Your SlideShare is downloading. ×
0
Hipoteses de escrita
Hipoteses de escrita
Hipoteses de escrita
Hipoteses de escrita
Hipoteses de escrita
Hipoteses de escrita
Hipoteses de escrita
Hipoteses de escrita
Hipoteses de escrita
Hipoteses de escrita
Hipoteses de escrita
Hipoteses de escrita
Hipoteses de escrita
Hipoteses de escrita
Hipoteses de escrita
Hipoteses de escrita
Hipoteses de escrita
Hipoteses de escrita
Hipoteses de escrita
Hipoteses de escrita
Hipoteses de escrita
Hipoteses de escrita
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×
Saving this for later? Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime – even offline.
Text the download link to your phone
Standard text messaging rates apply

Hipoteses de escrita

5,780

Published on

0 Comments
5 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total Views
5,780
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
1
Actions
Shares
0
Downloads
221
Comments
0
Likes
5
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. Considerações sobre Educação Infantil e a linguagem: A aprendizagem da linguagem oral e escrita é um dos elementos importantes para as crianças ampliarem suas possibilidades de inserção e de participação nas diversas práticas sociais.
  • 2.  A educação infantil, ao promover experiências significativas de aprendizagem da língua, por meio de um trabalho com a linguagem oral e escrita, se constitui em um dos espaços de ampliação das capacidades de comunicação e expressão e de acesso ao mundo letrado pelas crianças.
  • 3. Competências linguísticas básicas:
  • 4. Mitos - FALAR E ESCUTAR A linguagem é considerada apenas como um conjunto de palavras para nomeação de objetos, pessoas e ações. Para boas condições de aprendizagem é necessário criar situações em que o silêncio e a homogeneidade imperem. Rodas de conversa = Apesar de serem organizadas com a intenção de desenvolver a conversa, se caracterizam, em geral, por um monólogo com o professor, em uma ação totalmente centrada no adulto.
  • 5.  MITOS – LER E ESCREVER A ideia de prontidão para a alfabetização; Ensino de cópia das vogais e consoantes; Aprendizagem da linguagem escrita, exclusivamente, como a aquisição de um sistema de codificação que transforma unidades sonoras em unidades gráficas.
  • 6.  Novas direções no que se refere ao ensino e à aprendizagem da linguagem oral e escrita, considerando a perspectiva da criança que aprende: Ao se considerar as crianças ativas na construção de conhecimentos e não receptoras passivas de informações há uma transformação substancial na forma de compreender como elas aprendem a falar, a ler e a escrever.
  • 7.  A partir do intenso contato com diferentes atos de leitura e escrita, as crianças começam a elaborar hipóteses sobre a escrita.
  • 8.  Um processo de construção de conhecimento pelas crianças por meio de práticas que têm como ponto de partida e de chegada o USO DA LINGUAGEM E A PARTICIPAÇÃO NAS DIVERSAS PRÁTICAS SOCIAIS DE ESCRITA.
  • 9. A escola enxerga aaprendizagem da linguagemescrita ASSIM?
  • 10.  A constatação de que as crianças constroem conhecimentos sobre a escrita muito antes do que se supunha e de que elaboram hipóteses originais na tentativa de compreendê-la amplia as possibilidades de a instituição de educação infantil enriquecer e dar continuidade a esse processo.
  • 11. Como saber o que sabem meus alunos sobre aconstrução da escrita ?A Psicogênese da Língua escrita.
  • 12. JEAN PIAGET DESENVOLVIMENTO COGNITIVO ANAEMÍLIA FERREIRO TEBEROSKY PSICOGÊNESE DA LÍNGUA ESCRITA
  • 13. PSICOGÊNESE ... PSICOGENIA =Estudo da origem e desenvolvimento dos processos mentais ou psicológicos.PSICOGÊNESE DA LÍNGUA ESCRITA= é uma abordagem psicológica de como a criança seapropria da língua escrita e não um método de ensino.
  • 14. O trabalho pedagógico deverá estar orientado para ajudar acriança a responder duas questões: O que a escrita representa? Qual é a estrutura da escrita?Mudança do enfoque do “COMO SE ENSINA?” para“COMO SE APRENDE?”.Substituição da questão da educação infantil, numa visãotradicional ligada aos aspectos da coordenação viso-auditivo-motora, por aspectos linguísticos, que envolvem aconcepção da criança sobre a leitura e a escrita.
  • 15. É preciso considerar: A caracterização de cada nível não é determinante, podendo a criança estar em um nível ainda com características do nível anterior. Podemos nos deparar com conflito cognitivo, ou seja, contradições na conduta da criança e nos quais se percebe a perda de estabilidade do nível anterior e a não estabilidade no nível seguinte.
  • 16.  Pré- silábica: -não estabelece vínculo entre fala e escrita; - demonstra intenção de escrever através de traçado linear com formas diferentes; - usa letras do próprio nome ou letras e números na mesma palavra; - usa muitas e variadas letras; - tem leitura global e instável do que escreve;
  • 17.  Silábica sem valor sonoro: • Cada letra ou símbolo corresponde a uma sílaba falada; • O que se escreve ainda não tem correspondência com o som convencional daquela sílaba; • A leitura é silabada;
  • 18.  Silábica com valor sonoro: -Cada letra corresponde a uma sílaba falada - O que se escreve tem correspondência com o som convencional daquela sílaba, em geral representada pela vogal, mas não exclusivamente. - A leitura é silabada.
  • 19.  Silábica alfabética: -marca a transição do aluno da hipótese silábica para a hipótese alfabética. - Ora escreve atribuindo a cada sílaba uma letra, ora representando as unidades sonoras menores, os fonemas.
  • 20.  Alfabética: -O aluno já compreendeu o sistema de escrita, -Entendeu que cada um dos caracteres da palavra corresponde a um valor sonoro menor do que a sílaba. -falta-lhe dominar as convenções ortográficas.
  • 21.  Bibliografia Brasil. Ministério da Educação e do Desporto. Secretaria de Educação Fundamental. Referencial curricular nacional para a educação infantil / Ministério da Educação e do Desporto, Secretaria de Educação Fundamental. — Brasília: MEC/SEF, 1998. BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Ensino Fundamental. Programa de formação de professores alfabetizadores. Brasília: MEC/SEF, 2001.

×