Calendário 2010

992 views

Published on

Published in: Entertainment & Humor
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
992
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
54
Actions
Shares
0
Downloads
11
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Calendário 2010

  1. 1. Calendário 2010
  2. 2. Janeiro A cor é que tem cor nas asas da borboleta, No movimento da borboleta o movimento é que se move, O perfume é que tem perfume no perfume da flor. A borboleta é apenas borboleta E a flor é apenas flor. Fernando Pessoa Passa uma borboleta por diante de mim E pela primeira vez no Universo eu reparo Que as borboletas não têm cor nem movimento, Assim como as flores não têm perfume nem cor. S T Q Q S S D - - - - 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30 31
  3. 3. Fevereiro <ul><li>Se </li></ul><ul><li>Se tanto me dói que as coisas passem </li></ul><ul><li>É porque cada instante em mim foi vivo </li></ul><ul><li>Na luta por um bem definitivo </li></ul><ul><li>Em que as coisas de amor se eternizassem. </li></ul><ul><li>Sophia de Mello Breyner Andresen </li></ul>S T Q Q S S D 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28
  4. 4. Março <ul><li>&quot; Tenho pensamentos, </li></ul><ul><li>que se pudesse revelá-los </li></ul><ul><li>e fazê-los viver, </li></ul><ul><li>acrescentariam nova </li></ul><ul><li>luminosidade às estrelas, </li></ul><ul><li>nova beleza ao mundo </li></ul><ul><li>e maior amor ao </li></ul><ul><li>coração dos homens.&quot; Fernando Pessoa   </li></ul>S T Q Q S S D 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30 31
  5. 5. Abril <ul><li>Todos os pássaros, todos os pássaros </li></ul><ul><li>Asas abriam, erguiam cantos, </li></ul><ul><li>De Amor cantavam. </li></ul><ul><li>Todos os homens, todos os homens, </li></ul><ul><li>De almas abertas, de olhos erguidos, </li></ul><ul><li>De Amor cantavam. </li></ul><ul><li>José Gomes Ferreira </li></ul>S T Q Q S S D - - - 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30
  6. 6. Maio <ul><li>Chamo-Te porque tudo está ainda no princípio </li></ul><ul><li>E suportar é o tempo mais comprido. </li></ul><ul><li>Peço-Te que venhas e me dês a liberdade, </li></ul><ul><li>Que um só de Teus olhares me purifique e acabe. </li></ul><ul><li>Há muitas coisas que não quero ver. </li></ul><ul><li>Peço-Te que sejas o presente. </li></ul><ul><li>Peço-Te que inundes tudo. </li></ul><ul><li>E que o Teu reino antes do tempo venha </li></ul><ul><li>E se derrame sobre a Terra Em Primavera feroz precipitado. </li></ul><ul><li>Sophia de Mello Breyner Andresen </li></ul>S T Q Q S S D - - - - - 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30
  7. 7. Junho <ul><li>  O Sonho   </li></ul><ul><li>Pelo Sonho é que vamos, </li></ul><ul><li>comovidos e mudos. </li></ul><ul><li>Chegamos? Não chegamos? </li></ul><ul><li>Haja ou não haja frutos, </li></ul><ul><li>pelo sonho é que vamos. </li></ul><ul><li>  </li></ul><ul><li>Basta a fé no que temos, </li></ul><ul><li>Basta a esperança naquilo </li></ul><ul><li>que talvez não teremos. </li></ul><ul><li>Basta que a alma demos, </li></ul><ul><li>com a mesma alegria, </li></ul><ul><li>ao que desconhecemos </li></ul><ul><li>e ao que é do dia-a-dia. </li></ul><ul><li>  </li></ul><ul><li>Chegamos? Não chegamos? </li></ul><ul><li>  </li></ul><ul><li>Partimos. Vamos. Somos. </li></ul><ul><li>Sebastião da Gama </li></ul>S T Q Q S S D - 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30
  8. 8. Julho <ul><li>Foi para ti que criei as rosas. </li></ul><ul><li>Foi para ti que lhes dei perfume. </li></ul><ul><li>Para ti rasguei ribeiros </li></ul><ul><li>e dei às romãs a cor do lume. </li></ul><ul><li>  </li></ul><ul><li>Eugénio de Andrade </li></ul>S T Q Q S S D - - - 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 17 18 19 20 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30 31
  9. 9. Agosto <ul><li>Por uma entra a luz do Sol, </li></ul><ul><li>por outra a luz do luar, </li></ul><ul><li>por outra a luz das estrelas </li></ul><ul><li>que andam no céu a rolar. </li></ul><ul><li>Por esta entra a Via Láctea </li></ul><ul><li>como um vapor de algodão, </li></ul><ul><li>por aquela a luz dos homens, </li></ul><ul><li>pela outra a escuridão. </li></ul><ul><li>… . </li></ul><ul><li>António Gedeão </li></ul>Tenho quarenta janelas nas paredes do meu quarto. Sem vidros nem bambinelas posso ver através delas o mundo em que me reparto S T Q Q S S D - - - - - - 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30 31
  10. 10. Setembro <ul><li>… </li></ul><ul><li>De amor nada mais resta que um Outubro e quanto mais amada mais desisto: </li></ul><ul><li>quanto mais tu me despes mais me cubro e quanto mais me escondo mais me avisto. </li></ul><ul><li>…… </li></ul><ul><li>Natália Correia </li></ul>S T Q Q S S D - - 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30
  11. 11. Outubro <ul><li>&quot;Refugia-te na Arte&quot; diz-me Alguém &quot;Eleva-te num vôo espiritual, Esquece o teu amor, ri do teu mal, Olhando-te a ti própria com desdém. Só é grande e perfeito o que nos vem Do que em nós é Divino e imortal! Cega de luz e tonta de ideal Busca em ti a Verdade e em mais ninguém!&quot; </li></ul><ul><li>… </li></ul><ul><li>Florbela Espanca </li></ul>S T Q Q S S D - - - - 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30 31
  12. 12. Novembro <ul><li>Ainda não </li></ul><ul><li>Ainda não não há dinheiro para partir de vez não há espaço de mais para ficar ainda não se pode abrir uma veia e morrer antes de alguém chegar ainda não há uma flor na boca para os poetas que estão aqui de passagem e outra escarlate na alma para os postos à margem </li></ul><ul><li>…… . </li></ul><ul><li>António José Forte </li></ul>S T Q Q S S D 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30
  13. 13. Dezembro Agora retrocedo, leio os versos, Conto as desilusões no rol do coração, Recordo o pesadelo dos desejos, Olho o deserto humano desolado, E pergunto porquê, por que razão Nas dunas do teu peito o vento passa Sem tropeçar na graça Do mais leve sinal da minha mão... Miguel Torga Dei-te os dias, as horas e os minutos Destes anos de vida que passaram; Nos meus versos ficaram Imagens que são máscaras anónimas Do teu rosto proibido; A fome insatisfeita que senti Era de ti, Fome do instinto que não foi ouvido. S T Q Q S S D - - 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30 31
  14. 14. Escultura: Paulo Neves Pintura: Canogar, DaRocha, Gustav Klimt, Kadinsky, Miró, Picasso, Van Gogh <ul><li>Foi o tempo que perdi com a minha rosa que a fez tão importante. </li></ul><ul><li>  </li></ul><ul><li>Saint-Exupéry </li></ul>

×