Nos Batidores do FLISOL2010 Salvador com JEE6

570 views

Published on

Esse material descreve minha experiência em ajudar o FLISOL 2010 em Salvador.

Published in: Technology
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
570
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
47
Actions
Shares
0
Downloads
3
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Nos Batidores do FLISOL2010 Salvador com JEE6

  1. 1. Nos bastidores do FLISOL2010 Salvador com o JEE 6 O FLISOL (Festival Latino-americano de Instalação de Software Livre) é o maior evento de divulgação de Software Livre da América Latina e é o evento que normalmente dá o ponta pé inicial para os próximos eventos de software livre durante o ano. E foi pedido uma aplicação web simples para auxiliar no gerenciamento dos eventos dentre suas principais funções seria: • Gerenciar eventos • Fazer cadastros dos participantes • Gerar relatórios e certificados Bom ai eu pensei, porque não fazer essa aplicação em JEE 6?, a ideia seria muito boa já que essa aplicação alem de auxiliar os eventos serviria de laboratório para os novos recursos da plataforma java. Trazendo grande expectativa no dia 10 de dezembro de 2009 foi lançada a nova enterprise da versão java o JSR 316 ( JEE 6) . Dentre as novas tecnologias que atende as novas necessidades ele veio quebrando a ideia que o JEE servia apenas para aplicações grandes e robustas se adaptando a aplicações de diferentes tamanhos. A evolução do Java EE é notável veio com 10 especificações atualizadas e cinco novas no total de 28. Apesar de existir 28 especificações existe o recurso, profile, que você pode configurar os recursos que será utilizado em sua aplicação e deixando a mesma mais leve. Tão logo tive essa ideia resolvi atualizar minha IDE o netbeans da versão 6.7.1 para a versão 6.8, dentre os destaques dessa nova versão é o glassfish V3 que é atualmente o único servidor de
  2. 2. aplicações que oferece total suporte ao JSR316. A ferramenta escolhida para o desenvolvimento da aplicação foi o Java Server Faces que é a principal ferramenta para desenvolvimento na web que ficou conhecida por ser muito trabalhosa e também não ter suporte a AJAX características que foram quebradas com a versão 2.0 do JSF. Ao iniciar o projeto o primeiro impacto que temos é na mudança do padrão do JSP para o Facelts sem ser necessário nenhum tipo de Plugin umas de sua principal característica é o uso do xhtml suas principais vantagens são: • Requer menos poder computacional e por consequência leva menos tempo para compilar • Performance melhor • E a principal que é o aproveitamento de código com o uso de templates além de você poder criar novos componentes. Ilustração 1: Criando um template Ilustração 2: chamando o template
  3. 3. Esse recurso economiza e muito durante a manutenção e implantação de por exemplo do menu que ficará em todas as páginas. Outra coisa muito interessante é a não existência, caráter opcional, do faces-config.xml que antes servia para adicionar os javaBeans além de também você fazer a navegação entre as páginas. Agora simplesmente colocamos o @ManagedBean em cima da classe que ele é automaticamente referenciado no projeto. O nome do bean por padrão é o nome da classe modificando a primeira letra para minúscula, para definir o escopo podemos utilizar as anotações: @NoneScoped @RequestScoped @ViewScoped @ApplicationScoped @SessionScoped Caso não seja definido o padrão é o @RequestScoped. Um outro aspecto que tirou de vez o faces-config.xml da jogada foi a navegação implícita o que antes dava dias e mais dias de trabalho se tornou implícito, por exemplo se em um commandLink a ação for uma “palavra” e ela não tiver nenhuma regra de validação o JSF automaticamente procurará uma página “palavra.xhtml” sem a necessidade de configuração como na versão anterior. Acredito eu que a novidade mais esperada no JSF 2.0 foi o suporte ao AJAX, nas versões anteriores esse recursos era possível com outros frameworks ou bibliotecas como o IceFace, RichFaces dentre outras. Ilustração 4: usando a anotação @ManagedBean Ilustração 5: chamando o Bean no projeto Ilustração 3: template presente em todas as páginas
  4. 4. Conclusão: Com muito novos recursos o JSR 316 traz novidades para aplicações web de todos os tamanhos agora já é possível implementar uma aplicação atualizada com o mercado sem utilizar nenhum framework de terceiros. Com os recursos do software web implementado com o JEE6 foi possível a obtenção de dados estatísticos e por consequência das diversas áreas presentes como odontologia, direito artes plásticas no evento, as certificações foram geradas e entregues durante o evento. Acredito que o sistema para auxiliar o evento trouxe uma nova infraestrutura e velocidade na informação, mas recursos tem que ser melhorados além de inserir novos recursos.

×