Mundo dos Insectos

  • 7,911 views
Uploaded on

 

More in: Travel , Technology
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Be the first to comment
    Be the first to like this
No Downloads

Views

Total Views
7,911
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0

Actions

Shares
Downloads
33
Comments
0
Likes
0

Embeds 0

No embeds

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
    No notes for slide

Transcript

  • 1. O MUNDO DOS INSECTOS
  • 2. Introdução Neste trabalho vamos falar sobre o mundo dos insectos . Vamos falar também de vários métodos para capturar insectos, para a sua conservação, alguns dos insectos que podemos encontrar no recinto escolar, como são constituídos os insectos no geral e de algumas curiosidades. Vamos aprofundar alguns insectos que mais gostamos e algumas das suas características. Escolhemos este trabalho porque achamos que vai ser um tema muito interessante, e queremos dar a conhecer um pouco melhor os insectos, principalmente os que estão em vias de extinção. Apertem os cintos porque vamos começar a nossa viagem ao mundo dos insectos.
  • 3. Instrumentos para a captura de insectos
    • REDE ENTOMOLÓGICA. Também denominada puçá, é constituída por um cabo de madeira ou outro material leve (como alumínio), ao qual vai preso um aro de metal e um saco de filó ou organza com o fundo arredondado. É óptima para se capturar insectos em voo, como libélulas, borboletas, mariposas, moscas, abelhas, vespas, cigarras e outros.
  • 4. REDE DE VARREDURA
    • É parecida com a rede entomológica, mas a armação de metal é mais reforçada e recta na extremidade. O saco é geralmente feito de lona ou outro tecido resistente. A vegetação é "varrida" com ela, e assim muitos insectos acabam sendo colectados.
  • 5. ARMADILHA LUMINOSA
    • Usada para a colecta de insectos nocturnos. Existem vários modelos de armadilhas luminosas. A lâmpada deve ser de luz negra, incandescente ou fluorescente. Uma variação da armadilha luminosa é a colecta no pano. Colectar insectos sob as lâmpadas da iluminação pública ou na iluminação externa das residências ou outros edifícios também é um método que acaba rendendo bons exemplares. De forma geral, as lâmpadas isoladas, situadas longe das grandes concentrações urbanas de luz produzem os melhores resultados
  • 6. BANDEJA D'ÁGUA.
    • De fácil construção e emprego, a bandeja d'água consiste numa forma de bolo cujo fundo foi pintado com uma coloração atractiva qualquer, como o branco, amarelo, verde, etc. A tonalidade da cor pode fazer toda a diferença no sucesso da colecta. A forma deve ser colocada no solo e ficar cheia de água à qual se acrescentam algumas poucas gotas de detergente, que serve para facilitar o afundamento dos insectos que nela caírem. Os insectos capturados não devem ser deixados na água por muito tempo para que não se estraguem.
  • 7. ARMADILHA DE MALAISE
    • Esse tipo de armadilha é construído com tela de material sintético e lembra uma tenda. No alto da armação existe uma gaiola que recebe os insectos colectados. É óptima para colectar moscas, abelhas e outros insectos que têm o hábito de subir quando aprisionados.
  • 8. FRASCO CAÇA-MOSCAS
    • Consiste de uma garrafa de tamanho médio com tampa de enroscar; ao redor da garrafa são feitos furos cuja entrada é em forma de funil, com tamanho suficiente para a entrada de mosca da fruta (família Tephritidae). No fundo da garrafa coloca-se sumo de frutas ou proteína hidrolisada de milho. A fermentação da isca atrai as moscas, que conseguem entrar mas não sair da garrafa. Essa técnica é usada como forma de controle de mosca-da-fruta em pomares.
  • 9. Conservação de Insectos
  • 10. Conservação de Insectos
    • Os insectos que são mortos com álcool a 70% devem ser conservados dentro do próprio frasco com álcool. Em colecções desse tipo, é preciso verificar o nível do álcool periodicamente para evitar que o material se estrague. Os insectos mortos a seco (com gases tóxicos) são guardados em caixas de madeira com tampa de vidro, ou em gavetas entomológicas construídas especialmente para esse fim. As caixas ou gavetas têm fundo de isopor para fixar os alfinetes. Para evitar bolor e ataque de outros insectos usa-se pastilhas de paraformol ou bolinhas de naftalina; a naftalina ataca o isopor se ficar em contacto directo com ele; por isso deve ser colocada dentro de uma caixinha de papelão (o fundo de uma caixinha de fósforo é um protector perfeito).
    • Se os insectos ficarem com mofo, podem ser limpos com um pincel molhado no éter ou numa mistura de éter + xilol. Insectos engordurados podem ser limpos imergindo-se os mesmos em éter por 1 a 2 dias.
  • 11. Insectos que podemos encontrar…
    • Os insectos que podemos encontrar no recinto escolar são: abelhas, moscas, escaravelhos, gafanhotos, minhocas, bicho-da-madeira, borboletas, formigas…
  • 12. CARACTERÍSTICAS DOS INSECTOS
    • simetria bilateral
    • corpo segmentado (principalmente o abdómen)
    • heteronomia (corpo dividido em partes distintas: cabeça, tórax e abdómen)
    • exoesqueleto quitinoso
    • 1 par de antenas - díceros
    • 2 pares de asas - tetrápteros (há excepções)
    • 3 pares de pernas - hexápodos
    • mandibulados ectognatos
    • aparelho circulatório dorsal
    • sistema nervoso ventral
    • ausência de epitélio ciliado
  • 13. Curiosidades
  • 14. Mede de 8 a 10 centímetros esta borboleta vive na Europa, Ásia e regiões frias da América do Norte. Esta espécie vive apenas um mês. Começa a sua vida como ovo, transforma-se numa lagarta e sai do ovo, alimentando-se de folhas de cenoura silvestre que é a energia para acelerar o seu crescimento. No seu desenvolvimento pode mudar de pele até uma vez por semana se tiver um crescimento rápido. O corpo da lagarta desta espécie é verde com faixas pretas e laranja o que confunde os seus predadores que pensam ser fezes de passarinho. Possuem dois chifres amarelados que soltam um odor extremamente desagradável para os seus predadores. Depois de um mês transforma-se ficando nesta fase de 2 a 20 semanas para só depois transformar-se em borboleta. Borboleta rabo de andorinha
  • 15. Mede 30 centímetros de envergadura (de uma ponta a outra da asa) esta espécie é caçada pelos coleccionadores, pois acabou por se tornar um insecto muito raro. Esta mariposa tem as asas com belos desenhos e bem coloridas. É também considerada uma das maiores espécies. Esta é uma espécie que corre o risco de extinção, pois foi muito capturada por coleccionadores. As lagartas desta mariposa têm o corpo formado por vários segmentos, com pintas castanhas e verdes e atingem até 10 centímetros de comprimento com 2cm de espessura. Como a mariposa não tem boca para se alimentar ela na fase de lagarta come muito folhas de árvore e arbustos, fazendo assim uma reserva para crescer e sobreviver como mariposa. Mariposa Atlas
  • 16. Conclusão Neste trabalho aprendemos varias tácticas para capturar insectos, como por exemplo: a rede entomológica, a rede de varredura e a armadilha luminosa. Também ficamos a saber que a melhor maneira de conservar insectos é em álcool. Descobrimos muitos insectos que existem no recinto escolar que nós não sabíamos, como por exemplo: os bichos da madeira. Ficamos a saber muitas características sobre as mariposas e outras borboletas, e que a mariposa atlas esta em vias de extinção.
  • 17. Fim