAMPANHA DE ALFABETIZAÇÃO DOS ESTUDANTES DA ESCOLA DE MINAS DE OURO 54 PRETO-MG, 196254 Reproduzido de arquivos particulares.
    • 500
    • 501